Posts Tagged ‘Familia Vieira da Silva’

A FAMILIA COELHO NO LIVRO A MATA DO PECANHA

April 24, 2011

CONTEUDO DESTE BLOG – ALL CONTENTS

1. GENEALOGIA

http://val51mabar.wordpress.com/2012/09/11/barbalho-pimenta-e-talvez-coelho-descendentes-do-rei-d-dinis/

http://val51mabar.wordpress.com/2011/02/24/historico-do-povoamento-mineiro-genealogia-coelho-cidade-por-cidade/

http://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/05/23/a-historia-da-familia-coelho-do-centro-nordeste-de-minas-gerais/

http://val51mabar.wordpress.com/2011/04/24/a-familia-coelho-no-livro-a-mata-do-pecanha/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/05/03/arvore-genealogica-da-familia-coelho-no-sitio-www-geneaminas-com-br/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/09/22/ascendencia-dos-ancestrais-jose-coelho-de-magalhaeseugenia-rodrigues-rocha-uma-saga-a-ser-desvendada/

2. RELIGIAO

http://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/

http://val51mabar.wordpress.com/2011/01/28/o-livro-do-conhecimento-de-deus/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/01/22/carta-de-libertacao/

3. OPINIAO

http://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/

4. MANIFESTO FEMINISTA

http://val51mabar.wordpress.com/2010/07/21/13-estrelas-mulher/

5. POLITICA BRASILEIRA

http://val51mabar.wordpress.com/2010/10/16/o-direcionamento-religioso-errado-nas-questoes-eleitorais-brasileiras/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/10/19/resposta-de-um-neobobo-ao-excelentissimo-sr-ex-presidente-fernando-henrique-cardoso/

http://val51mabar.wordpress.com/2011/08/01/miilor-melou-ou-melhor-fernandes/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/08/05/carta-ao-candidato-do-psol-plinio-de-arruda-sampaio/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/05/26/politica-futebol-musas-e-propaganda-eleitoral-antecipada-obama-grandes-corporacoes-e-imigracao/

6. MISTO

http://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

7. IN INGLISH

http://val51mabar.wordpress.com/2010/06/02/the-nonsense-law/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/08/21/13-stars-woman/

http://val51mabar.wordpress.com/2011/10/05/the-suicidal-americaa-america-suicida/

http://val51mabar.wordpress.com/2010/08/25/100-reasons-to-amnesty-the-undocumented-workers-in-united-states/

http://val51mabar.wordpress.com/2009/09/25/about-the-third-and-last-testament/

http://val51mabar.wordpress.com/2009/09/12/the-third-and-last-testament/

8. IMIGRACAO

http://val51mabar.wordpress.com/2010/06/17/imigracao-sem-lenco-e-sem-documento-o-barril-transbordante-de-injusticas/

          INDICE
 
          01. PREZADOS FAMILIARES E AMIGOS II
          02. PREZADOS FAMILIARES E AMIGOS I
          03. BREVE HISTORICO DE SAO JOAO EVANGELISTA
          04. FONTES USADAS PELO PROF. PIMENTA
          05. UMA RAIZ DA FAMILIA PIMENTA
          06. POSSIBILIDADE DOS COELHO DE MAGALHAES DESCENDEREM DAI
          07. OUTRAS RAIZES DA FAMILIA PIMENTA (BORGES MONTEIRO e PEREIRA DO AMARAL)
          08. PEQUENAS OBSERVACOES
          09. ULTIMAS OBSERVACOES
          10. REVOLTA DA CACHACA
          11. A HISTORIA ORGANIZADA DE SAO JOAO EVANGELISTA
          12. PRECURSORES DAS FAMILIA PIMENTA E COELHO
          13. NOMES DOS PRIMEIROS HABITANTES DE SAO JOAO EVANGELISTA
          14. LISTA DE MORADORES DO PERIODO DE 1.876 A 1.879
          15. LISTA DE MORADORES DO PERIODO DE 1.890 A 1.900
          16. FAMILIAS TRADICIONAIS DE PECANHA
          17. RAMO CARVALHO DE SAO PEDRO DE SUACUI

          18. RAMO CARVALHO DE SAO JOSE DO JACURI
          19. ALGUMAS FAMILIAS ANTIGAS EM GUANHAES
          20. FAMILIA COELHO DESCENDENTE DO CAPITAO JOAO
          21. FAMILIA COELHO DESCENDENTE DO CAPITAO JOSE
          22. TIO OLIMPIO JOSE PIMENTA, UM CASO APARTE
          23. RECENTES E ANTIGAS DESCOBERTAS DE FILHOS PROEMINENTES 
 
          01. PREZADOS FAMILIARES E AMIGOS II
 
     Estou retornando ao presente texto porque agora ja li e estudei com maiores detalhes os vinculos familiares que existem entre os fundadores de Sao Joao Evangelistas, seus primeiros moradores e em relacao a boa parte dos habitantes do Centro-Nordeste de Minas Gerais e seus descendentes. Os meus estudos nao sao uma Caixa de Pandora. Nem tudo eu sei e nem tudo esta no livro.
 
     A minha preocupacao maior ao escrever estes textos eh identificar os vinculos familiares entre as populacoes porque isso tem um objetivo cientifico e nao por vaidade. O objetivo cientifico esta numa previsao que ja fiz em estudos anteriores. A partir deles cheguei `a conclusao que deveriamos conhecer melhor os vinculos geneticos que existem entre as pessoas para que, com esses dados, se possa fazer um melhor planejamento familiar. Quando se fala em planejamento familiar, o que vem `a nossa mente eh a quantidade de filhos que pretendemos ter.
 
     Mas o que me preocupa eh outro detalhe. Eh sim a qualidade de vida que a nossa descendencia ira levar quando estiver envelhecendo. Uma das possiveis consequencias de casamentos muito consanguineos eh exatamente o envelhecimento precoce e doloroso, com varios problemas de saude acompanhando. Isso sem analisarmos outras consequencias mais visiveis que aparecem ao nascimento.
 
     Ao analisar a Historia e a Genealogia de Portugal conclui que a populacao envolvida na multiplicacao era pequena em relacao a atual populacao de descendentes. Tambem, tomando como base o padrao de multiplicacao das pessoas no passado pude afirmar que todos nos tinhamos ancestrais comuns voltando apenas a umas poucas geracoes anteriores `as nossas.
 
     Para demonstrar isso de uma forma direta e pratica, basta imaginarmos. Se tivemos ancestrais por volta de 12 geracoes anteriores `as nossas que tiveram 10 filhos. Estamos imaginando em relacao a um unico casal. Tambem supondo que todos estes 10 filhos atingiram a idade adulta e tambem tiveram 10 filhos cada um.
 
     Supondo tambem que cada um dos 100 netos viesse a ter 10 filhos por pessoa. Se sequenciarmos essa hipotese durante 10 geracoes, notaremos que o casal inicial tem o potencial de ter tido ate 10.000.000.000 (10 bilhoes) de descendentes, somente na decima geracao, ou seja, a geracao de nossos avos poderia ser composta de ate 10 bilhoes de pessoas com vinculos familiares relativamente proximos. Isso, num espaco de tempo relativamente minimo, de apenas 300 anos. Ou seja, nos ja poderiamos ser, repetidas vezes e com sobras, parentes de todas as pessoas que habitam a terra atualmente. 
 
     Bom, se cada casamento sempre tivesse ocorrido com pessoas que nao fossem parentes entre si, o casamento entre as pessoas dessa ultima geracao nao envolveria risco algum, afinal, todos teriam ancestrais comuns mas numa base de consanguinidade tao pequena que nao seria motivo para nos preocuparmos.
 
     Contudo, a realidade eh outra. Como nossos ancestrais nao tinham o conhecimento para o planejamento familiar eles tiveram filhos segundo o que a natureza os permitia. Muitas vezes tinham apenas um filho. Outras vezes tinham dezenas. Contudo, boa parte dos filhos faleciam quando crianca, alguns nao se casavam. Eles proprios faleciam muito jovens, nao tendo tempo de ter tantos filhos. Isso era valido particularmente para o caso das mulheres onde a incidencia de falecimentos relacionados ao parto era elevada.
 
     Outra diferenca entre a hipotese levantada e a realidade eh a de que como as pessoas de uma mesma familia viviam por geracoes numa relativa pequena area geografica, os primos acabavam casando entre si, diminuido a possibilidade de multiplicacao da descendencia e aumentando em muito a incidencia da consanguinidade.
 
     Tomando o exemplo anterior, se os 100 netos se casassem com 100 outras pessoas fora da familia e cada um tivesse 10 filhos, o casal inicial teria 1.000 bisnetos. Porem, se os 100 netos se casassem somente entre eles proprios, formando apenas 50 casais e tendo os mesmos 10 filhos por casal, a geracao de bisnetos seria composta apenas por 500 pessoas. Para que os numeros se mantivessem os mesmos seria preciso que os casais tivessem, em media, 20 filhos.
 
     Alem dessa ultima possibilidade ser humanamente impossivel, quanto mais se repete o casamento entre primos nas geracoes seguintes, menor fica a possibilidade de o casal inicial ser multiplicado exponencialmente da forma como o exemplo hipotetico preve. Em compensacao, quanto mais houver casamento entre primos menor eh a variabilidade genetica da descendencia, tornando-a mais susceptivel a problemas de saude de toda e qualquer natureza.
 
     Derivado dessa realidade eh que levantei a hipotese de que, provavelmente, nos teriamos cidades inteiras geneticamente irmas `as nossas mesmo sem sabermos que tivessemos grau tao proximo de parentesco com tais outras cidades. O meu raciocinio era esse. Partindo do padrao de multiplicacao que acompanhamos, ocorrido na familia Coelho do Centro-Nordeste de Minas Gerais, supuz que padrao semelhante tenha ocorrido em outras cidades.
 
     O que quero dizer com isso eh que: alguns casais que ja tinham alguma consanguinidade entre si, especialmente um certo numero de irmaos e primos, mesmo que tenham se casado com pessoas estranhas `a familia, fundaram uma cidade. Porem estes seriam apenas parte da familia total e outros irmaos e primos tomaram rumo diferente e fundaram outra cidade. Como a comunicacao era muito menor num passado nao tao distante dos nossos dias, as populacoes das duas cidades multiplicaram-se, porem, com a ocorrencia de muitos casamentos entre primos. E esse padrao de casamento pode acontecer repetidamente, durante varias geracoes.
 
     Passadas aquelas primeiras geracoes, sem a devida anotacao da Geneologia de ambas as cidades, comecam a acontecer os contatos entre as duas populacoes e, fatalmente, ocorrem os casamentos. Como as poucas pessoas diferentes da familia na populacao inicial podem ter prevalecido em relacao a deixar o sobrenome, as pessoas nao se identificam mais como parentes. Quando, em verdade, geneticamente elas podem ate ter pessoas na cidade difente da origem delas que lhes sejam mais consanguineas que outras em suas proprias cidades.
 
     Este eh um caso que possa estar acontecendo entre as populacoes de Virginopolis, Guanhaes, Sao Joao Evangelista. O mesmo pode estar acontecendo entre outras cidades. As pessoas casam-se “no escuro” em relacao a nao saberem qual o grau parental que ja existe entre elas proprias e quais as “herancas malditas” poderao estar deixando para os filhos.
 
     Portanto, a minha defesa eh a de que as pessoas se esforcem por manter suas Arvores Genealogicas atualizadas para antes de se casarem fazerem uma consulta previa a um geneticista. Nao que se queira proibir o casamento entre parentes. Pelo menos para que sejam alertadas para as precaucoes que devem ser tomadas durante a vida das criancas. Existem muitas herancas geneticas que predispoem as pessoas a terem problemas no futuro. Mas a boa noticia eh a de que muitas das predisposicoes podem ser impedidas de manifestar, seguindo-se um comportamento preventivo que se de desde o principio.
 
     Por exemplo, algumas pessoas tem a predisposicao para desenvolver problemas cardiacos. Mas a manifestacao desses problemas pode ser evitada, adotando um comportamento de vida que suprima os riscos. Se a pessoa tem tendencia a engordar com facilidade, e essa gordura eh reconhecidamente perigosa `a sua vida, melhor entao eh seguir um regime nutricional e de exercicios que previnam a gordura e as consequencias danosas `a saude, do que tentar resolver o caso depois que o resultado ter recaido em problema.
 
     Outra definicao que precisa ser feita para estes estudos eh a diferenciacao entre genetica e genealogia. A genealogia eh uma das artes mais antigas usadas pela humanidade. Eh anterior a qualquer escrito biblico. E as familias reais a usavam por precaucao. Isso porque, se uma linhagem reinante chegasse a um fim-de-linha, ou seja, se o rei nao deixasse herdeiros diretos ao trono, seria preciso pesquisar outras linhagens deixadas por ancestrais dele para decidir-se quem teria mais direito na heranca.
 
     Com o tempo isso passou a ser utilizado por todos os nobres e qualquer outro que tivesse alguma riqueza ou titulo a partilhar. Porem, por causa da imensa capacidade humana de multiplicar-se qualquer pessoa humana hoje-em-dia tem ancestrais que foram reis, nobres ou pessoas de bens. A diferenca entre uns e outros eh apenas de que em alguns essas ligacoes sao mais recentes, portanto, mais faceis de ser encontradas via analise de documentos. Ha tambem a diferenca de que alguns se preocupam com isso e a maioria nao.
 
     Tomando a Familia PIMENTA, objeto maior dos estudos no livro A MATA DO PECANHA, como exemplo para que se entenda melhor essa diferenca entre genealogia e genetica. Na genealogia, o que importa eh descrever a descendencia de uma determinada pessoa geralmente considerada como a cabeca de uma familia. Em funcao disso, os estudos do prof. Dermeval Jose Pimenta se concentram basicamente na descricao da descendencia do avo dele, MODESTO JOSE PIMENTA.
 
     Mas o que de PIMENTA guarda a descendencia do tio MODESTO!? Essa eh uma pergunta que cabe `a genetica responder. Mesmo que consideremos o sr. MODESTO como 50% PIMENTA, pois, era filho de BOAVENTURA JOSE PIMENTA e MARIA BALBINA DE SANTANA, vejamos ao que isso leva. Ele casou-se com ERMELINDA QUERUBINA PEREIRA DO AMARAL. Portanto, os filhos receberam uma heranca de 25% PIMENTA; 25% BORGES MONTEIRO (provenientes da tia MARIA BALBINA) e 50% do lado PEREIRA DO AMARAL. Esses 50% sao partilhaveis entre 25% PEREIRA DO AMARAL e 25% COELHO DE ALMEIDA, provenientes dos avos MIGUEL PEREIRA DO AMARAL e ANA MARIA DE JESUS, pais da tia ERMELINDA.
 
     A cada geracao que passa, a heranca dos ancestrais cai pela metade, ou seja, nos temos 50% de heranca de cada um de nossos pais. 25% de cada um de nossos avos. 12,5% de cada um de nossos bisavos. Assim, sucessivamente, ate chegar `aquela expressao antiga: “pouco mais que nada”.
 
     Essa ordem somente eh quebrada quando ha o casamento entre parentes. Um exemplo pratico disso foi o casamento entre ANTONIO DE PADUA PIMENTA e HONORINA AUGUSTA PIMENTA. (pagina 326 do livro). Ambos eram netos dos tios MODESTO/ERMELINDA. Nesse caso, eles eram primos em primeiro grau e cada um herdou 25% da genetica dos avos. Assim, os filhos deles, que seriam bisnetos e deveriam receber apenas 12,5% de heranca genetica, herdaram 25% ao todo porque ai se somam os 12,5% que viriam da parte do seo ANTONIO com os 12,5% que herdariam de dona HONORINA.
 
     Em casos como esses, geneticamente falando, seria como dizer que os bisnetos sao, na pratica, netos do casal MODESTO/ERMELINDA. E essa eh a realidade que fica para todos nos. Na verdade, muitos dos ancestrais que pensamos estar distantes porque passaram ha muitos anos antes da nossa geracao sao, na verdade, muito mais proximos do que imaginamos. A distancia que pensamos existir nao passa de uma ilusao proporcionada pela visao do mundo, onde nos consideramos mais `aqueles que conhecemos pessoalmente e menos `aqueles que nao tivemos a oportunidade de conhecer.
 
     No caso da Familia PIMENTA atual, assim como toda e qualquer familia, podemos dizer que, geneticamente, nada tem de PIMENTA a nao ser o sobrenome. Exceto por aqueles que descendem repetidamente dos mesmos ancestrais. A maioria, apenas genealogicamente falando, sabe-se ser PIMENTA, em algum ponto do passado.
 
     Porem, ha um senao ai. Quando ainda em Portugal, no passado medieval, as pessoas eram parte de uma mesma familia que era conhecida como a tribo Luzitani. Os luzitanos se multiplicaram e dividiram-se em grupos familiares. Esses grupos familiares foram os que adotaram os nomes diferentes. Por isso, nao importa se o nome atual seja PIMENTA, COELHO, FERREIRA, NUNES, PEREIRA ou outro qualquer. No fundo, todos pertencem ao mesmo grupo familiar luzitano. Sorte nossa termos a heranca nativo-brasileira e africana misturada em nossa genetica.
 
     E eh ai que entra a importancia da genetica acima da genealogia. Havera sempre que considerar-se um grau de parentesco superior entre as pessoas oriundas do grupo familiar luzitano do que aquele expresso nas genealogias ja que, infelizmente, nenhuma genealogia eh completa. Ela eh util no sentido genetico quando o parentesco entre as pessoas ja eh visivelmente proximo. Quando nao for, somente um exame de DNA podera determinar o grau de parentesco que ja existe oculto por tras das assinaturas.
 
     Como ja mencionei, queria com essas notas mostrar os vinculos familiares que existem desde os primeiros dias da colonizacao entre as familias colonizadoras. Para isso, utilizei-me do recurso de codigos. Numerei os habitantes de Sao Joao Evangelista de 1 a 104. Assim, quando encontrarem alguem com um numero na frente do nome, significa que eh o morador, ou filho ou neto daquele morador. Voltando aos capitulos 13, 14 e 15 ficara facil identifica-los.
 
     Os casais precursores, aqueles que sao os mais antigos, estao identificados por letras do alfabeto. Ha um bloco no capitulo 12, que vai da letra A `a letra T. No capitulo 19 temos as letras U ate X. No 21 temos o W (Joaquim Pereira do Amaral); Y (familia de Candido (Candinho Velho) de Oliveira Freire e Z (familia de Policarpo Barbalho).
 
     Principalmente nos dados genealogicos da Familia Coelho, capitulos 20 e 21, temos o sistema de numeracao por nascimentos. Neste caso temos, se alguem for identificado por um numero comecado por 1., significa que desdende do capitao, Jose Coelho da Rocha; se comecado pelo numero 2, significa que descende do capitao, Joao Coelho de Magalhaes.
 
     Como exemplo, eu posso ser identificado por 6 numeros diferentes porque sou 6 vezes descendente do casal Jose Coelho da Rocha e Luiza Maria do Espirito Santo. Meus numeros sao: 1.5.1.3.1.7.5; 1.5.10.1.9.5; 1.6.4.3.7.5; 1.6.6.5.9.5; 1.8.6.1.7.5 e 1.8.5.1.9.5. Os numeros que terminam com 7.5 sao de ascendencia em meu pai, porque ele eh o setimo filho dos avos paternos. Os em 9.5 sao de ascendencia em minha mae porque ela eh a nona dos filhos dos avos maternos. O quinto filho sempre serei eu.
 
     Como disse, o numero um significa ser descendente do capitao, Jose Coelho de Magalhaes Filho, mais conhecido como Jose Coelho da Rocha. O numero seguinte, 5 representa Joao Baptista Coelho; 6 representa Eugenia Maria da Cruz; e 8 representa Antonio Rodrigues Coelho. Nos encontramos grande descendencia da irma numero 4, tia Francisca Eufrasia de Assis, tambem.
 
     Para ler-se esses numeros sem recorrer `as anotacoes, tem-se que ter um grande nivel de decoreba ou conhecimento. O primeiro dos meus numeros significa, por exemplo, lendo-se de tras para frente: Valquirio, filho de Odon, filho de Zulmira, filha de Olimpia, filha de Joao Jr, filho de Joao, filho de Jose. Fazendo esse pequeno texto eu acabei decorando os lugares na familia de alguns personagens, dai nao eh tao dificil para mim identifica-los `a primeira vista. O ultimo significa: Valquirio, filho de Judith, filha do Juca Coelho, filho da Sa Quinha, filha Antonio Rodrigues, filho do Jose.
 
     A minha situacao nao eh muito diferente das outras pessoas que nasceram e cresceram em torno de Virginopolis e Guanhaes. Alguns tem ate mais numeros de identificacao. Outros tem menos. Desde que se parta do mesmo casal, observem que os numeros que me identificam serao os mesmos se colocarmos a avo Luiza Maria como ancestral numero 1. Nao sabemos qual o numero de ordem que ela nasceu. Mas se for diferente de ser a primogenita, entao, somente o primeiro numero sera trocado. E o mesmo processo podemos fazer em relacao a qualquer um de nossos ancestrais, ou seja, somos identificaveis por inumeravel sequencia de numeros.
 
     Para constatar isso, basta irem ao capitulo 21 e observarem que grande numero de pessoas, com idades semelhantes `as de nossos avos ja eram identificaveis por mais de um numero. E estes se casaram com pessoas que ja possuiam um, dois ou tres numeros de identificacao, ou seja, os filhos terao a soma dos numeros dos pais. Algumas pessoas eu identifiquei com mais de um numero. Mas isso nao significa que tenham somente aqueles que eu revelei. Em alguns casos eu omiti uma parte dos numeros porque nao havia a necessidade premente de mostrar tudo. Assim, quem desejar podera divertir-se com a “brincadeira” de descobrir quais sao os seus numeros.      
 
     Fecharei aqui essa segunda introducao. O texto original, com algumas modificacoes continuara disponivel logo abaixo. Ele findara com o texto que copiei a respeito da REVOLTA DA CACHACA. A partir deste ponto, entao, acrescentarei uma nova analise de coisas encontradas no livro, A MATA DO PECANHA. Em particular, pretendo mostrar a formacao da populacao em Sao Joao Evangelista a partir de seus primeiros moradores e demonstrar o quao proximos, na atualidade, muitos deverao ser em termos de consanguinidade com a FAMILIA COELHO, particularmente multiplicada a partir de Virginopolis e Guanhaes.  
 
          02. PREZADOS FAMILIARES E AMIGOS I
 
     Logo que recebi o presente e-mail do Colegio Brasileiro de Genealogia – CBG – repassei-o a alguns. Ele me parecia apenas a reedicao de fatos historicos, sem nenhuma ligacao com nossa familia. O texto “REVOLTA DA CACHACA” estara copiado abaixo do presente.
 
     Parece-me, porem, que o destino estava apenas conspirando para trazer-nos alguns resultados a respeito de nossa genealogia. Em primeiro lugar, dias apos ter repassado aquele e-mail, ganhei um dos melhores presentes de minha vida. Quase que posso dizer que pelas circunstancias pode ter sido o melhor. Alem de ter sido um otimo presente nao eh natal nem meu aniversario.  
 
     A pesquisadora Ana Maria Nunes enviou-me uma copia do livro: A MATA DO PECANHA, SUA HISTORIA E SUA GENTE, de autoria do prof. DERMEVAL JOSE PIMENTA. Ela descende do ramo Manoel Borges Monteiro, que estamos em duvida se eh ou nao irmao do nosso ancestral Antonio Borges Monteiro. De qualquer forma, mesmo em duvida quanto ao grau, penso nao haver duvida quanto a termos ancestrais comuns. A ela estou muitissimo agradecido pela gentileza e espero ser util algum dia em retribuicao.
 
      Eu conheco o livro do prof. Demerval desde crianca, melhor dizendo, conheco-lhe a capa, porque num certo tempo de nossa vida o papai adquiriu um exemplar. Porem, era muito complicado para mim compreender o que ia dentro. Ainda hoje o livro nao eh facil de ser lido sem alguns conhecimentos previos.
 
          03. BREVE HISTORICO DE SAO JOAO EVANGELISTA
 
      Mas eu gostaria de resumir um minimo possivel, apenas para mostrar alguns vinculos de nossa familia com as familias sanjoanenses, [o gentilico correto eh evangelistano, o sanjoanense eh usado pelo proprio prof. Dermeval] destacando alguns erros de interpretacao que apenas a leitura dos nomes dos fundadores daquela cidade possam levar. Incrivel, o que parece obvio eh um falso caminho e o que eu nao sabia eh que nos da os vinculos.
 
     Em primeiro lugar, quando escrevi no texto HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGICA COELHO, CIDADE POR CIDADE, dei a entender que em Sao Joao Evangelista estaria um reduto da familia Coelho da Rocha e que, provavelmente, ai estaria um vinculo maior nosso com a cidade. Mas isso nao se da, necessariamente, da forma como eu imaginava.
 
     A HISTORIA DE SAO JOAO contada pelo prof. Dermeval troca em miudos uma coincidencia pouco imaginavel. Ele conta que quando foi fundado o Quartel Militar no Descoberto do Pecanha (1.807), atual cidade de Pecanha, para as margens do Ribeirao Sao Nicolau mudou-se uma tribo de indios Monoxos. Os indigenas cultivaram a terra e construiram suas serventias. Porem, apos alguns anos ali instalados, estava declarada a guerra contra os Botocudos, que foi a tribo que resistiu aa invasao europeia.
 
     Assim, os Monoxos derrubaram e queimaram suas instalacoes e mudaram-se para outro terreno, nas proximidades de outra reducao, proximo ao quartel, onde ja se encontravam os indios Malalis. As duas tribos aliaram-se aos militares no combate aos Botocudos. Antes disso, venderam as terras ao capitao ILDEFONSO DA ROCHA FREITAS. Este tinha por esposa a dona MARIA COELHO DA SILVEIRA.
 
     Eles eram portugueses de nascimento e o capitao nasceu em 1795. No texto citado acima eu ignorava o nome da esposa dele, cuja devocao era Sao Joao e, em razao disso, a fazenda construida por eles veio a ter o nome do santo. Foi nas terras dessa fazenda que os herdeiros, a pedido testamental do casal, fizeram as doacoes “ao patrimonio de Nossa Senhora do Rosario dois alqueires de terra”, em 1874, que principiaram o surgimento do povoado.
 
     O primeiro a construir sua casa na atual sede da cidade foi Valeriano Coelho da Rocha que, junto com seu irmao, Manoel Coelho da Rocha, encontram-se na relacao de primeiros moradores de Sao Joao. Ambos eram filhos do casal Ildefonso/Maria.
 
     Um dos grandes vicios dos historiadores antigos eh dar menor importancia e, na maioria das vezes, ignorar completamente a presenca feminina nos eventos da Historia. O capitao Ildefonso ja era casado quando chegou para aquelas terras e, pelo menos, o filho Manoel ja era nascido. O texto que acessei na Internet, onde encontrei a relacao dos primeiros moradores, nao cita mulher alguma, embora os fundadores ja fossem casados.
 
     Mas nao se confunda aqui os moradores das terras com os moradores do povoado. O casal primeiro citado nao residiu no povoado porque faleceu antes de ele ser instituido. `A mesma epoca se instalaram nas imediacoes os parentes do capitao Ildefonso e dona Maria.
 
     Com dona Maria e o capitao Ildefonso nasceu a familia Coelho da Rocha de Sao Joao Evangelista numa coincidencia tao fortuita quanto rara porque o primeiro morador de Guanhaes, o capitao nosso tetravo, JOSE COELHO DE MAGALHAES FILHO, adotara por apelido a mesma combinacao e era conhecido por JOSE COELHO DA ROCHA. Ha indicios de que familiares dele usassem o mesmo sobrenome, inclusive um dos filhos recebeu o nome de JOSE COELHO DA ROCHA NETO. O sobrenome COELHO DA ROCHA tambem aparece na descendencia do tio-tetravo: JOAO COELHO DE MAGALHAES., irmao do JOSE COELHO DA ROCHA.  
 
     O primeiro morador de origem eurobrasileira no futuro municipio de Sao Joao Evangelista, registrado no livro, foi o sr. NICOLAU JOSE DE OLIVEIRA. Este, por volta de 1800, estabeleceu sua fazenda na cabeceira do Ribeirao Sao Nicolau e do nome dele derivou o nome do curso d’agua.
 
     A partir de 1875 diversos moradores da regiao acorreram para la. Especialmente aqueles que ja tinham algum vinculo familiar. O local era privilegiado, pois, ali se dava o entroncamento de caminhos de tropas. Outras povoacoes mais antigas como as atuais Pecanha, Sao Jose do Jacuri usavam a passagem para dirigir-se ao Serro, servindo, entao, como se fosse uma capital regional. No meio desse caminho estava Sabinopolis, fonte genetica de algumas primeiras familias moradoras.
 
     Do entroncamento tambem saia o caminho que passava por Guanhaes, Senhora do Porto e Dom Joaquim, oferecendo a opcao de ir-se para Conceicao do Mato Dentro e Morro do Pilar. Tanto de uma quanto da outra havia a via que ligava a Itabira, Barao de Cocais, e se dirigia aos centros mais antigos do estado, incluindo-se ai Sabara, Mariana e Ouro Preto, sendo as duas ultimas a primeira e a, entao, capital do estado.
 
     Nao se pode esquecer que dali ja se podia acessar o norte e o nordeste de Minas, em confluencia com o Sul da Bahia. Naquele norte se destacavam os municipios de Minas Novas, uma das fontes de ouro e diamantes em tempos logo apos a Ciclo do Ouro, e Sao Joao Batista. Esse Sao Joao eh o antigo nome de Itamarandiba. Eh por isso que o povoado que surgiu mais ao sul veio a ter o primeiro nome de SAO JOAO NOVO, a futura SAO JOAO EVANGELISTA.
 
          04. FONTES USADAS PELO PROF. PIMENTA
 
     O municipio de Sao Joao Evangelista nasceu do desmembramento do antigo territorio da cidade de Pecanha, em 1911. Portanto ele usou a lista de eleitores daquela cidade. Eh necessario saber-se que, naquele tempo, para tornar-se eleitor seria necessario possuir renda minima de 100$000 reis. Era uma quantia razoavel. Outro detalhe eh o de que, antes do seculo XX, nao existia o voto feminino. Mulher era considerada, chauvinisticamente, um apendice do homem.  
 
     A junta eleitoral reunia-se todos os anos para avaliar as qualificacoes. Em 1871, Pecanha tinha 648 votantes. Porem, a Paroquia de Santo Antonio do Bom Sucesso de Pecanha abrangia o territorio que hoje esta dividido em diversos outros municipios. As profissoes dos votantes eram: “606 exerciam a profissao de lavrador, 21 de negociantes, 6 carpinteiros, 4 sapateiros, 2 tropeiros, 1 ferreiro, 1 pedreiro, 1 carreiro, 1 alfaiate, 1 oficial de justica, 1 escrivao de paz, 1 rabula e um vigario.”
 
     Segundo o prof. Demerval, ele encontrou uma preciosa fonte de informacoes no “Livro de Atas das Eleicoes, anos 1863/1872, do Arquivo da Camara Municipal de Pecanha.” Eh que na lista de eleitores constam diversas informacoes tais como: datas de nascimento, profissao, local de residencia e filiacao masculina, bem entendido.
 
     Eh possivel que exista o livro correspondente em Guanhaes, com o mesmo padrao de dados. Para buscar dados de nossos ancestrais e parentalha devera ser uma fonte utilissima.
 
     Das personalidades inscritas, e que nao sei origem, devem ser de nosso interesse o cidadao tenente Henrique Manoel Coelho [foi identificado no livro. Eh filho do casal Ildefonso/Maria]. Tambem o eleito Cirino Jose Barbalho. Mais tarde comentarei a respeito do Barbalho que aparece mais vezes em Pecanha. Entre as autoridades locais da Vila do Rio Doce, primeiro nome de Pecanha logo apos a emancipacao em 1875, consta que esse Cirino Jose Barbalho foi eleito o primeiro Juz de Paz. O 3o. suplente de subdelegado chamava-se Antonio Nunes Coelho.
 
     O Antonio Nunes Coelho esta perfeitamente identificado na pagina 71 do livro. Era casado, fazendeiro e residia em Pecanha. Qualificado como eleitor em 1881 e nascido em 1829. Era filho dos pentavos Eusebio Nunes Coelho e Ana Pinto de Jesus. (O prof. Dermeval a identifica como Ana Nunes Coelho e Ana Honorata).
 
     Em 1881, ano da instalacao da vila, foi eleito o vereador Emidio Fernandes Madeira. Estou citando-o apenas como nota porque temos o tio-trisavo chamado Manoel Geraldo Fernandes Madeira, marido da irma do trisavo Francisco Marcal de Magalhaes Barbalho: Lucinda de Magalhaes Barbalho. Numa breve genealogia de familias em Pecanha, o sobrenome Barbalho aparece exporadicamente, tratando-se de mulheres, portanto, que nao o passaram para frente mas que deixa duvida se e como estariam vinculadas ao nosso ramo ja que nada temos da descendencia da tia Lucinda. Mas a explicacao para o sobrenome pode tambem ser outra.
 
     Segundo o prof. Demerval ele encontrou uma razoavel fonte de dados nos arquivos deixados pelo alferes LUIZ ANTONIO PINTO, que recolheu inumeravel quantidade de dados dos resgistros, em diversas fontes, retratando as “primeiras familias que se constituiram na Comarca da Vila do Principe.” Esse arquivo teria permanecido na Secretaria da Agricultura e depois depositado aos cuidados do Arquivo Publico Mineiro – APM, em Belo Horizonte. Lamenta-se que o arquivo nao tenha sido mantido completo.
 
     Uma terceira fonte, de grande importancia, sao os Arquivos do Colegio Brasileiro de Genealogia que possui um fichario contendo os nascimentos, casamentos e falecimentos acontecidos na cidade do Rio de Janeiro. No proximo capitulo eu relacionarei a importancia disso.
 
     Informo tambem que o CBG nao faz pesquisas primarias, ou seja, nao tem pessoal a quem possamos fazer encomenda de pesquisa. As pessoas que o mantem sao voluntarias. De qualquer forma, a informacao e digna de nota. Quem desejar deve poder fazer a pesquisa por conta propria, ou encomenda-la a algum genealogista qualificado.
 
     O prof. Dermeval cita tais fontes como suas fontes primarias, sobretudo para os dados anteriores a 1800. Os dados mais recentes eles conseguiu fazendo peregrinacao aos cartorios das varias cidades da regiao, particularmente, Serro, Conceicao do Mato Dentro, Pecanha, Sabinopolis, Sao Joao Evangelista e Guanhaes. Todo tipo de registro como: nascimentos, casamentos e obitos; testamentos; registros de imoveis etc ajudaram nas pesquisas de dados mais recentes.
 
     Frequentemente, o prof. Dermeval tambem cita o ALMANAQUE DA PROVINCIA DE MINAS, particularmente os datados de 1865 e 1875. Pelo que entendi, esses almanaques traziam referencias `as pessoas de posse nas cidades. Do ALMANAQUE de 1875 ele cita um certo CAPITAO FRANCISCO MANOEL MARCAL BARBALHO. Seria preciso localizar-se esse exemplar e verificar, porque pode ser que haja ai algum engano por parte dos editores ou do professor, ou tratar-se de outra pessoa em nossa familia.
 
     O nosso trisavo, FRANCISCO MARCAL DE MAGALHAES BARBALHO estava em plena atividade naquela epoca. Eh citado na pagina 67 do livro A MATA DA PECANHA com o nome de FRANCISCO MARCAL BARBALHO, marido de EUGENIA MARIA DA CRUZ. A citacao do outro nome, que esta na pagina 61, so manifesta que ele fora: “fabricante de ferro”. (Ou seja, explorava algum veio ferrujinoso em sua propriadade agricola no fabrico de transformacao do material in natura em ferramentas agricolas). Ferro eh o que nao faltava em toda a regiao.
 
     Se for o caso de se tratar da mesma pessoa, o nosso trisavo, entao fica ai registrado termos mais um ancestral com patente da GUARDA NACIONAL. Quando ele fala a respeito do trisavo casado com a trisavo Eugenia nao repete a patente, dai a duvida. Mas o fabricante de ferro pode pertencer a outra familia BARBALHO presente na regiao tambem.
 
          05. UMA RAIZ DA FAMILIA PIMENTA
 
     Aqui iremos encontrar a explicacao para eu estar somando este e-mail ao do CBG.
 
     A partir da pagina 252 ele comeca a descrever o que intitula de TRONCO PIMENTA – VAZ BARBALHO. Aqui eh preciso ir fazendo pequenas correcoes e acrescimos ja que existem falhas nos estudos dele. Em primeiro lugar troca a ordem dos sobrenomes dos primeiros ascendentes que eh Barbalho Bezerra e nao Bezerra Barbalho.
 
     Assim ele comeca com o heroi brasileiro, Luis Bezerra Barbalho (1.590), um dos grandes nomes da expulsao dos holandeses do Brasil por volta dos anos de 1640. Luis era o pai do Jeronimo Bezerra Barbalho. Ai entra o vinculo entre os dois e-mails porque o e-mail do CBG fala da Revolta da Cachaca que o teve como um de seus lideres mas foi o unico que pagou com a vida por isso. Sendo depois reconhecida a inocencia dos revoltosos porque os Benevides de Sa, entao governadores da Capitania de Sao Vicente do Rio de Janeiro, foram os maiores contrabandistas da Historia Colonial Brasileira.
 
     Na apresentacao do prof. Dermeval ele nao fala que a esposa do Luis se chamava Maria Furtado de Mendonca. Os pais se chamavam Antonio Barbalho Bezerra (1570) e Camila Bezerra. E, alem do Jeronimo, eram pais de, pelo menos de: Agostinho Barbalho Bezerra (governou o Rio de Janeiro), Antonia Bezerra e Celia Carreiro.
 
     A respeito do Jeronimo, o prof. Dermeval da apenas uma nota laconica: “Faleceu no cadafalso, no Rio de Janeiro, em 8 de abril de 1661. Segundo o relato enviado pelo CBG, a data eh o dia 6. Acrescente-se que o nome da esposa dele, citado no livro, era Izabel Pedreira.
 
     Talvez esteja nisso a falta de interesse de nossos antepassados nao terem guardado com cuidado esse ramo familiar. Os nossos ancestrais, ate a geracao dos nossos pais, eram muito conservadores. Somente o fato de poderem descender de alguem que sofreu a pena de morte ja os assustava. Nao importava para eles a visao positiva dos fatos, de que o ancestral estivesse lutando por uma causa nobre. O que pesaria para eles seria a vergonha de ter um ancestral sendo enforcado. A visao deles estava mais voltada para o relacionamento que a sociedade, dominada por eles proprios, dava `as revoltas populares. Para eles, qualquer revolta significava insubordinacao e desordem. Nao importando quais fossem os motivos.  
 
     A grande falha do prof. Dermeval eh representar a terceira geracao da familia pelo nome de PASCOA BARBALHO, citando-a como neta do Jeronimo Barbalho Bezerra, mas sem citar nenhuma fonte onde pudessemos comprovar isso. Eh possivel que ele tenha tirado essa anotacao dos ficharios no COLEGIO BRASILEIRO DE GENEALOGIA mas nao menciona. Pelo menos ele acrescenta isto: “era casada com PEDRO DA COSTA, no Rio de Janeiro, em 19 de janeiro de 1668.” Bom ai temos a data e o local do casamento. Eh possivel que os nomes dos pais e avos se encontrem no registro. Isso transportaria dona PASCOA BARBALHO para quarta geracao. [Quinta, se tomarmos os nomes dos pais do Luis Barbalho como primeira, porem, nao anotados no livro]. 
 
     A quarta geracao eh representada por MARIA DA COSTA BARBALHO, “batizada na Freguesia de Nossa Senhora da Apresentacao de Iraja, distrito do Rio de Janeiro, casou-se com MANOEL AGUIAR, viuvo de ANA PEREIRA DE ARAUJO.” Faltaram datas.
 
     A quinta geracao eh representada por MANOEL VAZ BARBALHO, “casado em 18-9-1732, em Milho Verde, com JOSEFA PIMENTA, filha de BELCHIOR PIMENTA DE CARVALHO.” Mais na frente ele observa que o nome completo dela era JOSEFA PIMENTA DE SOUZA. Diz tambem: “nascida no Rio, nos anos de 1716, criada e educada na residencia de seu pai, tendo sido batizada na Freguesia de Nossa Senhora do Mosteiro, do Rio de Janeiro; casou-se aos 18-9-1732, na Capela de Nossa Senhora dos Prazeres de Milho Verde, em Minas Gerais, com MANOEL VAZ BARBALHO (Livro 1o. de casamentos da Matriz, fls 78; livro 1o. de Taponhoacanga, fls 100; Livro de casamento das capelas filiais de fl. 6v) conforme consta no arquivo do Alferes LUIZ ANTONIO PINTO.”
 
     A sexta geracao consta apenas de uma filha, identificada pelo prof. Dermeval. Ela eh ISADORA MARIA DA ENCARNACAO. Foi batizada em 28 de maio de 1738, no Arraial de Sao Jose de Tapanhoacanga. Eh melhor eu copiar o que se segue: “Em 1759, no dia 30 de agosto, casou-se com o Capitao Antonio Francisco de Carvalho, o qual, em meados do seculo dezoito, veio para o Brasil e se estabeleceu naquela localidade. Era portugues, filho de Antonio Leal e Dona Maria Francisca, natural da Vila dos Colares, no Patriarcado de Lisboa. O Capitao Antonio Francisco, durante muitos anos, foi sindico-geral dos Santos Lugares, na Comarca do Serro Frio. (Livros 2o. bat. fls. 98v e livro de casamento – capelas filiais fls. 6v).”
 
     Deste ultimo casal ele cita 9 filhos: Joao (1761); VITORIANA FLORINDA DE ATAIDE (1762); Antonio (1764); Luciano (1766); Mariana (1767); Jose (1769); Francisco (1771); Bernardo (1776) e BOAVENTURA JOSE PIMENTA (1779). De todos, ele fornece dados apenas dos ramos VITORIANA e BOAVENTURA. Alegando ainda que o nome JOSE PIMENTA vem da homenagem `a avo JOSEFA PIMENTA. E esta eh a origem da familia Pimenta desses ramos.
 
     Ele tambem nao sabia informar qual o sobrenome os outros filhos levaram, deixando em aberto a possibilidade de alguns terem assumido o sobrenome BARBALHO. Talvez o metodo antigo tivesse esse efeito dispersor das familias porque, ao se batizar as criancas, dava-se apenas o primeiro nome a elas. Ou dois nomes quando combinados como em Maria Isabel. As pessoas assumiam seus nomes definitivos quando se casavam. Dai vermos varios irmaos, muitas vezes, cada qual com sua propria assinatura. 
 
     Quanto a D. JOSEFA PIMENTA DE SOUZA, o prof. Dermeval alega ter sido filha de BELCHIOR PIMENTA DE CARVALHO, nascido em 10.4.1691 e batizado no Rio de Janeiro. Porem nao era pai dela por via dos dois casamentos citados. Ele nao cita o nome da mae e, como escrito acima, foi criada na casa de seu pai.
 
     O BELCHIOR era filho de pai do mesmo nome e FRANCISCA DE ALMEIDA, filha de AMARO DE AGUIAR e de FARANCISCA DE ALMEIDA. Ela nasceu no Rio de Janeiro em 2-5-1677 e se casaram em Campo Grande a 6-7-1693. Fiz uma visita ao geneall.net e verifiquei o nome Francisca de Almeida, sem resultados conclusivos. Sao muitas homonimas, inclusive da mesma epoca. Mas nada que possa comprovar a ligacao dessa genealogia com qualquer delas.
 
     O BELCHIOR mais velho teria sido filho do capitao MANOEL PIMENTA DE CARVALHO, vindo de Vila Vicosa, no Alentejo, Portugal; e de MARIA DE ANDRADE, filha de BELCHIOR DE ANDRADE e de MARIA CARDOSO. O que acho incrivel nas genealogias que temos eh que o final da linha, ou seja, o ponto onde nao encontramos a sequencia sempre se da com um Manoel ou Manuel, nascido em Portugal.
 
     Sera que eh apenas coincidencia ou sacanagem dos pesquisadores antigos que quando se encontravam em becos-sem-saida simplificavam-nos com essa solucao magica?! Ou seja, o pai so poderia ser portugues e o nome so poderia ser um Maneh qualquer!
 
     A possibilidade de podermos estar aqui encontrando ancestrais que ja podem ser nossos aparentados, ou mesmo ancestrais por vias diferentes `a presente, apenas comprova a hipotese que venho desenvolvendo ha algum tempo. Na verdade, a capacidade reprodutiva da pessoa humana nao eh diferente de outros animais, como os coelhos por exemplo.
 
     A diferenca eh que o nosso ciclo de vida eh muito mais longo nao nos permitindo conhecer mais que umas poucas geracoes relacionadas a nos. Outro detalhe eh que como o periodo aproximado entre uma geracao e outra, na especie humana, ocorre por volta de 30 anos e os representantes, aas vezes, se espalham para locais distantes e perdem a comunicacao com as geracoes mais novas, a gente perde tambem a nocao dos nossos vinculos consanguineos com a maioria de nossos familiares.
 
     A unica forma de resgatar o conhecimento dos vinculos que temos com o imenso numero de nossos parentes eh manter uma ARVORE GENEALOGICA, o mais completa possivel. A minha hipotese eh essa, se buscarmos montar tal ARVORE GENEALOGICA e encontrarmos a maioria dos dados, nao precisaremos voltarmos mais que uma ou duas dezenas de geracoes do passado para descobrirmos que a maioria da populacao brasileira, portuguesa e parte do resto do mundo tem ancestrais comuns conosco. E boa parte dessa populacao tem vinculos familiares muito mais proximos que jamais podemos imaginar.  
 
          06. POSSIBILIDADE DOS COELHO DE MAGALHAES DESCENDEREM DAI
 
     Agora, as conclusoes. Nao sei de onde ao certo nasceu a ideia de que a avo EUGENIA RODRIGUES ROCHA tinha por mae a, MARIA RODRIGUES DE MAGALHAES BARBALHO. Sempre pensei que isso estivesse escrito no livro A MATA DO PECANHA. Porem, a edicao de 1966 que esta `a minha frente agora nao menciona os nomes dos pais da avo EUGENIA. Pode ate ser que o prof. Demerval tenha incluido em alguma edicao posterior. 
 
     O certo eh que, se tivemos um hexavo de nome: GIUSEPPE NICATSI DA ROCHA, casado com MARIA RODRIGUES DE MAGALHAES BARBALHO e este casal se encontrava na regiao da antiga CONCEICAO DO SERRO, o mais provavel seria que ela fosse filha do casal: MANOEL VAZ BARBALHO e JOSEFA PIMENTA DE SOUZA tambem.
 
     As datas batem. O casamento do casal se deu em 1732, no distrito de MILHO VERDE, que ate hoje conserva o mesmo nome e continua pertencendo ao SERRO. Eles se mudaram para SAO JOSE DO TAPONHOACANGA que era distrito de CONCEICAO DO MATO DENTRO. Hoje-em-dia o nome mudou um pouco e passou a ser ITAPONHOACANGA. Continua distrito, porem do antigo distrito de CONCEICAO com o nome de SANTO ANTONIO DO RIO DO PEIXE a atual cidade de ALVORADA DE MINAS.
 
     O distrito de ITAPONHOACANGA atual foi, durante o seculo XVIII, um dos veios mais produtivos da Freguesia de Conceicao do Serro. Inclusive tendo morador incluido na lista de maiores fortunas da Provincia `aquela epoca.
     Se estas pressuposicoes forem todas verdadeiras temos duas constatacoes aqui. A primeira eh a de que a familia PIMENTA, descrita no livro do prof. Demerval, eh toda Barbalho. E, em segundo plano, toda a FAMILIA COELHO DO CENTRO-NORDESTE DE MINAS GERAIS tambem eh BARBALHO e PIMENTA DE CARVALHO, alem de mais outros sobrenomes. Entao, nos que descendemos do ramo EUGENIA MARIA DA CRUZ/FRANCISCO MARCAL DE MAGALHAES BARBALHO e assinamos, nao somos BARBALHO sozinhos.
 
     Quando me refiro aa familia Coelho do Centro-Nordeste de Minas Gerais, menciono a descendencia dos ancestrais JOSE COELHO DE MAGALHAES/EUGENIA RODRIGUES ROCHA. Nisso eh preciso ser claro porque os sobrenomes COELHO na nossa regiao estao se multiplicando `a medida que temos tido acesso a mais informacoes. Alem dos muitos que compoem a nossa familia, a saber, Coelho, Coelho de Almeida, Coelho de Andrade, Coelho de Magalhaes, Coelho Lacerda e Nunes Coelho agora temos que acrescentar o Coelho da Silveira ja que temos familiares em nossa familia que desdendem dele.
 
     Mas a coisa nao para por ai. Entre os primeiros moradores de Sao Joao Evangelista o prof. Dermeval aponta Antonio Coelho de Linhares que entrelacou com a familia do coronel Ildefonso da Rocha Freitas. Ja na lista de primeiros moradores do povoado tambem encontramos o Dr. Levy (i) Coelho da Rocha, natural de Guanhaes e trineto do tio-tetravo Joao Coelho de Magalhaes.
 
     Na pagina 148, o prof. Dermeval registra mais um Coelho. Esse, com alguma Historia a nosso respeito. Trata-se do prof. MANOEL COELHO DE MOURA GUIMARAES, nascido em ITAMBE DO MATO DENTRO a 04.11.1842 e filho de: JOSE COELHO DE MOURA, natural da cidade de GUIMARAES, em PORTUGAL, e de D. MARIANA JUSTINA DE MOURA, nascida na antiga SAO JOAO DO MORRO GRANDE, ou BARAO DE COCAIS em MINAS GERAIS. O prof. Dermeval menciona o nome do avo paterno do prof. MANOEL como sendo o escritor portugues JOSE COELHO DE MOURA.
 
     Dei uma rebuscada no Geneall.net e encontrei o nome JOSE COELHO DE MOURA, batizado a 29.06.1756. Nao tenho como afirmar ser o mesmo porque tentei encontrar algum escritor portugues com esse nome na Internet e nao encontrei. Mas nao eh mesmo de se desesperar por isso. O titulo de livro publicado por ele, mencionado pelo prof. Dermeval, foi: “MEMORIAS QUE VERSA SOBRE OS PROJETOS SEGUINTES: 1o. FORMACAO DE UM CORPO DE CAVALARIA PARA FAZER A POLICIA DE PORTUGAL E ALGARVE: 2o. REGULAMENTO A BEM DOS PATROES E CRIADOS DE SERVICO OFERECIDO AO SOBERANO CONGRESSO, Lisboa Tipografia de Bulhoes.” A publicacao eh de 1824.
 
     O prof. Dermeval cita que foi “apreciado escritor portugues” mas, com tal titulo de trabalho, deve ser apreciado apenas por pessoas ligadas `a administracao publica. Deve conter curiosidades interessantes para a Historia da Administracao Publica e a comparacao dele com o atual sistema administrativo deve dar o que rir. Embora deva ser util porque deve mostrar a visao constitucionalista do povo portugues `a epoca. Lembremo-nos que a Revolucao Constitucionalista que obrigou D. JOAO VI a voltar do Brasil com as cortes para PORTUGAL se deu na epoca da publicacao do livro.  
 
     Infelizmente, o prof. Dermeval nao da o nome da esposa do escritor e menciona que ele atuou em GUIMARAES, PORTUGAL. Ja o batismo da pessoa no Geneall.net se deu em Nelas, Vilar Seco. Talvez uma antiga Freguesia de Guimaraes. Bom, se se tratar da mesma pessoa, ha no Geneall.net os dados ate aos avos do JOSE COELHO DE MOURA, escritor. Porem, ha que se ressalvar que o Geneall.net nao eh uma fonte genealogica completa. Ainda esta em construcao, portanto, o banco de dados dele vai crescendo `a medida que os associados vao postando suas genealogias. Assim, encontra-se la apenas uma descendente, e descendentes dela, do JOSE ali postado.  
 
     O que ha de digno de nota tambem eh que o prof. MANOEL COELHO DE MOURA GUIMARAES eh um dos sogros do tio ARTHUR BORGES DO AMARAL, irmao da trisavo MARIA MARCOLINA BORGES DO AMARAL, a esposa do Tenente ANTONIO RODRIGUES COELHO. Alias, essa patente de tenente tambem encontrei no livro do prof. Dermeval. Tambem nao sabia que o trisavo Antonio foi dono de engenho de serra em Guanhaes. Tenente da Guarda Nacional, nao do Exercito Brasileiro.    
 
     Aqui eh preciso fazer uma pequena correcao de rumos. O Odinho e eu contrapomos `a hipotese de termos ancestral com o sobrenome Magalhaes Barbalho, antes que o nosso outro lado Magalhaes Barbalho houvesse sido formado e atribuimos o sobrenome a um descuido do autor. Isto porque nao se verifica esse sobrenome ha longo tempo, senao entre a descendencia do padre POLICARPO BARBALHO e GENOVEVA DE MAGALHAES, nossos tetravos.
 
     O desafio de se provar o contrario ainda fica de pe ja que, apesar da presenca de mais um BARBALHO registrado na regiao, fica quase impossivel explicar-se o RODRIGUES DE MAGALHAES BARBALHO atribuido aa nossa suposta hexavo, principalmente se os pais dela forem mesmo MANOEL VAZ BARBALHO e JOSEFA PIMENTA DE SOUZA, juntamente com os outros ancestrais apresentados no livro do prof. Pimenta.
 
     Ha tambem que considerar-se a possibilidade de o sr. MANOEL VAZ BARBALHO ter tido irmaos que migraram junto com ele da Provincia do Rio de Janeiro para a de Minas Gerais. Baseado nessa possibilidade e dependendo dos fatos decorrentes disso, poderemos encontrar outro casal que possa combinar os nomes RODRIGUES DE MAGALHAES BARBALHO em nossa ancestral MARIA.
 
     Existe, porem, uma terceira explicacao para a possibilidade. Inclusive a de que a ancestral MARIA nem sequer fosse aparentada proxima dos VAZ BARBALHO, mesmo assim tendo tomado o sobrenome de emprestimo. Algumas vezes acontecia de os afilhados, em suas fases ja adultas, assumirem os sobrenomes dos padrinhos. O que provoca um efeito maior ainda na dispersao das familias, sem o acompanhamento genealogico devido.   
 
     Um dos meus objetivos em aprofundar o conheciemento das nossas raizes BARBALHO, descendente do pe. POLICARPO, era o de determinar qual o grau de parentesco que teriamos com os BARBALHO BEZERRA da Historia do Brasil. Isso, com o objetivo de incentivar o conhecimento e a fixacao da Historia Brasileira pelas pessoas das familias que assinam o nome. Nao esperava que minha ideia tomasse uma trajetoria tao inesperada dentro da possibilidade de nao sermos apenas parentes mas sim descendentes.
 
     No caso dos descendentes do padre POLICARPO BARBALHO isso pode acontecer em dose dupla. A distancia entre o nascimento do tetravo POLICARPO e a decapitacao do JERONIMO BARBALHO BEZERRA eh de aproximadamente 140 anos. Sao varias geracoes que teremos que encontrar ate chegarmos a uma conclusao, porem, a tendencia eh chegarmos ao mesmo ramo de todos os BARBALHO que chegaram ao BRASIL no inicio da colonizacao portuguesa efetiva, que comecou por volta de 1550.
 
     Contudo, ha que se ir devagar com o andor. Antes de concluir que ja somos, devemos antes investigar com mais minucias o que o prof. Dermeval encontrou e, tambem, preencher as lacunas por ele deixadas. As indicacoes que ele deixou no livro dele sao fabulosas. Pelos locais e datas podemos rever o que foi escrito. Quem puder seguir o mesmo caminho que ele, bom sera se recolher certidoes dos fatos. Somente assim nao haverao duvidas quanto a tais registros e possibilidades.
 
     Se existe algum registro de casamento dos avos MARIA/GIUSEPPE ele pode estar em CONCEICAO DO MATO DENTRO. E nele devemos encontrar os nomes dos pais dela. Tambem eh preciso preencher a lacuna que existe entre nao termos a informacao de onde surgiram os nomes deles como pais da avo EUGENIA RODRIGUES ROCHA. Neste caso, a certidao do casamento da avo EUGENIA com o pentavo Alferes de Milicia, JOSE COELHO DE MAGALHAES, seria a melhor de todos os comprovantes.
 
     Alias, eh preciso fazer outro parenteses aqui. O Glauco do tio Bernardino Batista Coelho enviou-me uma mensagem logo depois de ele receber o e-mail do CBG. Ele lembrou-se que o saudoso FREI ROBERTO, filho da tia NEM (MARGARIDA da SINHA GININHA) e sobrinho da vovo PETRINA, havia passado uma temporada em CONCEICAO DO MATO DENTRO e comentado, em razao disso, que existem muitos registros de nossa familia por la. O comentario confirma algo esperado ja que o nosso ramo COELHO migrou de la para Guanhaes, na fundacao desta. Porem, nos passamos por fases de pertencermos ao SERRO, CONCEICAO e a GUANHAES, portanto, nao podemos descartar nenhuma possibilidade.
 
     Principalmente no caso de desejarmos ter uma visao melhor embasada a respeito de nossa familia porque, como se pode observar pela breve suspeita apresentada aqui, os ramos nao estudados de nossa familia podem, e devem, levar-nos a surpresas muito maiores que as presentes. Afinal eh isso que podemos esperar por causa da surpreendente capacidade de reproducao inerente tambem `as pessoas humanas e nao apenas aos outros animais.
 
     O que nao resta duvida, porem, eh que o prof. DERMEVAL cita nominalmente mais um de nossos parentes proximos. Na pagina 94 ele cita JOAO GUALBERTO GONCALVES, nascido em 1.869, e neto do capitao ILDEFONSO e MARIA COELHO DA SILVERA. O Joao Gualberto era o pai da tia IRACEMA CAMPOS GONCALVES, a esposa do tio-bisavo SALATHIEL BATISTA COELHO. Este era o decimo filho dos trisavos: JOAO BAPTISTA COELHO JUNIOR/QUITERIA ROSA (TITI) DO AMARAL. Os outros 10 eram: MARIQUINHAS, AMELIA, DINDINHA OLIMPIA, JOAO NETO, SIMAO, JULIA (NHAZINHA), JOSE SOBRINHO, EVENCIO, FRANCISCO SOBRINHO (seo CHIQUINHO) e, o mais novo, AMAVEL. Todos COELHO.
 
     Eh Preciso salientar aqui que a avo TITI tinha por pai, JOAQUIM PEREIRA DO AMARAL. A mae se chamava MARIA ROSA DO ESPIRITO SANTO CARVALHAIS (como esta na pagina 225 do livro ARVORE GENEALOGICA DA FAMILIA COELHO) ou MARIA ROSA DOS SANTOS CARVALHAIS (segundo o mapa genealogico que acompanha o mesmo livro).
 
     O unico JOAQUIM PEREIRA DO AMARAL inscrito no livro A MATA DO PECANHA, paginas 61 e 251, era filho dos tetravos: MALAQUIAS PEREIRA DO AMARAL e ANA MARIA DE JESUS. Porem ha a afirmacao com respeito a esse que fora “casado, sem filhos. Residiu em Sao Miguel de Guanhaes, onde possuia, em 1875, um engenho de serrar madeira.” Apesar da afirmacao ha o que se investigar porque o prof. Dermeval nao cita nome da esposa e, por outro lado, comete varios enganos na trajetoria de sua narrativa. Uma das possibilidades seria a de ele ter tido dois casamentos nao tendo filhos no segundo.
 
     Outro fato a investigar sao os nomes da avo MARIA ROSA. Ele cita algumas “ANTIGAS FAMILIAS DE GUANHAES”. Mas eh perceptivel o menor interesse em detalhar assuntos inerentes a Guanhaes. Uma das razoes demonstradas para isso esta na falta de tempo expressa ja na Introducao do livro. Mais duas sao as que, desde 1.939, ja houvera sido publicado o livro: “ALGUMAS NOTAS BIOGRAFICAS” do prof. NELSON COELHO DE SENNA que, oriundo da familia Coelho de Guanhaes, ja deveria ter posto o tema `a baila. A segunda eh que, em 1.967, seria publicado o livro, “NOTAS HISTORICAS SOBRE GUANHAES”, de autoria de INNOCENTE SOARES LEAO. Eh possivel que o prof. Dermeval ja houvesse sido comunicado de que essa segunda publicacao seria feita tornando suas aventuras por Guanhaes desnecessarias.
 
     No citar as familias antigas de Guanhaes ele acaba nao indo alem dos classicos COELHO DE MAGALHAES, NUNES COELHO, CAFE, RIBEIRO DE CARVALHO e CATAO. O Catao, claro, nao deixa de ser importante mas so chega a Guanhaes em 1.870, com a chegado do portugues AUGUSTO CESAR ALVES CATAO, diplomado em Farmacia na cidade de Ouro Preto. Em Guanhaes ele se casa com dona JULIA AUGUSTA CARVALHAIS (ou GOUVEIA), filha de SANTOS CARVALHAIS e LIVIA JUSTINA DE GOUVEIA.
 
     Claro, foi otimo saber de onde surgiu o FRANCISCO DE OLIVEIRA CATAO (CHICO CATAO) casado com a tia-avo OLGA DE MAGALHAES BARBALHO. Mas deixou um gosto de “quero mais” por nao revelar as origens dos CARVALHAIS em Guanhaes que, ao que tudo indica, sao mais antigos que os CATAO naquelas paragens.
 
     Talvez ai esteja a pista para a explicacao do nome da avo MARIA ROSA. Ela pode ter se chamado MARIA ROSA DO ESPIRITO SANTO CARVALHAIS. D. JULIA AUGUSTA, que eh chamada de CATAO na pagina 72 do A MATA DO PECANHA, nasceu em 1856 o que faz dela candidata a irma ou, talvez, sobrinha da avo MARIA ROSA. O nome MARIA ROSA DOS SANTOS CARVALHAIS, na verdade, pode esconder outra realidade e ela ser: MARIA ROSA, filha do SANTOS CARVALHAIS, que poderia ser o proprio pai de D. JULIA ou o avo. Mas essas sao reflexoes que nada valem sem uma posterior investigacao.   
 
     Existem varios outros pontos de encontro entre nossos familiares e as familias que fundaram SAO JOAO EVANGELISTA. Mas esses encontros casuais ficam pequenos perto do que vem a seguir.
 
          07. OUTRAS RAIZES DA FAMILIA PIMENTA (BORGES MONTEIRO e PEREIRA DO AMARAL) 
 
     Da mesma forma que em nossa familia, os PIMENTA recebem importante contributo dos troncos BORGES MONTEIRO e PEREIRA DO AMARAL.
 
     Logo no inicio do capitulo 03 eu mencionei que do ramo PIMENTA VAZ BARBALHO, o prof. DERMEVAL conseguira dados apenas referentes a dois dos filhos de dona ISIDORA MARIA DA ENCARNACAO, filha de: MANOEL VAZ BARBALHO e dona JOSEFA PIMENTA DE SOUZA. Dona ISIDORA foi esposa do capitao: ANTONIO FRANCISCO DE CARVALHO, “sindico-geral dos Santos Lugares, na Comarca do Serro Frio.” Tambem foi informado que os netos receberam a denominacao JOSE PIMENTA em homenagem `a avo.
 
     Um dos ramos eh o do filho BOAVENTURA JOSE PIMENTA. Em primeira mao, ele casou-se com a tia MARIA BALBINA DE SANTANA, uma das filhas dos pentavos: ANTONIO BORGES MONTEIRO JUNIOR e MARIA MAGDALENA DE SANTANA. Ou seja, todo o ramo descendente do Boaventura, que ocupa a maior parte da porcao de genealogia do livro ja nos eh consanguineo.
 
     Para aproximar-nos mais ainda, o primeiro filho do casal formado acima, MODESTO JOSE PIMENTA, casa-se, “em Sabinopolis com ERMELINDA QUERUBINA PEREIRA DO AMARAL, filha do fazendeiro MALAQUIAS PEREIRA DO AMARAL…” O avo Malaquias, pai do avo DANIEL PEREIRA DO AMARAL, portanto, avo da MARIA MARCOLINA BORGES DO AMARAL, nossa trisavo junto com o ANTONIO RODRIGUES COELHO, tinha por esposa a ANA MARIA DE JESUS, nascida em CONGONHAS e filha de ANTONIO COELHO DE ALMEIDA e outra ANA MARIA DE JESUS. 
 
     Dentre os muitos filhos do casal MODESTO/ERMELINDA, nasce o quarto: CORNELIO JOSE PIMENTA. Este casou-se com JOSEFINA CARVALHO DE SOUZA. Estes sao os pais de muitos filhos tambem, entre os quais esta o prof. DERMEVAL JOSE PIMENTA, nosso diversas vezes primo, tanto pelo lado PEREIRA DO AMARAL quanto pelo BORGES MONTEIRO.
 
     Nao vou dar mais detalhes dessa genealogia agora. Queria encurtar um pouco essa carta. Nao pretendo passar todos os dados para o sitio geneaminas.com porque o volume eh grande e o trabalho nao eh pouco. Ultimamente esta me faltando tempo e nao espero que essa situacao mude em breve. Estou passando para o computador o IV volume do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS, na intencao de lanca-lo no meu blog.
 
     Bom, na revisao que estou fazendo a esse texto essas ja sao aguas passadas. Em primeiro lugar o IV volume ja esta publicado sob o endereco: http://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/. A DIVINA PARABOLA eh o nome dele. Quanto aos dados, contrariando as minhas primeiras disposicoes, ja os repassei quase todos ao geneaminas.com.br.  
 
     Somente lamento que o meu tempo nao esteja sendo ocupado tambem com atividades que me deem algum retorno financeiro. Nao estou aqui reclamando riquezas. Somente gostaria de ter uma atividade remunerada que me aliviasse o peso da consciencia de estar gastando tempo com outras atividades enquanto nos falta algum conforto. Um deles eh o de nao poder visitar os familiares no Brasil com uma frequencia de, pelo menos, dois anos. Ninguem se culpe. Eu sou o unico burro aqui.
 
          08. PEQUENAS OBSERVACOES
 
     Na Historia de Guanhaes, pagina 61, o prof. Demerval cita JOAQUIM PEREIRA DO AMARAL como um dos tres que possuiam engenhos movidos a agua por la. Os outros dois eram o trisavo Antonio Rodrigues Coelho e o tio-trisavo Prudencio Nunes Coelho, irmao da Maria Honoria Nunes Coelho, esposa do trisavo JOAO BAPTISTA COELHO.
 
     Eu imediatamente vislumbrei a possibilidade de ele ser o nosso tetravo, pai da trisavo: QUITERIA ROSA (TITI) DO AMARAL, a esposa do trisavo JOAO BAPTISTA COELHO JUNIOR. Mas, na pagina 251, eh informado que o JOAQUIM PEREIRA DO AMARAL era irmao do tetravo DANIEL PEREIRA DO AMARAL e, tambem, que era casado mas sem filhos.
 
     Do tronco PEREIRA DO AMARAL nos temos a possibilidade de descender dos outros filhos do pentavo MIGUEL PEREIRA DO AMARAL, que teve por esposa a pentavo FRANCISCA ANGELICA DA ENCARNACAO. Segundo me pareceu, os irmaos do avo MALAQUIAS, ou seja, FRANCISCO, JOAO e MIGUEL, tambem devem ter ido residir em SABINOPOLIS na epoca de sua fundacao. Se isso aconteceu, devem ter existido varios outros JOAQUIM PEREIRA DO AMARAL com idade de serem nosso tetravo. Portanto, torna-se necessario localizarmos os registros de casamento dos trisavos JOAO BAPTISTA COELHO JUNIOR/QUITERIA ROSA (TITI) DO AMARAL para verificarmos isso. Os pais dela sao sabidos mas, conhecer os avos, deve ser a chave para a solucao caseira de termos mais essa consanguinidade na familia.
 
     Ha outra probabilidade tambem. A de que o prof. Dermeval estivesse enganado. Infelizmente, outra vez, ele somente informa que aquele JOAQUIM era casado mas nao mostra o nome da esposa. Se coincidisse com o nome da nossa tetravo o misterio ficaria resolvido. Poderia ser que ele estivesse casado em segundas nupcias, das quais nao tenham resultado descendencia e, por ignorar as primeiras, o prof. Dermeval tenha concluido nao ter havido descendencia alguma.
 
     Os enganos do prof. Dermeval acontecem ao longo de todo o livro. Principalmente quando se trata de outros familiares que nao os mais proximos dele proprio. Embora um tenha sido bastante crasso por envolver a ascendencia dele. Na pagina 237, por exemplo, ele cita a ancestral dele MARIA BALBINA DE SANTANA como filha de “ANTONIO BORGES MONTEIRO JUNIOR e de sua mulher MARIA DE SOUZA FIUZA.” A mae da tia BALBINA era a MARIA MAGDALENA DE SANTANA e a MARIA DE SOUZA FIUZA era a mae do ANTONIO JR.
 
     Mas compreendam, se genealogia fosse tao facil de se mexer qual seria o motivo de tao poucas pessoas trabalharem nisso? Os erros acontecem porque nao eh tao facil quanto parece.
 
     Outra coisa que pode ter acontecido sao os famosos “erros de imprensa”. As pessoas nao imaginam hoje o que era produzir um livro e nem o porque do nome “imprensa”. Na verdade, as paginas eram montadas em uma base. Nela eram plantados os tipos. Cada tipo representava uma letra ou um sinal grafico qualquer. A pagina era copiada letra-por-letra, montada como se fosse em um quebra-cabeca. Ou seja, ao menor descuido do tipografo os erros ficavam ali grafados. Depois a base era montada na impressora onde recebia a tinta e a pagina era apertada com muita pressao contra o papel em branco. Assim eram feitas as paginas que, depois, eram montadas em forma de livro.
 
     Muitos livros ja saiam com uma pagina extra indicando as erratas. Correcoes que eram feitas depois. Outros recebiam as correcoes em edicoes posteriores. O uso do computador na producao de material grafico possibilitou fazer-se as correcoes antes mesmo da publicacao. E eh assombroso que as erratas ainda continuam a existir. Os termos antigos continuam em uso, porem, nao significam a mesma coisa. 
 
     Como observacao final, por enquanto, no outro ramo da familia PIMENTA VAZ BARBALHO, ou seja, ramo VITORIANA FLORINDA DE ATAIDE encontrei, na pag 257, uma curiosidade. Na primeira linha da pagina esta a quadrineta 21 (QN-21, que eu denominaria tetraneta e nao quadrineta), cujo nome eh ALICE REIS. Nada de especial se o marido dela nao se chamasse ALIPIO TEIXEIRA.
 
     Nao quero “passar o carro na frente dos bois”. Nao me lembro o nome da esposa do seo ALIPIO TEIXEIRA que viveu em VIRGINOPOLIS. So me recordo dos bons tempos. O RUI HERCY COELHO, filho da tia ODETH, eh o viuvo da neta dele, a STELLA MARIS, de tantas boas lembrancas. Alem dela, tem toda a familia.
 
     A STELLA MARIS foi uma dessa pessoas especiais que passam em nossas vidas deixando apenas boas lembrancas. Junto com ela eu citaria outras como: MARIA HELENA, filha do sr. CESARIO/SALOME (Salica) e esposa do RAUL dos tios avos VITA/QUINQUIM SOARES; as tias DAVINA e MARIA EUGENIA (MAROH) sao outras. Foram pessoas cujas presencas nos envolvia numa aura  de prazer e felicidade. Elas nos atraiam como as luzes atraem os insetos noturnos, porem, sem causar-nos nenhum mal. Tragicamente essas quatro representantes dessa qualidade de pessoas humanas faleceram prematuramente, deixando nao apenas saudades mas tambem uma licao de vida.
 
     Bom, se for o caso, a descendencia deles eh BARBALHO dos dois lados. Outras pessoas na familia tambem tem parentesco com a dona Alice e seo Alipio. Mas nada posso adiantar ja que nao tenho uma lembranca concreta de como a familia era composta. Eh possivel que outras pessoas conhecidas, com o sobrenome REIS, tenham a mesma origem.
 
     Mas nao vou especular por esse caminho porque nao tenho certeza de nada. Estou aguardando que alguem se lembre dos dados e me informe para que depois a gente entre nos detalhes das consequencias.
 
     Posso acrescentar aqui que as informacoes se confirmaram. Seo ALIPIO TEIXEIRA foi mesmo o marido de D. ALICE REIS e, em consequencia disso, toda a familia eh PIMENTA – VAZ BARBALHO, em parte. Mais detalhes no texto HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO …
 
          07. ULTIMAS OBSERVACOES
 
     Na Ata de Emancipacao de Guanhaes encontra-se a assinatura do vereador MARCAL DE MAGALHAES BARBALHO. O bisavo MARCAL deve ter sido o representante da Paroquia de Nossa Senhora do Patrocinio. A gente sempre soube que ele era a autoridade local, trabalhava quase como se fosse o prefeito daquele Distrito. Eu apenas nao sabia que ele ocupava o cargo de vereador efetivamente. Salvo engano tambem foi Juiz de Paz. Era um verdadeiro rabula.
 
     No quadro de antigas familias de Guanhaes a nossa familia eh representada quase que somente pelo lado RODRIGUES COELHO. Interessante que nao se menciona muitas das familias tradicionais de Guanhaes mas a CATAO sim. Nao que ela nao seja importante, muito pelo contrario. Ainda mais que a tia OLGA DE MAGALHAES BARBALHO era casada na familia. A minha observacao se deve ao fato de que o seo AUGUSTO CESAR ALVES CATAO, portugues de origem, ter-se transferido para la somente em 1870. 
 
     A propria postagem da familia do prof. Dermeval ja esta comprometida por isso. Eh que ha mais tempo eu descobri que ele era concunhado do CAIO NELSON DE SENNA, filho do nosso primo NELSON COELHO DE SENNA e D. EMILIA GENTIL HORTA GOMES CANDIDO. Como ambos eram genros do ex-governador JOAO PINHEIRO DA SILVA postei a partir da pagina do CAIO NELSON uma extensao para inclui-los. Agora penso que o melhor local para incluir a familia PIMENTA sera comecando pela pagina da tia MARIA BALBINA DE SANTANA, filha dos pentavos ANTONIO BORGES MONTEIRO JUNIOR/MARIA MAGDALENA DE SANTANA. Se o fizer assim, haverei que repostar a familia do prof. Dermeval.
 
     Nota importante: Pelas descricoes da familia PIMENTA no livro: A MATA DO PECANHA, SUA HISTORIA E SUA GENTE, do prof. DEMERVAL JOSE PIMENTA pode-se constatar o grau de parentesco mais estreito entre as populacoes das cidades de PECANHA, SAO JOAO EVANGELISTA, SAO PEDRO DO SUACUI, ALVORADA DE MINAS, SERRO, DIAMANTINA, SABINOPOLIS, CONCEICAO DO MATO DENTRO, DOM JOAQUIM, SENHORA DO PORTO, GUANHAES, VIRGINOPOLIS e outras mais. Ha que se observar ai que ALVORADA DE MINAS nem sequer havia sido incluida nos meus estudos anteriores sendo, ao que parece, sobretudo em relacao ao seu distrito de ITAPONHOACANGA, comprova-se a minha hipotese de haver apenas uma grande familia na regiao, descendente de um numero relativamente pequeno de ancestrais, embora com uma variedade de sobrenomes aparentemente grande que mascara essa realidade.  
 
     SEGUE O TEXTO: REVOLTA DA CACHACA
 

Revolta da cacha?a: primeiro exerc?cio de democracia no Brasil
completa 350 anos nesta quarta-feira
 
Por Pedro Doria
06/04 ?s 14h26
 
 
RIO – No anoitecer do dia 6 de abril, em 1661, Jer?nimo Barbalho Bezerra foi decapitado no Largo da Pol?, hoje Pra?a XV, perante a popula??o. Sua cabe?a, escreveu dias depois o governador Salvador Corr?a de S? e Benevides, foi posta “no pelourinho para se conseguir a quieta??o” do povo. Terminou assim o per?odo de cinco meses em que os cariocas governaram-se a si mesmos, no primeiro exerc?cio de democracia da Hist?ria do Brasil. Faz, hoje, 350 anos.
 
A Revolta da Cacha?a, que Bezerra liderou, ? pouco documentada e por isso mesmo objeto de pol?mica. Ele era, nos dizeres do tempo, “nobre da terra”. Senhor de engenho, filho de her?i da batalha que expulsou os holandeses da Bahia em 1625, um homem que tinha ao seu lado vereadores e outros donos de terra na regi?o. ? o que sugere ter sido uma briga interna da elite.
N?o era a impress?o do importante historiador brit?nico Charles Boxer, corroborada recentemente pelo ge?grafo Maur?cio de Almeida Abreu, autor de “Geografia Hist?rica do Rio de Janeiro”. Ao lado de Jer?nimo, entre os 131 listados como revoltosos, tinha gente da elite, mas aparentemente tamb?m despossu?dos de terras. Foi um levante amplo, de todas as classes, contra um ditador.
Salvador Corr?a de S? e Benevides tinha 58 anos. Pertencia ? terceira gera??o da fam?lia S? no comando do Rio, desde Est?cio. Com quase um s?culo de idade, a pequena cidade era pobre, como todo o Brasil sul, e dom?nio absoluto de sua fam?lia. Salvador era tamb?m uma lenda viva no Brasil e em Portugal. M?stico, passou a juventude seguindo os conselhos do padre jesu?ta Jo?o d’Almeida, um sujeito que diziam flutuar em transes longos. Todos os S?s eram ligados aos jesu?tas.
 
Salvador era tamb?m bandeirante e, como todo bandeirante, mais tupi do que europeu em batalha. Lutava com os p?s descal?os, acompanhado em mar de longas canoas de ?ndios flecheiros. Venceu assim Piet Heyn, o maior cors?rio holand?s de seu tempo. Heyn quebrou a Espanha ao saquear, no Caribe, o navio que levava o ouro das Am?ricas. E Salvador o venceu com ?ndios, expulsando-o do Esp?rito Santo, quando ainda tinha 23 anos. Assim como, tamb?m acompanhado de ?ndios, conquistou Angola dos holandeses e venceu em seu pr?prio territ?rio a m?tica rainha N’Zinga, uma das mais ferozes l?deres guerreiras da ?frica. (Vem de seu nome o termo ginga, da capoeira.)
Se tupi em batalha, a corte em Lisboa n?o o intimidava. Tinha assento no Conselho Ultramarino, a mais alta inst?ncia de comando do imp?rio. Ainda antes de sua morte, esteve entre os l?deres de uma tentativa de depor o rei portugu?s. Na Ilha do Governador, sua ilha posto que era S?, o governador, e dono das terras ali, construiu o gale?o d’El Rey, maior navio do mundo de ent?o. Construiu-o na Ponta do Gale?o. Salvador Corr?a de S? e Benevides era muito maior do que o Rio e fazia do Rio o que bem quisesse. Como, por exemplo, aumentar impostos.
No fim de 1660, decidido a aumentar o n?mero de soldados no Rio, Salvador liberou a produ??o de cacha?a e instituiu sobre ela um pesado tributo. Da? criou um imposto predial. A popula??o, ricos e pobres, j? enfrentava s?rias dificuldades. A cidade vivia uma crise. Os conjurados reuniram-se por v?rias madrugadas em S?o Gon?alo, onde ficava a fazenda de Jer?nimo. No dia 7 de novembro, cruzaram de madrugada a Guanabara. O sol ainda n?o havia raiado quando uma turba invadiu a C?mara, no alto do Morro do Castelo, e derrubou o interino Thom? Corr?a de Alvarenga, primo de Salvador. O governador estava em S?o Paulo.
Os cariocas institu?ram governo, mandaram cartas ao rei portugu?s garantindo fidelidade e pedindo s? que pudessem governar com um n?vel toler?vel de impostos. Pediram tamb?m aos paulistas que prendessem Salvador – mas, em S?o Paulo, os de l? decidiram que era boa pol?tica n?o aderir.
T?o espetacular quanto o golpe foi o contragolpe. Salvador tinha o comando da frota da Companhia Geral de Com?rcio, que anualmente navegava para o Brasil para recolher os produtos que voltariam ? Europa. Ele esperou que os navios chegassem ao Rio. Naquele 6 de abril, de madrugada – era sempre madrugada nos ataques de surpresa de antanho – Salvador, seu filho Jo?o e um ex?rcito de ?ndios tupis invadiram o Rio e tomaram o paiol onde ficava a muni??o. Os soldados da frota desceram a terra e enfileiraram-se na Pra?a XV, um bocado o centro da cidade do tempo. Quando o dia amanheceu, o Rio independente j? havia ca?do sem que um tiro fosse disparado.
O pr?prio Salvador decidiu pela execu??o de Jer?nimo, naquela noite.
Se venceu militarmente, perdeu na pol?tica. Em menos de um ano, Lisboa deu ordens para que deixasse o cargo de governador. Convocado para a Europa em 1663, nunca mais p?s os p?s do Brasil. Assim como, nunca mais, um S? governou o Rio. O filho primog?nito de Salvador foi feito Visconde de Asseca, um t?tulo de nobreza alto. Mas n?o ele. Era o equivalente real a uma puni??o na alta esfera.
O primeiro experimento com democracia no Brasil, de certa forma, deu mais liberdade ? cidade que ainda demoraria algumas d?cadas para se tornar capital. N?o h? qualquer monumento a Jer?nimo Barbalho, mas n?o custa lembrar que ele morreu faz 350 anos.
 
Artigo publicado em 06.04.2011, em www.globo.com . Pedro Doria ? carioca, jornalista e blogueiro.
 
          11. A HISTORIA ORGANIZADA DE SAO JOAO EVANGELISTA.
 
     O professor DERMEVAL organizou a Historia de Sao Joao Evangelista por ele contada em periodos. Assim ele intitulou e nos da ideia do que aconteceu.
 
     1. “Primeiros habitantes do Municipio”, periodo entre 1.810 a 1.875. Neste periodo existem apenas fazendas com suas sedes e serventias. Ele inclui os primeiros moradores e alguns filhos destes que ja nasceram no territorio. O local ainda torna-se, no final, em um Distrito de Paz com um cartorio para os registros civis.  
 
     2. “Primeiros Moradores do Povoado de Sao Joao Evangelista”, periodo entre 1.876 a 1.889. O Arraial de Sao Joao surge com a determinacao testamental do capitao Ildefonso da Rocha Freitas e sua esposa Maria Coelho da Silveira, entao, ja falecidos. Para o local sao atraidas pessoas de origens diversas mas principalmente oriundas da vizinha Sao Sebastiao dos Correntes, atual Sabinopolis. Ja era uma Freguesia Canonica, com Igreja e Escola Publica Primaria.
 
     3. “Periodo de 1.890 a 1.900″. Eh um periodo onde o numero de habitantes se multiplica, tanto pelos nascimentos dos filhos dos jovens casais que se formaram, quanto por novos moradores que sao atraidos. Apos esse periodo, da-se a emancipacao do municipio em 1.911 e, em 1.912, ha a instalacao. A Historia propriamente da cidade fica sem continuidade nesse ponto, porem, a genealogia prossegue. A genealogia eh mais completa em relacao a descendencia do casal MODESTO JOSE PIMENTA/ERMELINDA QUERUBINA PEREIRA DO AMARAL, refletida atraves da descendencia de alguns filhos deles, particularmente, do coronel CORNELIO JOSE PIMENTA, um dos primeiros moradores do Arraial.
 
      Ha sequencia para a descendencia de outros casais, quando casados dentro da familia. Parte da Historia do Municipio e de outras localidades eh contada nas pequenas biografias que acompanham alguns nomes. Assim aprendemos, muitas vezes, quem, quando, onde e o que fez algo de destaque.
 
          12. PRECURSORES DAS FAMILIAS PIMENTA E COELHO
 
     Apos escrever os capitulos de 13 a 15 percebi que ha uma necessidade de explorar melhor os nomes dos ancestrais de boa parte dos primeiros habitantes, dos quais temos noticias, e que ajudaram a multiplicar essas familias. Assim, tentarei apresentar, resumidamente, os fatos. Numerarei os casais por letras.
 
     A. Manoel Vaz Barbalho – Josefa Pimenta de Souza
        
     Este casal eh natural do Rio de Janeiro e casou-se em Milho Verde, Distrito do Serro. Pode ter tido mais filhos, mas no livro A MATA DO PECANHA eh mostrado apenas a filha Isidora Maria da Encarnacao.
 
     B. Isidora Maria da Encarnacao – Capitao, Antonio Francisco de Carvalho
 
     O casal teve 9 filhos. Mas o livro mostra a descendencia parcial de apenas dois. Vitoriana Florinda de Ataide e Boaventura Jose Pimenta.
 
     C. Vitoriana Florinda de Ataide – Jose Damasio Rouco
 
     No livro ha uma pequena genealogia relativa ao casal. De maior interesse para o presente texto tem a bisneta Julia (Sinha) Pimenta que se casou com Oscar Falcao Metker e tornaram-se os moradores 104, no capitulo 15. Uma das trinetas de dona Vitoriana foi dona Alice Reis, que se casou com o senhor Alipio Teixeira, tornando-se importantes como ascendentes de membros da familia Coelho em Virginopolis, onde residiram.
 
     D. Boaventura Jose Pimenta – Maria Balbina de Santana
 
     Segundo o prof. Dermeval, o nome Jose Pimenta foi uma homenagem `a avo, Josefa Pimenta de Souza. Aqui ha um encontro de troncos importantes. Tia Maria Balbina eh filha de Antonio Borges Monteiro Junior e Maria Magdalena de Santana, que estao entre os fundadores de Sabinopolis. Os filhos e alguns netos do casal D foram:
 
     I. Modesto Jose Pimenta – Ermelinda Querubina Pereira do Amaral (filha de R)
        Modesto Jose Pimenta – Amelia Margarida Pimenta
        Olimpio Jose Pimenta (65) – 1as., Ludugeria Francelina do Amaral
                                              2as., Quiteria Rosa de Jesus Amaral
                                              3as., Sebastiana Pereira do Amaral (85)
                                              4as., Rita Augusta Lacerda (filha de 46)
        Aureliano Borges Pimenta – Maria Jovita Goncalves (filha de 19)
        Cornelio Jose Pimenta (30) – Josefina Carvalho de Souza
        Honorina Augusta Pimenta – Antonio de Padua Pimenta (Nhonho, 59, filho de D.III)
        Maria Balbina Pimenta (Zinha) – Emidio Fernandes Madeira *viveram em Sao Jose do Jacuri
        Ana (Donana) Pimenta – 1as nupcias, Fernando Pereira do Amaral; 2as. Julio Franklin Benjamim *Donana nao teve filhos.
        Leolino (Nene) Jose Pimenta (66) – Carolina Aurelia Miranda
        Augusta Pimenta – Daniel Pereira do Amaral Filho *Viveram na Vila Nelson de Senna, distrito de Sao Joao Evangelista, mas nao constam da relacao de moradores do municipio.
        Agostinha Pimenta – Antonio Monteiro de Carvalho *residiram em Sao Pedro do Suacui e Sao Joao (cap. 16)
        Lermino Jose Pimenta (68) – Perciliana Nunes Rabelo (filha de 57)
        Julio Borges Pimenta – Sebastiana Pimenta  
     II. Francisco de Assis Pimenta – Francisca Augusta Pires, filhos:
         Josefina Ermelinda Pimenta – Joao Raimundo Mourao Junior
         Gabriela Pimenta – Arthur Borges do Amaral (63)
         Francisca (Chiquitinha) Pimenta de Assis – 2as. nupcias com Dr. Edeltrudo Pires
         Francisco Pimenta – Luiza
         America Diamantina Pimenta – Arthur Borges do Amaral (63)
         Maria Francelina Pimenta – Professor, Manoel Coelho de Moura Guimaraes (77) 
     III. Antonio de Padua Pimenta – Mariquita Pimenta: filhos:
         Antonio de Padua Pimenta (Nhonho) (59) – Honorina Augusta Pimenta (filha de D.I)
         Maria Pimenta (Biquita)
         Aristaquio Pimenta
     IV. Senhorinha Augusta Pimenta – solteira
     V. Maria Josefina Pimenta – Josefino Rodrigues da Costa *criaram a familia e faleceram em Sao Jose do Jacuri
         Josefina de Oliveira Costa
         Maria Josefina de Oliveira Costa – Fulgencio Ramos
         Francisco de Oliveira Costa
         Rodrigo de Oliveira Costa
         Giovani de Oliveira Costa
 
     E. Caettano Borges – Maria Monteiro
 
         Este casal se formou na Cidade da Seia, Estado de Guarda, em Portugal. Ele era filho de Manoel Borges e Izabel Rodrigues, e ela de Estevao Rodrigues e Maria Monteiro. Todos nasceram em distritos de Seia, exceto Maria Monteiro que tinha vindo da Vila Almeida, tambem na Guarda, porem, perto da fronteira com a Espanha. Seia esta mais proxima a Coimbra. Caettano Borges e Maria Monteiro sao os pais de Antonio Borges Monteiro, nascido em 1.751.
 
     F. Sargento-Mor, Domingos Barbosa Moreira – Teresa de Jesus
 
         Domingos Barbosa eh natural de Portugal mas nao temos referencias ao lugar exato que tenha nascido. Deve ter nascido por volta de 1.700. Ao que tudo indica, veio para o Brasil via Nordeste Brasileiro. Em Tabaiana conheceu e casou-se com Teresa de Jesus. Tabaiana estava na Bahia e permaneceu ate 1.823, quando houve a emancipacao de Sergipe da antiga Provincia da Bahia. Atualmente, o nome da cidade eh Itabaiana.
 
         O Sargento-Mor Domingos e dona Teresa de Jesus residiam em Sao Goncalo, onde foram pais de Noroteia (ou Dorothea) Barbosa Fiuza. 
 
     G. Manuel de Sousa Azevedo – Anna Coelho
 
         Este casal fornou-se na alusiva Vila Velha do Norte. Nao sabemos direito se o nome se refere a uma Vila Velha que fica ao norte, na Ilha Terceira, Aquipelago dos Acores; ou Vila Nova de Gaia, perto da Cidade do Porto; ou, ainda, Vila Nova de Famalicao, mais ao norte do Porto. Certo eh que Manuel e Anna sao pais de Joao de Souza Azevedo.
 
     H. Joao de Souza Azevedo – Doroteia Barbosa Fiuza
 
         Este casal se encontra na antiga Vila do Principe, Cidade do Serro, quando do nascimento da filha, Maria de Souza Fiuza.
 
     I. Antonio Borges Monteiro (sr. Monteiro) – Maria de Souza Fiuza
 
        Estas primeiras nupcias se dao tambem no Serro. E em 1.777 nasce deles Antonio Borges Monteiro Junior (Borginha). Eles terao depois mais dois filhos, Norothea e Joao. Maria de Souza Fiuza falece.
 
     J. Domingos Lourenco de Seixas – Maria Caetano de Pinho e Oliveira
 
        Este casal tambem parece ter se formado no Serro. Margarida Maria do Rosario eh a filha.
 
     K. Antonio Borges Monteiro (sr. Monteiro) – Margarida Maria do Rosario, filhos:
        Maria – 1.786
        Margarida – 1.787
        Manoel Borges Monteiro – 1.789 – falecido crianca
        Jose Borges Monteiro – 1.791
        Ana – 1.793 – falecida crianca
        Umbelino Borges Monteiro – 1.794 – Foi para o Rio de Janeiro junto com o irmao Isidro. Foi coletor em Nova Iguacu.
        Francisco Borges Monteiro – 1.796 – era gemeo de Isidro
        Isidro Borges Monteiro – 1.796 – era gemeo de Francisco e foi para o Rio de Janeiro. Foi Desembargador e Chefe de Policia. Casou-se com: Maria Faustina Alves de Oliveira.
 
     L. Jose Vicente de Miranda – Maria da Encarnacao
 
         Casal, aparentemente, tambem formado no Serro. Sao os pais de Maria Magdalena de Santana.
 
     M. Antonio Borges Monteiro Junior (Borjinha) – Maria Magdalena de Santana
 
         O casal formou-se no Serro e la teve a maior parte dos filhos. Por volta de 1818, muda-se juntamente com outros pioneiros para o Arraial de Sao Sebastiao dos Correntes, em formacao. Ali implanta a Fazenda Santo Antonio da Penitencia, e se torna o primeiro Juiz de Paz. Filhos do casal:
 
         Antonio Borges Monteiro Filho – Maria Teodora Candida de Sao Jose *nao teve filhos
         Maria Balbina de Santana – Boaventura Jose Pimenta (casal D)
         Senhorinha Rosa de Jesus – Jose Carvalho da Fonseca *viveu em Sao Jose do Jacuri
         Leonel Tolentino Monteiro – Amelia Ferreira *residiu em Diamantina
         Blandina Flora do Patrocinio – Antonio Felix de Almeida *residiu em Sabinopolis
         Jose Polidoro Monteiro – Maria Angelica *houve descendencia em Sao Joao Evangelista
         Manoel Monteiro – solteiro
         Maria Francelina Borges Monteiro – Daniel Pereira do Amaral (filho de R) *viveram em Sabinopolis
 
     N. Manoel Pereira – Maria de Benevides
 
         Temos como referencia a este casal apenas que viveu na Ilha de Sao Miguel, a maior e mais populosa do Arquipelago dos Acores. Eles sao os pais de Miguel Pereira do Amaral que migrou para o Brasil, por volta de 1.760, tendo uma passagem por Congonhas do Campo, antes de dirigir-se para mais ao norte do Estado de Minas Gerais.
 
     O. Francisco Jose Barbosa Fruao – Ana Maria de Jesus
 
         Francisco Jose era portugues, natural de Barcelos. Ana Maria era brasileira e natural de Congonhas do Campo. Certamente viveram em Congonhas do Campo porque de la foi dito que nasceu Francisca Angelica da Encarnacao.
 
     P. Miguel Pereira do Amaral – Francisca Angelica da Encarnacao
 
        O casal P deve ter residido por algum tempo em Congonhas mas segundo o livro A MATA DO PECANHA tambem viveu em Conceicao do Serro, atual Conceicao do Mato Dentro. Sao filhos do casal:
 
         Francisco Pereira do Amaral – 1.781
         Joao Pereira do Amaral – 1.783 – provavelmente falecido crianca
         Miguel Pereira do Amaral – 1.787
         Joao Pereira do Amaral – 1.789 – casado, pai de:
         *Maria Rosa de Jesus Amaral – Olimpio Jose Pimenta (65)
         *Miguel Pereira do Amaral (73) – Amelia Pereira do Amaral (filha do casal S)
         Malaquias Pereira do Amaral – 1.791 *(nascido em Conceicao do Serro) – Ana Maria de Jesus
 
     Q. Antonio Coelho de Almeida – Ana Maria de Jesus
 
         Nao temos referencias de onde vem o casal. Ele eh mencionado como progenitor de Ana Maria de Jesus, que se casa na familia Pereira do Amaral., com Malaquias. 
 
     R. Malaquias Pereira do Amaral – Ana Maria de Jesus
 
         O casal R, fruto de P e Q, entra com outros pioneiros entre os fundadores de Sao Sebastiao dos Correntes, atual Sabinopolis. E eh a associacao da familia Pereira do Amaral com os Borges Monteiro que dao o caldo grosso que resulta em grande parte da populacao do Centro-Nordeste de Minas Gerais. Sao filhos do casal:
 
         Leonor – 1.814 – foi casada na familia Taveira
         Ana – 1.815
         Miguel Pereira do Amaral – 1.817
         Daniel Pereira do Amaral – 1.818 – Maria Fancelina Borges Monteiro (filha de M)
         Ermelinda Querubina Pereira do Amaral – 1.827 – Modesto Jose Pimenta (filho de I)
         Francisca Angelica Pereira do Amaral – 1.826 – Augusto Antonio de Araujo
         Querubina Pereira do Amaral – casada na familia Aurelio
         Maria Pereira do Amaral – Joao Paschoal de Andrade
         Joaquim Pereira do Amaral – foi casado, sem filho? * viveu em Guanhaes
         Lourenco Pereira do Amaral
         Narciso Pereira do Amaral
         Ernesto Pereira do Amaral
 
     S. Daniel Pereira do Amaral – Maria Francelina Borges Monteiro
 
         Este foi um dos casais que mais deixaram influencia genetica em Sao Joao Evangelista. A maioria dos filhos mudou-se para aquela cidade ainda em formacao. Quando o professor Pimenta refere-se ao ancestral Daniel sempre lhe acrescenta o titulo de “fazendeiro”. Talvez a referencia se deva ao fato de ele ter comprado as partes dos cunhados na propriedade da Fazenda de Santo Antonio da Penitencia que fora a propriedade do sogro: Antonio Borges Monteiro Junior.
 
         Ha que ai lembrar-se que Daniel Pereira do Amaral era tio-avo,  por afinidade, do professor Dermeval. Ou seja, a avo Maria Francelina era irma de Maria Balbina de Santana, esposa de Boaventura Jose Pimenta. Por outro lado, Daniel era tio-avo do professor, tambem por vias sanguineas, por ser irmao de Ermelinda Querubina Pereira do Amaral. Penso que, por estas razoes, o professor Pimenta teve certos pudores em revelar mais claramente as relacoes familiares que se desencadearam apos o falecimento do avo Daniel, geradas por sua segunda esposa, Sebastiana Pereira do Amaral, dona Inha (85).
 
         Mas eu explicarei melhor isso depois. No capitulo 22. Primeiramente, vamos `a relacao de filhos do casal S:
 
         Maria Marcolina Borges do Amaral – Tenente, Antonio Rodrigues Coelho (capitulo 21)
         Daniel Pereira do Amaral Filho – Ana Pereira do Amaral
         Amelia do Amaral – Miguel Pereira do Amaral Neto (73)
         Alfredo Pereira do Amaral – Maria Dias (nao houve filhos)
         Ludugeria Francelina do Amaral – Olimpio Jose Pimenta (65)
         Virginia do Amaral – Joaquim Moreira Pinto (Nho Pinto) * residiram em Guanhaes
         Maria Francelina Amaral – David Barroso
         Ana (Donana) Francelina Pereira do Amaral (53) – Americo Bessa
         Antonio Borges do Amaral (52) – 1as nupcias, Ermenestina Alves de Carvalho; 2as, Guilhermina Eponina de Souza
         Arthur Borges do Amaral (63) – 1as nupcias, Gabriela Pimenta; 2as. Maria de Assis Pimenta (filha de 77); 3as. America Diamantina Pimenta; e 4as. Maria Augusta (Lolota – viuva de 94) *Gabriela e America Diamantina eram irmas, filhas de Francisco de Assis Pimenta, filho do casal D.
 
     T. Daniel Pereira do Amaral – Sebastiana (d. Inha) Pereira do Amaral (85)
 
         A relacao de filhos ja se encontra no capitulo 15, na relacao de moradores de Sao Joao Evangelista, onde d. Inha eh o numero 85. Escreverei posteriormente um capitulo com as explicacoes para as relacoes familiares que resultaram da uniao de d. Inha (85) com o sr. Olimpio Jose Pimenta (65), somando estes mais dois filhos. As relacoes nao sao de todo complicadas, porem, podem ter levado o autor de A MATA DO PECANHA a nao expo-las, por excesso de pudores. A “coisa” eh mais comica do que tragica.  
 
     13. NOMES DOS PRIMEIROS HABITANTES DE SAO JOAO EVANGELISTA.
 
     Porei a relacao de nomes aqui. Alguns porei tambem a relacao de filhos. Procurarei nao apenas colocar os nomes dos personagens mas tambem os de seus conjuges. Na maioria das vezes os historiadores citam apenas os nomes dos homens esquecendo-se das mulheres. Nesse ponto o prof. Dermeval Pimenta estava um tanto evoluido para sua epoca, pois, nos tras a noticia de ambas as cara-metades na maioria das vezes. Segue entao:
 
01. Nicolau Jose de Oliveira – Romana Maria de Jesus/O casal esta posto na posicao numero um porque parece ter sido o primeiro casal de origem europeia a habitar o local. Eles construiram sua fazenda na cabeceira do Ribeirao Sao Nicolau e do nome do morador derivou o nome do curso d’agua, `as margens do qual o Arraial de Sao Joao surgiu. Pag. 87
02. Capitao, Hildefonso da Rocha Freitas – Maria Coelho da Silveira, Pags. 80/5, filhos:
     Manoel Coelho da Rocha – Maria Rosa da Silva
     Maria Candida de Jesus – Manoel Neto da Silva
     Tenente, Henrique Manoel Coelho – Felisbina Maria de Jesus
     Valeriano Coelho da Rocha -
     Joao Coelho da Rocha -
     Delfina Maria Coelho (Goncalves) – Antonio Pedro Goncalves
     Antonio Coelho da Rocha – Angelica Maria da Costa
     Modesto Antonio Coelho -
03. Manoel Neto da Silva – 1as. nupcias, Maria Candida de Jesus, Pags. 85/6, filhos:
     Maria Rosa de Jesus – Angelo Coelho da Silva
     Antonio da Silva Neto -
     Francisca – Acacio Jose Queiroz
     Joaquim (Quincas) Dias do Carmo – Maria Carolina (I Quinha) Pimenta (filha de 65)
     Angelica Candida – Antonio de Sousa Fernandes
     Jose Neto da Silva
     Manoel Neto da Silva Junior
     Marcal Neto da Silva
     Joao Neto da Silva
     Rita
     Maria Angelica Coelho – Manoel Jose Souto (16)
     Julia – Bernardino (Bernardino Teteia) Pereira de Senna (45)
04. Martinho da Rocha Freitas – Angelica Coelho da Silveira, Pag. 86,
05. Antonio da Rocha Freitas, Pag 86,
06. Goncalo de Almeida Costa, Pags. 86/7 – Era casado mas nao ha mencao do nome da esposa. Um dos filhos, Anselmo Goncalves de Almeida Costa, casou-se com Maria Carolina (II Quinha) Pimenta (filha de 65 e 85). Ai ha um misterio no livro. Observe-se que entre os filhos de Manoel Neto da Silva, o Joaquim (Quincas) Dias do Carmo (filho de 3), tambem eh casado com uma pessoa de mesmo nome. Ambas as esposas sao filhas do mesmo personagem, Olimpio Jose Pimenta (65). Porem, as filhas com nomes iguais sao filhas de duas das diferentes esposas que o tio Olimpio teve. Filhos:
     Jose de Almeida Costa, 1.836
     Cristiano de Almeida Costa, 1.849
     Joaquim de Almeida Costa, 1.857
     Antonio de Almeida Costa, 1.858
     Anselmo Goncalves de Almeida Costa – Maria Carolina (II Quinha) Pimenta (filha de 65) 
07. Antonio Nogueira Madeira, Pag. 87, 
08. Paulino Jose Sardinha, Pag. 87,
09. Antonio Coelho Linhares, Pag. 87,
10. Joao Batista Dias, Pag. 88,
11. Jose Tomaz da Silva, Pag. 88,
12. Sebastiao Tomaz da Silva, Pag. 89,
13. Francisco Quirino da Silva (Chico-Quirino) – ? , Pag. 89, filhos:
     Maria Rosa – Joaquim Bento (Quincote) de Andrade Junior (40), 2as nupcias dele
14. Venancio Rodrigues Brandao, Pag. 89,
15. Modesto de Souza Chaves, Pag. 89,
16. Manoel Jose Souto – Maria Angelica Coelho, Pag. 89, (filha de Manoel Neto da Silva – 03)
17. Miguel Inacio Peixoto, Pag. 89,
18. Francisco Demetrio de Paula, Pag. 89,
19. Antonio Pedro Goncalves – Delfina Coelho da Rocha, Pag. 90, (filha do capitao Ildefonso – 02), filhos:
     Maria Jovita Goncalves – Aureliano Jose Pimenta (irmao de 30, 65, 66 e 68)
     Joao Gualberto Goncalves (Joao Pedro) – 1as. nupcias Rita Campos (deste primeiro casamento nasceu, entre outros, Iracema Campos Goncalves, que se casou com: 1.5.1.10 Salathiel Batista Coelho (capitulo 20)) – 2as. Gabriela Francelina Pimenta (filha de 65, Olimpio Jose Pimenta e Ludugeria Pereira do Amaral).
     Jose Pedro Goncalves – Izaltina Carvalho Alves (filha de 64)
     Leopoldina Goncalves – 1as nupcias Joao ou Jose Braga/ 2as. com Celestino “Saracura”
     Virginio Goncalves
     Alice Goncalves – Joao Coelho de Moura (79, filho de 77)
     Antonio Pedro Goncalves Filho – Maria Augusta Ribeiro
20. Zeferino Monteiro de Carvalho – Maria Rosa de Carvalho (filha de 23), Pag. 91, (O capitao Zeferino teve o apelido de Barao de Sao Mateus devido a ter ajudado ao engenheiro frances Martinot a abrir uma estrada entre aquela cidade no Espirito Santo e o Vale do Suacui Grande. A esposa dele era sua propria sobrinha, filha de Salvina Carvalho e nao tiveram filhos. Ele era natural de Sao Pedro do Suacui e filho dos primeiros moradores locais: Jose Carvalho da Fonseca e tia Senhorinha Rosa de Jesus, filha de Antonio Borges Monteiro Junior e Maria Magdalena de Santana , casal M).
21. Antonio Luiz Carneiro (Novato) – 1as nupcias – Joaquina Maria de Jesus; 2as. – Rita de Oliveira (filha de 24), Pag. 92e 207, filhos:
     Manuel Luiz Carneiro (Manoel Gato) – Josefina Coelho da Rocha
     Ana Coelho da Rocha Carneiro – Joaquim de Oliveira (filho de 24) *netos:
      *Antonio de Oliveira Sobrinho
      *Marcelino de Oliveira
      *Alexandrino de Oliveira
      *Joao de Oliveira
22. Manoel Rodrigues dos Santos – Joana Maria Sardinha, Pag. 92,
23. Francisco Pereira Afonso – 1as nupcias – Salvina de Carvalho, Pags. 92 e 208, (irma do Zeferino – 20); 2as. Maria Tomazia de Jesus (filha de 25), filhos:
     1as. nupcias
     Maria Rosa (D. Sinha) de Carvalho – Zeferino Monteiro de Carvalho (20), era tio da esposa.
     2as. nupcias
     Vicente Pereira de Oliveira
     Joao Tomaz de Oliveira – Maria Alexandrina Soares
     Bento Tomaz de Oliveira
     Joao Dameao de Oliveira
     Sebastiao Tomaz de Oliveira
     Julia Tomaz de Oliveira – Bento do Espirito Santo Aguiar (36)
     Casimira Tomaz de Oliveira   
24. Germano Jose de Oliveira – Alexandrina de Oliveira, Pags 93/2, – filhos:
     Manoel Jose de Oliveira – Rita Froes de Oliveira
     Joaquim de Oliveira – Ana Coelho da Rocha Carneiro (filha de 21)
     Clemente de Oliveira -
     Rita de Oliveira – Antonio Luis Carneiro (21 – Novato) em 2as. nupcias deste *curiosidade: O livro A MATA DO PECANHA nao tras a lista completa de filhos de Novato e nao mostra se ele teve filhos ou nao destas segundas nupcias. Porem, como a filha dele casou-se com Joaquim e ele casou-se com Rita, que eram irmaos, entao, ele tornou-se tio dos proprios netos e a filha, tia dos proprios irmaos. Filha: 
     Maria Rita de Oliveira – Joaquim Hilario
25. Tomaz Antonio de Aquino – Benta Maria de Jesus (Benta Tomazia), Pags. 94/2, filha:
     Maria Tomazia de Jesus – Francisco Pereira Afonso – 23
26. Francisco Rodrigues Ascenio Junior – Pag. 94, foi casado mas o nome nao foi fornecido. Consta ter sido vereador na Camara de Pecanha e autor de projeto pedindo ajuda para construcao de uma capela na antiga Freguesia de Dom Manoel da Figueira (atual Governador Valadares), a respeito da qual declara: “…a necessidade que para a existencia de obra naquele lugar que aguarda um bonito futuro e o pessoal do lugar precisa de socorro por nao dispor de recursos suficientes para a sua custa fazer a dita capela.” A solicitacao data de 28 de agosto de 1888.
27. Joao Gualberto Goncalves (Joao Pedro), filho de 19 – 1as nupicias – Rita Campos (filha de 58); 2as. – Gabriela Pimenta (filha de 65), nao tendo descendencia das 2as. Pags. 90, 94, 131/2, 138, 277, 156, 342, 112, 323, 255, filhos:
      Sadi Campos Goncalves – Diva Amaral (filha de 63)
      Dr. Edson Goncalves (Taquinho) – solteiro
      Iracema Goncalves – Salathiel Batista Coelho (tio-bisavo da minha geracao)
      Rita Campos Goncalves – 1as nupcias – Alencar Jose Pimenta (filho de 30)/ 2as – Oscar Falcao Metzker Junior (filho de 104)
28. Jose Pedro Goncalves, filho de 19  – Izaltina Alves (Goncalves, filha de 64) – Pags. 90, 95, 137, e 120A, filhos:
      Odilia – falecida crianca
      Maria Luiza – Teodolino Braga
      Otto – Luiza Maria (tiveram 18 filhos)
      Lizete – falecida crianca
      Odete – falecida crianca
      Sadok – falecido crianca
      Nenrod – Elvira de Senna Vieira (filha de 44)
      Joao Levi – Conceicao Amaral
      Alda – Alcides de Carvalho
      Geraldina – Joao Rocha
      Jose – Merces Pimenta
      Milton – Emilia Tomaz
      Cacilda – Lourival Queiroga
      Osvaldo – Maria 
29. Antonio Pedro Goncalves Filho, filho de 19 – Maria Augusta Ribeiro (filha de 33), Pags. 90, 96, 113, 255, 148, 95, 136, 325. filhos:
     Violeta – Reinaldo de Magalhaes Gloria
     Antonieta – Oscar Falcao Metzker (104)
     Sebastiao – 
     Julieta – Jose Taveira de Queiroga
     Maria Augusta – solteira
     Antonio Augusto – falecido crianca
     Hermengarda – falecida crianca
     Iolanda
     Geraldo – Maria Jose de Senna
     Maria Jose Goncalves- Joao Evangelista de Moura (filho de 79)
     Gutnari – Jacy Ribeiro
     Lucena – Sady Goncalves Filho – filho de 27
     Grenalva – Afonso Queiroga
     Antonio Augusto – Dulce Pimenta (filha 30q, neta de 30)
 
          14. LISTA DE MORADORES DO PERIODO DE 1.876 A 1.889
 
30. Coronel, Cornelio Jose Pimenta (irmao de 65, 66 e 68) – Josefina Carvalho de Souza, Pags. 100/112 e 297/326, filhos:
     Etelvina Pimenta Brant – Pedro Ferreira de Andrade Brant
     Duval Pimenta – falecido em crianca
     Duval Sebastiao Pimenta – 1as nupcias, Maria Dolores Amaral – 2as. Zenolia da Conceicao Silva (*neta de 85)
     Gerolisa Pimenta – Ramiro Fernandes de Azevedo
     Ocarlina Pimenta – falecida crianca
     Apoliria Pimenta – Francisco Carpoforo da Rocha
     Almira Pimenta – falecida crianca
     Glicerio Jose Pimenta – Cecilia da Silva (filha de 60)
     Dermeval Pimenta – falecido crianca
     Dermeval Jose Pimenta – Lucia Pinheiro (filha do ex-governador mineiro, Joao Pinheiro da Silva)
     Violeta Pimenta – Antonio Carlos Pereira Junior
     Olga Pimenta – Jose Coelho de Moura Guimaraes (filho de 77)
     Orfelina Pimenta – Washington Jose Vieira da Silva
     Alencar Pimenta – Rita Campos Goncalves (filha de 27)
     Coraci Pimenta – falecido crianca
     Elbert Pimenta – Luciola Celia Jardim
     Heitor Jose Pimenta – Maria da Cunha, filha do senador estadual Simao da Cunha Pereira, em Pecanha.
31. Euzebio Dias Camargo – Virginia Rosa de Andrade, Pag. 112,
32. Jacinto Pinto (Jacinto chia), Pag. 112, -
33. Capitao, Santos Jose Ribeiro – Augusta Celestina de Albuquerque, Pags. 113/4 – filhos:
     Jose Celestino Ribeiro – Asteria Pimenta (filha de 66)
     Maria Augusta Ribeiro – Antonio Pedro Goncalves Filho (29)
     Domingos Albuquerque Ribeiro – Evangelina Augusta Lacerda (filha de 46)
     Maria Candida Ribeiro – Pedro Olimpio de Aguiar
     Antonio Augusto Ribeiro – Orfelina Pimenta (filha de Leolino Jose Pimenta/Carolina Aurelio)
34. Major, Vicente (Vicentinho) Luiz da Rocha – Maria Honoria (Mana) Coelho da Rocha (capitulo 20), Pags. 114/5, filho:
     Dr. Levi Coelho da Rocha – Maria do Carmo Alves, filha do senador estadual Ferreira Alves. (Observacoes: Maria Honoria (Mana) e Vicentinho sao membros da familia Coelho da Rocha multiplicada em Guanhaes, sendo eles da descendencia de Capitao, Joao Coelho de Magalhaes e Bebiana Lourenca de Araujo.)
35. Evaristo do Espirito Santo Aguiar – 2as nupcias, Maria Adelaide de Senna (filha de 62), 1as nupcias, Maria Julia de Andrade, Pag. 115, filhos:
     Marieta Evangelista de Aguiar – Benjamim Campos Jacome
     Jose Maria Aguiar
36. Bento do Espirito Santo Aguiar – Julia Tomas de Oliveira (filha do 23), Pags. 115 e 93.
37. Francisco Braga de Aguiar – Domitila de Mourao, Pag. 116.
38. Honorio Luiz da Rocha Leao – Maria Luiza da Rocha (Honorio era irmao de Vicentinho, 34), Pags. 116 e 114.
39. Joaquim Bento de Andrade – 1as nupcias, Joanita Andrade; 2as.: conviveu com Georgina, Pag. 117, filhos:
     Joaquim Bento (Quincote) de Andrade Junior
     Alipio de Andrade
     2as.
     Jose Bento de Andrade
40. Joaquim Bento (Quincote) de Andrade Junior, filho do 39 – Joaquina Augusta Dias de Andrade, Pags. 116/7, filhos:
     Maria Julia de Andrade – Evaristo do Espirito Santo Aguiar (35)
     Joaquim Bento de Andrade Neto (Nhonho) – Josefina Chaves
     Joao Julio de Andrade (Zico) – Lilia Amaral (Filha de 85)
     Genesco de Andrade – Batistina Campos (Filha de dona Inha Campos)
     Esther Dolores de Andrade – 1as nupcias Joao Genario da Serra Negra Otoni e, 2as, Augusto Antonio de Araujo.
     Antonio
     Joaquina
     *Quincote casou-se em 2as nupcias com Maria Rosa, filha de 13. Filha:
     Clarice de Andrade – Elpidio Pereira do Amaral (69 e filho de 85)
41. Joaquim Bento de Andrade Neto (Nhonho) – Josefina Chaves, Pags. 117/8, filhos:
     Zulmira Andrade – Joaquim Valerio
     Ascendino Chaves de Andrade – Ondina Pimenta (filha de 77)
     Zenaide de Andrade – Jose Araujo
     Zelita Andrade – Jose Coelho Linhares
     Zenolia Andrade – Jose Maria Sobrinho
     Joaquim Bento de Andrade Filho – foi casado
     Modestino de Andrade – Maria das Dores Ferreira
     Modesto Chaves de Andrade – Candida Rocha
     Emilia de Andrade – Jose Braga
     Maria do Rosario de Andrade – Heitor Pinto Sardinha (filho de Joao da Cruz Sardinha)
42. Marcos Virgolino de Senna – Maria de Senna, Pag. 118,
43. Coronel, Candido Jose de Senna – 1as nupcias, Maria Angelica Normanha/ 2as, Maria Brasiliana Coelho /3as. Esther Moreira. Pags. 118/122, Filhos:
     1as. nupcias:
     Polycarpo de Senna Normanha – Joaquina de Queiroz Braga, *neto:
     *Agenor de Senna – Helena Electo de Queiroz (Familia Queiroz, Pecanha)
     Anna Normanha de Senna – Capitao, Antonio Julio Vieira
     2as. nupcias: 
     Professor, Nelson Coelho de Senna – Emilia (Milota) Gentil Horta Gomes Candido, Pags. 121/2
     3as. nupcias 
     nao houve descendencia
44. Anna Normanha de Senna (filha de 43) – Capitao, Antonio Julio Vieira, Pag. 120A, filhos:
     Jose Julio Vieira – Olinda Braga (Pecanha)
     Clovis Vieira de Senna – 1as., Delfina Coelho de Moura (Filha de 79); 2as., Alzira Goncalves
     Zulmira Vieira de Senna – Lindolfo de Almeida Braga
     Maria Amelia de Senna – solteira
     Elvira de Senna Vieira – Nenrod Goncalves (filho de 28)
     Eponina Vieira de senna – solteira
     Padre, Alcides Vieira de Senna
     Joao Evangelista Vieira – Josefina Campos
     Manoel de Senna Vieira – falecido crianca
45. Bernardino (Bernardino Teteia) Pereira de Senna (irmao de 62) – Julia Candida de Jesus (filha de 03), Pag. 122, filhos:
     Belminda – Jose de Salles
     Antonio
     Elinda – casada
     Etelvina – Alfredo Goncalves
     Ana – casada
     Iria – solteira
     Maria – casada
     Vital – casado
46. Joaquim Antonio dos Santos Lacerda – 1as nupcias (?), 2as, Josefina Augusta Viana – Pag. 123, filhos
     1as. Padre Joaquim Antonio dos Santos Lacerda Junior
     2as.
     Rita Augusta Lacerda – Olimpio Jose Pimenta (65)
     Maria Augusta Lacerda – Jose Lopes
     Evangelina Augusta Lacerda – Domingos Albuquerque Ribeiro (filho de 33)
     Josefina Augusta Lacerda
47. Padre Joaquim Antonio dos Santos Lacerda Junior (filho de 46), Pag. 123.
48. Pedro de Alcantara Ribeiro (irmao de 33) – Josefina Leopoldina Albuquerque, Pag. 123 e 329, filhos:
     Joaquim Albuquerque Ribeiro – Andrelina da Rocha Leao
     Jose Albuquerque Ribeiro – Amelia (Zica) Pimenta , (filha de 59)
49. Maria Carolina Brant (Dona Nininha), cunhada de 40 – Jose Antonio Caldeira Brant, Pags. 123, 116, 148 e 130, filhos:
     Abrilina – Joaquim da Costa Primo
     Ana Maria – Euzebio Cardoso Nunes
     Alexina (Xininha) – Joaquim de Souza Costa (56)
50. Sebastiao da Costa Rocha – Rita Cirino Barbalho, Pags. 124, 53, 147/8, filhos:
     Maria
     Maria Brasilina
     Sebastiao
     Caetana
     Galdino – falecido crianca
     Galdina (gemea) – Isaac Jose de Sousa
     Levindo – falecido jovem
     Antonio
     Ocarlina Fausta da Costa (Sinhazinha) – Raimundo Nonato Ferreira (Raimundo Baracho, filho de 83)
     Elvira – Gervasio Brandao
     Rinaldo
     Gasparino – Maria Luiza Mourao (filha de Joao Raimundo Mourao e Josefina E. Pimenta)
     Otavia
     Ruth
51. Joao da Cruz Sardinha – Clarinda Alves Pinto, Pags. 125, 127, 118 e 152, filhos:
     Paulina Pinto Sardinha – Djalma Amaral (filho de Antonio Borges Amaral)
     Rita – Bento Rodrigues Costa
     Natalina – Francisco Polidoro Monteiro
     Risoleta – Tito Alves Pinto
     Joao Sardinha Pinto – Ana Viana
     Heitor Pinto Sardinha – Maria do Rosario Andrade (filha de 41)
     Agenor Pinto Sardinha – Maria Conceicao Amaral (filha de Elpidio P. Amaral)
     Jose Maria Pinto Sardinha – Modestina do Nascimento
     Juliao Pinto Sardinha – Maria Ana Rocha (filha de 88)
     Madalena – 1as nupcias, Alcides Nascimento; 2as., Francisco Manoel
52. Antonio Borges do Amaral – 1as, Ermenestina Alves de Carvalho/ 2as, Guilhermina Eponina de Sousa; Pags. 126, 208, 136, 308, 125, etc, filhos:
     1as nupcias,
     Olinda Alves do Amaral – Salatiel Taveira de Queiroga
     Otilia Alves do Amaral – Marciano de Souza Guerra
     Antonio Borges do Amaral Junior – Alzira Gabriela do Amaral (filha de Arthur B. do Amaral)
     Djalma Amaral – Paulina Pinto Sardinha (filha de 51)
     Sebastiao Amaral – Marilia da Silva Amaral (filha de 53a)
     Astrogildo Alves do Amaral – 1as nupcias, Ceci Amaral (filha de Arthur B. do Amaral); 2as. Maria Celeste
     Ondina Amaral – Salathiel Taveira de Queiroga
     Ney Amaral – Maria Candida de Oliveira
     Ocarlina Amaral – Dr. Manoel Gomes Pereira
     Benedito Amaral – Etelvina Ferreira
     2as. nupcias. (tia Guilhermina Eponina era prima do Mon. Antonio Pinheiro Brandao, 2o. paroco de Sao Joao)
     Jose Amaral – Esmeralda Gursan
     Maria de Lourdes Amaral
     Dr. Luiz Augusto Amaral – Cesarina Augusta de Carvalho (Cap. 18 – o Dr. Luiz foi juiz de direito em Virginopolis)
     Maria Amelia Amaral – Carlos Antonio Pereira Junior
     Dr. Joao Evangelista Amaral (medico) – Edna Horta Pereira
     Isabel Amaral
     Daniel Amaral
     Luiza de Marilac Amaral – Irma superiora na Casa da Providencia no Rio de Janeiro
     Manoel Amaral – falecido crianca
     Dr. Paulo Amaral (dentista) – Iracema da Veiga
53. Ana Francelina Pereira do Amaral (Ana Bessa -Donana) – Americo Bessa, Pags. 128 e 127, filha unica:
     Cecilia Bessa – Jose Caetano da Silva (60)(sao os pais de Marilia da Silva Amaral, casada com 52e)
54. Emidio Alves Ferreira – Emilia Ribeiro Alves (cap. 18), Pags. 129, 221 e 90, filhos:
     Vicente Alves Sobrinho
     Idalina Alves – Celestino Ferreira Dias (Saracura), *netos:
     *Maria Celestina – 1.883
     *Jose Celestino Ferreira – 1.884
     *Delfina Celestino – 1.886
     *Emilia Alves * Olimpio (Olimpinho) Jose Pimenta Filho (filho de 65)    
     Gaudencio Alves
     Vitor Alves – Hipolita Carvalho Alves
     Maria Ribeiro Alves – Josefino Carvalho de Souza (Cunhado de 30)
     Delfina Alves – Antonio Pedro Goncalves (19)
     Jose Alves
55. Jose Augusto Rangel – Carlota Candida Rangel, Pags. 129 e 143, filhos:
     Francisco Cristiano
     Pedro
     Lucinda
     Maria Eugenia
     Gabriela – 1as, Manoel Almeida Costa; 2as, viuvo Miguel Pereira do Amaral (73)
     Augusta
56. Joaquim de Souza Costa – Alexina Brant (filha de 49), Pags. 130 e 224:
57. Professor, Josino Cardoso Nunes – Ana Maria de Santa Rita de Figueiredo, Pags. 130, 124, 115, 141/360, 354, 132/326/365, filhos:
     Eusebio Cardoso Nunes – Ana Josefina Caldeira (sobrinha de 40)
     Maria Salome – Josefino Rabelo
     Ana Maria (Niquinha) – Bernardino Medina
     Perciliana Nunes – Lermino Jose Pimenta (68, irmao de 30, 65 e 66)
     Maria Carmelita Nunes (Milita) – Lafaiete Modestino Pimenta (Zico, sobrinho de 30)
     Estela
     Josino Cardoso Junior – Ana da Rocha Leite
58. Professora, Carolina Gabriela da Fonseca Campos (D. Inha Campos) – Joaquim Ferreira Campos, Pags. 131, 94 e 117, filhos:
     Clarindo Campos – Maria Araujo
     Luiz (Lulu) Ferreira Campos – Albertina Pimenta Guimaraes (filha de Manoel Coelho de Moura)
     Rita Campos – Joao Gualberto Goncalves (27 e 19b)
     Batistina Campos – 1as., Benvindo Caetano/ 2as., Genesco Andrade (40d)
59. Antonio de Padua Pimenta – Honorina Augusta Pimenta (irma de 30 e prima do marido), Pags. 132, 131, 146, 326 e 365, filhos:
     Lafaiete Modestino Pimenta – Maria Carmelita Nunes (57e)
     Maria Amelia (Zica) Pimenta – Jose (Jose Diamantino) Albuquerque Ribeiro (filho de 48)
     Clovis Jose Pimenta – Maria Jose de Meira (filha de 80)
     Carmela Pimenta – Waldomiro Generoso de Almeida Silva
 
          15. LISTA DE MORADORES DO PERIODO DE 1.890 A 1.900
 
60. Jose Caetano da Silva – Cecilia Bessa (filha de 53), Pags. 134 e 310, filhos:
     Prescilia – Hilario Campos
     Domicila – falecida crianca
     Doracila – falecida crianca
     Marilia – Sebastiao Amaral
     Recenvinda – falecida crianca
     Jose Caetano (Deca) – Antonieta Margarida Drumond
     Antonio e Odilia – gemeos falecidos criancas
     Cecilia da Silva – Glicerio Jose Pimenta (filho de 30)
61. Eustaquio Pereira Martins – Procedina Martins, Pag 134,
62. Modesto Pereira de Senna (irmao de 45) – Justiniana Pereira, Pags. 134/5, 115 e 122, filhos:
     Maria Adelaide de Senna – Evaristo do Espirito Santo Aguiar (35)
     Constanca de Senna – Joao Goncalves
63. Arthur Borges do Amaral – 1as nupcias, Gabriela Pimenta; 2as. Maria de Assis Pimenta (filha de 77); 3as. America Diamantina Pimenta; e 4as. Maria Augusta (Lolota), viuva de 94. *Gabriela e America Diamantina eram irmas, filhas de Francisco de Assis Pimenta, filho do casal D. Pags. 135, 153, 246, 149 e 95 entre outras, Filhos:
     1as. Alzira Pimenta do Amaral – Antonio Borges do Amaral Jr (filho de 52).
     2as. Corina – falecida crianca
            Maria Dolores Amaral – Duval Pimenta (filho de 30)
            Arthur – falecido crianca
            Ceci Amaral – Astrogildo Alves Amaral
            Diva Amaral – Sadi Campos Goncalves (filho de 27)
     3as. Nao houve descendencia
     4as. Arthur Borges do Amaral Junior (Tutuca) – Olinda Goncalves Queiroga
64. Raimundo Jose Alves – Senhorinha Candida de Carvalho (filha dos tios Senhorinha Rosa de Jesus e Jose Carvalho da Fonseca), Pags. 136, 126, 95, 208 e 230, filhos:
     Ermenestina Alves de Carvalho – Antonio Borges do Amaral (52)
     Clarimundo Jose Alves – Cesarina de Carvalho (cap. 18, cunhada de 30)
     Izaltina Alves Carvalho – Jose Pedro Goncalves (28)
     Virgilio Alves  – Jovita Maia
65. Olimpio Jose Pimenta (irmao de 30, 66 e 68) – 1as nupcias, Ludugeria Francelina do Amaral; 2as, Quiteria Rosa de Jesus Amaral; 3as, Rita Augusta Lacerda; e ligacao extra-conjugal, Sebastiana (D. Inha) Pereira do Amaral, Pags. 137/8, 266-285, filhos:
     1as nupcias
     Erminia Pimenta – Benjamim Rocha
     Amazilis Pimenta – Augusto Antonio de Araujo
     Evangelino Pimenta – Amelina Higina Pimenta (filha de Aureliano Jose Pimenta, irmao de 30, 65, 66 e 68)
     *Maria Carolina (I Quinha) Pimenta  – Joaquim Dias do Carmo (Joaquim Neto da Silva, filho de 03)
     Jose Augusto Pimenta – Arminda Alves Barroso
     Gabriela Pimenta – 1as nupcias, Joao Gualberto Goncalves (27); 2as. Agenor de Oliveira (nao houve filhos em ambos os casamentos).
     Olimpio (Olimpinho) Pimenta – Emilia Alves (filha de 54) 
     Ludugeria Pimenta
     2as. nupcias
     Sebastiao Pimenta – Aurora Rodrigues
     Rita Pimenta – Alexandre Pereira da Silva (pag. 279) ou Zeferino Jose da Silva (pag. 138)
     3as. nupcias
     Alcindo Pimenta – falecido crianca
     Eremita Pimenta – Heitor da Silva Leite (ou Leal – pags. 138 e 281)
     Hilda Pimenta – Antonio Padilha Filho
     Josefina Pimenta – Joaquim Pereira Campos
     Erondina Pimenta – Acioly de Almeida Costa
     Nery Jose Pimenta – Virginia Lino de Souza
     Maria da Conceicao Pimenta – Sebastiao Martins
     Avany Pimenta – Joao Sete de Abril
     Ermelinda Pimenta – Goncalo Casimiro do Nascimento ou Carvalho (pags 284 e 138)
     Extra-conjugal
     *Maria Carolina (II Quinha) Pimenta – Anselmo Goncalves de Almeida Costa (filho de 06)
     Antonio Augusto Pimenta – Maria Alves
66. Leolino (Nene) Jose Pimenta (irmao de 30, 65 e 68) – Carolina Aurelia Miranda, Pags. 138/9, 113/4, 146, 340-348, filhos:
     Modesto Pimenta – falecido crianca
     Waldemar Jose Pimenta – Goncala Pimenta
     Asteria Pimenta – Jose Celestino Ribeiro (filho de 33)
     Candida Natalicia Pimenta – 1as nupcias, Feliciano Jose de Souza; 2as, Joao Gualberto de Meira (80) 
     Olegario Jose Pimenta – Raimunda (Dica) Amaral (neta de 85)
     Orfelina Pimenta – Antonio Augusto Ribeiro (filho de 33)
     Genes Pimenta – Senhorinha Correa
     Ocarlina Pimenta – Jose Caldeira
     Odete Pimenta – Antonio Augusto Jacomini Filho (filho de 72)
67. Monsenhor, Antonio Pinheiro de Souza Brandao, Pags. 139-140,
68. Lermino Jose Pimenta (irmao de 30, 65 e 66) – Perciliana Nunes Rabelo (filha de 57), Pags. 140/1, 130/1, 286, 354-362, filhos:  
     Levina Pimenta – Modesto Borges Pimenta (sobrinho de 30, 65, 66 e 68, filho de 19a)
     Hilda Augusta Pimenta – Joao de Pinho Junior
     Rui Pimenta – Reduzinda Braga (Pecanha)
     Gumercinda (Cidinha) Pimenta – Aristoteles Rabelo (filho de 57b)
     Dr. Walter Pimenta – Maria Efigenia Coutinho
     Hermelinda Pimenta – Dr Francisco Noronha
     Maria Jose Pimenta – 1.8.4.10 Jair Nunes Coelho (capitulo 21)
69. Elpidio Pereira do Amaral (filho de 85) – 1as nupcias, Dalila Pimenta (filha de 77); 2as., Clarice Andrade ( filha de 40). Filhos: 1as.: Elgita, Dulce, Maria da Conceicao, Rossini, Jose Maria, Zuleica, Araci, Maria das Dores, Natalia e Helena; 2as.: Maria de Lourdes, Laura, Anita, Rubens, Dalia, Jorge, Maria Carmelia e Carminha.
70. Senador, Joao Nepomunceno Kubitschek (Vice-governador do Estado de Minas Gerais) – Virginia Brandao, Pags. 142/3 filhos:
     Joao Nenrod Kubitschek
     Dr. Lincoln Kubitschek – Rosalina Torneli
     Jeferson Kubitschek
     Oton Kubitschek
     Otonina Kubitschek – Aristoteles Lodi
     Oto Kubitschek
71. Olimpio Julio Costa – Josefina Costa, Pag. 143,
72. Antonio Augusto Jacomini – Maria Celestina Albuquerque, Pags. 143, 146-7 e 348, filhos:
     Altamira – Jose Caldeira
     Antonio Jacomini – 1as. nupcias, Odete Pimenta (filha de 66); 2as., Maria Leao
     Ocarlina (pag. 143) ou Orestina Augusta Jacomini (pag. 147) – Sebastiao Raimundo da Costa (filho de 81)
     Ataliba Jacomini – Maria da Conceicao Nunes
     Gerolisa Jacomini – Irma de Caridade no Rio
     Auta Jacomini
73. Miguel Pereira do Amaral – 1as. nupcias, Amelia Pereira do Amaral (irma de 52, 53, 63 e 69); 2as., Gabriela Rangel (filha de 55), Pags. 143/4, 129, 245 e 249, filhos:
     1as. nupcias
     Josefino Borges do Amaral – Evangelina Augusta Damasceno
     Etelvino Pereira do Amaral, falecido crianca.
74. Josefino Borges do Amaral (filho de 73) – Evangelina Augusta Damasceno, Pag. 144, filhos:
     Diogenes Pereira do Amaral – Julia Pires de Morais
     Jose Pereira do Amaral – Maria Jose Brandao
     Maria Augusta do Amaral, falecida crianca
     Maria da Dores do Amaral – Jose da Silva (portugues)
     Washington Pereira do Amaral – era negociante no Triangulo Mineiro
     Antonio Borges do Amaral – Otilia Gomes do Amaral
     Manoel – falecido crianca
     Dejanira do Amaral – Americo
     Maria da Conceicao – falecida crianca
     Conceicao Pereira do Amaral – Camilo Moraes
75. Antonio Gomes Saldanha – Pag. 144. 
76. Bento Cirino Pinto – Maria Rita Salome, Pag. 145.
77. Professor, Manoel Coelho de Moura Guimaraes – Maria Francelina Pimenta (prima de 30, 65, 66 e 68), Pags. 148/150, 90, 135, 141, 150, 364/5, 117 e 320, filhos:
     Maria Assis Pimenta – Arthur Borges do Amaral (63)
     Albertina Pimenta Guimaraes – Luiz Ferreira Campos
     Francisco de Assis – falecido crianca
     Teresa Pimenta – Ulysses de Pinho Tavares
     Joao Coelho de Moura – Alice Goncalves (filha de 19)
     Francisco Coelho de Moura – Herminia Carolina de Moura
     Zenolia Pimenta – falecida crianca
     Dalila Pimenta – Elpidio Pereira do Amaral (69 e filho de 85)
     Olinda Pimenta – Antonio de Pinho Tavares
     Gabriela Pimenta Guimaraes – falecida crianca
     Jose Coelho de Moura – falecido crianca
     Jose Coelho de Moura Guimaraes – Olga Pimenta (filha de 30)
     Ondina Pimenta – Ascendino Chaves de Andrade (filho de 41)
78. Francisco Coelho de Moura (filho de 77) – Herminia Carolina de Moura, Pags. 145, 50, 256, 364/5, filhos:
     Raimundo Coelho de Moura – Alice Braga (Pecanha)
     Maria Josefina de Moura – solteira
     Diva Herminia de Moura – *Hermenegildo Pimenta Metzker (filho de 104)
     Geraldo Coelho de Moura – falecido no dia do nascimento
     Jacira Heroina de Moura – solteira
     Rossini Coelho de Moura
     Geralda Coelho de Moura – Americo Dias Moreira
     Manoel Coelho de Moura Neto – falecido crianca
     Francisco Coelho de Moura – Geralda de Almeida
     Joao Evangelista Coelho – Neuza da Rocha Coelho
79. Joao Coelho de Moura (filho de 77) – Alice Goncalves (filha de 19), Pags. 148, 90, 96, 120A, 155/6, 364/5, Filhos:
     Manoel Coelho de Moura – falecido crianca
     Maria Jose Goncalves de Moura – *Constant Falcao Metzker (filho de 104)
     Delfina Goncalves de Moura – Clovis Vieira de Senna (filho de 44)
     Antonio Coelho de Moura – *Maria de Lourdes Falcao Metzker (filha de 104)
     Cecy Goncalves de Moura – solteira
     Joao Evangelista de Moura – Maria Jose Goncalves (filha de 29)
     Geraldo Coelho de Moura – falecido crianca
80. Joao Gualberto de Meira – 1as. nupcias, Carolina (Caluzinha) Augusta de Meira; 2as., Candida Natalicia Pimenta (filha de 66), Pags. 146/7, 343, 132 e 331. So teve filhos das 1as nupcias:
     Maria Jose de Meira – Clovis Jose Pimenta (filho de 59)
     Joao Evangelista de Meira – Maria Augusta Leao (filha de 82)
     Dalva Maria de Meira – Alexandre Jose de Oliveira
     Maria Margarida de Meira – Dorival Reis
     Dirce de Meira – Levi Alves Goncalves
     Maria da Conceicao de Meira – Jose Alves
     Antonio Augusto de Meira
81. Manoel Ricardo da Costa (Manoel Pintor) – Ambrosina, Pags. 146/7, 143, filhos:
     Jose Barnabe
     Maria Exata da Costa (apos ficar viuva mudou-se para os EEUU) – Antonio Valerio Alves
     Gabriela Rita da Costa – Jose Mendes
     Cecy da Costa – solteira
     Gentil das Merces Costa – Ana Inacio
     Joaquim – falecido crianca
     Ambrosina – falecida crianca
     Gasparino – falecido crianca
     Ogda – falecida crianca
     Eurico da Costa – foi casado
     Sebastiao Raimundo da Costa – Orestina ou Ocarlina Augusta Jacomini (filha de 72)
     Joao Nery da Costa – Raimunda Costa
     Adelmo Demetrio da Costa – Zelia Costa
     Clelia da Costa – Antonio Pedro da Silva
     Mario Diogo da Costa – falecido crianca
82. Jose Augusto Leao – Maria Eleonor Braga (Filha de Leopoldina Goncalves, filha de 19), Pags. 147, 90, 153, filhos:
     Maria Augusta Leao – Joao Evangelista de Meira (filho de 80)
     Guilhermina Leao – Milton de Albuquerque (filho de 94)
     Antonio Augusto Leao – Maria do Rosario Leao
     Helena Leao – Onofre Gomes dos Santos Queiroz
     Iracema Leao – Euler Ribeiro
     Geralda Leao – Jose Luiz de Freitas
     Maria do Rosario Leao – Alvaro Jose Ribeiro
     Circe Leao – David Bicalho
83. Maria Julia Baracho – Joao Augusto Ferreira, Pag. 147, filhos:
     Raimundo (Raimundo Baracho) Nonato Ferreira – Ocarlina Fausta (Sinhazinha) da Rocha (filha de 50), Pag. 147 e 124.
84. Joaquim da Costa Primo (transferiu-se para Diamantina, onde tinha uma farmacia), Pag. 148.
85. Sebastiana (D. Inha) Pereira do Amaral – 1as. nupcias, Daniel Pereira do Amaral; extra-conjugal, Olimpio Jose Pimenta (65), Pags. 150, 266, 130, 139/343, 302, 117, 141, 365/149, 87, 285, filhos:
     1as. nupcias:
     Georgina Amaral – Jose (Joao Botija) Antonio da Silva, *netos:
     *Jose Antonio da Silva Filho (Jose Botija) – Maria Augusta (Quinha) Pimenta (sobrinha de 30, 65, 66 e 68)
     *Corina da Silva Amaral – Carnot Jose Alves (cap. 18)
     *Maria Margarida da Silva Amaral – Jose Maia
     *Raimunda (Dica) da Silva Amaral – Olegario Jose Pimenta (filho de 66)
     *Zenolia da Silva Amaral – Duval Sebastiao Pimenta (filho de 30)
     Lilia Amaral – 1as. nupcias, Joao Julio (Zico) de Andrade (filho de 40); 2as., Vitalino Anthero da Mota (tia Lilia nao teve filhos).
     Elpidio Pereira do Amaral (69) – 1as. nupcias, Dalila Pimenta (filha de 77); 2as. Clarice Andrade (filha de 40)
     extra conjugal
     Maria Carolina (Quinha) Pimenta (filha de 65) – Anselmo Goncalves Almeida da Costa (filho de 06)
     Antonio Augusto Pimenta (filho de 65) – Maria Alves
 
     Ha que se fazer este adendo aqui. LUDUGERIA PEREIRA DO AMARAL, AMELIA PEREIRA DO AMARAL, ALFREDO PEREIRA DO AMARAL, ANTONIO BORGES DO AMARAL, ANA FRANCELINA PEREIRA DO AMARAL, ARTHUR BORGES DO AMARAL, GEORGINA AMARAL, LILIA AMARAL e ELPIDIO PEREIRA DO AMARAL eram irmaos. Eles criaram ou sua descendencia dirigiu-se para Sao Joao Evangelista. Os primeiros 6 foram filhos da tetravo MARIA FRANCELINA BORGES DO AMARAL e os outros 3 de SEBASTIANA (D. INHA) PEREIRA DO AMARAL. O que eles tem em comum eh serem filhos do tetravo: DANIEL PEREIRA DO AMARAL. Destes, somente o ALFREDO nao teve filhos.
 
86. Alexandrino Zacarias da Silva – Rosalina Xavier, Pag. 151/150 filhos:
     Maria Catarina (Nhazinha) da Silva – Franklin Pereira dos Reis (87)
     Jose Maria da Silva
     Francisca da Silva
     Antonio Franco da Silva
     Professora, Clotilde da Silva
     Anisia da Silva
     Luiz Franco da Silva
     Clovis Franco da Silva
     Sebastiao Franco da Silva
87. Franklin Pereira dos Reis – Maria Catarina (Nhazinha) da Silva (filha de 86), Pags. 150/151filhos:
     Jose Franklin dos Reis – Floripes Barbosa
     Alencar Pereira dos Reis
     Luiz Pereira dos Reis
     Maria Jose Pereira dos Reis – Wenceslau Rodrigues
     Moacir Pereira dos Reis – Engenheiro-civil
     Lauro Pereira dos Reis – Laura da Silveira
     Mudaram-se para Serro, Sabara e Belo Horizonte, onde nasceram outros filhos:
     Milton Pereira dos Reis
     Ademar Pereira dos Reis
     Paulo Pereira dos Reis
     Maria Catarina Pereira dos Reis
     Ildeu Pereira dos Reis
88. Jose Polidoro (Lolo) da Rocha – Mariana Senhorinha da Rocha, Pags. 151/2/3, 125 e 327, filhos:
     Arcebilio Rodrigues da Rocha – Maria Candida Pires
     Demetria Rodrigues da Rocha – Antonio Polidoro Monteiro
     Silvino Rodrigues da Rocha – Amasiles Rocha Cirilo
     Jose Rodrigues da Rocha – Amanda Caldeira
     Joao Rodrigues da Rocha – Liberalina pires
     Salomao Rodrigues da Rocha – Sebastiana Candida de Oliveira
     Jacy Rodrigues da Rocha – Cecilia Araujo Neto
     Sebastiao Rodrigues da Rocha – Lucy Albuquerque (filha de 94)
     Heraclito Rodrigues da Rocha – Petrina Rocha
     Teosildes Rodrigues da Rocha – Pedro da Silva Caldeira
     Maria Ana Rodrigues da Rocha – Juliao Pinto Sardinha (filho de 51)
     Gabriel Rodrigues da Rocha – Geralda Cardoso
     Rafael Rodrigues da Rocha – Maria das Dores Amaral
     Madalena Rodrigues da Rocha – Alcides Campos
     Maria Helena Rodrigues da Rocha – Geraldo Pimenta (sobrinho de 30, 65, 66 e 68)
89. Juscelino Narciso de Andrade – Pascoinha de Oliveira, Pag. 152, filhos:
     Advogado, Dr. Sebastiao de Andrade
     Professora, Cecilia de Oliveira Andrade
90. Paulo Demetrio Alves – casado, Pag. 152, filhos:
     Salomao
     Sansao
     Belmiro
     Jose
     Generosa – Jose Urbano de Carvalho
     Maria
     Gerolisa
     outros
91. Demetrio Mourao – Maria da Costa Mourao, Pag. 152, filhos:
     Luiza
     Maria
     Jovita
     Maria Cristina – Pedro Augusto de Souza
     Sebastiao – Maria Salome da Assuncao (filha de 92), *netos:
     *Wilson
     *Maria
     *Cicero
     *Adalberto
     *Francisco
     *Luzia
     *Oracio
     Jose – Helena
     Petrina – Sebastiao (filho de 96)
92. Carlos Antonio (Toto) Pereira – casado, Pag. 152, filhos:
     Antonio
     Maria Salome Assuncao – Sebastiao (filho de 91)
     Joao Timoteo
     Jovelina
     Maria
     Angelina
93. Jose Cesario Junior (filho de Jose Cesario, vereador em Sao Joao), Pags. 152/3.
94. Joaquim Antenor de Albuquerque – Maria Augusta (Lolota)*, Pags. 153, 135, 147 e 246, filhos:
     Nelson Albuquerque – Odete Albuquerque
     Milton Albuquerque – 1as nupcias, Guilhermina Leao (filha de 82), 2as, Conceicao Bicalho
     Luci Albuquerque – Sebastiao Rodrigues da Rocha (filho de 88)
     Padre, Caio de Albuquerque
     *Maria Augusta (Lolota) foi a quarta esposa de Arthur Borges do Amaral (63)
95. Orosimbo dos Santos – Narcisa dos Santos, Pag. 153. 
96. Manoel Marcelino (Neco-Gabriel) da Costa – Rita Leite, Pag 153.
97. Jose de Oliveira Braga, Pag. 153.
98. Jose Amaro de Souza Flor, Pag. 153.
99. Manoel (Manoel-compadre) Silvestre do Nascimento, Pag. 153.
100. Jose Casimiro, Pag. 153.
101. Manuel Firmiano, Pag. 153.
102. Firmiano Luiz da Rocha, Pag. 153.
103. Bernardino Luchesi, Pag. 153.
 
     Estes 103 moradores estao na subdivisao do livro A MATA DO PECANHA, denominada de, MUNICIPIO DE SAO JOAO EVANGELISTA e vai da pagina 77 a 153. Contudo, ha um outro casal de residentes, mencionado nas paginas 255-6, de importancia. Trata-se de D. Julia (Sinha) Pimenta e seu marido Oscar Falcao Metzker. Ela era trineta de dona Vitoriana Florinda de Ataide, irma de Boaventura Jose Pimenta, o pai dos moradores 30, 65, 66 e 68. Assim, acrescento este numero:
 
104. Julia (Sinha) Pimenta – Oscar Falcao Metzker, 2as. nupcias dele, Antonieta Goncalves (filha de 29), Pags. 255/6, 95, 98, 148, , 145, 304 e 148, filhos:
       1as nupcias
       Oscar Falcao Metzker Junior – Rita Goncalves (filha de 27)
       Constante Falcao Metzker – 1as nupcias, Maria Jose de Moura (filha de 79); 2as., Elza Siqueira de Abreu
       Hermenegildo Pimenta Metzker – Diva Coelho de Moura (filha de 78)
       Alice Pimenta Metzker – solteira
       Julio Metzker Falcao – Elvira Favarato
       Alvaro Metzker Falcao – Mercedes Pimenta (filha de 30c)
       Jose Falcao Metzker – solteiro
       Maria de Lourdes Falcao Metzker – Antonio Coelho de Moura (filho de 79)
       Dolores Falcao Metzker – Jaime de Abreu
       Sady Falcao Metzker – Acy Amaral
 
     *Para que tenhamos ideia a respeito da formacao da populacao evangelistana, podemos dizer que praticamente nao tinhamos relacao parental com a populacao que se instalou por la na primeira fase. A partir da chegada de Zeferino Monteiro de Carvalho (nosso primo pelo lado Borges Monteiro) e do coronel, Cornelio Jose Pimenta (Borges Monteiro e Pereira do Amaral) as coisas comecam a modificar-se.
 
     Mais de 20, entre os 104, moradores que eu enumerei sao nossos aparentados. Seja por via propria ou por seus conjuges. Em alguns casos, o casal eh formado por nossos parentes. Mesmo aqueles que nao sao parentes, verifica-se que alguns da descendencia logo se casam com a descendencia de nossos parentes.
 
      Tomando a lista de primeiros moradores que circula na internet, sintam o resultado de minha analise. Valeriano e Manoel Coelho da Rocha eram irmaos e filhos do Capitao Ildefonso da Rocha Freitas e dona Maria Coelho da Silveira. Infelizmente, o professor Pimenta nao nos da informacao alguma a respeito da descendencia deles.
 
     Antonio Pedro Goncalves era genro dos donos da Fazenda Sao Joao, casado com Delfina Maria Coelho. Eles eram pais de Antonio Pedro Filho, Joao Gualberto e Jose Pedro Goncalves. Ate ai eles nao eram da familia mas alguns filhos se casaram com nossos parentes. Com destaque para a tia Iracema, que se casou com o tio Salathiel Batista Coelho, e era filha do Joao Gualberto. O proprio, em segundas nupcias, casou-se com Gabriela Pimenta, filha do Olimpio Jose Pimenta, embora ele nao tenha tido filhos nesse segundo matrimonio.
 
     Sebastiao da Costa Rocha. Nao tenho como dizer que a esposa dele tivesse algum parentesco conosco mas o nome era Rita Cirino Barbalho.
 
     Zeferino Monteiro de Carvalho e Cornelio Jose Pimenta nao se comenta. Arthur Borges do Amaral era nosso tio-trisavo, irmao nao apenas da trisavo Maria Marcolina Borges do Amaral, como tambem de outros moradores como, Anna Francelina (Donana, ou Anna Bessa), Antonio Borges do Amaral, Elpidio Amaral, Georgina Amaral, Lilia Amaral, alem dos primeiros serem enteados de D. Sebastiana (D. Inha) Pereira do Amaral. Tambem eram sobrinhos de Ermelinda Querubina, a esposa do coronel Cornelio. Eram primos de todos os Pimenta.
 
     Santos Jose Ribeiro era estranho `a familia, ate que dois dos cinco filhos se casassem com alguem na familia. Jose Celestino se casou com Asteria Pimenta e Antonio Augusto com Orfelina Pimenta. Na geracao seguinte, Moacir Ribeiro, filho de Jose Celestino e Asteria casou-se com a Maria Jose, filha dos tios Salathiel e Iracema. Claro, isso para citar apenas um exemplo.
 
     Raimundo Jose Alves era marido de Senhorinha Candida de Carvalho, filha de Jose Carvalho e tia Senhorinha Rosa de Jesus (filha do Antonio Borges Monteiro Jr). Era filho deles, tambem citado como primeiro morador, Clarimundo Jose Alves.
 
     Por fim, dois estranhos ao ninho. Vicente e Honorio Luiz da Rocha. O Vicentinho tambem eh recordado no livro da Ivania. Eh o major Vicentinho, casado com a Maria Honoria (Mana) Coelho da Rocha, neta do capitao Joao Coelho de Magalhaes. Nenhum dos livros explica como mas o professor Pimenta cita que ja seriam primos. Portanto ja era nosso primo pois que o capitao se casou com Bebiana Lourenca de Araujo, citada como prima por ambos os autores. De qualquer lado que fossem primos. Eram nossos tambem. O Honorio era irmao do Vicentinho.
 
     Pelos dados expostos no livro A MATA DO PECANHA, a unica conclusao a que posso chegar eh que se for feito um exame de DNA na populacao de Sao Joao Evangelista e outro em Virginopolis, sera um pouco dificil encontrar as diferencas.
 
     Outro detalhe, eu havia antecipado que outro Coelho presente entre os primeiros moradores tinha um certo grau de parentesco conosco. Tratava-se do professor, Manoel Coelho de Moura Guimaraes. Ja na analise superficial eu havia detectado que um dos casamentos do tio Arthur Borges do Amaral havia acontecido na casa dele, “contra” a Maria de Assis Pimenta. Na verdade, houve outro casamento la, do tio Elpidio com a Dalila. Mas o que eh mais abrangente eh que ele era casado com Maria Francelina Pimenta, neta dos tios-tetravos Maria Balbina de Santana e Boaventura Jose Pimenta. Todos os filhos deles ja eram nossos primos.
 
     Tambem encontrei semelhancas na presenca de sobrenomes com coincidencias em Virginopolis e Guanhaes. A primeira que encontrei e que se mostrou como falsa foi a presenca de Coelho da Rocha em ambos os lugares. Mas as semelhancas que possam haver entre eles podem estar escondidas em ancestrais desconhecidos, ainda em Portugal.
 
     Outra coincidencia que encontrei foi na familia do professor Josimo Cardoso Nunes. A esposa dele se chamava Ana Maria de Santa Rita de Figueiredo. Nao sei porque cargas d’agua tiveram filhas com nomes: Perciliana Nunes Rabello e Maria da Conceicao Nunes Rabello. A primeira casou-se com Lermino Jose Pimenta (68) e a segunda com Lafaiete (Zico) Modestino Pimenta, repectivamente, irmao e sobrinho do coronel, Cornelio Jose Pimenta.
 
     Como as vi primeiro na parte de genealogia, pensei tratar-se de parentes proximas das tia Marietta e dona Blandina Nunes Rabello, respectivamente casadas com o tio-avo 1.6.4.1 Onesimo de Magalhaes Barbalho e 1.6.2.3 Gabriel (Gabi) Nunes Coelho, filho da Tia Pitu. So posteriormente vim saber quem eram os pais das primeiras, ai dissipou-se a ideia de que o parentesco que acaso possam ter seja muito proximo.
 
     Uma ultima coincidencia se encontra na familia de Joaquim Bento (Quincote) de Andrade Junior. O papai sempre se lembrava dele ao contar que ele morrera em Santa Luzia e que o corpo iria ser cremado porque ninguem o conhecia la. Por sorte, o Monsenhor Brandao o reconheceu e deu-lhe um enterro considerado cristao `a epoca. Nao que esse fato tenha se dado no tempo do papai mas ele deve te-lo ouvido das tradicoes, pois, deu-se proximo aos 1.900 e ele nasceria somente 22 anos depois.
 
     Mas a coincidencia eh que Quincote foi casado, em 1as. nupcias, com dona Joaquina Augusta Dias de Andrade. As idades, a assinatura e a cidade de origem, Diamantina, batem com as informacoes a respeito do professor Francisco Dias de Andrade, de grande influencia na educacao em Virginopolis e patriarca dessa familia por la. Mas isso esta apenas nas suspeitas porque nao tenha dados suficientes para tirar conclusao alguma.
 
     Outra coincidencia nesse caso. Dona Maria Carolina (Dona Nininha) Brant era cunhada do Quincote. Talvez o sobrenome seja outro porque era viuva de Jose Antonio Caldeira Brant. A coincidencia esta no apelido que tambem encontramos na familia Dias de Andrade em Virginopolis.
 
     Outro detalhe que preciso retratar-me. Papai `as vezes nos contava os casos do passado sem fazer as devidas distincoes de parentesco. Assim ele mencionava o professor Dermeval Jose Pimenta e o professor Aluisio Pimenta deixando-me suspeitar que ate fossem irmaos. Ha mais tempo descobri as datas de nascimentos dos dois e conclui que poderiam ser, no maximo, tio e sobrinho. 
 
     A minha suposicao estava errada. o professor Dermeval era filho do coronel Cornelio. O professor Aluisio, irmao do dr. Rui Pimenta, era filho de outro Rui Pimenta, filho do Lermino Jose Pimenta (68), irmao do coronel. Assim, os professores eram primos em segundo grau.    
 
          16. FAMILIAS TRADICIONAIS DE PECANHA
 
     Provavelmente, as paginas entre 48 e 55 do livro A MATA DO PECANHA nao reflitam uma realidade completa com respeito `as “Antigas Familias de Pecanha”. Ele cita algumas poucas que tiveram envolvimento politico e, sobretudo, com lacos familiares com a Familia Pimenta.
 
     Embora nao refletindo uma verdade completa, o mais provavel eh que as familias e os personagens nelas citados por ele, porque os dados colhidos abordam pessoas que nasceram ha cerca de 100 anos ou mais, sejam ancestrais de boa parte da populacao atual de Pecanha, ressalvando ai que grande parte dessa populacao deve ter migrado para outros recantos do pais e do mundo.
 
     Vou apenas copiar os nomes dos personagens. Alguma coisa eu ja comentei no outro texto, publicado no endereco: http://val51mabar.wordpress.com/2011/02/24/historico-do-povoamento-mineiro-genealogia-coelho-cidade-por-cidade/. Citarei cada familia, colocando `a frente dos personagens os numeros ou letras que indicarao seus relacionamentos familiares com os personagens citados nos capitulos anteriores. Segue entao:
 
          Familia Vieira Braga
 
     A Familia Vieira Braga esta representada no livro por poucos personagens. O primeiro foi o septuagenario Januario Vieira Braga, comandante do Quartel implantado la, em 1.807, com a finalidade de proteger os colonos contra os ataques dos indios Botocudos. Foi a partir dessa implantacao que a regiao das Matas do Pecanha puderam ser colonizadas pelo elemento europeu.
 
     O comandante Januario recebeu em seu casebre, em 1.817, o explorador Augusto de Saint-Hilaire, sendo aquele ja um septuagenario. O prof. Pimenta presume que Antonio fosse e Narciso Vieira Braga era, com provas, filhos de Januario. Narciso casou-se com Candida Braga, foi vereador e pai de Pedro e Antonio Vieira Braga, chefe da Fazenda da Prefeitura e ex-delegado de policia em Pecanha.
 
          Familia Carvalho
 
     A Familia Carvalho, na verdade, eh antiga no municipio como um todo, antes de ele ser retalhado pelas diversas emancipacoes que ocorreram ate os nossos dias. Basicamente, o professor Pimenta refere-se ao casal Manoel Carvalho e sua esposa Maria Rosa, ou Rosa Maria; e o irmao daquele, Jose Carvalho da Fonseca, que se casou com Senhorinha Rosa de Jesus, filha do casal M. Os Carvalho seriam oriundos de Gouveia, Minas Gerais. 
 
     Manoel Carvalho e Maria Rosa tornaram-se fundadores e povoadores de Sao Jose do Jacuri e chegaram `as Matas do Pecanha por volta de 1.830. Eles sao bisavos maternos do professor Dermeval Jose Pimenta.
 
     Jose Carvalho da Fonseca e tia Senhorinha (filha de M) iniciaram a multiplicacao de sua descendencia em fazendas proprias, `as margens do Ribeirao das Araras, nas proximidades do atual Municipio de Sao Pedro do Suacui. Ja de inicio, a familia espalhou-se por Sao Pedro, Sao Joao Evangelista, Paulistas, Pecanha, Rio Vermelho e Guanhaes. Filhos do casal:
 
     Jose (Juca) Carvalho da Fonseca (Sao Pedro) – Hipolita de Oliveira
     Antonio Monteiro de Carvalho (Sao Pedro) – Adelaide de Carvalho
     Manoel (Manuelzinho) Carvalho da Fonseca (Sao Pedro)  – Maria Salome (d. Inha) Fonseca
     Maximiano Monteiro de Carvalho (Paulistas) – Dona Inha
     Zeferino Monteiro de Carvalho (20 – Sao Joao) – Maria Rosa (d. Sinha) de Oliveira (filha de 23)
     Celestino Monteiro de Carvalho (Pecanha) – Maria Fernandes da Silva
     Joaquim Monteiro de Carvalho (Paulistas) – Amelia Augusta Pereira
     Maria Augusta de Carvalho (Guanhaes) – capitao, Francisco Nunes Coelho (Guanhaes)
     Senhorinha Candida de Carvalho (Sao Joao) – Raimundo Jose Alves (64)
     Salvina de Carvalho (Sao Joao) – Francisco Pereira Afonso (23)
 
          Familia Queiroz
 
     Capitao, Joao Batista Queiroz – Edwiges Carvalho de Queiroz, filhos: *dados colhidos no inventario do capitao.
     Severiano Batista Queiroz – casado
     Candida Emerenciana de Queiroz – viuva
     Hermelinda de Queiroz – Manoel Joaquim da Costa
     Reduzinda Rabelo de Queiroz – Joaquim Luiz Braga (Familia Braga abaixo)
     Modesta Queiroz (falecida) – Antonio Jose de Oliveira Souto
     Delfina Queiroz (falecida) – Francisco Luiz Braga (idem)
     Marcelino Batista de Queiroz – Maria Electo de Souza (Familia abaixo), *netos:
     *Jaime Electo de Queiroz – Marlene Senna Silva Leite
     *Aurelio Electo de Queiroz – Hoidia Electo Natalicia
     *Aurea Electo de Queiroz – solteira
     *Helena Electo de Queiroz – Dr. Agenor de Senna (neto de 43)
     *Electa de Queiroz – Joao R. Cabral Flecha
     *Carmem Electo de Queiroz – solteira
     *Zelia Electo de Queiroz – Antonio B. Carmargos
     *Maria das Dores Electo de Queiroz – solteira
 
          Familia Braga
 
     Segundo o professor Pimenta, o chefe da Familia Braga era natural de Santa Barbara, casou-se em Rio Vermelho, e residiu em Sao Jose do Jacuri e Pecanha. Sao eles:
 
     Manoel Luiz Braga – Joaquina Gomes, filhos:
     Joaquim Luiz Braga, 1.838 – Reduzinda Batista de Queiroz (familia Queiroz acima)
     Joao Luiz Braga – 1.832
     Francisco Luiz Braga, 1.831 – Delfina Batista de Queiroz (idem)
     Manoel Luiz Braga – 1.833
     Pedro Luiz Braga – 1.846
     Silvestre Luiz Braga – 1.833
     Belizario Luiz Braga, 1.854 – Maria Madalena Braga, *netos:
     *Zulmira Braga – Dr. Simao (Simaozinho) da Cunha Pereira (familia abaixo)
     *Ana Braga – Dr. Carlos da Cunha Pereira (idem)
     *Minervina Braga – Getulio Vieira da Silva (familia abaixo)
     *Belizario Braga – Jandira de Freitas
     *Carmem Braga – Juliao Feliciano Marques
     *Jose Braga – Tiada Gomes
     *Maria Braga – solteira
     Intendente, Antonio Luiz Braga, 1.844  – Ana Queiroz, *netos:
     *Reduzinda Braga – Rui Pimenta (filho de 68)
     *Alice Braga – Raimundo Coelho de Moura (filho de 78)
     *Olinda Braga – Jose Julio Vieira (filho de 44)
     *Outros nao mencionados
 
          Familia Remigio de Souza
 
     Familia oriunda do Norte de Minas. Teve como representantes, Remigio Electo de Souza (1.810) que foi Juiz de Paz e subdelegado em Pecanha. Nao se casou. Junto com ele foi para Pecanha seu irmao: Jeronimo Electo de Souza (1.828) que tambem foi Juiz de Paz, Presidente das Mesas Eleitorais em 1.867/68, vereador e foi casado.
 
     Capitao, Jeronimo Electo de Souza – Francisca Rosa Souto, filhos:
     Joaquim Electo de Souza, 1.858 – 1as nupcias: Olimpia Pimenta (neta de 65); 2as., Ondina Pimenta (neta de 65)
     Jeronimo (Seo Vida) Electo de Souza, 1.863 – Lavinia Vieira da Silva (familia abaixo), *netos:
     *Jeronimo
     *Zinha
     Maria Electo de Souza – Marcelino Batista de Queiroz (familia acima)
     Leopoldina Electo de Souza – 1as nupcias: Joao Julio Ribeiro; 2as.: Dr. Edgardo Carlos da Cunha Pereira (familia abaixo). *netos:
     1as. nupcias:
     *Angela Electo Ribeiro
     2as. nupcias:
     *Vide Familia Cunha Pereira abaixo
 
          Familia Vieira da Silva
 
     Na descricao da familia, o prof. Pimenta descreve-a tendo seu chefe: Washington Jose Vieira da Silva, que fora viuvo de esposa cujo nome nao eh revelado e chegando a Pecanha ja em suas segundas nupcias com: Joaquina Candida Salazar. Ele foi o Escrivao do Cartorio de 2o. Oficio, em Pecanha. Foi substituido por seu filho, Ostinho, que permaneceu no cargo ate 1.959. 
 
     Junto  ao sr. Washington, foi morar em Pecanha a irma viuva dele: Carolina Candida de Sao Jose, e tres filhos menores. Descendencia:
 
     Washington Jose Vieira da Silva – 1as nupcias
     1. Lavina Vieira da Silva – Jeronimo (Seo Vida) Electo de Souza (familia acima)
     2. Carolina Vieira da Silva – Antonio Julio Ribeiro
 
     Washington Jose Vieira da Silva – 2as.: Joaquina Candida Salazar, filhos:
     3. Washington (Ostinho) Jose Vieira da Silva – 1as. nupcias: Julia da Cunha Pereira (filha do senador Simaozinho); 2as: Orfelina (Nazinha) Pimenta (filha de 30), * netos:
     1as. nupcias:
     *Celme da Cunha Pereira – Dr. Manoel Tomas da Fonseca
     *Dr. Carlos Vieira da Silva – Lourdes Vieira Pereira
     2as. nupcias:
     *Dr. Lucio Vieira da Silva – Violeta Pereira
     *Dr. Juarez Vieira da Silva – Julieta Carlinda Gomes
     *Eneida Vieira da Silva – Jose Ferreira de Melo
     *Aglaee Vieira da Silva – Dr. Belizario da Cunha Pereira (filho do Dr. Simao/Zulmira Braga)
     *Dr. Paulo Vieira da Silva – solteiro
     4. Oscar Vieira da Silva – 1as. nupcias: Nephitali Ramos; 2as.: Naida Franca
     5. Raul Vieira da Silva – Antonia Pereira
     6. Amanda Vieira da Silva – Americo Caldeira Brant
     7. Genesco Vieira da Silva – *Ocarlina Flora do Amaral
     8. Sebastiao Vieira da Silva – *Rosa Flora do Amaral 
     * Rosa e Ocarlina sao irmas e netas de M.3, filhas de Jurzelina Flora (irma de 20) e Eloy Pereira do Amaral (neto de R).
     9. Lafaiete Vieira da Silva – solteiro
     10. Maria Vieira da Silva – solteira
     11. Sinval Vieira da Silva – solteiro
     12. Getulio Vieira da Silva – Minervina Braga (familia acima)
 
     Carolina Candida de Sao Jose (viuva) – Jose Francisco Gomes da Silva, filhos:
     1. Jose Francisco Gomes da Silva – Julieta Flecha
     2. Lindolfo Gomes da Silva – Caetana de Almeida Sa, *netos:
       *Jose Gomes de Almeida – Zenolia Almeida
       *Araci Gomes de Almeida – Luiz Felipe de Almeida
       *Geni Gomes de Almeida – solteira
       *Arabela Gomes de Almeida – Segismundo Costa
       *Lindolfo Gomes de Almeida – solteiro
       *Dr. Arnaldo Gomes de Almeida – Maria Alice Diniz
     3. Elvira Gomes da Silva – Jose Bernardes de Oliveira, *netos:
       *Virgilio Gomes de Oliveira – Noeme de Castro
       *Gil Gomes de Oliveira – Maria das Merces Cunha
       *Elvira (Sinhazinha) Gomes de Oliveira – Dr. Adelardo da Cunha Pereira (familia abaixo)
       *Maria das Dores Gomes de Oliveira – professora, solteira
       *Iracema Gomes de Oliveira – Ismar Pereira
       *Jandira Gomes de Oliveira – solteira
       *Jacira Gomes de Oliveira – solteira
       *Maria Jose Gomes de Oliveira – Dr. Marinho Falcao, ex-juiz de direito em Pecanha.
      4. Virgilio Gomes da Silva (1.863) – Rita Barbalho*
     * Deve haver alguma relacao parental entre essa Rita Barbalho; Rita Cirino Barbalho (esposa de 50) e Cirino Jose Barbalho que, em 1.875, foi eleito 1o. Juiz de Paz, na instalacao da Vila do Rio Doce, atual Pecanha.
 
          Familia Cunha Pereira
 
     A familia “da Cunha Pereira” eh uma familia antiga na Cidade do Serro, porem, esta representada no livro A MATA DO PECANHA pela descendencia de dois irmaos. O que o professor Pimenta nao revela no livro sao os nomes dos pais de ambos: Capitao de Milicias, Simao da Cunha Pereira Filho e dona Julia Candida Ferreira Carneiro nascidos em 1.822 e 1.828, respectivamente.  
 
     Eles sao os pais do Farmaceutico, nascido em 1.863, Simao da Cunha Pereira que se casou com dona Eufrasia Vasconcelos da Cunha. Ja tinham dois filhos quando mudaram-se para Pecanha. O farmaceutico Simao foi nomeado pelo ex-governador Joao Pinheiro da Silva como Intendente de Pecanha. Entrando na politica tornou-se Agente-Executivo (prefeito municipal), deputado e senador estadual (quando a Assembleia Legislativa era constituida pelas duas camaras).
 
     Filhos do senador e dona Eufrasia:
 
     Dr. Edgardo da Cunha Pereira (deputado estadual e federal) – Alda Viana (Abaete)
     Georgina da Cunha Pereira – falecida crianca
     Dr. Simao da Cunha Pereira (Prefeito, deputado e Senador estadual) – Zulmira Braga (familia acima)
     Dr. Carlos Antonio da Cunha Pereira – Ana Braga (idem)
     Julia da Cunha Pereira – Jose Vieira da Silva (familia acima)
     Jose da Cunha Pereira – solteiro
     Adelardo da Cunha Pereira – Elvira (Sinhazinha) Gomes de Oliveira (familia acima)
     Antonio da Cunha Pereira (prefeito em Pecanha) – Maria das Merces da Cunha Pereira (familia abaixo)
     Francisco da Cunha Pereira – falecido crianca
     Desembargador em Curitiba, Francisco da Cunha Pereira – Julia da Cunha
     Esther da Cunha Pereira – farmaceutico, Jose Carlos (Zeca) Pereira, *filha:
     *Maria de Lourdes Pereira – Dr. Rafael Caio Nunes Coelho (capitulo 19)
     Ismar da Cunha Pereira (farmaceutico) – Maria Frois
     Rui da Cunha Pereira (odontologo) – Julia Nunes
     Maria da Cunha Pereira – Veterinario, Heitor Jose Pimenta (filho de 30)
     Lincoln da Cunha Pereira – falecido solteiro
 
     O segundo irmao eh o Dr. Edgardo Carlos da Cunha Pereira, nascido em 1.860 e formado em Direito. Exerceu o cargo de Juiz de Direito em Mar de Espanha, Muriae, Pecanha e Diamantina, onde faleceu. Foi o primeiro Juiz da Comarca de Pecanha.
 
     Casou-se duas vezes. A primeira com D. Maria Luiza Pereira Rabelo, filha de Jose Joaquim Ferreira Rabelo, o primeiro Barao do Serro e dona Maria Teresa Ferreira Rabelo (Mariquinha ou Quinha). Dessas primeira nupcias teve dois filhos que faleceram ainda jovens. As segundas nupcias foram com Dona Leopoldina Electo de Souza, ja mencionada acima. Filhos:
 
     1as. nupcias:
     Raul da Cunha Pereira – falecido crianca
     Sadi da Cunha Pereira – falecido aos 17 anos
     2as. nupcias:
     Maria das Merces da Cunha Pereira – Dr. Antonio da Cunha Pereira (familia acima)
     Edgardo da Cunha Pereira – solteiro
     Odontologo, Jorge da Cunha Pereira – America Cruz
     Topografo, Paulo da Cunha Pereira – Nadja da Cunha Pereira
     Professora, Vera da Cunha Pereira – solteira
     Advogado, Mario da Cunha Pereira – solteiro
 
          17. RAMO CARVALHO DE SAO PEDRO DO SUACUI
 
     O Ramo Carvalho de Sao Pedro do Suacui foi iniciado por Jose Carvalho da Fonseca que construiu sua fazenda `a beira do Ribeirao das Araras. Com sua esposa, Senhorinha Rodsa de Jesus (filha do casal M), criou ali sua familia. Estou repetindo um pouco, mas decidi fazer isso para aumentar o numero dos personagens e tambem expor melhor as ligacoes familiares com as outras cidades. Descendencia de Jose e Senhorinha:
 
     Filhos:
     Jose Carvalho da Fonseca (Juca) – Hipolita de Oliveira
     Antonio Monteiro de Carvalho – 1as. nupcias, Adelaide de Carvalho; 2as., nao revelado
     Manoel (Manoelzinho) Carvalho da Fonseca – Maria Salome (D. Inha) de Carvalho (sobrinha dele)
     Maximiano Monteiro de Carvalho – Dona Inha
     Zeferino Monteiro de Carvalho (20) – Maria Rosa (D. Sinha) de Oliveira (sobrinha Dele)
     Celestino Monteiro de Carvalho – Maria Fernandes da Silva
     Joaquim Monteiro de Carvalho – Amelia Augusta Pereira
     Maria Augusta Cesarina de Carvalho – Capitao, Francisco Nunes Coelho (capitulo 19)
     Senhorinha Candida de Carvalho – Raimundo Jose Alves (64)
     Salvina de Carvalho – Francisco Pereira Afonso (23), *neta:
     *Maria Rosa (D. Sinha) de Oliveira – Zeferino Monteiro de Carvalho (20), tio da esposa.
 
     Outros descendentes:
     1. Jose Carvalho da Fonseca (Juca) – Hipolita de Oliveira
     1.1 Maria Salome da Fonseca – Manoel (Manoelzinho) Carvalho da Fonseca (tio da esposa)
     1.2 Jurzelina Flora – Eloy Pereira do Amaral (bisneto do casal P, neto de Malaquias, filho de Miguel neto), *bisnetos:
     *Ocarlina Flora do Amaral – Genesco Vieira da Silva (capitulo 16)
     *Jose Pereira do Amaral – Modestina Gomes
     *Maria Flora do Amaral – Saint-Clair Ferreira Horta
     *Gerolisa Flora do Amral – Lindolfo Jose de Oliveira
     *Amavel Pereira do Amaral – solteiro
     *Hipolita Flora do Amaral – solteira
     *Eloy Pereira do Amaral Filho – solteiro
     *Miguel Pereira do Amaral (trineto do casal P) – Araci Amaral
     *Rosa Flora do Amaral – Sebastiao Vieira da Silva (capitulo 16)
     *Sebastiao Pereira do Amaral – Maria Braga Gomes
     *Cecilia Flora do Amaral – solteira
     1.3 Bernardina de Carvalho – Jose (Juquinha) Carvalho da Fonseca
     1.4 Francisco Carvalho da Fonseca – Georgina Alves Ferreira (cap. 18), *bisnetos:
     *Jose Urbano de Carvalho – Generosa Alves de Carvalho
     *Hipolita Augusta de Carvalho – Jose Portela de Oliveira
     *Ernestina Alves de Carvalho
     *Maria Alves de Carvalho
     *Inacio Alves de Carvalho
     1.5 Americo Carvalho da Fonseca (fazendeiro em Cantagalo) – Emilia Carvalho da Rocha, *bisnetos:
     *Josafa Carvalho da Fonseca – fazendeiro em Cantagalo
     *Antonio (Totonio) Carvalho da Fonseca
     *Petrina Carvalho
     *Maria Candida de Carvalho – Pedro Antonio Braga
     1.6 Senhorinha Carvalho da Fonseca – Antonio de Figueiredo
     1.7 Celso Carvalho da Fonseca – Arminda Rocha
     1.8 Bianor Carvalho da Fonseca – Leopoldina Rocha
    
     2. Antonio Monteiro de Carvalho – 1as. nupcias, Adelaide de Carvalho, *netos:
     2.1 Augusto Monteiro de Carvalho – Agostinha Pimenta (filha do casal D.I)
     2.2 Jose (Juquinha) Monteiro de Carvalho
          2as. nupcias, ?
     2.3 Maria Modestina de Carvalho
     2.4 Sebastiana Georgina de Carvalho
 
     4. Maximiano Monteiro de Carvalho – D. Inha, *netos
     4.1 Zeferino Carvalho
     4.2 Levi Carvalho
     4.3 Emilio Carvalho
 
     7. Joaquim Monteiro de Carvalho – Amelia Augusta Pereira, *netos
     7.1 Zeferino Augusto de Carvalho
     7.2 Senhorinha Augusta de Carvalho
     7.3 Maria Amelia de Carvalho – Francisco de Assis Franca (viveram em Pecanha)
 
          18. RAMO CARVALHO DE SAO JOSE DO JACURI
 
     Este ramo foi comecado por Manoel Carvalho e sua esposa Maria Rosa (ou Rosa Maria). A cidade de origem deles eh Gouveia. Foram para as Matas do Pecanha por volta de 1.830. O professor Pimenta informava sua suspeita de Manoel ter sido irmao de Jose Carvalho da Fonseca, do ramo de Sao Pedro do Suacui.
 
     Dois precursores desse ramos sao dois dos genros do casal, Vicente Alves Ferreira e Joao Paulo Alves. Ambos teriam saido tambem de Gouveia, por desavencas familiares, e, procurando a protecao do casal, permaneceram na propriedade no Corrego D’Anta, casando com filhas de Manoel e Maria Rosa. Os dados encontrados pelo professor Dermeval, contudo, abrangem so os dados da descendencia de Vicente Alves e nao a de Joao Paulo. Segue entao, filhos:
 
     1. Francisca Maria de Souza – Vicente Alves Ferreira
     2. Silveria Maria de Jesus (ou Silveria Carvalho da Rocha) – Antonio Alves da Rocha
     3. Serafim Carvalho de Souza – Ines Maria da Silva
     4. Manoel Carvalho de Souza – Indigena, Francelina Catarina de Souza
 
     1. Francisca Maria de Souza – Vicente Alves Ferreira, descendentes:
 
     1.1 Emidio Alves Ferreira (54) – Emilia Ribeiro Alves
     1.2 Vicente Alves Ferreira – Maria Rosa da Rocha, *descendentes:
          *Inacio Alves Ferreira
          *Agueda Alves Ferreira
          *Georgina Alves Ferreira – Francisco Carvalho da Fonseca (cap. 17)
          *Ernestina Alves Ferreira – casada com, ? Rocha
          *Maria Alves Ferreira – Alexandrino Raposo
     1.3 Luiz Alves Ferreira – casado com: ? *descendente:
          *Conrado Alves Ferreira – Idalina Queiroz Alves
 
     4. Manoel Carvalho de Souza – Indigena, Francelina Catarina de Souza, *descendentes:
        *Josefina Carvalho de Souza – Coronel, Cornelio Jose Pimenta (30)
        *Maria Hipolita Carvalho de Souza – Modesto Ferreira da Mata (Paulistas), Filha:
          Modestina da Mata – Dr. Heitor Nunes Coelho (capitulo 19)
        *Josefino Carvalho de Souza Sobrinho – Maria Ribeiro da Silva (filha de 54), filhos:
          Jose Carvalho de Souza – Julia Gomes Pains
          Ocarlina Carvalho de Souza – Josefino Gomes Pains
          Sebastiana Carvalho de Souza – Manoel Lopes
          Maria Carvalho de Souza – Augusto Lopes
        *Cesar Augusto de Carvalho – Maria Candida de Carvalho, filhos:
          Maria Augusta de Carvalho – Giovani de Oliveira Costa (bisneto de M e neto de D)
          Belminda Augusta de Carvalho – Agenor Polidoro Monteiro
          Cesar Augusto de Carvalho Junior – Efigenia Andrelina de carvalho
          Cesarina Augusta de Carvalho – Dr. Luiz Augusto do Amaral (filho de 52)
          Joao Augusto de Carvalho – solteiro
          Violeta Augusta de Carvalho – Juventino Fernandes de Aguiar
          Oswaldo Augusto de Carvalho – Emilia Leao
        *Cesarina (Nhazinha) de Carvalho – Clarimundo Jose Alves (filho de 64), filhos:
          Jaime Jose Alves – 1.891
          Carnot Jose Alves – Corina da Silva Amaral (filha de 85, neta do casal T)
        *Modestino Carvalho de Souza – Francisca de Carvalho, filhos:
          Maria Jose Carvalho – Jaime Nunes de Miranda (capitulo 19), filhos:
          1. Maria Augusta Nunes de Miranda – 1as. nupcias, Mario Miranda Filho; 2as., Sebastiao da Silva Roque
          2. Mario Nunes de Miranda – Maria Procopio
          3. Jose Miranda Sobrinho – Carmelita Tomaz
          4. Idelberto Carvalho de Miranda – Nelia Martins de Oliveira (natural de Pecanha)
          5. Lourdes Carvalho de Miranda – Ubirajara Medina de Oliveira
          6. Jaime de Miranda Filho
          7. Violeta de Miranda – Geraldo de Oliveira
          8. Geraldo Nunes de Miranda -
          9. Nara de Miranda – Daniel Caldeira
 
          19. ALGUMAS FAMILIAS ANTIGAS EM GUANHAES
 
     No livro A MATA DO PECANHA temos a apresentacao apenas de cinco familias em Guanhaes. Sao elas: Coelho, Nunes Coelho, Cafe, Ribeiro de Carvalho e Catao. Ali a familia Rodrigues Coelho foi apresentada como outro exemplo de familia mas ela nada mais eh que um dos ramos da Familia Coelho de Magalhaes. Tambem, as Familias Cafe e Ribeiro de Carvalho tem uma origem comum unica entre elas, portanto, nao devem ser contadas como duas.
 
     O empenho empregado no decifrar dos vinculos familiares em Guanhaes devem ter sido minimos. Mas creio que o motivo para isso pode ter sido os livros que ja existiam a respeito do assunto ou que estavam por vir. Refiro-me aos: “Algumas Notas Genealogicas”, do professor, 2.5.2.2 Nelson Coelho de Senna (1.939) e “Notas Historicas de Guanhaes”, de 2.5.3.2.1 Innocente Soares Leao (1.967). 
 
     Um terceiro livro: “Epopeia de Pioneiros” (1.967), de autoria de Edmar Campelo Costa, tambem pode ter incluido muitas informacoes que se tornaram desnecessario repetir. Embora, na atualidade, essa verdade se esvaziou porque os livros se tornaram antigos e nao sao tao faceis de te-los ao nosso alcance.
 
     Assim como muitas familias em Guanhaes deixaram de ser apresentadas, como os exemplos: Miranda, Oliveira, Lott, Leao, Barroso, Ferreira da Silva etc, tambem as familias apresentadas no livro o foram de forma incompleta. Assim, vou repetir os dados mostrados no livro do professor Pimenta, completando-os, principalmente, com os dados encontrados no livro: “Arvore Genealogica da Familia Coelho”, de autoria da prima: Ivania Batista Coelho.
 
     Espero que consiga continuar apresentando, de forma mais simples possivel, os vinculos que existem entre todas as familias da regiao Centro-Nordeste de Minas Gerais.
 
          Casal U – Giuseppe Nicatisi da Rocha – Maria Rodrigues de Magalhaes Barbalho
 
     Este casal tem sido apresentado como sendo os pais de Eugenia Rodrigues da Rocha, que teria nascido por volta de 1.866. Esta data remete o nascimento da mae dela para as decadas de 30 a 40. Interessante observar-se aqui eh: o casal A, no capitulo 12, Manoel Vaz Barbalho e Josefa Pimenta de Souza, casou-se em Milho Verde, Distrito do Serro, no ano de 1.732.
 
     O professor Dermeval Jose Pimenta trabalhou apenas com parte da descendencia de uma das filhas do casal A, dona Isidora Maria da Encarnacao. Ele talvez tenha perdido a oportunidade de encontrar mais um vinculo que unisse as duas familias, podendo a ancestral Maria ser irma de Isidora.
 
     Mas, como nessa parte ele restringiu-se `a propria ascendencia, ha tambem a possibilidade de outros Barbalho da mesma familia de Manoel Vaz terem migrado junto com ele para os antigos dominios da Vila do Principe (Serro). Esta pode ser uma segunda explicacao aceitavel para a presenca do nome Barbalho encontrado na avo Maria.
 
     Numa hipotese mais pessimista, o sobrenome da avo Maria pode ter aparecido por engano ou, talvez, como homenagem a algum padrinho, que ate poderia ser o proprio Manoel Vaz Barbalho. Assim, o nosso parentesco seria apenas por afinidade.
 
          Casal V – Eugenia Rodrigues Rocha – Jose Coelho de Magalhaes
 
     Jose Coelho de Magalhaes foi Alferes de Milicia, natural de Portugal e nascido por volta de 1.850. Relendo o texto de autoria do professor Nelson Coelho de Senna, reproduzido no livro da prima Ivania, ha um senao a ser salientado. Em notas anteriores eu pensei que o professor houvesse dito que Jose Coelho de Magalhaes tivesse nascido na Freguesia de Cete, Concelho de Paredes, antiga Provincia do Entre Douro e Minho.
 
     A verdade, porem, eh outra. Ele menciona a Freguesia como a area donde o sobrenome Coelho se multiplicou a partir da descendencia de Egas de Moniz, o Aio. As margens do Rio Douro houve uma terra chamada “Coelha” ou “Coelhosa”, onde se deu o Morgadio dos Coelho. Desde entao, 1.180 ate 1.750, os Coelho ja haviam se espalhado por todo Portugal e Colonias, portanto, sem provas documentais, nao ha como afirmar-se que o avo Jose tenha nascido la.
 
     Tirando essa inconveniencia temos outra. O professor Nelson tambem sugere que Jose Coelho de Magalhaes procedesse de outro portugues, Manuel Rodrigues Coelho. Como ele nao disse que fosse filho, ou neto, ou coisa que o valha, nada podemos afirmar quanto a isso. Manuel Rodrigues Coelho foi uma figura proeminente em pleno Ciclo do Ouro, possuindo lavras de ouro no atual Distrito de Santa Rita Durao, Municipio de Mariana.
 
     O problema eh que, ja em 1.719, era tesoureiro da Camara Municipal de Vila Rica. O que leva sua data de nascimento para uns 25 anos atras, pelo menos. Como ele amealhou fortuna polpuda em sua atividade economica, recebeu Cartas de Sesmarias no ano de 1.744 e fez contribuicoes para a construcao do Santuario de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo, comecado a erigir em 1.767, nao ha indicativo de que tenha ido a Portugal para tornar-se pai do alegado rebento.
 
     A unica possibilidade de a sugestao do professor Nelson nao estar incorreta seria se o Manuel Rodrigues Coelho, portugues, tivesse tido um filho com o mesmo nome. Ai nao importa se fosse portugues o brasileiro. Importa que este tivesse ido a Portugal, por qualquer motivo, e la constituido familia. Assim, poderia ter um filho portugues, sendo ele Jose Coelho de Magalhaes. Mas nada valem minhas especulacoes porque, em genealogia, o que vale mesmo sao os registros documentais.
 
     Certo eh que Eugenia Rodrigues Rocha casou-se com Jose Coelho de Magalhaes. Alega-se que tenham residido na propriedade de nome Axupe, na cidade de Morro do Pilar. Contudo, ao longo da Historia, as divisoes politicas do Estado de Minas moveram muito. Pode ser que a Fazenda do Axupe seja uma encontrada atualmente na cidade de Conceicao do Mato Dentro. Ali nasceram os filhos:
 
     Capitao, Jose Coelho de Magalhaes Filho (1.782) – Luiza Maria do Espirito Santo
     Capitao, Joao Coelho de Magalhaes (1.785) – Bebiana Lourenca de Araujo
     Antonio Coelho de Magalhaes – solteiro
     Felix Coelho de Magalhaes – solteiro
     Clara Maria de Jesus – solteira
 
     Aqui ha que se fazer outras observacoes. O professor Pimenta apontou Joao como sendo o mais velho na familia, nascido em 1.775. Como o livro da Ivania registra-o como nascido em 19.03.1.785 e falecido em 19.03.1.879, imagino que essas datas sejam as corretas.
 
     A data do falecimento foi muito mais proxima de nossos atuais dias, portanto, mais facil de ter sido comprovada tanto por documentacao quanto por memoria. Porem, se houvesse nascido 104 anos antes do falecimento, naquela epoca, a tradicao teria mantido como um fato fenomenal. Falecido aos 94 anos teria garantido seu lugar como lenda para a tradicao familiar. Mas o fato perde a importancia `a medida que outros familiares atingiram a mesma idade e superaram o record. 104 seria record ate hoje.
 
     Outro detalhe na familia tambem sao os personagens com nome duplo. A ancestral Eugenia Rodrigues Rocha foi tambem conhecida como Eugenia Maria da Cruz, dai alguns fazerem confusao com a neta com este nome. O proprio Alferes de Milicia, Jose Coelho de Magalhaes, pode ter sido conhecido como Jose Coelho da Rocha.
 
     Ha que se entender isso. Ele proprio jamais adotaria o sobrenome da esposa. Contudo existem indicios de que o sobrenome “da Rocha” foi um sobrenome de impacto na regiao por eles habitada. Como ele seria um estranho ao meio, mas casado na familia de proeminencia, o povo de um modo geral devia sentir-se `a vontade para apelida-lo como Jose Coelho da Rocha. E isso indenpendia da vontade dele.
 
     O mesmo fato aconteceu com o filho. Jose Coelho de Magalhaes Filho tornou-se mais conhecido como Jose Coelho da Rocha e ha indicios de que os irmaos tambem fossem conhecidos com a mesma alcunha.
 
          Casal W – Antonio Jose Moniz – Manuela do Espirito Santo
 
     Deste casal nossas tradicoes praticamente nada guardaram. Porem ha a mencao de que Luiza Maria do Espirito Santo tenha nascido no Corrego Prata. Ha um Corrego da Prata (curso d’agua) que corre nas terras de Conceicao do Mato Dentro. Fazendo um curso semelhante tambem existe o Corrego Axupe.
 
     Deduz-se disso que Antonio Jose Moniz e Manuela do Espirito Santo fossem fazendeiros em Conceicao do Mato Dentro. Nisso se encaixa o registro de nascimento da avo Luiza naquela cidade, tambem foi a cidade em que residiu com o marido, Jose Coelho de Magalhaes Filho, tiveram os primeiros filhos, antes de se mudarem e se unirem a outros pioneiros na fundacao de Sao Miguel e Almas de Guanhaes, atual cidade de Guanhaes.
 
          Casal X – Eusebio Nunes Coelho – Ana Pinto de Jesus
 
     Ao que se tem noticias, o casal se formou em Sao Domingos do Rio de Peixe, atual Dom Joaquim, Minas Gerais. Ele tinha por pai a Manuel Nunes Coelho. Vivia na Fazenda Folheta onde deu-se `a luz aos filhos. Ja com a familia encaminhada mudou-se para Guanhaes, onde adquiriu a Fazendo do Grama, que ficava a quatro quilometros do nascente arraial. Descendencia:
 
    1. Clemente Nunes Coelho, 1.806 – casado, filhos:
    1.1 Prudencio Nunes Coelho
    1.2 Antonio Nunes Coelho
    1.3 Maria Honoria Nunes Coelho – Tenente, 1.5 Joao Batista Coelho (capitulo 21)
 
    2. Tenente, Joaquim Nunes Coelho, 1.814 – 1.3 Francisca Eufrasia de Assis Coelho (capitulo 21), filhos:
    2.1 Eusebio Nunes Coelho Neto – falecido crianca
    2.2 Joaquim (Quinsoh) Nunes Coelho – 1.5.4 Sebastiana Honoria Coelho
    2.3 Jose Nunes Coelho – *1.5.1 [Emygdia de Magalhaes Barbalho]
    2.4 Emygdio Nunes Coelho
    2.5 Rita Nunes Coelho
    2.6 Lino Nunes Coelho
    2.7 Autino Nunes Coelho
    2.8 Joao Nunes Coelho – *1.6.2 Petronilha (Pitu) de Magalhaes Barbalho
    2.9 Miguel Nunes Coelho – *1.6.8 Ambrosina (Sinhah) de Magalhaes Barbalho
    2.10 Luiza Nunes Coelho
 
    *Estes asteriscos serao para lembrar que no livro da Ivania os casamentos destes 3 irmaos com as 3 irmas nao estao assinalados. A informacao que tenho confirmada eh do casamento de tia Sinhah com Miguel. No livro, o marido da tia Emygdia esta identificado como Jose Coelho Nunes, que poderia ser outra pessoa, porem, devido `as circunstancias e ao fato de os filhos terem recebido o sobrenome Nunes Coelho, penso que eu esteja correto em minha suposicao. Ja o caso de tia Pitu e Joao, nada indica que houvesse outro Joao Nunes Coelho para este casamento.
 
     3. Francisco Nunes Coelho, 1.820 – Maria Augusta Cesarina de Carvalho (capitulo 17)
     3.1 Salathiel Nunes Coelho – Maria Julia Campos
          3.1.1 Maria Augusta Campos Nunes – Claudionor Augusto Nunes Coelho 3.6, abaixo
          3.1.2 Zulmira Nunes de Campos Rosa
          3.1.3 Leonor Nunes Coelho
          3.1.4 Odon Nunes Coelho
          3.1.5 Augusto Nunes Coelho
     3.2 America Nunes Coelho – Pedro de Oliveira Braga
          3.2.1 Gabriel Braga
          3.2.2 Levi Braga
          3.2.3 Petrina Braga
     3.3 Dr. Heitor Nunes Coelho (Juiz de Direito) – Modestina Ferreira da Mata (capitulo 18)
          3.3.1 Heitor Nunes Coelho Filho
     3.4 Dr. Francisco Augusto Nunes Coelho (medico e senador) – 1.4.4 Inah de Carvalho (familia abaixo)
          3.4.1 Maria Augusta Coelho – Luiz Franzen de Lima
          3.4.2 Dr. Rafael Caio Nunes Coelho (deputado) – Maria de Lourdes Pereira (capitulo 16)
          3.4.3 Maria do Rosario Coelho – Paulo Ferreira da Silva (capitulo 21)
          3.4.4 Myrian Nunes Coelho – Angelo de Faria Melo
          3.4.5 Miguel Getulino Nunes Coelho
          3.4.6 Maria da Conceicao Nunes Coelho
          3.4.7 Geraldo Augusto Nunes Coelho
          3.4.8 Maria do Amparo Nunes Coelho
          3.4.9 Jose Mauricio Nunes Coelho
          3.4.10 Maria Antonieta Nunes Coelho – Osvaldo Torquato
          3.4.11 Maria Monica Nunes Coelho
          3.4.12 Roberto Borges Nunes Coelho
          3.4.13 Ieda Nunes Coelho – Mario Szerman
     3.5 Maria Augusta Nunes Coelho – Maximo Carlos de Miranda
          3.5.1 Jose Nunes de Miranda
          3.5.2 Benedito Nunes de Miranda
          3.5.3 Jaime Nunes de Miranda – Maria Jose Carvalho (capitulo 18)
          3.5.4 Francisco Nunes de Miranda
          3.5.5 Efigenia Nunes de Miranda
     3.6 Claudionor Augusto Nunes Coelho (farmaceutico) – Maria Augusta Campos Nunes
          3.6.1 Oto Nunes Coelho
          3.6.2 Hermes Nunes Coelho
          3.6.3 Claudionor Nunes Coelho Junior (1o.)
          3.6.4 Maria Nunes Coelho
          3.6.5 Hamilton Nunes Coelho
          3.6.6 Hortencia Nunes Coelho
          3.6.7 Iolanda Nunes Coelho
          3.6.8 Claudionor Nunes Coelho Filho
          3.6.8 Ida Nunes Coelho
          3.6.9 Dinah Nunes Coelho
          3.6.10 Francisca Nunes Coelho
     3.7 Etelvina Nunes Coelho – solteira
     
     4. Bento Nunes Coelho
 
     5. Antonio Nunes Coelho, 1.829 – casado. A respeito deste Antonio Nunes Coelho, consta que residiu em Pecanha e, em 1.871, foi eleito membro da Junta de Qualificacao Eleitoral. Na constituicao da Vila do Rio Doce (atual Pecanha), em 1.875, foi 3o. suplente do Colegio Eleitoral da Freguesia. Infelizmente, nao temos o acompanhamento genealogico da descendencia dele, mas eh possivel que tenha deixado descendentes na atual Cidade de Cantagalo, vizinha de Pecanha.
 
     Hao outras curiosidades a respeito dessa familia. Na pagina 20 do livro da Ivania ela ressalta que houveram tres casamentos de irmaos com outros tres da familia dos trisavos 1.8 Antonio Rodrigues Coelho e Maria Marcolina Borges do Amaral. Ela diz que os casamentos se deram “contra” tres filhos de Clemente Nunes Coelho e Ana Maria.
 
     Bom, analisando a bibliografia ao nosso alcance, nao encontramos outro Clemente Nunes Coelho alem do primeiro filho dos avos Eusebio/Ana. Contudo, na Ata de Constituicao de Guanhaes, datada de 1.879, esta escrito que: o territorio de Guanhaes “Principia pelo lado da freguezia de Sao Sebastiao (Sabinopolis) na Fazenda de Bento Nunes Coelho e Clemente Nunes Coelho, comprehendendo o Ribeirao da Lagoa.”
 
     Este registro demonstra que o ancestral Clemente, pai de Prudencio, Antonio e Maria Honoria estava ainda na ativa e que, possivelmente, tinha um segundo casamento, tornando-se pai dos tios-bisavos: Pio, 1.864; Vitalina, 1.865 e Marcolina, 1.867, respectivamente casados com: 1.8.4 Josephina Marcolina, 1.8.3.Altivo e 1.8.2 Lindolpho Rodrigues Coelho. Porem, esse detalhe ainda nao foi esclarecido por nenhum de nossos genealogistas.
 
     Este meu calculo de que ele teria tido dois casamentos baseia-se no fato de a Maria Honoria ter se tornado mae do trisavo Joao Batista Coelho Junior em 5-4-1.846. Isso joga o proprio nascimento dela para 1.830 ou data anterior. Como a data referencia que temos para o avo Clementeter nascido eh a de 1.806, as datas do nascimento dela e tios Prudencio e Antonio (sobrinho) estao esprimidas no limite 1.825-30.
 
     Nesse caso, seria perfeitamente possivel para um homem ter mais filhos um pouco mais de 30 anos depois, quando estivesse contando por volta dos seus 60 anos. Mas seria muito improvavel que a mesma mulher tivesse uma leva de filhos numa decada, mesmo que comecasse a te-los nos seus 14 anos de vida, e outra leva mais de tres decadas depois.
Mas, outra vez, somente a analise de documentos podera decifrar mais esse misterio!
 
          Familias Cafe e Ribeiro de Carvalho
 
     As duas familias tem o fato curioso de terem sido comecadas por uma mesma matriarca e dois patriarcas diferentes. Ela foi dona Dina Flora de Macedo Bastos, natural de Conceicao do Mato Dentro. O primeiro casamento foi com alguem que nao se tem o primeiro nome mas, obviamente, o sobrenome era cafe. Dai nasceram:
 
     1. Dina Flora de Macedo Bastos – Senhor Cafe, descendencia:
     1.1 Bernardo Ribeiro de Aguiar Cafe – Angelina Generosa, pais de:
     1.1.1 Dr. Benjamim Cafe (advogado) – 1.4.3 Maria Antonieta de Carvalho, residiram em Sao Paulo
     1.1.2 Estefania Cafe – 1as. nupcias: Dr Gil Pereira da Silva (Juiz de Direito), filhos:
     1.1.2.1 Gil Pereira da Silva
     1.1.2.2 Boecio Pereira da Silva
     1.1.2 Estefania Cafe – 2as. nupcias: Y.3 Joao Candido de Oliveira (capitulo 21), filhos:
     1.1.2.1 Dr. Bernardo Cafe de Oliveira (medico, ? 2.5.9.1.3 Amelia Hedy?)
     1.1.2.2 Conceicao Cafe de Oliveira
     1.1.3 Atenagoras Cafe – Maria Candida Campos
     1.1.4 Maria Generosa Cafe – 1.4.1 Xisto Ribeiro de Carvalho
     1.1.5 Enedina Cafe – Bernardino Carvalhais da Silva
     1.1.6 Georgina Cafe – Dr. Joao Lopes da Silva (medico)
     1.1.7 Antenor Cafe – 1.8.8.6 Corina Ferreira da Silva (capitulo 21)
     1.1.8 Candida Cafe – Professor, 1.8.8.5 Emidio Ferreira da Silva Jr. (Engenheiro de Minas)
     1.1.9 Dr. Bernardo Cafe Filho (advogado) – Maria Cafe
     1.1.10 Otavio Cafe – Zelia Moura e Silva
     1.1.11 Mario Cafe – Jacinta Carvalhais
     1.2 Padre, Venancio Ribeiro de Aguiar Cafe (Estudou no Caraca e Diamantina. Foi fundador do Colegio em Guanhaes e eleito deputado.
 
     1. Dina Flora de Macedo Bastos – Firmiano Ribeiro de Carvalho, descendencia:
     1.3 Ernesto Ribeiro de Carvalho – foi casado e viveu em Sao Paulo
     1.4 Dr. Getulio Ribeiro de Carvalho (advogado, deputado estadual e federal) – Maria Moreira Pinto, filhos:
     1.4.1 Xisto Ribeiro de Carvalho – 1.1.4 Maria Generosa Cafe
     1.4.2 Dina Ribeiro de Carvalho – Dr. Adauto do Nascimento Feitosa (Juiz de Direito)
     1.4.3 Maria Antonieta de Carvalho – 1.1.1 Dr. Benjamim Cafe (advogado)
     1.4.4 Inah de Carvalho – X.3.4 Dr. Francisco Augusto Nunes Coelho (acima)
     1.4.5 Sarah de Carvalho – Venancio Machado
     1.4.6 Hilarina de Carvalho – Dr. Alcindo Pereira da Silva
     1.4.7 Ortiz Ribeiro de Carvalho – Edith Marques
     1.4.8 Ines de Carvalho – professora, solteira
 
     Aqui ha que se especular um pouco, porem, tendo em mente que especulacao vale apenas como instrumento de investigacao em genealogia. Por meio da especulacao faz-se previsoes que podem, ou nao, ajudar em investigacoes futuras.
 
     Talvez tenha faltado ao professor Pimenta a curiosidade ou nao tenha ligado os fatos. Porem, ao voltarmos ao tronco Pimenta-Vaz Barbalho encontramos que a trisavo paterna dele, Isidora Maria da Encarnacao, casou-se com o capitao Antonio Francisco de Carvalho, que foi, “durante muitos anos, sindico-geral dos Santos Lugares, na Comarca do Serro Frio” (atual Cidade do Serro).
 
     Dai ele explora apenas um pouco da descendencia da tia-bisavo dele, Vitoriana Florinda de Ataide; e do bisavo: Boaventura Jose Pimenta. O sobrenome “Jose Pimenta”, segundo ele, foi uma homenagem `a avo deste, dona Josefa Pimenta de Souza, a esposa do avo, Manoel Vaz Barbalho.
 
     Contudo, ele revela que Vitoriana e Boaventura tiveram outros sete irmaos: Joao (1.761), Antonio (1.764), Luciano (1.766), Mariana (1.767), Jose (1.769), Francisco (1.771) e Bernardo (1.776). Estes dados, possivelmente, devem ter sido retirados de registros de batismos por aparecerem somente o primeiro nome dos personagens. E o professor Pimenta, pelo menos na edicao de 1.966 do livro dele, nem sequer especulou a respeito dos possiveis sobrenomes adotados por estes parentes dele que, quase certamente, conteriam o Carvalho.
 
     Pelas datas de nascimentos dos homens nesta familia, eles teriam idades suficientes para terem sido pais ou avos dos senhores: Manoel de Carvalho (capitulo 18), bisavo materno do professor Dermeval; Jose Carvalho da Fonseca, tio-bisavo-afim paterno do mesmo e o patriarca dos Carvalho de Guanhaes, Firmiano Ribeiro de Carvalho.
 
     Tudo pode nao passar apenas de uma simples coincidencia. E para o bem da saude genetica das familias que descendem simultaneamente de dois ou mais deles e mais de uma vez de um ou de todos, tomara que assim seja. Mas a propria ascendencia de dona Josefa Pimenta de Souza conspira contra isso, pois, fora filha, neta e bisneta de homnes que portaram a alcunha Pimenta de Carvalho. Tendo origem em Vila Vicosa, Alentejo, e estabelecido no Rio de Janeiro desde os anos 1.640.
 
     Conclua-se ai ser de interesse procurar as informacoes documentais que confirmem ou que neguem qualquer especulacao nascida dos fatos. Pode ser, por outro lado, que os Carvalho tenham uma origem comum, porem, um tanto remota em Portugal e que todos ou parte dos quatro ramos identificados acima tenham permanecido separados por varias geracoes antes de se reencontrarem, nao havendo ai nenhum risco genetico resultante deste reencontro.
 
          Familia Catao
 
     O professor Dermeval identificou Portugal como a origem da familia, sem especificar o lugar exato. Segundo ele, o professor Manoel Alves de Oliveira Catao, ja entao estabelecido em Ourto Preto, recebe o irmao dele Augusto Cesar Alves Catao. Este forma-se em Farmacia e, em 1.870, muda-se para Guanhaes, onde se casa com Julia Augusta Carvalhais, filha de Santos Carvalhais e Livia Justina de Gouveia.
 
     Nao entendi, porem, um lapso ou omissao cometido nessa familia. Eh que, na introducao, pagina 11, o professor Pimenta externa seus agradecimentos ao entao governador do Estado de Minas Gerais, Jose de Magalhaes Pinto, por ter julgado o trabalho dele digno e de valor historico, o suficiente para ser impremido na Imprensa Oficial do Estado. Eh que, segundo a prima Julia Ilce Catao, ha um grau de parentesco proximo entre o Catao em Guanhaes e dona Berenice Duque Vieira Catao, esposa do ex-governador, e nao revelado no livro. Mas estes sao detalhes a ser pesquisados.
 
     Segue entao:
 
     1. Augusto Cesar Alves Catao – Julia Augusta Carvalhais, filhos:
     1.1 Alexina Catao – 1as. nupcias: Joao Bonefoi; 2as.: Professor, Alvaro Novais
     1.2 Valentina Catao
     1.3 Amadeu Catao – 2.5.3.4 Olinda Coelho Leao (capitulo 20)
     1.4 Francisco (Chico) Catao – 1.6.4.9 Olga de Magalhaes Barbalho
     1.5 Dimas Catao – Eucalina Carvalhais
     1.6 Colombo Catao – Josefina Carvalhais
     1.7 Silvio Catao (foi tabeliao do 1o. Oficio em Guanhaes) – Zinah (Catao)
 
     Novamente, em meu parecer, o professor Pimenta perdeu boa oportunidade ao nao dedicar um pouco de tempo a familia Carvalhais. O sobrenome ja aparece em Ursula e Minervina Carvalhais, primeiras e segundas nupcias de Hermenegildo Jose Pimenta, um neto de Vitoriana Florinda de Ataide e sobrinho-neto de Boaventura Jose Pimenta, um dos bisavos paternos do professor Dermeval.
 
     Hermenegildo era filho do pai de mesmo nome que tinha por apelido Hermenegildao. Ele eh pai de dona Julia (Sinha) Pimenta (104), esposa de Oscar Falcao Metzker. Eh tambem irmao de dona Amelia Candida Pimenta, esposa de Pedro Delfino dos Reis, que sao os pais de dona Alice dos Reis, esposa do sr. Alipio Teixeira, avos de pessoas associadas aos Coelho, em Virginopolis.
 
     Alem de outras ligacoes, temos na Familia Coelho a ancestral Maria Rosa do Espirito Santo Carvalhais ou Maria Rosa dos Santos Carvalhais. Essa era a esposa de Joaquim Pereira do Amaral que ainda nao tivemos a oportunidade de conecta-lo ao casal P, capitulo 12, por ignorarmos os nomes dos pais de ambos. Os tetravos Joaquim/Maria Rosa sao os pais de Quiteria Rosa (Titi) do Amaral, esposa de 1.5.1 Joao Batista Coelho Junior, que vao entrar nos dados da Familia Coelho de Virginopolis e Guanhaes.
 
     Aqui tambem apresento a minha suspeita em torno do nome da tetravo Maria Rosa. Pode ser que ai haja uma ligacao mais intima entre nos e a familia Catao, via o lado Carvalhais. Como a Ivania apresentou os dois nomes para ela, sem ter explicado a origem, penso poder ser ela: Maria Rosa do Espirito Santo Carvalhais, filha de Santos Carvalhais. Nesse caso, poderia ser uma irma mais velha da dona Julia Augusta, prima ou tia desta. Tudo depende se houve um Santos Carvalhais filho e outro pai.
 
     Novamente, eh apenas especulacao. Mas eh dificil crer que houvessem tantos Carvalhais numa regiao relativamente pequena, com uma populacao visivelmente reduzida e nao houvesse nenhum vinculo parental entre todos.
 
          20. FAMILIA COELHO DESCENDENTE DO CAPITAO JOAO
 
     O Capitao Joao Coelho de Magalhaes foi o segundo filho do casal V, capitulo 19. Eh dito que casou-se com sua prima Bebiana Lourenca de Araujo mas nao tenho as informacoes do como se da o parentesco. Casou-se em 1.804 e tornou-se um dos primeiros moradores do Arraial de Sao Miguel de Guanhaes. Foi, em 1.832, juntamente com seu irmao, Capitao Jose Coelho de Magalhaes e os senhores Jose Joaquim de Carvalho e Antonio Lourenco (vulgo Fuba), eleito Juiz de Paz de Guanhaes, sendo outras vezes reeleito. Morou na Rua do Paqueta, na Casa do Engenho.
 
     Nasceu na Fazenda do Axupe, Morro do Pilar, em 19 de marco de 1.785 e faleceu em Guanhaes nos mesmos 19 de marco, em 1.879. Descendencia:
 
     2. Capitao, Joao Coelho de Magalhaes – Bebiana Lourenca de Araujo
     2.1 Joao Coelho de Araujo – Ana Rocha
     2.2 Capitao, Joaquim Coelho da Rocha – Maria Cunha de Souza
     2.3 Cassiano Coelho da Rocha – Joaquina Simpliciana
     Estes tres primeiros filhos do Capitao Joao casaram-se e residiram em Diamantina, onde deixaram descendencia, porem, em ambas as literaturas consultadas ela nao foi documentada.
     2.4 Eufrasia Coelho de Araujo – Jose de Queiroz
     2.5 Emilia Brasiliana Coelho da Rocha – Jose (Jose Querino) Coelho da Rocha Ribeiro
     2.6 Maria Eugenia (Mana) Coelho – 1as nupcias: Duarte Bastos de Carvalho 2as.: Tenente, Jose Felicio
 
     2.4 Eufrasia Coelho da Rocha – Jose de Queiroz
          Residiram em Guanhaes, tiveram descendencia mas nao lhes temos os dados.
 
     2.5 Emilia Brasiliana Coelho da Rocha – Tenente, Jose Querino, descendencia:
     2.5.1 Capitao, Joaquim Coelho da Rocha – Julia Rodrigues Rocha
     2.5.1.1 Emilio Coelho da Rocha – 1as. nupcias, casou com uma tia materna
     2.5.1.1.1 Dr. Levy Rocha
     2.5.1.1. Emilio Coelho da Rocha – Vicentina (ES)
     2.5.1.1.2 Nelsina
 
     2.5.2 Maria (Mariquinhas) Brasiliana Coelho – Cel., Candido Jose de Senna (43, 2as. nupcias dele)
     2.5.2.1 Candido de Senna – falecido crianca
     2.5.2.2 Nelson Coelho de Senna – Emilia Gentil Horta Gomes Candido, descendentes:
     2.5.2.2.1 Dr. Caio Nelson de Senna (advogado e deputado) – Amanda de Barros Pinheiro (irma da esposa de 30j)
     *(Obs. Sao avos do Raul Bernardo Nelson de Senna Neto – atleta olimpico)
     2.5.2.2.2 Dr. Mucio Emilio Nelson de Senna (medico) – Sylvia Amelia (Amelinha) de Mello Franco
     *(Obs. 2 netos deste casal casaram-se com membros da familia Real brasileira)
     2.5.2.2.3 Yolanda Consuelo Nelson de Senna – Dr. Marcelo Silviano Brandao (advogado)
     2.5.2.2.4 Maria Emilia Nelson de Senna – Ronan Rodrigues Borges (familia de Uberaba)
     2.5.2.2.5 Dr. Fabio Nelson de Senna (medico) – Mercedes Pinto Moreira
     2.5.2.2.6 Dr. Lucio Otavio Nelson de Senna (medico) – Ceres Nunes Braga
     2.5.2.2.7 Dr. Jose Flavio Nelson de Senna (advogado) – Naytres Resende Luciano Pereira
     2.5.2.3 Maria Emilia de Senna – falecida crianca
     2.5.2.4 Candido de Senna (2o.) – falecido cricanca
     2.5.2.5 Agenor de Senna – falecido crianca
     2.5.2.6 Antenor de Senna – falecido crianca
 
     2.5.3 Agueda (Gueda) Coelho – Major, Innocente Leao Freire
     2.5.3.1 Maria Eugenia Leao – Capitao, Gabriel da Silva Lott
     2.5.3.2 Benjamin Coelho Leao – Carina Coelho Soares, filho:
     2.5.3.2.1 Dr. Innocente Soares Leao (advogado e autor) – Maria Carsalade Guimaraes 
     2.5.3.3 Adelina Coelho Leao – 1.5.3.5 Fernando Batista Coelho (capitulo 21)
     2.5.3.4 Olinda Coelho Leao – Amadeu Catao (capitulo 19)
     2.5.3.5 Jose Leao – Alzira Nunes Coelho, descendencia:
     2.5.3.5.1 Maria Jose Coelho Leao – 1.8.2.10 Amintas Rodrigues Coelho (capitulo 21)
     2.5.3.5.2 Helio Coelho Leao – Laura Maria Leao
     2.5.3.5.2.1 Mirtes Coelho Leao
     2.5.3.5.3 Joao Coelho Leao
     2.5.3.5.4 Angelica Coelho Leao – Geraldo Sette de Abreu
 
     2.5.3.6 Hildebrando Coelho Leao
     2.5.3.7 Emilio Coelho Leao – Maria Pereira Leao
     2.5.3.8 Mario Coelho Leao – 1.5.3.10 Sebastiana (2a.) de Salles Coelho (capitulo 21)
     2.5.3.9 Amelia (Nha Nha) Coelho Leao – Americo Pinto
     2.5.3.10 Benedicto Coelho Leao – Drumandina Lage
 
     2.5.4 Capitao, Pedro Coelho da Rocha – Maria (Totoca) Diniz Rocha
     2.5.4.1 Mercedes Diniz Rocha – Capitao, Manoel de Salles Moraes
     2.5.4.2 Myrthes
     2.5.4.2.1 Elisa
     2.5.4.3 Thiers
     2.5.4.4 Lincoln Diniz Rocha
 
     2.5.5 Josephina Coelho da Rocha – Alfredo Vaz Mourao, filhos:
     2.5.5.1 Telemaco (foi militar)
     2.5.5.2 Arminda – Jose Julio Vieira
     2.5.5.3 Nelsina
     2.5.5.4 Capitao, Ulysses
     2.5.5.5 Theodomiro (Coelho)
     2.5.5.6 Joao
     2.5.5.7 Boulanger
     2.5.5.8 Zoroastro
     2.5.5.9 Dulce
     2.5.5.10 Diva
     2.5.5.11 Emilia (Negrinha)
 
     2.5.6 Henriqueta Coelho da Rocha – Capitao, Bento Moreira Pinto, filhos:
     2.5.6.1 Maria Emilia – Dr. Luiz Maria de Brito
     2.5.6.2 Jose Coelho Pinto – Dalva Bormann Saldanha da Gama
     2.5.6.3 Thiers -falecido
     2.5.6.4 Gerolisa – Jovino de Barros
     2.5.6.5 Nisia
     2.5.6.6 Mozart
     2.5.6.7 Edith
     2.5.6.8 Sebastiana (Nhazi)
 
     2.5.7 Carlos Coelho da Rocha – Francisca Teixeira de Vasconcelos (Sao Joao D’El Rei)
 
     2.5.8 Olympia Coelho da Rocha – Tenente, Gustavo Pinto Coelho (Conceicao do Mato Dentro)
     2.5.8.1 Miguel Pinto Coelho
     2.5.8.2 Raphael Pinto Coelho
     2.5.8.3 Gabriel Pinto Coelho
     2.5.8.4 Elisa Pinto Coelho
     2.5.8.5 Maria da Conceicao Pinto Coelho
     2.5.8.6 Vitalina (Lilina) Pinto Coelho
     2.5.8.7 Antonio Pinto Coelho
 
     2.5.9 Maria Honoria (Mana) Coelho da Rocha – *Major, Vicente (Vicentinho) Luiz da Rocha (34)
     2.5.9.1 Dr. Levy Coelho da Rocha – Maria do Carmo (Carmelita) Alves
     2.5.9.1.1 Esmeralda (1.905 – 1.951)
     2.5.9.1.2 Cordelia – Dr. Antonio Rodrigues Rego (Engenheiro)
     2.5.9.1.3 Amelia Hedy – Dr. Bernardo de Oliveira Cafe (?capitulo19?)
     2.5.9.1.4 Beatriz
     2.5.9.1.5 Stael
     2.5.9.1.6 Helena
     2.5.9.1.7 Dr. Levy Coelho da Rocha Filho (cirurgiao e professor da Faculdade de Medicina)
     2.5.9.1.8 Vicente (cirurgiao-dentista)
     2.5.9.1.9 Rubens (bacharel em direito e delegado de policia)
 
     *O Major Vicentinho teve uma crise depressiva no curso de sua vida por sua esposa e prima, Maria Honoria, ter falecido muito jovem, deixando o filho unico. Ele mudou-se de Guanhaes para Sao Joao Evangelista onde estabeleceu-se com comercio, deixando o filho aos cuidados de familiares. Apos recuperar-se do impacto e prosperar nos negocios, pode custear a educacao do filho.
 
     Dr. Levy Coelho da Rocha tornou-se o primeiro filho de um residente do municipio de Sao Joao Evangelista a ter um curso superior. E isso serviu de boa influencia para outros residentes na cidade que tambem enviaram seus filhos para se formarem em varios cursos. Dr. Levy casou-se com Carminha, filha do senador estadual, Ferreira Alves. Mesmo assim foi exercer a profissao nas piores condicoes que a incipiente Sao Joao Evangelista de entao oferecia.
 
     Mudando-se para Belo Horizonte, em 1.908, exerceu cargos como: Primeiro-Secretario da Diretoria de Higiene, Chefe de Servico Sanitario, Medico e Diretor do Hospital Cicero Ferreira, alem de professor da Escola de Medicina.
 
     Temos mais alguns dados da descendencia do Capitao, Joao Coelho de Magalhaes, porem, resultante do casamento de descendentes dele com descendentes do irmao dele: Capitao, Jose Coelho de Magalhaes Filho que em Guanhaes e nas literaturas torna-se Jose Coelho da Rocha.
 
          21. FAMILIA COELHO DESCENDENTE DO CAPITAO JOSE
 
     O Capitao Jose, deve ter sido o primeiro filho do casal V (capitulo 19) e existem dois motivos para supor-se isso. Como ja alegado, se o Capitao Joao tivesse nascido na data sugerida na primeira edicao do livro A MATA DO PECANHA, ele teria falecido aos 104 anos de idade, o que ter-se-ia tornado um marco. Em segundo lugar, existem sugestoes para a data de nascimento da ancestral Eugenia Rodrigues Rocha como sendo de 1.766. Nao seria, entao, razoavel esperar-se que ela desse `a luz aos 9 anos de idade ou antes de 1.782, ano de nascimento do Capitao Jose.
 
     Ha que se ressalvar, porem, que aquela data de nascimento para a avo Eugenia aparece no site Geneall.net que tambem sugere a data de 1.759 para o nascimento do Alferes de Milicia, Jose Coelho de Magalhaes, o pai de ambos os capitaes. As datas podem ter sido encontradas em documentacoes outras que nao as de nascimento e as datas podem ser das documentacoes em que seus nomes aparecem. A combinacao das duas datas com a de um possivel casamento ocorrido em 1.779, sugere que ambos poderiam ter mais idade que tais datas permitiriam. Mas somente o encontro de mais documentos poderiam confirmar ou negar estas suposicoes.
 
     O Capitao Jose Coelho da Rocha casou-se com Luiza Maria do Espirito Santo, filha do Casal W, capitulo 19. A principio, residiram em Conceicao do Mato Dentro, entao conhecida como Conceicao do Serro, onde nasceram os quatro primeiros filhos. Com o avanco da frente de colonizacao pela qual estava passando a regiao das Matas do Pecanha, ele comprou terras `as margens do Ribeirao Graipu e ajudou a fundar por ali o Arraial de Sao Miguel e Almas de Guanhaes. Sao Miguel era o Anjo da devocao do proprio fundador.
 
     As datas nao sao precisas mas eh provavel que tenha se estabelecido com a familia por volta de 1.820. E no final da decada assim se compunha a familia, ja com os, entao, futuros genros e noras:
 
     1. Capitao, Jose Coelho da Rocha – Luiza Maria do Espirito Santo
     1.1 Jose Coelho da Rocha Neto, 1.811 – 1as. nupcias: Candida Jovina Pereira; 2as.: Maria de Deus Villa Real
     1.2 Maria Luiza (Nha Moca) Coelho, 1.814 – solteira
     1.3 Francisca Eufrasia de Assis Coelho, 1.818 – X.2 Tenente, Joaquim Nunes Coelho (capitulo 19) – Constam na lista de primeiros moradores de Virginopolis, Minas Gerais.
     1.4 Ana Maria (Nha Ninha), 1.819 – solteira
     1.5 Tenente, Joao Baptista Coelho, 1.822 – Maria Honoria Nunes Coelho (capitulo 19) – Constam na lista de primeiros moradores de Virginopolis, Minas Gerais.
     1.6 Eugenia Maria da Cruz, 1.824 – Capitao, Francisco Marcal de Magalhaes Barbalho
     1.7 Antonina, aprox. 1.826 – falecida aos 3 anos
     1.8 Tenente, Antonio Rodrigues Coelho, 1.829 – 1as. nupcias: Maria Marcolina Borges do Amaral (filha do casal S, capitulo 12); 2as., Virginia de Campos Nelson (Diamantina, nao houve filhos). Ligacoes extra-conjugais: Anna Girou Bonefoi e Getulia Justiniana de Aguiar com as quais teve duas filhas e as reconheceu.
 
     A minha intencao nao eh expor todos os dados que temos a respeito dessa familia neste pequeno texto. Iria ser um pouco complicado. Tentarei mostrar ate a geracao de nossos avos, na maioria das vezes. As familias eram compostas de tantas pessoas, e a idade reprodutiva comecava tao cedo na epoca deles que isso causava alguns contratempos. 
 
     Um exemplo disso eh termos, no caso particular de varios de meus familiares mais proximos, dois irmaos da familia Batista Coelho como ancestrais, sendo que o mais velho, 1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior, tornou-se um de nossos trisavos, o mesmo nivel ancestral que os pais dele. Isso se deu porque um dos irmaos mais novos, 1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho, tornou-se um de nossos bisavos. E este nao eh um fato isolado, tendo boa parte da familia relacao parental semelhante e ate mais estreita.
 
     Os dados menos completos que temos sao da descendencia do 1.1 Jose Coelho da Rocha Neto. Parece-me que foi ele o unico que permaneceu em Conceicao do Mato Dentro. Assim, com o passar das geracoes, perdeu-se o contato e somente temos vagas anotacoes, ate alguns netos. 
 
     Vou organizar a apresentacao destes escritos em forma semelhante ao que foi apresentado no livro: “Arvore Genealogica da Familia Coelho”, de autoria de nossa prima, 1.5.1.3.1.6 (tambem descende de 1.8 e 1.6) Ivania Batista Coelho. Refiro-me `a inversao da ordem, expondo os dados de descendencia do irmao mais novo, 1.8 Antonio Rodrigues Coelho, primeiro. 
 
     Embora isso traga um pouco de confusao, o motivo para eu optar por manter essa ordem sera o de mostrar os vinculos familiares que se deram por descendencia de uma das companheiras dele, ou seja, a trisavo Maria Marcolina Borges do Amaral. Casando-se com o trisavo Antonio Rodrigues Coelho e tendo 14 filhos, dos quais 13 deixaram farta descendencia, levou para a Familia Coelho o parentesco que temos com as outras familias precursoras da regiao, pois, ela descende igualmente dos Borges Monteiro e Pereira do Amaral (por ser filha do casal S, capitulo 12). 
 
     Dos 13 filhos dela que se casaram, 6 o fizeram no ramo Baptista Coelho e inumeros netos mesclaram-se no ramo Magalhaes Barbalho. O ramo Nunes Coelho esta em todas as partes e sao principalmente essas relacoes familiares que conhecemos como sendo a Familia Coelho de Guanhaes e Virginopolis.
 
     Acredito que, numericamente, a familia Coelho de Magalhaes tornou-se mais virginopolitana que guanhanense, embora tenha se instalado primeiro em Guanhaes. De todos os filhos do Capitao 1. Jose e Luiza Maria temos dados incompletos de suas Arvores Genealogicas.
 
     Ao que sabemos, o tenente 1,5 Joao Baptista Coelho transferiu-se com toda a familia para Virginopolis. O mesmo se deu com a tia 1.3 Francisca, que esposara o tenente Joaquim Nunes Coelho. Os dois tenentes sao fundadores de Virginopolis. Outra filha dos fundadores de Guanhaes, 1.6 Eugenia Maria da Cruz, deve ter residido na Fazenda Sao Pedro com o seu marido, Francisco Marcal de Magalhaes Barbalho. Estes podem nao ter vivido em Virginopolis mas os filhos sim.
 
     Resta-nos os trisavos 1.8 Antonio Rodrigues Coelho e Maria Marcolina Borges do Amaral. Eles viveram em outras paragens em Guanhaes mesmo. Nao tenho dados a respeito mas o professor Dermeval informa que foi dono de Engenho de Serra naquela cidade. Ja com a familia toda pronta, eles se mudaram para a Fazenda Sao Pedro que se situa na estrada que liga Guanhaes e Virginopolis, porem, mais proxima da segunda. Isso talvez explique porque 6 dos filhos deles se casaram e viveram e mais um, 1.8.7 Jose (Juca) Rodrigues Coelho, escolheu Virginopolis como residencia.
 
     Uma das complicacoes resultantes de comecar-se pela descendencia dos trisavos 1.8 Antonio Rodrigues Coelho e Maria Marcolina Borges do Amaral eh ele ser pelo menos 5 anos mais novo que a segunda irma mais nova e Maria Marcolina ser bem mais nova que ele. Ele nasceu em 1.829 e ela em 1.843 e os dois comecaram a ter filhos em 1.863. Nessa epoca, os outros tres irmaos que ajudaram a povoar Virginopolis ja haviam comecado ou estavam proximos de comecar a ter netos. Esta eh uma razao para 4 filhos deles terem se casado com com quatro 4 netos do trisavo 1.5 Joao Baptista Coelho.
 
     Alem disso, uma das filhas extra-conjugais do trisavo Antonio, 1.8.01 Julia Salles Coelho, casou-se com mais um filho do trisavo 1.5 Joao Baptista Coelho. Aos outros 6, o casamento dos tios 1.5.3 Antonio Paulino Coelho e 1.8.01 Julia Salles forma o numero 7. Alem desses exemplos, alguns dos descendentes dos trisavos 1.8 Antonio e Maria Carmelita, continuaram se casando com descendentes dos outros ramos Coelho de Virginopolis. Porem, na maioria dos casos, o conjuge de origem virginopolitano mudou-se para Guanhaes.
 
     Apresentando, entao, a familia do trisavo ANTONIO RODRIGUES COELHO. Comecarei pelos extras:
 
     1.8 Antonio Rodrigues Coelho – Anna Girou Bonefoi, filha:
     1.8.01 Julia de Salles Coelho – 1.5.3 Antonio Paulino Coelho
 
     1.8 Antonio Rodrigues Coelho – Getulia Justiniana Aguiar, filha:
     1.8.02 Emidia Justiniana de Aguiar – Joaquim Leandro Pereira
          (desse casal nao temos dados)
 
     1.8 Antonio Rodrigues Coelho – Maria Marcolina Borges do Amaral
     1.8.1 Antonio Rodrigues Coelho Junior (advogado e deputado) – Rita (Peixao) Ferreira Salles
     1.8.2 Lindolpho Rodrigues Coelho – Marcolina (Marca) Nunes Coelho
     1.8.3 Altivo Rodrigues Coelho – Vitalina (Nha Nha) Nunes Coelho
     1.8.4 Josephina Marcolina Coelho – Pio Nunes Coelho
     *Tios-bisavos Marca, Nha Nha e Pio sao irmaos, filhos de Clemente Nunes Coelho e Ana Maria mas nao temos certeza ainda como eles se encaixam na Arvore Genealogica Nunes Coelho no capitulo 19.
     1.8.5 Maria Marcolina (Sa Quinha) Coelho – 1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho, 1as nupcias 
     1.8.6 Joao Rodrigues Coelho – 1as nupcias: 1.5.1.3 Olimpia Rosa Coelho do Amaral; 2as.: Melita da Penha Neto
     1.8.7 Jose (Juca) Rodrigues Coelho – Maria (Mariquinhas) Pereira da Silva
     1.8.8 Luiza Marcolina Coelho – Emidio Ferreira da Silva
     1.8.9 Angelina Marcolina Coelho – Joao (Janjao) Ferreira da Silva
     1.8.10 Benjamin Rodrigues Coelho (1o.) – faleceu com 3 – 4 anos
     1.8.11 Daniel Rodrigues Coelho – 1.5.6.4 Marina (tia Nenen) Coelho de Oliveira
     1.8.12 Virginia Marcolina Coelho – 1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho, 2as nupcias dele
     1.8.13 Benjamin Rodrigues Coelho (2o.) – 1.5.1.6 Julia (Nhazinha) Coelho do Amaral
     1.8.14 Maria Carmelita Coelho – 1.5.1.5 Simao Baptista Coelho
 
     1.8.01 Julia de Salles Coelho – 1.5.3 Antonio Paulino Coelho
     1.5.3.1 Julio (1o.) Coelho – 20.3.1.875 + 24.9.1.876
     1.5.3.2 Maria Julia (Sinha) de Salles Coelho – Joaquim Pereira Guimaraes
     1.5.3.3 Anna Josephina de Salles Coelho
     1.5.3.4 Julio (2o.) Coelho – 6.10.1.878 + 31.12.1.879
     1.5.3.5 Fernando Baptista Coelho – 1as. nupcias: Maria Rosalina Gloria; 2as: 2.5.3.3 Adelina Coelho Leao (capitulo 20)
     1.5.3.6 Jose Julio Coelho – 1.5.2.7 Antonina Pereira Coelho
     1.5.3.7 Miguel Coelho – 29.9.1.889 + 15.11.1.889
     1.5.3.8 Sebastiana (1a) de Salles Coelho – 20.7.1.893 + 13.4.1.894
     1.5.3.9 *Dimas Baptista Coelho – 1as. nupcias: 1.8.3.3 Maria Magdalena (Sinha) Coelho; 2as.: 1.8.3.6 Palmira (2a.) Coelho.
     *Seo Dimas e Sinha sao pais de 1.5.3.9.2 Ondina Coelho, esposa do ex-deputado, Vicente Fernandes Guabiroba. E tambem de: 1.5.3.9.3 Maria Jose (Zeze) Coelho, esposa de 1.8.6.3.1 ou 1.5.1.3.1.6 Otacilio de Magalhaes Barbalho.
     1.5.3.10 Sebastiana (2a.) Salles Coelho – 2.5.3.8 Mario Coelho Leao (capitulo 20)
     1.5.3.11 Benedicto Baptista Coelho – Geraldina Reis Coelho
     1.5.3.12 Waldemar Baptista Coelho – Aurora Martins Coelho
     1.5.3.13 Otilia de Salles Coelho – 8.10.1.900 + 12.12.1.900
 
     1.8.1 Antonio Rodrigues Coelho Junior – Rita (Peixao) Ferreira de Salles *A familia dos tios Antonio Junior e Rita foi criada na Cidade do Serro, Belo Horizonte e Rio de Janeiro.
     1.8.1.1 Consuelita (Lilita) de Salles Coelho – Dr. Joao Freitas Filho (Muriae)
     1.8.1.2 Dr. Euler de Salles Coelho – Nair Barroso
     1.8.1.3 Dr. Adail de Salles Coelho – Muciola Tavares
     1.8.1.4 Dr. Gerson de Salles Coelho – Maria Jose Franzen de Lima
     1.8.1.5 Alayde Maria de Salles Coelho – Dr. Petronio de Almeida Magalhaes
     1.8.1.6 Dr. Joel de Salles Coelho – Eulalia (Inaia) Silva
     1.8.1.7 Dr. Alyrio de Salles Coelho – Maria Leticia de Albuquerque Melo
     1.8.1.8 Dr. Dion de Salles Coelho – Maria Silvia Veira Gomes *Estes sao os bisavos de Victoria Queesmann -modelo – e Andre Galvao de Botton – lutador de Jiu Jitsu
     1.8.1.9 Dr. Ennio de Salles Coelho – Julieta (Juju) Fernandes Ribeiro
 
     1.8.2 Lindolpho Rodrigues Coelho – Marcolina (Marca) Nunes Coelho
     1.8.2.1 Esdras Rodrigues Coelho – Maria Amelia
     1.8.2.2 Eneas Rodrigues Coelho – Petrina (Zuzu) Pires Coelho
     1.8.2.3 Euridice – falecida crianca
     1.8.2.4 Celuta Rodrigues Coelho – Assirio Pereira da Silva
     1.8.2.5 Maria Marcolina (Lilia) Rodrigues Coelho – Aquiles Soares de Almeida
     1.8.2.6 Leonidas – falecido crianca
     1.8.2.7 Esther – falecida Crianca
     1.8.2.8 Eunice Rodrigues Coelho – Laercio Lott
     1.8.2.9 Mecenas Rodrigues Coelho – Hortencia Nunes Coelho
     1.8.2.10 Aminthas Rodrigues Coelho – 2.5.3.5.1 Maria Jose Coelho Leao (capitulo 20)
     1.8.2.11 Alvaro Rodrigues Coelho – Henriqueta Coelho de Brito
     1.8.2.12 Ligia Rodrigues Coelho – Mozart Pinto Coelho
     1.8.2.13 Hermancia Rodrigues Coelho – Sebastiao Caldeira
 
     1.8.3 Altivo Rodrigues Coelho – Vitalina (Nha Nha) Nunes Coelho
     1.8.3.1 Palmira (1a.) Coelho – falecida crianca
     1.8.3.2 Alcibiades Rodrigues Coelho – falecido aos 18 anos
     1.8.3.3 Maria Magdalena (Sinha) Coelho – 1.5.3.9 Dimas Baptista Coelho
     1.8.3.4 Cecil Rodrigues Coelho – 1.5.3.2.7 Ephigenia Coelho Guimaraes
     1.8.3.5 Jacy (1o.) Rodrigues Coelho – falecido crianca
     1.8.3.6 Palmira (2a.) Coelho – 1.5.3.9 Dimas Baptista Coelho
     1.8.3.7 Jacy (2o.) Rodrigues Coelho – 1.8.9.7 Angelina Ferreira da Silva
     1.8.3.8 Dalma Rodrigues Coelho – falecida crianca
     1.8.3.9 Addy Coelho – Weber da Silva Lopes
     1.8.3.10 Hercy (Zinho) Rodrigues Coelho – 1.8.6.1.2 ou 1.5.1.3.1.2 Odette de Magalhaes Barbalho
     1.8.3.11 Adalgisa Coelho – 1.8.6.7 ou 1.5.1.3.7 Anisio Rodrigues Coelho
     *Nota: O tio-bisavo 1.8.3 Altivo Rodrigues Coelho teve relacoes extra-conjugal, antes de se casar, da qual resultou o nascimento de um filho do qual nao temos anotacoes. Este residiu na regiao da Boa Vista, Municipio de Virginopolis. Um de seus descendentes eh Joaquim Candido da Silva, autor do site: www.contraaviolencia.org. Considero o tema do site de extrema importancia para a genealogia de todos porque, se pensamos em ter descencia ser contra a violencia eh lutar para que esta descendencia permaneca.
 
     1.8.4 Josephina Marcolina Coelho – Pio Nunes Coelho
     1.8.4.1 Aristides Nunes Coelho – Nair Barroso Guimaraes
     1.8.4.2 Alzira Nunes Coelho – Ulysses Nunes Coelho
     1.8.4.3 Ennes Nunes Coelho – 1.5.3.2.5 Hilda Coelho Guimaraes
     1.8.4.4 Aggeu Nunes Coelho – Elvira Ferreira Nunes
     1.8.4.5 Ciro Nunes Coelho – Zulmira Nunes Coelho
     1.8.4.6 Mozart Nunes Coelho – 1.8.9.4 Palmira Ferreira da Silva
     1.8.4.7 Edith Nunes Coelho – falecida crianca
     1.8.4.8 Zilda Nunes Coelho – Benedicto Pereira da Silva
     1.8.4.9 Darcy Nunes Coelho – Zila Nunes Barroso
     1.8.4.10 Jair Nunes Coelho – Maria Jose Pimenta (filha de 68)
     1.8.4.11 Lauro Nunes Coelho – Graciema Nunes Barroso
     1.8.4.12 Jandira Nunes Coelho – Moacir Nunes Barroso
     1.8.4.13 Maria Marcolina Nunes Coelho – solteira
 
     1.8.5 Maria Marcolina (Sa Quinha) Coelho – 1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho
     1.5.10.1 Jose (Juca Coelho) Coelho Junior – 1as. nupcias: 1.6.6.5 Davina Magalhaes; 2as.: 1.6.1.6.4 Petrina Pereira Nunes.
     1.5.10.2 Aquiles (Sou Ti) Baptista Coelho – 1.6.5.8 Dulce Pacheco de Magalhaes
     1.5.10.3 Gamaliel (Gama) Baptista Coelho – solteiro
     1.5.10.4 Armando Baptista Coelho – Maria das Dores (Nazinha) Aguiar
     1.5.10.5 Maria Marcolina Coelho – falecida
     1.5.10.6 Ceci Marcolina Coelho – 1.6.4.5 Marcial (2o.) de Magalhaes Barbalho
 
     1.8.6 Joao Rodrigues Coelho – 1as. nupcias: 1.5.1.3 Olimpia Rosa Coelho do Amaral
     1.8.6.1 Zulmira Coelho de Magalhaes – 1.6.4.4 Trajano (Cista) de Magalhaes Barbalho
     1.8.6.2 Elgita Coelho do Amaral – 1.8.9.1 Cantidio Ferreira da Silva *Tios Elgita e Cantidio sao bisavos do Dr. Bernardo Lemos Ferreira, recentemente contratado pela Universidade de Harvard. Cantidio tambem consta na lista de Pioneiros de Governador Valadares.
     1.8.6.3 Sinval Rodrigues Coelho – 1.6.6.7 Maria (Maricas) Magalhaes *Tio Sinval Consta na lista de Pioneiros de Governador Valadares.
     1.8.6.4 Edith Coelho do Amaral – solteira
     1.8.6.5 Otaviano (Tavico) Rodrigues Coelho – 1.8.11.4 ou 1.5.6.4 Petrina Coelho de Oliveira
     1.8.6.6 Nize Coelho do Amaral – Jose Cabral Pires
     1.8.6.7 Anisio Rodrigues Coelho – 1.8.3.11 Adalgisa Coelho
     1.8.6.8 Aracy Coelho do Amaral – falecida crianca
     1.8.6.9 Omar Rodrigues Coelho – 1.6.1.2.1.1 Ilca da Cunha Menezes
     1.8.6.10 Maria da Conceicao (1a.) Coelho do Amaral – falecida crianca
     1.8.6.11 Maria da Conceicao (2a.) Coelho do Amaral – solteira
     1.8.6.12 Antonio Rodrigues Coelho – Iracema de Carvalho *Tio Antonio consta na lista de pioneiros de Governador Valadares.
     1.8.6.13 Geraldo Rodrigues Coelho – falecido crianca
     1.8.6.14 Joao Rodrigues Coelho Junior – Maria Paulina Veloso
     1.8.6.15 Olimpia (Olimpinha) Coelho do Amaral – solteira
     1.8.6.16 Maria Jose (Zeze) Coelho do Amaral – 1.5.6.1.10 Otavio Coelho de Magalhaes
 
     1.8.6 Joao Rodrigues Coelho – 2as. nupcias: Melita da Penha Neto (Folha Larga, Sta. Maria do Suacui)
     1.8.6.17 Altivo Rodrigues Coelho (sobrinho) – 1.5.3.5.8.1 Regina Lucia Carvalho Coelho
     1.8.6.18 Lindolpho Rodrigues Coelho Sobrinho – Rachel Guimaraes
     1.8.6.19 Maria Josefina (Fininha) Rodrigues Coelho – solteira
     1.8.6.20 Luiza Angelina Rodrigues Coelho – Adair (Baba) Barbosa
 
     *Melita da Penha Neto – 2as. nupcias: Antonio Nunes Coelho *As segundas nupcias da bisavo substituta Melita da Penha Neto renderam mais oito criancas. Porem, devido a ela ter-se casado as 1as. nupcias quando o bisavo 1.8.6 Joao Rodrigues ja estava mais velho, 70 anos, a segunda familia dela ja estava muito alem da geracao de nossos avos. A primeira filha do bisavo Joao Rodrigues, Dindinha 1.8.6.1 Zulmira, nasceu em 1.893, a ultima filha da Melita, em 1.963. Mais nova que eu que sou bisneto dele. E ele ja tinha trinetos.
 
     Os primeiros nomes dos oito filhos mais novos dela sao: Odilia Antonieta, Adelia Maria, Celio Roberto, Arnaldo Jose (falecido crianca) Ilsa Sonia, Paulo Antonio, Sara Maria e Luiza Geralda. Nao poderia deixar de cita-los porque sao irmaos da segunda familia do bisavo 1.8.6 Joao Rodrigues mas a geracao eh completamente diferente.
 
     1.8.7 Jose (Juca) Rodrigues Coelho – Maria (Mariquinhas) Pereira da Silva
     1.8.7.1 Ozita Rodrigues Coelho – falecida crianca
     1.8.7.2 Sady Rodrigues Coelho – 1.6.4.11 Abila (Biloca) Patrocinio de Magalhaes
     1.8.7.3 Maria Marcolina Coelho – 1as. nupcias: 1.5.6.6 Jose Candido de Oliveira; 2as.: 1.6.1.2.8 Horacio Nunes Coelho.
     1.8.7.4 Jair Rodrigues Coelho – 1.8.13.3 Lucilia Coelho do Amaral
     1.8.7.5 Nilo Rodrigues Coelho – solteiro
     1.8.7.6 Ely Rodrigues Coelho – Agostinha Campos
 
     1.8.8 Luiza Marcolina Coelho – Emidio Ferreira da Silva
     1.8.8.1 Alcides Ferreira da Silva – 1as. nupcias: Salvina Campelo de Carvalho; 2as.: Candida Morati
     1.8.8.2 Maria Marcolina Ferreira da Silva – Prudencio Nunes Coelho
     1.8.8.3 Euclides Ferreira da Silva – Else de Aguiar Ferreira da Silva
     1.8.8.4 Lucilia Ferreira da Silva – Joao Lopes Junior
     1.8.8.5 Dr. Emidio Ferreira da Silva Junior – 1.1.8 Candida Cafe (capitulo 19)
     1.8.8.6 Corina Ferreira da Silva – 1.1.7 Antenor Cafe (capitulo 19) – *Estes sao bisavos de Alexandre Cafe Birman, desenhista de calcados.
     1.8.8.7 Aluisio Ferreira da Silva – Debora Aguiar Ferreira da Silva
     1.8.8.8 Odilon Ferreira da Silva -
     1.8.8.9 Maria da Conceicao Ferreira da Silva – freira (Irma Cecilia)
     1.8.8.10 Savio Ferreira da Silva -
     1.8.8.11 Luiza Ferreira da Silva -
 
     1.8.9 Angelina Marcolina Coelho – Joao (Janjao) Ferreira da Silva
     1.8.9.1 Cantidio Ferreira da Silva – 1.8.6.2 ou 1.5.1.3.2 Elgita Coelho do Amaral
     1.8.9.2 Jose Ferreira da Silva – falecido crianca
     1.8.9.3 Maria Ferreira da Silva -
     1.8.9.4 Palmira Ferreira da Silva – 1.8.4.6 Mozart Nunes Coelho
     1.8.9.5 Adail (1o.) Ferreira da Silva – falecido crianca
     1.8.9.6 Abgail Ferreira da Silva -
     1.8.9.7 Angelina Ferreira da Silva – 1.8.3.7 Jacy Rodrigues Coelho
     1.8.9.8 Julia Ferreira da Silva – Antonio Ferreira dos Santos
     1.8.9.9 Rafael Ferreira da Silva – Efigenia
     1.8.9.10 Adail (2o.) Ferreira da Silva – Eloina Ferreira de Magalhaes
     1.8.9.11 Antonio Ferreira da Silva – Maria Marcolina Coelho Ferreira
     1.8.9.12 Candida Ferreira da Silva -
 
     1.8.11 Daniel Rodrigues Coelho – 1.5.6.4 Marina (tia Nenen) Coelho de Oliveira
     1.8.11.1 Jose Rodrigues Coelho Sobrino – 1as nupcias: Francisca Nunes Leite; 2as.: Ida Nunes Coelho
     1.8.11.2 Eliphas Rodrigues Coelho – 1as. nupcias: Sebastiana Nunes Leite; 2as.: 1.5.6.3.4 Francisca (Chiquinha) Coelho de Oliveira.
     1.8.11.3 Levy Rodrigues Coelho – 1.5.10.8 ou 1.8.12.2 Maria Josephina (Fina) Marcolina Coelho
     1.8.11.4 ou 1.5.6.4 Petrina Coelho de Oliveira – 1.8.6.5 Otaviano (Tavico) Rodrigues Coelho
     1.8.11.5 Mario Rodrigues Coelho – Octavia Nunes Leite
     1.8.11.6 Helena Coelho de Oliveira – Francisco (Chiquim Campos) Rabello Campos
     1.8.11.7 Xisto Rodrigues Coelho – Evardina (Bela) Ferreira de Carvalho
     1.8.11.8 Cicero Rodrigues Coelho – falecido crianca
     1.8.11.9 Cyro Rodrigues Coelho – 1as. nupcias: Maria de Lourdes Lamounier Pereira; 2as.: Iris da Silva Coelho
     1.8.11.10 Geralda Coelho de Oliveira – solteira
     1.8.11.11 Cyr Rodrigues Coelho – 1.8.6.3.3 ou 1.6.6.7.3 Laura (Lolo) Coelho de Magalhaes
     1.8.11.12 Aracy Coelho de Oliveira – Adams (Yozinho) da Costa Serra *Em 2as. nupcias Yozinho casou-se com 1.6.4.5.10 ou 1.5.4.5.10 ou 1.8.5.6.10 Hortencia (Tuca) de Magalhaes Barbalho.
     1.8.11.13 Simao Rodrigues Coelho – falecido crianca
     1.8.11.14 Olga Coelho de Oliveira – solteira
     1.8.11.15 Elsa Coelho de Oliveira – solteira
     1.8.11.16 Daniel Rodrigues Coelho Filho – falecido crianca
     1.8.11.17 Dimas Rodrigues Coelho – 1.6.4.5.3 ou 1.8.5.6.3 ou 1.5.10.6.3 Maria Aparecida (Cidinha) de Magalhaes Barbalho.
     1.8.11.18 Geraldo Rodrigues Coelho – 1.6.4.11.5 ou 1.8.7.2.5 Ligia Coelho
     1.8.11.19 David Rodrigues Coelho – Maria da Penha (Cota) dos Santos
 
     1.8.12 Virginia Marcolina Coelho – 1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho (2as. nupcias dele)
     1.5.10.7 Darcy Baptista Coelho – Anna Elvira (Biluca) Ferreira (nascida em Portugal)
     1.5.10.8 Maria Josefina (Fina) Marcolina Coelho – 1.8.11.3 Levy Rodrigues Coelho
     1.5.10.9 Amandina Marcolina Coelho – freira (Irma Carmelita)
     1.5.10.10 Bernardino Baptista Coelho – 1.5.1.6.3 Geralda Pereira Nunes
     1.5.10.11 Noemi Marcolina Coelho – 1.6.1.2.8 Horacio Nunes Coelho -2as nupcias dele, a 1a. foi com 1.8.7.3 Maria Marcolina Coelho
     1.5.10.12 Joao (Joao Coelho) Baptista Coelho – solteiro
     1.5.10.13 Ines Marcolina Coelho – solteira
     1.5.10.14 Tarcisio Baptista Coelho – solteiro
     1.5.10.15 Savio Baptista Coelho – falecido crianca
     1.5.10.16 Ruth Marcolina Coelho – Joel (Joel Portugues) Martins de Aguiar
 
     1.8.13 Benjamin Rodrigues Coelho – 1.5.1.6 Julia (Nhazinha) Coelho do Amaral
     1.8.13.1 Julita Coelho do Amaral – 1.5.6.9 Gastao Magalhaes
     1.8.13.2 Sylvio Rodrigues Coelho – 1as. nupcias Maria Angelica Lucio de Oliveira; 2as.: 1.5.1.9.2 Maria da Conceicao Campos
     1.8.13.3 Lucilia Coelho do Amaral – 1.8.7.4 Jair Rodrigues Coelho
     1.8.13.4 Dina Coelho do Amaral – freira (Irma Filomena)
     1.8.13.5 Mucio Rodrigues Coelho – Meiga de Alvarenga Valadares
     1.8.13.6 Ilda Coelho do Amaral – freira (Irma Vicencia)
     1.8.13.7 Nayde Coelho do Amaral – falecida crianca
     1.8.13.8 Alaide Coelho do Amaral – 1.8.6.2.1 ou 1.8.9.1.1 Jose Cantidio Ferreira
     1.8.13.9 Graciola Coelho do Amaral – Geraldo de Oliveira Braga
     1.8.13.10 Dacio Rodrigues Coelho – Esther (Telinha) Rodrigues Coelho
     1.8.13.11 Muciola Coelho do Amaral – Horacio Silva
     1.8.13.12 Fabio Rodrigues Coelho – Hercilia Guerra
     1.8.13.13 Maria do Socorro Coelho do Amaral – 1.5.12.2.1 ou 1.5.1.1.2.1 ou 1.6.5.9.1 Abel Coelho
 
     1.8.14 Maria Carmelita Marcolina Coelho – 1.5.1.5 Simao Baptista Coelho
     1.5.1.5.1 Alisa Coelho – 1.5.5.17 Antonio da Silva Coelho
     1.5.1.5.2 Alipio Batista Coelho – falecido aos 22 anos de idade
     1.5.1.5.3 Cira Coelho – Antonio Lucio de Oliveira, 1as. nupcias dele. *Dona Cira Coelho teve apenas uma filha antes de falecer, Lucy Lucio Coelho, que se casou com Fanor de Campos Gloria. Estes sao os pais de Rosemai Coelho Gloria, mae de Marcela Pereira Coelho, atriz com participacao no seriado: “Clandestinos”, da Rede Globo de Televisao. O sr. Antonio Lucio casou-se, entao, em 2as. nupcias com a cunhada: Diva Coelho.
     1.5.1.5.4 Maria da Gloria (Glorinha) Coelho – Emilio Coelho Lott (nao tenho informacoes de como ele tambem se torna parte da mesma familia Coelho.
     1.5.1.5.5 Adail Batista Coelho – 1.8.7.3.1 ou 1.5.6.6.1 Maria Jose (Zeze) Coelho
     1.5.1.5.6 Diva Coelho – Antonio Lucio de Oliveira, 2as. nupcias dele.
     1.5.1.5.7 Eurico Batista Coelho – 1.8.6.1.8 ou 1.6.4.3.8 ou 1.5.1.3.1.8 Odila de Magalhaes Barbalho *Estes sao os pais de (6a. dos filhos) Ivania Batista Coelho, autora da “Arvore Genealogica da Familia Coelho”.
     1.5.1.5.8 Cesar Batista Coelho -1.5.10.4.5 ou 1.8.5.4.5 Zelita de Aguiar Coelho
     1.5.1.5.9 Cremilda Coelho – 1.6.4.1.3 Dr. Helio de Magalhaes Barbalho (advogado).
 
     Aqui se encerra a geracao de filhos e netos dos trisavos 1.8 Antonio Rodrigues Coelho e Maria Marcolina Borges do Amaral. Comecaremos a apresentacao da familia de 1.5 Joao Baptista Coelho e Maria Honoria Nunes Coelho.
 
     1.5 Joao Baptista Coelho – Maria Honoria Nunes Coelho
     1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior – Quiteria Rosa (Titi) do Amaral
     1.5.2 Maria Honoria Coelho – Jose Pereira da Silva
     1.5.3 Antonio Paulino Coelho – 1.8.01 Julia de Salles Coelho *ja apresentados
     1.5.4 Sebastiana Honoria Coelho – 1.3.2 Joaquim (Quinsoh) Nunes Coelho
     1.5.5 Joaquim (Ti Quim Bento) Bento Coelho – Antonia Paschoalina (tia Cunuta) da Silva Neto
     1.5.6 Anna Honoria Coelho – Y.1 Candido de Oliveira Freire
     1.5.7 Emygdia Honoria Coelho – Amaro de Souza Silva
     1.5.8 Antonia Honoria Coelho – 1.6.3 Pedro de Magalhaes Barbalho
     1.5.9 Virginia Honoria Coelho – Y.2 Antonio Candido de Oliveira
     1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho – 1as. nupcias: 1.8.5 Maria Marcolina (Sa Quinha) Coelho; 2as.: 1.8.12 Virginia Marcolina Coelho *ja apresentados.
     1.5.11 Marcolina Honoria Coelho – Demetrio Coelho de Oliveira
     1.5.12 Francisco (ti Xico) Baptista Coelho – 1as. nupcias: 1.5.1.1 Maria Rosa (Mariquinhas) Coelho do Amaral; 2as.: 1.5.9.2 Maria Coelho de Oliveira *Ti Xico casou-se com duas de suas proprias sobrinhas.
 
     Apresentacao da familia de 1.5 JOAO BAPTISTA COELHO & MARIA HONORIA NUNES COELHO 
 
     Antes de prosseguir, apresentarei mais um casal de precursores na familia. Trata-se da familia dos tetravos: Joaquim Pereira do Amaral e Maria Rosa do Espirito Santo Carvalhais. Deles nao temos a certeza das origens, apenas presumimos que ele seja parte da familia Pereira do Amaral multiplicada em Sabinopolis e ela, provavelmente, tenha a mesma origem, ou seja de Guanhaes. A hipotese eh que ela participe do conjunto de uma familia Carvalhais que esta presente entre os Pimenta e no inicio da familia Catao (capitulo 19).
 
     Os ancestrais Joaquim e Maria Rosa sao os sogros de 1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior. 
 
          CASAL W – Joaquim Pereira do Amaral – Maria Rosa do Espirito Santo Carvalhais, descendencia:
     a) Quiteria Rosa (Titi) do Amaral – 1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior
     b) Ernesto Pereira do Amaral – Ilidia (tia Nhanha) da Silva Neto
     c) Tia Biquita – Eloy Perpetuo (Divinolandia de Minas)
     d) Cutinha
     e) Antonio Pereira do Amaral
     f) Joao Pereira do Amaral
     g) Elidio Pereira do Amaral
     h) Sebastiana Rosa do Amaral – Jose Soares Filho
 
     b) Ernesto Pereira do Amaral – Ilidia (tia Nhanha) da Silva Neto
     b.1 Levi Pereira do Amaral – 1.5.5.4 Julia da Silva Coelho
     b.2 Arthur Pereira do Amaral – Maria Nunes Leite
     b.3 Aureo (Seo A) Pereira do Amaral – Ana Pereira do Amaral
     b.4 Marcolina (Culina) Pereira do Amaral – 1.5.1.7 Jose (Juca) Coelho Sobrinho (Gonzaga – MG)
     b.5 Amalho Pereira do Amaral – 1.6.2.5 Maria Petrina Nunes Coelho
     b.6 Maria Pereira do Amaral – solteira
     b.7 Antonio Pereira do Amaral – 1.5.12.4 ou 1.5.1.1.4 Octavia Coelho do Amaral
     b.8 Amalia (Zica) Pereira do Amaral – 1.5.12.1 ou 1.5.1.1.1 Joao Eulalio Coelho
     b.9 Rosalia Pereira do Amaral – solteira
     b.10 Joao Pereira do Amaral Sobrinho – solteiro
     b.11 Ernesto (Tinho) Pereira do Amaral Filho – 1as. nupcias: 1.3.2.3.3 ou 1.5.4.3.3 Dalila Nunes Coelho; 2as.: Tereza Candida do Amaral
     b.12 Monsenhor Amaral, Jose Pereira do Amaral – Vigario em Pecanha a partir de 1.932
 
     h) Sebastiana Rosa do Amaral – Jose Soares Filho
     h.1 Maria (Inhazinha) Soares do Amaral – Vicente de Souza Madeira
     h.2 Domingos Soares
     h.3 Amavel (Mavico) Soares
     h.4 Noeme Soares do Amaral – Celso Pereira do Amaral
     h.5 Osmar (Maumau) Soares – Alzira Pereira do Amaral
     h.6 Osvaldo Soares – Maria do Socorro Nunes Coelho
     h.7 Rita Soares do Amaral – Dionisio Pereira do Amaral
 
     *Muitos representantes desse ramo da Familia Pereira do Amaral ainda vivem em Virginopolis e regiao, berco de multiplicacao do primeiro casal. Dando, entao, sequencia `a Familia Baptista Coelho.
 
     1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior – W.a Quiteria Rosa (Titi) do Amaral
     1.5.1.1 Maria Rosa (Mariquinhas) Coelho do Amaral – 1.5.12 Francisco (Ti Xico) Baptista Coelho 1as. nupcias dele sendo que as 2as. ocorreram “contra” 1.5.9.2 Maria Coelho de Oliveira, tambem sobrinha do Ti Xico.
     1.5.1.2 Amelia Rosa do Amaral – solteira
     1.5.1.3 Olimpia Rosa Coelho do Amaral – 1.8.6 Joao Rodrigues Coelho *Descendencia ja posta anteriormente
     1.5.1.4 Joao Baptista Coelho Neto – Lucinda Xavier de Andrade
     1.5.1.5 Simao Baptista Coelho – 1.8.14 Maria Carmelita Marcolina Coelho *idem
     1.5.1.6 Julia (Nhazinha) Coelho do Amaral – 1.8.13 Benjamin Rodrigues Coelho *idem
     1.5.1.7 Jose (Juca) Coelho Sobrinho – W.b.4 Marcolina (Culina) Pereira do Amaral
     1.5.1.8 Evencio Baptista Coelho – 1.6.6.3 Emygdia (Miluca) Magalhaes
     1.5.1.9 Francisco (Seo Chiquinho) Coelho Sobrinho – Maria Salome (D. Memeh) Campos
     1.5.1.10 Salathiel Baptista Coelho – Iracema Campos Goncalves (neta de 19, capitulo 13)
     1.5.1.11 Amavel Baptista Coelho – solteiro
 
     1.5.1.1 Maria Rosa (Mariquinhas) Coelho do Amaral – 1.5.12 Francisco (Ti Xico) Baptista Coelho *Ja estao postados no espaco reservado ao Ti Xico (abaixo).
 
     1.5.1.2 Amelia Rosa do Amaral – solteira
 
     1.5.1.3 Olimpia Rosa Coelho do Amaral – 1.8.6 Joao Rodrigues Coelho * Ja postado na descendencia 8, Rodrigues Coelho.
 
     1.5.1.4 Joao Baptista Coelho Neto – Lucinda Xavier de Andrade
     1.5.1.4.1 Joao Coelho Neto – casou e deixou farta descendencia, nao temos dados.
     1.5.1.4.2 Maria Coelho Neto – solteira
     1.5.1.4.3 Jose Coelho Neto – Maria Lino de Souza
     1.5.1.4.4 Ernestina Coelho Neto – Jose Juviano de Oliveira
     1.5.1.4.5 Altino Coelho Neto – Maria de Lourdes (Loura) Coelho Neto
     1.5.1.4.6 Luiza Coelho Neto – Joaquim Goncalves
     1.5.1.4.7 Francisco Coelho Neto – Otavia Coelho Xavier
     1.5.1.4.8 Moises Coelho Neto
     1.5.1.4.9 Dimas Coelho Neto – Tercilia Oliveira Coelho
     1.5.1.4.10 Salome Coelho Neto – Agostinho Xavier
 
     1.5.1.5 Simao Baptista Coelho – 1.8.14 Maria Carmelita Marcolina Coelho *Ja postados na descendencia 8.
 
     1.5.1.6 Julia (Nhazinha) Coelho do Amaral – 1.8.13 Benjamin (2o.) Rodrigues Coelho * idem
 
     1.5.1.7 Jose (Seo Juca) Coelho Sobrinho – W.b.4 Marcolina (Culina) Pereira do Amaral
     1.5.1.7.1 Rosalia Coelho do Amaral – Ally Nunes Coelho
     1.5.1.7.2 Julia Coelho do Amaral – solteira
     1.5.1.7.3 Geralda Coelho do Amaral
     1.5.1.7.4 Maria Coelho do Amaral
     1.5.1.7.5 Otavio Batista Coelho – Violeta Amaral Figueiredo *Tive oportunidade de entrevistar-me com dona Violeta na viagem que fiz ao Brasil em 2.009. Ela estava com 88 e muito Lucida. Continuava residindo na mesma casa, na mesma fazenda que fora parte da fazendo do Seo Juca, onde ela alegava ter tido todos os filhos. Com ela residia o filho Leon Joao Deon Coelho, ainda moco. A fazenda fica proxima a Gonzaga – MG, saindo um pouco da estrada entre aquela e Divinolandia, nas proximidades da antiga fazenda do Seo 1.5.7.3 Joao de Souza Coelho.
     1.5.1.7.6 Clara Coelho do Amaral – solteira
     1.5.1.7.7 Ilidia Coelho do Amaral – Tarcisio de Oliveira Valadares, 1as. nupcias dele. Em 2as. casou-se com Maria de Lourdes Lacerda.
     1.5.1.7.8 Sebastiana Coelho do Amaral – Heitor de Aquino *Importantes povoadores de Divinolandia de Minas
     1.5.1.7.9 Olavio Batista Coelho – Maria Conceicao dos Santos
     1.5.1.7.10 Cecilia Coelho do Amaral – Raimundo
     1.5.1.7.11 Luiz Gonzaga Coelho – Maria da Conceicao Alves
     1.5.1.7.12 Marta Coelho – 1.5.7.?.? Jose de Souza *Dona Marta eh a ultima sobrevivente da familia. Reside em Gonzaga sendo sogra do ex-prefeito Julinho de Souza. Temos parentesco com os dois lados da familia porque o Julinho de Souza eh neto do seo 1.5.7.3 Joao de Souza Coelho.
 
     1.5.1.8 Evencio Baptista Coelho – 1.6.6.3 Emygdia (Miluca) Magalhaes
     1.5.1.8.1 Antonio Batista Coelho – Julia Bumachar
     1.5.1.8.2 Henrique Batista Coelho – Luzia Dias
     1.5.1.8.3 Maria de Magalhaes Coelho – Ary Dias de Andrade *1as. nupcias dele. As 2as. foram com a irma da Maria, 1.5.1.8.12 Honorata (Tinah).
     1.5.1.8.4 Lucia de Magalhaes Coelho – 1.6.6.1.?.? Joao Magalhaes Neto
     1.5.1.8.5 Margarida (Di) Coelho de Magalhaes – Joao (Joaozinho) Ferreira
     1.5.1.8.6 Candida (Candica) Coelho de Magalhaes – Jose (Juca) Lino de Souza
     1.5.1.8.7 Paulo Batista Coelho – 1.5.1.4.?.? Maria Geralda Coelho Neto
     1.5.1.8.8 Rosa de Magalhaes Coelho
     1.5.1.8.9 Quiteria de Magalhaes Coelho
     1.5.1.8.10 Marta de Magalhaes Coelho
     1.5.1.8.11 Isabel Coelho de Magalhaes – 1.6.6.4.5 Gastao de Magalhaes Sobrinho
     1.5.1.8.12 Honorata (Tinah) Coelho de Magalhaes – Ary Dias de Andrade *2as. nupcias dele na familia
     1.5.1.8.13 Raquel Coelho de Magalhaes – Domingos Benjamim
     1.5.1.8.14 Sarah Coelho de Magalhaes – 31.5.1.931
     1.5.1.8.15 Tobias Coelho de Magalhaes – 31.5.1.931
     1.5.1.8.16 Norberto Batista Coelho – Maria das Merces
     1.5.1.8.17 Adalberto Batista Coelho – 1.8.3.4.8 Neusa Rodrigues Coelho
 
     1.5.1.9 *Francisco (Seo Chiquinho) Coelho Sobrinho – Maria Salome (Dona Meme) Campos
     1.5.1.9.1 Jorge (1o.) Campos Coelho – falecido crianca
     1.5.1.9.2 Maria da Conceicao Campos Coelho – 1.8.13.2 ou 1.5.1.6.2 Sylvio Rodrigues Coelho 2as. nupcias dele. As 1as. foram com Maria Angelina Lucio de Oliveira.
     1.5.1.9.3 Aracy (Cici) Campos Coelho – Joao Paulo Ayala
     1.5.1.9.4 Jorge (2o.) Campos Coelho – Helena Stocchi *Dr. Jorge Campos foi importante funcionario das Campanha Nacional das Escolas Gratuitas (CNEG), que depois passou a chamar-se CNEC (das Comunidades).
     1.5.1.9.5 Sebastiao (1a.) Campos Coelho – falecido crianca
     1.5.1.9.6 Felix Campos Coelho
     1.5.1.9.7 Jose (1o.) Campos Coelho – falecido crianca
     1.5.1.9.8 Jose (2o.) Campos Coelho
     1.5.1.9.9 Sebastiao (2o.) Campos Coelho – falecido crianca
     1.5.1.9.10 Paulo Campos Coelho – falecido crianca
     *O nosso tio-bisavo, Seo Chiquinho, residiu com sua esposa, D. Memeh, numa das casas em frente `a casa de meus pais e nunca soube, `a epoca, que lhe deviamos o respeito de tio. Ja estavam bem idosos e serenos. D. Memeh fora poetisa e professora. Soube por terceiros, pois nao assisti `a serie, que ele foi apresentado, como jornalista que foi, como sendo o contato entre a Familia Coelho e o ex-presidente Juscelino Kubistchek, na serie em homenagem ao pai de Brasilia. Ha ai algo de engano porque a familia ja conhecia o Juscelino desde menino. Alem de ter uma avo, Joaquina, com o sobrenome Coelho, a mae dele era dona da pensao em Diamantina onde as mocas de Virginopolis se hospedavam por ocasiao de seus estudos. Tia 1.8.6.4 Edith Coelho do Amaral, por exemplo, uma daquelas pensionistas, nunca o chamou de prefeito, governador ou presidente. Chamava-o pelo apelido de infancia, Nonou. E ele devia a ela o respeito de ser mais velha.
 
     1.5.1.10 Salathiel Batista Coelho (1.892) – Iracema Campos Goncalves (neta de 19, capitulo 13)
     1.5.1.10.1 Maria Jose Goncalves Coelho – Moacir Ribeiro (neto de 33, neto de 66 etc)
     1.5.1.10.2 Elza Goncalves Coelho – Hamilton Leite
     1.5.1.10.3 Anibal Batista Coelho – 1.5.1.10.1.3 Marcia Maria Coelho Ribeiro (sobrinha do Anibal e filha da Maria Jose e Moacir)
 
     1.5.1.11 Amavel Batista Coelho – solteiro
 
     *Aqui ficou a segunda geracao da descendencia dos trisavos: Joao Baptista Coelho Junior e Quiteria Rosa (Titi) do Amaral. Uma informacao curiosa, a respeito dos problemas acarretados por familias muito grandes e o inicio da reproducao precoce de seus componentes, eh que: a tia-avo, da minha geracao, 1.6.6.3 Emygdia (Miluca) Magalhaes, tem sua descendencia representada por ela ter se casado com o tio-bisavo 1.5.1.8 Evencio Batista Coelho.
 
     Por outro lado, a irma de tia Miluca, 1.6.6.7 Maria (Maricas) Magalhaes, casou-se com um sobrinho do tio Evencio, o tio 1.5.1.3.3 Sinval Rodrigues Coelho. Neste caso, como estou apresentando apenas uma parte da familia, com o limite de representar ate a geracao dos nossos avos, entao, os filhos dos tios-avos Sinval e Maricas nao estarao representados por se encaixarem ja na geracao de nossos pais.
 
     Mesmo assim, encontramos excecoes. A 1.8.6.3.3 ou 1.6.6.7.3 Laura (Lolo) Coelho de Magalhaes casou com o 1.8.11.11 Cyr Rodrigues Coelho, filho do 1.8.11 tio Daniel Rodrigues Coelho. Ela eh filha dos tios-avos Sinval e Maricas e, embora casada com alguem da geracao anterior `a dela, a diferenca de idade entre os dois eh de apenas 9 anos. Casos semelhantes sao inumeros na familia. O nome da Lolo entra na lista de esposas, sem a citacao dos filhos.    
 
     Deste ponto, reiniciaremos a apresentacao da descendencia dos trisavos e, simultaneamente, tetravos: 1.5 Joao Batista Coelho e Maria Honoria Nunes Coelho.      
 
     1.5.2 Maria Honoria Coelho – Jose Pereira da Silva
     1.5.2.1 Honorina – Ezequiel de Souza Ferreira
     1.5.2.2 Jovelina – Jose da Silva Neto
     1.5.2.3 Noe
     1.5.2.4 Raul
     1.5.2.5 Demprina (?)
     1.5.2.6 Evangelina – Carlos Hilario
     1.5.2.7 Antonina Pereira Coelho – 1.5.3.6 ou 1.8.01.6 Jose Julio Coelho
 
     1.5.3 Antonio Paulino Coelho – 1.8.01 Julia de Salles Coelho *Ja apresentados anteriormente e sao os pais de Jose Julio Coelho, acima.
 
     1.5.4 Sebastiana Honoria Coelho – 1.3.2 Joaquim (Quinsoh) Nunes Coelho *Quinsoh eh filho da terceira filha do ancestrais Capitao, 1. Jose Coelho da Rocha e Luiza Maria do Espirito Santo, primeiros moradores de Guanhaes. Tia 1.3 Francisquinha e Joaquim Nunes Coelho, o pai, foram primeiros moradores de Virginopolis. Nao temos o acompanhamento genealogico dos tios Francisquinha/Joaquim, senao daqueles que se casaram dentro da propria familia, como eh o caso dos tios Quinsoh e Sebastiana.
     1.5.4.1 Maria Nunes Coelho
     1.5.4.2 America (Sa America) Nunes Coelho – Francisco Leite Furtado *Estes sao pais de Marcolina, d. Mariinha, Manasses, Seo Minervino, Moises, Magno, Manoel e Margarida, com descendencia em Sapucaia e Virginopolis.
     1.5.4.3 Josephino Nunes Coelho – Marta Madalena (Sa Marta) Coelho *Os filhos do casal sao mais conhecidos como “da Sa Marta” e sao:
     1.5.4.3.1 Pedro Nunes Coelho – 1.5.6.3.8 Virginia (Sa Virginia) Coelho de Oliveira
     1.5.4.3.2 Jose Martinho Coelho – 1.5.6.1.1 ou 1.6.5.3.1 Maria Efigenia Coelho de Magalhaes *avos de Laureano Fernandes Soalheiro, pai de Barbara (Babitha) Soalheiro, historiadora e autora.
     1.5.4.3.3 Dalila Nunes Coelho – W.b.11 Ernesto (Tinho) Pereira do Amaral Filho
     1.5.4.3.4 Evangelina Nunes Coelho – solteira
     1.5.4.3.5 Dirceu Nunes Coelho – 1.6.4.11.8 ou 1.8.7.2.8 Maria Luiza Coelho    
     1.5.4.4 Lino Nunes Coelho Sobrinho – Arminda
     1.5.4.5 Paulo Nunes Coelho – “Tileta” *Tiveram como filhos: Joaquim do “So Paulo” e Eliezer, pelo menos.
     1.5.4.6 Joao Nunes Coelho Sobrinho – Rita
     1.5.4.7 Esther Honoria Coelho – Octavio Nunes Leite
     1.5.4.8 Joaquim Nunes Coelho Neto – Julieta
 
     1.5.5 Joaquim Bento (Ti Quim Bento) Coelho – Antonia Paschoalina (tia Cunuta) da Silva Neto
     1.5.5.1 Maria da Silva Coelho 
     1.5.5.2 Jose da Silva Coelho – falecido crianca
     1.5.5.3 Herminia da Silva Coelho
     1.5.5.4 Julia da Silva Coelho
     1.5.5.5 Maria da Silva Coelho – gemea falecida
     1.5.5.6 Anna da Silva Coelho – gemea falecida
     1.5.5.7 Anna (Anita) da Silva Coelho – Jose de Araujo Sobrinho *Encontrei um dos netos desse casal: o compadre, Juca do Tao (compadre da minha sogra), numa fazenda, onde reside, no distrito conhecido como Paca, perto de Santa Efigenia de Minas.
     1.5.5.8 Jose Bento Coelho
     1.5.5.9 Natanael da Silva Coelho – falecido crianca
     1.5.5.10 Joel da Silva Coelho – Maria do Socorro Rodrigues Mourao
     1.5.5.11 Theolina da Silva Coelho – freira (Irma Juliana)
     1.5.5.12 Marieta da Silva Coelho – falecida crianca
     1.5.5.13 Joaquim (1o.) da Silva Coelho – falecido crianca
     1.5.5.14 Maria Nathalia da Silva Coelho – falecida crianca
     1.5.5.15 Joaquim (2o.) Bento da Silva Coelho – Luiza Nunes Leite
     1.5.5.16 Rita da Silva Coelho – falecida crianca
     1.5.5.17 Antonio da Silva Coelho – 1.5.1.5.1 ou 1.8.14.1 Alisa Coelho 
     1.5.5.18 Sebastiana da Silva Coelho – Gil Gualberto da Silva
 
     Agora se torna necessario apresentar mais uma familia precursora que sera a Oliveira. Nao temos dados mais precisos a respeito da origem de longa data da Familia Oliveira mas um ramo dela se instalou na Fazenda “Mixirico”, localizada entre os Municipios de Guanhaes e Virginopolis. La fora um dos ultimos pontos de prospeccao do ouro na regiao. A familia em Virginopolis foi comecada a partir do casal Y.
 
     Casal Y – Candido (Candinho Velho) de Oliveira Freire – Bernardina de Oliveira
     1. Candido (Candixinho) de Oliveira Freire – 1.5.6 Anna Honoria Coelho
     2. Antonio Candido de Oliveira – 1.5.9 Virginia Honoria Coelho
     3. Joao Candido de Oliveira – 1as. nupcias: Maria Pinto Coelho; 2as.: 1.1.2 Estefania Cafe (capitulo 19)
     4. Joaquim Candido de Oliveira – Ana Pinto Coelho
     5. Maria Tereza – Leonel Coelho de Oliveira
     6. Quiteria – 1as. nupcias: Afonso Coelho de Oliveira; 2as.: Joao Neto
     7. Maria Candida – Alexandre
 
     Seguindo, entao, as coordenadas da Familia Baptista Coelho
 
     1.5.6 Anna Honoria Coelho – Y.1 Candido (Candixinho) de Oliveira Freire
 
     1.5.6.1 Bernardino (Dino) Coelho de Oliveira – 1.6.3 Carmelita (Sianita) de Magalhaes Pacheco, filhos:
     1.5.6.1.1 Maria Efigenia Coelho Magalhaes – 1.3.2.3.? ou 1.5.4.3.? Jose Martinho (Ze Martinho) Coelho
     1.5.6.1.2 Victor Coelho de Magalhaes – Raimunda
     1.5.6.1.3 Jose Coelho de Magalhaes – Natalia Campos
     1.5.6.1.4 Candido Coelho de Magalhaes – 1.5.7.9.? Alzira Coelho Perpetuo
     1.5.6.1.5 Ina Coelho de Magalhaes – 1.5.7.10.1 ou 1.5.6.3.1 Gabriel Coelho de Oliveira *Seo Gabriel tornou-se a pessoa conhecida mais longeva na familia ao falecer aos 103 anos de idade superando Tia Nenen que chegou aos 101.
     1.5.6.1.6 Zacarias Coelho de Magalhaes – solteiro
     1.5.6.1.7 Geraldo Coelho de Magalhaes – Nadir Ferreira Ramos
     1.5.6.1.8 Maria Coelho de Magalhaes – Adalto Nunes Coelho
     1.5.6.1.9 Serafim Coelho de Magalhaes – 1.6.1.2.1.5 Julia da Cunha Menezes *Seo Serafim foi prefeito em Virginopolis.
     1.5.6.1.10 Otavio Coelho de Magalhaes – 1.8.6.16 ou 1.5.1.3.16 Maria Jose (Zeze) Coelho do Amaral *Tia Zeze faleceu em 2.010 e tio Otavio continua vivo aos 92 anos de idade.
     1.5.6.1.11 Afonso Coelho de Magalhaes – Maria Aparecida Diana
     1.5.6.1.12 Salva Coelho de Magalhaes – 1.6.1.2.1.3 Adail (Dada) da Cunha Menezes, em 2as nupcias dele; as 1as. foram “contra” Dejanira Campos
 
     1.5.6.2 Celina Coelho de Oliveira – 1as. nupcias: 1.6.5.1 Jose Pacheco de Magalhaes; 2as.: Benedicto Marques Vianna
 
     1.5.6.3 Fernando (Seo Fernando) Coelho de Oliveira – 1.5.7.4 Luiza (Sa Luiza) de Souza Coelho
     1.5.6.3.1 Gabriel Coelho de Oliveira – 1as. nupcias: 1.5.6.1.5 ou 1.6.3.5 Ina Coelho de Magalhaes; 2as., Virginia Nunes Soares
     1.5.6.3.2 Jose Coelho de Oliveira – solteiro
     1.5.6.3.3 Vita Coelho de Oliveira – solteira
     1.5.6.3.4 Francisca (Dona Chiquinha) Coelho de Oliveira – 1.8.11.2 ou 1.5.6.4.2 Elifas Rodrigues Coelho, em 2as. nupcias dele; 1as.: Sebastiana Nunes Leite
     1.5.6.3.5 Ana Coelho de Oliveira – descendencia em Sapucaia de Guanhaes
     1.5.6.3.6 Maria Coelho de Oliveira – 1.3.2.2.3 ou 1.5.4.2.3 Manasses Nunes Leite *salvo engano meu
     1.5.6.3.7 Secundo Coelho de Oliveira – Conceicao Byrro *O sobrenome esta entre os Pioneiros de Governador Valadares
     1.5.6.3.8 Virginia (Sa Virginia) Coelho de Oliveira – 1.3.2.3.1 ou 1.5.4.3.1 Pedro (Pedro da Sa Marta) Nunes Coelho
     1.5.6.3.9 Juvenal Coelho de Oliveira – Nair Lacerda
     1.5.6.3.10 Rafael Coelho de Oliveira – Geralda Figueiredo
     1.5.6.3.11 Miguel Coelho de Oliveira – 1.8.5.1.14 ou 1.5.10.1.14 Maria Lia Coelho
     1.5.6.3.12 Cira Guimaraes – solteira 
     *Os dados de filhos da Sa Luiza e So Fernando foram reunidos por mim mesmo, porem, nem todos com informacoes mais precisas. Assim, nao posso afirmar que eles estejam realmente em ordem de nascimento. Somente as datas de nascimento do dona Chiquinha, Seo Gabriel e tio Miguel estao registrados no livro da Ivania porque eles se casaram com primos e as familias dos primos estavam registradas.
 
     Uma curiosidade na familia sao os homens serem conhecidos pelo nome do pai. Assim temos, Miguel do Seo Fernando, Rafael do Seo Fernando etc. Outro detalhe foi a Cira Guimaraes ser filha adotiva. Contudo, embora nao tenhamos os dados precisos, ela era sobrinha-neta da Sa Luiza por um lado e descendente do ramo Joao Baptista Coelho Neto por outro. A mae faleceu e Sa Luiza e Seo Fernando a adotaram.   
    
     1.5.6.4 Marina (tia Nenen) Coelho de Oliveira – 1.8.11 Daniel Rodrigues Coelho *Tia Nenen chegou aos 101 anos de idade. Descendencia ja postada no espaco do tio Daniel.
     1.5.6.5 Octavio (Seo Otavio) Coelho de Oliveira – 1as. nupcias: 1.6.2.4 Francisca Nunes Coelho; 2as.: Efigenia Gloria; 3as.: 1.6.2.3.? Luzia Nunes Coelho
     1.5.6.6 Jose Candido de Oliveira – 1.8.7.3 Maria Marcolina Coelho 1as. nupcias dela; 2as. com 1.6.1.2.8 Horacio Nunes Coelho
 
     1.5.7 Emygdia Honoria Coelho – Amaro de Souza Silva
     1.5.7.1 Miguel de Souza Coelho – Julia (Julinha) Pacheco
     1.5.7.2 Prudencio de Souza Coelho – Rita
     1.5.7.3 Joao (Seo Joao de Souza) de Souza Coelho – Genoveva Fausta de Figueiredo
     1.5.7.4 Cesario de Souza Coelho – Maria Salome (Sa Lica) Coelho Lacerda 
     1.5.7.5 Emidio (Seo Emidio) de Souza Coelho – Zica Soares
     1.5.7.6 Itelvina de Souza Coelho – freira
     1.5.7.7 Virginia de Souza Coelho – Mariano Valois Guimaraes
     1.5.7.8 Elisa de Souza Coelho – Antonio (Antoninho) Perpetuo
     1.5.7.9 Maria de Lourdes de Souza Coelho – Jose (Seo Yeyeh) Coelho Lacerda
     1.5.7.10 Luiza (Sa Luiza) de Souza Coelho – 1.5.6.3 Fernando (Seo Fernando) Coelho de Oliveira 
     1.5.7.11 Gabriel de Souza Coelho – n nupcias: Isabel Alves
 
     1.5.8 Antonia Honoria Coelho – 1.6.3 Pedro de Magalhaes Barbalho
     1.5.8.1 Lavinia (1a.) de Magalhaes Barbalho
     1.5.8.2 Lavinia (2a.) de Magalhaes Barbalho – 1.6.1.4 Marcal (Nho Sazo) Nunes Coelho
     1.5.8.3 Olegario de Magalhaes Barbalho – Maria Augusta (Gulita) Pacheco Moreira
     1.5.8.4 Julia de Magalhaes Barbalho
     1.5.8.5 Maria Marcolina (1a.) de Magalhaes Barbalho – falecida crianca
     1.5.8.6 Laffaete de Magalhaes Barbalho
     1.5.8.7 Ignacio de Magalhaes Barbalho – Dulce Gomes da Silva
     1.5.8.8 Maria Marcolina (2a.) de Magalhaes Barbalho – familia em Divinolandia de Minas
     1.5.8.9 Alda de Magalhaes Barbalho – 1.5.6.1 Joao Magalhaes
     1.5.8.10 Sady (1o.) de Magalhaes Barbalho – falecido crianca
     1.5.8.11 Sady (2o.) de Magalhaes Barbalho *teve uma filha, Maria de Lourdes, em Itambacuri
     1.5.8.12 Gentil de Magalhaes Barbalho – solteiro
     1.5.8.13 Jose de Magalhaes Barbalho – 1as. nupcias: Aurora Monteiro; 2as.: 1.5.6.8 Candida Magalhaes
     1.5.8.14 Milton de Magalhaes Barbalho – Zulmira Monteiro -Itambacuri
 
     1.5.9 Virginia Honoria Coelho – Y.2 Antonio Candido de Oliveira
     1.5.9.1 Alcibiades Coelho de Oliveira – falecido crianca
     1.5.9.2 Maria Coelho de Oliveira – 1.5.12 Francisco (Ti Xico) Baptista Coelho
     1.5.9.3 Martha Coelho de Oliveira
     1.5.9.4 Bernardina Coelho de Oliveira
     1.5.9.5 Alcebiades (2o.) Coelho de Oliveira – falecido crianca
     1.5.9.6 Candida Coelho de Oliveira
     1.5.9.7 Alice (1a.) Coelho de Oliveira – falecida crianca
     1.5.9.8 Joao Coelho de Oliveira – falecido crianca
     1.5.9.9 Alice (2a.) Coelho de Oliveira
 
     1.5.10 Jose (Ze Coelho) Baptista Coelho – 1as. nupcias: 1.8.5 Maria Marcolina (Sa Quinha) Coelho; 2as.: 1.8.12 Virginia Marcolina Coelho *Ambos os casamentos ja foram recordados na Familia Rodrigues Coelho.
 
     1.5.11 Marcolina Honoria Coelho – Demetrio Coelho de Oliveira
     1.5.11.1 Hermiria – 1.883
     1.5.11.2 Antonietta – 1.884
     1.5.11.3 Julietta – 1.886
     1.5.11.4 Marietta – 1.888
     1.5.11.5 Octaviano – 1.890
     1.5.11.6 Maria – 1.892
     1.5.11.7 Juvenal – 1.895
     1.5.11.8 Jose – 1.897 falecido crianca
     1.5.11.9 Honorina – 1.900
     1.5.11.1 Valentina – 1.903
     1.5.11.11 Annita – 1.916
     *O nome de um dos primeiros moradores da Cidade de Coroaci, Minas Gerais, eh Demetrio Coelho de Oliveira. O evento inicial do Arraial se deu em 1.887. Nesta mesma epoca, tios Marcolina e Demetrio haviam se casado e comecado a ter seus filhos.
 
     Outra possibilidade sera a de o Coelho de Oliveira desse ramo da familia estar ligado `as familias de Sao Joao Evangelista. Isso se da por causa da frequencia do nome Demetrio e da presenca comum dos dois sobrenomes por la, desde antes da fundacao.
 
     Outro nome presente em Sao Joao Evangelista eh o de Manoel Henrique Coelho e o de Henrique Coelho em Coroaci. Pode ser que o morador de Coroaci seja descendente do morador de Sao Joao Evangelista. Torna-se mais facil haver essa expectativa em face do fato de tanto Sao Joao quanto Coroaci pertencerem a Pecanha `a epoca. Porem, tambem ai estou apenas apontando especulacoes, sem comprovantes documentais.
 
     1.5.12 Francisco (Ti Xico) Baptista Coelho – 1as. nupcias: 1.5.1.1 Maria Rosa (Mariquinhas) Coelho do Amaral
     1.5.12.1 Joao Eulalio Coelho – W.b.8 Amalia (Zica) Pereira do Amaral
     1.5.12.2 Jose Claro Coelho – 1.6.5.9 Julia Pacheco de Magalhaes
     1.5.12.3 Francisco Batista Coelho Junior
     1.5.12.4 Octavia Coelho do Amaral – W.b.7 Antonio Pereira do Amaral
     1.5.12.5 Amavel Baptista Coelho
 
     1.5.12 Francisco (Ti Xico) Baptista Coelho – 2as. nupcias: 1.5.9.2 Maria Coelho de Oliveira
     1.5.12.1 Gil Batista Coelho – D. Cici Andrade
     1.5.12.2 Antonio (Ti Antonio) Batista Coelho – 1.6.1.3.1.? Laura (tia Laurinha) Nunes Leite
     1.5.12.3 Benjamin (Bejo) Baptista Coelho – 1.5.6.1.5.2 ou  1.5.6.3.1.2 Neuza de Oliveira Magalhaes
 
     *A segunda familia do Ti Xico nao esta inscrita nos livros. No livro da Ivania, o acompanhamento captou os dados de d. Neuza e o apelido “Bejo”, que aparece como marido. Era uma pessoa por demais conhecida na Cidade de Virginopolis. Os outros dois filhos nao eram menos conhecidos, juntamente com suas esposas. Nao posso afirmar que a ordem dos nascimentos esteja correta. Porem, os outros dados sim.
 
          A FAMILIA “DE MAGALHAES BARBALHO”
 
     Entrando neste novo ramo da Familia Coelho sera preciso abrirmos espaco para mais um casal precursor. Eles ocuparao a ultima letra do alfabeto.
 
     Segundo as nossas tradicoes, Policarpo Barbalho teria vindo do Nordeste, Ceara ou Rio Grande do Norte, para cursar o Seminario, em Mariana. Antes de tornar-se padre conheceu Vita de Magalhaes, com quem se casou, e criaram a familia em Itabira. Apos ficar viuvo, retornou ao Seminario, ordenou-se e faleceu exercendo a funcao no Inficcionado, atual Distrito de Santa Rita Durao, do proprio Municipio de Mariana.
 
     O que sabemos de dados anteriores a respeito desse ramo eh muito pouco. O proprio nome da matriarca nos foi confirmado via Intenet. Num site onde se encontra informacoes a respeito dos bispos do Brasil, entre 1.550 e 1.950, ha um pequeno espaco ocupado pelo bispo, 1.6.8.3 D. Manoel Nunes Coelho. D. Manoel era bisneto do casal. Embora a pequena genealogia tenha um erro crasso, dando como pais da avo 1.6 Eugenia Maria da Cruz, a Joao e Luiza, quando deveriam ser 1. Jose e Luiza, que eram tanto bisavos paternos quanto maternos do bispo, nos informa que o nome da matriarca era Genoveva. Neste caso, a informacao se encontra com a tradicao, pois, Vita pode ser o diminutivo de Genoveva: Genovevita.
 
     Vamos aos dados entao:
 
     Casal Z – Policarpo Barbalho – Genoveva (Vita) de Magalhaes. pais de:
     Z.1 Padre, Emygdio de Magalhaes Barbalho – paroco em Guanhaes
     Z.2 Jose de Magalhaes Barbalho
     Z.3 Francisco Marcal de Magalhaes Barbalho – 1.6 Eugenia Maria da Cruz
     Z.4 Lucinda de Magalhaes Barbalho – Manoel Geraldo Fernandes Madeira
     Z.5 Manoel de Magalhaes Barbalho
 
     Nao temos informacoes completas a respeito. Sabemos que o Z.2 Jose manteve relacoes com uma mulher de origem africana. Nao sabemos se eram casados ou se tiveram outros filhos. Sabemos que foi pai de uma filha, Sinh’Anna. Sinh’Anna engravidou em Itabira e foi enviada pelo pai para que os tios: Padre Emygdio e Francisco Marcal, em Guanhaes, a ajudassem.
 
     Eles a acolheram e arranjaram alguem para casar-se com ela. O nome do pretendente era Domingos. Dai o filho que nasceu ficou conhecido como Joao Domingos. Porem, o nome de batismo era Joao Batista Magalhaes. Nao temos certeza de quem seja o pai dele. Ha a sugestao, da tradicao, que poderia ser alguem de importancia da sociedade itabirana que era casado, dai a opcao por isolar o filho do convivio local.
 
     Outra insinuacao era que fosse filho de musico de um circo do Rio de Janeiro que perambulava pelos interiores do Brasil. Mas essa tradicao pode ser apenas uma alusao ao fato de o tio Joaozinho ter sido um musico refinado, que tocava diversos instrumentos, alem de levar a vida fazendo piadas. Ele nao via as dificuldades como empecilhos para viver. Ele as usava como material para suas tiradas comicas. Ele proprio nao deixava que os netos o chamassem de avo. Para todos ele era o querido “tio Joaozinho”.
 
     Em razao de termos dois padres na mesma casa, assim o padre Emygdia brincava com o fato: “Eu sou padre, meu pai eh padre, eu nao sou filho de padre, e sou padre mais velho que meu pai”. Referindo-se a ter-se ordenado primeiro que o pai. 
 
     Segue, entao, os dados genealogicos da Familia de Magalhaes Barbalho:
 
     1.6 Eugenia Maria da Cruz – Z.3 Francisco Marcal de Magalhaes Barbalho
     1.6.1 Emygdia de Magalhaes Barbalho – X.2.3 ou 1.3.2.3 Jose Coelho Nunes *Como ja mencionado anteriormente, o livro da Ivania nao esclarece a procedencia desse Jose Coelho Nunes. Tenho razoes para suspeitar que, na verdade, ele seja o Jose Nunes Coelho, filho dos tios-trisavos: 1.3 Francisca Eufrasia de Assis – X.2 Tenente, Joaquim Nunes Coelho (capitulo 19). Alem de eles viverem nas proximidades, `a mesma epoca, os filhos receberam o sobrenome Nunes Coelho e nao Coelho Nunes.
     1.6.2 Petronilha (Pitu) de Magalhaes Barbalho – X.2.8 ou 1.3.2.8 Joao Nunes Coelho *idem (capitulo 19)
     1.6.3 Pedro de Magalhaes Barbalho – 1.5.8 Antonia Honoria Coelho *Ja apresentados
     1.6.4 Marcal de Magalhaes Barbalho – Ercila Coelho de Andrade
     1.6.5 Quiteria de Magalhaes Barbalho – Joaquim Pacheco Moreira
     1.6.6 Candida (Sa Candinha) de Magalhaes Barbalho – Joao Batista (Tio Joaozinho) Magalhaes
     1.6.7 Julia de Magalhaes Barbalho – solteira
     1.6.8 Ambrosina (Tia Sinha) de Magalhaes Barbalho – X.2.9 ou 1.3.2.9 Miguel Nunes Coelho (capitulo 19)
 
     1.6.1 Emygdia de Magalhaes Barbalho – 1.3.2.3 ou X.2.3 (*?) Jose Nunes Coelho
     1.6.1.1 Maria (Nhanha) Nunes Coelho – Francisco Pereira da Silva
     1.6.1.2 Pedro (Surdo) Nunes Coelho – Antonia (Sa Toninha) Nunes Lage
     1.6.1.3 Evangelina (Eva) Nunes de Magalhaes – Joao da Cunha Menezes *1as. nupcias dele; 2as com 1.6.1.2.1 Emidia Nunes Coelho, filha do Pedro “Surdo” e Sa Toninha.
     1.6.1.4 Marcal (Nho Sazo) Coelho Nunes – 1.5.8.2 ou 1.6.3.2 Lavinia (Sinha Lavia) de Magalhaes Barbalho
     1.6.1.5 Georgina (Sa Georgia) Nunes Coelho – Jose Pacheco Moreira
     1.6.1.6 Eugenia (Sinha Gininha) Nunes Coelho – Gabriel (So Gabi) Pereira
     1.6.1.7 Durval Nunes Coelho – Maria (Cota) da Cunha Menezes
     1.6.1.8 Maristela Nunes de Magalhaes – Francisco (So Chico) Pereira
     1.6.1.9 Diogenes (So Di) Nunes Coelho – Maria (Sa Cota) Pereira
     1.6.1.10 Leia Nunes Coelho
 
     Quebrando um pouco a regra, vou apresentar um pouco do inicio desse ramo da familia. A verdade eh que, por ser a filha mais velha e ter nascido em ano semelhante ao trisavo 1.5.1 Joao Baptista Coelho Junior, ela poderia ser postada na geracao de nossos trisavos e nao dos bisavos. Ha tambem um fato novo a ser comentado a respeito de uma das filhas do Pedro “Surdo” e Sa Toninha.
 
     1.6.1.2 Pedro (Surdo) Nunes Coelho – Antonia (Sa Toninha) Nunes Lage
     1.6.1.2.1 Emidia Nunes Coellho – Joao da Cunha Menezes, 2as. nupcias dele
     1.6.1.2.2 Eucalina Nunes Coelho – Joao Pereira
     1.6.1.2.3 Ebe Nunes Coelho – 1as. nupcias: Lolo Pereira; 2as.: Felipe
     1.6.1.2.4 Euripedes (Dodo) Nunes Coelho
     1.6.1.2.5 Mario Nunes Coelho
     1.6.1.2.6 Maria Nunes Coelho – freira (Irma Helena) *Recentemente fui informado que essa Irma Helena foi uma pessoa excepcional. Ficando orfao aos 10 anos de idade, entrou para um convento por vontade propria. Por causa dos dons que demonstrava ter, foi designada para administrar o Hospital para deficientes mentais em Barbacena. Contrariando todos os conselhos de psiquiatras `a epoca, aboliu os tratamentos violentos, como os `a base de choque. Quando os internos tinham alguma crise, bastava a presenca dela para se acalmarem.
 
     Atualmente, a bondade dela parece estar continuando a manifestar-se mesmo depois de ter deixado o convivio dos chamados “viventes”. Estao sendo atribuidos a ela alguns milagres. Possivelmente, a Irmandade a que ela pertencia ja deve estar preparando os tramites para candidata-la aos altares dedicados aos santos da Igreja Catolica. Apenas sinto dar a noticia sem mais detalhes tais como o local onde os milagres estao acontecendo. Ainda nao tive os detalhes dessa informacao.
     1.6.1.2.7 Carina Nunes Coelho – Vicente Loyola
     1.6.1.2.8 Horacio Nunes Coelho – 1as. nupcias: 1.8.7.3 Maria Marcolina Coelho; 2as.: 1.5.10.11 Noemi Marcolina Coelho.
     1.6.1.2.9 Lauro (Pitimba) Nunes Coelho – Maria dos Anjos Rabello
     1.6.1.2.10 Zina Nunes Coelho – 1.3.2.4 ou 1.5.4.4 Minervino Nunes Leite
 
     1.6.1.3 Evangelina (Eva) Nunes de Magalhaes – Joao da Cunha Menezes (1as. nupcias)
     1.6.1.3.1 Isaura Nunes Leite – Waldemar Nunes Leite
     1.6.1.3.2 Saulo da Cunha Menezes – Augusta
     1.6.1.3.3 Washington (Ostino) da Cunha Menezes – Ali (D. Lili) Vieira
     1.6.1.3.4 Afonso da Cunha Menezes – Ruth Nunes Coelho, filho: 
     *1.6.1.3.4.? Walter (Waltinho) da Cunha Menezes – 1.6.4.5.14 Maria do Socorro de Magalhaes Barbalho
     1.6.1.3.5 Jaime da Cunha Menezes – Zenoi Nunes Coelho
     1.6.1.3.6 Jose (Ze da Cunha) da Cunha Menezes – Afonsa
 
     Joao da Cunha Menezes – 2as. nupcias: 1.6.1.2.1 Emidia Nunes Coelho
     1.6.1.2.1.1 Ilca Menezes Coelho – 1.8.6.9 ou 1.5.1.3.9 Omar Rodrigues Coelho
     1.6.1.2.1.2 Ary da Cunha Menezes – Maria Marques
     1.6.1.2.1.3 Adail (Dada) da Cunha Menezes – 1as. nupcias: Dejanira Campos; 2as.: 1.5.6.1.12 ou 1.6.5.3.12 Salva Coelho de Magalhaes
     1.6.1.2.1.4 Olavia da Cunha Menezes
     1.6.1.2.1.5 Julia da Cunha Menezes – 1.5.6.1.9 ou 1.6.5.3.9 Serafim Coelho de Magalhaes
     1.6.1.2.1.6 Eder (Betinho) da Cunha Menezes – Cenira Campos
     1.6.1.2.1.7 Hilda (Zinha) da Cunha Menezes – Sebastiao (Pinheiro) Pinheiro de Carvalho
     1.6.1.2.1.8 Savio (Fadico) da Cunha Menezes – 1.5.10.6.7 ou 1.8.4.5.7 Hercy (Cici) de Magalhaes Barbalho
     1.6.1.2.1.9 Maria Jose (Zeze) da Cunha Menezes – 1.8.7.2.1 ou 1.6.4.11.1 Jaime Rodrigues Coelho
     1.6.1.2.1.10 Joao Sergio (Serginho) da Cunha Menezes – 1.8.5.4.9 ou 1.5.10.4.9 Nely de Aguiar Coelho
 
     1.6.1.6 Eugenia (Sinha Gininha) Nunes Coelho – Gabriel (Seo Gabi) Pereira
     1.6.1.6.1 Maria (Tota) Nunes Pereira – freira (Irma Eugenia)
     1.6.1.6.2 Cecilia Pereira Nunes – Frederico Knipp
     1.6.1.6.3 Geralda Pereira Nunes – 1.8.12.4 ou 1.5.10.10 Bernardino Baptista Coelho
     1.6.1.6.4 Petrina Pereira Nunes -1.8.5.1 ou 1.5.10.1 Jose (Juca Coelho) Baptista Coelho Junior, 2as nupcias dele; as 1as foram com 1.6.6.5 Davina Magalhaes
     1.6.1.6.5 Margarida (Nen) Pereira Nunes – Jose (Zeca) Ferreira Nunes, *filho unico:
     *Frei, Roberto – ja falecido
 
     1.6.1.7 Durval Nunes Coelho – Maria (Cota) da Cunha Menezes
     1.6.1.7.1 Efigenia (Gininha) da Cunha Menezes – Gabriel (Gabi) Sebastiao Soares
     1.6.1.7.2 Maria (Lica) – “Turco”
     1.6.1.7.3 Joao Nunes Coelho
     1.6.1.7.4 Liberalino (Bilim) Coelho Nunes
 
     *Nao expuz aqui todos os dados que temos e sim alguns que lembram-me pessoas conhecidas. Os que desejarem ter os dados mais completos podem procurar no site www.geneaminas.com.br que os encontrarao la.
 
     1.6.2 Petronilha (Tia Pitu) de Magalhaes Barbalho – 1.3.8 (*?) Joao Nunes Coelho
     1.6.2.1 Wantuil Nunes Coelho – 1as. nupcias: Maria Nunes Soares; 2as.: Maria Inah Leite de Oliveira; 3as.: Maria de Lima.
     1.6.2.2 Eugenio Nunes Coelho – Anita Ferreira da Silva
     1.6.2.3 Gabriel (Gabi) Nunes Coelho – Blandina Nunes Rabello
     *1.6.2.3.? Cassio Nunes Coelho – D. Lulu – Sao os pais da atual prefeita de Virginopolis, Marcia Nunes Coelho
     *1.6.2.3.? Luzia Nunes Coelho – 1.5.6.5 Otavio (Seo Otavio) Coelho de Oliveira, 3as. nupcias dele.
     1.6.2.4 Francisca Nunes Coelho – 1.5.6.5 Otavio (Seo Otavio) Coelho de Oliveira, 1as. nupcias dele.
     1.6.2.5 Maria Petrina Nunes Coelho – W.b.5 Amalho Pereira do Amaral
 
     1.6.3 Pedro de Magalhaes Barbalho – 1.5.8 Antonia Honoria Coelho *Ja foram postados acima
 
     1.6.4 Marcal de Magalhaes Barbalho – Ercila Coelho de Andrade *Ha aqui outro casal precursor, mas tambem uma falha na coleta de dados a respeito dele. Dindinha Ercila, como era mais conhecida por seus netos era filha de Joaquim Coelho de Andrade e de Joaquina Umbelina da Fonseca. Eles eram oriundos de Itabira, Minas Gerais.
 
     As tradicoes de familia contam que o bisavo Marcal estava em viagem, certamente a cavalo, la pelos anos de 1.875, e passou por uma fazenda na estrada entre Itabira e Guanhaes. Ali se encantou com os olhos verdes da filha do dono da casa. Tratou casamento, porem, antes que as bodas fossem celebradas, ele custearia as despezas da educacao da noiva, que fez o Normal em Diamantina., sendo professora em Virginopolis, alem de ter sido a primeira funcionaria local dos correios.
 
     Posteriormente, os trisavos Joaquim e Joaquina foram residir no Municipio de Divinolandia de Minas, numa comunidade que tinha um curso d’agua que ficou conhecido como Corrego dos Honorios. Joaquim do Honorio era como o trisavo era conhecido e o nome do curso d’agua foi uma homenagem por ele ter residido la. Ele deixou numerosa familia mas nao temos os dados.
 
     Antes, contudo, de haver o enlace o bisavo Marcal teve um encontro com outra mulher, da qual nao sabemos o nome. Desse encontro resultou o nascimento da tia Adelina Coelho de Magalhaes, que posteriormente veio a se casar com o portugues, Joaquim Afonso Painhas. Assim temos:
 
     1.6.4.1 Adelina Coelho de Magalhaes, 1.878 – Joaquim Afonso Painhas
     1.6.4.1.1 Vicente Magalhaes – Gecy Oliveira Magalhaes
     1.6.4.1.2 Geraldina (Sinha) de Magalhaes – Manuel (Nhonho) Francisco Cruz
     1.6.4.1.3 Joaquim Santos Painhas – Beatriz Vilaca 
     1.6.4.1.4 Maria (Mariinha) Magalhaes – Dr. Marcos Eustaquio Andrade
 
     As informacoes a respeito da familia da tia Adelina podem nao estar totalmente corretas porque alguem soprou-me a confidencia de que ela teria tido um marido muito boemio e de pouca responsabilidade, o que acabou pondo fim `a relacao. Posteriormente houve o casamento com o Joaquim Afonso Painhas e, talvez, os primeiros filhos nao sejam consanguineos dele. Eram, porem, por afinidade.
 
     Nota: Nas paginas 63/5 do livro A MATA DO PECANHA encontra-se a reproducao da Ata de Emancipacao de Guanhaes. Nela o bisavo 1.6.4 Marcal eh citado como vereador eleito e foi um dos que assinaram o documento. Acredito que tenha sido Juiz de Paz, servindo na Paroquia de Nossa Senhora do Patrocinio, atual Virginopolis.
 
     Terminadas essas explicacoes, exporemos os dados dos irmaos completos, filhos dos bisavos:
 
     1.6.4 Marcal de Magalhaes Barbalho – Ercila Coelho de Andrade
     1.6.4.2 Onesimo de Magalhaes Barbalho – Marietta Nunes Rabello
     1.6.4.3 Vita de Magalhaes Barbalho – Joaquim Soares de Oliveira
     1.6.4.4 Trajano (Cista) de Magalhaes Barbalho – 1.8.6.1 ou 1.5.1.3.1 Zulmira Coelho de Magalhaes
     1.6.4.5 Marcial (1o.) de Magalhaes Barbalho – falecido crianca
     1.6.4.6 Marcial (2o.) de Magalhaes Barbalho – 1.5.10.6 ou 1.8.5.6 Ceci Marcolina Coelho
     1.6.4.7 Salva de Magalhaes Barbalho – freira (Irma Helena)
     1.6.4.8 Murillo de Magalhaes Barbalho – falecido aos 18 anos
     1.6.4.9 Filotheia (Teteh) de Magalhaes Barbalho – solteira
     1.6.4.10 Olga de Magalhaes Barbalho – Francisco (Chico) de Oliveira Catao (capitulo 19)
     1.6.4.11 Dafinis de Magalhaes Barbalho – falecido crianca
     1.6.4.12 Abila (Biloca) Patrocinio de Magalhaes – 1.8.7.2 Sady Rodrigues Coelho
 
     1.6.5 Quiteria de Magalhaes Barbalho – Joaquim Pacheco Moreira
     1.6.5.1 Jose Pacheco de Magalhaes – 1.5.6.2 Celina Coelho de Oliveira, 1as. nupcias dela; as 2as. foram com Benedicto Marques Vianna
     1.6.5.2 Carlota pacheco de Magalhaes – Jeronymo Jose de Figueiredo, Divinolandia de Minas
     1.6.5.3 Carmelita (Sianita) de Magalhaes Pacheco – 1.5.6.1 Bernardino (Dino) Coelho de Oliveira
     1.6.5.4 “Tiers” Pacheco de Magalhaes
     1.6.5.5 Alice Pacheco de Magalhaes
     1.6.5.6 Maria Julia de Magalhaes Pacheco – 1.6.6.4 Wilson (Sao) Magalhaes
     1.6.5.7 Gil Pacheco de Magalhaes – Maria Vieira *O Seo Gil Pacheco foi um dos Pioneiros de Governador Valadares.
     1.6.5.8 Dulce de Magalhaes Pacheco – 1.8.5.2 ou 1.5.10.2 Aquiles (So Ti) Baptista Coelho
     1.6.5.9 Julia Coelho de Magalhaes – 1.5.12.2 ou 1.5.1.1.2 Jose (Ze Claro) Claro Coelho
 
     1.6.6 Candida (Sa Candinha) de Magalhaes Barbalho – Z.2.?.? Joao Batista (Tio Joaozinho) de Magalhaes
     1.6.6.1 Joao Magalhaes Junior – 1.5.8.9 ou 1.6.3.9 Alda de Magalhaes Barbalho
     1.6.6.2 Eliezer (So Li) Magalhaes – So Li foi solteiro mas deixou um filho
     1.6.6.3 Emygdia (Miluca) Magalhaes – 1.5.1.8 Evencio Batista Coelho
     1.6.6.4 Wilson (Sao) Magalhaes – 1.6.5.6 Maria Julia de Magalhaes Pacheco
     1.6.6.5 Davina Magalhaes – 1.8.5.1 ou 1.5.10.1 Jose Baptista (Juca Coelho) Coelho Junior, 1as nupcias dele; 2as com: 1.6.1.6.4 Petrina Pereira Nunes
     1.6.6.6 Getulio Magalhaes – foi solteiro mas foi clandestinamente pai biologico de dona Aracy Andrade que se casou com Jose (Zezito) Lucio de Oliveira Filho.
     1.6.6.7 Maria (Maricas) Magalhaes – 1.8.6.3 ou 1.5.1.3.3 Sinval Rodrigues Coelho *foi Pioneiro em Governador Valadares
     1.6.6.8 Candida Magalhaes – 1.5.8.13 ou 1.6.3.13 Jose de Magalhaes Barbalho, 2as. nupcias dele; 1as com: Aurora Monteiro
     1.6.6.9 Gastao Magalhaes – 1.8.13.1 ou 1.5.1.6.1 Julita Coelho do Amaral
 
     1.6.7 Julia de Magalhaes Barbalho – solteira
 
     1.6.8 Ambrosina (Tia Sinha) de Magalhaes Barbalho – 1.3.9 Miguel Nunes Coelho
     1.6.8.1 Ismael (1o.) Nunes Coelho – falecido crianca
     1.6.8.2 Consuelo (Beben) Nunes Coelho, 1.882
     1.6.8.3 Dom Manoel Nunes Coelho – ordenado bispo em 14.11.1.920
     1.6.8.4 Laurentina (Lala) Nunes Coelho – 1.886
     1.6.8.5 Miguel Nunes Coelho Filho – 1.3.2.2.1 ou 1.5.4.2.1 Maria Marcolina Nunes Leite
     1.6.8.6 Ismael (2o.) Nunes Coelho – Herminia Ferreira Nunes
     1.6.8.7 Notel Nunes Coelho – Maria Isabel Rodrigues, filho:
     *1.6.8.7.? Monsenhor, Omar Nunes Coelho – 8.5.1.915 + 28.1.2.009
     1.6.8.8 Laet Nunes Coelho – Isabel Maestre
     1.6.8.9 Maciel Nunes Coelho – Maria (Lica) Figueira
     1.6.8.10 Gamaliel Nunes Coelho
     1.6.8.11 Jose Nunes Coelho
     1.6.8.12 Ottaniel Nunes Coelho
     1.6.8.13 Misael Nunes Coelho
     1.6.8.14 Maria de Lourdes Nunes Coelho
     *Tios-bisavos Sinha e Miguel mudaram-se de Virginopolis para Coroaci proximo `a data de fundacao do vilarejo que deu inicio `a cidade, onde tiveram os filhos mais novos. Miguel faleceu em 1.903, deixando a viuva acompanhada apenas de jovens e criancas.
 
     O bispo Dom Manoel tornou-se padre em 27.4.1.909 quando pode dar assistencia `a mae. Foi sagrado bispo em 14.11.1.900 e tomou posse em 10.4.1.921, no antigo Aterrado. Este foi o primeiro nome da Cidade de Luz, Minas Gerais. Seu sobrinho, Omar Nunes Coelho, seguiu-lhe os passos e tornou-se auxiliar do tio.
 
          22. TIO OLIMPIO JOSE PIMENTA, UM CASO APARTE
 
     Eu havia prometido para depois esclarecer certas confusoes em relacao ao aparentamento ocasionado por esse figuraco em nossa familia. Creio que consegui entender uma mensagem codificada deixada no livro A MATA DO PECANHA, a respeito dele e outros personagens, porem, vou ter que trazer `a luz outras coisas interessantes. Penso que houve um certo excesso de pudor ao professor Dermeval Pimenta em falar claramente a respeito do assunto. Exclarecimentos:
 
     TIO OLIMPIO. Em primeiro lugar, colocarei a descricao dele, feita no livro. “Eh natural de Sao Sebastiao dos Correntes (Sabinopolis), nascido em 21 de fevereiro de 1.850, onde se casou com a sua prima: LUDUGERIA FRANCELINA DO AMARAL.  Em 1.892, mudou-se para Sao Joao Evangelista, associou-se ao seu irmao CORNELIO JOSE PIMENTA na exploracao da Fazenda das Casuarinas, de propriedade deste ultimo.
 
     Enviuvando, casou-se com uma outra sua prima, QUITERIA ROSA, em Sabinopolis. Arrendou a Fazenda das Palmeiras, em Sao Joao, de propriedade do Senandor JOAO NEPUOMUCENO KUBITSCHEK. Tornando a ficar viuvo, casou-se, pela terceira vez, com RITA LACERCA, irma do Padre JOAQUIM LACERDA, primeiro Vigario da localidade.
 
     Mudou-se, em 1.910, para o Arraial de Santo Antonio de Guanhaes [atual Correntinho], onde comprou uma fazenda e nela residiu ate o seu falecimento, em 10-5-1.944, com a avancada idade de 84 anos. Dos seus tres casamentos nasceram dezoito filhos.
 
     Era de uma vitalidade fora do comum. Deixou, espalhada pelos Municipios de Sao Joao Evangelista, Sabinopolis, Pecanha, Maranhao [Sao Sebastiao do], Governador Valadares e Belo Horizonte, uma enorme descendencia.”
 
     Na verdade, apesar de a parte citada do livro dar a imprensao que tio Olimpio tenha tido 18 filhos ao todo, ela omite dois, que aparecem nas paginas 150 e 285. Sao filhos de SEBASTIANA (D. INHA) PEREIRA DO AMARAL. Qual a razao o professor teria para nao deixar bem clara essas existencias?
 
     Talvez precisemos voltar um pouco no tempo e fazer uma citacao biblica. Assim esta escrito la: “Ninguem de voces se aproximara de uma parenta proxima, para ter relacoes sexuais com ela. Eu sou Jave. Nao tenha relacoes sexuais com sua mae. Ela eh de seu pai, e eh sua mae; nao tenha relacoes sexuais com ela. Nao tenha relacoes sexuais com a concubina de seu pai; pois ela pertence ao seu pai. Nao tenha relacoes sexuais com sua irma, seja por parte de pai, seja de mae, nascida em casa ou fora dela. Nao tenha relacoes sexuais com suas netas, pois elas sao sua propria carne. Nao tenha relacoes sexuais com a filha da concubina de seu pais, pois ela eh sua irma. Nao tenha relacoes sexuais com sua tia paterna, pois ela eh do sangue de seu pai. Nao tenha relacoes sexuais com sua tia materna, pois ela eh do sangue de sua mae. Nao ofenda seu tio, irmao de seu pai, tendo relacoes sexuais com a mulher dele, pois ela eh sua tia. Nao tenha relacoes sexuais com sua nora, pois ela eh a mulher do seu filho. Nao tenha relacoes sexuais com sua cunhada, pois ela pertence ao seu irmao. Nao tenha relacoes sexuais com uma mulher e com a filha dela, nem com a neta dela. Sao parentes, e isso seria uma infamia. Nao case com uma mulher e com a irma dela, criando rivalidades, ao ter relacoes sexuais tambem com ela enquanto a outra vive.” Lv 18, 6-18 Certamente, nem todo mundo respeitou esses preceitos biblicos em nossa familia, porem, sera que o tio Olimpio os transgrediu?!
 
     “A vida imita a arte”. Este ditado deve ter sido bolado por alguem que nao conhecia a vida. Claro, esta pessoa queria apenas vangloriar-se de si mesma ou “queria puxar mais sardinhas para sua latinha”, pois, quando a arte chega a vida ja esteve la muito antes.
 
     Antigamente, circulava uma pequena estoria para diversao dos leitores. Nao me recordo das palavras mas lembro-me da essencia. Ela era mais ou menos assim:
 
     “Encontraram um morto. Ao lado do corpo um bilhete. O delegado o recolheu e leu: “Prezados senhores investigadores da policia. Nao culpem ninguem por minha morte. Eu proprio a terei tirado quando estiverem lendo este bilhete.
 
     O que levou-me a cometer o suicidio foi o seguinte: solteiro eu era quando conheci uma jovem viuva que me pareceu muito atrativa. Casamo-nos. Ela tinha uma filha do casamento anterior dela. Meu pai, que tambem era viuvo, se encantou com a filha de minha esposa, propos o casamento e nos nao vimos nenhum problema quanto a isso.
 
     Passado algum tempo, minha esposa deu `a luz um filho meu. Aconteceu de na casa de meu pai tambem nascer outro menino, filho de meu pai com a minha enteada.
 
     Agora, passado algum tempo, comecei a pensar as nossas relacoes familiares. Atinei para o fato de o filho do meu pai ser meu irmao. Ate ai tudo bem. Mas tambem me lembrei que a esposa de meu pai eh filha da minha esposa, portanto, eh minha filha. De repente, descobri que sou avo do meu irmao.
 
     Pensando melhor, eu sou avo de mim mesmo. Assim, antes que comecem as insuportaveis gozacoes, acabarei com minha propria vida. Nao quero nem pensar mais nas relacoes familiares que poderao advir desses fatos.”
 
     Seguindo um tema correlato, anda circulando atualmente na internet, outra estoria igualmente curiosa. Tambem nao sei repetir as palavras. Trata-se de um homem que comunica que ele iria se casar. A mae toda satisfeita pergunta com quem. Ele fala um nome que ela acha estranho por parecer-lhe masculino. Dai o dialogo flui com algum humor.
 
     Ela descobre que o filho era gay e esta preocupada porque pensa que nao tera netos. Entao, o filho diz que eles terao filhos atraves de barriga de aluguel. A coisa se complica porque o filho ira doar o esperma para combinar com o ovulo da sua ex-namorada, ele fora hetero, que, naquele momento, seria a futura esposa da irma dele. Ou seja, a dona “Maria” tinha um casal de filhos gays.
 
     A mulher ja esta apavorada com a reacao que o marido teria quando for comunicado das “boas novas”. Ai o filho completa que o segundo filho que terao sera por meio de doacao inversa, ou seja, a irma dele contribuiria com o ovulo e o namorado dele com o esperma.
 
     No fim, a estoria eh concluida com o desabafo materno dizendo que o que os filhos estariam se propondo a fazer nada mais era que o “swing” de casais, pratica ja antiga de alguns. Ainda acrescenta: “Vai ser foda fazer Arvore Genealogica daqui para frente!”
 
     Nunca foi facil fazer Arvores Genealogicas, porem, a grande dificuldade eh nao se ter acesso aos dados corretos. Quanto a “brincar” de descobrir o grau de parentesco entre as pessoas, torna-se a coisa mais facil do mundo, quando se tem pratica. Nao importam as circunstancias dos casamentos. Essas estorias nada mais sao que a filtracao do humor por tras de fatos reais e ocasionais.
 
     Voltando ao tio Olimpio. Tenho a liberdade de chama-lo de tio porque a primeira esposa dele, Ludugeria, era filha dos nossos tetravos: Daniel Pereira do Amaral e Maria Francelina Borges Monteiro. Alem disso, ele era primo proximo, pois era filho do Modesto Jose Pimenta com a tia-tetravo Ermelinda Querubina, irma do avo Daniel. O proprio Modesto, pai do tio Olimpio, era filho do Boaventura Jose Pimenta e tia-tetravo Maria Balbina de Santana, irma da avo Francelina.
 
     Como se ja nao bastasse essa confusao, vem o fato nao revelado abertamente no livro A MATA DO PECANHA. O que esta escrito na pagina 150 eh que eh o revelador: “SEBASTIANA PEREIRA DO AMARAL (85), mais conhecida pelo apelido de D. INHA, casou-se em Sao Sebastiao dos Correntes, com o viuvo, fazendeiro DANIEL PEREIRA DO AMARAL. Em 1.903, ja viuva, mudou-se para Sao Joao Evangelista.
 
     Na relacao de filhos de D. Inha (85) estao Georgina, esposa de Jose Antonio Silva (Joao Botija); Lilia, esposa de Joao Julio (Zico) de Andrade e de Vitalino Anthero da Mota, sem ter filhos; Elpidio(69), casado com Dalila Pimenta (filha de 77); Maria Carolina (Quinha), casada com Anselmo Goncalves de Almeida Costa (filho de 06, Goncalo de Almeida Costa);  e Antonio Augusto, casado com Maria Alves. A pagina 285 revela que os dois ultimos foram filhos do tio Olimpio, restando, entao, os tres primeiros para o fazendeiro Daniel Pereira do Amaral.
 
     Outra coisa que nao ficou esclarecida foram as datas de nascimento dos filhos do tio Olimpio com D. Inha. Mas parece que ficou viuvo em 1.903, indo casar-se oficialmente em 1.908, pela terceira vez na vida. Este foi o intervalo que melhor se encaixa na biografia dele, pois, ambos estavam residindo em Sao Joao Evangelista.  
 
     Bom, ai entra o excesso de pudor. O avo Daniel eh o unico que aparece varias vezes no livro como sendo: “o fazendeiro”. Titulo que talvez tenha lhe valido por ele ter comprado as partes dos cunhados na Fazenda de Santo Antonio da Penitencia, antiga propriedade de seus sogros, nossos pentavos: Antonio Borges Monteiro Junior e Maria Magdalena de Santana. Tambem nao revelado no livro, supoe-se que a avo Francelina teria falecido anteriormente ao nascimento dos filhos de D. Inha.
 
     Elpidio (69), o terceiro filho do avo Daniel e D. Inha, “Era filho desse fazendeiro e nasceu em 14-2-1.883″ (pag. 141). As outras datas nao sao reveladas. Isso foi o que me fez compreender que nos tivemos mais tres tios-trisavos, alem dos 9 (nove) filhos dos avos Daniel/Maria Francelina. Ao todo sao 10 filhos porque ai se inclui a tetravo Maria Marcolina.
 
     A relacao dos nove eh essa: Daniel, casado com a prima Ana Pereira, residentes em Sabinopolis; Amelia, casada com seu primo, (73) Miguel Pereira do Amaral; Alfredo, casado com Maria Dias, tambem residiu em Sao Joao, nao teve filhos e nao esta relacionado entre os moradores; Ludugeria, esposa do tio Olimpio(65);  Virginia, casada com Joaquim (Nou Pinto) Moreira Pinto e residiram em Guanhaes; Maria Francelina (filha), casada com David Barroso, local de moradia nao fornecido mas foi, provavelmente, Sabinopolis; Ana Francelina (53), ja era viuva de Americo Bessa; Antonio Borges do Amaral (52) e Arthur Borges do Amaral (63). Vide esposas dos dois ultimos nos capitulos 14 e 15 porque sao 6 ao todo.
 
     Aqui esta o resumo de tudo isso. O tio Olimpio casou-se em primeiras nupcias com a tia Ludugeria, sendo ela filha do fazendeiro Daniel Pereira do Amaral. Nesse caso, o tio Olimpio tornou-se filho dele tambem. Na sequencia, a avo Maria Francelina Borges Monteiro falece.
 
     O avo Daniel, nascido em 1.818, deveria estar por volta dos seus 60 anos quando ficou viuvo. Deve ter escolhido uma jovenzinha para fazer-lhe companhia na velhice. Talvez imitando o rei David. Uma questao nao solucionada eh que o professor Pimenta da o nome Sebastiana (D. Inha) Pereira do Amaral a ela, mas nao esclarece se ja havia algum grau de parentesco ou se se tratava de nome adotado apos o casamento. Ao que tudo indica, ja seria parente.
 
     Casando-se com o tetravo Daniel, D. Inha tornou-se “mae” de todos os filhos dele, inclusive da tia Ludugeria. Por extensao, tornou-se “mae” do tio Olimpio, o marido da tia Ludugeria. Dai, ao se deitarem juntos, eram “mae” e “filho”. Algo proibido e abominavel perante as leis biblicas. Geneticamente falando, tambem seria uma abominacao, caso os lacos consanguineos fossem reais.
 
     O que houve, na verdade, foi algo nao verdadeiramente etico. A falta de casamento entre eles, inclusive, deve ter ocorrido em funcao das reservas que a Igreja teria em casa-los oficialmente. Mas, a priori, nao havia, aparentemente, um impedimento genetico mais grave que o proprio casamento ocorrido entre o tio Olimpio e tia Ludugeria, ou com a segunda esposa dele, Quiteria Rosa de Jesus Amaral, que era igualmente prima, filha do Joao Pereira do Amaral, tio-avo tanto do tio Olimpio quanto do avo Daniel.
 
     Enfim, estas sao coisas da vida que a arte tenta reproduzir atraves de estorias comicas. No fundo, coisas muito mais espantosas ja ocorreram ha milhares de anos, pois, que nao fosse assim, os escritores biblicos nao teriam tido o cuidado de escrever leis contra praticas que ainda nao existiam. Embora alguns creem o contrario, os escritos biblicos nao surgiram para previnir maus procedimentos. Eles foram escritos para tentar evitar a repeticao destes.
 
          23. RECENTES E ANTIGAS DESCOBERTAS DE FILHOS PROEMINENTES
 
     Claro, muita gente tem se destacado. Tanto entre os antigos quanto os atuais. Estou omitindo muitos que se tem destacado como professores, politicos, profissionais liberais, estudantes e uma gama enorme. O problema eh que, se fosse fazer justica a todos, teria que escrever um livro aparte. Para evitar o trabalho estou cometendo injustica com muitos. desculpem-me.
 
     1.6.1.2..6 Maria Nunes Coelho. Ela foi filha do Pedro “Surdo”, filha de Emigdia, filha da Eugenia, filha do Jose Coelho da Rocha. Foi irma de caridade. Agora estao surgindo relatos de milagres creditados `a intecessao dela. Mais detalhes, sigam a serie de numeros e verifiquem no espaco ocupado por ela.
 
     1.8.1.8.2.1.? Victoria Dreesmann. Esta na sequencia do tio-bisavo Antonio Rodrigues Coelho Junior. Bisneta do Dr. Dion, neta da Maria Vitoria e filha da Andrea Coelho de Botton. Esta seguindo a carreira de Modelo fotografico.
 
     1.8.1.8.2.2.? Andre Galvao de Botton. Primo da Victoria. Filho do Alexandre Coelho de Bottom. (Salvo algum engano de minha pesquisa). Destacou-se ao longo dos ultimos anos como lutador de Jiu-Jitsu. Em 2.010 lancou o livro: “Drill to Win, 12 Months to Better Brazilian Jiu-Jitsu”. Traducao minha: Treinamento para Vencer, 12 Meses para Melhorar o Seu Jiu-Jitsu, Estilo Brasileiro. Ele foi assistido por Kevin Howell e a editora eh americana.
 
     1.8.6.2.3.2.1, 1.8.9.1.3.2.1 ou 1.5.1.3.2.3.2.1 Dr. Bernardo Lemos Ferreira. Como se pode observar, o Dr. Bernardo tem um lado muito Coelho. Filho do Nelson, neto do Paulo e bisneto dos tios avos, Cantidio Ferreira e Elgita. Associado ao Lemos da mae, Diana, alem de uma boa porcentagem Nunes Coelho, nao representada pelo codigo de numeros. Eh neto da Maria do Rosario, filha do (X.3.4) Dr. Chiquitinho. 
 
     Eh um jovem de 35 anos, doutorado pela Harvard. Recentemente contratado pela mesma Universidade para encabecar pesquisas na area de genetica. Tera o seu proprio laboratorio e equipe. A responsabilidade que recaira sobre os ombros dele sera grande. Mas quem atingiu o nivel que ele atingiu nao tera sido com irresponsabilidade. Nao eh mesmo?!
 
     1.5.1.5.3.1.2.1 ou 1.8.14.3.1.2.1 Marcela Pereira Coelho. Eh atriz. Filha da Rosemai, filha da Luci, filha da Cira, dos tios-bisavos: Simao Batista e Maria Carmelita Coelho. Participou da serie da Globo, Clandestinos.
 
     1.5.6.1.1.2.2.1 ou 1.6.5.3.1.2.2.1 Barbara (Babitha) Soalheiro. Filha do Laureano Soalheiro, filho da d. Lulu (Luisa), filha de d. Efigenia, filha do Bernardino (Dino) , filho dos tios-bisavos Anna Honoria e Candido de Oliveira; e Carmelita (Sianita), filha dos tios-bisavos Quiteria de Magalhaes Barbalho e Joaquim Pacheco Moreira.
 
     Ela eh historiadora e autora de um livro. Apresentou a obra no programa do Jo Soares.
 
     1.8.8.6.1.2.1 Alexandre Cafe Birman. Filho da Maria Lucia, filha do Gilberto, filho da Corina e Antenor Cafe. A Corina era filha dos tios-bisavos: Luiza Marcolina Coelho e Emidio Ferreira da Silva. 
 
     1.8.8.6.5 Emidio Ferreira da Silva Junior. Irmao da Corina e casado na mesma casa, com a Candida Cafe. Foi Engenheiro de Minas e professor na Escola de Engenharia de Ouro Preto.
 
     1.8.11.6.1 ou 1.5.6.4.6.1 Maria Bernadete Campos Coelho. Ex-diretora do Grupo Escolar Nossa Senhora do Patrocinio em Virginopolis, poetisa, e livros publicados. A sexta irma, Maria Helena, foi bibliotecaria da mesma escola e tambem poetisa. Sao filhas de d. Helena, filha dos tios-bisavos: Daniel Rodrigues Coelho e Marina (Nenen) Coelho de Oliveira.
 
     1.3.9.3 ou 1.6.8.3 Bispo D. Manoel Nunes Coelho. Filho dos tios-bisavos Ambrosina (Sinha) de Magalhaes Barbalho e Minguel Nunes Coelho.
 
     1.3.9.7.1 ou 1.6.8.7.1 Monsenhor, Omar Nunes Coelho. Sobrinho do bispo D. Manoel e filho de Notel Nunes Coelho e Maria Isabel Rodrigues.
 
     1.6.5.7 Gil Pacheco de Magalhaes. Destacou-se como Pioneiro em Governador Valadares e era filho dos tios-bisavos Quiteria de Magalhaes Barbalho e Joaquim Pacheco Moreira.
 
     1.5.1.9 Francisco (Seo Chiquinho) Coelho Sobrinho. O tio-bisavo foi jornalista e foi lembrado na serie da Globo a respeito da vida do ex-presidente Juscelino Kubistchek. Foi casado com Maria Salome (Memeh) Campos que tambem fazia as poesias dela.  
 
     1.5.1.9.4 Jorge Campos Coelho. Filho do Seo Chiquinho. Foi um lutador pela educacao no Brasil. Foi funcionario da C.N.E.G – Campanha Nacional de Escolas Gratuitas, posteriormente mudada para Escolas da Comunidade.
 
     1.8.1 Antonio Rodrigues Coelho Junior. O tio-bisavo foi deputado estadual e federal. Os Drs Euler e Alyrio de Salles Coelho, filhos dele e da tia Rita Ferreira Salles, foram altos funcionarios do governo federal.
 
     1.8.3.3.2 ou 1.5.3.9 Ondina Coelho. Filha do Seo Dimas Baptista Coelho e Maria Magdalena (Sinha) Coelho. Seo Dimas era filho dos tios bisavos: Antonio Paulino Coelho e Julia de Salles Coelho (ele filho do Joao Baptista e ela filha do Antonio Rodrigues, dai eram primos primeiros). A Maria Magdalena era filha dos tios bisavos Altivo Rodrigues Coelho e Vitalina (Nhanha) Nunes Coelho. Ondina foi esposa do ex-deputado, Vicente Fernandes Guabiroba.
 
     X.3 Capitao, Francisco Nunes Coelho. Foi vereador pela cidade do Serro e ajudou na emancipacao de Pecanha e Guanhaes. Foi Agente Executivo (Prefeito) de Guanhaes.
 
     X.3.4 Dr. Francisco (Chiquitinho) Nunes Coelho. Filho do anterior. Foi deputado e senador quando as Assembleias Estaduais eram compostas de duas camaras.  
 
     X.3.4.2 Dr. Rafael Caio Nunes Coelho. Filho do Dr. Francisco. Foi deputado estadual e federal.
 
     Roberto Lucio Rocha Brant. Bisneto do coronel, Cornelio Jose Pimenta. Politico muito conhecido em Minas Gerais.
 
     Fernando Rocha Brant. (Fernando Brant). Irmao do anterior. Ele nao eh tao conhecido pelas pessoas fora do meio musical, porem, tenho um disco da colecao Millennium, que supostamente reune as melhores musicas cantadas por Milton Nascimento. Entre as 20 letras cantadas temos: 1. Unencounter (Cancoes da Americas); 2. Raca; 3. Nos Bailes da Vida; 4. Para Lennon e Maccartney; 5. Maria, Maria; 6. Milagres dos Peixes; 7. Encontros e Despedidas; 8. Coracao Civil (Foi o Hino pelas Diretas Ja); 9. Roupa Nova e 10. Travessia. Todas resultantes da parceria de Fernando Brant e Milton Nascimento.
 
     Formavam, na epoca, com outros expoentes da musica mineira, o Clube da Esquina. Entre os membros do clube estao: Sergio Magrao, Lo e Marcio Borges, Beto Guedes, Ronaldo Bastos, Wagner Tiso. Para citar somente alguns.
 
     Jose Bonifacio Barroso Mourao. Deputado e ex-prefeito de Governador Valadares. Eh bisneto de Aureliano Borges Pimenta e igualmente nosso aparentado tanto pelo lado Borges Monteiro quanto Pereira do Amaral.
 
     2.5.2.2 Nelson Coelho de Senna. O professor Nelson dispensa apresentacoes. Entre os netos dele temos a Sylvia Emilia que foi mae de dois outros filhos, casados na familia real brasileira. Um trineto, Raul Bernardo Nelson de Senna Neto, foi atleta olimpico. Existem outros destaques neste ramo que vou omitir.
 
     2.5.3.2.1 Dr. Innocente Soares Leao. Foi advogado. Autor do livro: “Notas Historicas Sobre Guanhaes.”
 
     Dermeval Jose Pimenta. Autor do livro: “A MATA DO PECANHA”. Ha um Curriculum Vitae na pagina dele no site geneaminas.com.br. Quem desejar consulta-lo aprendera muita coisa a respeito da capacidade desse nosso primo.
 
     Dr. Luiz Eugenio Pimenta Mourao. Nosso primo pelo lado Borges do Amaral. Autor do livro: “Genealogia e Biografias de Serranos e Diamantinenses.”
 
     1.5.1.3.5.7.6 ou 1.8.14.7.6 ou 1.6.4.3.8.6, entre outros numeros, Ivania Batista Coelho. Filha dos tios Eurico Batista Coelho e Odila de Magalhaes Barbalho. Eh autora do livro: “Arvore Genealogica da Familia Coelho.”
 
     Resolvi resumir nessa pequena relacao os expoentes da familia. Eh obvio que tive que omitir nomes como os do vovo Cista (Trajano de Magalhaes Barbalho), Ti Juca (Jose Rodrigues Coelho), ex-prefeitos de Virginopolis, ou dona Maria Jose Aguiar, tambem ex-diretora do Grupo Escolar Nossa Senhora do Patrocinio; muitas e muitas professoras, prefeitos e autoridades em outras cidades e mesmo Juizes de Direito. A lista eh grande.
 
     Claro, como eu disse, nao estou fazendo justica com todos. Mesmo porque, deve haver muita gente de destaque por ai, que faz parte da nossa familia, e nos nao sabemos disso, porque nao temos o acompanhamento genealogico de todo mundo. O que eu desejava fazer aqui era tao somente reunir alguns pontos de referencias.
 
     Pontos de referencias nas familias sao importantes pelo fato de eles permanecerem por mais tempo na memoria popular. Assim, se dois desconhecidos se encontram e se falarem a respeito de seus familiares, os pontos de referencias servem para localizar-se melhor a origem de uma e da outra pessoa. Quando coincide de um mesmo ponto de referencia ter ambas na parentalha, entao, torna-se mais facil localizar-se o parentesco entre os, ate entao, desconhecidos.
 
     Eles tambem sao otimos para ajudar-nos a conhecer a Historia. A maioria das pessoas comuns pensa nao haver relacao alguma entre elas proprias e as personalidades historicas que estudam em classes de aula. Essa falha esta no sistema escolar e na pouco importancia que a maioria dedica ao tema genealogia. Quando se esta estudando Historia, seria bom que as pessoas tivessem suas Arvores Genealogicas ao seu alcance. Assim, elas ficariam surpresas como, de fato, seus ancestrais sao tao importantes para a Historia quanto os pontos de referencia. Muitas vezes, seus ancestrais sao os proprios pontos de referencia.
 
     Posso citar exemplos faceis e praticos em relacao a isso. Se o tema de uma aula que acabassemos de assistir fosse a respeito dos governadores de Minas Gerais, pelo menos um deles nos ficaria facil de lembrar. Trata-se do ex-governador Joao Pinheiro da Silva. Ele foi pai de, entre outros, donas Amanda e Lucia Pinheiro. Elas sao, repectivamente, esposas do dr. Caio Nelson de Senna, filho do professor Nelson e ex-deputado, e professor Dermeval Jose Pimenta. Alem disso, sao irmas de outro ex-governador: o dr. Israel Pinheiro da Silva.
 
     Os pontos de referencia na familia tambem facilitam o contato e localizacao geografica das pessoas. O pai do Fernando e Roberto Brant: Moacir Pimenta Brant, por exemplo, foi Juiz de Direito em Uberaba, Diamantina e Belo Horizonte. Casou-se com dona Iolanda Raimunda Rocha, em Pitangui.
 
     Provavelmente, se quizermos referencias em Uberaba, poderiamos recorrer `a presenca la do Juiz de Direito, dr. Mozart de Moraes Miranda, natural de Sao Carlos do Pinhal, SP; casado com Iracema Pimenta da Rocha, que era neta do coronel, Cornelio Jose Pimenta (30). Ou podemos recorrer `a familia do professor Nelson Coelho de Senna porque a filha dele, Maria Emilia, casou com o banqueiro Ronan Rodrigues Borges, membro de familia tradicional de la.
 
     Se precisarmos de mais uma referencia junto ao Poder Judiciario mineiro, podemos buscar o exemplo do dr. Arthur Borges do Amaral Neto. Ele era, simultaneamente, neto dos tios Antonio (52) e Arthur Borges do Amaral (63); neto tambem de Gabriela Pimenta, neta da tia Maria Balbina de Santana; e casado com dona Iolanda Pimenta da Rocha, neta do coronel Cornelio (30). Foi Juiz de Direito em diversas comarcas.
 
     Para nao esticar mais esse assunto eh visivel uma diferenca entre as margens Pimenta e Coelho de nossa familia. Aquela margem tem muito mais representantes engenheiros, advogados, medicos etc. Ja a Coelho pareceu dedicar-se mais aos valores espirituais, tanto eh o numero de representantes que temos no clero. Com particular exemplo na casa do sr. 1.5.7.4 Cesario de Souza Coelho e Maria Salome (Sa Lica) Coelho Lacerda. So eles tiveram 4 filhas freiras. Sao elas: Maria Jose, Paulina (Maria), Ana e Madalena.   
 
     Por justica mesmo eu venho tentando colher os dados de todos e coloca-los na Arvore Genealogica. Nao importa se sao ou nao referencia. Nao creio que dentro de uma familia existam aqueles que se encaixam e os que nao se encaixam nos dados recolhidos. Quando consideramos familia, temos que considerar todos igualmente importantes. O importante sao os gens transmitidos. A presenca da responsabilidade ou nao na paternidade eh outro departamento.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.

Join 1,022 other followers