A DIVINA PARABOLA

CONTEUDO DESTE BLOG – ALL CONTENTS

0. PURA MISTURA

https://val51mabar.wordpress.com/2016/06/08/conspiracoes-alienigenas-tesouros-desaparecidos-e-dominacao/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/12/23/aliens-conspiracies-disappeared-treasures-and-dominance/

1. GENEALOGIA

https://val51mabar.wordpress.com/2016/03/25/os-rodrigues-coelho-e-andrade-do-carlos-drummond-em-minas-gerais/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/07/22/um-nosso-lado-cristao-novo-e-talvez-outro-paulistano/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/05/10/nos-os-nobres-e-a-avo-do-juscelino-tambem-pode-ter-sido-barbalho-coelho/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/03/07/algumas-notas-genealogicas-20132014/

https://val51mabar.wordpress.com/2014/04/14/genealidade-e-genealogia-de-ary-barroso/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/12/06/genealogias-de-familias-tradicionais-de-virginopolis/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/05/30/barbalho-coelho-pimenta-no-site-www-ancestry-com/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/09/11/barbalho-pimenta-e-talvez-coelho-descendentes-do-rei-d-dinis/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/02/24/historico-do-povoamento-mineiro-genealogia-coelho-cidade-por-cidade/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/23/a-historia-da-familia-coelho-do-centro-nordeste-de-minas-gerais/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/04/24/a-familia-coelho-no-livro-a-mata-do-pecanha/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/03/arvore-genealogica-da-familia-coelho-no-sitio-www-geneaminas-com-br/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/09/22/ascendencia-dos-ancestrais-jose-coelho-de-magalhaeseugenia-rodrigues-rocha-uma-saga-a-ser-desvendada/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/01/17/a-heranca-furtado-de-mendonca-no-brasil/

2. RELIGIAO

https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/01/28/o-livro-do-conhecimento-de-deus/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/01/22/carta-de-libertacao/

3. OPINIAO

https://val51mabar.wordpress.com/2014/06/08/a-iii-gm/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-outros-textos/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/05/12/neste-mundo-so-nao-eh-gay-quem-nao-quizer/

4. MANIFESTO FEMINISTA

https://val51mabar.wordpress.com/2010/07/21/13-estrelas-mulher/

5. POLITICA BRASILEIRA

https://val51mabar.wordpress.com/2010/10/16/o-direcionamento-religioso-errado-nas-questoes-eleitorais-brasileiras/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/10/19/resposta-de-um-neobobo-ao-excelentissimo-sr-ex-presidente-fernando-henrique-cardoso/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/08/01/miilor-melou-ou-melhor-fernandes/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/05/carta-ao-candidato-do-psol-plinio-de-arruda-sampaio/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/26/politica-futebol-musas-e-propaganda-eleitoral-antecipada-obama-grandes-corporacoes-e-imigracao/

6. MISTO

https://val51mabar.wordpress.com/2014/06/08/a-iii-gm/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/11/06/trilogia-de-variedades/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/12/30/2012-in-review/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/03-o-menino-que-gritava-lobo/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-i/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-ii/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-iii/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/meus-escritos-no-facebook-iv/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/02/14/uma-volta-ao-mundo-em-4-ou-3-atos-politica-internacional-do-momento/

7. IN INGLISH

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/02/the-nonsense-law/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/21/13-stars-woman/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/10/05/the-suicidal-americaa-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/25/100-reasons-to-amnesty-the-undocumented-workers-in-united-states/

https://val51mabar.wordpress.com/2009/09/25/about-the-third-and-last-testament/

https://val51mabar.wordpress.com/2009/09/12/the-third-and-last-testament/

8. IMIGRACAO

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/17/imigracao-sem-lenco-e-sem-documento-o-barril-transbordante-de-injusticas/

 

 

A DIVINA PARABOLA
O CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS
IV VOLUME

APRESENTACAO

Este livro foi escrito ha 12 anos. Desde, entao, eu apenas o havia datilografado e nao mais o li. Somente nos ultimos tres meses o fiz, inevitavelmente, porque o redatilografei para publica-lo em meu blog na Internet.

Esta releitura foi uma gratissima surpresa. Muito detalhezinho ja se havia esvaido de minha memoria, entao, a releitura tornou-se duplo prazeirosa porque tambem eu fui surpreendido pelo que esta escrito. Existem cenas fortes e emocionantes. Algumas poderao levar o leitor ao choro e algumas mais ao arrepio.

Nao eh uma Obra feita para agradar a todos os gostos. Tem muito de exame de consciencia e pessoas que se virem contrariadas em suas opinioes poderao nao gostar. Mas o objetivo principal nao eh impor ideias. E sim procurar fazer as pessoas refletirem a respeito do mundo passado, do mundo que temos para decidirmos qual o mundo deixaremos para nossa descendencia.

A gente que escreve sabe. Ter a ideia de escrever um livro nao eh dificil. Escreve-lo eh um pouco complicado. Porem, o mais dificil eh manter grande parte do escrito em um mesmo nivel. Isso penso que foi conseguido nesta Obra.

Quando comecei a redatilografa-lo, nao o fiz com tanto animo. Este eh o IV volume de minha Obra. Os volumes I e II ja foram publicados em ingles mas, por razoes adversas, esta como que encalhado. Nao se pode dizer isso atualmente porque os livros somente sao imprimidos quando existem pedidos para faze-lo. Como sou “autor desconhecido” tambem nao ha procura. Este eh o mal de publicar-se sob esse sistema. O frequentador de livrarias nao ve o livro, nao o pega nas maos, nao da uma espionada em seu interior e, entao, tambem nao compra. Se fosse de um autor super conhecido, tudo ficaria mais facil.

O meu desanimo se justificava porque ja publiquei o III volume no meu blog. Apesar de gratuita a sua leitura as visitas a ele tem sido poucas. Dai, o eu ter gasto tanto tempo ate redatilografar ate a pagina 70 das 141, tamanho oficio, que contem o original. Das 70 paginas em diante eu redatilografei em menos de 15 dias.

Por que? Porque me senti tao envolvido pela releitura que esqueci-me completamente de que o estava escrevendo para que outros o lessem tambem. Reescrevi nessa velocidade porque eu proprio estava gostando tanto que quis satisfazer a minha propria curiosidade a respeito dos detalhes da Obra. Confesso que gostei muito. Mas precisava de segundas opinioes.

Basicamente, mantive a escrita de 12 anos atras. Algumas poucas pessoas que ganharam copias que fiz naquela epoca poderao verificar isso. Apenas redividi os paragrafos grandes e os capitulos grandes em porcoes menores, para facilitar a leitura. Procurei separar o nucleo de cada pensamento em apenas paragrafos de 3 linhas, como base.

As alteracoes foram poucas. Elas se limitaram, na maioria das vezes, a apenas reorganizar as palavras nas frases, a substituir palavras por sinonimos que melhor transmitiam o pensamento. Acrescentei tambem uns 4 ou 5 paragrafos. Porem, eles serao faceis de identificar porque fazem mencoes a coisas que aconteceram depois da escrita do livro. Eh o caso da mencao aos terremotos na Indonesia e no Japao. O assunto terremoto ja era o moto de quando o livro foi escrito e as citacoes foram apenas para registrar a confirmacao. Nao se preocupem. Nao se trata de adivinhacao de nenhum futuro.

Bom, nao vou contar o resto para nao revelar as surpresas. Sigam lendo a introducao escrita ha 12 anos atras com outras pequenas alteracoes no final dela. O IV volume nao tinha nome e ganhou um agora que eh A DIVINA PARABOLA. Nome que no final dele ja estava como mencao de 12 anos atras, mas nao adocao.

O IV volume do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS foi escrito com a intencao de abordar a maioria dos aspectos que atingem com maior forca a vida humana atual. Aconselhariamos a quem o lesse a le-lo na integra, porem, conhecemos bem a vida moderna e nao esperamos que todas as pessoas tenham tempo para isso logo que tenham acesso a ele.

Mesmo sabendo que melhor eh perdermos um pouco de tempo, porem, recebermos uma BOA NOVA, resolvemos deixar algumas dicas que poderao ajudar ao leitor, sem tempo, a fazer uma pre-leitura de partes que o tocarao mais profundamente ate que haja disponibilidade para a completa leitura.

Este volume comeca, efetivamente, no capitulo 008. Os capitulos anteriores a ele tem o objetivo de envolver o leitor com a historia contada.

O capitulo seis, o mais longo desta primeira parte, tem o objetivo maior de prestar alguma informacao aos leitores estrangeiros e aos leitores do futuro. Ele relata uma resumida Historia Brasileira do seculo XX, do ponto de vista migratorio. Leitores brasileiros contemporaneos nao deverao encontrar novidades nele.

A leitura do capitulo cinco eh essencial a todas as classes de leitores porque este da um sinal ao que veio a Obra.

Pessoas que ocupam cargos publicos poderao optar por ler primeiro os capitulos 19 e 20; alem dos 36 a 38 e 43.

Pessoas envolvidas com evangelizacao podem optar por ler primeiramente, alem do capitulo cinco, o capitulo 44 e o Epilogo.

Pessoas envolvidas com a aplicacao da justica, indicamos os capitulos 33 e 43.

Pessoas envolvidas com a economia, indicamos os capitulos 35 e 41.

O melhor eh, quem queira fazer leitura dinamica, recorrer ao indice e se orientar pelos titulos dos capitulos. O nome de cada capitulo ira indicar o assunto que mais interessa ao leitor individualmente.

A todos em geral, porem, recomendamos a leitura completa.

As outras recomendacoes sao as mesmas do III volume, ou seja, tenham em maos uma canetinha marcadora para frisar as partes que mais profundamente os tocarem.

Tambem deste volume nao se pedira pagamentos de direito autoral ao escritor. Qualquer pessoa que gostar da obra tem o direito de fazer quantas copias desejar para repassa-las aos amigos.

Framingham, 16 de janeiro de 2000.
18A Victor Road
Framingham – MA – USA

Ja se passaram 12 anos desde que esta Obra foi escrita. Na presente Escritura ouveram algumas alteracoes estruturais como a subdivisao de capitulos em capitulos menores. A intencao eh a de facilitar a leitura. Porem, desestruturou as recomendacoes logo acima e os capitulos indicados podem nao ser os mesmos. Porem estarao em torno do indicado.

Paragrafos tambem foram subdivididos para que ficassem menores e contivessem apenas um nucleo de pensamento em cada um. O objetivo eh o mesmo. Facilitar a leitura.

INDICE

No. Titulo pagina

000 Apresentacao 000
001 Algumas citacoes 01
002 A fe e o caminho para Deus 03
003 Salvos pela fe e pela boa obra 04
004 Quem serve corretamente a seu irmao? 05
005 “Quem quer ir para o Ceu?” 07
006 Apresentacao da Comunidade Brasileira nos EEUU 08
007 Aviso aos Teofilos 14
008 Imagem Descritiva do Ceu 14
009 Fazer da Terra uma extensao da Casa de Deus 15
010 Pequenas Observacoes 17
011 O Acesso ao Vestibulo do Ceu 17
012 A Terra Cujo Nome Era Diferente 19
013 A Comissao de Recepcao 20
014 O Grande Capital 23
015 Os Dons que Veem de Deus 24
016 O Jogo de Deus 26
017 Pausa para o Culto a Deus 29
018 Dados Sobre o Exterminio das Guerras 31
019 O Caminho das Aguas 32
020 As Aguas Continuam a Rolar 36
021 O Anuncio do Fim de Todas as Guerras 40
022 Anunciando Armagedom 42
023 Com a Palavra: Lucida 46
024 Batalhas de Armagedom 48
025 A Pedra de Cal Sobre o Demonio 51
026 O Tratado dos Limites do Vazio e da Elevacao 53
027 Os Poderes da Mente, O Vazio e o Preenchimento 56
028 Confrontos Com Teistas Radicais e Satanistas 60
029 Os Teistas Radicais se Voltam Contra os Reencarnistas 62
030 Ataque dos Teistas Radicais ao Uso de Imagens e Simbolos 65
031 Falsos e Verdadeiros Milagres 68
032 A Justica que Nasceu de Deus 70
033 Lucida Continua na Justica de Deus 72
034 Licao de Libertacao 75
035 A Harmonia Mundial Translucidiana 78
036 A Humanizacao da Economia Mundial 80
037 Percorrendo Translucida 84
038 Ajuda Mutua Entre Nacoes 87
039 Emprego dos Dons em Translucida 89
040 Um Outro Lado de Translucida 91
041 E Assim Nos Falamos 94
042 O Copioso Choro Sem o Ranger dos Dentes 96
043 O Conhecimento da Universidade 99
044 Inicio dos Ultimos Extertores do Teismo Radical 102
045 O Significado das Palavras Eh Solucao Para Problemas 104
046 Translucida Pacificada 111
047 O Fim das Diferencas Economicas 113
048 O Sexo em Translucida 117
049 Anunciacao de Um Novo Dia 122
050 Nossas Palavras 124
051 Despedidas de Translucida 129
052 A Luz Permanece em Nossa Viagem 134
Epilogo 137
Observacoes 140
Agradecimentos 140
Continuidade? 140
Framingham, 23 de maio de 1999 141

CAPITULO 001 – ALGUMAS CITACOES

12 “Aqui esta a perseveranca dos santos, daqueles que guardam os mandamentos de Deus e a fe em Jesus. 13 Ouvi, entao, uma voz que vinha do ceu dizendo: “Escreva: Felizes os mortos, aqueles que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espirito, descansem de suas fadigas, pois suas obras os acompanham.”” Ap. 14, 12-13.

22 “Jesus disse para eles: “Tenham fe em Deus. 23 Eu garanto a voces: se alguem disser a esta montanha: levante-se e jogue-se no mar, e nao duvidar no seu coracao, mas acreditar que isto vai acontecer, assim acontecera.”” Mc 11, 22-23.

09 “Ninguem agira mal nem provocara destruicao em meu monte santo, pois a Terra estara cheia do conhecimento de Jave, como as aguas enchem o mar.” Is 11, 09.

17 “Mas eu digo a voces que me escutam: amem os seus inimigos e facam o bem aos que odeiam voces. 28 Desejem o bem aos que os amaldicoam, e rezem por aqueles que caluniam voces.” Lc 6, 27-28.

38 “Persegui e alcancei os meus inimigos
e nao voltei sem os ter consumido.
39 Eu os derrotei, e nao puderam levantar-se:
eles cairam debaixo dos meus pes.
40 Tu me cingistes com vigor para o combate
e curvaste sob mim os agressores.
41 Tu me entregaste a nuca dos inimigos
e eu exterminei os meus adversarios.
42 Eles gritaram, mas ninguem os socorreu.
Gritaram para Jave, mas ele nao respondeu.
43 Eu os reduzi como poeira ao vento,
eu os pisei como o barro das ruas.” Salmo 18 (17) atribuido a David.

25 “Dai, Eliseu foi para Betel. Enquanto subia pelo caminho, um bando de garotos, que tinham saido da cidade, comecaram a zombar dele, gritando, “Suba, careca! Suba, careca!” 24 Eliseu virou-se, olhou para eles e os amaldicoou em nome de Jave. Entao duas ursas sairam do bosque e despedacaram quarenta e dois garotos.” II Rs 2, 23-24.

13 “Depois disso, alguns levaram criancas para que Jesus tocasse nelas. Mas os discipulos os repreendiam. 14 Vendo isso, Jesus ficou zangado e disse: “Deixem as criancas vir a mim. Nao lhes proibam, porque o Reino de Deus pertence a elas. 15 Eu garanto a voces: quem nao receber como crianca o Reino de Deus, nunca entrara nele.” 16 Entao Jesus abracou as criancas e abencoou-as pondo a mao sobre elas.” Mc 10, 13-16.

35 ” Entao Jesus se sentou, chamou os doze e disse: “Se alguem quer ser o primeiro, devera ser o ultimo, e ser aquele que serve a todos.” Depois Jesus pegou uma crianca e colocou-a no meio deles. Abracou a crianca e disse: 37 “Quem receber em meu nome uma destas criancas, estara recebendo a mim. E quem me receber, nao estara recebendo a mim, mas aAquele que me enviou.”” Mc 09, 35 37.

40 “Mas nao depende de mim conceder o lugar aa minha direita ou esquerda. Eh Deus Quem dara esses lugares aaqueles, para os quais Ele preparou.” Mc 10, 40.

44 “…e quem de voces quiser ser o primeiro, devera tornar-se o servo de todos. 45 Porque o Filho do Homem nao veio para ser servido. Ele veio para servir e para dar a sua vida como resgate em favor de muitos.”” Mc 10, 44-45.

18 “Combata o bom combate 19 com fe e consciencia.” 1Tm 1, 18-19.

22 “Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nos e ajuda-nos.” Jesus disse: “Se podes!… Tudo eh possivel para quem tem fe.” 24 O pai do menino gritou: “Eu tenho fe, mas ajuda a minha falta de fe.”” Mc 09, 22-24.

06 “Porem, quando ja estava perto da casa, o oficial mandou alguns amigos dizer a Jesus: “Senhor, nao te incomodes, pois eu nao sou digno de que entres em minha casa: 07 nem sequer me atrevi a ir pessoalmente a teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu empregado ficara curado. 08 Pois eu tambem estou sob a autoridade de oficiais superiores, e tenho soldados sob minhas ordens. E digo a um: Va, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem; e ao meu empregado: Faca isso e ele o faz.” 09 Ouvindo isso, Jesus ficou admirado. Voltou-se para a multidao que o seguia, e disse: “Eu declaro a voces que nem mesmo em Israel encontrei tamanha fe.” Lc 07, 06-09.

21 “Jesus olhou para ele com amor e disse: “Falta so uma coisa para voce fazer: va, venda tudo, de o dinheiro aos pobres, e voce tera um tesouro no ceu. Depois venha e siga-me.” 22 Quando ouviu isso o homem ficou abatido e foi embora cheio de tristeza, porque ele era muito rico. 23 Jesus entao olhou em volta e disse aos discipulos: “Como eh dificil para os ricos entrar no Reino de Deus!”” Mc 10, 21-23.

43 “Entao Jesus chamou os discipulos e disse: “Eu garanto a voces: essa viuva pobre depositou mais do que todos os outros que depositaram moedas no tesouro. 44 Porque todos depositaram do que estava sobrando para eles. Mas a viuva na sua pobreza depoistou tudo o que tinha, tudo o que possuia para viver.” Mc 12, 43-44.

15 “As autoridades dos judeus ficaram admiradas e diziam: “Como eh que este homem tem tanta instrucao, se nunca estudou?”” Jo 07, 15.

25 “Quando voces estiverem rezando, perdoem tudo o que tiverem contra alguem, para que o Pai de voces que esta no ceu tambem perdoe os pecados de voces. 26 Mas, se voces nao perdoarem, o Pai de voces que esta no ceu nao perdoara os pecados de voces.” Mc 11, 25-26.

03. “Jesus perguntou: “O que eh que Moises mandou voces Fazer?” 04 Os fariseus responderam: “Moises permitiu escrever uma certidao de divorcio e depois mandar a mulher embora.” 05 Jesus entao disse: “Foi por causa da dureza do coracao de voces que Moises escreveu esse mandamento.” Mc 10, 03-05.

“Errais em nao conhecerdes as escrituras.”

Estudar escrituras por meio de citacoes eh um bom exercicio para ampliar os nossos conhecimentos com Respeito a Deus. Confrontar umas com as outras, nos ensina a discernir melhor a Vondade de Deus. Reagrupar as citacoes apuradas eh preparar o nosso caminho para uma Boa Nova.

Sabemos que estudar os Caminhos de Deus por meio de citacoes nao eh a melhor forma de encontrarmo-nos com Ele. Nao aconselhamos aos iniciantes a adquirir o conhecimento dessa forma. As citacoes acima veem na espectativa de que as pessoas, ao lerem o presente volume do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS ja tenham conhecimento pelo menos geral do teor biblico. Assim, evita-se que o leitor seja levado a tomar atitudes posteriores apenas em funcao do seu estado mental momentaneo.

O Pai nao deseja de nos apenas um envolvimento emocional. Ele Deseja sim uma reacao da consciencia, capaz de transformar as nossas emocoes em compromisso. Nao desejamos que este livro se transforme em mais uma fonte de divisao do mundo. Defendemos que todos tenham conhecimentos equivalentes para que a situacao de desuniao entre os povos de Deus, que existe atualmente, nao perdure para sempre.

Tambem concordamos que nao eh fazendo as coisas que Moises, os profetas, ou mesmo Jesus ou os demais lideres espirituais falaram que nos fara ir ao Reencontro com Deus. Nao sera porque fomos mandados fazer as coisas que nos disseram que devemos faze-las. De nada adianta fazermos as coisas simplesmente porque somos mandados, exceto quando criancas ou na falta de juizo proprio.

Devemos fazer as coisas porque o desejar faze-las nos tocou no intimo e eh por nossa propria decisao e vontade que as fazemos. Mas, antes de tudo, eh necessario consultarmos os nossos razao e juizo se o que desejamos fazer constitui o nosso proprio bem e eh benefico ao corpo da humanidade.

CAPITULO 002 – A FE E O CAMINHO PARA DEUS

Este capitulo foi aberto em funcao da forma incorreta como parte de, senao todos, nossos evangelizadores atuais tem se dedicado ao servico a Deus. Tem concentrado seus esforcos de evangelizacao usando apenas a fe como argumento. Pregam como se todos fossemos obrigados a acreditar no que falam. Como se fossem os donos da Verdade e como se na ausencia deles a Verdade nao existiria. Falam demais e nada ouvem. Nao fazem exame proprio de consciencia. Nunca admitem os proprios erros.

Taxam como erro a qualquer opiniao alheia. Nao meditam a respeito das Coisas de Deus alem dos limites internos da porcao escolhida por eles das Escrituras, eleitas como porcoes nobres. E seguem sua pregacao distorcida, voltada apenas para suas proprias vontades e nao para a Vondade Divina.

Claro, para o ser humano, a fe tem um valor inigualavel. Eh por meio da fe que ele eh iniciado nas Coisas de Deus.

Quando somos criancas, somos conduzidos pelos adultos, que nos falam o que eh o bem e o que eh o mal. Se os adultos que nos ensinam tais coisas, suprem as nossas necessidades e nos abrigam com amor, passamos a confiar neles irrestritamente. Entao, passamos a crer em todas as coisas que nos sao ditas. Nao porque tenhamos conhecimento delas mas porque somos conduzidos por nossa fe nos adultos.

Por isso, fe pode ser definida como sendo o acreditar naquilo que nao se tem conhecimento proprio dele; ou o acreditar naquilo que imaginamos nunca ter visto ou, ainda, acreditar naquilo que esperamos existir, baseados apenas em sinais e evidencias.

Mas, sera que a fe sozinha eh o suficiente para a salvacao de todas as pessoas? Com certeza, nao.

Basta-nos analisarmos a vida de qualquer pessoa considerada enviada por Deus. Verificamos que estas pessoas tem fe mas elas nao ficam paradas em suas fes. Pelo contrario, a fe as impulsiona a tomar atitudes novas, a preservar o que andou correto e a consertar o que andou errado. Esta tomada de atitude nao eh mais fe, ela eh boa obra. Sem ela a fe eh morta.

CAPITULO 003 – SALVOS PELA FE E PELA BOA OBRA

Muitos diriam que os primeiros discipulos de Jesus, incluindo-se os onze chamados apostolos (doze excluindo Judas Iscariotes) foram salvos pela fe que tiveram. Claro, eles tinham fe mas esta era limitada. Constatamos tal coisa pelos proprios livros biblicos. “14 Por fim Jesus apareceu aos onze discipulos enquanto estavam comendo. Jesus os repreendeu por causa da falta de fe e pela dureza de coracao porque nao tinham acreditado naqueles que o tinham visto ressuscitado.” Mc 16, 14.

Claro, o livro de Marcos eh contraditorio porque afirma logo em seguida aa citacao acima que “Quem nao acreditar, sera condenado.” Verso 16. Isso, referindo-se a outros evangelizados que nao os apostolos. Mas como o Pai nao faz distincao entre pessoas, apenas por falta de fe, nao condena.

Assim, podemos constatar que os proprios apostolos faltaram com a fe, apesar de terem sido testemunhas oculares de tantos feitos magnificos de Jesus. Podemos concluir que os apostolos nao puderam ser salvos pela propria fe que tinham mas esperamos que o consigam pela atitude que tomaram de levar a noticia de Jesus a todos os povos que puderam. Nao foi por fe que fizeram isso mas sim pelo conhecimento que receberam dele. O Conhecimento os levou aa boa obra de evangelizarem.

“Deixem as criancas vir a mim. Nao lhes proibam, porque o Reino de Deus pertence a elas.” Mc 10, 14. Como podemos observar, criancas nao tem conhecimento das Coisas de Deus e, na maioria das vezes, ainda nao estao preparadas para praticarem boas obras, porem, o Pai Concede a elas o caminho da fe. Este caminho eh extensivo tambem aos adultos que nao podem decidir por si proprios. Estes, “que nao sabem o que fazem”, sao criancas que cresceram mas que nao amadureceram.

Por fim, nao se pode atribuir a salvacao de todas as pessoas a um unico requisito. Eh mais comum que se tenha a combinacao de pelo menos dois e a nosso enxergar estes requisitos sao pelo menos tres: fe, boas obras e conhecimento.

Tambem eh importante que se observe que o batismo de aguas nao eh imprescindivel. Imprescindivel eh a Vontade e o Poder de Deus. Isto podemos observar pela citacao de Lc 07, 06-09 (Capitulo 001, Algumas Citacoes): “Nem mesmo em Israel encontrei tamanha fe.” Esta frase dita, por Jesus, a respeito de um oficial romano comprova nossa observacao. O oficial nao pertencia aa irmandade de Jesus, portanto, nao era do Caminho, nem Judeu e, muito menos, batizado. A leitura completa da passagem de Lucas, que vai dos versos 01-10, revela que o oficial nao somente tinha fe, mas tambem praticava boas obras, as quais o justificavam.

Aqui queremos ter o, talvez, atrevimento perante aos homens de reclamar o direito aa salvacao para Herbert de Souza (O Betinho) que nasceu no cristianismo e foi batizado. Durante o transcorrer de seu bom combate pela vida declarou-se ateu convertido. Apesar de declarar-se ateu, travou uma intensa luta a favor dos excluidos no Brasil, que perdurou ate a morte dele mas que, em sequencia ao exemplo dado por ele, continua a ser travada.

Acreditamos ser inimaginavel, o Pai, nao conceder um Bonus Especial de Salvacao para uma pessoa que tanto amou ao proximo, como o Betinho demonstrou amar, sem reinvindicar o proprio beneficio. Declarando-se ateu ele nao praticava o bem a troco do beneficio futuro de sua Salvacao futura.

CAPITULO 004 – QUEM SERVE CORRETAMENTE A SEU IRMAO?

Servir e praticar boa obra sao sinonimos. Todo o que serve aa Vontade do Pai faz uma boa obra e toda boa obra eh servi-Lo. Servir eh a principal Recomendacao que o Pai nos deu. O principio de tudo para nos eh servi-Lo. Servir aos irmaos eh uma consequencia de servir ao Pai. Ha pois que definir melhor o que eh servir, no sentido Divino.

Usaremos uma parabola para demonstrar essas coisas.

“Havia ha muito tempo um homem rico e que havia transformado um capturado de guerra em seu escravo. Este homem escravizado pertencia a um povo livre, que nao acreditava em escravidao. Para mante-lo na condicao de escravo, o homem rico amarrou-lhe correntes com uma bola de ferro, nos pes dele, para que nao fugisse.

O homem escravizado passava todo o seu tempo imaginando formulas de escapar daquela situacao. Certa vez, descobriu um ponto fraco na corrente que o prendia aa bola de ferro. Quando foi levado para o campo, para o trabalho na lavoura, aproveitou-se de uma falha da vigilancia para se distanciar do grupo de escravos e feitores. Distante, usou duas pedras para romper a corrente e iniciar sua fuga. Porem, nao conseguira romper a corrente que atava uma perna aa outra e isto possibilitou a sua recaptura.

De volta ao cativeiro, foi espancado e suas correntes foram restauradas. Apesar dos maltratos recebidos e todas as ameacas de morte, manteve o dialogo a seguir com seu senhor, que fora ve-lo apos recapturado e castigado.
— E entao, aprendeu que nao ha como fugir de meu jugo?
— Falhei hoje mas continuarei tentanto.
— Nao seria mais facil voce se conformar? Se voce trabalhar para mim por alguns anos, sem causar-me transtornos, eu o treinarei como soldado e conduzirei uma expedicao em busca de mais escravos. Quando os novos escravos chegarem eu o porei como meu feitor e voce conquistara sua liberdade.
— Quem sou eu para decretar a escravidao de outras pessoas? Eu detesto estar na condicao de escravizado. Nao desejo isso para ninguem. Deus deu-me os campos abertos e a liberdade. Seria um crime contra Ele, eu aceitar a escravidao, seja ela do tipo que for. Voce nao respeita a liberdade dos outros e nao merece a liberdade que Deus lhe deu. Se eu aceitar suas condicoes, vou me tornar cumplice do seu pecado e me tornarei pior do que voce. Voce eh tao escravo quanto eu estou. Voce ja nao mais saberia viver se nao fosse pelas maos de seus escravos.
— Escravo atrevido! Estava pensando em lhe fazer um bem e eh isso que me responde? Nao importa. Serei paciente. Voce tera sua racao cortada pela metade e o trabalho dobrado. Veremos se seu orgulho nao se dobra!?…
— Eu nao tenho orgulho, tenho razao.
— Razao? Compare o que possuo com o que voce tem! Tenho dinheiro, casa, familia numerosa, escravos, os meus celeiros estao cheios, tenho minha religiao e ja conto muitos anos de vida. Nao conheco muitos homens que tenham mais tempo de vida do que eu. E voce, um jovem que nada sabe da vida, que nada possui, quer me dizer que Deus nao esta comigo?!
— Voce tem razao em dizer que tudo possui mas tudo o que voce possui eh material e isso passa. Porem o meu espirito jamais sera seu escravo.

O homem rico se riu do jovem, para ele, petulante. Saiu decidido a manter os castigos ao escravo, na certeza de que ele seria dobrado com o tempo.

Mas, ao contrario disso, o jovem escravo voltou a fugir e a ser recapturado. E ao senhor de escravos continuou afirmando:
— Voce nao merece a liberdade que Deus lhe Concedeu.

Passado algum tempo, uma horda inimiga invadiu o pais do senhor de escravos. Eram pessoas de cultura diferente do escravo. Estes, tambem acreditavam na escravidao e tomaram todos os bens que puderam transportar dos ricos do pais invadido. Entre as presas de guerra estavam o jovem escravizado e o proprio senhor de escravos. Ao tomar conhecimento da riqueza daquele homem, o chefe da horda estabeleceu um alto resgate por ele, caso os familiares o quizessem te-lo de volta. Enquanto nao o fizessem, ele trabalharia como escravo para pagar seus alimentos.

Com isso, o jovem escravizado e seu antigo senhor tornaram-se companheiros de infortunio. O jovem continuou atado a suas correntes e o antigo senhor pode ficar livre das correntes mas preso aas suas ilusoes.

— Tal como eu te disse escravo petulante. Trabalhei toda a minha vida servindo aa minha familia. Dei a ela tudo do bom e do melhor. Servi ao meu pais, conquistando voces barbaros e ainda dei esmolas a muitos em dificuldades. Alem disso, ajuntei fortuna tao grande que o resgate que estes outros barbaros ignorantes pediram eh insignificante perto do que possuo. Tenho certeza que em breve estarei de volta aa minha casa e me armarei e voltarei para dar grande licao a essa gente ignorante.

Mas o tempo passou e ninguem vinha resgata-lo. O que ele nao ficou sabendo eh que sua familia se reunira para discutir sobre o pagamento do resgate. Chegou-se aa conclusao que se poderia paga-lo mas alguem levantou a questao:
— Ora, esses barbaros nao tem escrupulos. Quem garante que se levarmos o resgate a eles, eles ficarao satisfeitos?! Quem nos garante que quem for levar o dinheiro tambem nao sera feito escravo?! Nao nos restou escravo algum de confianca que possa levar o resgate, assim, caso os barbaros nao cumpram com suas palavras, eles fariam escravo alguem que ja era escravo.
— O irmao tem razao. Nao podemos confiar em ninguem neste momento. Seria arriscado fazer um escravo de mensageiro. Ele poderia fugir com o ouro, ou poderia aderir aos barbaros e contar para eles o quanto a mais nos possuimos. Assim, eles voltariam para pegar mais dinheiro e fariam todos nos de escravos. Nos bem sabemos que nosso pai, em sua soberba, nunca teve amizade por nenhum escravo. Ninguem morre de amores por ele.
— Os irmaos tem razao. Depois o nosso pai ja esta muito velho. Em breve eles perceberao que ele nao aguenta mais o servico da escravidao e terao que liberta-lo. Desta forma nosso pai voltara para casa sem precisar pagarmos nada.
— Mas, e se eles se enfurecerem e matarem nosso pai?
— Como eu disse: nosso pai ja esta bastante velho. Mais dia menos dia ele ira morrer mesmo. Isto faz parte da natureza e nos nao podemos revogar essa lei.

E assim ficou decidido.

E os anos se passaram. O homem rico e o escravo continuaram escravizados. As forcas comecaram a faltar ao homem rico agora escravizado. Somente entao ele percebeu o quanto andara errado. Tudo dera aa sua familia pensando que a estivesse servindo. Porem jamais percebera que houvera incutido, com suas proprias atitudes, na mente de seus descendentes que o maior bem da vida seriam os bens materiais, que pudessem reter para eles proprios.

Nos ultimos dias de sua vida, ele ja nao mais enxergava direito. Era preciso que alguem trouxesse-lhe a comida e o que beber. E a unica pessoa que concordou faze-lo foi exatamente aquele que fora escravo dele.

Proximo aa epoca de sua morte, aquele homem que fora rico reconheceu a licao de sua vida, confessando a aquele que fora escravo dele:
— Enquanto eu te maltratava e roubava a sua liberdade voce procurava ensinar-me o verdadeiro valor da vida e eu nao o compreendi. Agora que voce esta livre do meu jugo e poderia inclusive me matar que ninguem se importaria porque, para que sirvo? Voce eh o unico que me ajuda a viver, amenizando o meu sofrimento. Aa minha familia pensei estar servindo todo o tempo de minha vida, descobri que nao soube ensinar nada alem do amor aos bens materiais. Nem mesmo a mim ensinei-lhes a ter respeito. Agora so me resta eh pedir-lhe perdao por tudo o que lhe fiz de mal e reconhecer o quao errado andei em toda a minha vida.
— Em minha consciencia, meu irmao, jamais estive sob o seu jugo ou destes que agora nos escravizam. Eu me coloco sob o jugo das Maos do Nosso Pai que esta no Ceu. O Jugo Dele eh leve. Tenho muito a agradece-Lo por poder, neste momento, te servir. Voce nao tem mais poderes sobre mim. Deus da a mim o direito de escolha de ajuda-lo ou nao, nesta sua hora dificil. E voce nao imagina como eh bom servir. Como isto me faz feliz. Isso me faz sentir como se eu fosse igual a Nosso Pai que esta no Ceu. Nao eh isso que Ele faz todos os dias? Envia-nos profetas, escrituras e toda a sorte de coisas que precisamos para que sejamos salvos? Quem faria isso por nos senao Ele? Nos, os pecadores, que nao fazemos por merecer sequer uma gota da Benevolencia Dele!

O antigo senhor de escravos morreu nos bracos de seu irmao.

CAPITULO 005 – “QUEM QUER IR PARA O CEU?”

Uma certa vez, quando o padre Roque Patusi estava como paroco na Igreja de Sao Tarcisio, na cidade de Framingham, Massachusetts, USA, apresentou um grupo de criancas que faria sua primeira comunhao. Para quem vir a ler estes escritos mas nao estiver familiarizado com o termo, ele se referia aa primeira vez que o catolico recebe o corpo e o sangue de Jesus, simbolizados pela ostia (pequena folha circular de pao sem fermento) e o vinho. Naquele tempo, este ato ainda era considerado um misterio para a fe catolica.

Durante o culto, o sacerdote lancou a pergunta para os convivas: “Quem de voces quer ir para o ceu?” Houve um unissono: “eeeuuu” por parte das criancas preparadas para a cerimonia e uma pequenissima parte da assembleia geral. Possivelmente, aqueles que responderam positivamente, alem das criancas preparadas, eram os catequistas ou pessoas mais familiarizadas com a lida dos assuntos religiosos.

O padre se viu surpreso pela falta de entusiasmo da plateia e se sentiu obrigado a chamar a atencao do publico para o fato de que o objetivo da religiao era o de conduzir as pessoas ao caminho que leva ao ceu. Que as criancas ali presentes, preparadas para a primeira comunhao, desejavam ir e que seria bom que toda a assembleia presente tivesse o mesmo objetivo. Assim esclarecido, refez a pergunta, aa qual a maioria absoluta respondeu positivamente.

Certamente ha que se explicar o ocorrido. Muitas pessoas pensariam, aa primeira vista, que aquela assembleia nao tinha vontade de se reunir com o Pai ou que o paraco nao fosse um bom orientador nesse sentido. A verdade eh diferente. Existem muitos fatores que levaram a ter acontecido a resposta expontanea e pronta das criancas e o silencio dos outros. A resposta das criancas eh facil explicar em funcao da fe que as acompanha e ja tratada no terceiro capitulo deste volume. Elas queriam ir para o Ceu porque fora lhes ensinado que la era um bom lugar de se viver e elas nao se questionam: mas, como eh esse bom?!

A resposta muda dos adultos pode ser parcialmente explicada pela origem da plateia, o que sera o assunto do proximo capitulo. Tambem podemos explicar a resposta dos adultos pelo nao envolvimento das pessoas com a correta construcao da Igreja de Deus; pelo pouco conhecimento das Coisas de Deus e pelo, praticamente, total desconhecimento do que seja o ceu. Este ultimo, alias, eh o objetivo a ser decifrado pelo presente volume.

Nos mesmos, que agora relatamos aqueles fatos, nao responderamos positivamente aa primeira pergunta do padre Roque. E isto eh facil explicar porque gozamos da amizade particular do sacerdote, o que nos proporcionou dialogos a respeito de diversos outros assuntos religiosos. Nos temos diferencas no acreditar.

Em funcao disso, a nossa certeza imediata era a de que o Ceu que estava na mente de quem fazia a pergunta poderia ser diferente do Ceu que estava na mente de quem responderia. Estabelecida esta definicao, nao nos furtamos a responder positivamente aa questao, ressalvando para o nosso intimo que o Ceu que desejavamos era mais amplo e mais aberto que aquele permitido aas funcoes sacerdotais dos sacerdotes de quaisquer denominacoes religiosas em particular.

O padre, ate por dever da profissao, estava preso aas definicoes biblicas e da Igreja Catolica, embora tenha opinioes mais avancadas que grande parte dos outros sacerdotes catolicos. Porem, eh para que as diferencas religiosas sejam diminuidas ate serem extintas que este volume esta sendo escrito.

CAPITULO OO6 – APRESENTACAO DA COMUNIDADE BRASILEIRA NOS ESTADOS UNIDOS

O Brasil eh um pais de enormes proporcoes. Seu territorio eh pouca coisa menor que Canada, China e os proprios Estados Unidos. Tem porem algumas vantagenes em relacao aos demais gigantes da Terra. O clima eh morno, porem uniforme. Somente no extremo sul, numa pequena area em relacao ao todo, constatamos neves ocasionais, num inverno de periodo curto.

Nao temos verdadeiros desertos. Nao existem atividades vulcanicas. As regioes montanhosas e relevo dificil de ser dominado nao representam grande area no conjunto territorial, nao prejudicando as condicoes para a agricultura, ao contrario, favorece porque possibilita a diversificacao dos produtos agricolas por abrandar o clima mais quente.

As instabilidades sismologicas nao sao consideraveis. O maior problema natural brasileiro sao as enchentes periodicas, mesmo assim, nao seriam problema algum, nao fosse pela atividade do proprio ser humano ao nao respeitar os limites que a natureza nos impoe. Tambem existe uma area, cerca de um quinto do territorio, onde ocorrem secas periodicas. A excassez de agua nesses periodos poderiam ser totalmente controlaveis aproveitando-se a abundancia pluviometrica de periodos alternados.

O Brasil foi colonizado por pessoas de origem portuguesa. A populacao nativa eh aquela classificada como de origem asiatica e por habitar o continente sul americano recebeu a denominacao comum de indigena. Alias, por um engano de localizacao, os primeiros espanhois e portugueses a aportarem nos continentes americanos pensaram ter aportado nas Indias, ou seja, no continente asiatico, dai chamarem erroneamente os nativos de indios.

Desde os primordios, a ocupacao portuguesa se paltou pela exploracao e o extrativismo dos recursos naturais. Nao se preocupando em construir ai um mundo novo. Trouxe da Asia os primeiros cultivos agricolas que, aa epoca, eram importantes fatores de renda comercial como cana-de-acucar, pimenta, anil e cafe. Junto com as lavouras importou a populacao africana escravizada para os servicos pesados.

Passados dois seculos de pura exploracao, foram descobertas minas de metais preciosos e nao preciosos, juntamente com pedras de maior valor comercial, na regiao do atual Estado de Minas Gerais. Isso fez mudar um pouco o fluxo migratorio. Acorreu para a regiao uma grande leva de pessoas cujas familias ja estavam radicadas no Brasil e residiam nas regioes mais litoraneas, desde Sao Paulo ate Pernambuco.

Junto com essa populacao comecou a chegar novas levas de portugueses direto do reino. Geralmente provinham de familias em dificuldades financeiras na metropole, eram jovens e buscavam fortuna e aventura. O aumento da atividade economica levou aa intensificacao da importacao da mao-de-obra escrava africana ja que era dificil arrancar tal tipo de trabalho do nativo na propria patria dele. Uma pequena leva de franceses, ingleses e espanhois tambem esteve presente nesse fluxo migratorio.

A Independencia do Brasil veio com um pouco de atraso. No periodo napoleonico, as cortes portuguesas se viram obrigadas a deslocar-se para o Brasil, porque Portugal tornou-se aliado da Inglaterra, que era a inimiga da Franca. Napoleao invadiu Portugal, e o Brasil tornou-se o centro do Imperio Portugues. Como metropole do Imperio, a populacao brasileira nao se sentiu incentivada a imitar as outras nacoes americanas que estavam se emancipando.

Com a queda de Napoleao e o restabelecimento da coroa portuguesa, o Brasil tornou-se um principado e, devido ao atrito de interesses entre os brasileiros com os portugueses, o principe regente D. Pedro I, do Brasil, declarou-o independente em 1822. Essa independencia era apenas relativa, pois, o Brasil era dividido em castas sociais. Aquela independencia correspondia apenas aos interesses das elites que eram compostas por homens da nobreza, elites comercial e a agraria, e o clero.

A populacao comum nao tinha direito a voto nem a voz. A escravidao perdurou ate aas proximidades do seculo XX (1888). A grande massa popular era, via de regra, subserviente aas elites. Nao se ousava reinvindicar porque as armas sempre estavam nas maos daqueles que estavam com o poder e as sabiam usar tiranicamente.

O segundo imperador do Brasil, D. Pedro II, criou condicoes para um relativo desenvolvimento do Brasil. Ofereceu oportunidades aas populacoes estrangeiras, sobretudo a europeia, convidadas a participar da expansao da colonizacao do imenso territorio ate entao virgem. Com isso recebeu levas de imigrantes de origem italiana, francesa, holandesa, alema, entre outras, ate norte-americana (forcas derrotadas na Guerra da Secessao).

O II Imperio terminou de uma forma desastrosa, do ponto de vista politico. A decretacao da abolicao da escravidao, a 13 de maio de 1888, pela princesa Isabel, filha do imperador e regente do Imperio aa epoca, ascendeu o estopim das insatisfacoes das elites novamente, o que levou aa Proclamacao da Republica e aa expulsao da familia real, a 15 de novembro de 1889.

Devido aa Historia previa de exclusoes sistematicas da populacao pobre e aos interesses das elites, o Brasil continuou sua Historia sem um programa especifico de desenvolvimento e educacao. A esta epoca a grande parte do eleitorado brasileiro se concentrava em tres estados do pais que sao: Minas Gerais, Rio de Janeiro (onde se encontrava a antiga capital imperial) e Sao Paulo. Eh preciso lembrar-se que para obter o direito ao voto era preciso que o eleitor fosse do sexo masculino e com renda financeira superior aa possibilidade da maioria absoluta da populacao.

Os segmentos populacionais grandes prejudicados pelos preconceitos nessa epoca sao os ex-escravos, os nativo-brasileiros e seus descendentes proximos.

Apos aa I Guerra Mundial inicia-se a intensificacao da industrializacao do pais e os tres estados sao premiados com a concentracao das riguezas, particularmente Sao Paulo.

A populacao brasileira nessa epoca eh basicamente analfabeta, nao vota e continua submissa aas elites.

As condicoes mundiais tornam-se precarias no primeiro quarto do seculo XX. A imigracao europeia intensifica. Essa populacao chega fugida dos muitos conflitos na Europa, particularmente a I Guerra Mundial. Nesta epoca os povos europeus estao empobrecidos, exceto pela superpotencia mundial de entao, o Imperio Britanico.

As Americas, especialmente os Estados Unidos e o Brasil se tornam refugios naturais aos imigrantes empobrecidos do mundo, devido aas oportunidades oferecidas pelos imensos territorios ainda inexplorados. Estados Unidos levam grande vantagem por causa da proximidade com os paises fonte da populacao imigrante. Embora a distancia entre Brasil e Europa nao seja maior em relacao ao Norte e ao Nordeste do pais, o centro, representado pelos tres estados mais ricos, era. E a regiao Sul brasileira, que possui um clima mais proximo ao que os povos europeus estavam adaptados, eh mais distante ainda.

Asiaticos, especialmente japoneses, tambem descobrem o Brasil como refugio para suas dificuldades. Embora, no principio, eles notaram que haviam apenas migrado para outro pais para encontrarem novas dificuldades. Mas por ser uma populacao de educacao superior, logo se adaptou e aproveitou as oportunidades que nao eram dadas aos brasileiros de origem pobre.

Anteriormente e nessa mesma epoca o Brasil tambem recebe levas de imigrantes provenientes do Oriente Medio. Eles sao basicamente libaneses de origem mas passam a ser comumente chamados de turcos, porque portavam passaportes emitidos pelo antigo Imperio Turco Otomano.

O segundo quarto do seculo XX nao melhora a condicao da populacao. O aparente desenvolvimento eh enganoso. Como o territorio do pais eh imenso em proporcao aa populacao ja estabelecida, ela continua vivendo basicamente do extrativismo dos recursos naturais e de uma agricultura que se favorece dos solos virgens e da mao de obra mal paga.

Politicamente o Brasil vive uma ditadura que era definida como mae dos ricos e pai dos pobres. Pai dos pobres porque criara leis como o salario minimo, o voto universal para os alfabetizados etc. Mae dos ricos porque os acobertava, nao fiscalizando inclusive se as leis criadas eram ou nao cumpridas. A populacao ganhou o direito de votar mas era obrigada a votar segundo os interesses de seus patroes.

O terceiro quarto do seculo eh caracterizado por outra ditadura. Esta de origem puramente militarista tecnocrata. Vivia-se a era da Guerra Fria no mundo onde os ideais que se chocavam eram o capitalismo liderado pelos Estados Unidos e o comunismo liderado pela Uniao Sovietica. Uniao Sovietica era um eufenismo que mascarava a supremacia da Russia sobre dezenas de outras republicas.

No Brasil, militares, politicos elitistas e tecnocratas se aliam para conduzir o pais com maos e mentes de ferro. Tentam impor a ideia de que seriam iluminados, capazes de levar o pais do subdesenvolvimento ao superdesenvolvimento da noite para o dia. Sao assistidos por capitais estrangeiros, principalmente, dos Estados Unidos.

Sao feitos investimentos de imensas proporcoes em infra estruturas nem sempre prioritarias. O desenvolvimento social eh praticamente abandonado. Nao ha investimento na pessoa humana. O investimento eh comparavel ao feito no antigo Egito. As construcoes sao grandiosas como as piramides. Mas, exatamente como estas, nao deram vida aos mortos e, por seculos, de nada valeram aos vivos.

O pais se endivida. Bilhoes de dolares foram queimados em obras que se mostraram inocuas ao beneficio das populacoes. A corrida armamentista eh priorizada. Alguns recursos naturais que sempre sustentaram o exibicionismo das elites comecam a esgotar. O territorio inteiro passa a ser vasculhado em busca de fontes novas. Os juros que o pais precisa pagar em funcao das dividas externa e interna consome grande parte da renda. Estes e outros erros levam aa queda da ditadura militar, ja no inicio do quarto final do seculo XX.

O ultimo quarto do seculo eh caracterizado por uma democracia de aparencias. Governos fantoches sao eleitos pelo povo aas custas do financiamento das elites. “A propaganda eh”, mais do que nunca, “a alma do negocio”. As promessas das candidaturas eleitistas sao convincentemente enganosas. Na pratica, porem, o quadro eh o de uma divida governamental que cresce a cada dia. O povo eh chamado ao sacrificio para quita-la.

Tudo o que o povo constroi na claridade do dia, a obscuridade da noite parece levar como uma represa de areia que transborda. Enquanto o cidadao comum empobrece e se desespera, ha uma elite podre que cada vez mais prospera. O vazio entre pobres e ricos atinge dimensoes jamais imaginadas, nem mesmo pelo mais maquiavelico dos ditadores.

E eh nos quadros dos dois ultimos quartos do seculo XX que a imigracao brasileira, sobretudo para os Estados Unidos, se intensifica. O povo eh abracado pelo empobrecimento brasileiro. O salario no pais se torna nos irrisorios 80 dolares por mes. Os primeiros imigrantes conseguem um bom sucesso financeiro. Trabalham duro uns poucos anos, por vezes apenas 2 ou 3, e com o dinheiro que conseguem tornam-se proprietarios comerciais. Geram renda para suas familias e lhes dao vida de classe media.

Esse sucesso incentiva outros a procurar a mesma sorte. E aa medida que o Brasil como um todo se afunda na miseria, este contingente se multiplica. Quantos somos nesse final de milenio? Ninguem sabe ou nao eh do interesse divulgar. Antes, trabalhava-se com o objetivo de fazer-se o “pe-de-meia” e voltar. Porem, tornaram-se tantos os insucessos daqueles que voltaram ao Brasil, que ja eh consideravel o numero de brasileiros que considera a possibilidade de se tornarem, definitivamente, norte-americanos, em defesa do bem estar de suas familias e do futuro de suas criancas. Ja sao muitos os que adotaram a cidania norte-americana.

Admite-se, oficialmente, meio milhao de pessoas emigradas do Brasil para os Estados Unidos. Os imigrantes creem ser muito mais. Por que? Os governos tem registro dos documentos que sao emitidos e nesta emissao se baseiam. Os imigrantes sabem que os mesmos documentos emitidos em nome de alguma pessoa podem ser alterados para transportar diversas outras atraves das fronteiras. Os governos procuram dificultar as falsificacoes de documentos. Os falsarios apenas aumentam suas taxas para transformarem o inconcebivel em possivel. O comercio sujo se enriquece. E tambem sao muitos os truques utilizados por este comercio para contrabadear os pretendentes pelas fronteiras, totalmente sem documentos.

Ninguem leva em consideracao que a solucao para o problema, se eh que isso poderia ser chamado de problema, da imigracao sem autorizacao passa pela solucao dos problemas vividos pelos paises empobrecidos. Nao haveria pressao migratoria se os paises pobres nao tivessem problemas tao graves. E o mundo sabe muito bem quais sao as causas e as possiveis solucoes para tais questoes. Mas o imediatismo, o egoismo e o mal caratismo das elites mundiais se associaram para deixar tudo como esta.

As pessoas, em sua maioria, que emigram do Brasil, o fazem iludidas. Sonham em ganhar um capital rapidamente para poderem voltar. Pensam apenas no que vao ganhar quando chegam. Nao fazem ideia do que terao que fazer para ganha-lo. Por isso, eh comum se decepcionarem na chegada. Sao obrigadas a fazer servicos que consideravam humilhantes no Brasil.

Os imigrantes mais antigos, que ja dominam a lingua e sao “donos dos seus proprios negocios”, muitas vezes, exploram os recem-chegados, levando-os aa semi-escravidao. Esses antigos, por lembrarem que “sofreram” quando aqui se instalaram, justificam sua exploracao como se fosse uma compensacao pelo sofrimento passado. O que os faz anti-cristaos, apesar de se alegarem retos, porque o que Jesus ensinou era o de nao fazermos aos outros aquilo que nao gostariamos que fizessem a nos.

Infelizmente, nao ha como o recem-imigrado fugir dessa situacao desagradavel porque, para chegar, precisa fazer dividas que seriam impossiveis de pagar estando no proprio Brasil. O vergonhoso salario minimo brasileiro, as mas administracoes, o grande quadro de desemprego e a consequente retracao da economia levaram o pais a um ciclo vicioso de constante queda. E o medo da deportacao impede aos imigrantes buscar ajuda competente.

Para tentar reverter a situacao com rapidez, o imigrante eh levado a trabalhar em dois, tres ou mais empregos. Geralmente, gasta de 50 a 120 horas de trabalho por semana. Ganha-se algum dinheiro com isso mas tambem perde-se o sentido da vida. Nos Estados Unidos, paga-se muito caro por alugueis, carros e todos os custos normais da vida. Alem disso, todos planejam voltar algum dia para o Brasil e, para tanto, eh preciso investir no futuro. Futuro que se planeja mas que nao se sabe se vira.

Muitos deixam familia no Brasil. Aas vezes, em fato da demora para retornar, acabam contraindo uma segunda familia. Outras vezes, o parceiro que permaneceu no Brasil faz o mesmo. Entao, encontramos um quadro de total degradacao familiar que, certamente, ira refletir negativamente nas sociedades envolvidas. Os problemas advindos disso nao sao castigos de Deus mas uma simples consequencia dos nossos atos.

As pessoas, comumente, ficam tao absorvidas pelo trabalho que se desatualizam do que esta acontecendo no Brasil. Muitas vezes, investem em coisas pensando no pais que deixaram. Depois de conseguirem o que imaginavam precisar para terem uma vida respeitavel, voltam. Somente para descobrir que o Brasil que deixaram nao eh mais o Brasil onde cabia aquele investimento que, agora, tornou-se prejuizo.

Como a populacao empobreceu e a praca ficou saturada pela concorrencia voraz, o comercio planejado nao suporta as ilusoes. Isso faz com que o imigrante retorne aos Estados Unidos planejando esquecer a patria onde nasceu. Mas o amor pela terra natal, construido durante toda a vida jovem, faz com que os coracoes permanecam em constante chagas. A vontade eh a de retornar mas a razao sabe que nao vale a pena.

Tudo isso ajuda a explicar aquela resposta muda dos imigrantes, se desejavam ou nao ir para o Ceu. As pessoas que aqui chegam sao, em sua maioria, jovens e que estao chegando cada vez mais tenros. Essas pessoas, desnorteadas como estao, sempre imaginam que terao tempo para as coisas de Deus, num futuro ainda indefinido.

Quando o padre nos indagou se queriamos ir para o Ceu, provavelmente, a maioria pensava que sim, porem, nao naquele momento. Esta maioria imagina que eh preciso morrer para ir para o Ceu. E a morte nao eh parte dos planos dela para agora. Todos esquecem que a ida ao Ceu depende de cada momento de nossas vidas. Que precisamos estar buscando isso sempre. Porque nao sabemos se existira um futuro distante para cada um de nos nem qual sera a nossa hora final.

No momento em que a comunidade abandona a pratica das Coisas de Deus para depois, abandona o seu proprio projeto de salvacao. Quando ela abandona a Deus, eh a si propria que ela deixa para depois. O Pai Deseja nossa salvacao mas como disse o sabio teologo: “Deus Creou a tudo sem nos mas precisa de nos para Salvar-nos.”

Por que estamos discutindo isso? Por que analisar os problemas particulares do povo brasileiro se o nosso objetivo eh buscar a Salvacao em favor de toda a humanidade? O povo brasileiro tem sido exemplo de uma coisa muito ruim. Mas ele nao esta sozinho nesse mundo. Existe muita identidade com todos os povos da Terra. Esperamos que o exemplo de um sirva para todos, guardadas suas diferencas.

Que seja para que quando houver prosperidade entre os povos nao se esqueca do exemplo brasileiro. O Brasil eh o quinto pais do mundo em extensao territorial. Suas terras sao agricultaveis em quase sua totalidade. Tem uma populacao razoavelmente grande. Eh a oitava economia no mundo. Seu territorio eh riquissimo em quase todos os recursos naturais. Eh o pais que possui a maior reserva de agua doce no planeta.

Enfim, todos aqueles que forem estudar as condicoes do pais, sem conhecer a Historia dele, afirmarao: “Este eh o pais de futuro prospero.” Por outro lado nao sabera explicar porque a fome e a miseria sao o bem mais visivel dentro da sociedade brasileira. Alguns se arriscarao a dizer: “Isso acontece porque a renda do pais eh extremamente mal distribuida.” Mas nos nao temos a menor duvida em apontar a falta de amor a Deus e ao proximo como as unicas causadoras de todo este disparate.

Nos somos um caso particular de imigrante. Como muitos outros, portamos diploma de curso superior. Poderiamos ter buscado nossa sobrevivencia em nossa patria. Esta patria tem sido madrasta, carrasca com a maioria de sua populacao, e ainda oferece alguns privilegios aas pessoas que possuem alguma especializacao profissional.

Mas ate nisso eh falsa (nao me refiro aa patria em si mas aa elite que usurpou o poder do povo), pois, da mesma forma que oferece privilegios, nao oferece garantias de vida. Viver no Brasil eh viver em constante ameaca de vida, de risco com a saude, de nao se poder dar aos filhos a melhor educacao, de ter sua vida particular invadida por grandes grupos economicos que dominam as comunicacoes etc. De certa forma, isso nao eh novidade porque ocorre em todos os pontos do planeta mas em nenhum outro lugar os abusos sao tao explicitos e o sinismo em ocultar as falcatruas tao grande.

Chegaramos a afirmar ate que sair do pais seria a nossa ultima opcao de vida. Assim, pudemos constatar que nem sempre o planejado eh o que acontece. Aqui chegando, planejamos fazer nossas economias como os outros imigrantes, embora, nao nos fora nenhuma surpresa o modo de vida do imigrante, nem planejavamos nenhum retorno imediato para o Brasil. Surpresa talvez tenha sido a inspiracao de escrever estes volumes. Gostavamos de escrever antes. Sempre tivemos inspiracoes, mas nunca relacionadas ao assunto religioso como fundo principal.

Temos sido diferentes tambem por nao embarcarmos na mesma situacao que os outros compatriotas no colocar o trabalho e o dinheiro acima de todas as outras coisas. Temos trabalhado em torno de 50 horas por semana. Procurado dedicar algum tempo ao filho Teofilo. Bom, mas isso eh o que pode ser observado por quem nos ve por fora. Alguem ja disse que sou preguicoso e outros prefeririam o termo vagabundo.

Eh certo que as pessoas que assim pensam nao levam em conta o tempo que uso para meditacao e fazer estes escritos. Mas, isso, provavelmente, nao conta porque nao rende dinheiro, nao nos faz aparecer e, muito menos, nos da prestigio.

Aos que nos condenam por loucos, por pensar diferente, avisamos que nao sacudiremos a poeira de nossas sandalias contra voces. Sabemos que o tempo comprovara a exatidao de nosso comportamento. Ao contrario do que se possa pensar, temos sido felizes por estarmos procurando servir a Deus, embora, aos olhos de muitas pessoas, temos procurado apenas aparecer e tomam esta desculpa para nao levarem a serio aquilo que nos tem sido revelado pelo Pai.

Aconteceu de aqui nos Estados Unidos nossos rendimentos se tornaram insuficientes para fazer o que planejaramos antes. Mas nos deu a oportunidade de conhecer a vida do operario comum neste lugar. Aquela vida em que as pessoas mal poem a mao no dinheiro que recebem e as contas veem para leva-lo de volta. A vida em que a pessoa eh obrigada a nao adoecer, nem ter nenhum outro gasto inesperado, porque o salario nao cobre tais despesas. Claro, nao nos referimos aa nossa renda familiar mas aa minha particular.

Ha que se observar que as Historias dos outros paises do terceiro mundo se assemelham muito aa do Brasil, fazendo entender que a crueldade humana nao eh um produto particular nosso.

Tambem, eh preciso salientar que o Brasil virou o poco de pobreza, no qual se encontra mergulhado, por causa do orgulho de nossas elites, desde os tempos da escravidao. Naquela epoca, havia uma imensa massa pobre no pais que era representada pela mao-de-obra escrava recem-liberta e de origem indigena principalmente. Quando o Brasil abriu as portas para receber o imigrante pobre europeu e asiatico, nao foi por caridade com esta populacao sofrida. Mas sim porque tinha a ilusao de que os pobres de outros pontos do planeta eram melhores que nossos proprios pobres.

O Brasil deixou de acolher os proprios pobres imaginando que levaria para la, racas superiores, capazes de sustentar os sonhos de consumo de sua elite mediocre, ao mesmo tempo que sustentariam a ela propria.

O agir corretamente teria sido dar oportunidade a aquela populacao excluida que ja estava em seu territorio, procurando absorver as novas tecnologias que impulsionavam o mundo aa epoca, desenvolvendo tambem tecnologias proprias. Priorizando-se a solucao para os problemas locais, dever-se-ia abrir as portas aas populacoes pobres do mundo inteiro porque, ate hoje, o territorio eh vasto o suficiente para gerar riquezas para todos.

Eh preciso lembrar que esta abertura de portas nao poderia se dar com o intuito de explorar a mao-de-obra do imigrante, como aconteceu no passado, e agora acontece conosco no presente.

Mas, como a Historia nao teve uma conducao honesta, nos agora podemos observar os resultados. Ajuntaram-se duas populacoes pobres e desinformadas e uma elite avida por exploracao. O extrativismo desenfreado, sem reposicao ou conservacao da natureza, tem-nos levado aa toda sorte de degradacao, inclusive, moral.

Mas, muitos dirao neste ponto: “Muito facil falar como deveriamos ter feito, depois que o erro ja foi cometido. Dificil eh dizer o que deve ser feito para remover todas as consequencias das acoes passadas.”

Pois, aqui afirmamos que estas inspiracoes tem tambem o objetivo de mostrar os caminhos que precisam ser tomados daqui para frente. Nao estamos aqui para dar uma receita de bolo, que precisa ser seguida ao pe-da-letra. Mas eh um exercicio de meditacao que todos precisariamos fazer para respondermos aas perguntas: “O rumo que o mundo tem tomado eh o rumo que nos levara a Deus? E, se nao eh, qual entao sera o rumo correto?”

Tambem, eh preciso observar que o presente capitulo faz parecer que os Caminhos de Deus passam mais pela realizacao material que pela realizacao espiritual. Mas esta impressao eh distorcida do conteudo completo desta Obra. Portanto, que nao se leia ate a presente pagina e se tire conclusoes definitivas, porque o IV volume do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS comecara, verdadeiramente, agora.

CAPITULO 007 – AVISO AOS TEOFILOS

O esforco de escrever o III volume do LIVRO DO CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS foi dedicado a um particular Teofilo. O presente volume eh dedicado a todos os teofilos do mundo, nao apenas a aqueles que assinam o nome. Theos significa Deus, fillus, significa amigo. O nome eh, em sintese, amigo de Deus.

CAPITULO 008 – IMAGEM DESCRITIVA DO CEU

Queridos filhos, este volume sera como uma imagem descritiva do Paraiso, ou melhor, da Casa do Pai de todos nos. Com certeza voce que ja estudou o conteudo biblico se surpreendera com este titulo. Voce se perguntara: “Como alguem que conhece as Escrituras pode falar em fazer uma imagem do Ceu? Nao sabe ele que isso nos eh proibido?!

Tenha a certeza filho que se nos fosse proibido nos nao seriamos capazes de faze-lo. O Pai nao nos proibiu. Apenas recomendou-nos que nao as fizessemos. E o Pai sempre tem razao. A Sabedoria do Pai conhece desde sempre o nosso passado, presente e futuro. Ele tinha o Conhecimento de que, quando percorrendo a nossa Historia, teriamos dificuldades em lembrarmos das Coisas do Ceu, exatamente como Elas sao.

Assim, se fizessemos uma imagem, baseados no que as pessoas humanas conheciam ha dois mil anos atras, poderiamos incorrer em erros por falta do completo conhecimento. Fazendo uma imagem nos dias de hoje, ela podera se tornar incorreta diante dos conhecimentos que virao. Contendo incorrecoes, nao correspondem aa Vontade do Pai.

Porem, assim como existe uma diferenca entre proibicao e recomendacao, existe a mesma diferenca entre imposicao e escolha. Nao desejamos que os nossos escritos se tornem dogmas. Nada tem que ser como esta. Mas o objetivo de ir-se para o Ceu eh o mesmo de ontem, hoje e sempre. Se afirmarmos que o Ceu eh aquilo que descrevermos, nao confiem em nos. Aceitem-nos apenas quando deixarmos explicito que voces tem o direito de corrigir-nos todas as vezes que os conhecimentos novos Com Respeito a Deus vos revelar as nossa falhas. E no Ceu nos encontraremos definitivamente.

Lembrem-se que nao estaremos sendo os primeiros a fazer tais imagens descritivas. As antigas Escrituras estao repletas delas. Citaremos exemplos para orienta-los: 30 “Jesus dizia assim: “Com que coisa podemos comparar o Reino de Deus? 31 O Reino de Deus eh como uma semente de mostarda, que eh a menor de todas as sementes da terra. 32 Mas, quando eh semeada, a mostarda cresce e torna-se maior que todas as plantas; ela da ramos grandes, de modo que os passaros do ceu podem fazer ninhos em sua sombra.” Mc 4, 30-32

O proprio livro chamado de Apocalipse eh como uma fotografia desfocada da Pequena Reuniao, descrita no III volume desta colecao. Tambem o Antigo Testamento faz descricoes de Coisas do Ceu. Mas nao busquem tais imagens, busquem as licoes que estao por tras delas.

Nenhum outro, primeiro que nos, ira reconhecer que fazer uma imagem descritiva do Ceu representara uma forma de cometer erro. Mas lembrem-se disso, o ser humano planejou voar por milhares de anos mas somente errando muito eh que aperfeicoou uma forma de voar que desfrutamos hoje. Nos nos beneficiamos dos erros cometidos por muitos para que hoje possamos ter essa oportunidade.

Errar com a intencao de tomar a atitude correta nao eh pecado. Pecado em impor conceitos de um tempo de ignorancia e massacrar a criatividade que esta em nos, porem, Concedida por Deus.

Os lideres das igrejas no mundo tem errado muito no dizer que ensinam o Caminho que leva a Deus. Essa eh uma falsa impressao. Nao nos adianta dizer, como em uma receita de bolo, o que nos conduzira ao Ceu se antes nao experimentarmos o que encontraremos por La. Que adiantaria que toda aquela assembleia reunida na Igreja de Sao Tarcisius aclamasse em unissono que queriamos ir para o Ceu sem que ninguem tivesse a ideia de como La tudo funciona!? Seria semelhante a pregar uma mentira.

As igrejas no mundo falam em conduzir-nos ao Ceu. Mas o que eh o Ceu? Como Ele funciona? O que podemos e o que nao podemos fazer La? Dizem que no Ceu so ha felicidade. Eh exatamente no que cremos. Mas, existem La, divisoes sociais? Existem hierarquia entre as pessoas que se encarnaram em pessoa humana? Existem aqueles que conhecem mais e os que conhecem menos a respeito da Pessoa Divina?

Essas e muitas outras questoes podem ter a ideia de respostas apenas analisando-se um pouco da oracao que Jesus nos ensinou. Nela ele nos deixou: “Venha a nos o vosso Reino”. Esta frase tem sido entendida pela maioria dos fieis como algo quase magico. Ou seja, que Deus nos faca habitar Seu Reino Maravilhoso e sem defeitos, como um premio por nossa fe e nossas obras. Mas isso jamais sera possivel se nao aceitarmos a Deus como nosso Rei Absoluto. Portanto, a frase ao mesmo tempo que nos oferece um premio, tambem impoe uma carga.

Contudo, a carga eh muito leve a partir do momento que conhecermos Deus. Saber que Ele Pratica somente o Bem, e que o Bem praticado por Ele somente nos traz boas consequencias, eh a chave para despertar-nos a buscar o Ceu. Mas sera que o Ceu eh um Lugar apenas cheio de boas intencoes? Ou, ao contrario, um Lugar onde as boas intencoes sao praticadas como algo tao essencial aa vida como nos eh o respirar, comer, beber, dormir etc?

Filhos, ai esta o segredo de se ir para o Ceu. Eh fazer sua pratica do dia-a-dia, repetindo tantas vezes quanto necessario, tudo o que eh bom e com consequencias beneficas, de tal maneira que, com a pratica, ninguem sentira que praticar o bem seja algum sacrificio ou que seja algo fora de moda. O Ceu nao nos cobra sacrificio algum, porem, o pecado nos leva a pensar o contrario. Se queremos o bem temos que praticar o bem porque um eh consequencia do outro.

Nao se esquecam, agora e sempre vos falamos como em uma parabola. Nao temos que fazer um relato historicamente correto de fatos. Mas sim apresentarmos um exemplo de possibilidade que pode ser corrigido aa medida que conhecimentos superiores lhes forem revelados.

CAPITULO 009 – FAZER DA TERRA UMA EXTENSAO DA CASA DE DEUS

Queridos filhos, voces podem, a principio, nao compreender o que seja fazer da Terra uma extensao da Casa do Pai, mas este eh o principio de todas as coisas boas do nosso universo. Depois, quando voces tiverem lido todo o presente volume, sera preciso que facam um exame de consciencia e se perguntem: “Sera que estou preparado para viver num lugar como este?” Ora, o principal no Reino de Deus eh o Amor. O Amor gera a partilha. A partilha impede as exclusoes. E isso gera a solidariedade. A solidariedade gera o compartilhamento que gera o conhecimento e o conhecimento leva ao Amor.

Na maioria absoluta das vezes, quando alguem de nossas geracoes ler este volume, encontrara pontos que o levara a pensar: “A Casa de Deus nao pode ser assim. Estas pessoas que este livro descreve jamais entrariam La. Elas nem sequer pertencem ao meu ramo religioso!” Outros pensamentos tambem serao levantados mas sempre terao algo em comum, ou seja, a geracao de exclusoes. Filhos, em nossos dias, nos pensamos, muitas vezes, que nossos ramos religiosos nos levarao para o Ceu quando, em verdade, o que nos levar para o Ceu eh cumprirmos a Vontade do Pai. O Pai nao faz diferenca entre pessoas e nao deseja que geremos exclusoes.

E qual eh a maior Vontade do Pai neste momento? Eh que facamos da Terra uma Extensao de Sua Morada porque quando construirmos um mundo onde nao houverem exclusoes nos estaremos em um mundo semelhante aa Casa do Pai. Dai, estaremos preparados para ir aa Presenca Dele, sem sermos surpreendidos pelas Coisas que acontecem La. Quem demonstrar estranhesa em relacao aas Coisas do Ceu sera porque tem preconceito contra elas e, assim sendo, nao podera permanecer La.

Mas, para que a Terra seja feita como uma Extensao da Casa do Pai, eh preciso que removamos as consequencias de todos os pecados de todas as geracoes passadas e da nossa. Alem disso, eh preciso nao deixar acumular mais pecado algum.

Voce nos perguntarao, pequenos filhos: “Por que devemos remover as consequencias dos pecados das geracoes anteriores se nao fomos nos que os cometemos?” Ora, filho querido, eh obvio que, se a consequencia do pecado permanece, devemos remove-la porque a pior consequencia do pecado eh gerar outros pecados. Eliminando as consequencias dos pecados passados, estaremos eliminando a possibilidade de voltarmos a cometer os mesmo pecados e demonstramos nosso amor por nossas geracoes paternas que nao poderao retornar a A Paz de Deus, enquanto as consequencias dos pecados delas nao forem removidos.

Eliminando os novos pecados de nosso meio, evitamos que as consequencias deles na vida de nossas futuras geracoes e demonstramos o nosso amor ao proximo, sendo ele do passado, presente ou futuro. Esta eh, sem duvida, a semelhanca que o Pai deseja ter conosco. Lembre-se, o Reino de Deus nao permite situacoes que gerem exclusoes.

Sao por estas coisas que vimos avisando que o Ceu nao eh para escolhidos porque: “Deus nao faz distincao entre pessoas”. Nao eh o Pai que nos escolhe. Ele Acolhe a todos. Somos nos eh que deixamos de escolher a Ele quando excluimos qualquer um dos filhos Dele. Lembrem-se, eh importante nao esquecer que o Pai nos Ama a todos por igual. Mas Ele nao aceita nem ama as coisas ruins que praticamos. Eh preciso praticar a Vontade do Pai, como se fosse somente nossa propria vontade. Melhor eh todos nos nao crermos na Existencia de Deus mas praticarmos somente as coisas que sejam do bem que o inverso.

Os melhores filhos de Deus nao sao aqueles que nascem intitulados como filhos Dele, pois, todos nascem nessa condicao. O melhor filho de Deus eh aquele que decide obedece-Lo pela propria vontade.

Lembrem-se, para que todas estas coisas que vos falarmos acontecam, eh preciso que usemos os dons que nos veem de Deus. Deus nos deu nossos dons nao para que nos julguemos melhores uns que os outros. Os nossos dons nos foram dados para que sirvamos melhor os nossos semelhantes. Partilhar os dons eh o melhor dos dons e este foi distribuido a todos nos. Todos os dons veem do Pai e em Nome Dele devem ser exercidos. Nao nos deixemos enganar pelas aparencias terrenas.

Nao se esquecam filhos. Recordem as coisas que aconteceram em nossa Historia para guiarem-se na remocao das consequencias do pecado. Na epoca da colonizacao americana pelos europeus houve um tratado, abencoado pela Igreja Catolica que era a quase unica representante do cristianismo, atraves de seu papa, para dividir as terras americanas em duas porcoes. A leste pertenceria a Portugal e a oeste aa Espanha. Aa epoca eram as duas superpotencias nauticas da Terra.

As outras nacoes fortes como Holanda, Inglaterra e Franca, nao aceitando a situacao que as excluiam, alegaram que desconheciam o Testamento Divino que tivesse distribuido tais territorios a aqueles paises. Vejam, o argumento eh sabio mas se perde no vazio quando se olha a atual proposta destes mesmos paises de concentrarem as riquezas geradas em outros paises dentro de suas fronteiras. A aquela epoca o grande capital eram as terras em vias de colonizacao.

Nao permitam filhinhos queridos que as fronteiras em suas mentes interfiram com suas salvacoes. Nao busquem usar o Conhecimento com Respeito a Deus apenas em beneficio proprio, porque isso geraria exclusoes. Pense a Terra como uma unica nacao e cada variedade da especie humana como filhos diferentes do mesmo Pai. Porque eh isso que somos. Diferentes em aparencia mas iguais em conteudo.

Alguem caira na tentacao de imaginar que estamos afirmando as coisas que afirmamos por se tratar de algum movimento de final de milenio. Nos nao cremos que faca diferenca dizer o que dissermos em qualquer parte do milenio. Se o falamos no final de algum milenio eh porque, por certa coincidencia, nascemos em fim de milenio, portanto, nao poderiamos deixar para falar em outras partes dele. Que nao se use a desculpa de final de milenio para nao se levar em consideracao o que de correto afirmarmos.

Caros teofilos, o que foi escrito ate o momento foi para preparar-vos para a leitura da porcao seguinte do presente volume. Ponham seus espiritos e inteligencias nas Maos de Deus para que voces compreendam as relacoes das coisas que irao ser descortinadas diante de seus olhos. A compreensao eh a vespera da boa pratica. O conjunto de boas praticas lhes darao o Conhecimento.

Nao se deixem enganar pelo perdonismo inconsequente. Nao pense que baste perdoar e ser perdoado para que as Portas do Ceu lhes sejam abertas. Perdao e isencao sao diferentes. Quando quizerdes rezar corretamente diga: “Senhor, eu vos peco perdao pelos meus pecados mas nao a isencao da remocao das consequencias de minhas faltas.”

Eh por causa de se ter confundido perdao com isencao e nada termos praticado em favor da remocao das consequencias de nossos pecados que ate o presente nos nos encontramos tao afastados do nosso Pai que Esta no Ceu.

CAPITULO 010 – PEQUENAS OBSERVACOES

Agora nos buscaremos o vestibulo do Ceu e, para que a leitura deste livro se mais acessivel ao entendimento de todos que o lerem, inclusive a aquelas criaturas de Deus que os desmandos elitistas humanos excluiram dos graus mais elevados de instrucao em nossos dias, construiremos estes capitulos em forma de dialogo e narrativa. Todo o conteudo que segue eh uma unica parabola.

CAPITULO 011 – O ACESSO AO VESTIBULO DO CEU

Filhos nossos, tudo vos eh dado saber e conhecer. O Pai nada tem a vos esconder, pois, Ele nao tem pecados. Perguntem e vos sera dado respostas.

Pais, voces que tudo sabem a respeito das Coisas de Deus, revela-nos como ter acesso a A Casa Dele. Queriamos visita-Lo mas nao sabemos qual eh o caminho.

Filhos, nao nos tente. Nao queremos para nos nem para ninguem o assanhar de alguma vaidade. Nem tudo sabemos das Coisas do Pai. Podemos saber um pouco mais que a maioria das pessoas. Mas isso se deve ao privilegio que tivemos em estudar em muitos livros. Livros estes que tem sido escritos por pessoas que nao apenas ouvem os sabios. Elas tambem meditam a respeito do que ouvem para conquistar informacoes novas. Estas pessoas conhecem muito bem suas linguas de origem. E se aproveitam do perfeito uso verbal para divulgar os pensamentos. Alem disso, seguimos alguns bons conselhos que os livros nos tem trazido.

Um deles eh o de agruparmos o maior numero de informacoes possiveis, a respeito dos pontos que desejamos estudar. Reunidas as informacoes, passamos a meditar a respeito delas. Fazemos o confronto com o oposto a elas. E quando encontramos perguntas que os livros ou o nosso conhecimento nao conseguem responder, solicitamos que o Proprio Pai nos mande a Luz Dele para esclarecer-nos. Ate ao presente momento, pouca coisa nao nos tem sido revelado. Mas nao culpamos ao Pai por nao dar-nos respostas. Cremos que Ele as enviou mas nos nao temos sido dedicados o suficiente para interpretarmos corretamente A Linguagem de Deus.

Ele ja lhes Revelou como ter acesso a A Casa Dele?

Sim. Mas esta Revelacao eh antiga e encontra-se na maioria dos Testamentos de nossas religioes. O “segredo” eh ama-Lo acima de todas as outras coisas do universo. O restante eh consequencia disto. Nos mesmos ja estivemos bem proximos de estar na Presenca Dele, uma segunda vez.

E como isto se deu? E por que isso nao aconteceu? E…

Calma. Tudo o que sabemos vos daremos a conhecer. A ansiedade eh grande inimiga da perfeicao. Responderemos aa primeira pergunta, e aa outra somente quando o volume estiver por ser fechado. Deu-se que, uma certa vez, estavamos meditando e indagando ao Pai como fariamos para ter acesso a A Presenca Dele. Ja se passara algum tempo e as respostas nao vinham.

Claro, sabiamos que nao poderiamos ir aos Ceus de Deus devido aas nossas faltas mas julgavamos que, sendo o Pai a Cura Perfeita para todos os males, nao poderia ser pelas maos de outro que seriamos curados para, entao, podermos ir ao Ceu. Sabiamos que somente por Meios Divinos poderiamos ser purificados e santificados, pois que, santos, sabemos que jamais seremos por ja termos experimentado o pecado.

Somente eh possivel ir a A Casa do Pai se fossemos purificados e santificados. Presumiamos que quanto pior o pecador, maior seria a Gloria de Deus em Perdoa-lo e Santifica-lo, portanto, nao julgavamos que o nosso perdao fosse uma obrigacao de Deus mas sim uma Concessao da Vontade Dele.

Pensavamos: Ora, se o Pai nos Perdoar e Permitir-nos ir a A Casa Dele, todos reconheceriam a Bondade Dele e comecariam a trabalhar por suas proprias salvacoes. Pois, se o Pai Concede um Bem a quem nao O merece sera porque Deseja O mesmo Bem a todos que tambem nao O merecam. E foi neste momento de nossa meditacao que ouvimos um Chamado a nos dizer: “Vem”.

E de quem seria aquela voz?

Nao era uma voz que nos chamava mas sim um sentimento interior. Eh como se alguem nos guiasse por telepatia. E, guiar, eh a palavra que melhor define o que vem depois do chamado. Foi como se viajassemos como uma aguia, mergulhando no espaco. Aa distancia observamos uma luz e para ela nos dirigimos. A luz passou e adiante dela avistamos outra mais brilhante. Esta tambem passou mas aa frente outra brilhou.

Assim, passamos sucessivas luzes. Todas as luzes estavam em ordem crescente de luminosidade. Porem, nao vimos nestas luzes nada que ja nao aprenderamos antes. Pensamos entao em desistir de seguir por aquele caminho, porque pesavamos: diante de cada luz vem sempre outra luz mas nunca chegamos aa solucao. Devemos estar seguindo o caminho errado. Entao, o chamado veio novamente.

“Voces estao seguindo as luzes paralelas ao chao. As luzes humanas. Sigam as Luzes que vem do Alto.”

Foi entao que percebemos que haviam dois sentidos para as luzes. Dirigimo-nos para o Alto e as Luzes comecaram a susceder em periodos mais separados mas numa velocidade jamais atingida pela pessoa humana. Pareceu-nos, entao, estarmos viajando pelo espaco sideral e cada Luz era uma Estrela. Mas as Luzes comecaram a ficar tao intensas que os nossos olhos comecaram a nao ver, porque estavamos de frente para elas.

Nao podiamos enxergar mais sombras porque tal luminosidade invadia todos os espacos. Mesmo de olhos fechados enxergavamos atraves de nossas palpebras. Nao sentiamos dores ao enxerga-la.

“Nao seria isso fruto de vossas imaginacoes? Talvez devido aa influencia da literatura de ficcao cientifica, tao comum nos tempos de agora?”

Possivelmente nao, filhos nossos. A verdadeira ficcao cientifica tem sempre algo de imaginacao mas o que alimenta esta imaginacao eh algo verdadeiramente cientifico. Nos nao estamos querendo explicar nada cientifico e a parte imaginativa que usamos eh apenas para traduzir em linguagem humana o que verdadeiramente vimos. Mas nao se precipitem. Quando todo o trabalho estiver lido, voces perceberao as verdadeiras intencoes contidas nestes escreveres.

Sigamos entao com as Luzes. Apos passarmos a ultima estrela, sentimos estar chegando ao nosso destino. Pensaramos e realmente estavamos no espaco. Agora estavamos estacionados na orbita da Terra. E de cima viamos algo diferente. Sabiamos que nao estavamos no passado. Muito menos no futuro, portanto, somente poderiamos estar no presente.

CAPITULO 12 – A TERRA CUJO NOME ERA DIFERENTE

Entao, do espaco podiamos observar diferencas naquela Terra que viamos, em relacao aa Terra que conhecemos. No primeiro instante, apos aas primeiras observacoes, descobriramos que uma unica palavra descrevia aquele planeta. E a palavra era translucida. Era verdade, diante de nossos olhos, e eram muitas as pessoas que estavam conosco, se apresentava a Terra Translucida.

Pessoas de todos os paises, origens etnicas e religioes admiravam conosco aqueles contornos novos de uma Terra semelhante aa nossa. Aa primeira vista, chamava nosso atencao, o azul mais vivo, a transparencia da atmosfera e a ausencia de nuvens, embora, pudessemos observar chuvas esparsas em todo o planeta. Mesmo distantes, como ainda estavamos, podiamos observar cada contorno de montanha e cada curva dos rios. E nos era dado conhecer a todos os lugares.

“Provavelmente voces estivessem usando aparelhagens muito avancadas, que eliminavam as interferencias das nuvens em suas visoes.”

Ora, filhos nossos, acaso nao dissemos antes que viajavamos como as aguias? Nenhum aparelho artificial estave sendo usado e ate as vertigens de altitude que alguns de nos sofria foram eliminadas.

Durante o tempo em que ficaramos flutuando no espaco pudemos observar algumas diferencas nitidas de Translucida em relacao aa nossa propria Terra. Para comecar, nos brasileiros pudemos notar um imenso reservatorio de agua no que, provavelmente, seria o Norte do Estado de Minas Gerais e/ou Sul do Estado da Bahia. Na parte que corresponde ao Nordeste brasileiro centenas, talvez milhares, de outros reservatorios. Do alto e pelo tamanho do primeiro reservatorio imaginamos que ali nascera um mar brasileiro.

Chegamos a acreditar que entre dez e vinte por cento daqueles territorios haviam sido tomados pelas aguas das muitas represas. Nao somente as aguas nos chamaram a atencao. Tambem o verde era um verde novo que acompanhava as margens de todos os rios, corregos e reservatorios. Parecia que as aguas que refletiam o azul do ceu eram emolduradas pelo verde da vegetacao.

Grandes areas verdes, que nos pareceram reservas, tambem se destacavam naquele mapa natural. O verde pareceu-nos ser em maior quantidade que as aguas.

Intercalados ao verde e aas aguas percebia-se, nitidamente, as cidades e as terras agricolas. Todo o conjunto se parecia com um jardim desenhado.

Quando olhamos para onde deveriam estar as grandes cidades brasileiras, nao as vimos. Em seus lugares, cidades de menores proporcoes, mais visiveis, destacando-se das demais.

Dirigimos nossa atencao para o local onde julgavamos estar uma barragem que dera origem ao Mar Brasileiro e nao enxergamos cimento. Pareceu-nos que fora construida de terra, transformada em patamares que, do lugar onde estavamos, pareciam escadarias. Muitas pequenas cidades estavam plantadas nestes patamares.

Com o girar do planeta, vimos toda a Africa e o Norte dela se assemelhava ao Nordeste brasileiro. Tambem existiam dois mares. Um a noroeste e outro a sudeste. Tambem vimos represas menores e o aspecto era de ajardinado.

Translucida completou o seu giro e observamos que nela nao havia mais nenhum deserto.

CAPITULO 013 – A COMISSAO DE RECEPCAO

Dirigimo-nos entao para a superficie. Cada grupo, segundo a sua origem. Seguimos junto ao grupo do Brasil. Ao tocarmos o chao, alguem falou-nos: “Esta Terra eh Translucida porque aqui as pessoas souberam separar aquilo que muitos disseram que era de Deus daquilo que realmente eh do Pai. Aqui se cumpre a Vontade de Deus.”

“Entao, voces estiveram realmente no Ceu?”

Ainda nao filhos nossos. Lembrem-se que estavamos em Translucida. Depois voces irao aprender a fazer esta diferenca. Translucida ocupava o mesmo espaco que a nossa Terra e estava no mesmo tempo que o nosso. Porem, estava em uma dimensao diferente da nossa.

“Como voces sabiam disso?”

Quando chegamos, nao sabiamos. Ficamos sabendo a partir do momento em que visitamos os lugares conhecidos por nos em nossa Terra. Percebemos que o basico nas cidades era o mesmo. Com alguma dificuldade, ate mesmo reconhecemos algumas pessoas que nelas conheceramos na Terra. Mas existiam duas diferencas basicas. A populacao era em maior quantidade e a aparencia das pessoas era mais juvenil e jovial que em nossa Terra. Assim, vimos pessoas aa nossa imagem e semelhanca, porem, aparentavam ser mais jovens que nos.

“Como estas coisas se explicam?”

Filhos nossos, lembrem-se que estavamos num lugar onde as pessoas faziam a Vontade de Deus. Talvez as roupas que nos deram para vestir expliquem algo. Colocamos uma roupa que se parecia seda, totalmente transparente, sobre aquelas que usavamos de nossa Terra. Era perfeitamente maleavel e nao causava ruido ao movimenta-la. Esta roupa cobria-nos todo o corpo mas podiamos respirar e enxergar atraves dela. Era como um veu. Tinhamos pessoas a nos sinceronear e elas explicaram que ainda viviamos em uma Terra onde o pecado dominava, portanto, as roupas eram para que nao contaminassemos o ambiente deles.

“E voces nao entenderam isto como uma discriminacao? Acaso o povo da Terra Translucida se julgava melhor que nos?”

Sao engracadas as suas exautacoes. Filhos, mesmo que nao tivessemos pecado algum em nossa Terra, precisariamos proteger aquele povo contra qualquer tipo de contaminacao. Nao eram somente os nossos pecados que importavam. Os pecados de nossos ancestrais e de nossos contemporaneos tambem nos atingem porque nos ainda nao trabalhamos o suficiente para remover as consequencias deles. Nao eh Deus Quem cobra nos filhos as transgressoes dos pais. O que faz isso eh a consequencia dos pecados. Para Deus, todo nascimento eh puro. As pessoas em Translucida nao estavam nos acusando de nada, estavam apenas constatando o que ocorre realmente em nossa pratica.

“E como eram as pessoas em Translucida?”

Muito bonitas e cientificamente curiosas como nos. Pareceu-nos ler em suas mentes que acreditavam sermos de uma idade avancadissima. Mesmo que em nossa Terra nao sejamos considerados velhos aos quarenta anos e o padrao de nossa aparencia seja considerado bom. Nao nos comparavamos ao povo de Translucida.

Constatamos porque a populacao era maior tambem. Muitos dos correspondentes que em nossa Terra ja haviam desencarnado, ainda viviam em Translucida e isto, provavelmente, incluia muitos que em nossa Terra tinham sido transformados em abortos. Pessoas muito mais velhas que nos, em nossa Terra, conservavam uma beleza jovial que lhes davam a aparencia de ser mais novas do que a nossa presente aparencia.

Nao que a morte por la nao acontecesse. Existia, mas era conhecido que nao passava de uma viagem de ida e volta. Ali, vivia-se mais e melhor. Eh como se houvesse uma fonte de juventude e que todos pudessem beber dela. Os tracos fisicos nao eram muito diferentes dos nossos mas nao constatavamos sinais de doencas ou decrepitude da saude. Nao vimos sinais de vaidade. Nao era beleza de maquiagem. As roupas eram simples. Os acessorios minimos. E tudo era limpo.

“Parece-nos, queridos pais, que quanto mais voces narram esta viagem, menos compreendemos as coisas.”

Tambem nos, ate entao, estavamos confusos. Mas, dentro de nos, tinhamos imensa confianca em que tudo nos seria revelado. Portanto, aguardavamos pacientemente o desenrolar da historia.

Cremos que, a seguir, as explicacoes comecarao a surgir como surgiram para nos. Em seguida aas observacoes passadas, fomos oficialmente recebidos por algumas pessoas que julgavamos ter alguma autoridade, porque a cada sinal delas alguem nos apresentava alguma coisa. Pensavamos, porem, que as formalidades eram desnecessarias. Ora, se nao eramos autoridades em nada na Terra de onde vimos, por que deveriamos ter as honras? Mas isto nao falamos, apenas pensamos. Observamos que quando as pessoas de Translucida se dirigiam a aquelas autoridades nao o faziam com cerimonial algum.

Estavamos ainda perdidos nestas confabulacoes quando a um sinal entrou uma trupe de palhacos em cena e fez o seu trabalho. A principio, buscavamos uma licao para aquela cena que, aparentemente, seria totalmente despropositada num primeiro encontro de pessoas de planetas diferentes. E os palhacos fizeram o mesmo que fazem nos picadeiros. Deram-se tapas e chutes, puxaram cadeiras para que outros caissem sentados no chao, puxaram-se os narizes e se enganaram uns aos outros.

Embora reconhecendo a seriedade do trabalho dos palhacos, nunca deixara-nos ser embalados pelas ironias deles. Gostavamos de ve-los trabalhar mas nao atribuiamos a eles a alma do circo. E foi assim pensando que constatamos o nosso erro. E foi neste momento que comecamos a rir-nos de nos mesmos.

“Ora, se os palhacos eh que estavam fazendo graca, por que voces comecaram a rir de si mesmos?”

Porque o trabalho dos palhacos ali era serio. O engracado, ironicamente, era que todas as vezes que chutamos e fomos chutados; por todas as vezes que apanhamos ou que batemos; por todas as vezes que enganamos ou fomos enganados, nos nos vimos ali representados por aqueles palhacos. Entao, comecamos a perceber o quao mais serio eh o trabalho dos palhacos ao fazer-nos rir. E a trupe se despediu, deixando o ambiente.

Em seguida, fomos apresentados a uma senhora que todos a chamavam carinhosamente de vovo. Notava-se o avanco da idade dela. Pelos nossos padroes, calculavamos a idade dela por volta de oitenta a noventa anos. Era a pessoa que conseguira atingir idade registrada mais avancada em Translucida. Porem ainda estava com todos os sentidos funcionando bem.

Tivemos a oportunidade de dialogar com ela. O nome dela eh Lucia. Nao indagamos a idade e nem ela falou. Isso nao era importante. Bastou ouvirmos o relato de que conhecera perfeitamente quatro geracoes de sua familia anteriores aa dela e, ate a aquele momento, conhecera a setima geracao depois dela. Ao todo, eram doze geracoes.

Indagamos, entao, se Lucia se sentia privilegiada por Deus por ter obtido tamanha dadiva. A resposta nos veio negativa.

“O Pai nao privilegia ninguem. – completou – O que Ele fez por mim, fez por todos nos. Digamos que seja necessario que alguem tenha que ficar para semente, – prosseguiu se rindo – o acaso preferiu que fosse eu. Sou imensamente grata ao Pai por ter vivido tanto mas a quantidade de anos que se vive nao eh o que importa. Maior beneficio eh viver numa Terra de Paz como a que vivemos e poder desfrutar do convivio de todas as pessoas no planeta, com igualdade. Mas isso eh dado a todas as pessoas, nao somente a mim.”

Diante desta licao de vida garantimos a ela: Deste momento em diante nao mais a chamariamos de Lucia. Para nos o nome dela passaria a ser Lucida.

Rimos e nos abracamos fraternalmente.

CAPITULO 14 – O GRANDE CAPITAL

“Sem duvida, paisinhos, voces tiveram algumas licoes interessantes em Translucida. Mas gostariamos de saber como o povo daquela Terra resolveu seus problemas financeiros. Pelo que voces estao nos contando, problema eh o que eles menos tem por la!”

Esta avaliacao de voces esta correta. Mas como poderiamos explicar para voces como resolveram os problemas? Eh preciso traduzir a linguagem deles para a nossa. Muitas palavras que usamos entre nos, nao fazem sentido para eles. Muitas palavras que eles usam precisam comecar a fazer sentido entre nos. Tentaremos esclarecer melhor isso para voces.

Por exemplo, se falassemos com eles em dinheiro, eles logo pensariam que se tratasse de uma forma muito antiga de se trocar as coisas. La nao se usa dinheiro nem qualquer outro mecanismo de troca.

“Usa-se entao o Credito?”

Digamos que usa-se a existencia. O grande capital de Translucida nao eh o dinheiro, as propriedades, nem metais ou minerais preciosos. O grande capital eh a pessoa humana. La, a pessoa humana vale muito mais que as maquinas, que os materiais, que as ambicoes, que os egoismos, que a ansia de poder e tudo o mais. A unica Coisa que esta acima da pessoa humana eh a Pessoa de Deus.

“Pais, voces estao divagando. Estao floreando muito esta historia. Por que nao vao diretamente ao assunto?”

Talvez tenhamos sido um pouco contaminados, no bom sentido, pelo ar de Translucida. Ninguem por la tem pressa das coisas. Tudo eh feito de acordo com as necessidades. Se algo eh preciso ser feito, se faz. Preocupando-se apenas com que seja bem feito para nao ter-se que consertar depois. Assim, as coisas de la ficam prontas mais rapido do que aqui e quando sao feitas sao definitivas.

Como diziamos, o capital em Translucida eh a pessoa humana. E, pessoa humana, sabemos, tem um conjunto de necessidades imprescidiveis aa sua vida. Desde que eh concebida, a pessoa humana eh colocada, em parte, na dependencia da sociedade e, em parte, na da familia. O ser concebido tem a casa de seus pais para morar, tem medicos aa sua disposicao, os pais sao preparados para receberem aquela nova criatura em seu lar. Precisando faltar ao trabalho para isto, nao existem salarios a serem descontados e nenhum beneficio eh perdido.

“Gostariamos que falassem das pessoas adultas, paisinhos.”

Tambem gostariamos de falar tudo de uma so vez mas compreendemos que se pudessemos fazer isto, ninguem nos compreenderia. Portanto, nao vamos comecar a construir a casa pelo telhado!

Para nascer, toda a assistencia necessaria eh dada como uma necessidade da crianca. Nao existe o que se pagar por isso. Ora, a necessidade eh da crianca e se ela nada pode pagar, nada lhe eh pedido em troca. Nao existe diferenca de tratamento em funcao da profissao exercida pelos pais, nem mesmo daquelas que representam governo ou fama. Podemos dizer que o tratamento eh igual para todos e eh muito melhor que o oferecido em nossa Terra.

Assim as pessoas seguem a vida. Tudo eh baseado em necessidades. Se a crianca precisa de escola, a escola eh levada ate a ela; se precisa de medico, este estara presente; se precisa de exercicios, tem o local apropriado para faze-los; se precisa de qualquer assistencia, esta nao lhe falta; quando fica adulta e precisa moradia propria, esta tambem lhe eh dada. Enfim, poderiamos dizer que toda pessoa eh um principe ou princesa em Translucida. E isto eh a grande verdade porque todas sao filhas do Rei dos reis.

“Mas isto nao eh mimar demais nao?”

Seria! Se a responsabilidade nao fosse igualmente distribuida.

CAPITULO 015 – OS DONS QUE VEM DE DEUS

“Nos ainda nao compreendemos pais, como eh a vida economica das pessoas em Translucida. Compreendemos que todos os direitos das pessoas humanas sao preservados mas se tudo eh dado, quem paga as contas?”

Voces nao compreenderam ainda porque nem tudo lhes foi revelado. Ora, em Translucida, todos sabem que cada um de nos possui dons e necessidades. La eh comum dizer-se que todos os dons veem de Deus e em nome Dele devem ser exercidos. Assim, as pessoas de la nao fazem opcao por uma profissao como a medicina porque isso lhes daria prestigio ou posses. As pessoas de la sao levadas a fazer medicina, em primeiro lugar, porque eh uma necessidade. Ora, se temos a possibilidade de adoecer, eh preciso que existam pessoas com a capacidade de prevenir contra isso ou curar, logo, o profissional de medicina eh necessario.

Alem disso, eh preciso que o candidato a se tornar medico tenha o dom da cura e da responsabilidade. Medicina em Translucida eh um sacerdocio como todas as outras profissoes. A pessoa sabe que o medico nao pode marcar horario para sair de casa. Ele tem que estar onde o seu doente estiver, assim como os outros medicos estarao disponiveis para atender o colega de profissao que adoeca.

Naquela Terra, o medico nao tem status diferente dos outros profissionais. Todos sao considerados pessoas comuns e ao mesmo tempo importantes.

Nao existem disputas entre laboratorios biomedicos. Quando alguem descobre algo importante, a urgencia eh passar o conhecimento novo para todos. O imprescindivel eh servir e nao ser servido. O que termina dando no mesmo porque, do mesmo modo que se serve tambem se eh servido.

O objetivo da medicina em Translucida, tanto quanto em todas as outras profissoes, nao eh o de adquirir-se fama ou posse mas salvar os pacientes das dores e dos desconfortos da doenca.

Para que ilustremos melhor o que estamos falando, relataremos a visita que fizemos a um hospital. Enquanto esperavamos nosso guia, pois, chegaramos mais cedo que o combinado, vimos uma pessoa que chegou para fazer exames. Era apenas um preventivo. Antes que ela saisse da sala de espera, vieram dois medicos e se sentaram juntos aa uma mesa. Apos as saudacoes como se fossem, e deveriam ser, velhos amigos, comecaram a conversa com o paciente. Este comecou a relatar o procedimento em seu proprio trabalho e discorreu a respeito de procedimentos novos que havia adotado em relacao a ele. Somente depois desse bate-papo informal eh que entraram no consultorio para os exames de rotina.

Mas, durante aquela conversa, que nao foi tao rapida, observamos sinais que nos pareceram engracados, porem logicos. Olhando-se aquela cena, tinha-se a impressao de que o paciente era o professor e os medicos os alunos. Os medicos pareciam interessados na verdadeira aula que recebiam a respeito da coleta e a reciclagem do lixo. Esta era a profissao do paciente, coletor e reciclador de lixo, nao sendo ele um dono do negocio.

O dono eh a comunidade, ele era um mero trabalhador mas percebia-se que houvera frequentado escolas tao boas quanto as que os medicos frequentaram para exercer sua profissao. E os medicos estavam imensamente agradecidos a ele nao apenas por coletar e reciclar o proprio lixo deles mas porque o trabalho daquele paciente evitava que as pessoas adoecessem.

Nao existia indisposicao para com aquele que poderia estar diminuindo-lhes o trabalho. Eles o agradeciam porque todos estavam trabalhando em conjunto para que toda a populacao tivesse uma vida melhor.

Observava-se um intenso movimento naquele hospital. Mas notava-se claramente que os medicos nao desejavam que as pessoas adoecessem, por causa do amor que sentiam por elas. Enquanto isso, eles continuavam atendendo os inumeros pacientes apenas preventivamente.

O nosso guia chegou e a nossa visita foi menos instrutiva que aquela espera. Nao haviam coisas excepcionais para se ver naquele hospital. Era maravilhosamente equipado, mesmo sendo um hospital em pequena cidade. Tudo funcionava perfeitamente, exatamente como se espera que aconteca em um bom hospital. A unica diferenca era que o intenso movimento se devia ao atendimento preventivo. Doentes mesmo nao existiam ali.

Pelo que pudemos constatar, o exercicio da medicina nao era uma excecao em Translucida. Todas as profissoes sao exercidas como um sacerdocio. Sendo que o importante eh servir e faze-lo muito bem.

Embora tenhamos dito que os medicos tinham muito trabalho, nenhum reclamou de excesso. Em Translucida, quando aumenta o trabalho a ser feito, aumenta-se o numero de pessoas que o fazem. Quando o trabalho diminui sazonalmente, diminui-se o numero de horas que cada um trabalha para que todos possam trabalhar.

Ora, como nao existem regalias ou perdas para quem trabalha alem de sua cota, nao se justifica o trabalho em excesso. Como nao existe perda de regalias ou beneficios para quem nao trabalha, entao, eh melhor distribuir o trabalho, segundo cotas que todos possam trabalhar.

Trabalhar em tempo normal em Translucida eh considerado fator de saude publica, nao importando-se com o que se trabalha. Eles creem que as pessoas que nao trabalham, por falta de trabalho, apresentam maiores riscos de adoecerem e se tornam predispostas a fazerem outros adoecerem tambem.

Tambem nao observamos jornada dupla de trabalho para ninguem. Ninguem trabalha tanto quanto algumas pessoas aqui em nossa Terra, mas ocupa-se o tempo alem do trabalho com atividades esportivas educativas e lazeres gerais. Eh possivel que o tempo que eles gastam com o trabalho seja a metade do que gastamos aqui na Terra mas, apesar disso, notamos que sao muito mais avancados tecnologicamente que nos. E a tecnologia eh igualmente partilhada em todo o planeta.

Quando as pessoas possuem um dom que, aqui em nossa Terra, eh considerado especial como: cantar, compor, escrever, pintar, praticar esportes, ser a excelencia no conhecimento cientifico ou religioso, e muitos outros exemplos mais, elas nao o usam para o enriquecimento pessoal. Pelo contrario. Tem horror a esse tipo de coisa.

Tais pessoas alegam que os talentos que possuem veem de Deus e se tornariam despresiveis diante dos Olhos de Deus se nao os partilhassem com as outras pessoas. Estas pessoas trabalham com tais coisas mas o fazem de uma forma que se torne uma oferenda ao Pai. E, pelo que nos pareceu, elas trabalham em funcao de descobrir novos talentos que possam renovar e perpetuar suas artes.

Pareceu-nos tambem que elas estao corretas neste tipo de filosofia, porque os talentos muito se multiplicam diante desta atitude. Com certeza, O Pai as Abencoa por causa do desprendimento delas.

As pessoas em Translucida acreditam que guardar as coisas de Deus apenas para si proprias seria como trair a Confianca que o Pai Depositou nelas, Entregando-lhes seus talentos. Elas sentem nausea diante do simples pensar em cometer qualquer transgressao.

Sequer tivemos a coragem de comentar o quanto essa transgressao eh tao comum em nossa Terra. Tivemos medo de causar angustia naquela populacao tao maravilhosa, que partilhava conosco tudo do bom e do melhor, sem pedir nada em troca. Imaginavamos que seria bom que tambem nos nao traissemos ao Pai, em funcao dos talentos que Ele de Graca nos Concedeu.

CAPITULO 16 – O JOGO DE DEUS

“Com certeza queridos pais, se um sistema como este fosse implementado aqui na Terra, de uma hora para outra, transformaria o planeta numa caixa de Pandora. Seria preciso que houvesse somente pessoas muito equilibradas e sabias nos postos de poder e nao podemos dizer que os atuais dirigentes da Terra tenham tal capacidade. Estes que ja ocupam os cargos decisivos, nao suportarao perde-los para pessoas de idoneidade irrepreensivel. O orgulho jamais os permitira reconhecer o quanto errados eles andam. A quanto desvio do bom caminho eles levam. Mesmo que voces pregassem para eles como eh Translucida, eles aceitariam suas palavras apenas como estorias.”

Sabemos disso filhos nossos. Mas nao podemos esperar que haja conversao dos humanos como um passe de magica. Estes nao vao permanecer para sempre governando a Terra. Amanha, todos estarao mortos e eles proprios nao poderao ordenar a nenhum vivo nem mesmo que reguem as flores em seus tumulos para que elas nao murchem.

Os devotos deles ficarao cada vez mais raros e eles terao que prestar muitas contas nos mundos paralelos. Nao sabemos se eles querem que seus nomes sejam inscritos nos livros dos vivos ou dos mortos. Caso queiram o primeiro, terao que nascer de novo e mudar totalmente as suas condutas.

Nenhum deles esta predestinado para a morte. Esta somente os perseguira caso eles proprios facam opcao por ela. E nao estamos aqui falando de morte biologica. Apos a morte dos atuais dirigentes, outros ocuparao suas vagas e estes serao sucedidos por outros ainda. Mas nunca percamos as esperancas. Por pior que seja a pessoa humana, ela nao deixa de ser uma criatura de Deus e, como tal, pode ser levada pelas pessoas boas a se converterem ao bem.

Mas caso os atuais governantes nao optem pela vida, resta-nos partilhar o nosso conhecimento com todas as outras criaturas de Deus, espalhadas por toda a face da Terra. Quando todo jovem aprender estas licoes que aprendemos em Translucida, teremos a certeza que os futuros governantes as conhecerao. Nossa esperanca eh a de que os jovens as ponham em pratica.

“A que tempo isto deve acontecer?”

Ora, tomemos o exemplo de Translucida. A Historia dela era a nossa Historia; as personalidades dela eram as nossas personalidades e o tempo dela eh o nosso tempo. No entanto, ela se corrigiu e passou aa nossa frente. Agora, somos nos que teremos de correr para voltar a ficarmos juntos. Desde ha muito tempo ela fez opcao por indireitar os seus caminhos.

O trabalho que ela teve para chegar ate onde chegou devera ser menos do que o que teremos pela frente porque ela comecou muito mais cedo a remover as consequencias do pecado. Assim, as consequencias do pecado acumuladas por ela era muito menor que aqui na Terra. Por isso nao sabemos se ainda teremos tempo suficiente para repetir o feito dela. Sabemos, com absoluta certeza, que quanto mais tarde comercarmos, mais demorado e dificil sera o nosso trabalho.

Neste momento, a Terra Translucida ja cumpriu o seu tempo de erros e optou pelo bem. Agora ela esta protegida contra asteroides, vulcoes, terremotos, choques com cometas e qualquer outra catastrofe possivel. A nossa Terra ainda nao fez a mesma opcao que ela mas cremos nao ser tarde demais para se comecar.

“Por que voces estao dizendo que Translucida ja esta progegida contra todas estas catastrofes? Acaso foi descoberto por la alguma tecnologia que estabilize o universo?”

Nao eh isso, filhos de pequena paciencia! Por enquanto, digamos que ela atingiu um estagio evolutivo muito mais elevado, espiritualmente falando. Mas a revelacao disso ficara para a conclusao do presente volume.

“Entao pais, voltemos um pouco ao assunto que ha pouco falavamos. Como o povo de Translucida fez para descobrir os melhores guias para que se tornasse uma verdadeira terra da promissao?”

Fizeram o Jogo de Deus.

“O que eh isto?”

Jogo de Deus eh apenas um dos metodos que levam este nome. Em primeiro lugar, ninguem eh excluido. Para que alguem ganhe nao precisa que outro perca. Eh como se existisse uma escala. Eh preciso atingir-se uma certa pontuacao dela. Segundo os translucidianos o mesmo acontece na selecao das pessoas quando entram para o Ceu.

Quando se atinge os pontos necessarios nos somos automaticamente incluidos nos livros dos admitidos. Estes pontos nao sao numericos. Quando agimos corretamente, atingimos estes pontos, que sao como os patamares de uma escada, e nao os perdemos mais.

Quando agimos mal, deixamos de marcar pontos e nao podemos entrar no Ceu enquanto nao removermos as consequencias de nossos erros. Aqueles que nao se preocupam em chegar primeiro ou obter as melhores posicoes, mas preocupam-se permanentemente em servir aos outros, sao os que melhor aprenderam as regras do jogo e sao admitidos a governar ou adquirem o direito de ir para o Ceu por antecedencia.

O Ceu prefere que todos tenham a oportunidade de governar alguma coisa antes de admiti-los la. O Ceu conhece a nossa personalidade e sabe o que nos ira acontecer, por isto, o jogo nao eh tao importante para ele.

Quando assumem o poder, algumas pessoas mudam as suas personalidades transformando-se em verdadeiras duplas personalidades. Mesmo que o Ceu ja soubesse que isso aconteceria, o importante eh que a propria pessoa descubra o seu segundo eu, para que busque a cura para esse mal. Eh preciso que as pessoas descubram a quem elas pretendem enganar, se a Deus ou a si proprias.

“Pais de todos nos, a partir de qual tempo a Historia de Translucida tomou rumos diferentes da nossa? Quanto tempo foi preciso para que ela evoluisse para um patamar espiritual mais elevado?”

Trinta e quatro geracoes Adonevianas.

“Trinta e quatro mil anos?”

Nao. Cerca apenas de mil anos. Voces estao fazendo confusao. A primeira geracao Adoneviana, em relacao aa atual populacao humana na Terra, completar-se-ia em mil anos. A partir dela, cada geracao nova corresponderia a uma nova geracao Adoneviana. Neste caso, trinta e tres geracoes correspondem a cerca de mil anos.

Voces precisam estudar melhor o III Volume do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS para nao se cometer tais enganos. Mas isso nao quer dizer que o nosso tempo tenha que se cumprir em mil anos. Pode ser menos.

O atraso que os translucidianos tiveram foi mais por falta de conhecimento tecnologico, que somente veio depois que se descobriu que tambem ele era importante para a salvacao. Eles atingiram tecnologia muito mais avancada que a nossa atual mas, quando optaram pelo caminho que nos leva a Deus, a tecnologia deles era tao atrasada quanto a nossa era ha mil anos.

Partindo do principio de que nos comecamos ja com nossa tecnologia bastante desenvolvida, em relacao a aquele tempo, julgamos que poderemos chegar ao objetivo mais rapidamente. O que precisamos eh nao adiar mais o comeco e nao desviarmo-nos mais do caminho do bem.

“Voce nos disseram varias vezes que a tecnologia, os conhecimento em geral e as ciencias sao importantes para a salvacao de todos nos. As pessoas que pregam as Escrituras antigas dao muito mais importancia aa fe pura e simples. Somente alguns ramos religiosos admitem que tambem as boas obras fazem parte da salvacao. Queridos pais, ha possibilidade de voces estarem enganados quanto a isso?”

Filhos queridos, as antigas Escrituras nao falaram dessas coisas porque estas surgiram somente apos elas. Mas, mesmo assim, sem saber, os seres humanos escreveram tais Escrituras ja anunciando o Conhecimento Com Respeito a Deus. Isaias, por exemplo, disse: “… a Terra estara cheia do Conhecimento de Deus, como as aguas enchem o mar.” Is 11, 9. Nao cremos que Isaias estivesse falando em fe ou boas obras, embora estas coisas tambem encaminhem para o bom conhecimento.

Mas eh o conhecimento que vem em primeiro lugar. Primeiramente a gente toma conhecimento do que eh dito Com Respeito a Deus. Quando aceitamos o que ja eh dito, isto vira a nossa fe. Ninguem nasce ja sabendo das coisas, portanto, nascemos tambem sem fe alguma.

A fe pela fe, porem, eh vazia. Nao adianta termos fe se ela nao remover estas montanhas que nos separam do Pai. E as montanhas que nos separam do Pai, neste momento, eh a falta de remocao das consequencias do pecado. Quando removemos estas consequencias do pecado, realizamos a nossa pratica que sao as boas obras.

As boas obras dissipam as montanhas e nos levam a novos horizontes, ou seja, ao conhecimento novo. Quando removermos a ultima das montanhas, todo o Conhecimento Se Revelara e esta eh a Personificacao do Proprio Pai. Desta forma, podemos concluir que o conhecimento leva ao Conhecimento atraves da fe e das boas obras.

“E qual eh a importancia do conhecimento cientifico em tudo isso?”

Acontece, queridos filhos, que a pessoa humana, todas as vezes que acontece algo extraordinario, eh levada a concluir que isso aconteceu por Interferencia Divina. Ora, o Pai, tudo Sabe. Dele vem o conhecimento cientifico, que eh bom. Ele o nos Revela exatamente para que tenhamos conhecimento, para que saibamos separar o que eh de Deus do que eh nosso ou da natureza.

Deus nao se sente exaltado quando atribuimos a Ele coisas, mesmo que maravilhosas, se nao forem Dele. Isto seria falso e Deus Eh a Verdade. Por isto, tudo aquilo que acreditaramos ser de Deus, deve ser meditado de geracao em geracao, segundo a luz dos novos conhecimentos. O que permanecer inalterado pode pertencer a Deus. O que precisar ser modificado nao pertencera a Ele.

Alem do mais, conhecimento cientifico eh tambem poder. Imaginem uma pessoa com muitos conhecimentos cientificos e com perfeito conhecimento das civilizacoes antigas. Se esta pessoa voltasse aos tempos antigos com esta carga de conhecimentos, poderia tornar-se motivo de adoracao aos povos antigos, porque ela realizaria coisas assombrosas aos olhos daqueles povos.

Nem eh necessario que isso aconteca assim. Um cientista de ponta que da demonstracoes de seus conhecimentos a pessoas contemporaneas a nos, porem, sem conhecimento cientifico algum, torna-se um idolo para este publico sem instrucao. Alguem podera atribuir-lhe poderes divinos. Portanto, o conhecimento cientifico torna-se um teste para nos. Quem o tem, precisa ser humilde para nao transformar isso em fator de exaltacao de si proprio e quem nao o tem precisa lembrar que aquela pessoa, so porque eh cientista e conhece coisas de ciencias muito acima do seu conhecimento proprio, em nada, eh superior a ele.

Em resumo, temos que nos espelhar em Deus e sermos como Ele Eh. O Pai, a tudo Conhece mas nao fica se aproveitando disso para parecer Superior sem Se-lo. O Pai Eh Superior e poderia ordenar-nos que submetessemos a Ele. Mas Ele Prefere que facamos isso por nossa propria vontade.

“O quao longe Translucida foi em ciencias e tecnologias?”

Tao longe quanto o nosso limitado arbitrio nos permite ir!

CAPITULO 017 – PAUSA PARA O CULTO A DEUS

“Fala-nos pais, como sao os cultos a Deus em Translucida!”

Ah filhos! Muitos de voces ficariam muito surpresos ao depararem com o culto translucidiano a Deus. La as pessoas se reunem em todos os lugares. Nao apenas em templos de pedra. Eh comum se reunirem ao entardecer. Nas pracas se o tempo permite. Todos os dias sem que ninguem seja obrigado a comparecer.

“Mas eles nao tem o dia consagrado ao descanso?”

Tem. Mas este eh apenas um dia a mais em suas vidas. Eles tem os dias contados da mesma forma que os nossos, porem, a semana eh inteiramente consagrada a Deus.

“Mas eles nao tem um dia de especial devocao a Deus?”

A devocao especial a Deus, para eles, acontece todos os dias da semana. Alegam que como Deus merece que o louvemos no dia do descanso, tambem O exaltam nos dias de trabalho, porque eh o trabalho que nos faz merecer o descanso.

Eh importante lembrar que os translucidianos nao ocupam tanto tempo com o trabalho quanto nos. Como todos os adultos trabalham conforme seus dons e todo trabalho tem o mesmo valor, nao eh preciso trabalhar tanto. Apesar disso, o padrao medio de vida deles eh extremamente superior ao nosso. Eh que a partilha do fruto do trabalho e do conhecimento produzem a multiplicacao do pao e de todos os outros frutos do trabalho. Com isso, a participacao no culto a Deus nao sobrecarrega a ninguem.

“E do que haveriamos de admirar-nos de tais cultos?”

Em primeiro lugar, porque nao existem exclusoes. Deus nao faz distincao entre seus filhos, como todos alegam. O culto pode ser conduzido por mestres em sacerdocio de qualquer dos sexos, sejam ele casados ou solteiros, nao importando a procedencia, a raca ou cor dominantes. Os translucidianos alegam que importante eh o dom que vem de Deus e se Deus distribui os dons sem fazer distincao, eles tambem nao poderiam fazer tais distincoes.

“Mas, pais, em nossa Terra, isso causaria muitos torceres de narizes. Como fariamos para superar os preconceitos?”

Fazendo como os translucidianos. Temos de fechar os nossos olhos para a escuridao e abri-los para a lucidez. Tambem eles ja passaram por todos os preconceitos que passamos mas tiveram a coragem primeiro de supera-los todos.

“Existem mais coisas surpreendentes durante o culto?”

Nao para nos. Mas diferencas existem em relacao ao que conhecemos aqui. No culto semanal, o que predomina eh a leitura das Escrituas. Nao existem trechos escolhidos ou sorteados. Comeca-se no inicio, em cada comunidade. Le-se trechos curtos que tenham principio, meio e fim.

Apos isso, faz-se uma profunda reflexao. Eh apresentado o entendimento ate entao aceito. Eh dado tempo para que caso as pessoas entendam diferente se manifestem. Debate-se as opinioes diferentes.

Nao existe nesses debates a intencao de impor alguma opiniao mas sim descobrir-se a Verdade. Quando a Verdade eh descoberta, nao importando de onde tenha vindo a opiniao vencedora, todos saem felizes e vitoriosos porque o objetivo de atingir-se a Verdade foi alcancado.

Descobrindo-se algo novo, isto eh repassado a todas as comunidades de Translucida para que meditem e tambem debatam. Assim, todos caminham juntos. Isto, porem, foi-nos explicado mas estas explicacoes baseavam-se em acontecimentos passados. Explicou-se que desde quando as exclusoes deixaram de existir, houve um periodo de intensos debates que diminuiram com o passar do tempo e, por fim, se esgotaram. Cre-se que isso aconteca todas as vezes que todas as perguntas tenham suas respostas encontradas.

“Mais alguma surpresa nestes cultos?”

Talvez, para quem nao aceite a Deus como Ele Eh. Encontramos num mesmo culto remanescentes de todos os credos que Translucida produzira anteriormente. Vimos islamicos lado-a-lado com cristaos; budistas com cristaos e indus; indus com judeus e os mais diversos outros cultos que ja haviam existido.

Tambem estavam presentes representantes de todos os ramos de cada ramo religioso de cada religiao. E as Escrituras analisadas eram de todas as religioes. Embora pudessemos identificar as diferentes origens dos presentes, todos praticavam o culto comum naquela fase de sua Historia. Eh que, naquele precioso momento, todos faziam a Vontade do Pai, criam no mesmo Deus e respeitavam as diferencas de homenagens.

“Como isso foi acontecer? As culturas na Terra estao separadas por fronteiras. Para nos, isso nao se realizaria.”

Filhos, tambem em Translucida as pessoas nao acreditaram quando a proposta apareceu mas a diferenca entre nos e eles eh que eles superaram as barreiras fronteiricas ha muito tempo. Sabiam que nada seria realizado caso nao comecassem. Porem, quando comecou, para a surpresa de todos, era o que realmente a maioria das pessoas desejavam.

Tambem houve um fator que os ajudou. Eles se propuzeram a consolidar a geracao Evadoniana (ou Adonevaniana), o que aproximou muito todos os povos, pois, tiveram a certeza de que todos eram parentes, mesmo antes das descobertas evolutivas. Eh por isso que falavamos em racas e cores predominantes. Todas as pessoas de Translucida sao mesticas mas alguns individuos, aas vezes, conservam caracteristicas raciais marcantes. E, por causa disso, os muitos cultos espalharam-se e cada individuo adota costumes dos cultos ancestrais que nao promovam exclusoes ao bem comum.

Tambem existem diferencas no comportamento durante o culto. Existe o predominio do silencio e da meditacao. As pessoas chegam a entrar numa especie de transe ou extase mas sem perder a consciencia. Em Translucida, ter consciencia eh considerado o grande dom de Deus.

Existem tambem cantos e dancas mas nada vimos que pudesse chocar os mais conservadores dos terraqueos. O comportamento das pessoas eh irrepreensivel.

Do culto, observamos que todos saem felizes por terem podido agradecer a Deus mais um dia de pratica correta em suas vidas.

Outra diferenca eh que as criancas tem um culto separado. Nao porque nao possam frequentar o mesmo culto que os adultos mas porque o culto para criancas precisa de mais atrativos para prender-lhes a atencao agradavelmente. Existem mestres especialmente preparados para este fim. Isto se explica porque sera a primeira vez que elas entrarao em contato com as Escrituras e eh preciso que nao somente as conhecam, tambem eh preciso que memorizem suas licoes.

As criancas nao sao subestimadas. Nao se espera que elas raciocinem perfeitamente a respeito daquilo que nao conhecem mas sao incentivadas a debater a respeito daquilo que nao conhecem para que aprendam melhor e debater aquilo que mais sabem, para que ajudem a ensinar aos que ainda nada aprenderam.

CAPITULO 018 – DADOS A RESPEITO DO EXTERMINIO DAS GUERRAS

Queridos teofilos, talvez fosse necessario alguns anos de convivencia para que conhecessemos o modo de viver, a Historia, o avanco tecnologico, a religiao, a cultura e todo o desenvolvimento social em Translucida. Todos os anos de vida que temos nao seriam suficientes para tanto. Isso tambem nao nos seria possivel porque nem todos os dons nos foram concedidos.

Portanto, a nossa funcao aqui nao eh vos dar um modelo exato do que a Terra deva ser transformada. A nossa funcao eh desenhar um horizonte sem detalhes. Estes devem ser inseridos por voces, de acordo com que as novas necessidades venham a exigir e os novos dons sejam postos em pratica.

Sabemos que a base de nossa construacao eh o amor. Este eh o alicerce de todo bem, portanto, nunca digam que farao o que fizerem pensando que isto deve ser feito porque nos dissemos para ser feito. Tomem o Supremo Amor por modelo. Pecam a Deus a Revelacao dos dons. Usem esses dons mas supliquem tambem ao Pai para que Ele os Ajude a nao se desviarem do caminho.

Termos dons nao nos garante tornarmo-nos bons. O Pai Concedeu-nos dons para que os usassemos com bondade. Mas tudo o que eh feito bom pode ser destruido, desrespeitado ou danificado aqui no mundo material. Assim acontece porque o uso dos dons para o bem ou para o mal depende da nossa propria vontade. Sejamos responsaveis no uso daquilo que de melhor Deus nos Concedeu.

Saibamos usar os nossos dons em funcao do nosso proximo. Cada um agindo assim, nada nos faltara. Pois, nos somos um unico corpo e nao convem ao corpo que um braco insulte a perna; que o cerebro menospreze os intestinos, ou que os rins insultem ao figado. O corpo somente eh sao quando todos os membros dele trabalham em prol uns dos outros e se complementam. No corpo sao, as funcoes sao repartidas e os beneficios partilhados. Nao existem privilegios porque a consciencia eh unica.

“Pais de todos nos, que bom seria se todos pensassem e agissem assim como voces nos falam. Talvez nao tivessemos tantos atritos entre os humanos como agora temos. Existe algum povo em guerra em Translucida?”

Nao mais. A consciencia de unidade nao permite injusticas e onde nao hao injusticas nao haverao guerras.

“Mas ja houveram guerras por la?”

Sim. Tantas quanto aconteceram entre nos ate ha uma duzia de geracoes passadas. Porem, as pessoas perceberam que as guerras nao traziam beneficos e apenas aumentavam as divisoes. Eh preciso entender que nem toda consciencia foi tomada ao mesmo tempo. Eles tomaram consciencia de que precisavam fazer a vontade de Deus ha dez seculos passados mas a falta do completo Conhecimento Com Respeito a Deus os fez passar por situacoes novas e, diante de situacoes novas, muitas vezes cometeram erros

Um deles foi a escravidao africana. Foi uma situacao nova. Ao aportarem nas Americas, tambem os europeus de la desejaram tomar posse abruptamente daquelas terras. Eles queriam recursos naturais das Americas para aumentar os proprios confortos. Como o trabalho era demasiado arduo, buscaram os africanos para executa-lo. Exatamente como foi feito aqui na Terra, os africanos foram vistos com extremo preconceito. Pensavam que por baixo da pele mais pigmentada escondia-se um ser menos humano.

A vantagem em relacao a nos eh que Translucida percebeu mais cedo o erro e procurou reverter a situacao. Deu liberdade aos escravos e nao se limitou a pedir perdao. Tambem se empenhou em remover as consequencias do pecado cometido. A partir destas decisoes, toda a Historia Translucidiana se reverteu.

O beneficio da abolicao e da remocao do pecado foi tao grande que passou-se a pensar primeiro em reverter as consequencias dos outros pecados. Dai para a frente as guerras e tambem os maleficios das guerras comecaram a ser derrubados sobrando apenas os beneficios de uma decisao corretamente acertada.

“Como assim?”

Ao inves de fazer-se guerra, passou-se a resolver os problemas que levavam a elas. Assim, quando comecou-se a usar-se o petroleo em grande escala, suspeitou-se que este uso levaria a disputas que transformariam em motivos de guerras. Dai, todas as providencias foram tomadas para evita-las.

“Como isto foi feito?”

Levando-se todos os beneficios possiveis aas populacoes que viviam nos paises produtores de petroleo. Nao se privilegiou individuos. Tambem havia a previsao logica de que as reservas petroliferas iriam ser esgotadas. Desde entao comecou-se a imaginar formas de substituir a atividade petrolifera nos paises produtores.

CAPITULO 019 – O CAMINHO DAS AGUAS

Tambem, com o crescimento populacional nas regioes mais aridas do planeta, verificou-se que, possivelmente, ocorreriam conflitos serios pela posse das aguas.

“Pais, parece-nos que voces estao falando vagamente a respeito dessas coisas. Nao seria melhor voces nos darem exemplos mais praticos? Talvez, melhor do que afirmar que os nossos problemas tem solucao eh dizer qual a solucao encontrada para algum problema.”

Eh otimo verificar, teofilo, que voce esta realmente interessado nestes assuntos porque a sua pergunta direciona os nossos ensinamentos para o sentido do melhor aprendizado. Falemos entao da solucao para o problema da falta d’agua.

Pegue o mapa do planeta Terra e observe. Voce ja tem conhecimento de onde se encontram as regioes mais aridas do planeta. Pois, observe melhor. Nao lhe parece uma agradavel coincidencia os maiores rios do planeta estarem apontando justamente para estas areas? Alem disso, nao existe um ensinamento cuja receita eh que devemos dar agua a quem tem sede? Pois, foram essas observacoes que levaram os translucidianos ao caminho da solucao do problema.

“E como eles chegaram a essa solucao?”

Comecaremos, entao, pela ordem dos acontecimentos em Translucida. A partir do momento que o translucidiano reconheceu seus erros em promover a escravidao africana, a invasao das terras americanas e a destruicao da natureza que era o sustenta das populacoes nativo americanas, percebeu-se que as novas populacoes formadas no Nordeste Brasileiro ficaram frageis e sujeitas aas intemperies da natureza.

Estudando-se o mapa brasileiro eh facil verificar que aquela regiao semi-arida eh cortada pelo Rio Sao Francisco. Na margem daquele rio encontrava-se uma certa fartura porque as terras adjacentes eram facilmente irrigaveis, mas o sertao continuava sofrendo muito com as secas prolongadas.

Os translucidianos brasileiros entao pensaram em toda aquela area como se fosse uma cidade. Pensaram: “Uma grande cidade precisa de um grande reservatorio para abastece-la. Alem disso, cada bairro precisa de uma substacao que receba agua do reservatorio e a redistribua a cada casa.”

Pelo tamanho que seria uma cidade que ocupasse todo o semi-arido brasileiro, cauculou-se que precisaria de um verdadeiro mar. Verificou-se, entao, que este mar teria que nascer do Rio Sao Francisco. Nao saberiamos dizer em que ponto exato a barragem que formaria este mar seria plantada porque as divisoes politicas em Translucida nao correspondem mais aas da Terra. Imaginamos que seja no norte do Estado de Minas ou sul da Bahia.

Certo eh que, tudo foi calculado de acordo com a necessidade de oferecer agua a todo aquele que tivesse sede ou necessidade de agua para sua producao.

“Mas os senhores nao podem estar falando serio! Se alguem falar disso em nossa Terra, levantar-se-ao tantos contras que a obra nao sairia do papel!”

Suas preocupacoes tem fundamento, filhos nossos, mas nao pensem que em Translucida as coisas aconteceram faceis como o escrever de um livro. E se eh que escrever um livro eh facil para todos! Todas as dificuldades que teriamos aqui, tambem la houveram. Indaguem entao das dificuldades e nos lhes informaremos as solucoes. A tudo o que nos perguntarem lhes serao dadas respostas, segundo a visao translucidiana.

“Em primeiro lugar, haveria um grande clamor ecologico por conta das terras que seriam inundadas. Muita terra e muita variedade biologica ficaria perdida na inundacao.”

Tambem houveram essas preocupacoes em Translucida. Mas, lembrem-se, em Translucida o povo se reune em torno dos objetivos. Eles encaram as situacoes sob o prisma: problema versus solucao. Nao ha meio-termo do tipo: solucao provisoria. Assim, qual era o probelma?

“Sede e fome.”

Qual a Solucao?

“Dar oportunidade de beber a quem tem sede e de comer a quem tem fome.”

Pois, assim se fez. E os autores das propostas foram os proprios ecologistas de la. Eles raciocinaram: “Quanto mais tempo esperarmos para pormos em pratica uma solucao, mais danos a natureza sofrera, pois, a cada seca prolongada as pessoas que tiverem fome nao deixaram de comer o ultimo casal de alguma especie em extincao para preserva-la. Ora, e se alguma especie esta em extincao, eh porque o equilibrio ja nao existe mais, portanto, temos que buscar um novo equilibrio para a sobrevivencia das especies ainda em risco.”

Entao, a barragem tornou-se a solucao para a especie humana e para o novo equilibrio. Quando a barragem estava sendo construida, todas as especies selvagens foram recolhidas e postas em abrigos e viveiros a salvo da inundacao e da extincao. Antes da formacao do novo mar muitas e muitas ilhas que seriam formadas foram interligadas por pontes de terra e pedra para permitir a locomocao dos animais terrestres. Assim, eles puderam viver nao somente nas ilhas mas tambem em outros parques ecologicos criados para este fim.

Houve tambem a questao do apego humano aa terra de nascimento. As populacoes nativas protestaram contra a inundacao das terras onde nasceram, pois, elas perderiam as referencias dos lugares ondem moravam e, muitas vezes, os meios de trabalho aos quais estavam acostumadas.

Em Translucida todas estas questoes foram resolvidas. Alguem disse perguntando: “Em que terras estavam os vossos pais ha tres mil anos atras?” Ninguem soube responder com certeza. E a mesma pessoas continuou: “Pois, em verdade, eu vos afirmo: daqui a tres geracoes nascidas fora destas terras ninguem lamentar-se-a de perda alguma, porque lembrar-se-ao que antes do mar haviam muitas lamentacoes pela fome e a sede e, depois dele, fartura de leite e mel.”

Dessa forma a maioria absoluta compreendeu que se ela nao tinha apego aas terras de seus antepassados mais remotos, tambem os seus futuros descendentes nao teriam apego aas terras inundadas, desde que fizessem a troca por uma vida bem melhor.

Os recaucitrantes ainda desejaram insistir na perda da memoria de suas tradicoes etc. Mas foram contidos pela alegacao: “Afinal, o que esperam voces? Que as tradicoes se sobreponham aas razoes? Que futuro esperam para estas terras senao o deserto? Vossos coracoes estao endurecidos a ponto de amarem mais ao deserto que aa terra da promissao. Voces terao que decidir entre amar o deserto ou a plenitude da vida. A escolha eh de cada um…”

Quanto ao meio de trabalho, calculou-se que o mar daria mais oportunidades que a agricultura nas terras semi-aridas, porque existem tempos alternados de falta de chuvas e, aas vezes, escesso delas. O mar permitiria a producao regular em todo o ano. Alem disso, ele seria usado como opcao de lazer para uma enorme multidao do interior do pais, o que acarretaria em novas opcoes de trabalho, para todas as geracoes futuras. E as proprias aguas do mar foram usadas para producao em fazendas aquaticas.

Com certeza, estas geracoes iriam lembrar-se para sempre das terras em que seus ancestrais haviam nascido e louvariam o sacrificio que uma geracao fez em favor de todas as geracoes que brotariam daquelas aguas novas.

Porem, menor nao foi o agradecimento de todas as geracoes que tiveram o recurso da irrigacao na vazante do mar. O que estas produziam em um ano de terras irrigadas valia por cinco ou mais anos sem irrigacao, alem de terem o trabalho permanente. Com certeza os que fizeram o sacrificio de aceitar a inundacao de suas terras em favor de tantos desconhecidos por eles, estavam sendo eternamente lembrados por todos.

“Que os nossos pais nos perdoem mas, quem fez os custos desta construcao faraonica? Claro, porque assim seriam chamadas em nossa Terra.”

Nao precisam desculparem-se por nada, filhos nossos. Quem tem duvida nao pode se calar. O silencio em momento de falar eh tao danoso quanto o falar em hora de silencio. Em Translucida, tudo foi construido em funcao de se remover as consequencias do pecado.

Ora, aquelas pessoas que naquele momento tanto sofriam com as intemperies do clima naquelas regioes semi-aridas, descendiam de pessoas que ha algum tempo atras tinham ido buscar riquezas para envia-las para a Europa. Tambem descendiam dos antigos escravos que foram forcados a abandonar suas patrias, familias e liberdades para sofrerem os horrores da escravidao. E, por fim, descendiam dos verdadeiros donos daquela patria que haviam tido todos os seus direitos violentados quando sofreram a invasao europeia.

Estes ultimos viviam em equilibrio com a natureza e a invasao levou aa destruicao deste equilibrio e de suas culturas. Que dinheiro, pensam voces, pagaria tais atrocidades? Claro, dinheiro algum. Pois, os povos ricos em Translucida, por ocasiao da construcao, nao se negaram a doar tudo o que foi necessario para ela acontecer. Todos contribuiram de uma forma ou de outra, para aliviar permanentemente a dor de tantas pessoas e, como mais tarde em suas leituras verificarao, o beneficio dado a aquelas populacoes reverteu-se em favor de toda a humanidade.

“Mas, queridos pais, ninguem em Translucida lembrou-se de sugerir ideias alternativas a esta obra? Talvez houvessem alternativas menos dispendiosas!”

Alternativas foram analisadas, porem, segundo os translucidianos nao eram solucoes. Pensou-se no desvio dos rios de regioes proximas, como o Araguaia por exemplo. Mas alguem se lembrou de que, caso desviassem o Araguaia, as futuras geracoes que estavam estabecidas nas proximidades dele acabariam precisando desviar outros rios para a sua producao, pois, as aguas do Araguaia ja estariam comprometidas com o Nordeste. O Araguaia teria que passar por uma regiao totalmente inabitavel para que fosse desviado, sem consequencias nefastas futuras.

Tambem pensou-se em perfurar-se pocos artesianos em toda a regiao semi-arida mas percebeu-se que isso seria estulticia. Ora, os recursos naturais do planeta estavam a caminho do esgotamento e as aguas profundas eram um deles. Aguas profundas sao fosseis. Muitas vezes levam milhoes de anos para acumularem nas profundidades da Terra. Lembrem-se, entao, se fossem retiradas para o uso domestico e a irrigacao, em breve, a demanda aumentaria tanto que a natureza nao conseguiria recompor as perdas. Dai, o problema ressurgiria com muito maior forca num futuro qualquer.

Foi por isso que resolveu-se mesmo pela construcao do grande mar. As chuvas na cabeceira do mar eram regulares e, frequentemente, torrenciais. Estanca-las tornou-se a verdadeira solucao para os problemas de secas e inundacoes.

“Quando voces descreveram a chegada em Translucida, voces falaram em muitos outros lagos espalhados pela regiao seca. De onde vieram tais aguas?”

Como dissemos antes, a grande cidade precisa do reservatorio, que eh o mar, e de subestacoes. Como as aguas do mar ficariam a uma altitude relativamente elevada, construiu-se milhares de represas espalhadas em toda a superficie seca. Cada lago correspondia a uma comunidade instalada nas imediacoes. Delas saiam os condutos que irrigavam as terras. Todos os lagos estavam conectados ao mar. Quando chovia o suficiente nalguma regiao, fechava-se os condutos que levavam aguas do mar para os lagos dessa regiao. Assim, todas as aguas eram racionalmente aproveitadas.

E, assim, como se fosse um milagre realizado pelo Proprio Pai, os seres humanos de Translucida resolveram os problemas de seca e desertificacao daquela regiao do planeta. E a natureza, como que para premiar aquela atitude de irmandade entre os povos, aumentou a frequencia de chuvas naturais na regiao. A evaporacao do mar e dos lagos aumentou a humidade local e amenizou o clima.

A producao agricola elevou-se muito com a produtividade da irrigacao. Pessoas de todos os cantos de Translucida descidiram plantar suas moradias e descendencias naquela nova regiao de promessa. Muita coisa nova foi aprendida com a boa obra construida, com a ajuda compartilhada de quase todos os povos do planeta.

Mas as boas obras nao pararam ai. As populacoes que viviam acima das aguas do mar passaram a proteger suas nascentes da degradacao e da poluicao. Elas sabiam que precisavam manter as aguas brotando e mante-las limpas para que os que vivessem abaixo das aguas do mar tivessem o que comer e beber com pureza e qualidade.

Parte da natureza, que ja havia sido destruida, foi recomposta. E a natureza agradeceu a cada tratamento dispensado pelo ser humano. Multiplicou-se em tamanha escala que muitos alimentos puderam ser recolhidos da propria natureza, sem precisar do trabalho direto do ser humano. Aquelas terras multiplicaram em dons e beneficios.

CAPITULO O20 – AS AGUAS CONTINUAM A ROLAR

Queridos filhos, todas essas coisas que vos transmitimos ate agora ja sao por si mesmas muito belas, e coisas belas tem o dom de gerar coisas mais belas quando cultivadas com amor e sinceridade. Do milagre do Sao Francisco, aproveitaram-se as experiencias para fazer o mesmo com o Rio Nilo. Procedimento semelhante foi feito em relacao ao reservatorio e as subestacoes. Assim, a Africa Oriental e boa parte do Oriente Medio, onde o deserto e a seca produziam tanta dor, foram transformados em verdadeiros Jardins do Edem.

“Pais, voces ja nos falaram num segundo mar que estaria na porcao ocidental da Africa. Qual o rio que poderia originar um mar no Saara?”

Filhos queridos, tenham certeza, nenhum rio do mundo eh capaz de calar o deserto mas sim a acao dos seres humanos de boa vontade. Eh a boa vontade que pode conduzir o rio. Como pedimos antes que olhassem o mapa da Terra, agora, prestem atencao, para que lado a Foz do Amazonas aponta?

“Ora, pais de todos nos, nao ha necessidade de olharmos o mapa para saber que o Amazonas aponta para a Africa mas tambem sabemos que existe um oceano que impede o rio de chegar ao deserto.”

Como ja dissemos, filhos queridos, nao sao as barreiras nem as fronteiras que impedem isso de acontecer, mas sim a ma vontade do ser humano contra o proximo. Pois, em Translucida, fomos conduzidos ao Rio Amazonas. E mesmo nos que nascemos brasileiros nao deixamos de admirar a grandiosidade do rio.

Aas voltas com nossas meditacoes, diante daquela imensidao de aguas doces, nao percebemos que deixaramos exclamar: “Tanta agua e quanta sede!” Lucida, que se apoiara em nossos bracos para tambem observar, perguntou-nos: “O que foi que voces murmuraram?” Retornamos entao: Tanta agua e quanta sede! “O que significa isto? – perguntou-nos.” Na Terra onde vivemos, se fosse apenas um problema de falta de comunicacao, o ser humano imediatamente lancaria um cabo transatlantico ou um satelite, porque isso atenderia aas necessidades dos ricos. Porem, como eh para matar a fome e a sede dos que pouco ou nada possuem, nem sequer se cogita em tal ideia. Deus nos Deu tudo isto de graca e os capitalistas pensam que Ele nao lhes pagaria regiamente o que fosse feito em prol dos necessitados. Como os ricos de nossa Terra precisam de nossa ajuda para descobrirem os verdadeiros valores da vida!”

Lucida apertou os nossos bracos aprovando nossas palavras. Ja houveramos conversado a respeito de muitas coisas ruins que acontecem em nossa Terra e poucas pessoas, como ela que vivera tanto, poderiam compreender o que acontecia em nossa amada Terra.

“Ainda eh misterio para nos, queridos pais, como os translucidianos fizeram para transferir as aguas amazonicas atraves do Oceano Atlantico.”

Filhos! Nada eh misterio. Pode ser desconhecido. Mas quando buscam tambem isso lhes eh revelado. Haviam, segundo Lucida, propostas diferentes no inicio. A primeira seria a construcao de um tunel sob o oceano. Por este passariam as tubulacoes que levariam as aguas de um continente para o outro. Esta ideia foi eliminada porque esperava-se que muitas mortes iriam acontecer em funcao da construcao e, caso houvesse um terremoto maior ao longo do tempo, todo o trabalho poderia ficar perdido.

Outra ideia foi a de fazer as tubulacoes passarem no fundo do oceano. Na epoca, a ideia ficou limitada por falta de tecnologia para fixacao da tubulacao nas partes mais profundas do oceano.

Por fim, apareceu uma ideia mais simples e que foi aceita. Com o surgimento de um material extremamente leve mas altamente resistente e flexivel, pode-se fazer pecas enormes que se encaixavam semelhantemente aas vertebras de uma coluna cervical. Alem dos encaixes, usaram-se cabos super resistentes como ligamentos.

O interior das pecas eram ocas como as vertebras. Entao, toda a estrutura foi montada. Somente quando a agua foi colocada para correr dentro da coluna eh que a estrutura pesou o suficiente para ser ancorada no fundo do oceano. Assim nasceu um rio dentro do oceano que permitiu o surgimento do Mar do Saara, e todo o deserto transformou-se em um jardim riquissimo tambem em vida.

Porem, nem todas as aguas do Amazonas foram desviadas para o deserto. Apenas uma parte foi necessaria porque o uso ficou bastante racionalizado. Alem do mais, nova mudanca de clima foi verificada e algumas chuvas comecaram a ocorrer no Saara.

Na Foz do Amazonas nos vimos apenas uma parte da Coluna Atlantica. Assim passou a ser conhecida aquele rio intraoceanico, porque a coleta das aguas ocorria mais acima, num ponto onde a altitude era mais elevada que a superficie do Mar do Saara, para que as aguas corressem por gravidade.

“E que beneficios a humanidade, alem das populacoes que tiveram suas terras irrigadas, teria com tais obras? Voces disseram que os beneficios atingiram a todos.”

Ora, imaginem, queridos filhos, como foi dificil aos translucidianos convencerem uns aos outros de que estas obras eram necessarias. Somente depois de prontas eh que veem os beneficios visiveis porque a maioria das pessoas nao tem a capacidade de anteve-las, por isso costuma trabalhar contra.

Como narramos, foi dificil convencer aos brasileiros que deveriam ceder as terras onde nasceram para construir um mar em beneficio deles proprios. Quando o convencer eh para que povos diferentes se ajudem mutuamente torna-se uma missao quase impossivel. Mas os translucidianos nao pararam em funcao de obstaculo algum e isso ja foi um grande beneficio.

Para que voces, filhos queridos, facam ideia dos beneficios dados por estas coisas, em Translucida nao ocorreram nem a primeira nem a segunda guerras mundiais. Enquanto nos estavamos fazendo guerras e gastando energias com coisas desnecessarias, a Terra de Translucida desviava todos os seus esforcos para o bem da humanidade.

Assim, essas guerras foram trocadas pelos mares de aguas doces que voces nos ouviram descrever. Outras guerras foram trocadas por ajardinados. Enquanto a Terra trabalhava em funcao das guerras, Translucida acolhia a Paz do Pai. E somente quem tem imaginacao para enxergar tais coisas eh que ve os beneficios para toda a humanidade, num imediato.

Hoje-em-dia ja se fala em rumores de guerra por causa da posse das aguas doces no planeta Terra. Em Translucida, nunca se imaginou tal coisa!

“Mas queridos pais, existem muitas respostas ainda por serem dadas. E voces que puderam ver tais obras devem sabe-las. Por exemplo, como se operou o trafego de embarcacoes no Atlantico enquanto a Coluna Atlantica estava boiando?”

Isto nao eh dificil de responder! Estabeleceram-se rotas. Como o material da coluna eh leve, bastavam duas plataformas para manter a Coluna suspensa, como se formassem portais.

“E quando a coluna foi afundada, era preciso fixadores no fundo do oceano para que as correntes nao a arrastasse, nao eh verdade?”

Outra questao de facil resposta. Antes que afundasse, lancou-se blocos de enorme peso presos aa coluna. Eles ajudaram no afundamento e fixaram-na no fundo.

“E a tecnologia para construcao e fabricacao dos materiais? Como eh possivel transferi-las para a Terra no momento atual?”

Filhos, nem todas as respostas precisam ser dadas. Nao faz parte de nossos dons o conhecimento da tecnologia. Mas isto nao importa. Sabemos que os dons que existem na Terra sao suficientes para replicar como tecnologia propria. Voces se esqueceram que “tudo sera revelado” e “nada ficara escondido?” A busca por respostas faz parte da licao. Enquanto estivermos buscando-as, estaremos aprendendo a caminharmos juntos.

Eh preciso abrirmos parenteses para esclarecer uma crendice que esta se espalhando pela Terra. Muitos chegam a afirmar que a tecnologia existente hoje entre nos somente seria possivel com a ajuda de seres extraterrestres, mas isso nao eh verdade. A Terra esta atrasada em relacao a Translucida e, no entanto, a Historia das duas iniciou-se ao mesmo tempo. O tempo dela nao eh o nosso futuro, eh o nosso presente.

Como entao explicar o avanco dela em relacao a nos? Nao eh preciso ir la para saber. Ora, aqui mesmo na Terra o desenvolvimento era muito lento ha poucos seculos atras e nao era apenas por falta de comunicacao entre os povos. O grande problema eram as montanhas que estavam na mentalidade humana e que nao eram removidas.

A concepcao de fronteiras, o racismo, o nacionalismo irracional, o egoismo e o individualismo fazem com que os conhecimentos novos fiquem presos dentro das fronteiras humanas como segredos de estado. A comunidade cientifica conseguiu dar um passo gigantesco quando resolveu trocar conhecimentos, independentemente de nacionalidade.

Foi quando muitas cabecas comecaram a pensar juntas para dar solucoes para os mesmos problemas foi que as solucoes se mostraram mais rapidamente, proporcionando o avanco assombroso da tecnologia. Em Translucida isso comecou muito mais cedo porque la o egoismo e o individualismo foram combatidos com mais racionalidade e realismo. La, nao se usa nenhum dom para o enriquecimento pessoal ou o engrandecimento de nacoes separadas.

“Pais, tudo isso que voces falam nos parece bonito mas, aas vezes, carece de exemplos praticos para que fique perfeitamente esclarecido. Ha algum exemplo pratico do que nos foi agora explicado?”

Sim. Muitos existem. Mas, qual o melhor para voces compreenderem? Bom, talvez a autoria da invencao do aviao nos seja um bom exemplo. Em Translucida nao existem duvidas de que foi o brasileiro quem o inventou.

“Que nossos pais nos perdoem mas isso esta nos parecendo nacionalismo de vossas partes. Todos sabemos que os norte-americanos jamais aceitariam tal proposicao.”

Exceto em Translucida? Pois, narraremos como se deu tal conclusao por la. Os translucidianos sabiam que se existiam duas opinioes diferentes sobre um mesmo assunto, uma ou as duas teriam que estar erradas porque as duas nao poderiam estar corretas. Entao, se propuzeram a rever a questao de quem inventou o aviao. A principio os brasileiros se envolveram mas perceberam que o assunto estava sendo tratado mais como questao de nacionalismo que como busca da verdade e declararam que nao iriam contestar a resposta que fosse dada pelos juizes do inquerito, qualquer que fosse ela.

Concordaram que acreditavam ter havido independencia nos trabalhos dos inventores e cada um inventou o proprio aviao. Alem disso, importava apenas que o inventor brasileiro havia doado o seu invento aa humanidade, assim, nada se tinha mais o que discutir. Concluiram que fazia parte da indole do brasileiro a atitude de ser desprendido de tais valores e que nada acrescentaria a eles ficar brigando por uma questao sem um objetivo que unisse mais os povos ao inves de separa-los.

Os povos que apoiavam a ideia de que os inventores seriam os norte-americanos nao se satisfizeram com esta resposta. Estavam presos aa questao da data, ou seja, a de quem teria feito o primeiro voo. Por isso pediram mais tempo para chegar a uma conclusao.

No final do tempo concluiram que fora mesmo o brasileiro quem inventou o aviao. Isso se tornou possivel quando tambem eles se libertaram da questao nacionalista. Quando lembraram que nao importava quem teria inventado o aviao porque todos somos filhos de Deus e que qualquer um que fosse o inventor seria irmao da mesma forma, voltaram-se para as questoes puramente tecnicas.

Lembraram-se que a data do voo do brasileiro em Paris fora estabelecida por um conjunto de normas tecnicas que definiam voo. Concluiram tambem que o voo de Paris nao poderia ter sido o primeiro do brasileiro porque ninguem construiria um aviao, aa epoca, e logo no primeiro teste faria um voo tao arrojado.

Propuzeram tambem que se uma pessoa caisse de um local alto qualquer, embora flutuasse por algum tempo no ar antes de cair, isso nao seria voo. Ou, ainda, se tal pessoa fosse catapultada por uma forca qualquer que a fizesse levantar do chao, mesmo por forca propria, plainasse por algum tempo mas, ao perder o impulso, fosse obrigada a pousar segundo as forcas da natureza e nao por sua propria vontade, tambem nao seria voo. Poderia, talvez, ser considerado um salto aa distancia.

Partindo de todas essas consideracoes, concluiram que, tecnicamente, o primeiro voo teria se dado antes daquele em Paris, porem, o brasileiro seria o seu autor. Eles definiram que levantar voo usando a propria propulsao, seguir em uma direcao e retornar em sentido contrario era o que melhor definia a ato de voar.

Quando essa decisao veio a publico os brasileiros translucidianos comemoraram nao pelo fato da autoria da invencao tivesse sido reconhecida como sendo de um brasileiro mas porque assim pensaram: “O que eh mais importante: sentir orgulho de um feito apenas por causa do nacionalismo ou a humildade de reconhecer a verdade?” Todos somos irmaos. E em Translucida isso ja era interpretado ao pe-da-letra.

Importante eh que todos podiam fazer o uso da invencao igualmente. Como eles nao tem fronteiras para poluir-lhes as mentes atualmente, pensam no inventor do aviao como sendo um translucidiano que nasceu num dos estados do sul do planeta e nao como um brasileiro, ou norte americano. Assim, a verdade foi aceita e todos tiveram paz de consciencia.

CAPITULO 021 – O ANUNCIO DO FIM DE TODAS AS GUERRAS

“Voces mencionaram que em Translucida nao houveram as primeira e segunda Guerras Mundiais. Queridos pais, acreditamos que seria impossivel isso acontecer aqui na Terra. Tanto eh impossivel que aconteceram. E nao ha como mudar o que passou. Como fariamos nos para evitarmos uma terceira e, quem sabe, quarta guerras entre nos? Como a Historia foi mudada em Translucida? Muitos aqui na Terra creem em predestinacao e, se o destino existe, nada pode ser modificado.”

Filhos queridos, voces tem razao de estarem tao inquisidores. A juventude eh bela mas, aas vezes, eh tornada troicoeira. Juventude eh a sensacao do tudo poder acompanhada de enexperiencia. Juventude eh o barro que ainda nao adquiriu forma. Todo o barro da juventude eh tambem uma incessante ansiedade. Todos os jovens querem adquirir os beneficios que os adultos tem mas nao tem como saber se ficariam satisfeitos apos adquiri-los, nem sabem se estao preparados para ceder o que os adultos cederam para obter o que possuem.

Certo eh, criancas nossas, que o mundo humano nao eh justo. Ele eh piramidal. Muito diferente da Casa do Pai, que eh Plana. No mundo dos homens os beneficios sao pequenos em relacao aa populacao. O sistema humano eh o do vale tudo. O Sistema Divino eh logico, e nos afirma que tudo voce pode, dentro de seus limites. Mas nem tudo o que voce pode deve ser praticado!

No mundo humano, uns sobem nos ombros de outros, pisam com forca, machucam todo mundo para chegar ao topo. As pessoas nao se preocupam com as feridas que causam. No Mundo de Deus ninguem pisa, pois, se o fizesse nao estaria la. Ninguem se poe acima de ninguem. Assim, os beneficios chegam para todos e nunca cessam.

Vamos, entao, narrar uma parte da Historia de Translucida para que voces compreendam melhor estas coisas. Quanto tambem la o mundo ainda estava separado pelas fronteiras mentais, houve uma pequena nacao que comecou a submeter suas minorias etnicas a grandes constrangimentos. Muitos foram obrigados a deixar sua patria em busca de asilo. Os que ficaram eram submetidos a torturas e ate a morte.

Havia tambem em Translucida a comunidade de nacoes que servia de tribunal para procurar solucionar os problemas entre nacoes e para procurar garantir os direitos humanos ate entao ja adquiridos. Fez-se uma votacao que decidiu a invasao daquela nacao para restabelecer a ordem.

Mas havia, ja na epoca, grupos de pessoas ligadas ao Conhecimento com Respeito a Deus que discordavam tanto das atrocidades cometidas internamente naquela pequena nacao quanto da atrocidade que a comunidade de nacoes se preparava para executar. Estes desejavam a paz mas sabiam que a paz armada nao era solucao.

Com este pensamento, organizou-se uma rapida campanha entre aqueles grupos, que existiam em todas as nacoes, e dentro de todas as religioes. Os grupos reuniram pessoas dispostas a dirigir-se a aquela nacao conflituosa. Foram poucos milhoes de pessoas que, em alguns casos, venderam tudo o que possuiam e fizeram campanha de arrecadacao entre outras pessoas de bem.

Converteram estes bens em suprimentos para a viagem e suprimentos que, sabiam, a populacao daquele pais estava necessitada. Isso, antes da decisao final pelo ataque da comunidade de nacoes. Somente quando o grupo ja se encontrava nas fronteiras a decisao pelo ataque foi tomada. Porem, o grupo ultrapassou a linha das fronteiras se colocando entre os dois fogos. E foi Lucida quem nos narrou o que se segue.

“Entramos naquela nacao de bracos dados, aos milhares. Outros tantos vinham na retaguarda, em veiculos transportadores, com alimentos, insumos para reconstrucao e medicamentos. Fomos invadindo de cidade em cidade, reconstruindo em mutiroes, com a ajuda dos nativos, o que houvera sido destruido e construimos coisas que estavam fazendo falta aa populacao carente.

A comunidade de nacoes ficou impedida de atacar para nao nos atingir. A soldadesca da nacao menor temia nos atacar porque esperava que, se fizesse isso, a comunidade das nacoes a iria reduzir a po. E, assim, avancamos ate aas proximidades da capital. A maioria dos soldados ja havia se entregado a nos, sem que houvessemos ido la para fazer prisioneiros. Apenas conversavamos com eles a respeito da insensatez da guerra. Eles abandonavam as armas por livre e expontanea vontade e nos ajudavam na reconstrucao.

Decidimos entrar na capital mas antes enviamos um grupo de emissarios composto principalmente de soldados do proprio pais aderidos aa nossa causa para explicar nossas intencoes. Nao usavamos armas e queriamos evitar que eles as usassem contra nos. Queriamos que soubessem que nao os estavamos invadindo e sim fazendo-lhes uma visita naquele momento de dificuldades.

Se eles tivessem alguma intencao de atirar em nos, nao queriamos facilitar isso porque tal intencao seria um pecado e nos nao desejavamos colaborar com o pecado de ninguem. Claro, nessas alturas dos acontecimentos eles ja sabiam quais eram as nossas intencoes. Responderam que podiamos prosseguir mas que nao deixariam suas posicoes. Que nos prestassemos a assistencia que quizessemos aas populacoes e fossemos embora quando terminassemos.

Entao, formamos uma corrente humana e iniciamos a marcha final cantando e louvando a Deus. Os caminhoes vinham atras. Mas nem tudo foi felicidade naquele dia. Quando estavamos prestes a entrar na cidade, ouviu-se um disparo. Um dos nossos caiu a meu lado. Tentamos segura-lo mas ele era muito maior que todos que estavamos ao lado e nos derrubou com seu peso. Creio que dez pessoas cairam.

O restante assutou-se e procurou abrigo. Logo apos o tumulto inicial, veio um silencio. Eu nao contive minhas lagrimas. Minhas roupas estavam ensanguentadas e o sangue nao era meu. O impacto da bala fizera o nosso companheiro perder os sentidos por aqueles minutos de silencio.

Quando acordou, toda a atencao dos que nao tinham corrido se voltou para ele e assim ele nos falou: “Estou partindo. Nada pode ser feito pelo meu corpo agora. Nao deixem que a minha morte se torne em vao. Eu dei a minha vida para que fosse feita a paz. Nao respondam aa provocacao. A minha morte nao foi decisao de todos do outro lado. Somente alguns tem culpa. Nao deixem esta guerra continuar para que ela nao atinja a todos depois. Nao estou deixando a luta, estou apenas vestindo uma nova roupa!” Os medicos se aproximaram mas nao puderam evitar que um daqueles fosse o ultimo suspiro.

Ora, sabiamos que aquele nosso companheiro tinha sido o mais lucido de todos nos ate entao. Todos nos sabiamos dos riscos que corriamos por causa dos propositos humanos. Reunimos os que estavam mais proximos para decidir o que fazer. Alguem sugeriu que nos retirassemos do pais e lavassemos as maos, porque eles nao estavam reconhecendo que estavamos ali para proporcionar-lhes vida e, ao contrario, eles nos respondiam com a morte.

Entao, tomei um caderninho de notas que sempre trazia em meu bolso e li as ultimas palavras que aquele irmao nos houvera dito. Era habito meu anotar tudo de importante que ouvia ou pensava, para nao esquecer. Quando os outros ouviram o que estava escrito entrou em nos o mesmo espirito que aquele combatente possuia. O nosso poder de luta aumentou. A tristeza foi substituida pela necessidade de defender aos inocentes que sofreriam mais, caso nos deixassemos abater por nossas fraquezas.

A imobilidade inicial foi convertida em acao e marchamos com alegria, carregando aquele corpo como bandeira. Os combatentes do outro lado nao resistiram e alguns logo se apresentaram para ajudar a carregar o nosso morto. Por fim, todos se juntaram a nos. E a morte daquele combatente se verificou ter sido ditada por um unico jovem que desejava ser lembrado como heroi.

Essa foi uma das razoes que nos levou a tomar mais cuidado com as necessidades dos jovens. Eles desejam moldar-se segundo seus idolos. Nao os de barro como em algumas religioes em nosso passado mas segundo as pessoas que lhes servem de modelo. Naquela epoca em Translucida ainda havia muito exibicionismo e demonstracao de poder. O orgulho era acentuado em algumas pessoas. E como as sociedades prestavam culto a tais pessoas, dando-lhes regalias de quase divindades, os jovens as tomavam como modelos e moldavam suas personalidades segundo estes desvios de comportamento.

Ora, se a sociedade dava importancia exagerada ao dom de cantar, todos os jovens queriam ser cantores. Mas o dom do cantar perfeito nao pode ser dado a todos, por isso, a maioria ficava frustrada. Notamos que a sociedade precisava dar importancia identica a todos os dons, sem privilegiar nenhum. Era preciso demonstrar aos jovens que qualquer um era insubstituivel ao Projeto de Deus, nao importanto o dom especifico de ninguem.

Assim, cada um desenvolveria o seu proprio dom sem tomar como modelo outro dom que nao possuia. Aquele jovem soldado tomara como modelo outro dom que nao possuia. Aquele jovem soldado tomara como modelo os senhores da guerra que, ate entao, eram considerados herois e tratados com mesuras e respeitabilidade. Desde entao, nunca mais cultuou-se como heroi qualquer guerreiro porque passou-se a enxergar a guerra como queda e nao como redencao.

“Entao, esta foi a ultima guerra em Translucida?”

Nao, queridos filhos, este foi o ultimo rumor de guerra porque todos sabemos que a ultima guerra eh Armagedom e aquela foi apenas a primeira batalha de Armagedom.

CAPITULO 022 – ANUNCIANDO ARMAGEDOM

“Eh para nos, queridos pais, grande tristeza saber que mesmo em um mundo tao pacifico quanto Translucida a paz so pode ser atingida apos tantas guerras. Nao seria possivel o homem conhecer a paz sem fazer a guerra?”

Armagedom, filhos nossos, em Translucida, nao foi uma guerra com armas materiais. Foi uma guerra espiritual e pensamos que o inicio dela se deu antes daquela que ainda ha pouco chamamos de primeira batalha de Armagedom. Armagedom se caracterizou inicialmente pelo dominio do mal.

Este se disfarcou de principios falsos que o ser humano, em sua cegueira, pensava ser bons. O ser humano usava seus dons em beneficio proprio. Valia mais, para as pessoas, aqueles que atingissem o topo do status quo. Ninguem questionava se eram licitos os meios de atingir-se tal status.

O poder politico era atingido pela corrupcao. O poder religioso era buscado levando-se as pessoas pelo terror. A luta entre as religioes era para ver qual conseguiria numero maior de adeptos. Os numeros foram tornados mais importantes que a verdade e a correta conduta. Nao existia respeito entre as religioes ou entre os ramos religiosos de cada uma delas.

Os ramos se voltavam uns contra os outros, mais preocupados em enxergar os erros dos outros que os proprios. Quem falasse a respeito dos erros contidos em uma religiao, ou em seus ramos, com uma visao critica construtiva era solenemente ignorado, como se fosse um falso profeta.

Os lideres religiosos fingiam conversar responsavelmente, em resposta a um clamor da multidao de fieis mas, na pratica, impediam a seus fieis de estudarem os fundamentos das outras religioes. Enfim, neste ponto, a Casa do Pai estava dividida e condenada aa destruicao.

Porem, ainda havia mais um ingrediente para consolidar o imperio do mal. O poder de compra de uns poucos em detrimento de muitos. Os conceitos de dons e necessidades nao eram empregados na sua plenitude. Usava-se os dons para o enriquecimento proprio. A pessoa em si, de nada valia.

Quem tivesse boa voz, ou soubesse compor musica, ou soubesse jogar bem alguma modalidade de esporte, ou fosse capaz de atuar nas areas de entrenemimento ou intelectual, tornava-se um semi-deus. O que uma dessas pessoas faturava em dinheiro por mes, nem mesmo em toda a vida de trabalho o trabalhador comum conseguia.

Na velhice, os constrastes aumentavam. Aqueles que sofriam uma vida inteira para por o pao de cada dia na mesa da familia eram relegados aa sarjeta. Ja aqueles que haviam usado indevidamente seus dons para o enriquecimento proprio, continuavam paparicados, a menos que o dinheiro acumulado fosse gasto antes da morte corporal do individuo. Naquele tempo, as pessoas valiam os numeros em suas contas bancarias.

Assim, como ainda hoje eh na Terra, era o trabalhador comum quem punha a mesa, arrumava a casa, fazia a limpeza e servia a aqueles cujos dons eram dados por superiores. E, estes, nao paravam sequer um minuto para pensar: “E se nao houvesse ninguem para fazer por mim estas coisas que nao tenho tempo de fazer!? Se nao houvessem os que tomam conta de meus filhos, se nao houvessem os que me aplaudem, o que seria de mim?!…” Eh! Faltava ao ser humano mais humanidade!…

Existiam as instituicoes financeiras para gerir o trabalho que era transformado em equivalentes em dinheiro. Estas controlavam tudo o que se fazia com resultado do trabalho. As leis favoreciam a estas instituicoes e elas usavam o dinheiro que controlavam para manipular os homens que manipulavam as leis. O dinheiro nas maos delas se multiplicava mas sempre favorecendo aa formacao da piramide economica.

Chegaram a criar um dinheiro paralelo aa moeda dos paises. Este foi dado em forma de cartao pessoal. Quem muito tinha, recebia um cartao com numeros maiores e, assim, podia comprar sem precisar por a mao no dinheiro comum, que imaginavam ate estar contaminado somente porque passava pela mao dos infelizes trabalhadores.

Quem possuia menos tinha o cartao com numeros menores e ficava limitado em seu bem estar. Muitas vezes, tornava-se escravo das instituicoes financeiras, dando garantia o seu trabalho de meses ou ate anos, sem saber se iria vive-los para pagar. E, por fim, quem tinha menos ainda, nao recebia cartao algum. Era excluido. Nao participava dos beneficios do fruto do trabalho.

Em resumo, a escravidao novamente rondava a especie humana. Ela se tornara escrava de seus desejos. Escrava do consumismo. E isso se podia comprovar fazendo-se a comparacao das obrigacoes e beneficios da escravidao antiga com a vida que a grande maioria da populacao humana levava.

Quantas horas trabalhava um escravo antigo? Pois, uma parte dos novos escravos trabalhava mais. Quando o escravo antigo cometia alguma falta era supliciado fisicamente. O escravo moderno o era psicologicamente. O escravo antigo ficava restrito em sua locomocao nas proximidades do trabalho. Tambem o moderno. O escravo antigo perdia o direito do convivio com seus filhos. O moderno eh levado a dedicar-se tanto ao trabalho que negligencia aos deveres familiares. Pais e filhos pouco se encontram.

O antigo escravo nao podia escolher o patrao ou o servico. O moderno mudava de patrao e servico, segundo a propria vontade, mas as leis faziam com que todos os patroes agissem semelhante. O escravo antigo jamais podia escolher o local geografico onde viver. O salario do escravo moderno somente permite que ele viva em locais previamente estabelecidos para os excluidos.

O que o escravo antigo ganhava era apenas roupa, comida e abrigo. O salario do escravo moderno nem sempre garante pelo menos isso. O escravo antigo, muitas vezes, era comercializado, ficando privado do contato com seus ancestrais. O moderno, apesar de todo o avanco tecnologico, nao desfrutava igualmente do convivio com seus antepassados, porque as barreiras geograficas e humanas os impedia.

Enfim, comparando-se uma escravidao com a outra, encontravam-se diferencas, beneficiando a escravidao moderna, mas quando se levava em consideracao a evolucao dos tempos e tecnologias, percebia-se que a escravidao moderna era tao danosa quanto a antiga.

E foi a partir dessas e outras constatacoes que as pessoas comecaram a perceber que essas coisas precisavam ser mudadas. Nao eram poucos que percebiam isto. Mas nao havia um conjunto de ideias ou instituicoes que aglutinasse todas elas num movimento comum de libertacao da humanidade. Isto somente ocorreu apos o surgimento do Conhecimento Com Respeito a Deus em Translucida.

Nao foi um movimento organizado e programado por pessoas humanas. Ele surgiu a partir de pessoas que constestavam os posicionamentos da sociedade. Cada uma em sua area. Estas pessoas acabaram descobrindo suas afinidades na luta a favor da justica e formaram grupos de estudos e depois trocaram informacoes uns com os outros.

Com o tempo, surgiu a amizade, os instrumentos de divulgacao das ideias, a adesao de novos adeptos e, por fim, o inevitavel confronto contra aqueles que insistiam em manter o status quo, mesmo enxergando serem as injusticas e as exclusoes os responsaveis por aquele quadro triste de diferencas sociais. E o pior da luta nao aconteceu entre crentes e descrentes mas sim entre pessoas que acreditavam em Deus contra pessoas que tambem acreditavam.

Aqueles que acreditavam em Deus mas nao acreditavam no Conhecimento Com Respeito a Deus alegavam que as coisas aconteciam daquela forma no mundo por vontade do proprio Pai. Acreditavam que as coisas ruins aconteciam aas pessoas em funcao direta dos pecados delas. Que as coisas ruins aconteciam como punicao aos pecadores. E que nada faria mudar o mundo para o lado do bem, senao por meio de uma guerra de grande exterminio, onde os maus fossem eliminados e os bons poupados.

Estes queriam esperar que as coisas se processassem, segundo um Milagre Divino. Esperavam que Deus fizesse por nos o que Ele Proprio nos houvera dado como missao. Esperavam que Deus viesse em Pessoa separar o joio do trigo, como se o Proprio Pai nao nos tivesse entregado a missao de preparar, semear, cultivar e colher.

Outros grupos que acreditavam em Deus, tambem acreditavam que nao deveriam ficar parados e esperando mas somente admitiam que se salvariam aqueles que pensassem exatamente como eles proprios. Nao admitiam erros da propria parte. Falar a eles nos erros contidos em suas Escrituras seria entendido como blasfemia.

Eles criam que o Proprio Pai lhes houvesse entregado aquelas Escrituras. Interessante era observar que diferentes grupos de diferentes religioes tinham em comum esse modo de pensar, portanto, era facil eles crerem em suas Escrituras mas impossivel admitir que nas Escrituras dos outros houvesse, por menor que fosse, uma Manifestacao Divina.

Em resumo, admitiam esses que Deus fosse poderoso o suficiente para inspira-los mas nao o suficiente para inspirar a membros de outras religioes. Todos estes grupos eram adeptos das exclusoes e mesmo sabendo que o Pai tinha muitas moradas, nao entendiam perfeitamente o que estas palavras significavam.

E foi nesse quadro de coisa que surgiu a Universidade do Conhecimento Com Respeito a Deus. No inicio, ela era informal. Nao haviam predios, contava com a participacao de membros da maioria das religioes e de seus ramos. O objetivo era de se estudar os fundamentos religiosos de todas elas, compara-los, questiona-los e extrair aquilo que representasse o bem comum.

Nao tinha a funcao de impor ideias, dogmas ou arbitrariedades. Ao contrario, tinha o objetivo de eliminar estas coisas, segundo um pensamento limpido e cristalino, revelando de forma facilitada ao entendimento de todas as criaturas de Deus os porques dos acontecimentos e da existencias das instituicoes. O objetivo era o de fazer tudo revelar-se. Que as falsidades fossem expulsas e todo o bem fosse catalogado e partilhado. E tudo teria que ter sua razao propria.

Nesta universidade, ate mesmo os ateistas tiveram sua representacao porque era importante conhecer o porque de eles nao acreditarem. Partindo-se destes porques eh que foram demonstradas respostas que os fizeram acreditar.

A universidade nao dava diplomas e sim respostas. Buscava-a aqueles que quizessem aprender mais ou que tinham duvidas que precisassem ser esclarecidas.

E a universidade transformou-se na maior arma daqueles que venceram Armagedom. Nao foram os doutores das leis que fizeram esta universidade e sim o povo comum. Tambem os doutores puderam tornar-se vencedores aa medida que aderiram a ela. A universidade nao excluia. Atendia a todos que tinham sede de Deus.

CAPITULO 023 – COM A PALAVRA: LUCIDA

“Nossos pais poderiam esclarecer-nos uma duvida do como comecou e quem foram os fundadores desta universidade?”

Tudo o que sabemos, filhos queridos, nos foi narrado por Lucida. Ela disse que nao houveram exatamente fundadores nem data de inicio. Tudo foi um processo continuo do qual tambem ela fez parte. Ela disse: “As coisas comecaram antes de mim e ninguem sabe dizer quando. Entrei no processo quase que por acidente. As pessoas chegaram a afirmar que eu tinha responsabilidade quanto a isso mas eu nao fiz escolha de entrar no inicio. O acaso me deu a oportunidade e eu simplesmente a agarrei.”

Tudo comecou de forma triste para Lucida. Quando ainda era crianca e sua mae fora alforriada, passaram momentos de muita dificuldade. O unico local que a mae dela conseguiu emprego foi em um prostibulo, onde lavava, cozinhava e arrumava para as “meninas”. Morava em um anexo ao local com a filha.

Quando iniciou-se uma onda de falso moralismo, queria-se acabar com a prostituicao simplesmente proibindo-a. Foi quando um jornalista teve a infeliz ideia de entrevistar as pessoas do prostibulo e publicou tudo, expondo todas as pessoas. Ele entrevistou a mae de Lucida e a mae dela falou tudo o que pensava.

E as respostas dela foram assim: “Trabalho aqui na faxina porque nao encontrei outro lugar para trabalhar, mas gosto de fazer o que faco. Da pra tomar conta da minha filha e tenho a amizade das “meninas”. Eu sei que estao querendo proibir o trabalho das “meninas” mas isso eh coisa de gente sem o que fazer. Falam de moralismo! Tudo bem. Mas estas “meninas” ja foram criancas e muitas delas viviam nas ruas. Por que ninguem as adotou para que nao se prostituissem?

A maioria delas ja teria morrido de fome se nao estivessem aqui. Muitas veem do interior onde tem familia. Veem para trabalhar em casa de familia e, nao sao raras as que perdem a virgindade nessas “casas de familia.” Acabam saindo porque percebem que se transformaram em coisa dos homens. Na rua nao encontram outra coisa para fazer.

Tem outras que ate tem alguma coisa na vida. Nao nascem na miseria mas tem muita ilusao. Querem comprar as coisas que viram as meninas de familia ter mas os pais nao tem condicao de dar. Pensam que vao ficar aqui so um tempinho e depois vao ficar ricas. Olha moco, tem de tudo aqui, principalmente ilusao.

A verdade eh que a escravidao nao acabou. Se fechar as portas, que trabalho voces vao dar pra elas? Voces vao dar trabalho a umas e veem outras pro lugar delas. E o salario? Que salario elas vao ganhar no novo trabalho? Vai dar pra pagar as ilusoes delas? Na verdade, a grande prostituta eh a sociedade. As “meninas” estao aqui porque a sociedade as joga para debaixo do tapete. Estas “meninas” sao menos mau intencionadas que as pessoas que querem tomar o ganha-pao delas.”

Nos nao narramos aqui usando a forma peculiar como os escravos usavam para conversar. Mesmo Lucida nao se lembrava mais como a mae dela conversava. Certo eh que, dois dias apos a publicacao, a mae de Lucida foi encontrada morta, com sinais de tortura. Nada se apurou. As “meninas” diziam que foram policiais a mando nao se sabia de quem. Apanharam mas sabiam que nao podiam falar a verdade porque nao havia quem as protegesse.

Um homem que estava frequentando o local ha algum tempo foi quem tomou Lucida para educar. A frequencia dele nao era para comprar sexo e sim como professor universitario, porque fazia pesquisas a respeito do comportamento humano. Adotou-a como filha.

“Foi meu pai quem me iniciou nas duas universidades. – contou-nos Lucida – A regular e a do Conhecimento Com Respeito a Deus. Eu cresci junto com ela. Naquele tempo as coisas tinham de ser feitas meio aas escondidas. Meu pai era umbandista mas tinha uma percepcao incrivel a respeito das outras religioes. Ele iniciou-me no umbandismo mas queria que eu estudasse as outras religioes tambem.

Ja existia um grupo, do qual ele fazia parte, com esta finalidade. Aa medida que fui amadurecendo e compreendendo melhor as coisas eh que pude ver que o grupo tinha razao. Nao adiantava agarrarmo-nos aa nossa religiao, intrincheirarmo-nos e ficar de ca, jogando bombas nos outros. Era preciso conhecer a fundo o que os outros diziam a Respeito de Deus, estudar cuidadosamente e pesquisar o que tinha e o que nao tinha fundamento.

Em nossa universidade ninguem partia da pressuposicao de que as coisas pregadas por outras religioes nao existiam. Tudo foi exaustivamente pesquisado como o eh ate hoje. E como eramos o sal da terra, nos misturavamos com as pessoas de todos os credos, estudavamos o que elas ensinavam e dialogavamos com elas a respeito dos erros de concepcao delas, mas nunca deixavamos de reconhecer para elas os acertos que tivessem.

Nos nos proibiamos de agir com a impafia de pensar que sempre soubessemos algo mais que as pessoas aas quais nos dirigiamos. O nosso verdadeiro desejo e esperanca era o de aprendermos coisas novas a Respeito de Deus. E quando isso acontecia era o nosso grande prazer. Nao ha delicia maior para nos que aprender coisas novas a Respeito do Pai. As pessoas acabavam concordando conosco e tornando-se parte de nosso corpo universitario.

Outro detalhe, meu pai nao foi o primeiro. Ele havia sido convidado a entrar por pastores evangelicos e padres catolicos que ja se reuniam anteriormente, procurando eliminar suas diferencas na crenca. Quando perguntavamos a eles quem tinha tido a ideia da formacao do grupo eles alegavam que desde o inicio esta fora a ideia de Jesus quando disse: “O que nao eh contra nos eh a nosso favor.”

Eles imaginavam que, se pretendiam tornar-se verdadeiros medicos do espirito, teriam que conhecer de perto a todas as doencas e todos os doentes. Mas, tambem, seria preciso conhecer todos os remedios para descobrir os que tinham fundamento e quais os que nao. Os remedios com os quais se pudesse trabalhar para o bem de todos seriam aqueles que nao estariam contra nos.”

E foi quando estavamos estudando estas coisas, na casa de Lucida, que deu horario da ceia. Quando iamo-nos dirigir aa sala preparada, Lucida segurou nossas maos e pediu: “Aguardem um pouco, parece que vamos receber uma visita.” Ora, ninguem havia anunciado, como seria que ela soubesse disso? Apenas pressentimento.

Aguardamos a meia hora e nada de alguem aparecer. Lucida pediu-nos um pouquinho mais de paciencia. O que nao era dificil de dar ja que nossas conversas eram sempre muito agradaveis. Mais meia hora e entrou um vulto na varanda que pudemos ver pela janela da sala. Lucida correu a abrir-lhe a porta e convida-lo a entrar.

Os cumprimentos foram aqueles que nos costumamos reservar aos velhos amigos. Lucida ofereceu aa pessoa banho para que relaxasse o corpo cansado da longa viagem. Aguardamos mais algum tempo, ate que o visitante viesse juntar-se a nos. Apos as apresentacoes tivemos a curiosidade de indagarmos ha quanto tempo conhecia Lucida e a resposta veio inesperada: “Nunca haviamo-nos falado antes.” Pensamos tratar-se de velhos amigos, por causa dos comprimentos! – explicamos. “Ora, Lucia eh conhecida por todos nos e ela parece que nos conhece a todos. Mas a hospitalidade deste povo eh geral. Por todos os lugares por onde passei, tenho sido bem recebido.”

Foi entao que tomamos conhecimento de que aquela pessoa era um missionario oriental. Que ha muito tempo estava pela estrada como ele proprio nos disse: “O missao em Translucida nao eh apenas para os que sabem mais levar seus conhecimentos aos povos distantes. Aqui, o Conhecimento esta a alcance de todos em qualquer lugar. O missionario ensina se tiver algo a ensinar. Aas vezes, aprende se tiver algo que aprender. Na maioria das vezes apenas passeia, pelo prazer de conhecer pessoas novas.” – completou sorrindo.

Nos o acompanhamos em seu bom humor.

CAPITULO 024 – BATALHAS DE ARMAGEDOM

Apos a ceia, o ceu estava claro, a lua presente e o clima morno. Dirigimo-nos para a varanda, onde Lucida continuou sua Historia.

“Como todas as unversidades regulares, a nossa tambem tem seu lema proprio e o lema dela se chama humildade. Todas as vezes que reuniamos ou meditavamos, repetiamos as palavras: Se queres ensinar a humildade, vestir a roupa do carpinteiro nao eh suficiente, eh preciso, antes de tudo, tornar-se humilde. E estas palavras podiam ser repetidas quantas vezes quizessemos porque nao sao palavras vas.

E tinhamos razao em pensar dessa forma porque o maior erro da humanidade, naquela epoca, era a falta de humildade em reconhecer os erros que cometia. Era muito comum dizer-se: “Pequei e estou arrependida” quando o pecado fosse algo que o senso comum descreve como errado. Aqueles considerados pecados como matar, roubar, ofender, mentir, agredir e outros mais! Mas, pior pecado do que tudo isso junto eh ter uma opiniao e querer que ela prevaleca sobre todas as outras, mesmo sem razao. Eh nao admitir nem a possibilidade de poder estar errado. Pois, dai nascem os outros pecados.

Nem tudo o que as pessoas humanas pensaram ser digno de ser escrito eh verdade e nao admitir isso eh falta de humildade. Nos, os membros da universidade, percebemos que haviam erros em nossas Escrituras antigas e precisamos travar uma batalha contra nos mesmos. Pensavamos: Ora, se existem erros, entao, eh uma obra humana, dai, tudo nao passa de fruto da imaginacao humana. Entao sera que Deus nao existe?

Estavamos naquele impasse, sem poder seguir os estudos porque nao nos vinha uma resposta para a questao. Foi ai que entrou em nossas vidas um personagem muito especial. Todos eram especiais mas esta era o tipo de pessoa que parecia estar sempre com a cabeca no mundo da lua.

Era muito novo em relacao aos membros do grupo e so escutava. Quando falava, podiamos pegar caneta e papel porque nunca falava sem razao. E ele falou: “Sem querer parecer que seja algo mais que os senhores, eu vim aqui porque eu ja havia concluido que as Escrituras continham erros. Eu pensava que se eu via erros naquilo que todo mundo afirmava que era verdade fosse, talvez, porque eu estivesse errado. Entao eu pensava: vou la estudar, talvez, essas coisas que eu penso que estao erradas tem outras explicacoes que ainda nao enxerguei. Vou estudar com os que sabem porque eles me mostrarao o caminho.

E ao chegar aqui aprendi muitas coisas que realmente nao sabia. Mas agora penso que posso tambem ajudar. Ora, conheco, por meio de estudos, a vida de muitos grandes nomes de nossa Historia. E por mais bem consideradas que estas vidas tenham sido, encontramos erros que elas cometeram. Aas vezes, nos eh que tapamos os olhos para nao vermos os erros, pensando estarmos protegendo a imagem construida para estas pessoas.

Os que escreveram nossas Escrituras foram seres humanos exatamente como nos mesmos o somos. Talvez, com um dom melhor que o nosso para fazer isso, mas nunca deixaram de ser humanas. Entao pensei: os erros existem porque os escritores eram humanos. Todas as coisas que o ser humano faz, sejam elas: cientificas, tecnologicas ou religiosas, partem de ideias simples que foram evoluindo ate atingir um ponto que, em alguns casos, em nossos dias podemos chamar de perfeitas.

Nao sabemos se novos conhecimentos irao melhorar ainda mais esta perfeicao, portanto, o perfeito para a pessoa humana ainda eh algo a ser melhorado. Dai, conclui que as coisas Com Respeito a Deus tambem estao evoluindo. Se encontrarmos erros em nossas Escrituras, estes nao sao de Deus e sim da concepcao humana. Temos que manter as partes das Escrituras que consideramos perfeitas e corrigirmos as partes que estao em busca de perfeicao. Quando tudo tiver evoluido para a perfeicao, entao, realmente teremos encontrado o Pai.”

Eh claro, tivemos um lapso de silencio. Para o nosso pensamento anterior, tudo de Deus estava nas Escrituras porque Deus eh o Mesmo: ontem, hoje e sempre. Mas na definicao daquele companheiro nao era o Pai Quem precisava ser mudado e sim a nossa concepcao em relacao a determinados pontos Com Respeito a Deus.

A constatacao de erros nas Escrituras nao invalidava a Existencia de Deus. Invalida a concepcao de que a sabedoria humana seja eterna. O ser humano eh transitorio, a Sabedoria de Deus nao. Nao foi facil para todos nos aceitarmos isso. Ainda mais que vinha de uma pessoa tao jovem. Quando ele terminou de falar, deu para ouvir alguns engolindo seco!

Na reuniao seguinte ja estavamos todos renovados. Mesmo os mais estacados nos principios antigos tinham chegado aa conclusao de que estavamos ali para aprender e nao importava de quem teria saido o conhecimento novo. Aprendida a licao, tinhamos que seguir em frente.

E a universidade ja comecava a incomodar. Atraves de nossos membros, que vinham das mais variadas religioes e ramos delas, recebiamos publicacoes e noticias do que acontecia no mundo religioso. Um pastor, entao, mostou-nos um artigo. Neste, que estava recheado de citacoes biblicas, insinuava que fosse eu a reitora da nossa universidade.

As passagens citadas falavam que a mulher tinha seu lugar definido, que nao podia ensinar, chamavam-me de “aprendiz de feiticeira” ainda subentendido a minha condicao de descendente de escravos e a cor negra de minha pele. O sangue me ferveu nas veias. Mas os outros membros me acalmaram.

Decidimos que quando algum de nos fosse ofendido, que os outros membros o defendesse porque pensavamos: Eh dificil para uma pessoa ofendida controlar-se e nao responder com outra ofensa, assim, nos evitariamos devolver em pedradas a quem nos atirasse pedras. E todos estavamos ofendidos mas a Lucia era o principal alvo daquele artigo.

Ficou decidido que um padre rebatesse o artigo e ele soube cumprir bem essa missao. Abriu o artigo informando que nao tinhamos hierarquia em nossa universidade, portanto, nao tinhamos reitores visiveis. Que as portas estavam abertas e que todos que quizessem vir ate nos, seriam bem recebidos e, caso decidissem permanecer conosco, receberiam o mesmo grau hierarquico que todos tinhamos, ou seja, o Pai era o nosso Reitor e todos os outros eramos estudantes.

Depois, com muito bom humor, falou que estudara toda a Biblia em busca de orientacao mas que nao encontrou. Para surpresa dele proprio, nada dentro dos Evangelhos excluia a mulher. Inclusive nao encontrara exemplos profissionais de carpintaria como licoes entre os ensinamentos de Jesus. Porem, encontrara citacoes que ensinavam a lavar vasilhas domesticas, que nao se deve remendar roupas velhas com tecido novo e mostrou que a agulha tambem era um instrumento bem conhecido de Jesus.

Curiosamente, o mestre havia aprendido alguma coisa com a mulher mas os discipulos haviam passado a considerar isso uma abominacao, como se houvessem se tornado maiores que o mestre. E nao falou assim referindo-se somente a discipulos da epoca de Jesus.

Alem do mais, – continuou ele em seu artigo – o Proprio Pai deve ter se encantado pela mulher porque foi de dentro de uma que Ele retirou o filho amado e nao do utero do homem.

Continuou na mesma linha bem humorada. Sera que teriamos razao para envergonharmo-nos se nossa pele fosse negra, branca, amarela, vermelha ou mestica? Nao vejo motivos para orgulhar-me de ter nascido branco porque sei que a cor da minha pele nao me faz melhor do que ninguem, mas vejo motivo de vergonha se comecar a excluir as pessoas somente porque elas tem cor diferente da minha. Alias, sentiria vergonha por excluir alguem por qualquer motivo que fosse.

Estranho eh que se tenha preconceito contra aqueles que foram um dia escravizados contra suas vontades. E mais estranho era, em razao disso, sentir-se orgulho de descender daqueles que foram responsaveis pelo crime hediondo da escravidao.

Frisou, porem, que sentir vergonha por descender de escravos ou senhores seria um sentimento errado porque nao nos competia envergonharmo-nos por causa dos pecados de nossos ancestrais. Competia-nos, por outro lado, remover as consequencias dos pecados dos nossos ancestrais para que eles, em espirito, soubessem que nos reprovavamos os erros deles, mas que os perdoavamos. Acentuou que o pior que ser descendente de escravo era continuar escravo do orgulho. Somente o orgulho impede os preconceituosos de enxergar que a maldade estava em quem escravizou e nao em quem foi escravizado.

Sera que algum de nos, antes de nascer, falou: “Quero nascer dentro daquela religiao e nao das outras?!” Tinhamos que admitir. Todas as religioes em nosso tempo tem erros. Ninguem eh melhor que o outro porque nasceu numa ou noutra religiao. Nem mesmo os que mudaram de religiao podem imaginar tal coisa ja que, mudaram pensando que iriam entrar no caminho certo e acabaram apenas mudando de erro.

Insistiu, em seguida, a que todos se juntassem a nos sem a necessidade de mudar de religiao. Informava que estavamos buscando descobrir os erros em cada uma delas para, entao, sugerir o que as consertariam. Mudar de religiao nao nos consertaria. O que poderia fazer isso seria mudar o que estivesse errado em nossas proprias religioes.

Concluiu dizendo que quando todas as religioes consertassem os proprios erros todos, elas se tornariam muitissimo semelhantes porque qualquer religiao que nao contivesse erro estaria proxima de Deus e quem esta proximo a Ele tambem eh semelhante ao Pai. Eh separando-nos de nossos erros que nos aproximaremos do Pai – concluiu.”

E ate hoje guardo estas palavras daquele saudoso padre. E elas obrigaram muita gente a fazer silencio. Mas os odios contra nos nao estavam arrefecidos. Estavam apenas contidos e acumulando para virem a brotar com maior forca.

CAPITULO 025 – A PEDRA DE CAL SOBRE O DEMONIO

E lucida continuava a dar-nos licoes.

“Na verdae, a luta contra a crenca no demonio foram varias batalhas em varios capitulos. E para que a ultima pedra de cal fosse lancada sobre essa crenca levaram-se anos de luta.

Tudo comecou com os descobrimentos de tecnicas modernas de tratamento de disturbios neurologicos. Muitas das doencas foram identificadas como sendo o que antigamente acreditava-se ser possessao. Houve um grande clamor dentro dos meios religiosos com a finalidade de preservar suas tradicoes.

Por outro lado, existia muita gente descrente em Deus que provocava os religiosos. Dizia-se que a crenca em Deus nao passava de mitologia e os fenomenos possessivos nao passavam de disturbios neuro-psicologicos. Nos sabiamos que ambas as opinioes tinham lados positivos mas que erravam ao excluirem-se.

Percebemos, entao, que disturbios neuro-psicologicos puderam ser confundidos com possessoes mas tambem que este fato nao invalidava a Existencia do Senhor nosso Pai. Mesmo porque, a condicao para a Existencia de Deus nao era a existencia do diabo. Deus nao depende do diabo para nada. O contrario porem se verificava, ou seja, segundo as crencas, o demonio so existiria se tivesse sido creado por Deus.

Concluimos que o diabo realmente nao existia porque, segundo o que os religiosos diziam, Deus teria feito um anjo e tal anjo, por invejar ao Pai, teria promovido uma revolta no Ceu. O anjo e sua legiao teriam sido derrotados, expulsos de La e condenados ao inferno de onde jamais poderiam tornar-se bons novamente.

Seguindo a teoria, do inferno podiam vir ao mundo material para induzir aas pessoas humanas ao pecado e, entao, conquistar seus espiritos para os infernos. Ora, nessa teoria existem falhas grotescas de concepcao porque sabemos que a Presenca de Deus eh sentida em todo o Ceu e sabemos que, na Presenca do Pai, nao ha a menor possibilidade de haver pecado, portanto, tal suposto anjo jamais poderia ter sentido inveja sem que o Pai Soubesse com antecedencia os planos dele.

Outro erro. O Pai jamais crearia tal anjo porque Saberia que ele se transformaria permanentemente no mal. E como Deus Sabe o futuro de todas as suas creaturas, com certeza nao crearia tal anjo porque seria o mesmo que tornar-se o Pai da maldade. Isso seria, no minimo, falta de inteligencia para uma Pessoa Onisciente.

Deus, no entanto, nos creou. E desde o inicio Sabia que iriamos pecar. Mas Ele nao nos creou para o pecado. Ele nos fez para a santificacao. Por isso nos fez limitados para que as consequencias de nossos pecados nao fossem eternas. Deu-nos dons de perdao e arrependimento para que reconciliassemos uns com os outros. E, por fim, inteligencia e sabedoria para que um dia, numa etapa de nossa evolucao, aprendessemos que seria preciso remover as consequencias de nossos pecados e evitar que pecassemos novamente. E o tempo chegou. Eh agora. O pecado ja havia sido nossa opcao e o momento de fazermos as pazes om Deus era aquele.

Esta era a grande diferenca entre a pessoa humana e o demonio. Este ultimo, se existisse, seria a doenca sem cura. Nos eramos a doenca perfeitamente curavel. Gracas a Providencia do Pai.

Entao, aa medida que divulgavamos que o diabo era apenas uma mitologia, porque a Bondade do Pai nao permitiria que tal creatura existisse, mais as pessoas nos jogavam pedras. Afirmavam que a manifestacao do diabo era essa mesmo. Ele era tao traicoeiro que engana facilmente aos tolos. Ele se infiltrava entre os tolos e divulgava entre eles a nao existencia dele, para depois apossar-se deles.”

E Lucida sorria quando se lembrava desse passado. – “Nos eramos os tais tolos.” – completou ela.

“Apesar de estarmos convictos de que o diabo nao existia – prosseguiu Lucida – procuramos entendermo-nos com aquelas pessoas radicalmente crentes na existencia do demonio. Tomamos a iniciativa de solicitar informacoes a respeito do assunto que, talvez, provassem tal existencia. Tudo o que nos disseram era perfeitamente explicavel pelas ciencias e bastava recomendar-se algum determinado procedimento cientifico que as “manifestacoes” desapareciam.

Vendo que nao podiam enganar a ciencia, os filhos de Deus que acreditavam na existencia do diabo resolveram que nos nao estavamos explicando fatos. O que estaria acontecendo era que o diabo se afastava quando faziamos nossas recomendacoes para ridicularizar tais crentes perante aos fieis de suas congregacoes. E isso seria o que o demonio realmente desejava. Ficar escondido.

Lamentavamos aquela atitude de mal perdedores de nossos irmaos. No entanto, bastaria que eles admitissem o engano que cometiam em crer na existencia do diabo para que se tornassem tao vencedores quanto nos, porque, afinal, admitir-se erros pode tornar-se a maior das vitorias. As pessoas estavam acostumadas e acomodadas no acrecitar naquilo que lhes doia muito mudar na concepcao. Era o orgulho segurando as duas pontas do cabo de aco que se partira.

Foi nesta epoca que aquele que veio para nao ficar muito tempo entre nos jogou a pedra de cal que faltava aa crenca no diabo. Este eh um dos exemplos de conhecimento que aquele companheiro nos deu. Ele feriu de morte o satanismo e os propagadores do mal. Lembro-me ate hoje do discurso que ele escreveu. Era curto e simples:

“Tanto voces que creem no diabo e tem a Deus como amigo quanto os que tem-No como inimigo e acreditam no vazio. O diabo eh o vazio de suas existencias. O ser humano tem necessidades naturais que vao aparecendo aa medida que as pessoas amadurem e crescem. Preferivelmente, estas necessidades devem ser preenchidas aa medida que forem aparecendo somente com coisas uteis. Quando isso nao acontece, o espaco deixa de ser preenchido ou eh preenchido com coisas inuteis.

O vazio fica em suas mentes e voces ficam perturbados. Dai, passam a cometer atos desatinados, pensando que irao preencher os seus vazios mas, na verdade, quando voces mergulham no vazio, perdem as redeas dos proprios limites e passam a querer preencher vazio com mais vazio ate atingir o abismo. E a pessoa que vive no abismo torna-se conhecida por suas obras mas.

Pois, vinde voces que creem no vazio e so praticam o mal. Voces que estao cansados de buscar no abismo a Aquele que somente eh encontrado fora dele. Vejam vossas obras. Morte, corrupcao, enganos, golpes, comercio sujo, mentiras, guerras e outras atrocidades.

Que coragem tem voces de mostrar o que fazem aas escondidas? Qual de voces tem a coragem de dizer em publico: “Matei a muitos e por isso sou feliz?” Quem de voces pode vir aa frente da multidao e dizer: “Matei, roubei, extorqui, estuprei, sequestrei, fiz mal governo etc e, com isso, preenchi meus vazios e nao temo vinganca?”

Pois, ao contrario, todo aquele que nao roubou, nao mentiu, nao matou, louvou a Deus como devia e usou os dons Dados por Ele apenas para servir aos irmaos nao precisa proclamar seus bem-feitos porque estes se mostram aa luz e todos o apontam e dizem: “Ali vai uma pessoa de bem e que merece todo o nosso respeito.”

A escolha eh de voces. A aquele que se arrepender e se propor a remover as consequencias das suas maldades, sera dado o perdao para que se torne creatura nova e respeitavel. Ninguem se julgue nascido de sementes de espinheiro. Todos nascemos boas sementes mas o meio em que vivemos pode nos transformar. Nao se deixem crescer no deserto do vazio porque eh ele que os transforma em sementes de espinheiro.”

“E muitos que praticavam o mal, perceberam que se o que faziam tinha que ficar escondido era porque nao fazia nenhum bem a eles proprios. Assim, passaram a praticar o bem e juntaram-se a nos.

Mas, apesar disso, as pessoas comuns nao entenderam como aquelas palavras derrotariam definitivamente a crenca na existencia do diabo. Nos compreendiamos porque conviviamos muito de perto com aquele nosso companheiro. Aas vezes, ele se complicava com as palavras, aas vezes resumia em poucas palavras muitas coisas que estava pensando ao mesmo tempo. Por isso, era preciso conviver com ele para compreende-lo melhor.

Na realidade, descobrir que o diabo era o vazio que o ser humano trazia dentro de si, era a chave de tudo. Mas esta chave abria um cofre onde os conhecimentos a respeito do assunto estavam guardados.

CAPITULO 026 – O TRATADO DOS LIMITES DO VAZIO E DA ELEVACAO

“Foi preciso traduzir-se o que aquele nosso companheiro tinha para revelar-nos. Outra pessoa conseguiu passar para o papel estas coisas, mesmo assim, usou de imagens para que entendessemos melhor. Ele deu um sentido figurativo porque queria que mesmo as pessoas simples compartilhassem do entendimento. Era assim:

Nossa concepcao religiosa partira de um piso tenue. Quando nascemos, a nossa consciencia tem a perfeita leveza, por isto, nao corremos o risco de quebrar o piso, porem, ficamos presos aos limites dele. Aa medida que adquirimos conhecimentos e tomamos consciencia do significado deles, comecamos a aprender que existe um mundo superior, acima do piso. Para permanecermos nele eh preciso tomarmos conhecimento de seus limites.

Os direitos dos outros sao os nossos limites e os nosso direitos sao os limites dos outros. Aa medida que respeitamos esses limites, galgamos degrais que levam a patamares superiores. Cada patamar nos da conhecimentos novos e aa medida que respeitamos os novos limites podemos obter mais ou menos conhecimentos, de acordo com qual for a nossa procura.

Isso nos faz perder o contato com o piso inicial para buscar novos espacos. Cada espaco novo surge acompanhado de novos limites e a tomada de consciencia destes limites, acompanhada do respeito aos mesmos, so nos faz elevar mais e mais.

Abaixo do piso esta o vazio. Aparentemente ele nao tem limite. Quando uma pessoa nao respeita os limites do estagio ja alcancado, o piso em que ela se encontra nao a sustenta e se quebra, porque ha limite para o piso suportar. Quando a pessoa cai abaixo do piso original ele se regenera. E o lado inferior do piso eh como o reflexo em um espelho.

Quem esta do lado inferior do espelho colocado ao nivel do piso se imagina elevando aos estagios superiores quando, em verdade, esta descendo em relacao a aquilo que eh refletido e verdadeiro. A pessoa que cai no mundo de baixo tem a estranha sensacao de estar em plena liberdade porque, abaixo do piso, tudo eh vazio. Entao, a pessoa comeca a explorar novas experiencias que sempre vao dar no vazio. O que as afasta cada vez mais do piso original.

O resultado das experiencias no vazio sao a dor, a desilusao, o falso arrependimento, a autocomiseracao etc. Algumas vezes, estas sensacoes levam a um certo nivel de consciencia que pode levar-nos a evitar repetir tais experiencias no lado inferior e isto pode devolver-nos aa tona do piso original.

A pessoa consciente quebra o piso que a sepultava, em busca do andar superior e o piso se regenera novamente. Tais pessoas que assim agem tem o dom de autorregeneracao. Outras pessoas, sem o dom da autorregeneracao, acostumam-se com a dor e a desilusao, criando uma pele resistente em torno de si proprias e nao evitam as experiencias novas no andar inferior.

Tais pessoas tem a estranha sensacao de serem vitoriosas porque estao sempre alcancando o que procuram e estabelecendo metas de aquisicoes cada vez mais ousadas. Ao conseguirem o que desejam, o vazio as alcansa novamente. Embora a dor do vazio seja intensa, estas pessoas nunca olham para tras, para se darem a oportunidade de perceberem que estao indo exatamente para o lado oposto do que deveriam ir, afastando-se cada vez mais do piso original, dirigindo-se para o mais profundo.

Essas pessoas se julgam perfeitas, sao puramente materialistas e os ganhos materiais lhes induz a crer na absoluta certeza de estarem sendo vitoriosas. Sao os casos espirituais mais dificeis de serem tratados.

Muitas pessoas que caem no vazio, ao tomarem consciencia de seus erros, tornam-se tao pesadas que nao conseguem voltar ao piso original por elas proprias. Entao, eh necessario que alguem, que ja tenha galgado um patamar muito mais elevado que o piso original, ir ate elas para ajuda-las e elevar-se novamente. Neste caso, as pessoas levantadas irao comecar tudo de novo, a partir do piso original.

Pessoas espiritualmente elevadas podem descer ao vazio sem se sentirem atraidas por suas enganosas imagens de uma realidade sem limites. Estas sao os medicos dos espiritos.

Pessoas dificeis de serem elevadas sao aquelas que lhes foram oferecidos bons principios no inicio de suas vidas mas que caem no abismo em determinadas ocasioes. Elas aprendem a transitar livremente atraves do piso original. Em determinados momentos agem de acordo com a Vontade de Deus e, em outros, buscam o vazio.

Estas sao aquelas que cumprem com suas proprias palavras, cumprem certos compromissos religiosos, agem bem perante seus pais alem de outras coisas mais. Servem ate de modelo para outras pessoas nesses pontos. Porem, em outras atitudes como: aceitar o direito de as outras pessoas serem diferentes delas, aceitar o direito de as outras pessoas possuirem o mesmo que elas, e outros exemplos mais, tornam-se a antitese do verdadeiro comportamento dos filhos de Deus.

Estas sao as falsas. Vivem na ilusao de pensarem que no momento que desejarem se elevarao ao patamar mais elevado, sem a ajuda de ninguem. Nunca aceitam as maos estendidas das pessoas que estao no patamar mais elevado, pois, sao orgulhosas. Querem continuar servindo a Deus e ao vazio, pensando que comprarao a Deus com seus “lados bonzinhos”. Elas sao as que enganam a si proprias.

As pessoas que estao totalmente elevadas, tem o perfeito conhecimento de seus limites. Os limites nao as incomodam. Pelo contrario, fazem uso deles para melhor servir ao Pai, tomando-os como orientacao para suas vidas. Sao mais livres que as pessoas que vivem no abismo, pois, nao estao presas ao que possuem.

Partilham com todos as maiores riquezas que possuem, que sao os dons recebidos do Pai, porem, quanto mais partilham mais adquirem da verdadeira riqueza podendo, entao, partilhar mais ainda.

Naquele tempo, quando estas coisas ficaram definidas, poucas eram as pessoas que poderiam ser consideradas elevadas. A obra de elevar as outras era imensa. As coisas enganosas gracavam como praga em lavoura destratada. Ser digno era motivo de vergonha. Ser honesto era considerado digno de desprezo. Ser franco era sinonimo de falta de educacao. Ser incorruptivel era o mesmo que tolice. Ser pobre era sinonimo de falta de inteligencia.

Passou algum tempo ate podermos decifrar melhor o significado de todos estes ensinamentos. O que o nosso companheiro desejara transmitir era que voce poderia desejar tornar-se popular. Todas as pessoas gostam de ser reconhecidas. Mas existem formas diferentes de se fazer isso. Uma eh sendo simpatico, prestativo, simples, amigo. Outra eh voce usar o dinheiro que possui para aparecer. No primeiro exemplo voce usa os dons que veem de Deus. No segundo voce usa valores criados pelas pessoas humanas.

Algumas pessoas tem o dom de dar solucao para os problemas que afligem as pessoas humanas. Estas pessoas devem tornar-se mestres em sacerdocio quando os problemas que elas aprendem a resolver sao os do espirito. Devem tornar-se dirigentes politicos quando os problemas que elas aprendem a resolver sejam os materiais.

Outras pessoas, nao possuindo tais dons, invejam a projecao que, erroneamente, a sociedade dava para aquelas. Entao, usavam todos os recursos que possuiam na tentativa de usurpar os postos, mas desgracam a propria vida e a dos outros.

Assim, todos nos sabemos da necessidade de recolhermos impostos como se isso fosse um dizimo. Quando a sociedade humana distribui mal a renda que produz, alguns passam a ser por demais taxados. Dentre estes hao os que percebem a injustica. Mas tambem percebem que lutar pela distribuicao justa da renda e cotacao justa dos impostos eh mais dificil que sonegar, entao, sonegam.

Fazem isso imaginando que nao estao cometendo pecado algum porque sonegam um imposto injusto. Porem, com este ato, descarregam suas cargas tributarias nos ombros daqueles que fazem suas contribuicoes honestamente. Os governantes incorretos aumentam as taxas tributarias sabendo que isso incidira sobre aqueles que ja contribuiam honestamente, na intencao de recompor o que perde com a sonegacao.

Muitos honestos acabam perdendo seus negocios. Deixando estes de recolher, a arrecadacao do governo cai e a assistencia que deveria prestar deixa de ser suficiente. Assim, penaliza-se os honestos e os mais pobres.

O sonegador se torna duplo culpado por causa de sua omissao em nao lutar desde o inicio a favor da taxacao e distribuicao justas dos impostos ao inves de sonegar.

Nessa situacao de governo, os governantes sabem que estao agindo mal. Sabem que sem distribuicao justa de renda nao ha justica. Sabem que ha sonegacao. Sabem que recolher mais impostos por meio do aumento de aliquotas penaliza apenas aos honestos e pobres, mas o fazem porque o agir de forma correta atingiria a aqueles que forneceram verbas para os eleger.

Frequentemente, sao os sonegadores que se elegem usando o dinheiro da propria sonegacao. Por isso sabem que eh mais trabalhoso convencer aos sonegadores a pagarem o que devem que penalizar aos injusticados.

Existiram pessoas que acreditavam que existem justificativas para matar outras pessoas. Imaginavam que matar uma pessoa considerada ma fosse pecado menor que matar outra pessoa considerada boa. Por exemplo, usar a pena-de-morte ou grupos de exterminio nao fazem parte dos Planos de Deus. Isso eh agir do lado inferior do piso inicial.

Isso se da assim porque, se a pessoa eh ruim porque matou aproveitando-se de sua forca superior, entao, nao se pode usar a forca superior que o Estado possui para matar alguem que esteja sob a sua custodia. A pessoa humana que vive no andar superior sabe que nao existem justificativas para matar. Quem executa um assassino se iguala a ele.

Toda pessoa que cometer atos que desrespeitem a Vontade de Deus deve ser reabilitada pelo arrependimento, remocao das consequencias de seus pecados e por meio da reciclagem. Ninguem falha por conta propria. A sociedade como um todo sempre falha junto. Enquanto a sociedade nao reconhece sua falta perante aos crimes individuais das pessoas humanas, enquanto ela ao inves de condenar nao passar a corrigir-se para evitar que as pessoas cometam erros, o mundo continua no seu ir e vir nos dois lados da vida.

Enquanto a sociedade nao se cura, todos continuamos em menor ou maior escala tornando-nos cumplices de todos os crimes que sao cometidos em nosso meio. Condenar alguem a morte eh condenar-nos aa reencarnacao. A reencarnacao somente deixara de ser necessaria no momento em que todos forem purificados e santificados para, entao, vir a ressurreicao eterna.

Igualmente tinhamos os roubos. Sabemos que a ma distribuicao de renda leva aa injustica. Alguns pensavam que roubar era remediar as injusticas que sofreram. Chegavam a ter paz de consciencia com tal desvio da verdade. Este eh o lado inferior do piso. Melhor pessoa humana eh a que denuncia as injusticas que sofre e exige seus direitos e os direitos dos que sofrem injusticas com ela.

Tambem nao se justifica que se comercialize qualquer produto ou servico que causem danos aas pessoas que os compram. Os que vendem sao ladroes e os que compram, muitas vezes, sao cumplices desses desatinos. Deus nos fez para a saude e nao para o contrario.”

Assim, Lucida ia recordando o passado da Terra Translucida ao mesmo tempo que nos ensinava os conhecimentos novos que ha muito seu planeta bouvera descoberto.

CAPITULO 027 – OS PODERES DA MENTE, O VAZIO E O PREENCHIMENTO

“Tambem, por aquela epoca desvendaram-se peculiaridades da mente da pessoa humana que nos levaram a orientar os nossos conhecimentos religiosos, guiando-nos para aproximarmo-nos do Pai.

Descobriu-se que a mente humana tinha poderes e muitos deles explicavam as manifestacoes que, muitas vezes, eram interpretadas como sendo possessoes. E foram estas explicacoes que nos ajudaram a demonstrar, em parte, a inexistencia do diabo.

E foi o Conhecimento Com Respeito a Deus o primeiro a falar a respeito da Oniconsciencia do Pai, com clareza. Sabiamos que era por meio de Poderes que todo o Ceu eh Puro e Santo porque todas as mentes estao diretamente ligadas a A Mente de Deus. Portanto, somente a Vondade de Deus eh feita na Casa Dele e toda Vontade do Pai resulta em Bem.

Tudo o que o Pai Realiza Eh Bom como Ele Eh. Dai concluimos que a Oniconsciencia, sendo um Dom de Deus, foi partilhada conosco que somos filhos Dele. Como todos os dons, este nao foi repartido em quantidades iguais para todos. Assim, alguns de nos possui uma porcao maior, outros possuem menor e, os outros, possuem apenas o suficiente.

Mas, quem possui apenas o suficiente deste dom, possuira outro dom no qual sera “rico”. E a funcao deste dom eh mantermo-nos em contato uns com os outros. E o de induzir-nos a agir oniconscientemente, ou seja, com a ideia de corpo unico.”

“Porem, sabemos que nenhum dos dons que Deus nos Concedeu tem sido convenientemente utilizados pelas pessoas humanas. Particularmente por aqueles que os tem usado apenas para o seu proprio beneficio.

As provas de que este dom existe sao fartas. Eh comum as pessoas pensarem em um amigo que ha muito nao veem e logo em seguida encontrrem-se em alguma esquina. Tambem eh comum sonhar-se com pessoas que nao se conhecia antes e, em seguida, conhecer-se aquela pessoa que coabitou conosco em nossos sonhos.

Tambem a Onipotencia eh outro Poder de Deus Partilhado conosco. E este eh o Poder das Realizacoes. E como a oniconsciencia tem sido mal utilizado pelas pessoas humanas! Mas, de ambos os Poderes, o Pai nao nos entregou toda a potencialidade porque Sabia que fariamos mal uso deles. Assim, a nossa limitacao tem a funcao de tornar as nossas faltas reversiveis. E, como reversiveis que sao, eh o que nos torna reciclaveis e evoluentes.

Quando nossos poderes de onipotencia e oniconsciencia trabalham juntos, muita coisa pode acontecer. Assim, quando todos trabalhamos em harmonia, desejando somente o bem, partilhando todas as nossas realizacoes, nao nos deixando contaminar por nenhum desvio da Vontade do Pai, com certeza, tudo podemos, inclusive, frequentar a Casa que o Pai Preparou para os santificados.

Porem, estes poderes podem ser tambem usados individualmente. E isto, todos nos podemos comprovar. Basta-nos fechar os olhos e concentrar toda a forca da mente no que desejamos. Tudo o que for desejado dentro dos nossos limitados arbitrios sera obtido. Ate mesmo mover montanhas, caso isso for uma necessidade premente.

O exercidio desses poderes individualmente eh permitido, principalmente quando a pessoa precisa se autoajudar. Como exemplo, quando uma pessoa esta com medo exagerado de algo qualquer. Ela pode, todas as noites antes de se deitar, concentrar-se e afirmar para si propria que aquele medo desaparecera e assim acontecera.

Outro exemplo eh o da pessoa que tem pesadelos por qualquer motivo. Mentalizando antes de dormir os pesadelos desaparecerao. Para que se tenha garantia de que isto realmente acontecera, invoque a Deus. O Pai ja Providenciou tudo o que precisariamos em nossas vidas mas a invocacao ao Santo Nome Dele nos da mais confianca para alcancarmos o que necessitamos.

Quando elevamos uma prece para pedir alguma coisa, na realidade, nao eh Deus Quem precisa ouvi-la mas sim nos mesmos. Deus Sabe exatamente o que precisamos, mesmo antes de pedirmos. Somos nos eh que precisamos ouvir de nos mesmos que precisamos daquilo que pedimos.

Quando sua mente ouve sua prece, ela passa a trabalhar dia e noite em funcao do desejado. Caso voce nao ponha duvida em que obtera tal coisa, sendo justa, ela sera alcancada.

Porem, se o que voce pretende sao coisas vas, voce pode tornar-se o dono do mundo, mas este mundo de nada lhe valera para obter a vida eterna, portanto, peca que vos sera dado, mas procure saber pedir coisas realmente necessarias.

Procure conscientizar-se de seus limites. Nada peca que interfira com o direito dos outros porque, se o fizeres, voce podera obter mas por vontade propria e nao por Vontade do Pai. Para conseguir aquilo, voce tera que solicitar a cessao de direito a seus irmaos porque nenhum filho de Deus perde aquilo que lhe foi Concedido pelo Pai, se tiver consciencia de seus direitos e resolver defende-los com toda a forca de sua mente.

Quando pedires algo, nao tenha ansiedade quanto a obte-lo, pois, muitos pedem e querem para ontem o que so poderao obter amanha. Neste caso, a sua mente fica bloqueada e deixa de trabalhar em funcao do que voce necessitava. Voce acaba nao obtendo, ou obtendo parcialmente, ou obtendo-o quando ja nao mais esperava. Peca, no momento de pedir, faca-o com muita vontade mas nao imponha limite de tempo. Relaxe e obtera.

Pequenos e grandes milagres poderao ser alcancados por este caminho. Antes de pedir eh preciso examinar a consciencia para que ela te diga se voce esta fazendo por merecer o que esta pedindo, e se o que pede eh justo. Se sua consciencia te acusar, voce podera receber coisas que pediu e que nao pediu.

Devido ao mal uso de nossas limitadas oniconsciencias, mentes podem comunicar-se entre si inconscientemente ou com consciencia parcial. Pessoas podem desejar o mal a outras pessoas e as mentes destas pessoas comecarem a trabalhar contra si mesmas. E o mal pode acabar se realizando.

Para que isto nao aconteca, basta que as pessoas bloqueiem este tipo de influencia. Basta mentalizar dizendo: “Que o mal que outros desejarem a mim seja transformado em luz para ajuda-los em seus caminhos de dificuldades.”

Nao respondam o mal com outro mal. O mal que os outros lhes desejarem nao os atingira jamais, se estiverem previnidos. Porem, para quem deseja o mal, eh fatal que o mal desejado retorne a ele. A mente ruim sente-se estar sendo perseguida e instintivamente espera que a vinganca seja lancada contra ela. E a propria mente ruim, por esperar sempre o mal, comeca a trabalhar para destruir-se.

Algumas vezes, porem, consideramos mal aquilo que eh natural. Por exemplo, nao podemos nos queixar de uma inundacao que destruiu nossa casa que estava construida muito proxima aa beira do rio. Eh comum as pessoas se queixarem de que Deus nao teve do delas, quando isso acontece.

Ora, as chuvas existem para fazer-nos bem. Nos eh que erramos quando construimos ao alcance de suas aguas. O direito aa uma morada segura eh inalienavel ao filho de Deus. Voce nao deve se satisfazer com as respostas de outras pessoas humanas.

Nos temos que trabalhar nossas mentes, tanto individualmente quanto coletivamente, para que so nos aconteca o bem. Se desejamos uma casa, eh nosso direito. Mas o que eh nosso direito tambem eh direito dos outros. Deseje sua casa mas nao deixe de desejar o mesmo para os outros. Voce deve considerar isso como a ordem natural das coisas.

A Casa do Pai eh uma imensa Morada onde vive apenas uma Familia. Nao existem casebres contrastando com palacios. Se voce deseja fazer parte da Familia do Pai, voce tem que aceitar a partilha de sua morada com todos os membros de sua familia. Quando voce exclui alguem, voce estara excluindo a si mesmo.

Portanto, desejem sempre o bem a todos os seus irmaos para que nao sejam excluidos. Tudo o que desejares, de aos outros o mesmo direito de obterem. Trabalhe nao apenas em sua mente para que isto aconteca.

Os desvios de comportamento aparecem quando as pessoas nao tem suas necessidades basicas atendidas em tempo habil. Este nao atendimento eh ocupado por um vazio e o vazio abre as portas para as pessoas se desorientarem. Muitas destas portas em nossa atual sociedade veem sendo abertas na mais tenra infancia.

A crianca necessita ser criada no mais puro ambiente de amor, pois, ela eh uma semente vigorosa e o amor eh o insumo que a fara produzir muitos e bons frutos. A crianca pode viver sem muitas coisas materiais necessarias ao seu bom desenvolvimento fisico mas o desenvolvimento psiquico necessita imprescindivelmente do amor, para que ela se desenvolva pura.

Eh preciso saber diferenciar entre o que eh realmente necessario ao desenvolvimento harmonico da crianca e a necessidade induzida, contaminada pelas necessidades dos adultos que as cercam.

Eh muito comum alguem dizer: “A minha crianca tem a tendencia desde o berco para a musica. Desde pequenininha que, ao ouvir determinado ritmo ela se assanhava ou se aquietava. Ela propria se esforcou, nao interferimos e hoje eh uma excelente musica.”

Em verdade, os dons existem antes mesmo do berco. Mas nenhum de nos nasce com um dom unico. Eles precisam ser desenvolvidos para que a escolha seja feita pela pessoa ja amadurecida para tal escolha.

Pais nem sempre percebem quando demonstram admiracao por determinado tipo de atividade. Eles podem ver em determinado ritmo musical a propria realizacao, mesmo que nunca tenham entendimento para musica alguma. O mundo da crianca eh pequeno e se resume naqueles e no que a cercam. Os pais nem sempre percebem quando estao induzindo aos filhos mas a crianca sente a necessidade de chamar a atencao dos que a cercam para si mesma. A influencia eh sutil, porem, marcante.

Por menor que seja a manifestacao de admiracao dos pais por determinado assunto, a crianca pode capta-la. Um pequeno gesto para um adulto pode preencher um imenso espaco no mundo da crianca. Quando a crianca possui um dom e a manifestacao dele eh objeto de desejo dos pais, ela pode ser transformada em genio.

Quando os pais tentam impor suas vontades, sem que as criancas tenham algum dom para a atividade escolhida por eles, nasce a frustracao e, por meio desta, o vazio. Tanto por nao ter podido agradar aos pais quanto por nao ter podido desenvolver os dons com os quais tenha nascido.

Porem, muitas que nao tem suas necessidades atendidas nao se revoltam nem ficam perturbadas. Nao esperemos que todos reajam da mesma forma diante de situacoes semelhantes. Algumas tem o dom da calma e da adaptacao maiores que outras. Aquelas que transformam seus traumas em revolta e perturbacoes eh porque nao possuem o perfeito dom da calma e da adaptacao.

Mesmo assim, todo o dom que uma pessoa nao possui, alem do minimo necessario para transforma-la em genio, pode ser desenvolvido parcialmente, por meio de treinamento especifico. Quem nao tem calma precisa ser treinado a te-la, para que leve uma vida mais tranquila e proveitosa.

Deveis tomar cuidado quando criancas desejam dormir infantes e acordar adultas. Este eh um sinal de que suas necessidades nao estao sendo atendidas, ou o mundo adulto criou nelas necessidades que nao lhes cabem. Eh comum elas estarem tentando fugir de obrigacoes que nao lhes competem ou flagelos impingidos por adultos mal orientados, ou criancas agressoras.

As criancas precisam ter suas necessidades perfeitamente atendidas para sentirem-se felizes em ser crianca. Devem conhecer que ser crianca faz parte da ordem natural das coisas e que eh preciso usufruir do direito de ser crianca feliz, todo o tempo que a infancia durar. Elas precisam aprender que crescer nao as tornara adultas. Para isto eh preciso tambem amadurecerem. E, amadurecer, vem com o tempo e o crescimento. Criancas bem assistidas pelos familiares e outras pessoas ligadas a elas nao se tornam adultos problematicos.

Todo erro acontecido na infancia e nao corrigido, se transforma num vazio que ira expandir-se na adolescencia. Nas culturas chamadas primitivas, a adolescencia nao eh problema porque o mundo tribal eh pequeno. Nao ha tanto o que aprender e a pessoa pode passar da fase infantil diretamente para a adulta por meio de uma simples cerimonia.

Na nossa civilizacao contemporanea, o que acontece eh o adolescente ser cultivado como se fosse crianca pelo mundo adulto quando ele proprio ja se autocerimoniou como adulto. O adolescente, em nossa sociedade eh um adulto que ainda nao conhece direito o mundo dos mais velhos. Nesta fase eh preciso tomarmos melhor cuidado para que adquira ao mesmo tempo experiencias e oportunidades de se transformar em adulto sem oportunidade de traumas maiores.

Nao eh a idade que diz que se eh crianca, adolescente ou adulto. Pessoas atingem tais amadurecimentos em idades variaveis. O meio acelera ou retarda as passagens em cada cultura. Exigir igual comportamento de todas as pessoas, baseado apenas em suas idades cronologicas, eh criar novos espacos para o vazio.

Abrir espaco para o vazio tem sido o grande erro de nossa sociedade. A sociedade individualista e que substitui os valores espirituais pelos materiais, induz ao vazio. Aqueles que vivem no vazio estao sempre buscando algo novo para preenche-lo. Quando pedem ao vazio algo possivel, pela ordem natural das coisas, eles o obterao. Mas, mesmo obtendo o que pediram, o vazio sempre retornara a eles.

Eh preciso demonstrar a estes que o Pai nao esta interferindo com a vida de ninguem mas foi Ele que Proporcionou a existencia da ordem natural das coisas. E as pessoas que ocupam seus vazios com a Presenca de Deus, mesmo que possuam pouco na materia, se satisfazem e enxergam a necessidade de repartir o pouco que possuem com aqueles que tem menos ainda.

Todos temos pelo menos um pouco de vazio em nos. Eh preciso ocupa-lo para que os males nao aparecam.”

Estas ultimas palavras que voces ouviram, queridos filhos, vieram de um manifesto que Lucida guardara dos tempos dificeis em Translucida. Era um convite aa meditacao sobre tantas coisas ruins que andavam acontecendo pelo planeta. O objetivo do manifesto era o de reunir mais pessoas em busca das solucoes para os problemas.

CAPITULO 028 – CONFRONTOS COM TEISTAS RADICAIS E SATANISTAS

“Os manifestos e os debates nao se resolveram por unanimidade entre as pessoas que acreditavam em Deus. Muitos ainda estavam presos aas antigas Escrituras e nao aceitavam a inexistencia do diabo. E, ao inves de sentarem-se para analisar direito nossas razoes, partiram para o confronto, acusando-nos de esvaziamento da Palavra de Deus.

Diziam que estavamos loucos e que Deus nos castigaria com juros as nossas blasfemias. Diziam: “Logico que Sata existe porque, se ele nao existe, quem levaria o ser humano a tantos pecados? Nos proprios somos testemunhas da existencia de Sata porque muitos ex-ladroes, ex-drogados, ex-prostitutos, ex-assassinos foram exorcizados por nos e estas pessoas atestam ter sido induzidas por aquela entidade malefica a cometerem seus crimes.”

Nos nos reunimos diversas vezes e em contato com milhares de grupos que pensavam como nos em todo o planeta. E de muitos lugares vieram sugestoes para respondermos as acusacoes que sofriamos. Entao, nomeamos uma comissao para analisar todas as sugestoes com a finalidade de enderecarmos respostas publicas a aquelas pessoas. E assim respondemos:

“Assim como o Pai vos Ama, tambem nos vos amamos. Mas, da mesma forma que o Pai Ama a todos os seus filhos, sem distincao, nao gosta de nenhuma ma acao que os filhos pratiquem, e nos temos o direito de nao gostarmos das mas interpretacoes de voces. Alguns de voces se autodenominam salvos e dizem estarmos condenados por crermos diferente de voces.

Por causa de voces crerem diferente de nos, nao os chamamos de doidos, pois, admitimos o direito das pessoas pensarem diferente, porem, esperamos que as pessoas que pensam diferente tenham razoes mais fortes que as nossas para convencer-nos, caso estejamos pensando errado. Temos nossas razoes para pensarmos como pensamos e nos lhas apresentamos neste manifesto.

Em primeiro lugar, mesmo pensando diferente, nos nao os excluimos da salvacao, nao os julgamos nem os condenamos. Sabemos que as pessoas sofrem grande influencia do meio em que vivem e este meio as induzem, muitas vezes, a cometerem enganos e a as impedir de enxerga-los. Eh por isto, que pedimos a sua atencao e passividade para estudar o que pensamos, sem condenar o que pensamos somente porque somos nos que o pensamos, ou porque seja diferente do que esteja escrito em nossas Escrituras. Solicitamos apenas a vossa razao e a vossa capacidade de separar o joio do trigo.

Enxergamos em sua proposicao da existencia do diabo um grande trunfo para os satanistas. Eles devem estar imensamente agradecidos a voces por suas certezas tao absolutas na existencia do deus deles. Voces creem mais na existencia do diabo que eles proprios. Nos pregamos que Sata nao existe e que os satanistas adoram o vazio.

Os satanistas jamais irao duvidar da existencia do diabo enquanto aqueles que se julgam filhos unicos de Deus continuarem pregando a existencia dele. Voces gritam a plenos pulmoes que o diabo fez isso ou aquilo. Ora, o diabo nada fez porque o vazio nada pode fazer por si proprio. Mas, se voce grita para sua propria mente que esse ser mitologico existe, ela ira trabalhar pensando que ele realmente existe e tudo o que voce fizer de errado, ao tomar consciencia de que o que tenha feito eh errado, ira concluir realmente que foi o diabo que o induziu.

Na verdade, a mente que assim trabalha esta adoentada. Portanto, aquele que praticou o mal nao pode atestar a existencia do diabo porque, quando praticou o mal, a mente dele estava doente e fragilizada. Se voce eh capaz de praticar o mal, eh tambem capaz de inventar uma desculpa para tentar justificar o que tenha praticado. As pessoas dizem que o diabo as induziu a praticar o mal ou deixar de praticar o bem porque querem se ver livres do peso nos ombros das proprias culpas delas. Quem assim age, o faz como uma crianca quando seus pais nao lhe dao outra alternativa para evitar algum castigo, simplesmente mentem para defender-se.

Curar ex-drogados, ex-prostitutos, ex-ladroes, ex-assassinos e outros mais, pode ser feito por milagres Concedidos pelo Pai, mas somente acontece quando a mente da pessoa eh trabalhada para passar a praticar o bem. Trabalhar as mentes pode ser feito por todas as pessoas que saibam lidar com essas coisas, sendo essas trabalhadoras de qualquer cultura, crenca e, ate mesmo, funcionarias de orgaos oficiais, sem ligacao alguma com religiosidade.

Ora, nao podemos chamar de milagre a aquilo que pode ser cientificamente repetido. Em verdade, ninguem esta recebendo milagre com isso, esta apenas preenchendo algum vazio encontrado nas mentes das pessoas que praticaram o mal e elas praticaram o mal pensando estar preenchendo seus vazios.

Eh preciso que as pessoas que praticam o mal sejam orientadas a preencher seus vazios com a Presenca de Deus. O Pai eh Quem Realiza Milagres. Nos apenas transmitimos o Conhecimento Com Respeito a Ele.

Quanto a nos, esperamos que os satanistas reconhecam os enganos deles e reconhecam em Deus a Unica Salvacao. Nao podemos nos esquecermos que todos somos irmaos e estamos certos de que o Pai espera que nos perdoamos as faltas de todos os irmaos que se perderam no vazio e que os ajudemos a voltar a A Presenca Dele. O Pai eh a nossa paz de espirito que eh muito boa e queremos partilha-la com todos.””

Entao, Lucida concluiu para nos naquele serao: “Esperavamos que os teistas radicais compreendessem nossas razoes e se juntassem a nos mas poucos foram os que aderiram aa razao. Pelo contrario, os satanistas aceitaram melhor que estavam errados em sua crenca e em muito maior numero de pessoas. Passaram a estudar melhor as Coisas de Deus e O aprenderam a amar.

Mais tarde, os primeiros a aderirem, puderam relatar aos outros as experiencias maravilhosas que estavam tendo e os outros creram neles. O satanismo foi extinto por si mesmo, por causa do vazio que ele provoca. Percebeu-se que o satanismo levava ao ocio espiritual. A pessoa espiritualmente ociosa tem ansiedade para ocupar seus espacos vazios, e busca em coisas vazias esta ocupacao. Mas o vazio so pode levar ao vazio ate transformar-se em abismo quase sem retorno.

Ja a crenca em Deus eh trabalhosa mas o resultado deste trabalho eh o preenchimento dos espacos vazios. No fim deste, vem a paz que tanto esperamos.”

CAPITULO 029 – OS TEISTAS RADICAIS SE VOLTAM CONTRA OS REENCARNISTAS

Passaram-se mais alguns dias ate que pudessemos por em ordem as nossas andancas pela Terra Translucida. Entao tivemos mais algum tempo para conviver com aquela pessoa maravilhosa que eh Lucida. E naquela noite tivemos um novo serao, onde ela explicou como foram dificeis aquelas batalhas de Armagedom.

Os teistas radicais nao estavam conformados em aceitar que o demonio nao existia mas tambem nao tinham argumentos para comprovar a existencia de seu mito. Entao, resolveram investir contra aqueles que aqui chamaremos de reencarnistas, porque acreditam na reencarnacao dos espiritos.

Estes pertenciam a diversas religioes como: budistas, indus, espiritas, umbandistas e outros mais. Cada um acreditava na reencarnacao aa sua maneira. Nao era uma crenca homogenea mas o fundamental era crer na reencarnacao.

Tambem os teistas radicais nao eram um grupo homogeneo. Na verdade, eles pertenciam a quase todos ramos religiosos e nem sequer se uniam em torno de pontos comuns. O que cada um desses grupos desejava era que somente predominassem os principios religiosos deles proprios.

“Em um primeiro momento – revelou-nos Lucida – os teistas radicais, que nao acreditavam na reencarnacao, comecaram a acusar-nos de que estariamos querendo impor as “nossas alucinacoes”, como eles chamavam os nossos encontros espirituais junto aas outras religioes. Diziam que nos estavamos consultando os mortos e incorrendo no pecado de necromancia. Isso, por meio de artigos nos periodicos deles.

Nos, entao, nos julgamos no direito de exigir espaco nos mesmos periodicos porque eles estavam atacando nossa crenca, baseados apenas em suas opinioes unilaterais. Os leitores deles, na maioria das vezes, nunca saberiam de nossas opinioes porque estavam sendo coagidos a nao lerem nossos periodicos.

E este era o grande problema da intolerancia religiosa naquela epoca. Quem falava das outras religioes para os fieis de uma determinada outra era sempre alguem que estivesse ligado a esta outra e nao os que praticavam aquelas. Assim, as informacoes eram sempre distorcidas, segundo a vontade daqueles que falavam.

Apos reunioes, que fizemos com os grupos de estudos religiosos da universidade, ficou definido que um pastor evangelico nos representaria. Como ja houveramos decidido antes, os ofendidos deveriam ser representados por outros, para nao ocorrer o risco de revidar ofensas com outras ofensas. Nos nos reconheciamos humanos e que estavamos sujeitos a essa possibilidade.

Entao, aquele pastor ouviu nossos argumentos e escreveu explicando que ninguem poderia consultar nenhum morto. Ele proprio concordou que, se eles acreditavam que todos tinhamos espirito e que o espirito desencarnado esta em um estado de vida diferente do nosso, nao conversavamos com mortos e sim com pessoas que viviam do outro lado. Se o falecimento do corpo levasse tambem aa inexistencia do espirito, entao, nao teriamos mesmo com o que nos comunicarmos.

Segundo a nossa opiniao, eles estavam nos atacando apenas por uma razao de preconceito, pois, os teistas radicais jamais haviam estudado o que sabiamos. Tudo o que falavam, falavam sem o devido conhecimento. Defendiam algumas coisas que estavam escritas ha seculos mas que houveram sido escritas por pessoas que tambem nao tinham tido o conhecimento adequado e que tiveram medo da verdade, pois, nao queriam estudar a possibilidade de estarmos corretos.

A verdade era essa, no que estava escrito no passado encontravam-se apenas proibicoes, nao se mostrando razoes para que elas acontecessem. E que, proibir por proibir era tipico de ditaduras, nao importando que tivesse ou nao fundamento. Ainda, convidou os teistas radicais a agirem como no Ceu se Age, ou seja, democraticamente.

Por isso, se eles desejassem dar a opiniao deles que, pelo menos, mostrassem a versao autorizada das pessoas que acreditavam diferente deles. Citou inclusive a passagem biblica onde Jesus, Moises e Isaias se encontraram diante de dois de seus apostolos. Ora, acaso Moises e Isaias se apresentaram em carne e osso? Era obvio que haviam se apresentado em espirito.

Mas, aquela primeira resposta parece ter instigado mais os teistas radicais. Eles nao desejavam discutir os temas reencarnacao versus encarnacao unica. O que eles desejavam mesmo era a guerra pura e simples. Nao queriam dar-nos o direito de pensarmos diferente deles nem dar-nos a chance de nos explicarmos, especialmente perante o publico leitor deles.

Lancaram mais artigos dirigidos especialmente contra os espiritas. Pessoas com o dom de cura atribuiam feitos delas a um espirito que teria sido medico antes de desencarnar-se. Com isso realizavam operacoes consideradas milagrosas por muitos. Porem, um destes espiritos avisara ao medium que o recebia que ele morreria de forma tragica.

Um morreu num acidente de carro. Outro iria morrer ao receber tres tiros. Descobriu-se que este ultimo estava acumulando riquezas, cobrando por sua mediunidade. Estes fatos desencadearam severas criticas ao espiritismo por parte dos teistas radicais que diziam: “Tudo que nao acaba bem, nao pode vir de Deus.”

Falaram das mortes violentas como indicativo de que nada do espiritismo prestasse e que os espiritas nao faziam milagres porque usavam instrumentos cirurgicos e que: “O milagre eh algo sobrenatural.” E falaram muito mais coisas mas, ja faz tanto tempo, que nao recordo tudo.

Porem, tenho estas coisas antigas em meus guardados ocasionais – na verdade, Lucida possui um muito bem organizado arquivo dos acontecimentos da epoca – que nos falarao melhor.

“”Quem tem telhado de vidro nao deve atirar pedras no telhado do vizinho.” Temos sofrido um verdadeiro bombardeio sobre nossos irmaos que creem na reencarnacao, particularmente, os espiritas. Estes bombardeios, em forma de artigos em periodicos religiosos, apregoam que o espiritismo eh uma total falsidade, porque alguns membros deste ramo religioso alegam receber o espirito de um medico. Este medico, afirmam eles, os avisa que suas vidas terminarao em tragedias mas, antes que isto aconteca, eles podem usar seus dons espirituais para curar algumas doencas tidas ate mesmo como incuraveis por nosso atual conhecimento cientifico.

Particularmente, o ramo religioso ao qual pertencemos, tem divergencias dogmaticas com os espiritas mas nos temos a obrigacao de alertar aos nossos irmaos para o fato de estarem usando argumentos falsos. Nos nao podemos dizer que os espiritas devam acabar suas praticas em razao de alguns mediuns sofrerem mortes violentas porque se a violencia de suas mortes eh indicativo de alguma falsidade existente no coracao deles, as mortes de Jesus e seus apostolos, que foram tao mais violentas, teriam que ser o mesmo indicativo.

Ora, sabemos que alguns de nossos irmaos irao argumentar que Jesus era justo diante de Deus e que nao merecera a morte que teve, ao contrario dos espiritas. Nao nos sentimos aa vontade para afirmar tal coisa porque ao Pai Cabe o Julgamento de quem eh e quem nao eh justo perante a Ele.

Para defender nossa crenca na justica de Jesus, nao precisamos dizer que outros nao sao justos. E, como Jesus para nos, naquela epoca, ja era justo, concordamos que a morte dele tenha sido uma grande injustica praticada pelos homens, portanto, podemos concluir que a morte de Jesus nunca aconteceu por determinacao de Deus, pois, o Pai nao participa de injustica alguma.

Seguindo essa mesma linha de raciocinio, certificamo-nos que a morte de Jesus nao nos salvou nem nos salvara, porque nao sera atraves de uma grande injustica que seremos salvos. Seguindo a esta morte, temos que Jesus foi ressuscitado pelo Pai e, esta sim, eh a forma encontrada por Ele de Mostrar-nos o Caminho da Salvacao, ou seja, pelo pecado de matar Jesus todos mereceriam a morte mas a ressurreicao venceu a morte e foi a primeira vez na Historia Humana que toda a consequencia de um pecado foi removida milagrosamente.

A grande licao da ressurreicao eh esta: devemos remover todas as consequencias dos pecados da humanidade para que as Portas do Ceu se abram para nos.

Tambem a ideia de nao podermos usar instrumentos para operar curas, porque: “o milagre eh algo sobrenatural”, eh falsa. Nos temos varios exemplos biblicos de uso de instrumentos na operacao de milagres. A Biblia nos diz, por exemplo, que o Pai Moldou a argila em forma de homem e Soprou um Sopro de Vida em suas narinas, dando-lhe vida.

Sabemos que o Pai nao precisava fazer bonecos. Bastava desejar e a pessoa humana surgiria. Porem, os escritores biblicos criaram uma imagem porque ela era a que estava ao alcance do entendimento das mentes humanas em nosso passado (vide Gen 2, 7). Uma escada serviu de instrumento para Jaco ver anjos subindo para e descendo do Ceu. A verdade eh que anjos nao precisam de escadas (vide Gen 28, 12).

Outra feita, Moises ergueu um cajado para dividir o Mar Vermelho em dois. Segundo a Biblia, a ordem para fazer isso viera de Deus mas sabemos que o cajado nao era necessario. Era apenas um instrumento (vide Ex 14, 16). Tambem Jesus usou instrumentos para curar. Uma vez, fez um barro com poeira e cuspe e proporcionou visao a um cego.

Importante aqui eh salientar que os instrumentos nao sao necessarios para que os milagres sejam realizados, porem, muitas pessoas somente creem no milagre se os instrumentos forem usados, assim como um deficiente fisico somente anda se estiver apoiado em muletas. Quem cre com toda a forca do espirito nao precisa de instrumentos para ser curado mas nao esta errado aquele que usa instrumentos para adquirir confianca em sua propria cura; desde que se lembre: eh o Pai Quem Depositou em suas mentes o poder da cura e eh Ele Quem Eh, em principio, o Autor de todas as curas. Os objetos nada fazem alem de servirem de apoio a quem deseja se curar.

Eh verdade que os homens biblicos nunca usaram instrumentos para cortar a carne das pessoas para cura-las mas tambem eh verdade que os objetos cortantes nao tinham a confianca que hoje-em-dia eh depositada num bisturi, por exemplo. O importante nao eh o instrumento utilizado mas a fe que existe no apoio aa cura que o instrumento inspira. Muitas pessoas tem mais fe em instrumentos cortantes que em alguns oleos. Nao se deve usar bisturi em quem tem fe nos oleos nem oleo em quem deposita fe no bisturi.

Sabemos que temos mediuns ficando ricos com o dom da cura mas isso nao serve de motivo para condenarmos o espiritismo como um todo, pela culpa de alguns que falham. Ora, sabemos que tambem temos pastores e outros sacerdotes usando suas posicoes para adquirirem riquezas materiais. Assim tambem nos nao podemos condenar os ramos religiosos aos quais estes sacerdotes pertencam por causa dos erros deles.

Aqueles que usam a religiao para o enriquecimento material agem como Judas Iscariotes que traiu Jesus. Nao podemos analisar o cristianismo pelo que Iscariotes fez porque, senao, teremos que dizer: “O cristianismo eh ruim porque, se fosse bom, Iscariotes nao teria feito o que fez.” Nao podemos nos esquecer que nao foi ele quem escolheu ser apostolo mas Jesus quem o escolheu, portanto, nao podemos julgar toda a religiao em funcao de um erro.

Os remedios sao dados de acordo com os problemas que os doentes estao acometidos. Existe um Remedio que Cura todos os males mas os instrumentos para aplica-Lo e a quantidade necessaria dependem do paciente ou da fe que o aplicador consegue inspirar. Este Remedio Eh Deus. Por isso, recomendamos Deus para todos mas sob cuidados de bons medicos.

Eh preciso olhar o espiritismo tambem pelas boas obras que sao praticadas nele. Os erros devem ser corrigidos em todos. Se formos analisar uns aos outros apenas pelos erros, todos estaremos condenados.”

Apos a leitura deste artigo, Lucida falou-nos que ele conseguira manter os teistas radicais, que eram contra os espiritas, temporariamente confusos. Na verdade, eles, no fundo, sabiam que os argumentos deles eram falsos mas que, se nao podiam enveredar por um caminho, entao, tentariam um outro. A paralisia deles era apenas para juntar energias em outros pontos. E estes nao tardaram a ser lembrados.”

CAPITULO 030 – ATAQUE DOS TEISTAS RADICAIS AO USO DE IMAGENS E SIMBOLOS

Lucida, em seguida a uma refeicao leve, continuou sua palestra. Tambem estavamos acompanhados pelo missionario oriental, muitos membros da familia de Lucida e uma porcao de vizinhos dela.

“Passado um pequeno intervalo, os teistas radicais voltaram aa carga, ascendendo um antigo desacordo doutrinario entre as pessoas que usavam objetos em seus cultos e suas devocoes, e aqueles que pretendiam que este uso era proibido, pois, havia mais aquela proibicao na Biblia dizendo que nao podiamos fazer imagens de Coisas do Ceu ou debaixo da Terra, nem colocar coisas impuras aa frente do Senhor nosso Deus.

Catolicos foram os principais alvos dessa campanha mas ela atingia tambem as religioes extremo-orientais, africanas e nativo-americanas. Os articuladores eram principalmente os cristaos classificados como pentecostais. E, por essa vez, fugimos um pouco aas nossas normas. Um leigo catolico tornou-se encarregado de responder aas acusacoes.

Nos percebemos que ele tinha capacidade para fazer isso sem responder ofensas com ofensas. Ele nao se sentira ofendido pelos ataques. Pelo contrario. Aquilo para ele era um exercicio de meditacao apenas. Gostava de ser questionado porque sabia que buscando respostas para os questionamentos ele cresceria espiritualmente. Assim, ele escreveu um artigo que todo o grupo aprovou.

Porem, nao desejavamos deixar os radicais pensarem que estivessemos incentivando algum confronto. Sabiamos que seria mais facil para eles absorverem um ensinamento que viesse de um semelhante a eles que de outro que eles julgavam adversario. E o rapaz que respondera era bastante jovem, o que faria com que muitas pessoas nao reconhecessem aqueles posicionamentos. Aqui esta, dos meus arquivos, direto para a sua leitura.”

Tomamos copias do antigo jornal nas maos e lemos.

“Nao obtive os meus dons porque fiz por merece-los mas eh preciso que alguem os tenha para que possa mostrar os caminhos que nos levam ao Pai. Viver de fe eh comparavel a viver na escuridao. Voce pode andar tateando mas nao enxerga o caminho. Ao contrario, quando voce vive protegido pela Luz, sabe exatamente para onde esta indo.

Nao queremos, aqui, dar a palavra final, mas apenas enviar-lhes uma mensagem que cremos vir de Deus. Nao vimos para dar licao de moral a ninguem. Quem for inteligente, ouca. Glorias devem ser dadas ao Pai e nao a seus instrumentos.

Abriremos nossa carta contando um fato do qual pretendemos retirar as licoes que aprendemos. Tivemos um tio-avo cujo nome era Eliezer e o apelido era Li. Devido aa idade avancada dele, chamavamo-lhe de tio So Li. Ele era uma pessoa de muitos defeitos mas tambem virtudes.

Herdara uma propriedade agricola que se localizava proxima aa cidade. Todos os dias saia da casa dele na cidade e ia trabalhar na roca. O So Li era uma pessoa de memoria fraca. Por isso, quando precisava de alguma coisa da cidade para a roca, amarrava uma palhinha de milho em seu dedo. Ao voltar para a cidade, a palha nao o deixava esquecer o que deveria levar no dia seguinte.

Na cidade, o So Li sabia muito bem que a palha em seu dedo nao estava ali para lembra-lo de levar mais palha para a roca e sim para lembra-lo de algo muito mais importante.

Passou o tempo. O So Li envelheceu mais ainda e a memoria piorou. Vez por outra ele olhava a palha no dedo. Continuava sabendo que tinha de lembrar de levar algo mais importante que a palha para a fazenda. Nao conseguia, porem, vez por outra, lembrar-se o que era. A solucao para o problema, naquela fase do velho tio, seria simples. Bastaria escrever na palha o que precisaria. Mas a esta conclusao ele nao estava mais capacitado a chegar.

Assim tambem sao nossas Escrituras. Apenas uma palha escrita de que temos algo muito mais importante do que elas que nao podemos nos esquecer. Como filhos de Deus, temos que nos tornar maiores que nossas Escrituras porque tambem elas sao objetos elaborados pelas maos dos homens. Portanto, nao sejamos idolatras da Biblia ou de qualquer outra Escritura.

Saibamos separar o que esta escrito daquilo que eh preciso ser entendido. O que deve ser entendido eh que nao podemos acreditar que os objetos que utilizamos em nossos cultos sejam o Proprio Pai. Podemos usar os objetos desde que os utilizemos como o So Li usava suas palhas. Sao apenas lembretes.

Deus nao eh nossas Escrituras, nossas imagens, nossos sinais e nem nos mesmos. Deus Eh mais do que tudo isso junto. Quando oramos, nao devemos dirigir nossas mentes para os objetos e sim para Aquele que Esta nas Alturas.

Ha, porem, que chamarmos a atencao dos catolicos e outros grupos que usam objetos e imagens em seus cultos para o risco de se confundirem e deixarem de perceber a distincao entre o que eh o objeto e o que Eh Deus. Estas coisas devem ficar bem esclarecidas para todos nos, porque sabemos que pessoas com menor entendimento com Respeito a As Coisas de Deus podem ser levadas a nao saber distinguir direito entre o que eh apenas uma representacao do que Eh Realmente A Verdade. Todos nos corremos riscos de fazermos confusoes.

Lembremos, por exemplo, que somente Deus Eh Santo mas alguns de nossos ramos religiosos chamam de santo tambem aas pessoas que se tornam conhecidas pela defesa de algum principio religioso humanitario. Eh preciso que todos reconhecamos que existem ai significados diferentes para a palavra santo. Sao duas palavras cuja grafia eh a mesma mas os significados sao diferentes.

Isso acontece com muitas outras palavras do vocabulario humano. O santo humano eh a pessoa que pode ser imitada por nos em algumas virtudes, nao em seus defeitos. Ja o Santo Divino deve ser imitado em todas as Virtudes porque nao apresenta defeitos.

Devemos estar sempre atentos para chamar a atencao de alguem que esteja personificando Deus nos santos humanos, imagens, objetos, sinais ou Escrituras. Da mesma forma, chamamos a atencao dos irmaos que tem feito tais acusacoes aas igrejas como um todo, como se ninguem em tais igrejas soubesse dessas diferencas.

Nestes casos especificos, nao vemos razoes para acusar as igrejas como um todo mas sim a necessidade de alertar individualmente aas pessoas que fazem tais confusoes.

Observamos, porem, que o uso de imagens nao eh um fenomeno recente. Desde os tempos da construcao do Templo de Salomao, construido, segundo a Biblia, com instrucoes dadas pelo Proprio Pai, utilizou-se imagens de anjos e outros que eram representacoes de Coisas do Ceu. A propria arquitetura, dividia o templo reservando um local, o santissimo, para a habitacao de Deus.

Ora, sabemos isso ser impossivel acontecer porque o Pai, cuja a propria aboboda da Terra nao O pode conter, nao ficaria restrito a tal cubiculo. Os Afazeres Dele sao muito maiores e mais importantes que aquela representacao.”

Terminada esta leitura, Lucida concluiu que:

“Apos esta carta, houveram muitos embates em torno do assunto mas a questao deixou de ser relevante aa medida que se manteve constante vigilancia para evitar que pessoas, por inocencia, caissem no erro de personificar o Pai em coisas ou pessoas. Foi preciso que o ensino religioso deixasse bem claras todas estas definicoes e os estudos dos principiantes fossem acompanhados por pessoas bastante esclarecidas. Nunca era o nosso desejo que as pessoas caissem nos antigos erros por omissao dos dirigentes religiosos.”

CAPITULO O31 – FALSOS E VERDADEIROS MILAGRES

No final do serao, Lucida ainda contou-nos mais um episodio na vida de Translucida que bem poderia servir de exemplo para nos aqui na Terra. Hoje-em-dia se ve a grande busca do ser humano por milagres, parecendo querer provar a Bondade de Deus. Ha grande disputa entre religioes e ramos religiosos. Cada um do seu lado, desejando que o Pai tome partido de seus pedidos. Estes, muitas vezes, sem um devido sentido religioso, para que depois se insinuem como se fossem autenticos e exclusivos servidores de Deus.

Entenda-se ai que o ramo religioso a que pertencam as pessoas tenha sido escolhido por Ele para liderar o mundo. Porem, esquecem-se que o grande Milagre de Deus esta na Simplicidade. Na acessibilidade que pode ser alcancada ate mesmo por criancas tenras.

O proprio Jesus de Nazare ja nos deu demonstracao disso usando os seus poderes de cura para atender a necessitados que nao pertenciam aa religiao dele, que era o judaismo. Ele curou samaritanos, fenicios e romanos. Curou a aqueles que as pessoas julgavam ser excluidas da Bondade de Deus, ou seja, aquelas que eram consideradas pecadoras pelos proprios atos mas tiveram a sensatez de pedirem humildemente a ajuda dele.

Para que um milagre ocorra, eh preciso haver um reconhecimento de que: preciso de ajuda porque nao sou capaz de curar a mim mesmo e o exercicio da humildade de suplicar pela cura.

“Pois, – contou-nos Lucida – neste planeta que ja conta com tantas luzes houve uma epoca em que as religioes comecaram a apregoar curas milagrosas para todo e qualquer tipo de problema que o proprio ser humano houvera criado em torno de nossa civilizacao. Assim, se havia falta de emprego, aparecia um ramo religioso apregoando o milagre para conseguir emprego. Se haviam dentes cariados, apareciam aqueles que diziam que Deus estaria pondo obturacoes de ouro nos donos dos dentes.

Leite brotava de pedras segundo uns; lagrimas brotavam de madeira segundo outros. Qualquer desavenca conjugal passou a ser tratada com curavel por obra especifica de Deus.

Nos da universidade nao duvidavamos de que o Pai tivesse Poderes para fazer tais milagres mas compreendemos que por tras desse tipo de anunciacao existia uma simples disputa mundana. Cada ramo religioso querendo puxar para si a atencao das pessoas e nao para Deus, como pensavamos que deveriam.

E esta disputa estava levando o povo de Deus de um lado para outro, como rebanho sem pastor. Mudava-se de ramo religioso como se muda de roupa. Batia-se cabeca aqui e ali, sem aproximar-se verdadeiramente do Pai um centimetro sequer.

Desta forma, lancamos nova carta aas comunidades religiosas mundiais. A carta foi esta: “Dai a Cesar o que eh de Cesar, e a Deus o que Eh de Deus. Como reconhecer como milagre o que voces estao fazendo, se o que estao fazendo esta espalhando o meu povo ao inves de reuni-lo?

Nao podemos reconhecer como Milagre de Deus o aparecimento de uma obturacao de ouro na boca de alguem porque obturacao de ouro eh coisa de humanos. Deus fez algo muito melhor que eh o dente inteiramente natural e cremos que, caso Ele quizesse Conceder a alguem um Milagre nesse sentido, Devolveria a saude completa ao dente com problema.

Se algum de nos apresentarmos problemas dentarios e nao possuir recursos proprios para resolve-lo, melhor eh que a comunidade aa qual tal pessoa pertenca arrecade o dinheiro para fazer o tratamento adequado. Deus nos deu inteligencia para realizarmos estas coisas por nos mesmos. Por que entao haveriamos de recusar a Dadiva da Inteligencia Dada por Ele e pedir a Ele que faca exatamente aquilo ja entregue a nos para fazermos?

Da mesma forma, nao eh justo pedirmos a Deus que nos de emprego, porque a civilizacao humana criou situacoes em que existem menos empregos do que pessoas precisando trabalhar. O Pai Sabe que se Agir Dando emprego a um, fatalmente estara desempregando a outro filho, por causa das razoes desumanas que orientam nossas sociedades chamadas de civilizacoes modernas. E o filho desempregado podera passar a destesta-Lo.

Antes de pedir emprego ao Pai, orem muito para que as mentes das pessoas que dirigem o planeta sejam iluminadas pela Sabedoria Divina para que elaborem politicas capazes de ocupar a todos, sem distincao. Se queres que Deus Seja Justo contigo, primeiro seja voce justo com seu irmao.

O Pai Sabe com muita Propriedade que se Ele Intervir agora, dando Emprego a todos os que precisam, logo-logo tera que Intervir novamente para dar emprego aos que buscarao no futuro, porque a existencia de falta de vagas para o conjunto dos trabalhadores eh uma consequencia da falta de humanidade da propria sociedade humana.

Ela foi elaborada pelas pessoas que a comandam, de forma a sempre existirem desempregados porque, eh essa situacao de injustica que permite que uns se tornem imensamente ricos e outros imensamente pobres. De nada adianta a Intervencao de Deus nesse caso se a sociedade nao for mudada com a finalidade de ser tornada justa para com todos, assim como a Justica Impera na Casa do Pai.

Portanto, aprendam a usar seu direito de voto para mudar estas coisas na sociedade. Elejam para lideres pessoas que tenham o compromisso em transformar em justa a sociedade desumana. Pessoas que tenham como lema o partilhar e nao o acumular para si mesmas.

Quando houver problema conjugal, nao procure primeiro a Deus para resolve-lo, porque todos os problemas conjugais estao na incapacidade de nossas culturas em aceitar as outras pessoas como elas sao, ou na incapacidade que as pessoas tem em mudar seus comportamentos viciosos. Pelo mesmo motivo dos dentes de ouro, solicitamos que as pessoas busquem o aconselhamento conjugal em suas respectivas instituicoes religiosas e com psicologos de familia.

Cremos tambem que o Pai tenha Feito as glandulas mamarias e os olhos tao perfeitos para suas finalidades que ate eh um desrespeito a A Sabedoria Dele, procurarmos tirar leite de pedras ou lagrimas de esculturas de madeira. Provavelmente, se buscarmos com mais atencao, encontraremos explicacoes satisfatorias para esses fenomenos, sem precisar atribuirmos a A Intervencao Divina.

Concluimos esta carta conclamando aos irmaos de todos os ramos religiosos a reunirem todos os seus esforcos para resolvermos todos os problemas vividos por nos, em razao dos desajustamentos de nossa propria sociedade. Foi para este fim que o Pai ja nos Concedeu os dons da inteligencia, do conhecimento e da sabedoria.

Deixemos para Deus apenas aqueles problemas que forem realmente serios. Aqueles aos quais reconhecamos a nossa incapacidade de resolve-los por nos mesmos e que tenhamos a humildade necessaria para suplicar.

Deus, queridos irmaos, Tem todo o Universo para Reger. Eh uma injustica de nossa parte querermos chamar a Atencao do Pai para coisas que nao tem importancia senao para nos mesmos, como se fossemos criancinhas em fase egocentrica.”

Pais de todos nos, ha muito que nao temos interferido em seu discurso porque acreditamos ser melhor ouvir primeiro para depois perguntar. Mas existe um ponto que desejavamos abordar. Nossa duvida eh a de que se o povo de Translucida aceitava assim, pacificamente, as determinacoes da universidade, como esta nos fazendo parecer a explanacao de voces.

Se esta parecendo assim a voces, queridos filhos, eh porque nao estamos entrando nos minimos detalhes dos acontecimentos que nos foram narrados, para nao tomarmo-lhes demasiado tempo. A verdade eh que, inicialmente houve muita revolta, muita descrenca e ate mesmo agressoes por parte das pessoas que nao compreendiam as boas intencoes das pessoas da universidade.

E foi por causa disso que houve uma profecia em Translucida que se cumpriu. Dizia ela: “O ser humano, em sua maioria, recusara o que sera ensinado, enquanto seus proprios ensinamentos nao os cansarem. Quando se cansarem de procurar a Deus em coisas que nao O encontram, voltar-se-a para a simplicidade e caira espantado, pois, o que for descoberto ja tera sido anunciado mas ele duvidara.”

CAPITULO 032 – A JUSTICA QUE NASCEU DE DEUS

Passaram uma noite e um dia sem que pudessemos reencontrarmo-nos com Lucida. Entao, reencontramo-nos no serao e toda a gente de costume estava conosco. Nesta noite, indagamos a ela quais eram as bases da justica em Translucida.

“A base da nossa justica – respondeu-nos – eh a igualdade de direito para todos, ou seja, como somos todos filhos do mesmo Pai, nosso direito eh parecido com o direito de uma familia. Eh melhor que eu explique como era nossa justica antigamente para que voces a comparem com aquela que temos hoje em Translucida. Eh pela distancia entre uma e outra que voces medirao as diferencas.

A nossa justica antigamente baseou-se em um sistema punitivo. A pessoa errava, era cobrado dela uma pena. Muitas vezes de prisao, de multas e ate pena-de-morte. O sistema fazia-se temido. A pessoa que cometesse qualquer crime, procurava fugir dessa justica. Chegou-se a elaborar metodos incriveis de busca e apreensao de criminosos fugitivos.

Quando a pessoa era encontrada pela policia, era tratada como animal. Era enjaulada, juntamente com muitos outros prisioneiros em predios denominados penitenciarias. As condicoes nestes estabelecimentos eram totalmente desumanas. Boa parte dos prisioneiros era violentada em seus direitos humanos por parte dos outros prisioneiros ou mesmo por guardas da prisao.

Naquela epoca, a justica jamais havia questionado em ate que ponto a sociedade era culpada pelos crimes cometidos pelos individuos. Sabiamos que a pessoa humana tinha sua conduta determinada em mais de oitenta por cento pelo meio em que vivia, portanto, tinhamos certeza que pelo menos oitenta por cento dos crimes poderiam ser evitados, alterando-se para melhor a sociedade em que as pessoas viviam.

Neste caso, a sociedade era culpada em pelo menos oitenta por cento dos crimes e uma porcentagem tambem elevada da gravidade destes crimes. Porem, quando a sociedade julgava um criminoso, o fazia como se nao tivesse participacao alguma nesses crimes. Percebemos que quando a sociedade condenava uma pessoa era a si propria que estava condenando. Mas isso nao era novidade para aqueles que prestavam atencao em antigos ensinamentos.

Por exemplo, antigo era o ensinamento que dizia para nao se cobrar em outros os erros de alguem, porem, toda a familia de um criminoso era praticamente condenada pelo crime dele porque ficava privada de seu convivio e de sua assistencia. Imagine o que vivia uma familia de um condenado aa morte!”

Neste ponto, interrompemos as palavras de Lucida para avisa-la de que ate entao nao nos contara novidade, pois, aquele ainda era o tipo de justica que vigorava na Terra. Explicamos que nao precisavamos imaginar o que acontecera antes em Translucida porque nossa civilizacao nunca mudara esse tipo de sistema.

“Nao diga! – admirou-se Lucida – como voces ainda estao atrasados entao!”

Eh! – concordamos.

“Bom, – continuou Lucida – entao nao preciso entrar em detalhes porque voces conhecem o sistema muito bem. Eh claro, nos levamos em consideracao tambem o sofrimento que as vitimas dos crimes sofriam. Sabiamos que seriamos indagados a respeito delas mas concluimos que um erro nao justificava o outro.

Tomando como exemplo um assassinato, sabiamos que seriamos questionados se a familia nao tinha o direito de ver o criminoso pagando pelo crime. Entao comecamos a refletir: Ora, aprisionar um assassino ou submete-lo a qualquer martirio em funcao do crime dele ira salvar o assassinado e sera garantia de conversao do criminoso?

Tinhamos excessivos exemplos reais para constatarmos que nao. Por isso, chegamos aa conclusao de que o nosso sistema baseava-se apenas em vinganca e nao em reabilitacao. Em punicao parcial porque a parte da sociedade que eh culposa em todo e qualquer crime era tida e havida como se inocente fosse.

Baseados nessas primeiras conclusoes, pedimos a Deus que nos inspirasse solucoes para resolvermos aquela questao ao que, cremos, Ele respondeu-nos assim: “Em uma sociedade justa a pessoa que possuir qualquer desvio de comportamento nao pode temer procurar a justica para que esta a ajude a buscar a propria reabilitacao. Assim como Eu Faco, tambem voces devem fazer. Ora, se o que imponho aas pessoas eh o medo, justamente quando elas estiverem mais precisadas de Mim, elas se afastarao para fugir.

A pessoa que adoecer, nao pode fugir do medico. Aquela que errar, nao pode fugir do juiz. Para isso, a justica nao pode ser punitiva mas sim educativa. Se a pessoa desviada prefere se ocultar por temer castigo eh porque nao confia na justica. Justica precisa ser igual para todos. Tanto para os que sofrem quanto para os que fazem sofrer. O respeito e nao o medo eh o instrumento da verdadeira justica.

Voces precisam de alguns principios para que a justica funcione adequadamente. Eh preciso definir com exatidao o que eh e o que nao eh errado. O conhecimento do que eh certo e do que eh errado precisa ser universal. Isso quer dizer que todos precisam ter acesso a esse conhecimento.

Para que o ser humano faca justica atraves de si mesmo precisa dar aa justica um canal de contestacao porque nem toda lei humana eh justa e quando isso for constatado, o reu nao podera ser acusado de crime.

A justica precisa fazer parte do ideario da sociedade. Os bens de producao e de consumo tem que ser partilhados igualmente, porque todos sao meus filhos.”

“Identificamos esta Mensagem como vinda verdadeiramente do Pai porque era simples e direta. Nao era ditatorial. Ensinava-nos o que fazer ao mesmo tempo que nos dava direito de buscar o como fazer. O Pai Respeita o nosso limitado arbitrio. Com isso, concluimos que deveriamos perdoar todas as dividas de nossos devedores, mas isso nao tinha apenas de um sentido financeiro.”

Que perdoem nossos pais mais esta intervencao nossa. Abrir as portas das prisoes para ladroes, assassinos, traficantes, estupradores, sequestradores e outros mais, nao nos parece algo que uma pessoa totalmente sa possa propor!

Filhos, estamos entristecidos por ouvir tal pensamento vindo de voces porque voces nao prestaram atencao no que estavamos falando. Nos falavamos de justica. Nos falavamos de a sociedade assumir suas responsabilidades perante aos crimes, criminosos e vitimas. Nos falavamos de irmandade e de amor. Nos falavamos em partilha e perdao. Nos nao falavamos de coisas pela metade.

Entao nao haviamos compreendido direito a nossos pais.

Nao se preocupem. O tempo e o restante de nossas explicacoes irao vos orientar. Pecam a Deus muita Luz para que voces possam se libertar do vicioso ciclo da crime-punicao-crime-punicao.

CAPITULO 033 – LUCIDA CONTINUA NA JUSTICA DE DEUS

Foi entao que Lucida continuou a contar-nos a respeito da Justica Divina.

“Houve revolta contra essas ideias. Ate alguns prisioneiros ficaram contra a definicao nova de justica que apresentaramos. Uns diziam: “Ora, ja paguei muitos anos por meu crime e, a partir destas novas leis que estao sendo propostas, quem cometer o mesmo crime que eu ficara em liberdade!?” Respondiamos: talvez sim, talvez nao.

Claro que o rebolico foi geral. As pessoas tinham os fatos aa frente delas mas nao os enxergavam. Falamos que as pessoas precisavam passar por uma avaliacao para sabermos quais poderiam ser soltas de imediato e o que deveriamos fazer pelas outras para que tambem pudessem ser soltas. Tinhamos que saber distinguir entre as pessoas que cometeram crimes devido a circunstancias, daquelas que tinham transformado o crime em suas doencas.

Todas, sem excecao, teriam que ser reeducadas. Tinham que compreender o que eh viver em sociedade, quais eram os limites de seus direitos, como exigir que estes direitos fossem cumpridos sem violacoes das leis. Como viver em sociedade e como partilhar esta convivencia de forma proveitosa para si proprios e para o restante da comunidade. Enfim, todos precisavam aprender que exigir seus direitos era uma coisa e tomar os direitos que pertenciam aos outros era muito diferente.

Tivemos de fazer uma proposta intermediaria como experiencia. Falamos que nao iriamos abrir as prisoes mas apenas humaniza-las, prestando assistencia aos presos, aas suas familias e aas familias das vitimas. Sabiamos que as cabecas das pessoas estavam demasiadamente endurecidas pelo vicio da justica punitiva e que seria preciso que toda a sociedade fosse transformada, segundo a Vontade de Deus, para que primeiro ela se libertasse da prisao do mundo e, entao, libertasse os prisioneiros das penitenciarias.

Resolvemos, entao, atacar os problemas por etapas e o primeiro ponto foi combater a pena-de-morte. Reunimos o que ja sabiamos, tal como os exemplos: que o diabo nao existia, portanto, a possessao demoniaca nao poderia ser tomada em defesa de ninguem; identificamos as graves falhas nos sistemas sociais dos quais a grande maioria dos crimes brotava; falamos dos crimes ocorridos em funcao de disfuncoes psiquicas que ja eram do conhecimento de todos e, por fim, mencionamos apenas como possibilidade, para nao causar dissensoes, os fenomenos espirituais que grande parte da populacao nao somente desacreditava como tambem se recusava a estudar–los em funcao de suas crencas anteriores.

Sabiamos que seria muito demorado a resolucao dos problemas sociais porque o individualismo era o dono do poder no mundo, naquela epoca. Tambem que os problemas mentais estavam ainda esperando por vir os novos conhecimentos que os iriam solucionar e nao sabiamos quando chegariam esses conhecimentos. Restava-nos combater de imediato os fenomenos espirituais que as crendices humanas nos atrapalhavam mas nao nos impediu de ataca-los.

Nessa linha de raciocinio combatemos os erros que as religioes cometiam, mesmo aquelas que acreditavam nos fenomenos espirituais. Exemplos disso eram os ramos budistas acreditarem que as pessoas que nasciam deficientes, o faziam em funcao de terem sido mas em vidas anteriores. Ora, isso nao poderia ser verdade porque, ao contrario do ser humano, Deus nunca Se guia pela vinganca, por isso, nascer deficiente nao era uma funcao de se ter sido mau ou nao em outras vidas. A pessoa que nasce, nasce purificada, pois, que senao o Ceu nao teria lugar para as criancinhas e nem para aqueles que agem segundo a inocencia delas. Sabiamos que ninguem iria para o Ceu carregando culpas.

Ja os espiritas acreditavam que o desencarnado determinava a familia aa qual pertenceria na proxima encarnacao, isso, em funcao de um suposto livre-arbitrio. Todos, da universidade, ja haviam concordado que o nosso arbitrio fora limitado por Deus.

Outros acreditavam que os abortos naturais ocorriam para aqueles que em vidas anteriores agiram por ma conduta. Ora, se assim fosse, que licao levaria um espirito abortado se a fase de vida intrauterina eh inconsciente? O Pai nao devolve um mal com outro mal imaginando que as pessoas irao melhorar suas condutas em funcao disso. O Pai Da aos maus as oportunidades que eles nao dao aas suas vitimas.

Deus nos Da a oportunidade de nos corrigirmos em cada vida. Sentiamos que se nao combatessemos essa crendice que abortos vinham ao mundo apenas para sofrer por males praticados em outras vidas, poderiamos estar colaborando com a invencao de alguma justificativa que levasse o ser humano aa hedionda pratica do abortamento legal.

Essas, e outras coisas mais, precisavam ser combatidas em Translucida. Era preciso unificar o credo. Renova-lo. Fazer com que ele contivesse apenas conteudos preenchidos pela Presenca de Deus e nao uma miscelania de crencas em Deus e outras no vazio.

Tinhamos tambem que parar de crer em futuros pre-ditados por quem quer que fosse, porque o futuro ao Lado de Deus eh uma surpresa agradavel todos os dias. Apenas as pessoas inseguras eh que procuram prever seu futuro alem do horizonte. Inseguranca eh falta de conhecimento e falta de fe em Deus.

Sabiamos que podiamos prever um futuro assim como a meteorologia diz com antecedencia se ira chover, nevar ou fazer seca. Mas o Pai nos havia dado inteligencia para construir nossas casas longe das inundacoes; resistentes aa neve e celeiros para prevenir contra a fome. Porem, tinhamos ciencia que assim como os desastres meteorologicos podiam ser prevenidos, tambem podiamos prevenir contra as famosas profecias de desastres, protegendo-nos contra elas. E a forma de se mudar um presumivel futuro desastroso eh abracando-nos a A Vontade do Pai de que pratiquemos apenas o bem.

Chegamos entao ao conhecimento de que crer em sorte e azar eh o mesmo que se negar a acreditar que Deus nos deu arbitrio limitado, pois, sorte e azar eliminam qualquer arbitrio. O mesmo se da quando se tenta fazer adivinhacoes de futuro ou quando alguem se coloca como escolhido exclusivo do Pai. Foi dificil para nos abandonarmos nossas praticas anteriores em favor desses conhecimentos novos.

Creio que para aqueles que acreditavam no livre-arbitrio foi mais duro ter que engolir esse erro. Alguns cristaos que davam a vida pela hipotese do livre-arbitrio, por exemplo, somente puderam ser acalmados quando o jovem leigo lhes falou assim: “Pois, se ate Jesus, que nos temos como o maior dentre nos, falou: “Faca-se em mim segundo a vossa vontade oh Pai e nao a minha.” Como entao podemos crer em livre-arbitrio?!”

Concluimos dai que: o Pai nos tinha dado vontade propria mas para que a exercessemos em funcao de praticar o bem. Essa vontade propria era o comprovante de que Ele Desejava que nao fossemos fantoches de ninguem, nem mesmo Dele Proprio. O limite de praticarmos apenas o bem nao eh uma imposicao. Eh consequencia de Ele ja Saber de antemao que somente praticando o bem nos nos preservariamos para toda a eternidade.

Percebem, se eu continuasse crendo no determinismo fatalista, o que seria de minha vida?! Continuaria uma pessoa respeitada dentro do meu terreiro. Quando larguei alguns pontos religiosos falhos e abracei outros, de outras religioes ou dos conhecimentos novos, que os corrigiam, deixei de ser importante apenas para algumas pessoas e parei de considerar especiais apenas as pessoas que estavam proximas a mim. Agora sou importante para todos e todos fazem parte de mim. Todos somos proximos.

O Pai tem muitas Moradas e voces ja sabem que cada um de nos eh um Templo de Deus. Antes, uns poucos conseguiram entender isto e deram muito de si mesmos para transformarem seus corpos em verdadeiras moradas do Pai. Aquele era o momento de todos segui-los.”

Nao pensem voces, queridos filhos, que Lucida estivesse delirando e que estivesse fugindo aa objetividade do assunto espiritual. Todas as coisas do universo estao ligadas entre si. Aas vezes, duas coisas totalmente diferentes na aparencia nao nos parecem ligadas mas se procurarmos com mais argucia, encontraremos pontes sutis que as irmanam. E, assim, Lucida continuou a falar-nos como os fenomenos espirituais enterferiam com algumas vidas, aas vezes, estragando-as por tempo muito longo.

“Nao eh a alma que renasce em corpo novo e sim o espirito. A alma eh o espirito impregnado de uma experiencia de vida material. O espirito eh a alma purificada, portanto, sem dividas a pagar. A ideia de que alguem tenha nascido para pagar contas anteriores, como castigo e nao como uma nova oportunidade de evolucao, eh erronea. A diferenca entre o Espirito de Deus e os espiritos dos humanos eh a de que, em Deus o Espirito Se Fez Santo, e o espirito humano ainda precisa ser santificado.

Pois, assim como sao as pessoas humanas, sao tambem seus espiritos. Ambos precisam conhecer coisas novas. Da mesma forma que existem os diferentes dons em cada pessoa humana, o mesmo acontece em seus espiritos. Tambem o espirito eh moldado de acordo com o ambiente em que tem oportunidade de viver enquanto esta se transformando em alma.

Toda aquela diferenca de cultura, diferenca de conhecimentos, diferenca de educacao, diferenca economica, diferenca religiosa e outras diferencas atingiam os espiritos que habitavam os corpos em Translucida. Nos acreditavamos que todas as pessoas podiam ser mudadas, mudando-se o ambiente em que vivam ou mudando-as desse ambiente. Por exemplo, mesmo uma pessoa muito boa em um ambiente agradavel, se fosse levada a viver em um ambiente pessimo, tenderia a praticar os erros segundo o novo ambiente em que estivesse, principalmente, em assuntos que se apresentassem a ela como novos.

Apos ter convivido em ambiente ruim, a pessoa que, a principio era boa, voltando ao convivio do ambiente onde nascera tera certa dificuldade de readaptacao, alternando praticas boas e ruins. Se as pessoas consideradas totalmente boas excluem aquela que ja nao eh mais considerada tao boa como elas, entao, estarao contribuindo para que o mal no excluido se cristalize e se torne de dificil remocao.

Por outro lado, se compreendem a situacao e reintegram com amor o retornado, os mal habitos adquiridos acabam desaparecendo. Nao agindo assim, o mal cristalizado em uma pessoa podera contaminar toda a sua comunidade, levando esta comunidade aas mas praticas. Esta contaminacao ira atingir, principalmente, aas pessoas ainda imaturas, que ainda nao tiverem suas personalidades perfeitamente formadas.

E quando a sociedade opta por, ao inves de eliminar o mal encarnado nessas pessoas ajudando-as a se reconcilarem com Deus e com sua sociedade, eliminar essas pessoas por exclusao ou matando-as, eh a sociedade que se transforma em criminosa, porque esta negando a um irmao a oportunidade de se reconciliar com todos.

Em situacoes como essas fica muito mais dificil a reconciliacao com Deus, porque eh mais facil reconciliar uma pessoa de ma conduta que reconciliar toda uma sociedade.

Geralmente, os crimes coletivos dao a falsa impressao de que nao sao tao graves porque, cometidos por muitos, parecem justificaveis perante Deus. Isso eh totalmente falso. Fundamentado apenas no vazio. O crime de muitos eh igual ao crime de uma unica pessoa, multiplicado pelo numero de pessoas que se tornam culpadas por ele.

Quando alguem faz parte de uma sociedade onde ocorreu o crime coletivo e este alguem eh um dos criminosos, ele tende a minorar a seriedade do malfeito. As pessoas humanas sao mais complacentes consigo mesmas. Eh por isso que as antigas sociedades se mostravam complacentes com os crimes coletivos antigamente aqui em Translucida. Ninguem considerara corrupcao como crime se todos forem corruptos.

Quando nos executavamos um criminoso sentenciado por pena capital ou as pessoas que praticavam males morriam sem se tornarem boas, as almas eram liberadas para continuarem praticando a mesma maldade. Vivas, as pessoas mas praticam o mal de forma visivel para todos, desencarnadas, as almas podem praticar o mal de forma invisivel para quase todos.

Da mesma forma que a carne pode renascer para uma vida nova, tambem a alma pode ser instruida para um comportamento novo, totalmente bom. Nao existem mentes que nao possam ser modificadas para o bem. Assim como nao existem almas que nao possam reconhecer em Deus o seu Refugio. Existiam sim pessoas que nao sabiam dessas coisas e insistiam que elas nao podiam existir porque essas pessoas nao as viam nem as enxergavam.”

CAPITULO 034 – LICAO DE LIBERTACAO

E Lucida continuou no serao:

“Juntando todas essas coisas, acrescentavamos ainda a informacao de que os filhos de Deus bem orientados nao podiam sofrer manipulacoes dos mal orientados. Aqueles que tem em Deus o seu Refugio nao sao atingidos pelos que estao perdidos. Mas, sempre existiam outros que nao sabiam das coisas. Julgavam que, por exemplo, por viverem sob a influencia de outras pessoas, essas lhes eram superiores em alguma coisa.

Da mesma forma, existia essa tendencia de a pessoa humana imaginar que as almas ou os espiritos de outros iguais a ele lhe fossem superiores. Ora, todo corpo humano eh dotado de espirito e alma e, se o espirito nele se julga inferior a outro espirito, exceto o de Deus, eh porque a sua alma foi mal informada. O unico espirito ao qual o Espirito do ser humano deve se curvar eh o do Espirito Santo. Aos outros, deve apenas o respeito de serem irmaos.

Todas essas informacoes nos foram uteis quando iniciamos a remodelacao espiritual em Translucida. Nos tinhamos um campo de batalha em duas frentes. A primeira seria a de ajudar aos espiritos desorientados a se encontrarem com os novos conhecimentos. E, a maioria deles era dificil de ser atingido, mesmo por outros espiritos que ja estavam do outro lado da vida e ja sabiam a mesma coisa que a gente.

A segunda frente era a da necessidade de fortalecer aos irmaos enfraquecidos pelas exclusoes que sofriam, para que nao permitissem ser usados pelos da primeira frente nem pelos dominadores de consciencias.

Os espiritos que haviam sido julgados como maus, e que eles proprios aceitavam isso como uma fatalidade imutavel, nada podiam fazer contra nos diretamente porque estavam fora de corpos materiais. Mas podiam usar os corpos das pessoas que nao sabiam reconhecer-se como verdadeiras filhas de Deus para tentar atingir a qualquer um de nos.

Estas coisas aconteciam assim porque tornou-se senso comum de que o filho de Deus teria de ser uma pessoa superdotada, com poderes considerados sobrenaturais e com direito de vida e morte sobre os irmaos. Ora, Deus nunca fez distincao entre os filhos Dele. Ele Proprio Deu-nos diferentes dons e os dons se equivalem, para a nossa salvacao e consciencia de intercomplementacao.

Se nos aqui, no nosso novo ambiente, resolvemos valorizar mais a uns dons que a outros, nao foi por Vontade de Deus e sim por nossas proprias falhas. Isso acontece por causa do orgulho de uns, que se imaginam superiores; ou por causa do comodismo de outros, que se imaginam inferiores.

Nenhum de nos eh superior ou inferior ao outro. Mesmo aqueles que tem os dons da mansidao que, na sociedade orgulhosa antiga de Translucida, eram tidos como inferiores, porque se satisfaziam ocupando os cargos considerados mais humildes, nao sao um minimo sequer inferiores aos outros Perante ao Pai. Pelo contrario, estao entre os primeiros Perante Deus, porque a mansidao pode entrar no Ceu enquanto que, o orgulho, nao pode.

Mas o trabalho para libertacao da pessoa humana era grande demais para a pequena quantidade de operarios que contavamos do nosso lado. Foi preciso procurar pessoas que ja tinham os dons para transmitirem todas essas licoes aos dois lados da vida.

A principio, foi com grande dificuldade porque pessoas que ja tinham o dom eram suficiente, mas muitas se recusavam a ajudar-nos por causa de suas religioes ou ramos religiosas as proibirem e, ate mesmo, combatiam contra nos.

Sabiamos, entao, que o trabalho, apesar de muito e que sobrecarregaria a alguns nos primeiros momentos, nao poderia deixar de ser iniciado, pois, caso fraquejassemos, todo o trabalho estaria comprometido. Sabiamos que o Pai Estava aa nossa frente, Deixando Sinais que orientavam o caminho. Nao consideravamos o tempo nosso inimigo mas sabiamos que a marcha seria demorada. Nossos espiritos estavam preparados para nao desistirmos no meio do caminho.

Outro problema em nossa caminhada eram as pessoas que desacreditavam da nossa acao. Aquelas que se sentavam conosco, dando-nos razoes que questionavam aquilo que estavamos ensinando, nos eram bastante agradaveis, pois, a gente percebia nelas suas boas intencoes. Expondo suas duvidas em nossa presenca, elas nos davam a chance de corrigi-las no que sabiamos mais que elas e, da mesma forma, nos davam oportunidade de aprender com elas o que sabiamos menos.

Mas existia a classe de pessoas que discordava de nos mas, quando perguntavamos o porque, simplesmente dizia discordar e pronto. Nao queria conversa. So queria continuar contra.

Outras agiam de maneira traicoeira. Diziam concordar conosco e que acreditavam no que estavamos fazendo. Mas, pelas costas, nao praticavam o que ensinavamos e procuravam incitar outras contra os ensinamentos novos que traziamos. Eram oportunistas e viam em tudo apenas uma oportunidade de tirarem proveito para si proprias.

Tinha tambem o pior tipo de pessoa. Aquele que os ensinamentos novos desmascaravam suas farsas. Estas agiam contra, tambem em defesa de seus proprios interesses. Este nao desejava saber de outro bem senao o de si mesmo.

Mas, para os que ja estavam onde nos encontravamos, dificilmente voltariam seu olhar para tras, nem mesmo para responder aos insultos.

E foi assim que iniciamos nosso trabalho junto aos presidiarios e nos locais mais propricios de ocorrerem novos crimes. Ensinamos, limpamos as casas daqueles que nos aceitavam e fortalecemos os seus espiritos para que nao fraquejassem novamente.”

Entao, pais de todos nos, foi assim e neste tempo que Translucida exterminou a criminalidade do meio dos translucidianos?

Nao filhos. Lucida contou-nos que os fatos demoraram um pouco mais a se concretizarem. As portas dos presidios nao puderam ser abertas porque a sociedade ainda nao reconhecia suas proprias culpas em relacao aa criminalidade. A sociedade precisava mudar seus conceitos porque ela era a fonte de criminosos. Era do seio dela que eles nasciam e eram as injusticas cometidas por ela que tinham como consequencia a maioria dos crimes.

“Nos comecamos a indireitar os presidiarios – prosseguiu Lucida – mas a sociedade continuou a encher os presidios.”

A erradicacao da criminalidade foi outra historia que passou tambem com a politica mais justa na economia e que Lucida resumiu assim:

“No inicio, pensavamos que devessemos nos afastar da politica mas alguem nos lembrou que, fatalmente, teriamos que encontrarmo-nos com ela porque, se queriamos que todos fossem salvos, chegaria um momento em que alguns de nos seriamos obrigados a nos tornarmos nossos representantes politicos porque, mesmo em uma sociedade justa, ha a necessidade de que as pessoas elejam seus representantes para executarem funcoes que cada um nao pode fazer por si. Isso faria parte da divisao do trabalho em qualquer sociedade.

Assim, o poder nao era o nosso objetivo mas se tornaria uma consequencia do nosso trabalho. E foi somente depois que crescemos como forca, principalmente junto aa populacao excluida, que era a maioria, nos tornamos parte do governo e, depois, governo. Como governo, comecamos a executar as obras como o Mar Brasileiro e a irrigacao do Poligono da Seca.

Dai resultaram o aumento da producao; a distribuicao de renda; o pleno emprego; educacao quantitativa, qualitativa e igual para todos; o completo acesso aa saude e muitas outras coisas mais.

Desta forma, com o pleno emprego e os ganhos justos, alem da democratizacao de todas as areas, conseguimos diminuir e mesmo ate eliminar a criminalidade em alguns locais, num primeiro momento. Com a transformacao dos presidiarios em novas criaturas, as portas dos presidios puderam ser totalmente abertas no final.

Naquele tempo, ainda haviam pessoas que cometiam alguns delitos porque era dificil fazer com que todas as consequencias dos nossos pecados, dos tempos anteriores, fossem apagadas como se da noite para o dia. E os que nao se entregavam, ainda por receio da antiga justica punitiva, eram procurados e presos. Mas as prisoes nao eram mais para castigo dos criminosos. Eram para protege-los de alguma vinganca inesperada e de si mesmos.

Tinhamos o conhecimento de que os momentos apos o cometimento de um ato vil eram decisivos para reorientacao do vilao. Ele poderia tanto agir contra outras pessoas quanto contra si mesmo. Passado o tempo necessario, ja em uso da razao, nao fosse a pessoa um louco permanente, ajudada por todos os psicologos necessarios e assistidos pelas igrejas, ela ajudava a elaborar a formula de remover da face da Terra as consequencias de seus atos.

Em nosso regime, na maior parte das vezes, eh o proprio criminoso que decide qual sera sua pena. O sistema judiciario apenas o ajuda a nao cobrar demais nem a menos de si mesmo.

Passado, porem, o tempo, todas as nossas prisoes estao vazias. Ja estamos na quarta geracao que isso acontece. Ninguem rouba porque reconhecemos nao haver razao para se roubar. Todos temos o que necessitamos em nossas casas. Ninguem tem mais que outros nao possam possuir. Possuem menos apenas aqueles que fizerem esta opcao. Mesmo assim, estamos preparados para atender imediatamente a cada um deles que mudar de ideia.

Mortes e guerras pelas maos dos seres humanos nao existem mais. Procuramos cercar as pessoas com muito amor desde o berco. Nenhum filho de Deus, criado com amor, acreditara que matar seja solucao para coisa alguma.”

CAPITULO 035 – A HARMONIA MUNDIAL TRANSLUCIDIANA

Pais de todos nos, voces nos tem contado coisas que tem preenchido vazios em nos mas tambem aberto oportunidades para questoes. Voces disseram que a primeira e a segunda Guerras Mundiais nao aconteceram para os translucidianos. Entao, como ficaram as Revolucoes Russa e Chinesa?

Tambem nao existiram.

Tudo isso eh verdade aqui na Terra mas a opcao do povo da Terra Translucida foi por uma Historia diferente. Os pacifistas ja existiam em grande numero, embora, nao fossem a maioria declarada da populacao. Importante foi que os pacifistas de la nunca se deixaram abater pelo desanimo.

Nao houve para eles o sonho irrealizavel. A todo e qualquer rumor de guerra eles estavam atentos para sair aas ruas, invadir paises e exigir a paz, porque a paz eh um direito antes de tudo. Mas tambem um dever de todo filho de Deus.

Os homens que governaram Translucida eram os mesmos que governaram a Terra? Os objetivos deles eram os mesmos? Por que la eles nao levariam em frente os seus planos de conquistas?!…

Porque, para que hajam as guerras, eh preciso que pelo menos tres fatores interajam. Sao eles: interesses dos injustos, ilusao da juventude e omissao dos que nao gritam contra. Bem disseram voces que o interesse dos injustos estava presente tambem em Translucida mas os outros pressupostos nao.

Em Translucida, a universidade havia estudado e descoberto que o jovem estava sempre desejoso de tornar-se popular e conseguir honrarias. Percebeu-se que isso era uma falha da sociedade que subvalorizava sua juventude e nao dava oportunidades semelhantes para que todos se destacassem.

Ora, o jovem eh uma pilha de pura energia mas com limitada experiencia. Embora ele se saiba imaturo, porque se ve em muitas situacoes onde nao saiba reagir com a conviccao de um adulto experimentado, ele se reconhece como um adulto completo. Inexperiente, porem, adulto.

Ja, o mundo adulto, por causa da imaturidade dos jovens, nao o reconhecia com adulto. Tirava da juventude certas responsabilidades mas queria exigir dela comportamento que somente a pessoa experimentada reconhece necessaria. Em resumo, tambem em Translucida existia o choque de geracoes nascido do fato de os pais e governantes nao saberem detectar o momento em que o jovem precisava ter maior liberdade para determinar a sua propria vida.

O fato de os jovens estarem presos aos pais por causa da situacao financeira pesava muito na geracao dos conflitos. Em resumo, existia uma geracao castradora e outra ansiosa por libertacao e sem experiencia e conhecimentos para enxergar o mundo nao como um saco-de-pancadas para absorver suas frustracoes.

Assim, uma das poucas formas de os jovens se libertarem do jugo paterno eram as guerras. Claro, somente a imaturidade poderia fazer o jovem pensar que a guerra o levaria aa liberdade. Ai se identificava um dos vazios da humanidade.

O jovem tinha um vazio de liberdade por causa da opressao exercida pelos pais. Quando a juventude enxergava nalguma guerra a sua libertacao, observava-se o fenomeno da substituicao de um vazio por outro, em busca de uma liberdade que nao era libertadora. Pelo contrario. Era apenas mais uma armadilha do vazio.

A ilusao dos jovens era a de pensar que somente iriam tirar um periodo de ferias, que voltariam com o peito repleto de condecoracoes, o reconhecimento de que eles eram adultos completos para a sociedade. Herois, com lugar de destaque nos festejos comemorativos, financeiramente independentes, livres para construir familias para eles proprios, segundo tanto haviam sonhado em suas adolescencias, enfim, um santo retornado ao Ceu.

Contudo, a crueza da realidade era outra. A guerra nao era um periodo de ferias, mas um tempo de feras. E cheia de desgracas, de dor, mutilacoes e morte. Eh o lugar onde toda a insanidade humana eh liberada. Eh a multiplicacao da orfandade, eh o quebrar das inocencias, eh a revolta dos estomagos e o reino do pavor.

Aqueles que retornam nao sao mais as pessoas que foram. A sociedade os taxa de herois e exemplos e os cobre de honrarias. Mas, no fundo, os que retornam dessa condicao eh que sabem que, mesmo voltando, nao encontraram o que, verdadeiramente, buscavam. Tocam a vida para frente, porque viver eh preciso. Mas como gostariam de apagar aquelas paginas de suas vidas e comecar tudo de novo, porem, por outra opcao menos irracional.

“Entao, – Lucida contou-nos – nos textos religiosos das grandes religioes em Translucida, nao estava escrito nada assim tao claro: “Largue de ser um soldado de guerra, seja um agente da paz.” E isso nao estava escrito por causa da nossa omissao em nao gritar contra as guerras.

Mas, em muitos textos, encontravam-se exautacoes aos feitos militares dos reis da antiguidade. Muitos textos apregoavam que o Pai teria interferido, ajudando a crueldade humana a destruir o seu proximo. Foi a partir dessas analises que os feitos militares deixaram de ser considerados heroicos em Translucida.

As homenagens aos chamados vultos da Historia, passaram por uma reavaliacao, dando a muitos deles o carater de assassinos comuns. Comecaram-se a estampar os movimentos antimilitaristas sob slogans tais como: “Todo soldado de guerra eh uma pessoa comum e boa, treinada e autorizada a tornar-se uma assassina a qualquer momento.”

A constatacao de que os anseios da juventude eram simplesmente manipulados para promocao dos injustos, comerciantes da morte, fez com que muitos esfriassem em relacao aas guerras e passassem a trabalhar contra elas. A quebra do ciclo vicioso omissao-guerra-omissao foi extinto.

O incentivo aa juventude para buscar atos verdadeiramente heroicos como procurar solucoes para os problemas da humanidade, a busca da eliminacao das discriminacoes sociais, culturais e religiosas, acabaram por tornar as guerras impraticaveis em Translucida. Com isso, nao houve a primeira Guerra Mundial.”

Nem a Revolucao Russa, queridos pais?

Isso nao eh propriamente verdadeiro. Nao houve a Revolucao Russa armada. E por essa razao, os pacifistas ganharam o odio dos bolcheviques no inicio. Mas ser pacifista nao significa ser acomodado ou subserviente.

Os pacifistas conheciam os problemas em que o czarismo transformara a Russia. A desigualdade social, os privilegios da hierarquia, tudo aquilo foi abertamente atacado e cobrado. A Russia como um todo se considerava crista e a universidade sabia que totalitarismo nao combinava com cristianismo. Da mesma forma que a monarquia.

Diante de toda a pressao que foi feita, o czar renunciou e permitiu uma republicanizacao pacifica na Russia translucidiana. Os comunistas nao conseguiram assumir o poder porque tambem eles eram totalitarios. Subiu na Russia o socialismo democratico. Porem, em Translucida o socialismo nao eh apenas uma teoria economica e sim uma pratica social. Eh o reconhecimento de que todos somos filhos de Deus e, como tais, temos igual direito de participacao nos bens de producao e de consumo.

Sem a primeira, a segunda Guerra Mundial nao aconteceu. Antes que o maoismo tomasse a China por forca das armas, o proprio movimento socialista ja estava purificado de suas teorias vazias, tais como: emprego da violencia para tomar o poder; o isolamento da comunidade socialista da atividade economica mundial; a conducao com maos de ferro da conduta do povo; a intolerancia ao pluripartidarismo; a intolerancia religiosa e outras coisas mais.

Todo o povo da Terra ficaria de queixo caido ao ouvir as pessoas de Translucida contando os feitos de alguns de seus lideres, pares dos mesmos que existiram aqui no nosso planeta, como: Stalin, Franco, Salazar, Mussolini, Hitler, Getulio, Peron, Fidel, Mao e outros.

Os terrestres diriam: “Nos os conhecemos como o mal em nossa Historia e eles querem nos enganar dizendo que esses homens promoveram o bem em Translucida!” As pessoas que pensarem assim, estarao esquecidas de que havia sido expurgada a idolatria da pessoa humana por seus lideres.

Aqueles homens nao eram o governo como um todo. Apenas faziam parte como lideres que eram. Como o ambiente em Translucida havia sido modificado para melhor, em relacao ao que permaneceu na Terra, aqueles homens nao encontraram campo propicio para plantarem suas sementes de espinho. Eles proprios se convenceram que precisavam plantar flores e arvores frutiferas.

Tambem os outros nomes de nossa Historia, aas vezes citados como o lado do bem, nao cometeram as muitas maldades que a Historia Oficial esconde das pessoas comuns. Eles foram contidos pela implantacao do ideal verdadeiro de liberdade que o movimento religioso translucidiano promoveu.

Muitos deles nem sequer se tornaram conhecidos por suas carreiras. Porem, os que se fizeram realmente conhecidos foi porque lutaram pela verdadeira paz, ou seja, a paz desarmada.

CAPITULO 036 – A HUMANIZACAO DA ECONOMIA TRANSLUCIDIANA

Nem tudo na vida dos translucidianos, porem, era maravilhoso, porque tambem la existiam aqueles que desejavam boicotar a paz verdadeira. E coincidiu que quando o movimento religioso novo comecou a crescer, aconteceram desarranjos nas economias mundiais. E os senhores das guerras tentaram incitar o povo contra aquelas ideias pacifistas, alegando que o desemprego, a insuficiencia de rendas e outras coisas mais estavam acontecendo porque os pacifistas estavam impedindo-os de armarem as nacoes, assim, os empregos oferecidos por eles estavam deixando de existir e os salarios dimuinuindo.

Afirmavam ainda que os pacifistas de nada sabiam, que as guerras nunca acabariam enquanto nao chegasse o final dos tempos. Falavam, por fim, que todos tinham que estar preparados para guerrear porque as previsoes estavam escritas e que haveriam de cumprir-se.

O bombardeio de ideias foi grande e tornou-se necessario que os membros da universidade ficassem praticamente em reuniao permanente, para oferecer respostas aos questionamentos da populacao. Ela estava sendo jogada de um lado para outro por causa da insanidade daqueles homens.

Nesse tempo, o movimento do Conhecimento Com Respeito a Deus sofreu perseguicoes nao apenas dos senhores das guerras mas de todos aqueles que possuiam riquezas materiais e falta de bom sendo. Isso envolvia as revelacoes que estavam sendo lancadas em relacao aas riquezas e aos ricos.

Lucida contou-nos que o movimento nao estava, em essencia, pregando contra riquezas e os ricos de uma forma pessoal mas sim analisando as consequencias de haverem riquezas demais concentradas nas maos de poucas pessoas. Foi neste tempo que um dos membros da universidade escreveu um artigo, do qual pudemos extrair um paragrafo que nos pareceu profetico.

“O ser humano tem uma unica saida para progredir e elevar-se que eh o caminho do amor ao proximo, ensinando-o desde o berco aa crianca. Nao havendo amor, a desconfianca se instalara no coracao da humanidade. Uns somente se sentirao seguros espionando aos outros, permanentemente. A desconfianca exigira tempo e recursos economicos de grande monta para manter a espionagem. Isso sacrificara parte do potencial de felicidade que poderiamos atingir. O ser humano trocara a felicidade pelo caos da intimidacao. Isso tornara as pessoas tensas e nervosas. Somado a tudo, o progresso tecnologico permitira que pequenos conhecimentos causem grande exterminio nas populacoes. Apesar de toda a seguranca buscada, sempre havera alguem capaz de dribla-la. Somente por meio do amor poderemos evitar tal coisa.Consideramos que a vigilancia da sociedade em relacao aas pessoas eh um sinal do reconhecimento da propria falha dela, pois, fosse a sociedade justa com todos os seus membros, ela nao correria o risco de sofrer o revide delas. A espionagem estatal sobre o cidadao eh o atestado de incompetencia da propria sociedade.”

Isso, porem, nao queria dizer que nao se pudesse fazer vigilancia de especie alguma, como quizeram insinuar os senhores das guerras, em relacao aa opiniao dos membros da universidade, por causa daquele texto. Assim, foi preciso dizer que a vigilancia tinha que ser constante em observancia aas coisas de Deus.

A propria sociedade haveria de se vigiar para nao cometer injustica alguma, pois, a injustica social sempre levaria consequencias desagradaveis aa populacao. E cada um teria que vigiar a si mesmo para tambem nao cometer injusticas que o afastassem do Reino de Deus.

Outro ponto que incomodou aos ricos de um modo geral foi quando foram publicados os estudos a respeito dos falsos milagres. Constatou-se que os pobres acreditavam no surgimento de obturacoes de ouro nas bocas das pessoas porque eles consideravam uma obturacao de ouro algo inatingivel. Para o pobre que nao tinha condicao de obturar seus dentes cariados de forma alguma, tendo que extrai-los por estarem estragados, o ouro era um sonho.

Entao, percebendo-se que nisso estava acontecendo grande injustica, o estudo deu enfase a uma serie de opinioes que foram publicadas pelos periodicos da universidade, alguns acusando aos ricos e mostrando aa populacao como defender-se das injusticas deles.

Resumiremos as ideias e opinioes, sem que, necessariamente, se encaixem na ordem cronologica que aparecercam ou que se de total esgotamento ao assunto. Voces, queridos filhos, poderao chegar aas suas proprias conclusoes.

“Riqueza e insensibilidade sao dois adjetivos que frequentemente andam juntos. quando os servicos dos dentistas ficam alem do alcance da populacao ou o servico desse genero eh oferecido em qualidade muito inferior aos pobres eh porque tais servicos sao prestados por pessoas materialmente ricas ou por pessoas de mentalidade tambem materialmente ricas.

Os ricos estao acostumados aa riqueza e nao desejam perder seus privilegios, nem partilha-los com as outras pessoas. Tomemos como exemplo as comunidades pobres, isoladas nalgum interior ou incrustradas nos suburbios das grandes cidades. Elas nao tem profissionais especializados da saude quando mais precisam. Muitas vezes, nem sequer sacerdotes para assisti-las.

Ricos pagam para se formarem sem grandes sacrificios. Alguns remediados fazem muito sacrificio para conseguirem se formar. Porem, todos que se formam desejam cobrar todo o sacrificio e obter privilegios com o uso de suas profissoes. Para que isso aconteca, volta-se exclusivamente para as classes que possam pagar servicos caros, mesmo que nao sejam da melhor qualidade.”

“Para solucionar os problemas das comunidades pobres, aconselhamos aas pessoas a escolherem os seus melhores estudantes para custear-lhes os estudos superiores, assim, eles voltarao aas suas comunidades de origem para atende-las. Observem na escolha os estudantes amorosos.”

“Os ricos pensam que ajudar aos pobres eh o mesmo que fazer certas caridades. Recolhem donativos, distribuem-nos e vao dormir com suas consciencias lavadas. Mas o dia-a-dia do pobre nao eh um momento de dificuldade. Eh toda uma vida na dificuldade.”

“O pobre vive ao Deus Dara. Precisa chuva, pede a Deus. Precisa de cura, pede a Deus. Precisa de alento, pede a Deus. Entao pensamos: a Terra tem recursos suficientes para todos. Os recursos eh que nao estao devidamente partilhados. Eh preciso resolver o problema da pobreza para que Deus possa ser incomodado apenas quando os problemas forem insoluveis pelo ser humano.”

“Infeliz eh o homem que eh digno da piedade de outro homem. Os ricos sao dignos da nossa piedade. Orem por eles para que se convertam, pois, eles sao idolatras do dinheiro. Porem, do pobre nao tenham piedade. Basta que lhe facam justica, ensinando-o a viver.”

“Deixem as portas abertas para os ricos tambem. Porque tambem eles irao se converter. Nao revidem. Nao facam com eles o que eles fizeram contra voces. Mas facam por eles o que voces gostariam que eles tivessem feito por voces.”

“Quando ouvirdes falar de guerras, estejam preparados para ser contra. Com certeza, o problema eh a ganancia de rico contra rico.”

“Quando ricos se reunem, tenha certeza, os pobres pagarao a conta.”

“Tomem, como exemplo, os valores atribuidos pelos homens a todas as coisas da Terra. Eh possivel que iremos encontrar para mais de um milhao de dolares por pessoa que a habita. Sabemos que essa quantia sera muito mais do que mais da metade da populacao do mundo jamais tera acesso a tal fortuna, durante toda a existencia dela na vida. Sabemos que, se as pessoas simples tivessem tal quantia para deposita-la a troco de juros, jamais precisariam trabalhar para o seu sustento.

No entanto, a realidade eh outra. A vida do humilde eh so trabalho e a do rico eh o acumulo do que nao lhe pertence. Como se ve, dinheiro temos de sobra, o que nos falta eh amor. O amor que temos dedicado a nosso irmao pobre nao passa de centavos. Apesar de sabermos que a Terra nos foi dada de heranca, a todos e a cada um de nos, pelo Santo Pai, os ricos continuam a tomar posse da parte dos mais fracos. Ninguem pode acusar a Deus de nao ter Provido riqueza suficiente para todos.”

“Nenhuma boa ideia nasce sem que o Pai ja nao tenha Conhecimento dela e eh Ele Quem Permite que nos as tenhamos. Pois, eh Dele os dons de as transformarmos em realidade. O mau uso das boas ideias para assumir poderes ou ficar rico eh opcao humana. Eh o mau uso do nosso limitado arbitrio. Quem ja se lembrou de pagar royalties da ideia da vida, da inteligencia, do raciocinio e outros mais ao nosso Pai que Esta no Ceu?!”

“Todas as nacoes grandes tem um plano de conquista do mundo, ao qual precisam renunciar em favor da paz.”

“Do que adianta termos evoluido tecnologicamente tanto, em relacao aos nossos avos, se moral e socialmente estamos voltando ao passado deles?”

“Tambem nos vos declaramos: nossas palavras jamais passarao nem pelo tempo nem pelo fim da materia, porque estas nao estao sujeitas a eles.”

“O ser humano eh um ser em construcao. Quando nasce eh amorfo. Pode ser moldado para o bem ou para o mal. Eis uma verdade que grande parte das denominacoes religiosas negam.”

“A morte tornou-se necessaria para que o ser humano moldado pelo mal tenha a chance de recomecar tudo novamente, pois, que se nao interrompesse a carreira de maldade de alguns, eles permaneceriam maus para sempre. A reencarnacao eh a forma do Pai Amar-nos nao apenas uma vez mas por quantas vezes forem necessarias para que nos salvemos.”

“Criancas, somos amorfos como agua. Se a agua eh posta em uma garrafa, ela assume a forma da garrafa. Assim como assume a forma do copo, do jarro ou de outra vasilha qualquer. Nos somos setenta e cinco por cento (75%) agua. Precisamos nos trabalhar para alcancarmos a forma de bons.”

“O povo de Deus eh aquele que encarna a pele do Cristo. Ele eh ofertado todos os dias nos balcoes dos bancos mundiais, estes templos de deuses inexistentes. Suas vestes sao sorteadas e eh deixado nu. Seu sofrimento nao eh levado em conta. Suas carnes nao valem mais que trinta dinheiros naqueles balcoes. Para ele so sobra o trabalho espinhento e mal recompensado. Tudo isso eh um holocausto imperfeito. Deus se recusa a aceita-lo, pois, oferece vida de inocentes com propostas de ganhos mundanos.”

“O que eh sonho para o ser humano na Terra eh justamente o que o destroi: dinheiro, poder e luxuria.”

“Nao sejamos como os ricos. Do que adianta sermos filhos de Deus se nao nos comportarmos como tais?! Nao podemos moldar nossos atos pelo que eles pensam, fazem ou dizem mas sim pelo que eh correto.”

E, entao, foi com argumentos dessa natureza que se moldou uma nova mentalidade a respeito das riquezas em Translucida. Muitas pessoas ricas aderiram ja no inicio e contribuiram para que as ideias se espalhassem. A ideia de se mandar jovens das comunidades pobres para as universidades acelerou o acesso das pessoas pobres aos beneficos dos conhecimentos novos.

A ideia tambem foi ampliada. Quando uma comunidade pobre estava sendo explorada por seus comerciantes, organizavam-se cooperativas para servi-la melhor. Quando a populacao nao tinha moradia adequada, era reunida em multiroes para comprar os materiais, ou fabrica-los. Por meio de consorcios entre eles proprios determinava-se a ordem em que as construcoes iam sendo ocupadas.

Por causa de muitos ricos que insistiam em sua ganancia, foram substituidos por cooperativas de operarios que montavam fabricas concorrentes, ou ofereciam servicos que originavam as riquezas de poucas pessoas. Os servicos oferecidos pelos ricos comecaram a ser boicotados pela populacao pobre em favor de seus proprios empreendimentos.

Mas, em todo o tempo, nao se tomara nada do rico aa forca nem o obrigavam a distribuir suas coisas. As portas permaneciam abertas para que eles entrassem nos caminhos da salvacao, no momento em que desejassem. Eles proprios sabiam que somente poderiam faze-lo quando partilhassem o que possuiam com os outros irmaos.

Tambem era conhecido que ninguem poderia trilhar os caminhos da salvacao contra a propria vontade. Portanto, para que a salvacao se de, precisa do consentimento da propria pessoa para que se salve.

Passada esta etapa, houve uma certa acomodacao em Translucida. O problema ja nao era mais encontrar-se o caminho. Era aparar as arestas da conduta de pessoas da populacao que, aas vezes, se desviavam de suas retidoes e manter a retidao do caminho das pessoas que ja haviam abracado o Conhecimento com Respeito a Deus.

CAPITULO 37 – PERCORRENDO TRANSLUCIDA

Tivemos entao um intervalo de nossas recordacoes teoricas a respeito da Historia de Translucida. Era tempo de percorrer o planeta, para observarmos os resultados das boas praticas. Iniciamos pelo Nordeste Brasileiro. Lucida era a nossa sincerone.

Comecamos a viagem pelas margens e ilhas do Mar Brasileiro. Muitas praias haviam se formado, ou produzidas artificialmente. Nelas encontramos brasileiros de todas as regioes e pessoas de todo o restante do planeta, passando ferias ou trabalhando. Em todos os lugares que visitavamos, encontravamos muitas pessoas mas o ambiente era calmo e despreocupado.

Sabiamos nao ser epoca da primavera mas o cheiro natural de diversas flores invadia o ambiente. As arvores e arbustos floridos estavam plantados em largas faixas em torno dos cursos d’agua, nos ajardinados em torno das residencias, ruas e nos verdadeiros ajardinados em torno das plantacoes de consumo alimenticio e de outras utilidades.

Insetos eram abundantes. O zumbido das abelhas competia com o estrilhar das aves cantadoras. Muitos animais nativos de pequeno e medio portes pareciam confraternizar-se com as pessoas. Era um verdadeiro Sopro Divino de Vida.

Observamos para Lucida que eles deveriam ter acordado muito mais cedo que o povo da Terra para a conservacao da natureza e ela indagou-nos porque chegaramos a tal conclusao, pois, imaginava que nao sabiamos como tudo comecou em Translucida.

Nao somos especialistas – respondemos – mas conhecemos algumas arvores desses ajardinados e nos parece que muitas delas sao centenarias. Deveriam ter sido conservadas e nao plantadas.

“Voces tem razao quanto a isto. Antes de nos darmos enfase aa protecao da natureja, ja existiam pessoas que tomavam atitudes individuais de faze-lo. Mas a natureza era tao abundante que nao nos chamava a atencao o quanto a humanidade a estava degradando. Foi bem no inicio da instalacao da universidade. Estavamos ainda em fase de estudos das antigas Escrituras.

O nosso grupo de estudos tinha um dia para cada pessoa apresentar um texto que lhe chamara a atencao em suas leituras e que o olhara com um novo prisma ate entao impensado. Foi a vez do Mundo da Lua apresentar o texto dele.

Mundo da Lua era uma pessoa muito especial para mim. Nos o chamavamos assim porque ele andava em constante meditacao. Era como se andasse dormindo e, aas vezes, tinhamos de “acorda”-lo para que ele se ligasse no presente. Mas, ate entao, nao sabiamos que ele sabia da existencia desse apelido.

E naquele dia, ele abriu a Biblia e leu umas passagens que incluiam: “observem como os lirios do campo crescem: eles nao fiam nem tecem. Porem, eu digo a voces que nem mesmo o rei Salomao, em toda sua gloria, jamais se vestiu como um deles.” Lc 12, 27.

Depois que leu, ele sentou-se aa nossa frente e ficou calado, esperando que nos meditassemos algo novo. Alguem entao sugeriu que Jesus teria comparado o homem com os corvos, porque a atividade de cultivar a terra, naquela epoca, era exercida pelo homem e as mulheres aos lirios, por causa da vaidade feminina, e o trabalho de tecer era atividade considerada feminina.

Entao, o Mundo da Lua falou: “Ja pensei nisso tambem mas, se formos por ai, nao atingiremos o ponto que desejo. Se quizerem, depois a gente estuda esse angulo. Mas agora vamos a outro ponto.”

Mas ninguem conseguiu atinar com o tal outro ponto desejado. Entao, ele voltou aa palavra: “Imaginem voces, que nessas minhas idas para a Lua e volta para ca…”

Ninguem aguentou. Todos comecaram a rir porque entendemos que o apelido nao era mais segredo para ele. Ele proprio riu da brincadeira que fizera. Mas, logo em seguida, tomou um ar de seriedade e continuou: “Nessas minhas andancas pelo mundo, eu tenho encontrado muitos corvos que sao uma ave muito resistente e que se adaptou a comer as sobras da depredacao que as pessoas tem causado aa natureza, mas os lirios do campo estao cada vez mais raros de serem vistos.”

Nos ainda nao tinhamos compreendido onde ele queria chegar e tambem nao estavamos totalmente recuperados do acesso de riso que a graca dele provocara. Como eu estava na primeira fila de cadeiras ele aproximou os labios dele bem junto aos meus, dando a impressao a todos que fosse me beijar. Ai entao ele murmurou, como se estivesse soprando em meu nariz, de forma que somente eu ouvisse: “Voce percebeu a seriedade do que eu acabei de falar?!” Imediatamente fiquei como em transe. E o Mundo da Lua fez o mesmo com todos os presentes.

Foi entao que compreendemos que se nao preservassemos a natureza a gente estaria esvaziando o Conhecimento com Respeito a Deus, que Jesus trouxera. Era como se Deus nao estivesse mais Provendo as necessidades das aves do ceu e das plantas da terra. Mas tudo acontecia em consequencia de o ser humano nao estar agindo bem em relacao aa conservacao delas.

Tudo nos havia sido Dado pelo Pai, pois entao, era preciso que agissemos como Ele, produzindo coisas boas e nao destruindo as que ja existiam. Desde entao comecamos a anunciar a relacao entre a preservacao da natureza e o Reino de Deus.

Com isso, outras pessoas passaram a estudar os detalhes da vida, da degradacao e da preservacao do meio ambiente. Acreditamos que tenhamos sido premiados por isso porque, preservando, podemos desfrutar dessa enorme variedade biologica que, de graca, o Pai nos Concedeu.”

E o Mundo da Lua, o que eh feito dele atualmente? Ainda eh um ser vivente em Translucida? – indagamos por curiosidade.

“Eh sim. Mas voces ja o conhecem por fotografias em minha casa. Nao devo falar das qualidades dele como pessoa porque sou suspeita para falar, pois, foi com ele que me casei. No inicio era apenas nos dois, um homem e uma mulher. Uma negra e um branco. Depois vieram as criancas e, com o nosso trabalho de divulgacao pelo mundo, nossa familia teve a oportunidade de conviver com outras culturas, outras racas e familias.

As criancas acabaram se casando com representantes destas outras culturas e racas e a minha familia virou universal, como voces mesmo puderam observar naqueles que estao passando ferias em nossa casa. Mas essa eh outra parte da Historia que voces mesmo podem imaginar. E o Mundo da Lua, meu querido Jorge, esta peregrinando por este mundo de Deus.”

Confirmamos entao que podiamos mesmo imaginar porque tambem eramos fruto da mistura de racas e isto nos era muito agradavel. Indagamos de como a mistura de racas havia sido aceita em Translucida, ao que ela respondeu:

“No inicio foi dificil para as pessoas, pouco afeitas aas Coisas de Deus, entenderem que raca era o fruto do preconceito humano, portanto, nao havia razao para essa denominacao. Nos ainda nao sabiamos o quanto iguais as pessoas humanas sao, mas as pessoas insistiam em enxergar apenas o que estava nas aparencias, do lado de fora.

A principio pensou-se ate que o meu casamento com o Jorge tivesse que ser um exemplo a ser seguido por todos. Entao, tivemos que explicar que os casamentos interraciais nao eram obrigacao, ou seja, nao eram pre-requisito para entrar no Ceu, porem, a aceitacao da decisao de quem se misturasse era. Muita gente se tranquilizou pensando assim: “O casamento interracial eh bom para os outros mas nao para mim, pois, nao hei de querer que a minha descendencia venha a ter a cor negra ou a aparencia de oriental.”

Da mesma forma, existiam negros que ficavam reticentes em que viessem a ter descendentes brancos e/ou orientais. Eles nao queriam dar origem a orientais e europeus. Alguns asiaticos tinham o mesmo e ate preconceito maior contra as outras racas.

Foi entao que a universidade interferiu com mais vigor de argumentacao, produzindo um documento que dizia algo assim: “Aos cristaos e judeus que ate ao momento creem que Adao era um homem apenas e Eva uma mulher apenas e estao preocupados com que aparencia terao seus descendentes. O mesmo servindo para as demais pessoas cujas religioes dao explicacoes semelhantes ou os que creem na evolucao das especies que tambem admitem ter o ser humano atual surgido de um pequeno grupo de individuos.

Chamamos a atencao de todos para a multiplicidade de aparencias que toda a populacao do mundo apresenta agora. Ora, todos concordamos que o grupo original de individuos era reduzido, de uma unica raca e de aparencia semelhante e que deu origem aa diversidade, independentemente da vontade do grupo inicial.

Concluimos que o mesmo acontecera conosco, caso venhamos a ter descendentes durante indefinidas geracoes. Pois, assim acontecera. Querendo nos ou nao. Cuidemos entao de transmitir aos nossos descendentes apenas os nossos bons principios. Pois, sao eles que conduzirao a nossa descendencia ao Reencontro com Deus e nao a nossa aparencia.”

Indagamos entao de Lucida se isso havia sido o suficiente para que o preconceito racial desaparecesse, ao que ela respondeu:

“Nao. Aquela geracao antiga era muito cabeca dura e insistia em permanecer no erro mas os jovens assimilaram melhor o indiscutivel. Grande parte aceitou nao apenas como indicacao mas tambem como pratica aos casamentos interraciais.

Mas nos nunca deixamos de dar enfase ao fato de que em primeiro lugar era o amor que importava. Aconselhavamos que os casamentos somente acontecessem, tanto entre os semelhantes quanto os de racas diferentes, em funcao da existencia do amor perfeito entre os noivos. Com a pratica, pessoas que antes eram preconceituosas puderam conhecer descendentes delas, oriundas da mistura de racas. Diante do fato consumado, muitos acabaram confessando que estavam errados antes, que apos acompanharem o crescimento da descendencia desde a infancia, constataram que o que sentiam era puro preconceito e que o amor por ela nao seria maior caso nao fossem mistura de racas e culturas.

E isso eu propria posso garantir, mesmo nunca tendo sido preconceituosa, – concluiu Lucida – sei gostar dos meus chinesinhos, meus alemaezinhos, meus africaninhos e brasileirinhos! Quica, em breve, conhecerei mais misturas em minha descendencia.

Era maravilhoso poder constatar tudo o que Lucida falava nas faces felizes de todos os habitantes de Translucida que encontravamos. E a nossa viagem pelo Nordeste brasileiro continuou.

CAPITULO 038 – AJUDA MUTUA ENTRE NACOES

Nos estavamos cada vez deliciando mais daquela viagem. Locais que na Terra eram o retrato da miseria, do servilismo e da escravidao de toda especie eram o reverso em Translucida. Lugares que na Terra representavam solidao, em Translucida eram solidariedade. Onde eram preconceito, estavam transformados em confraternizacao. Onde, em uma, so se via erro, noutra, encarnava santidade.

E foi no meio do Sertao que fomos surpreendidos por uma quase miragem europeia. Ao ver aquilo, ficamos curiosos porque era maravilhoso e ao mesmo tempo inacreditavel para os terrestres. Mas as palavras da nossa sincerone acabaram com a sensacao de misterio.

“Voces foram trazidos ate aqui porque este eh um lugar historico que nos nasceu apos o pacifismo ter se tornado uma forca mundial, com varios governos conquistados no planeta. Naquele tempo, veio-nos uma solicitacao do governo alemao, o que era novidade. Eh que os governos pacifistas se reuniram e haviam decidido que o transito de seus cidadaos teria que ser livre dentro desses paises, tanto para turismo quanto para residencia e trabalho.

Assim que o tratado foi assinado, alguns milhares de alemaes manifestaram a vontade de residir em paises onde as variacoes de temperatura nao fossem tao extremas. Nao desejavam residir em terras que, no inverno, ficavam atolados em neve e, no verao, assados como linguica. Nao se importavam que fossem em um local quente o ano inteiro. Mas desejavam conservar suas culturas e cidadanias alemas.

A solicitacao original dos alemaes era a compra de terras no sul do Brasil, onde ja existiam outras colonias germanicas estabelecidas, porem, estes que vieram antes ja haviam adquirido a cidadania brasileira e dispensado a alema.

A principio, a solicitacao foi recusada pelo governo brasileiro porque muitas pessoas viram nisso uma interferencia em nossa soberania nacional. Mas, nos da universidade, percebemos que havia algo de justo na reinvindicacao da populacao alema, porem, o projeto continha erros que justificavam o temor de brasileiros.

Entao, mediamos uma solucao. Ora, dissemos: “Muitas multinacionais veem e implantam suas fabricas no solo brasileiro e recebem isencoes para que isso aconteca. Ganhando, inclusive, terrenos e infraestruturas gratuitos para se instalarem. Com a construcao do Mar Brasileiro, todo o Nordeste tornou-se um grande produtor de frutas, inclusive uva.

A producao eh tamanha que estavamos tendo dificuldade em consumi-la. Os produtores de vinhos nacionais, incluidos ai os descendentes de alemaes, nao estao dando conta de consumir toda a colheita. A uva produzida no Nordeste tem qualidade para produzir vinhos excelentes.

Assim, sugerimos aas industrias alemas de aproveitamento destas e outras frutas que se instalassem no Nordeste Brasileiro para que empregassem as pessoas desejosas de morar no pais, sob condicoes intermediarias, ou seja, poderiam conservar seus costumes, sua lingua e cidadania desde que: tambem aprendessem a lingua local, aceitassem a cidadania brasileira e se submetessem ao codigo brasileiro de leis. As propriedades nao seriam um enclave alemao no Brasil. Elas teriam que respeitar as necessidades da populacao local.

Nossa sugestao foi aceita como justa mas nos estavamos um tanto quanto apreensivos porque ja fora uma grande luta convencer aos norte-mineiros e sul-bahianos que a construcao do Mar Brasileiro era necessaria para o bem dos proprios brasileiros, imaginem, agora essa obra iria beneficiar tambem a estrangeiros! E nossos receios encontraram fundamentos no inicio.

Tanto do lado alemao quanto do brasileiro houve um certo preconceito inicial. Mas, como preveniramos, nao aceitamos separacoes nas escolas. As criancas foram postas a conviver em igualdade de condicoes. Conciliamos os pontos positivos do curriculum alemao e os do brasileiro. As duas comunidades estudaram as duas linguas e passaram a conviver com ambas as culturas.

O desempenho de ambas comunidades se mostrou identico. O que comprovou que um medo inicial de que os alemaes fossem ter desempenho melhor por causa de sua origem industrializada e economica mais desenvolvida nao passara de puro preconceito. Hoje, ja estamos na quarta geracao nascida no Brasil dessa prospera e feliz comunidade.”

E, realmente, era para nos admiravel ver os descendentes que ainda restavam como puro alemaes falando portugues com sotaque nordestino e nordestinos falando um perfeito alemao. Nao havia mais preconceito e todos estavam perfeitamente irmanados.

“Esta foi apenas a comunidade experimental. – prosseguiu Lucida – Depois dela implantaram-se diversas outras, de nacionalidades diversas e em muitos paises ao redor do mundo. O processo se repetiu nos paises africanos, depois das transposicoes das aguas do Nilo, Amazonas e outros rios.”

Esta apresentacao inicial passou-se pela manha e, com o aproximar do meio-dia, observamos que todas as pessoas se dirigiam para suas casas ou iam dedicar-se a lazeres ao abrigo do sol. Notamos aquele comportamento diferente e indagamos uma explicacao a Lucida.

“Ah filhos! – exclamou – Isso eh uma opcao do povo daqui. Antigamente, falava-se que os indios eram preguicosos porque no meio do dia iam para suas ocas repousar ou abrigar-se do sol. Mas, hoje, todos sabem que eh falta de inteligencia trabalhar sob este sol escaldante, alem de envolver o risco de cancer.

Para quem trabalha em locais fechados e com ar condicionado, tudo bem trabalhar neste horario, mas, para o povo do campo, eh uma tortura. Hoje trabalha-se aqui em dois turnos. Tem a turma que inicia pela madrugada e vai ate o presente horario. Outra turma trabalha aa tarde, quando os raios ultravioletas ja nao causam tanto mal. Exceto por motivos excepcionais, ninguem em Translucida precisa trabalhar mais que um expediente.

O resto do tempo, voces sabem, usamos para lazer, confraternizacao em familia, cultos, educacao, meditacao etc. Aqui nao se tem pressa das coisas nao. A vida eh bela para aqueles que a sabem viver.

Em dias muito nublados, em vespera de plantio ou epoca de colheita, aas vezes, arrisca-se a trabalhar um pouco mais. A gente confia que o Pai nos favorecera sempre que precisarmos Dele mas fazemos de tudo para nao incomoda-Lo no Santo Descanso Dele.”

CAPITULO 039 – EMPREGO DOS DONS EM TRANSLUCIDA

Foi entao que nos lembramos que nao viramos nuvem alguma quando chegaramos a Translucida e, no momento, la estavam elas, como carneirinhos brincando em um imenso relvado. E Lucida explicou-nos que nao viramos as nuvens antes porque era-nos mostrado o que deveriamos ver e nao tudo o que existia, para que nao nos encantassemos demais com todas as belezas de Translucida e nos distraissemos de aprender o que realmente precisavamos.

Surgiu-nos entao uma duvida, por que aquele povo de conhecimento tao avancado, em relacao ao nosso, simplesmente nao construia maquinas para fazer todo o restante do trabalho que ainda nao era mecanizado?

Lucida disse-nos: “Nao desejamos perder esta nossa ligacao com a nossa natureza. Se nada fizermos, nos transformaremos em parasitas da terra. O trabalho mantem os nossos sentidos alertas e revela os nossos dons.”

Outra duvida que tinhamos era o de como a populacao em Translucida nao se acomodava porque, na Terra, tudo eh competicao, uns tem mais que os outros e existe a ilusao de que, tendo-se uma grande ideia, qualquer um pode ir ao topo da escala social, enquanto em Translucida qualquer um pode ter grandes ideias, mas como as ideias sao partilhadas com todos, ninguem fica acima de ninguem, ninguem fica abaixo de ninguem. Porem, observamos, a media social da populacao de Translucida estava muito acima da media social da populacao na Terra.

“Isso se explica facilmente, meus filhos. – esclarecia Lucida – Aqui em Translucida nos buscamos a revelacao dos nossos dons. Trabalhamos com nossos dons e sempre buscamos aperfeicoa-los. Quando conseguimos atingir patamares mais elevados de nossos dons, nos nos satisfazemos.

Sabemos que nossos dons veem de Deus e a producao com eles conseguida, a nossa recompensa. Nao competimos uns com os outros porque nao eh justo um que possua mais competir com outro que possua menos. Para que voces possam levar uma comparacao atraves da qual os terrestres possam compreender, competicao entre pessoas eh o mesmo que colocar um caminhao para disputar velocidade com um carro de passeio ou disputar capacidade de levar carga entre os dois.

Cada um tem a sua natureza e competir nao eh a solucao. Em resumo, nos nao nos acomodamos nesse paraiso que eh Translucida porque nos somos imensamente agradecidos ao Pai pelos dons que possuimos.”

E continuamos percorrendo todo o Nordeste Brasileiro, visitando as muitas colonias de diversos povos no Brasil. E tudo o que se via era semelhante em amor e irmandade. O mesmo se viu no restante do territorio que corresponde, na Terra, ao pais chamado Brasil.

Quando tomamos o veiculo para nosso translado aas outras partes do pais, pudemos observar um detalhe tecnico que nos passara despercebido ate entao. A represa do Mar Brasileiro fora construida em curva, com esta voltada para o interior do Mar. Isso fazia com que a vazante parecesse uma imensa bacia.

Dentro dela, cidades e propriedades agricolas compartilhavam espaco com reservas conservacionistas. Do alto, parecia estarmos vendo nao um mapa mas a maquete daquela imensa obra.

Lucida explicou-nos que a curva teria sido uma medida de seguranca para que a barragem nao se rompesse. Tambem falou-nos que dentro dos condutos que transportavam as aguas para os reservatorios menores, haviam sido postos geradores de energia eletrica.

Notamos tambem que o territorio era coberto por linhas que davam a impressao de um imenso quadriculado. Deduzimos logo que este quadriculado era formado por estradas de ferro que seguiam nos sentidos nortesul e lesteoeste. Em cada cruzamento, um trevo.

Lucida deu-nos breves explicacoes a respeito desse xadrez ferroviario. As linhas ficavam distantes uma da outra cerca de trezentos e vinte quilometros. Todo o transporte de carga e grande parte do transporte de passageiros a longa distancia eh feito naquele sistema. A relativa pequena distancia entre uma linha e outra eh para que os transportadores em caminhoes nao precisassem fazer longas viagens, se afastando demais de seus proprios lares.

Assim, a producao de dentro de cada quadrado eh transportada ate aos depositos ao longo das linhas, onde eh estocada. Aa medida que se necessita desta producao, em qualquer ponto do pais ou do mundo, ela eh escoada atraves das linhas ferreas aos destinos interno do continente ou para os portos maritimos, para o destino externo. Quando a producao eh alimento perecivel, os caminhoes embarcam-na diretamente nos trens.

Os trevos sao para que os trens possam mudar sua direcao em caso de necessidade. Lucida deu enfase ao fato daquele transporte estar sendo feito daquela maneira para que a qualidade de vida das pessoas responsaveis pelo transporte de mercadorias no planeta nao fosse deteriorada. Os motoristas de caminhoes nunca precisam ficar longo tempo fora de casa e os ferroviarios viajam apenas de uma estacao aa outra. Em cada estacao sao substituidos por outra turma e retornam aa sua origem no trem seguinte. Como o trafego eh intenso, tambem estes nao permanecem muito tempo distantes do lar.

Observamos entao aa Lucida que, do ponto de onde estavamos, aquele sistema nos parecia um imenso ferrorama. Ela riu-se, abracou-nos carinhosamente falando: “a ideia eh exatamente esta.” E acrescentou: “Muitas sao as vezes que a gente vem aqui para cima e fica observando como se estivessemos brincando.”

Quando ultrapassamos o que deveriam ser as fronteiras com os outros paises sulamericanos, sentimos mudancas apenas em alguns costumes e na lingua principal de cada local. Toda a America do Sul eh um paraiso de confraternizacao, amor e conservacao da natureza.

Esta conservacao eh constatada no encontro de muitos rios com os mares, que visitamos. As aguas sao sempre transparentes e riquissimas em vida, o que indica a ausencia de poluicao. Indagamos e nos foi respondido que praticamente um quinto da populacao de Translucida reside naquele continente.

E, residir, eh uma questao de referencia em Translucida porque as pessoas passam uma metade de suas vidas em outras regioes que nao as de seu nascimento. Todos convivem com todas as culturas e costumes porque todos sabem que culturas e costumes diferentes nao podem ser razao de nenhuma forma de preconceito.

Encerramos essa nossa primeira visita ao continente e partimos para a Africa.

CAPITULO 040 – UM OUTRO LADO DE TRANSLUCIDA

A Africa eh como a repeticao do Nordeste Brasileiro em termos de producao, conservacao da natureza e amor. Tempestades de areia nao mais varrem o Saara. Os ventos fortes sao contidos por quebra-ventos. Mesmo com a transposicao dos rios Amazonas e Nilo a agua nao eh tao abundante mas eh suficiente para suprir todas as necessidades da populacao local.

O clima nao nos pareceu tao inclemente quanto na Terra. Fazia calor e a sensacao de calor era aumentada pela umidade mas haviam ventos e as sombras das arvores quebra-ventos amenizavam essa sensacao. A presenca de variedades frutiferas em meio aos quebra-ventos multiplicam a variedade de animais silvestres que habitam o local. Muitos dos animais que estao raros na Terra, em Translucida sao abundantes. Em sintese, ali se encontra mais um campo para Deus.

As colonias de diferentes paises se repetem na Africa. As fronteiras tambem haviam caido. Os preconceitos raciais haviam desaparecido. Ninguem mais sabia dizer ao certo o que eh um zulu ou um tutsi, senao os historiadores e as demais pessoas que tem a curiosidade em estudar o passado.

As doencas tanto endemicas quanto epidemicas sao um passado considerado remoto entre aqueles povos levados aa miseria na Terra. Isso nao se verifica apenas na Africa mas tambem nas Americas e Oriente. Ali, as misturas de racas nao sao fator de preconceito nem motivo para soberba. Mesmo que nas faces note-se diferencas nao se veem distincoes entre pessoas.

O que uma pessoa vale, tambem vale a outra. O que uma possui, tambem a outra possui. Os dons de cada um sao exercidos em beneficio de todos. Os que possuem menos o fazem por opcao pessoal. Um sacrificio livre e expontaneo daqueles que acreditam que, assim, melhor estao servindo ao Pai.

Tambem outro quinto da populacao humana habita este continente.

Pais de todos nos, nao temos interrompido seu discurso porque sabemos que veem atendendo nossas curiosidades. Mas estamos ansiosos para que nos respondam de como foi a visita aa Terra Santa.

Em primeiro lugar, queridos filhos, eh preciso que voces definam melhor o que as palavras Terra e Santa traduzem para voces.

Ora, queridos pais, cremos que quando mencionamos este termo, todos sabemos que estamos nos referindo aa Palestina e Israel.

Isso, filhos, quando voces estao pensando como cristaos apenas ou como judeus. Os translucidianos tem um conceito totalmente diferente a respeito deste termo.

Como assim?

Em primeiro lugar, eles nao creem que exista Terra Santa em lugar algum. A Terra nao pode ser santa porque nao tem vontade propria. Santidade e santificacao somente podem existir quando ha uma renuncia ao pecado, quando eh feita uma opcao entre o bem e o mal. A Terra nao faz opcao, portanto, nao existe Terra Santa.

Para que voces tenham uma amostra da generosidade da opcao translucidiana, eles consideram todo o planeta em igualdade de consagracao. Nao existem locais mais proprios nem menos proprios para prestar culto a Deus. Afinal, todo o planeta eh uma heranca do Pai para todos. Por isso, eles cuidam igualmente de cada centimetro quadrado de chao tao bem.

Ora, se tudo no universo tem origem nos Poderes do Pai, cuidarmos bem de cada coisa do universo eh o mesmo que cuidarmos do Pai. Se cuidamos apenas de alguns lugares em detrimento de outros, eh o mesmo que pensarmos que, em parte, o Pai merece a nossa atencao e, em parte, nao merece.

E, claro, em Translucida acredita-se que o Pai Deseja ser cuidado como Um Todo e nao, em parte. Por isso, o termo Terra Santa nao tem significado algum por la, a nao ser como um conceito de um passado remoto.

Antes de responde-los, caros filhos, eh preciso deixar bem claro que o Pai nao fez escolhidos para Si, da mesma forma que nao escolheu parte do universo. Eh importante saber que nao existem povos escolhidos que irao servir ao Pai. Deus Eh A Fonte de todas as vidas e se dissermos que Ele escolheu algumas eh o mesmo que insinuar que o Pai nos Deu vida a uns para sermos bons e a outros para o pecado.

Deus nos Fez para que todos praticassemos o bem, assim como Ele Pratica. E tambem teve a Misericordia de dar-nos o poder de escolhermos a praticar o bem ou o mal, segundo a nossa vontade. Lembrem-se, Ele nao ditou que fizessemos o bem. Apenas disse que, praticando apenas o bem, mereceriamos nossa recompensa. Por outro lado, praticando o mal, teriamos que suportar as consequencias que este mal nos causaria.

Eh preciso saber que muitos praticam as coisas que nao sao boas por causa da ma orientacao de lideres ruins, falsos ideiais, falsas tradicoes, pontos religiosos falsos e por razoes cujo objetivo nao seja praticar o bem. Nunca pensem que as pessoas sao mas porque desejam ser mas, sem levar em conta o meio em que formaram suas personalidades.

O meio em que as pessoas vivem eh a maior fonte do mal praticado por elas. Por isso, procurem mudar o ambiente, a educacao, a cultura e as tradicoes de forma a que estas coisas as conduzam ao caminho correto. No caminho correto todos os dons se manifestarao e quem for conduzido ao caminho, em funcao do amor, com amor ira retribuir.

Quem nao conseguir retribuir amor com amor nao sera por ser mal mas sim por estar doente. E eh para esses que medicos sao enviados por Deus. Estejam certos disso, filhos queridos, o mundo atual na Terra esta muito abaixo da linha estabelecida por Deus para a nossa salvacao porque muitos destes medicos se julgam salvos e acreditam ser escolhidos.

Eh por falta de amor ao proximo que eles julgam que existem pecadores incorrigiveis e ja condenados. E eh por causa destas exclusoes que o mundo tem caido, ao inves de se elevar. Nao confiem mais no que ja foi dito se o que foi dito nao levar aa salvacao de todos. Maus ou menos maus.

Esclarecidas estas coisas, filhos queridos, partamos entao para definir o que na Terra ainda chamamos erroneamente de Terras Santas. Segundo o que nos foi mostrado em Translucida, eles tomam como ponto de partida para a definicao deles, algumas passagens biblicas, para aquelas religioes que acreditavam apenas naquelas Escrituras, dentre as quais citamos:

“Entao Jesus olhou para as pessoas que estavam sentadas ao seu redor e disse: “Aqui estao minha mae e meus irmaos. Quem faz a vontade de Deus, esse eh meu irmao, minha irma e minha mae.” Mc 3, 34-35

Tambem, apenas citamos a Parabola do Bom Samaritano (Lc 10, 25-37) que define muito bem o significado da palavra: proximo, no sentido de pessoa unida a nos. Fica bem entendido que proximo eh aquele que eh servido por nos ou que nos socorre nos momentos de dificuldades, sem preconceito algum.

Jesus fez-nos entender que, apesar do preconceito que afastava samaritanos e judeus, em particular o preconceito que os judeus sentiam contra os samaritanos, em funcao de seus fundamentos religiosos, se as comunidades passassem a servir uma aa outra, ao inves de competirem entre si, elas aprenderiam o que a palavra proximo define no Dicionario Celeste. E, sem a pratica de toda definicao do Vocabulario Celeste, o ser humano nao pode reunir-se com Deus.

Tomando tais coisas como principios, os translucidianos concluiram que a definicao de Terra Consagrada, que erroneamente ainda chamamos de Terra Santa, eh aquela onde vivem aqueles que servem a Deus e ao proximo, no sentido universal da palavra. Por isso, nao adianta os crentes na Biblia falarem que a Palestina seja terra consagrada a Deus; os crentes no Corao falarem que Medina e Meca sao santas perante Ele; ou os budistas falarem o mesmo em relacao ao Gangis e tambem outras religioes falarem a respeito de seus lugares considerados sagrados, se os seres humanos nao estiverem servindo a A Vontade de Deus e aas necessidades dos proximos nesses lugares.

Em todo lugar em Translucida isso eh feito, por isto, todo o planeta esta consagrado ao Pai. E, pela abundancia de bons frutos que la encontramos, pudemos concluir que o Pai Aceitou toda oferta partida daquele povo.

Definido isso, pudemos entao entrar naquele territorio que, aqui na Terra, esta dividido entre palestinos e israelenses. Quando la estivemos, nao fomos para uma visita turistica, embora pudessemos notar que o lugar fora modelado tambem com esta finalidade. Na realidade, haviamos sido convidados para uma convencao que reuniu milhares de pessoas em um estadio. Estas pessoas vinham de todos os paises da circunvizinhanca e representavam, na Terra, o que chamamos de conflito judeu/muculmano. As televisoes transmitiam ao vivo tudo o que aconteceria nessa reuniao.

Antes de irmos para la, Lucida contara-nos toda a Historia ocorrida em Translucida, desde a separacao entre a nossa e a Historia translucidiana. Contou-nos que os judeus que haviam sido dispersos pelo mundo, na epoca do Imperio Romano, sentiram vontade de voltar aas terras que, um dia, foram de seus ancestrais e que estavam ocupadas por povos que tambem estavam ligados a aquelas terras por suas antigas tradicoes e ascendencia. O que, alias, essa ascendencia eh a mesma para todos.

Quando o Conhecimento com Respeito a Deus fez melhorar o relacionamento entre os povos, a reinvindicacao veio aa tona, com bastante forca. Muitos judeus ja haviam comprado propriedades na regiao e residiam em comum com palestinos. O assunto fora levado aa Comunidade de Nacoes e ela votou favoravelmente aa reinvindicacao dos judeus, porem, estabeleceu que a decisao final teria que ser dada pelos moradores locais, se aceitariam ou nao o compartilhamento de seu territorio.

A a primeira vista a realizacao desta pretensao pareceu impossivel porque os povos nao estavam acostumados a partilhar seus territorios. O nacionalismo irracional, implantado desde epocas remotas, nao aceitava os argumentos da razao e do Direito Divino de que todos possuimos o planeta e que as fronteiras estavam apenas nas mentes humanas e nao nos Planos do Pai.

Mas, com o sucesso das colonias de outros paises em territorios como os vistos no Brasil e Africa, amoleceram-se os coracoes dos povos residentes na Palestina. Atraves de muitas consultas e planejamento conseguiu-se construir uma comunidade que era ocupada por duas nacoes, simultaneamente. Resolveu-se que nao haveriam fronteiras entre os dois povos.

O territorio era apenas um mas as duas nacoes deveriam compartilha-lo em toda sua integra. Tudo comecou quando a universidade lancou o argumento para os palestinos desta forma: “E se fosse o contrario, que os palestinos houvessem sido dispersos pelo mundo e os israelenses estivessem ocupando o territorio, qual a resposta que os palestinos esperariam receber dos israelenses? Pelas Recomendacoes de Deus, nao era o mesmo que os palestinos deveriam fazer pelos israelenses naquela situacao real?”

Fazer ao proximo aquilo que voce gostaria que o proximo fizesse por voce. Este era o nervo central da questao. Com um pouco de relutancia o povo palestino daquele tempo aceitou a proposta, embora, houvesse alguem que indagou: “E se fosse o contrario, os israelenses fariam por nos o que estamos comecando a fazer por eles?” Por causa de muitos crerem que nao, por pouco o projeto nao fora por agua abaixo.

Mas um membro da propria comunidade palestina refutou esta alegacao dizendo: “Nao nos cabe agir mal porque supomos que eles agiriam mal em relacao a nos. Pode ser que, se fosse o contrario, os israelenses nunca nos deixassem coabitar esta terra mas, neste caso, o mal seriam eles e nao nos. Portanto, se pensamos que agir assim eh agir mal, temos que agir diferente, porque nao queremos ser conhecidos como maus.”

Assim, o povo palestino permitiu o projeto pioneiro e hoje eh recompensado pelos frutos da paz e prosperidade. A comunidade acabou se transformando em uma so aa medida que as religioes se desligaram de suas tradicoes por tradicao e passaram a se orientar segundo a A Vontade do Pai. E, com a universalizacao da aceitacao da Vontade do Pai, agora ja nao se fala mais em raca naquela unidade da confederacao translucidiana.

CAPITULO 041 – E ASSIM NOS FALAMOS

Entao, veio a vez de falarmos. Contamos como se passou a criacao dos Estados de Israel e Palestina. Das lutas e acoes terroristas de ambos os lados antes disso. Dos estratagemas usados para que a ONU aceitasse a imposicao da divisao entre os povos.

Quando isso foi narrado, chamou-nos a atencao o pranto de uma senhora que exclamou: “Como eles puderam cometer o mesmo erro novamente!?”

Porem, essas foram apenas as primicias das dores que aqueles povos sofreriam. Quando narramos a perseguicao e exterminio nas camaras de gas nazistas, nao houve vivalma que contivesse as lagrimas por completo. A partir dai, ficamos receosos de que o que ainda haviamos para revelar pudesse causar problemas de saude ou revoltas que levassem a conflitos tambem em Translucida. Porem, Lucida e os outros lideres disseram que eles precisavam saber toda a verdade, porque isso faria parte do crescimento espiritual deles.

Assim, continuamos a descrever todas as guerras que houveram entre aqueles povos, todas as barbaridades, a militarizacao da regiao, com armas cada vez mais mortiferas e o risco de envolvimento em uma catastrofe a nivel mundial. Todos nos, representantes de todas as nacoes da Terra, estavamos engasgados com tamanho choro que nossas revelacoes provocaram. Nos mesmos nao contivemos nossas lagrimas e muitas vezes os solucos nos impediam de pronunciar as palavras fluentemente.

Quando as questoes surgiram, respondemos que a violencia dos conflitos e a potencia destrutiva das armas utilizadas nos conflitos haviam gradativamente aumentado ao longo da Historia humana na Terra e, talvez, por essa razao, isso tenha tornado o terrestre mais insensivel ao barbarismo das guerras.

Portanto, na Terra, aceita-se passivamente estas demonstracoes da torpeza humana. Acreditavamos tambem que as fronteiras nas mentes dos terrestres faz com que as pessoas nao se importem com os conflitos, quando eles nao atingem o interior de suas fronteiras. Concluimos que, na Terra, o ser humano esquece-se de sua filiacao Divina e encara os povos diferentes como estranhos, como se houvessem deuses separados que geraram cada povo. E nao existe sequer um povo que sirva de exemplo para os outros.

Apos a convencao, os relatos do choro dominavam o noticiario em todo o planeta. Ninguem queria acreditar que houvessem povos tao barbaros como os que habitam a Terra. Menos queriam crer ainda que o que falaramos nao era tudo.

Relatamos entao que o exterminio de judeus, ciganos e outros, planejado pelos nazistas, fora contido mas que varios povos menos conhecidos ja haviam sido extintos, tanto nas Americas quanto na Africa e que muitos outros estavam nesse caminho, devido aas “acoes civilizatorias”, dos mesmos povos que defenderam a judeus, ciganos e outros da acao nazistas.

Citamos que os proprios sionistas tentaram, por longos anos, destruir a identidade palestina, impedindo o estabelecimento do Estado Palestino que fora criado no mesmo ato em que fora criado o Estado de Israel. Dissemos que isso era como um autoreconhecimento da propria inexistencia porque um Estado que nao reconhece a existencia do seu semelhante nao tem moral para interferir com a existencia de outros.

Demonstramos enfim que o ser humano na Terra esta sendo movido apenas pelos interesses economicos. Transforma todos os dons em dinheiro para si proprio e esquece-se do principal que eh o Dono da Maior de Todas as Fortunas.

Passaram-se alguns dias de meditacao e os povos de Translucida concluiram suas impressoes a respeito do ser terrestre. Foi Lucida quem resumiu para nos.

“Concluimos que a visita de todos voces a Translucida, com todas estas revelacoes, era a prova que nos faltava para decidirmos se queremos ou nao reencontrarmo-nos com Deus. O Pai nao exigiu de nos isso. Fomos nos mesmos que acreditavamos que uma prova deste genero nos daria mais confianca em nos mesmos.

Assim, concluimos que, mesmo que os nossos similares na Terra tenham cometido os pecados que cometeram, nos nao podemos deixar que o odio deles contamine as nossas acoes. Vamos, de agora em diante, incluir em nossos cultos oracoes pedindo para que todos os povos na Terra se unam, assim como somos unidos.

Que esquecam seus passados de barbarismos e acordem para a purificacao e a santificacao. Os povos da Palestina farao preces especiais para que o Pai Nosso, que Esta no Ceu, Perdoe a todos aqueles que cometeram tamanha atrocidade contra seus similares terrestres. Eles esperam que os similares deles na Terra facam o mesmo porque, eh preciso que eles perdoem a aqueles que lhes fizeram tanto mal, para que todos possam voltar a A Casa do Pai.

O perdao eh tao importante para quem o da quanto para quem o recebe, porque eh assim que se inicia a remocao das consequencias do pecado.

Eles ja haviam, por habito, incluido em suas oracoes os pedidos de perdao para Moises, Josue, David e outros ancestrais deles e, agora, ancestrais da maioria de nos em Translucida, por terem pretendido levar o genocidio aos povos palestinos mais antigos que os israelitas. Concluiram ser necessario incluir em suas preces as ultimas geracoes de humanos na Terra que trabalharam para sabotar o Estado Palestino.

Consideramos a opcao feita por eles de construir apenas um Estado a melhor mas, todavia, aceitavam como gradativa melhoria a implantacao de dois Estados para que, em futuro proximo, tambem os similares deles da Terra pudessem gozar da mesma paz que eles, ou seja, a verdadeira paz, aquela paz em que irmaos excluem qualquer artificio de guerra ou estratagemas enganadores para levar vantagem sobre os outros. Pensam que a verdadeira paz tem um real exemplo de possibilidade em Translucida.”

Nao nos cansavamos de admirar aquela sintonia que existe entre os dois povos que ocupam o mesmo territorio em Translucida. As diferencas entre um povo e outro estao apenas nas tradicoes mas estas diferencas, por maior que sejam, nao sao o suficiente para desmembrar aquele corpo, agora unico. A propria ideia de separacao, como acontece na Terra, era de dar nausea naqueles povos. Casados estao, e unidos pela Bondade do Pai, os filhos destas nacoes sao felizes netos de ambos os lados.

CAPITULO 042 – O COPIOSO CHORO SEM O RANGER DE DENTES

Deixamos a Palestina e fomos levados para a regiao que corresponde, na Terra, aas fronteiras de Ira, Iraque e Turquia. Ali encontramos um Estado Novo, cujo povo dominante eh o curdo. Quando falamos em dominancia nao nos referimos aa imposicao politica porque todo habitante de Translucida tem direito igual em qualquer ponto do planeta em que estiver vivendo.

Assim, naquela unidade confederativa tambem encontramos pessoas oriundas de todos os demais pontos da Terra que ali estavam por relacoes familiares com o povo curdo ou por contatos temporarios culturais e educativos. E estas pessoas representavam parte significativa da populacao. Como em todo o restante do planeta isto eh verificado.

A dominancia aa qual nos referiamos eram aos tracos fisicos, costumes e culturais curdos. Todo o povo eh autonomo. Nao ha fronteiras ou barreiras economicas entre os povos de Translucida. Pelo contrario. Dominam o amor e a prosperidade.

Outra convencao nos esperava. O choro e a dor se repetiram apos nossas revelacoes. Eles nao compreendiam como o ser humano da Terra nao entendia o direito inalienavel de os filhos de Deus poderem ocupar seus espacos na Terra, sem conflitos entre povos vizinhos. Tambem ali a tristeza e a dor foram transformadas em preces para que os barbarismos da Terra terminassem.

E a revelacao da verdade, que temiamos poder levar a conflitos a Translucida, estreitava mais os lacos de amizade entre os povos de la porque, em Translucida, um dos principios do ideario popular eh o de solucionar os problemas por meios pacifistas. Quando revelavamos que os povos da Terra estavam em conflito, os similares translucidianos corriam a se abracar e a se consolar. Acreditavam que assim nao deixavam duvida quanto aas suas disposicoes em nao cairem na irracionalidade dos conflitos.

Dali fomos visitar as regioes dos Balcas e todas as cenas que vivenciaramos nas visitas anteriores se repetiram. O mesmo aconteceu na Biscaia e Espanha e nas Irlandas e Inglaterra.

Ha que se abrir aqui um parenteses para o fato de nao termos tido a oportunidade de visitar as Malvinas translucidianas cuja administracao estava com o povo argentino. Estas ilhas, motivo de disputa entre Argentina e Inglaterra, na Terra, passaram aa administracao do povo mais proximo por questao ate mesmo de racionalidade ja que as riquezas nelas contidas nao pertenciam a nenhum dos povos em particular. Mas sim faziam parte da Heranca que o Pai Deixara a todos.

Estas eram retiradas e enviadas aos povos, segundo aas necessidades de cada um e nao segundo a interesses economicos de uns ou outros. Nao ha entre aqueles povos o orgulho de possuir a Terra como resultado da imposicao de suas forcas. O povo argentino administra as ilhas devido aa sua proximidade com o territorio e nao faz isso com um sentido de dominancia e dominador. Tudo eh pura racionalidade.

E todos os povos choraram aas nossas revelacoes dos conflitos entre os povos na Terra. Choraram mais ainda quando constataram a futilidade das razoes que levavam aos conflitos.

Viajamos da Europa para a America do Norte e la encontramos algo novo em se comparando com a realidade terrena. Haviam mais unidades confederadas. Existiam o Canada Frances e o Ingles. O Sul dos Estados Unidos eh considerado uma unidade confederativa em separado tambem. O dominio eh latino americano.

Eh um pouco dificil para os povos da Terra compreenderem estas coisas porque estas divisoes sao apenas administrativas. Economicamente nao existem diferencas em toda Translucida. As relacoes entre os povos nao envolvem dinheiro. Envolvem necessidades e servicos. Todas as necessidades sao providas e todos se prestam ao servico de atender aas necessidades dos outros. Olhando-se sob um prisma terrestre, concluiriamos que todo o continente formaria um unico pais, alias, todo o planeta eh um unico pais.

Ali tambem se chorou todas as guerras vividas pelos povos na Terra. Deplorou-se muito a participacao dos similares terrestres nos genocidios dos nativos daquele e de outros continentes. Muita tristeza e lagrimas decantavam da revelacao que, na Terra, o bezerro de ouro eh adorado no Lugar que Pertence ao Pai. E, por causa disso, os temores em relacao aos povos da Terra levaram a uma maior intensidade de oracoes.

Dali, partimos para o Japao, onde revelamos os conflitos, dando sobretudo enfase aa II Guerra Mundial, aa Guerra Sino-Japonesa, aas invasoes de paises vizinhos e aas explosoes das bombas em Hiroshima e Nagasaki. Ninguem na Terra imagina a transfiguracao das faces daquele povo ao ouvir tais coisas. Um povo normalmente alegre e jovial se transformou na traducao da dor e tristeza. As lagrimas foram copiosas e o pranto verdadeiro.

Era como se a inocencia houvera sido quebrada mas, novamente, as cenas de conforto e abracos aos povos que haviam estado em conflito na Terra transformou-se em oracoes pela paz. A principio, fora como se as bombas atomicas tivessem sido lancadas naquele instante sobre aqueles povos, mas a confianca no Poder Divino de restaura-los, mais a disposicao em refutar qualquer iniciativa de conflito por qualquer motivo que fosse, fez voltar a sobriedade nos semblantes.

Todos desejavam agradecer-nos, mesmo sabendo que nada fizeramos senao contar a verdade. Eh que eles acreditavam que sem estas revelacoes nunca se sentiriam tentados a vingar o sofrimento passado por seus similares terrestres, porem, tentados, recusaram-se a quebrar a paz e a harmonia entre os povos translucidianos. E a recusa em cometer atos torpes eh que os santificava para A Presenca junto ao Pai.

Deixamos tambem estes povos em oracoes e partimos para a China. Segundo os criterios translucidianos, Formosa e Tibet sao Estados do planeta e nao especificamente anexados aa China, como quer o governo chines terrestre. Eles sao unidades confederadas e Pequim nao se preocupa com isso.

Ora, quem se preocuparia com tais coisas num lugar onde a liberdade eh total, se todos podem se locomover de um lado para outro sem nenhuma burocracia? E estas tres unidades confederadas de toda Translucida desfrutam dos mesmos direitos que as outras.

Porem, novamente nos vimos obrigados a revelar os muitos conflitos em que a China participara, na Terra; sua auto-exclusao; seu dificil retorno; a covardia do massacre na Praca da Paz Celestial; o ateismo imposto pelo Estado e tudo o mais. Novamente, o choro fez transbordar o rio Amarelo.

Mas, do choro veio a meditacao. Dela, o amor fortalecido e a decisao de nao deixar que tais revelacoes levassem a conflitos em Translucida. Quando nos dirigiamos para seguir viagem em direcao aa India e Paquistao, alguem nos falou: “O que voces nos revelaram a respeito da China terrestre nao poderia mesmo nos fazer levar a conflitos. Cremos que Translucida tem um sistema social bem mais avancado que voces. Nao poderiamos sentir inveja daquilo que esta inferior a nos. Esperamos que nossos similares na Terra tambem nao nos invejem mas nos copiem. Nao existe poder no universo que substitua a paz em que vivemos.”

Novamente deixamos o povo em oracoes, para visitarmos a India. Foi-nos noticiado que a Caximira eh independente para os padroes translucidianos. Ora, nao podiamos ver motivos que levassem India, Caximira e Paquistao a se separarem por fronteiras e tornarem-se inimigos. Muito menos os translucidianos.

Eles tem suas regioes administrativas confederadas a algo superior que eh o planeta inteiro e nao fazem isso por obrigatoriedade e sim por opcao. Servem e sao servidos. O transitar de uma regiao para outra eh tao simples quanto passar de uma provincia para outra dentro do mesmo pais. Ali, todos creem na Heranca Divina do planeta. E o amor eh a unica pratica.

Revelamos, como nos era dado revelar, os muitos conflitos existentes naquele continente indiano. Mostramos como ha o risco de um conflito atomico entre Paquistao e India e, tambem, China. Todos ficaram assombrados com tal possibilidade poder existir porque a energia nuclear nunca houvera sido estudada para fins belicos por aquelas nacoes, em Translucida.

De qualquer forma, nossas revelacoes nao deixaram de levar a maioria ao choro e todos ao proposito de jamais transformar as diferencas em conflitos.

Novo para nos foi podermos observar que nao existem vestigios das divisoes de castas do passado. E, com certeza, a perfeita homogeinidade. A nossa partida foi acompanhada pelas oracoes em favor tambem da unificacao em Deus para os povos da Terra. Ali, o bem que desejam para si proprios eh tambem desejado para o universo.

Nao foi necessario continuar nossas andancas por Translucida para que todos compreendessem que os conflitos e exclusoes de nada valiam para a elevacao espiritual humana. Por isso, fomos levados de volta ao Brasil, juntamente com os outros representantes terrestres da America do Sul. Os outros representantes dos outros continentes tiveram destino aos proprios continentes.

Descemos na regiao central do pais onde deveria ser o centro do continente. A cidade nos era estranha. Mas Lucida nos explicou.

“Aqui nao eh cidade propriamente dita. Estamos em uma das unidades da Universidade do Conhecimento com Respeito a Deus.”

Somente entao pudemos observar que a regiao central nao estava repleta de predios, comuns em uma cidade grande, e sim templos que lembravam cada religiao que existira em Translucida. Entre tais construcoes, descobrimos predios e bibliotecas que reuniam todos os conhecimentos com Respeito a Deus que o ser humano acumulara no planeta.

“Isso, – falou-nos Lucida – eh o que resultou daquelas pequenas reunioes no inicio da universidade. Cada continente tem uma unidade e tambem existem unidades nas partes do planeta onde as religioes se originaram. Eh aqui que estudamos cada ponto divergente ou convergente das religioes.

Atualmente, podemos dizer que nao mais conhecemos pontos divergentes porque todos foram testados e, aqueles que nao levavam aa irmandade dos povos, foram eliminados da pratica religiosa. A religiao, podemos assim dizer, eh unica, embora com manifestacoes diferentes de tradicoes.

Deus Eh Um So e nos somos o povo Dele. O nome que damos para Ele eh Santo e eh em nome da Santidade Dele que nos reunimos. As unidades da universidade nao sao lugares melhores que as outras partes de Translucida, sao apenas os pontos que nos utilizamos para comunicarmos uns com os outros, quando o assunto eh religioso.

Enfim, nao estamos aqui porque estes predios representem a Morada de Deus mas porque estes predios nos ajudaram a construir Moradas de Deus dentro dos nossos corpos.”

CAPITULO 043 – O CONHECIMENTO DA UNIVERSIDADE

Passaram entao dois dias de perfeito relaxamento e descando. Lucida havia nos avisado que nao havia muito mais o que aprender naquele planeta mas nao desejavam nos dar este restante do conhecimento intensivamente. Por dois motivos: primeiro para que nada de mal viesse a ocorrer aa nossa saude ja que viajaramos muito nos ultimos dias e, segundo, porque era preciso que nos lembrassemos depois de tudo o que nos fora mostrado. Sabiamos que cabecas estafadas tem disturbios de memoria e compreendemos as precaucoes tomadas.

Nestes dois dias fizemos algumas caminhadas pelos ajardinados centrais da universidade e conhecemos alguns templos de pedra. Mas isso por nossa propria iniciativa, o que nao interferiu com o nosso descanso.

Terminado o descanso, continuamos os estudos que nos vieram em forma de pilulas, ou fragmentos. Nao foram aprofundados os conhecimentos e Lucida explicou-nos porque.

“O que voces ja viram e descreverao eh o suficiente para que os terrestres deem seu proximo passo em busca da salvacao. Voces sabem que nao podemos ensina-los tudo, nao sabem?”

Sim. Sabemos. – foi nossa resposta – Nos temos os nossos anunciadores e temos nossos conhecimentos. Se nao os ouvirmos tambem nao ouviremos o que vier de voces. O que nos falta eh a decisao de buscarmos a Salvacao em Deus. Ele ja nos Deu os dons e a inteligencia.

Quando tivermos o proposito de voltarmos para o Ceu, teremos tudo que precisamos para encontrarmos o caminho. Basta abrirmos nossas mentes para as Coisas do Pai. Caso perguntemos, as respostas virao. Temos de fazer isso por nos mesmos. Enquanto nao consertarmos os nossos caminhos nao mereceremos a Bondade do Convivio em Deus. Eh imenso o nosso agradecimento por voces nos terem mostrado o seu exemplo maravilhoso.

Dentre as pilulas que nos foram ministradas na universidade, vejamos estas: “Dizer que estamos aqui por causa dos pecados de Adao e Eva e nao para executarmos uma missao para o Pai eh o mesmo que dizer que Deus nao tem Palavra porque Ele Prometeu que nao cobraria os erros dos filhos em seus pais e nem os erros dos pais em seus filhos.”

“Se voce pensa que eh preciso gritar para que Deus o ouca, nao julgue que Deus esteja surdo ou esquecido das Promessas Dele. Eh a sua mente que esta no vazio e te falta o conhecimento que buscas. Deus o ouve ate mesmo em seu absoluto silencio.”

“Fale a Deus em silencio e proclame o que ouviu Dele em alta voz. Se alguem procurar contradize-lo; primeiro ouca e medite antes de responder. Muitos ensinamentos que veem de Deus tem sido mal interpretados por nos e muitos ensinamentos que nao veem de Deus sao atribuidos a Ele. Eh preciso ter humildade para sabermos reconhecer quando erramos.”

“Se quizeres tornar-se verdadeiramente humilde, nao basta vestir-se com a roupa de carpinteiro. Eh preciso ser humilde.”

“Como Deus nao faz distincao entre pessoas, Ele nao importa que os sacerdotes sejam do sexo feminino ou masculino. Importa o trabalho que desenvolvam.”

“Nunca houveram duas aliancas entre Deus e o ser humano. Tambem o Pai nao precisa ser lembrado da Alianca que Fez conosco. A Alianca foi uma so mas quando o ser humano pensa profundamente nela, ele comeca a lembrar-se de detalhes que nao haviam sido lembrados antes e, a cada lembranca, novas contas precisam ser ajustadas.”

“As pessoas que dizem que tudo o que havia por ser feito ja foi feito, acertam quando estao pensando na Parte que Cabe a Deus mas esquecem da parte que cabe ao ser humano, que ainda esta por ser feita. Elas se acomodam neste pensamento por nao desejarem evoluir. Evoluir em Deus significara devolver o que se tomou dos irmaos e partilhar com a irmandade universal.”

“Os dirigentes dos paises ricos do mundo desejam ditar a razao para os outros mas se eles se colocassem na posicao dos outros, verificariam que a razao tambem nao esta com eles proprios.”

“Os dirigentes dos paises ricos do mundo falam que os outros tem que tornar-se iguais a eles mas, se todos assumissem os mesmos interesses que os paises ricos trazem ocultos em suas negociacoes, as guerras jamais acabariam.”

“Se voces desejam ter uma amostra maior do povo de Deus, olhem para o Oriente, a America Latina e a Africa.”

“Para voces que estao cansados de ouvir: “Facam tudo o que eu vos mandar.”, oucam o conselho: nao deixem ninguem que nao seja Deus em Pessoa te dizer isso. Mesmo assim, certifique-se de que foi realmente o Pai Quem o Mandou fazer, porque: ouvir vozes, ver anjos, ter sonhos ou qualquer coisa desse genero nao significa que voces esteja ouvindo do Pai ou de enviados Dele. Voce tem que verificar antes, porque, somente aquilo que corresponder ao bem de todos, Vem realmente de Deus.”

“Se alguem lhe disser: “Faca a guerra porque iremos resolver tal ou tal problema”, diga nao. Se guerra resolvesse algum problema, depois de tantas ja feitas, nao teriamos nenhum problema a resolver!”

“No Ceu existe espaco para atitudes individuais mas nenhum para o individualismo.”

“Filhos, o tempo passou. O conhecimento que transmitimos agora a voces esta ficando antigo. Voces se lamentam: Ah se os nossos pais tivessem tido o bom senso e ouvido os conselhos destes livros! Nos nao estariamos passando tantas dificuldades agora.

Pois, nos vos afirmamos, jamais lamentem os erros de seus pais. Enquanto estiverem se lamentando estarao perdendo tempo precioso para consertar aquilo de errado que eles fizeram. Lamentos nao produzem boas obras. O que produz uma boa obra eh a disposicao em executa-la.”

“Nao adianta fazer-se de cego, fingir-se de surdo, tentar ignorar os nossos conhecimentos ou representar um morto. Tapar a boca da mina so vai estancar a Agua da Fonte. Mas esta Agua Eh Viva e voltara a Brotar mais adiante. Assim, quem se faz de cego, cego estara. Quem se fingiu de surto nao mais ouvira. Quem ignorou o Conhecimento, nada mais aprendera. E os que representarem mortos beberao por ultimo da Fonte.

Porque esta Fonte Eh A Correta Verdade e tapando-A voce apenas a oculta mas nunca Lhe tira a razao. E a Verdadeira Razao Permanecera Para Sempre, tanto no tempo em que voce estiver quanto no que nao estiver.”

“Deus Deu-nos uma inteligencia artificial para que levassemos vida em abundancia aas partes da Terra onde ela eh escassa, nao para destruirmos os ecossistemas onde a vida ja eh abundante.”

“Nao tema o uso de coisas artificiais para melhorar a vida das pessoas na Terra. Nos nao somos naturais. Mas duas coisas leve em conta: nao viva de artificialidades e cuide para que as coisas artificiais, usadas por voce, facam apenas o bem.”

“O ser humano eh, por natureza, um ser nao natural.”

“Constatamos que, onde na Terra era representado pela fome e a miseria, pela presenca da agua, foi transformado em fonte de vida para a populacao translucidiana.”

“Filosofos gregos, Confuncio, Sidhartha, Moises, Jesus, Mohammed e outros fazem parte do Conselho Permanente de Ancioes em nossa universidade, pelo que escreveram ou ensinaram ou pelo que foi escrito a respeito deles. Confrontamos os conhecimentos trazidos por eles e selecionamos aquilo que foi e permanece verdadeiro. Associamos a isso o Conhecimento Novo que nao eh antitese do Conhecimento Selecionado e encontramos o que o Pai Deseja de nos. Eh o que se pratica em Translucida agora.”

“Se possuir dinheiro foi tornado necessario para o ser humano, ter a vida e viver feliz eh imprescindivel desde o principio.”

“O mundo condenou o sitema indiano de castas mas olhando aqui do Ceu, percebe-se claramente que os ricos querem manter um sistema equivalente no mundo, porque eles ja pertenceriam aa casta dos privilegiados.”

“Quase nenhuma Igreja tinha coragem de dizer a seus seguidores: Nao seja soldado de guerra. Todo soldado de guerra eh um potencial assassino, esperando ordem para matar.”

“Filhos, se isso eh um sonho, realizem-no. Se eh a realidade, busquem-na. Se tudo isso for dificuldade, nao desanime porque a recompensa eh infinitamente superior aa luta.”

“”Nem so de pao vive o homem mas tambem da palavra de Deus”. Eh preciso nao se viver unicamente apegado aas coisas materiais. Isso eh uma verdade. Porem, a Verdade Completa Eh traduzida por: Viver para o pao eh preciso e viver para Deus eh imprescindivel. Nos precisamos das duas coisas simultaneamente. Eh preciso cuidar da saude corporal para que ele seja um terreno fertil aa Palavra de Deus.”

“A existencia neste mundo material era impossivel, tais os eventos contrarios. Deus Fez O Milagre de Tornar Possivel o que era impossivel. Porem, o ser humano vem trabalhando incessantemente para que a vida no planeta torne-se novamente impossivel. Preciso eh reverter esta tendencia.”

“Existe um tempo certo para que todas as coisas acontecam dentro da ordem natural das coisas. Quando se eh jovem, eh a melhor epoca para se aprender. Quando se esta maduro eh a epoca de fazer. No fim eh o momento de usufruir e partilhar.

A meditacao deve comecar no alvorecer da vida porque corpos que fazem se cansam e, corpos por demais cansados nao conseguem aprende-la. Para quem ja aprendeu a meditacao na infancia, o trabalho, exceto o puramente intelectual, nao a impede de acontecer simultaneamente.

Quem medita nao faz o que os outros lhe mandam apenas por obedecer ordens. O faz porque a ordem tera que ter um fundamento logico. Eh por isso que, na Terra, ate ao seculo XX, a meditacao eh algo banido do conhecimento comum das pessoas, onde a maioria da populacao eh apenas soldada de poucos comandantes.

Se a populacao soubesse meditar, questionaria este comandantismo centralizado e parcializado que leva muitos ao trabalho forcado e poucos a usufruir dos bons frutos do trabalho. Nos nao somos formigas. Somos filhos de Deus.”

“Sera que um filho bem amado desde o berco e instruido a amar desde a mais tenra idade, chegaria aa conclusao de que matar os outros seria solucao para algum problema? Claro eh que ele chegaria aa conclusao de que, para acabar com o mal no mundo, era preciso levar amor aos lugares onde existem conflitos, pois, o mesmo amor que ele recebera e o fez boa pessoa faria com que todas as pessoas se tornassem boas e, pessoas realmente boas, nao sao problema, sao a solucao para os conflitos.”

“Era preciso que todas as mulheres do mundo se propuzessem a nao se casar com soldados de guerra e os homens fizessem o mesmo em relacao aas mulheres soldado, assim, seus filhos nao se tornariam assassinos nem seriam assassinados por ignorancias da humanidade.”

CAPITULO 044 – INICIO DOS ULTIMOS EXTERTORES DO TEISMO RADICAL

Queridos pais, temos muito apreco pelo que nos veem ensinando ate ao momento mas estamos desconfiados que as vossas estorias nao passam de artificio enganoso. Nao sabemos onde querem nos levar com elas. Perdoem a nossa desconfianca. Temos ainda muitas duvidas. Por exemplo, voces dao a entender que Translucida eh um Paraiso de convivencia entre os povos mas nao nos disseram qual o fim tiveram os teistas radicais. Acaso Deus mandou-lhes uma praga que os erradicasse?

Perdoem os nosso risos, amados filhos, mas este nao eh o Procedimento Divino. Como ja dissemos antes, nem tudo vimos, nem tudo sabemos. Nao precisamos seguir o exato caminho percorrido pelos translucidianos porque nossos mundos sao diferentes e as coisas nao funcionam exatamente iguais la e aqui.

Exceto, claro, de que a via correta passa pelo amor e a aplicacao deste amor implica em bem para todos os filhos do nosso Pai que Esta no Ceu. O que devemos alerta-los eh, busquem os mesmos resultados deles.

Esta pergunta de voces, porem, tem fundamento e nos foi dado responder. Observem que a sequencia de nossa narracao nao tem obedecido a uma ordem cronologica exata dos acontecimentos. A conducao disso, aconteceu assim porque esta revelecao nos foi feita ja durante o periodo em que visitavamos a Universidade do Conhecimetno com Respeito a Deus. Nao antes.

Lucida contou-nos assim: “Uma vez, chegou um dos nossos com um jornal debaixo do braco. Todas as cabecas pensantes do nosso grupo estavam nesta reuniao. Aquele pediu a palavra para proceder aa leitura que acreditava ser “interessante” naquele periodico. Aqui temos copias, para voces, daquele artigo.”

E no artigo se lia: “Uma Vida Solitaria. Ele nasceu em uma aldeia desconhecida, filho de uma camponesa. Cresceu em uma outra aldeia, onde trabalhou em uma oficina de carpinteiro ate os trinta anos de idade. Foi entao, durante tres anos, um pregador itinerante. Jamais escreveu um livro. Jamais teve escritorio. Jamais constituiu uma familia nem possuiu casa. Nao frequentou uma faculdade.

Jamais viajou duzentas milhas de distancia do lugar onde nasceu. Nao fez nenhuma das coisas que normalmente se associam aa grandeza. So tinha a si mesmo como credencial. Tinha apenas 33 anos quando a opiniao publica se voltou contra ele. Seus amigos fugiram. Foi pregado em uma cruz entre dois ladroes.

Enquanto estava morrendo, seus executores fizeram sorteio para ver quem ganharia suas roupas, a unica propriedade que ele tinha sobre a terra. Quando morreu, foi posto em um tumulo emprestado por piedade de um amigo.

Dezenove seculos se passaram e hoje ele eh a figura central da raca humana, o lider do progresso da humanidade. Todos os exercitos que ja marcharam, todos os navios que ja navegaram, todos os parlamentos que ja funcionaram, todos os reis que ja reinaram, reunidos, nao afetaram a vida do homem na terra, tanto quanto aquela unica vida solitaria.” (texto retirado do Jornal dos Sports, 278, de 29.03.99).

Lucida contou-nos que logo a seguir fez-se silencio para que todos refletissem. Quando o silencio se desfez, um padre tomou a palavra para dizer que ficara feliz que o texto tivesse chamado a atencao do ilustre colega, porque ele tinha sido concebido por pessoas da Igreja aa qual pertencia, ou seja, a Catolica.

O pastor, – porque o que levantara a questao era pastor evangelico – porem, conteve a satisfacao do padre ao dizer: “Que o amigo padre me perdoe mas o texto nao chamou-me a atencao pelo que ele tem de bom mas sim pelo que ele tem de ruim.”

E Lucida continuou a narracao, informando que o clima comecou a deteriorar entre os amigos mas as explicacoes vieram para acalmar os animos. “Entao, um de nos falou: – continuou Lucida – “Padre, o pastor tem razao. Eh preciso que saiamos de dentro de nos mesmos e abramos melhor os nossos olhos. Que mundo eh este que esta construido? Este eh o mundo de Jesus, de Buda, de Maome ou de algum outro exemplo que a gente respeite? Claro que nao.

O senhor padre tem estudos e sabe bem que o mundo que ainda temos eh o mundo arquitetado por Maquiavel. Eh o mundo que as nossas elites tanto adoram. Nos temos razao de amarmos o que todos aqueles homens disseram porque uma grande parte do que disseram esta correto mas o que falaram eh algo e o algo outro que o ser humano pratica eh outro bem diferente.”

E ai comecou a surgir novo desentendimento porque esta pessoa havia dito que “parte do que eles falaram estava correto”. Os adeptos de cada precursor religioso nao admitiam a parte incorreta de suas religioes.

Ao que o membro do grupo que intercedera em favor do pastor retificou dizendo: “Nao quiz insinuar que os precursores de nossas religioes falaram ou escreveram coisas incorretas com Respeito de Deus. Porem, afirmo que os escritos que chegaram ate a nos contem coisas incorretas. Quem as escreveram, nao sabemos.”

Isso foi apenas um tira-teima do que se seguiu, porque este companheiro de lutas quase foi agredido pelos mais radicais dentre os membros da universidade. Mais tarde, ele proprio pode esclarecer que as incorrecoes que descobrira nas Escrituras nao vinham deliberadamente de pessoas com mas intencoes mas de pessoas que possuiam conhecimentos limitados e que erraram, mesmo procurando tentar transmitir algo de bom.

Com esse episodio, pode-se constatar que o radicalismo nao era algo particular de alguma religiao ou de grupos dentro de determinados ramos das religioes. Concluiu-se tambem que, para se atingir um denominador comum, seria necessario primeiro, erradicar o radicalismo entre os membros da universidade e, depois, daqueles mais radicais que sequer frequentavam a universidade; por terem preconceito contra as outras pessoas de outras religioes que a frequentavam.

Alguem compreendeu melhor a dimensao do problema e elaborou uma formula para abrir os olhos dos radicais das religioes. Tomou um formulario com alguns espacos em branco para serem completados com os nomes das religioes ou seus ramos, conforme fosse o nome da religiao do entrevistado.

Assim, chegava-se para um radical catolico e perguntava-se: Voce ve erros no maometismo? Quais sao? Voce ve erros no budismo? Quais sao? Voce ve erros nos evangelicos? Quais sao? O mesmo se fazia com os radicais das outras religioes. Pedia-se tambem que dessem ideias de como consertar os erros enxergados por eles. Deixava-se por ultimo as perguntas: Voce ve erros em sua propria religiao? Quais sao? Voce ve erros em voce mesmo? Quais sao?

A estas ultimas perguntas, engasgavam praticamente todos os radicais. Porque, facil eh ver ou colocar defeitos nos outros mas eh dificil vermos os nossos proprios defeitos.

Depois disso, foram feitos os levantamentos das restricoes de umas religioes ou ramos religiosos em relacao aos outros. E, atraves destes levantamentos, chegou-se aas respostas e esclarecimentos. O que alguns davam como defeito nalguma religiao, muitas vezes nao passava de simples preconceito, porque havia alguma explicacao aceitavel para certas atitudes. Outras vezes, nao havendo explicacao aceitavel, as pessoas reconheciam seus erros e se corrigiam.

Desta forma, aquele ufanismo cristao que dera origem a toda aquela discussao acabou sendo condenado por seus proprios autores. Eles compreenderam que nao era correto passar esta imagem de vencedores porque a vitoria nao era realidade concreta ainda. Dando a aparencia de que tudo o que existia para se fazer ja houvera sido feito, somente acomodava a aqueles que estavam ainda por lutar e tambem passava a impressao de que a luta de Jesus seria contra as outras religioes. O que nao poderia ser verdade, pois, a luta de Jesus era contra o mal que existe na Terra, que tambem eh a luta das outras religioes.

Todas desejam percorrer o caminho do bem e isso ficava bastante claro, porem, as formas de concepcao de se atingir este objetivo eh que eram diferentes e que precisavam ser retificadas e unificadas atraves da razao e do Conhecimento Novo.

CAPITULO 045 – O SIGNIFICADO DA PALAVRA EH SOLUCAO PARA PROBLEMAS

Para que se chegasse aas conclusoes que apresentaremos, foi preciso que os translucidianos decodificassem as palavras: “O Pai tem muitas moradas”. Isto se refere a todas as pessoas aas quais o Conhecimento com Respeito a Deus vem sendo revelado ao longo da Historia humana. Todos nos somos moradas do Pai porque o nosso corpo eh um templo para Ele.

Porem, nao muitos de nos toma consciencia disso e nao ficam atentos para o Mundo de Coisas Boas que o Pai Tem para nos Revelar. Os poucos que se tornam perfeita morada de Deus recebem Dele Conhecimentos Novos e, quanto mais perfeito se faz esta uniao, maior eh o numero e a qualidade das Revelacoes que podem ser feitas.

Ninguem pode dizer que nunca recebeu nenhuma Revelacao do Pai, porque tudo de Bom Ele Deseja Revelar-nos a todos. Fato eh que, nem sempre estamos atentos o suficiente para receber estas Revelacoes.

Mas eh muito comum algum de nos revelar uma verdade e outros, entao, se lembrarem que: “Ja pensei isto antes mas nunca havia dado a importancia necessaria a ele.”

Ninguem, porem, tornou-se morada tao perfeita de Deus que fosse capaz de revelar tudo o que o Pai tem para Revelar-nos. Eh por isso que temos de buscar em todas as religioes as Revelacoes que Venham Verdadeiramente de Deus mas que, sabemos, estao contaminadas por conhecimentos que veem da nossa porcao humana.

Parte de nossos erros religiosos esta ligada a nao sabermos traduzir, com perfeicao, a Linguagem Divina para a linguagem humana. O Pai Aceita fazer a morada de Sua Palavra naqueles que tem o proposito de praticar apenas o bem coletivo.

Queridos pais, os membros da universidade nunca foram confundidos com os doutores da lei, citados na Biblia?

Nao filhos nossos. A universidade nunca foi fechada para ninguem. Tanto aqueles que ja tinham estudos previos completados quanto aqueles que desejavam ter as primeiras licoes eram recebidos. Nunca se exigiu sequer que o membro fosse alfabetizado, embora, isso facilitasse os estudos e fosse desejavel.

Aqueles que nao eram alfabetizados poderiam aprender as primeiras letras, caso desejassem, ou tinham um instrutor que lhes servissem de olhos. A universidade nunca teve a finalidade de impor ideias mas sim de testar tudo o que era dito a Respeito de Deus, para sugerir mudancas naquilo que nao resistisse como verdade, diante da Sabedoria do Pai.

Eh por isso que tinha a participacao de membros de todas as religioes. Para que todos tivessem o direito de ensinar o que sabiam e aprender o que lhes fosse novo. A universidade nao tinha a funcao de ser intransigente nem decretar mudancas. Ela corrigia os erros e enviava as correcoes aos responsaveis por cada religiao ou ramo religioso.

As pessoas tinham a liberdade de replicar ou aceitar, ou nao, as sugestoes. E foi esta democracia que acabou unindo as pessoas em um so corpo e mesma fe. Por ser formado por membros de todas as religioes, o pensamento universitario tornou-se mais facil de ser aceito.

E os teistas radicais?

Lutaram contra a democratizacao do Conhecimento ate enquanto puderam. Houve ate um momento em que Lucida classificou como um dos mais emocionantes da vida dela. Ela contou-nos assim:

“A universidade ja era uma quase unanimidade entre as pessoas que realmente amavam ao Pai Querido. Estavamos passando por uma fase transitoria no planeta. A economia ainda estava concentrada nas maos de poucos. A renda sobrava nas maos de alguns e faltava nas maos da maioria.

O desenvolvimento tecnico e tecnologico fazia verdadeiros milagres aos olhos das pessoas mais simples. As pessoas comuns estavam com suas vistas voltadas para estas coisas e esquecendo-se do fundamental da nossa vinda aa materia. Os problemas materiais eram tratados como prioritarios nas vidas das pessoas, senao como se unicos fossem.

Alguns cientistas comecaram a informar-nos que os recursos naturais do planeta estavam ficando escassos para a populacao que se multiplicava aceleradamente. E isso fazia com que surgissem alguns profetas apocalipticos, prevendo mais e mais desgracas.

Desta forma, a contencao dos nascimentos tornou-se praticamente o remedio unico indicado pelo poderio economico e pelas “Marias vao com as outras.” Somente os alternativos falavam na racionalizacao do uso dos recursos naturais como forma de evitar uma hecatombe.

Naquele tempo, tornou-se praticamente moda, a receita de abortamento como forma de evitar o crescimento populacional. E a moda “pegou”, tanto que determinados ramos religiosos tomaram partido dessa insanidade.

Um destes ramos inclusive colocou-se em oposicao ao posicionamento da universidade em favor da vida. Autorizava a seus membros a praticarem o abortamento em muitos casos especificos e proclamava abertamente que o perdao para as pessoas que o praticasse, mesmo que fosse por outros motivos.

E a atitude de confronto chegou a tal ponto que uma das igrejas filiadas programou um culto especial denominado de “o dia do perdao” e convidou os membros do conselho universitario, porque acreditavam por la, perante aas razoes que apresentariam, a universidade seria convertida aas opinioes dela.

“Como nos nunca fugimos a nenhum desafio, – revelou-nos Lucida – aceitamos o convite de bom grado. Ora, pensavamos, era o momento que poderiamos usar para provar que aquelas pessoas estavam enganadas. Porem, nao sabiamos o que estava preparado para nos. Tinhamos que atender ao convite com aquilo que ja houveramos discutido antes.

Perante aa possibilidade de podermos ser recebidos com alguma revelacao surpreendente que provasse que o engano fora nosso, pedimos ao Santo Pai que nos enviasse o Espirito Santo Dele para nos Acompanhar, porque se houvesse alguma revelacao verdadeira a gente encontrasse a serenidade para aceita-la. Mas se o que nos fosse revelado fosse falso, que nos Desse a sabedoria de desvendar tal falsidade, em frente aos olhos dos irmaos daquele ramo religioso. Assim, tomamos o caminho.

Durante o culto, nao nos pareceu que houvesse sido revelado nada de novidade. Os queixumes eram os de sempre. O pastor relatou que uma familia muito pobre estava esperando mais um membro. Que a miseria em que viviam era tanta que todos estavam subnutridos. E tambem que nao havia esperanca alguma de o bebe vir ao mundo sem tornar-se mais um subnutrido.

Entao, que, neste caso especifico, ele proprio recomendava o abortamento e avisou que o fato nao era uma suposicao mas sim real e que o abortamento realmente seria realizado. Permanecemos em silencio.

A seguir, o pastor contou outra historia tao triste e tao chocante quanto a primeira. Relatou que uma pessoa, membro da mesma congregacao daquela igreja, que sempre teve uma conduta ilibada durante a curta vida dela, estava para se casar. Era uma pessoa obediente, temente a Deus (como os membros daquela denominacao gostavam de frisar), prestativa, caridosa e, praticamente, santa.

Mas, por infelicidade da vida, ao voltar para casa aa noite, logo apos a um culto em sua igreja, estando a pe e desacompanhada, ao passar por um caminho escuro, fora agarrada por tres fascinoras que lhe rasgaram as vestes, a estupraram e causaram-lhe muitos ferimentos fisicos, morais e psicologicos. Ninguem deixou de se emocionar diante da prelecao daquele pastor. Nao poucos verteram lagrimas.

Apos esta cena, o pastor revelou que a pessoa que sofrera aquilo tudo, em vias de se casar, nao resistira ao nojo de todo este padecimento, pensou ser impossivel conviver com um fruto daquela acao, “inspirada pelo demonio” daqueles tres marginais, e havia optado pelo abortamento, ja realizado, e que estava ali presente para pedir perdao, se acaso tivesse cometido algum pecado. O pastor, entao, dirigiu a assembleia para que manifestasse o perdao a aquela mulher que cometera tal ato.

Muitos membros da assembleia nao apenas manifestaram que perdoavam a aquela pessoa mas, tambem, o faziam com um entusiasmo sem igual. E olhavam para nos que estavamos dispersos entre os convivas como se quizessem desafiar-nos a impedi-los de fazer aquilo.

Neste ponto, o pastor anunciou em alta voz: “Voce esta perdoada, minha filha. Jesus te ama. Ele perdoa a todos os pecadores. Nao se preocupe porque o seu pecado eh leve. Voce nao poderia mesmo aceitar a vitoria de satanas. Foi ele quem introduziu em seu utero puro a semente da perdicao daqueles tres marginais.”

A construcao faltou pouco a vir abaixo tal era a vibracao daquela gente. Porem, um jovem membro daquela mesma denominacao levantou a voz e gritou: “Isso esta virando um oba-oba. Um show para televisao. – Neste ponto a assembleia fez silencio – Sera que, a mulher que praticou tal ato, tem consciencia do tamanho do pecado cometido por ela e pelos que a ajudaram?”

Agora, nao eram mais as atencoes que haviam se voltado para aquele rapaz e sim os odios. Olhos brilhavam como farois contra ele. Um vozerio comecou a se elevar e sentimos que aquele garoto seria agarrado e expulso do recinto a pontapes. Bom seria se ninguem tivesse mesmo pensado, por alguns segundos, em mata-lo.

Antes que a multidao mais proxima puzesse nele as maos, um dos nossos colocou-se entre ela e ele. Por sorte, nossa popucacao naquela epoca nao tinha uma estatura mais elevada. E este membro da universidade era muito alto para a media do povo. Alem disso, era forte, usava uma barba bem tratada que lhe dava um ar de Jesus Cristo, pintado por Leonardo Da Vinci. Ele nada falou no inicio, fez apenas sinal com as maos para que a multidao se sentasse. Tomou o rapaz pelas maos e o levou ate ao altar.

Este senhor era membro daquela mesma denominacao e tambem membro da universidade. E do altar falou: “Parece que hoje nos temos mais o que perdoar do que imaginaramos aqui. Ora, parece que ja perdoamos a mulher que fez um aborto. Por que nao perdoarmos tambem ao Junior (era como o rapaz era chamado) por ele ter uma opiniao diferente da nossa? Quem sabe, talvez, possamos fazer uma reflexao para ver se ele tem ou nao razao para arguir. Estou certo que depois que eu revelar o que tenho para revelar a voces hoje, ele proprio ira dar o perdao a ela.”

Com estas palavras, todos ficaram mais calmos e o “Jesus de Leonardo” prosseguiu. “Emanuel, venha ate a mim.” O menino, de no muito uns tres anos de idade, cujo nome ele chamara, era sobrinho dele e correu a atender ao tio. As perninhas curtas e a dificuldade deste em subir os degraus arrancou alguns sorrisos da multidao. O menino foi sentar-se no colo do tio que se sentara em uma cadeira, de forma a que fosse visto por toda a assembleia.

Todos ali conheciam o tio, o sobrinho e tinham especial apreco por eles, pois, admiravam o amor com o qual a familia cercava aquele menino e o amor que recebiam em retorno, demonstrado atraves do carinho e mansidao que o menino dedicava a todos da igreja.

Assim, o nosso “Jesus de Leonardo” comecou a falar para a multidao: “Certa vez, conheci um homem que tinha dupla personalidade. Ele, em determinados momentos era a pessoa mais gentil do mundo. Prestativo. Um verdadeiro amigo. Outras vezes, cometia atos inexplicaveis. Isso fazia com que a familia deste homem sofresse muito.

Ja se havia tentado dar a ele algum tratamento medico para que ele nao praticasse mais as coisas ruins, mas o tratamento era caro e a familia pobre. Com isso, tivera que conviver com o problema, sem o devido tratamento.

O homem de dupla personalidade tinha um sobrinho, assim como o Emanuel e que gostava muito dele e era correspondido. Um dia, este homem foi aa casa do menino e o levou para a casa dos avos, onde o de dupla personalidade tambem morava. Ninguem se lembrou que os avos nao estariam em casa naquele dia.

Entao, o tio do menino comecou a brincar com ele, falando que iria prende-lo com algemas porque ele havia se comportado mal naquele dia. O tom de brincadeira fez com que o garoto nao desconfiasse de nada. Deixou-se amarrar com fitas adesivas nas maos e pernas, sobre a mesa. Com o menino seguramente atado aa mesa, o tio propos ao sobrinho brincarem de cientista maluco. Ele seria o cientista e o menino a cobaia. Ate ai a crianca participou da brincadeira.

O tio com dupla personalidade, entao, buscou a caixa de ferramentas que pertenciam ao pai, que era marceneiro, e comecou a fazer uma operacao no garoto. O menino comecou a gritar e a chorar porque estava doendo mas o tio colocou adesivos tambem na boca dele. Ninguem ouviu o barulho ou desconfiou de nada anormal. Aquele homem doente, porem, serrou o cranio do menino ainda vivo, deixando o cerebro dele aa mostra.”

Um zum-zum-zum pertubou o silencio daquela assembleia. As pessoas comecavam a se perguntar o que aquele homem queria dizer com aquela “estoria”, para eles.

“A dor – continuou o “contador de estorias” – deve ter sido muita, porque o garoto desmaiou por algum tempo, vindo a acordar mais tarde. Ele ja nao conseguia falar alto mas teve forcas, depois que o tio tinha tirado a mordaca, para dizer que queria parar de brincar porque estava doendo.

O tio, porem, nao quis mais parar a brincadeira. Buscou um macarrao em forma de tubo comprido e falou que ia chupar a inteligencia do menino porque o menino tinha inteligencia e ele nao. Assim, sugou partes do cerebro do menino, apos ter removido as membranas protetoras, ate que o menino veio a falecer.

Todas esses detalhes devem ter acontecido de verdade porque aquele tio insano contou aa policia o que ocorrera. E as evidencias no local do crime indicaram que tudo tinha acontecido exatamente segundo a confissao.”

Enquanto o nosso “Jesus de Leonardo” contava sua historia, ele movimentava o Emanuel em seu colo que pensava ser apenas uma brincadeira. Mas ele fazia a narracao demonstrando ao publico alguns detalhes de como o crime tinha sido cometido. O publico ainda estava meio aturdido com aquela historia porque nao sabia onde se queria chegar.

“Para concluir minha historia, gostaria de pedir desculpas ao nosso pastor por discordar da opiniao dele de que devamos aceitar o abortamento, no caso da familia desnutrida. Ora, a gente gasta com tanta coisa que nao eh imprescindivel para as nossas vidas, que penso nao ser sacrificio algum deixarmos, cada um de nos, de fazermos alguma das coisas superfluas que fazemos, por semana, e destinar o dinheiro que enconomizarmos com isso aas familias que nao tem o que comer. Enquanto isso, procuraremos meios de empregar os membros da familia que ja possam trabalhar, para que eles proprios a sustentem.

Eu me ofereco para fazer o sacrificio de jejuar por um dia na semana para destinar o dinheiro que gastaria com minha alimentacao aa esta familia. Jesus falou que deveriamos vender tudo o que tinhamos para dar aos pobres. Pois bem, voces dizem que nos somos os pobres. Somos pobres porque estamos olhando somente para um lado. Vemos o que os ricos possuem e nos achamos pobres porque queremos nos comparar com eles. Mas, se olharmos para essa familia que esta ate desnutrida, nos somos ricos porque, pelo menos para comer, nao nos tem faltado.

Quanto aa historia que acabei de inventar, segundo o que muitos de voces estao pensando, ela aconteceu comigo. O menino era um dos filhos meus que ha tres anos foi assassinado pelo meu cunhado. Voces pensam que conhecem a mim e a minha familia, mas nem sequer imaginam o nosso sofrimento por ter uma pessoa demente nela.

Quando mudamos para a vizinhanca de voces, vimos por nao suportarmos a lembranca de todas estas coisas ruins que nos aconteceram. Os meus sogros morreram de tristeza. Minha esposa e a irma dela nunca tiveram a coragem de revelar a voces que tinham um irmao. Ele se encontra num hospicio judiciario.

E voces nem imaginam porque o irmao delas teve a oportunidade de matar o proprio sobrinho. Pois, foi porque ele estuprou a minha cunhada e eu, ao saber disso, quis que a familia o colocasse na cadeia a fim de que recebesse o tratamento medico necessario. Ninguem iria imagirnar que a loucura dele fosse chegar a tanto. Mas de toda esta historia, o que eu salvo para mim, de grande licao de vida, foi a atitude do meu concunhado, esposo da irma de minha mulher. Voces o conhecem mas nao sabem, ele nao permitiu que provocassem o abortamento do fruto que, por acaso, nasceu do ato insano.

Esse, que voces tanto gostam e eu proprio tenho amor como se meu filho fosse, eh enteado e nao filho do meu concunhado. Pois, eu digo, honra e gloria a Deus e a este homem que permitiram um fruto tao bom nascer de algo tao ruim.”

Depois de uma pausa, por causa do zum-zum-zum que se deu diante destas revelacoes, nosso “Jesus de Leonardo” prosseguiu: “Meus amigos, o abortamento nao tem diferenca alguma do que o meu cunhado fez com meu filho. A difererenca, no caso nosso particular eh de que, a pessoa que provocou o abortamento em nos eh reconhecidamente demente, portanto, nao totalmente responsavel pelos atos que comete.

Ja, o abortamento contratado a medicos ou a clandestinos eh realizado por pessoas consideradas sas, totalmente responsaveis pelos atos de si proprias. E o pior eh que essas pessoas sas fazem isso por dinheiro que a propria mae, o proprio pai ou os avos dao para matar a crianca.

Sendo o corpo humano um templo de Deus e Deus Eh A Vida, como entao podemos profanar um templo de Deus para tirar uma vida? Tudo o que voces fazem, quando optam pelo abortamento, eh vingar e nao consertar aquilo que nao tem mais jeito. O ato pode ter sido o mais absurdo do mundo como o incesto, o estupro ou seja la o que for.

Mas quando voce opta pelo abortamento, voce esta se vingando em quem nao tem culpa alguma de nada. Lembrem-se que os que torturam e ate te matam nada podem fazer contra a sua salvacao. Mas quando voce responde a um mal com outro mal, eh porque voce esta passando para o lado das coisas ruins e sua salvacao esta correndo risco. Que maior vitoria poderia desejar o mal, senao que respondamos o mal com outro mal? Isto nos iguala por baixo.

E agora Junior!? A pessoa da qual falavamos ja conhece a extensao do pecado dela. – continuou nosso “Jesus de Leonardo” – Voce ja esta pronto para perdoa-la?”

“Ora, – respondeu Junior – eu nao tenho nada contra perdoar alguem que cometeu um pecado. Mas o que estava me parecendo antes era que as pessoas ja estavam acreditando que o abortamento nem sequer era pecado. Se assim fosse, ninguem nem precisava pedir perdao porque voce nao precisa pedir perdao por aquilo que nao eh pecado. Mas, se todos sabemos que eh pecado, temos que ter inteira consciencia disso, para que o arrependimento e o pedido de perdao sejam acompanhados da proposta de nao mais cometer o pecado.”

E Lucida contou-nos que neste momento aquela assembleia ficou como muda. O silencio era tal que ate mesmo as criancas perceberam que algo de diferente estava acontecendo, porque ficaram mais quietas do que nunca. Algumas pessoas molharam seus rostos em lagrimas. Um soluco engasgado perturbou o silencio e uma voz chorosa foi ouvida.

“Voces falam assim porque nao foi com voces que aconteceu aquilo que aconteceu comigo. – neste instante todos perceberam a quem estavam perdoando. O que, ate entao, houvera ficado em segredo. – Voces nao podem imaginar o que eh ser abusada por pessoas desconhecidas, perversas e mal-cheirosas. Ate hoje eu sinto enjoo so em lembrar o cheiro daqueles canalhas. O cheiro deles ficou impregnado em meu nariz. Eu sinto isso. Voces nao sabem o que eh ter o desespero deste sofrimento. Voces nao podem imaginar a minha dor.”

“Minha filha, – tornou-lhe nosso “Jesus de Leonardo” – nao posso medir o meu sofrimento com o seu. Cada um sofre de acordo com o que suporta. Sei apenas que muito mais que nos, Sofre o Pai, pois, Ele Eh tanto Pai dos que pecam quanto dos que sofrem as consequencias do pecado.

Era preciso que voce perdoasse a si mesma porque voce nao teve culpa de sofrer o que sofreu. Se voce tivesse procurado ajuda psicologica antes de responder um mal com outro mal, eh possivel que voce nem sequer tivesse que pedir perdao agora porque nenhum mal teria cometido. O mal teria ficado apenas com aqueles que te fizeram o mal primeiro.

Mas agora ja eh fato. Eh preciso que voce tome consciencia de que o que fez foi errado, para entao se perdoar e pedir perdao aos outros. De nada adiantaria nos a perdoarmos se voce, no fundo, continuasse com este sentimento de culpa. Agora que voce ja fez seu exame de consciencia e o seu arrependimento eh visivel, acredito que nunca mais ira sentir o cheiro daqueles homens maus.

Eu te digo. Por minha propria experiencia. Nada substitui o cheirinho desta crianca que agora esta em meus bracos. E o cheirinho de amor que broda dela eh que me da consolo por minha perda.”

“A mulher continuou inconsolavel mas nada mais falou. O silencio dos outros convivas indicava que o sentimento de culpa invadira toda a assembleia. O pastor encerrou rapidamente o culto. E todos foram para casa para refletir melhor o que havia acontecido naquele dia.

Somente mais tarde o pastor escreveu um longo artigo no jornal de sua denominacao, contando todos os fatos, pedindo perdao pela insanidade de ter sido partidario do abortamento e convidando aos membros de todas as igrejas a nao mais permitirem que tais coisas ruins voltassem a acontecer entre eles.

E o que aconteceu depois ao menino Emanuel, queridos pais?

Lucida revelou-nos que continuou cercado de amor por seus familiares. Quando o tempo certo chegou, revelaram-lhe toda a verdade. Deram a ele toda assistencia psicologica necessaria. E ele respondeu com serenidade. Nao era culpado, apenas vitima daquelas coisas que haviam acontecido. Pode crescer como uma crianca normal e inteligente.

Tornou-se um dos lideres do movimento do Conhecimento com Respeito a Deus. Por sua sinceridade, serenidade e disposicao para derrubar empecilhos que atrasavam o desenvolvimento espiritual do ser humano, acabou sendo eleito aa presidencia da republica, tornando-se depois um dos mais queridos presidentes do pais.

Atualmente eh vizinho de Lucida na pequena cidade em que vivem e leva uma vida muito simples. Nos tivemos a honra de conhece-lo nos seroes na casa de Lucida mas se ela nao nos houvesse contado tudo isso, nunca imaginariamos que uma pessoa tao simples e feliz pudesse ter tido tantos transtornos no inicio da vida e uma meia idade tao repleta de obras.

Ele continua disposto a ajudar aas pessoas mas prefere que elas nao dependam dele. Sempre prega que as pessoas sejam ajudadas ate enquanto nao formem o carater. Pensa que, depois disso, elas precisam andar com as proprias pernas. Mas isso nao eh exclusividade dele. Eh um comportamento geral em Translucida.

Quanto ao “Jesus de Leonardo” e a familia, tambem tiveram um grande desempenho junto aa universidade. Ajudou a expandi-la. Foi um elemento importante de ligacao entre os diferentes cultos antes que o conhecimento fosse unificado. Alem de sempre ter assistido ao sobrinho e aos outros membros da familia, procurou prestar a assistencia necessaria ao cunhado que lhe matara o filho.

Ele tinha o conhecimento que fora a loucura e nao a maldade a responsavel por toda aquela tragedia. Ele proprio dizia que: “Fosse maldade, maior razao nos teriamos em recuperar este irmao. Loucura eh uma falta de controle que a pessoa tem de si propria. E, louco maior eh aquele que, em tendo o juizo perfeito, opta por praticar o mal.

Mas nem tudo foi facil assim. Logo depois daquela assembleia, a familia quase se desintegrou porque uma parte dela achou que havia praticamente fugido do local onde viviam anteriormente por causa da exclusao que sofria, em consequencia a toda aquela tragedia. O menino Emanuel era discriminado por causa da forma como fora concebido.

Todos pensaram que, depois da revelacao, o mesmo iria acontecer no novo lugar onde moravam. Mas o proprio pastor que os conduzia e se viu corrigido naquele deslize do abortamento, tomou as redeas da situacao e orientou a seu rebanho para que nao discriminasse ninguem. O sofrimento de todos ja era muito e injusto. Seria um grande pecado, as pessoas que se diziam servidoras do Pai, se prestarem a aumentar tal sofrimento.

Com isso, o equilibrio voltou, a familia permaneceu unida, e o caminho para as coisas boas acontecerem se deixou abrir. Todos hoje sao felizes.

CAPITULO O46 – TRANSLUCIDA PACIFICADA

Mas, queridos pais, o teismo radical se resumia apenas a esta igreja quando estas coisas aconteceram?

Nao, nao queridos filhos. Ela era apenas um pontinho no oceano. Porem, quando uma pequena igreja se tornava vencedora, por superar algum problema, ela emitia ondas que espalhavam por todo o oceano. Voces entendem o que estamos falando por meio de figuras de linguagem, certo?!

Assim, as outras que recebiam as boas ondas de coracao e mentes abertos acabavam tornando-se vencedoras tambem. E foi por meio destas pequenas modificacoes que os teistas radicais acabaram aderindo ao Conhecimento com Respeito a Deus. Os resultados da verdadeira irmandade universal, a pacificacao do planeta e toda aquela transformacao da superficie dele acabaram convencendo ate aos mais radicais.

No final, eles proprios admitiram que tinham se portado como o irmao mais velho do filho prodigo porque as Portas do Ceu estiveram sempre Abertas para eles mas eles somente nao entravam porque o Pai Iria Abrir os Bracos para receber tambem o irmao mais novo que, um dia, fora pecador.

Pai de todos nos, voces proprios ja nos avisaram para ficarmos atentos aos minimos detalhes de nossas Escrituras, tanto antigas quanto atuais. Tambem para que cuidassemos de nao escolhermos citacoes favoraveis aas nossas proprias intencoes para justificarmos nossas atitudes. Ainda, que procurassemos estudar as obras literarias como um conjunto homogeneo, assim, poderiamos observar melhor as contradicoes e fazermos a opcao correta por aquilo que representasse o nosso bem e o bem coletivo.

Tudo isso eh verdade, porem, existe nas Escrituras antigas observacoes que afirmam que ate mesmo o demonio seria capaz de disfarcar-se de espirito de luz para procurar enganar os eleitos, como se isso fosse possivel.

Muito bem lembrado queridos teofilos. Ja compreendemos vossas duvidas. Voces querem dizer que a presente Obra pode ser algo neste sentido. Certo?

Exatamente.

Bom, em Translucida, os teistas radicais procuraram insinuar estas hipoteses, querendo dizer que o Conhecimento com Respeito a Deus teria tal funcao, procurando atribuir aa universidade os chifres da besta apocaliptica. Isso, antes de aderirem ao movimento em favor da pacificacao total.

Quando o questionario sobre o qual comentamos anteriormente foi posto em pratica, e os erros de cada religiao foram identificados, procurou-se fazer convencoes, dentro de cada ramo religioso, dentro de cada religiao, para que todas as divergencias fossem eliminadas.

No inicio as coisas nao andaram tao bem quanto deveriam porque os mais radicais nao aceitavam nem sequer conversar a este respeito. Mas, com o argumento de que o Pai, e isto estava escrito, Desejava a uniao de todos os filhos Dele, muitos compareceram aos debates, mesmo contra as proprias vontades.

Entao, os mais radicais de cada religiao ou ramo religioso foram postos a debater suas diferencas entre eles mesmos. E o que se via era, muitas vezes, pura intransigencia de parte a parte. Uma intransigencia que nao respeitava a razao. E isso expos melhor o conjunto de erros humanos que separavam a humanindade.

As pessoas que tinham o dom da razao, entao, puderam identificar onde estava aquele “espirito” que se fingia de luz para tentar enganar os “escolhidos”. Ficou bem claro que a profecia se cumpria e os proprios ultra-radicais cairam na realidade ao perceberem que a intransigencia deles era o que levava aos conflitos, ao passo que, a transigencia da universidade levava aa uniao.

Arrependidos, os ultra-radicais pediram perdao a Deus e aa humanidade e tambem se reconheceram como parte do mal do mundo.

Foi assim que ficou reconhecido que o demonio realmente nao existia porque estes ultra-radicais observaram que a ideia de radicalizar as coisas partira deles proprios e que nada os induzira a isso.

Tambem reconheceram que, Sendo Deus a Pessoa Boa que Eh, nao havia feito escolhidos entre os filhos Dele, pelo contrario, Aceitava a todos que tivessem feito a opcao voluntaria por Ele.

A condicao para se entrar no Ceu eh esta, escolher ao Pai, porque as Portas do Ceu estao sempre Abertas para quem faca essa escolha, tendo esta pessoa feito ou nao coisas ruins demais em suas vidas.

Importante eh que, feita a escolha, somente se pratique o bem de entao para frente, e que se remova as consequencias dos pecados ja praticados.

Finda esta etapa em Translucida, que durou decadas de discussoes e nao foi tao facil como contada aqui para voces, os entao membros da universidade e demais pessoas que participaram das discussoes e que tambem passaram a fazer parte dela, escreveram uma placa, para ser posta nas entradas de todas as sedes religiosas do planeta, onde se lia:

“Nao se quer aqui a promocao pessoal de ninguem. Se alguem quizer negar o que foi definido na presente data, faca-o. Aqueles que quizerem comprovar que falamos verdadeiramente a respeito das Coisas do Pai, apaguem tudo o que ja dissemos e passem a praticar apenas o bem uns com os outros. Esta eh a luz imutavel. O resultado sera uma sociedade proxima ao que foi descrita. Cumpra-se a primeira e unica Instrucao do Pai e sua primeira consequencia (amar a Deus sobre todas as coisas e ao proximo) e tudo se cumprira como foi dito.”

CAPITULO 047 – O FIM DAS DIFERENCAS ECONOMICAS

Pais, como foi que o povo deixou de acreditar que uma ideia pudesse fazer uma pessoa superior aas outras?

Por reconhecimento da justica. Primeiramente, despertou-se na sociedade que, o modelo social entao vigente era barbaro, que as oportunidades eram diferentes, que nao era justo uns possuirem tanto enquanto outros nada. Tambem que, aqueles que se destacavam dos outros estavam usando algum dom Vindo de Deus para se colocarem acima dos irmaos.

Enfim, havia brotado a consciencia de que o planeta e todas as coisas que o cercavam, alem dos dons, eram Heranca do Pai para que todos compartilhassem Dela, igualmente. Isso provocou uma certa convulsao social em Translucida porque a mentalidade de egoismos estava muito enraizada e a maioria considerava essas coisas como parte da ordem natural das coisas.

Mas, se a maioria acreditava assim, como passou a mudar de ideia?

Os membros da universidade perceberam que era preciso mostrar ao povo que, para achegar-se ao Ceu, era preciso proceder-se aa semelhanca Dele. Entao, lancou-se os questionamentos: Qual eh o salario de Siddhartha Gautama (o Buda)? Quem sabe o quanto ganha Jesus de Nazare? Quem eh capaz de dizer a renda que percebe Mohammed? Quanto Deus Paga aos outros precursores de nossas religioes?

O que recebe um santificado? Estas coisas fizeram o povo despertar para o fato de a sociedade dominante capitalista de entao ser o oposto ao que Acontecia Junto a Deus.

Foi necessario pulso e tato para que nao se levasse muitos aa revolta contra as elites economicas e se provocasse revolucoes sangrentas. Justo, o sistema nao era e todos sabiam. Mas era preciso estudar formas de mudar aquilo, sem provocar choro e ranger de dentes, porque nao eh este o Procedimento Divino.

Assim, comecou-se a minar as ideias capitalistas com razoes ate entao nao pensadas. Uma dessas ideias foi assim: “A diferenca de salarios aumenta aa medida que aumenta o preconceito em relacao aas profissoes. Dizer que alguem mereca um salario maior porque sua profissao valha mais que outra eh o mesmo que dizer que alguem mereca salario maior que outro porque um tem pele negra e o outro tem pele branca. O preconceito eh igual porque nao se leva em conta ai que todos os servicos prestados sao igualmente necessarios.

Queridos pais, sentimos muito interrompe-los mas ate ao momento nao conseguimos entender direito porque foram feitas aquelas perguntas em relacao aos salarios de Mohammed, Jesus, Buda e outros. Qual era o objetivo disso?

Estes, filhos queridos, sao aqueles que, ate ao presente momento, sao considerados os melhores dentre nos, dentro de cada religiao em que foram precursores. De acordo com o pensamento capitalista, como eles foram a excelencia do conhecimento na area em que atuaram, era para que os Ceus lhes dessem uma recompensa milhoes de vezes superior ao menor contribuinte para as Causas de Deus e que alcancasse a Morada do Pai.

No entanto, nos vos afirmamos, nenhum que alcancar entrar no Ceu tera sequer uma virgula a menos que a recompensa destes vultos da nossa Historia. Isto, porque a primeira condicao para se alcancar a Morada de Deus eh a disposicao irrestrita de partilhar os dons de cada um com todos.

Aqueles homens se tornaram a expressao que sao para a humanidade devido aos dons que receberam do Pai e o que Vem do Pai eh para ser partilhado com todos. Aquele que negar essa verdade esta fechando para si proprio as Portas da Casa do Pai.

Alguns fatos tambem colaboraram para a divulgacao do direito aa igualdade de posse entre os filhos de Deus. Conta-se em Translucida que, uma vez, uma pessoa foi a uma das reunioes da universidade e comecou a provocar os membros dela com as palavras: “Ora, voces pedem a Deus e Ele Da a voces o que pedem? Se eh assim, por que eu que peco coisas para acumular recebo tanto e voces sao pobres?”

Um pastor, presente aa reuniao, tomou a palavra e respondeu: “Realmente, voce pede e muito tem mas nao foi Deus Quem lhe deu o que voce tem em excesso. O que te vem nao vem de graca. Vem aas custas de sua propria ganancia e como fruto da exploracao de seus empregados e clientes. Se voce tivesse pedido a Deus um peixe, Ele nao teria lhe dado a cobra que agora o envenena.

Segundo voce, nos nada temos. Mas nao trocamos o bem que nos vira, nem por mil vezes o que voce possui. O Pai nao nos Da tudo o que pedimos. Nos Da aquilo que nao nos fara mal no futuro.”

A pessoa acabou saindo da reuniao meio sem rumo. Porem, com o passar do tempo, acabou reconhecendo o erro dela e repartiu a fortuna acumulada com aqueles a quem de direito ela pertencia.

Antes que houvesse a migracao em massa que irmanou todos os povos em Translucida, houve, como esta acontecendo atualmente na Terra, uma migracao por motivos de perseguicoes politicas e, principalmente, economicas. Nos paises onde existia muita pobreza, era comum atribuir-se a culpa desta pobreza aa populacao pobre.

Dizia-se que os paises eram pobres porque o povo era ruim para trabalhar ou deixava-se entender que o povo era mau, dai a pobreza ser consequente e endemica. Com a migracao de parte da populacao pobre para os paises ricos, pode-se comprovar a falencia das elites.

Isso se deu assim porque, mesmo apos tantas geracoes apos os ideais de igualdade terem sido lancados por diversas religioes, o mundo continuava exatamente como era antes e durante o periodo em que os governantes pertenceram aas elites, que sempre governaram para si proprias. As elites sempre acumularam e nunca partilharam, porem, quando os pobres dos paises satelites se dirigiram aos paises ricos, cresceram economicamente como jamais conseguiriam se tivessem permanecido em seus paises de origem, superando, muitas vezes, aas elites em seus paises de origem e inclusive parte dos nativos dos proprios paises ricos. Comprovou-se assim que a culpa da ma distribuicao de renda no planeta estava na ma administracao feita pelas elites.

Tambem ficou comprovado que as diferencas economicas entre paises ricos e paises pobres existiam por causa de preconceitos e egoismos dos paises ricos em relacao aos pobres porque, se existisse alguma razao envolvendo competencia da populacao, era esperado que a populacao dos paises pobres permanecessem em niveis inferiores, economicamente falando, aas populacoes nativas dos paises ricos. E, estes fatos, engrossaram a argumentacao favoravel aa distribuicao de renda em Translucida.

Mas, apesar disso tudo, as pessoas permaneceram acreditando que aqueles que tivessem alguma ideia util, tinham o direito a obter privilegios em relacao ao restante da populacao. Mesmo as pessoas da universidade mostrando razoes fortes para isso nao acontecer. Uma das razoes alegadas foi:

Ora, voce tem uma ideia util mas a ideia por ela mesma nao te leva a lugar algum. Geralmente, voce precisa de um emprestimo para coloca-la em pratica. O emprestimo vem do banco. E o dinheiro eh dos correntistas. Ou seja, para por sua ideia em pratica, voce precisa de ajuda das pessoas. Depois, toda ideia precisa ser comprada pela populacao. Voce, novamente, precisa das pessoas. Entao, para que voce obtivesse vantagens em relacao aas outras pessoas, seria preciso que voce nao dependesse delas para nada.”

Mesmo diante da forca destes argumentos houve uma certa resistencia aa aceitacao da verdade. Usou-se entao o artificio de boicotar as ideias novas de quem nao as queria partilhar com todos. Muitas delas nao eram insubstituiveis. Quando um inventor mostrava sua ideia e nao a queria compartilhar, os membros do movimento elaboravam uma formula alternativa de obter o mesmo resultado sem usar a mesma ideia e os autores das ideias substituidas eram convidados a entrar no movimento, trazendo ou nao suas ideias para ele. Para o movimento, as pessoas eram mais importantes que suas ideias.

Porem, muitos dos autores de ideias novas somente reconheceram que as pessoas eram mais importantes que as ideias quando os seus produtos ficaram encalhados nas prateleiras dos comercios. Quando ninguem os comprava, eles entendiam que a melhor de todas as ideias era caminharmos todos juntos.

Foi preciso entao repetir para estas pessoas que o que elas revelavam como conhecimento novo, o Pai ja o Sabia desde o Principio. Desta forma, a grande ideia havia sido repartir os dons com todos para que cada um participasse da construcao do mundo novo, assim, nao haveria dominantes nem dominados e a humanidade marcharia unida para sua purificacao e santificacao. Esta eh a unica forma de reencontrarmo-nos com o Pai.

Foi tambem um grande problema fazer os senhores do planeta, aqueles que, por suas posses materiais, pensavam: “Eu tenho, entao, posso.” compreenderem isso. Estas pessoas que, por causa da sua falta de amor, preferiam as posses aas pessoas que nao possuiam igual a elas, ficaram resistentes aas mudancas para esta nova vida de partilha.

Muitos possuiam as terras, outros industrias, tantos o comercio, quantos os que viviam de renda e outras atividades afim. Quando a universidade procurou esclarecer que eles deveriam doar o que possuiam para que pudessem ser Aceitos na Casa do Pai e que perderiam privilegios, porem, nao a dignidade, parece que estas pessoas entenderam que a dignidade delas estava presa ao seu poder de compra.

Alguns se ofereceram a fazer doacoes generosas ao movimento, desde que este os “deixassem em paz”. Alguns ate mesmo sugeriram seus proprios nomes para os departamentos da Universidade, em troca de tais doacoes. Apos uma dificultosa negociacao, onde os recaucitrantes nao conseguiram se convencer da verdade, preferindo permanecer naquela vida de exploracao do proximo, a Universidade lancou o programa: “Nos que nada temos, podemos muito mais.”

Parece que os ricos haviam se esquecido que, nas duas pontas de suas fortunas, estavam os explorados como empregados e os explorados como consumidores. Neste tempo, o movimento ja era uma forca consideravel. Cerca de metade da populacao do planeta era participante. Tambem, o poder do voto ja havia sido feito funcionar. Muitos governos, governantes e administradores ja pertenciam ao movimento universal.

Desta forma, resolveu-se atacar a economia vigente por setores. Primeiramente, montou-se uma cadeia mundial de bancos. Imediatamente a isso, os correntistas que ja pertenciam ao movimento e a parcela dos simpatizantes apenas, transferiram suas economias para ela. Foi como um terremoto para o mercado financeiro internacional. Milhares de funcionarios das redes concorrentes sairam para integrar-se aa nova rede.

Muitos dos bancos anteriormente existentes teriam que executar creditos com seus grandes devedores, para obter liquidez mas nao o poderiam fazer, para nao quebrar seus contratos. O unico recurso foi transferir estes creditos aa rede nova. E os grandes devedores destes creditos eram exatamente parte dos refratarios ao movimento.

Com a posse das acoes dos grandes negocios, que manipulavam a economia mundial, a rede nova passou a comprar o que lhe faltava em acoes para assumir o controle acionario das empresas. Isto, nao se contando os casos em que ja assumira o controle automaticamente.

Depois dessa posse, distribuiu as acoes em nome de associacoes dos proprios funcionarios das empresas. Os funcionarios que ja participavam do movimento formaram as administracoes autonomas, com a ajuda de especialistas no ramo financeiro. Com os proprios funcionarios dominando os negocios, os antigos majoritarios, que ainda resistiam aas mudancas, nao tiveram outra escolha, senao vender suas partes e sairem de cena.

Desta forma, outro “terremoto” derrubou outra grande parte do antigo status quo. A maioria da populacao passou a comprar produto apenas de fabricas e comercios que ja estavam integrados ao sistema novo. Os ricos que ainda quizeram resistir, automatizando suas producoes em busca de produtos mais baratos, se viram derrotados facilmente, porque, diante da conscientizacao feita, a populacao percebeu que, aquele preco mais baixo era isca para peixe.

Nao valeria a pena comprar produtos de um setor que nao estivesse pensando em conservar empregos, salarios justos e dignidade para todos. O lucro para a populacao passou a ser o viver, o deixar viver e ser feliz. Ao contrario do abarrotar os bolsos com dinheiro.

Muitos dos negocios tomaram rumos diferentes. Houveram os empresarios que se conscientizaram de que a melhor opcao de ir para o Ceu, seria vender tudo o que possuiam e partilhar o dinheiro com os pobres. Nesse caso, foram aconselhados a entregar suas empresas aos pobres que eram seus proprios empregados. Estes empresarios foram conservados em suas administracoes.

Em outros casos, empresarios decididos a vender suas empresas, eram convencidos a vende-las para seus proprios ex-empregados. Em alguns casos, estes se cotizavam e compravam os negocios. Outras vezes, quando nao tinham posses para concluir a compra, eram financiados pela nova rede mundial de bancos. Os juros cobrados por esta rede para estes clientes especiais tinham a funcao de nao apertar ninguem para pagar.

Aa medida que o tempo passou, o movimento acabou arrebanhando o restante da populacao, exceto, uma pequena parte dos antigos milionarios. Estes, como perderam a posse de seus negocios, quizeram manter-se com renda aplicando seus capitais. Mas a mudanca final transformou a economia em algo mais simples.

Todos trabalhavam e, em troca, recebiam tudo o que necessitavam. Era muito mais do que possuiam antes. Todos tiveram o beneficio da educacao, da saude e de todas as obras que, anteriormente, somente o dinheiro poderia comprar. E, aquela pequena parte de milionarios que resistiu ate o ultimo instante, passou a viver da caridade dos irmaos que os serviam alimentos e cuidavam de suas saudes, sem nada cobrar.

Todos aqueles tesouros guardados em dinheiro, joias, ouro, prata, pedras preciosas etc, de nada valiam para mais ninguem. Eles poderiam guarda-los como lembrancas dos seus tempos de maldade, para o restos das vidas deles ou joga-los fora.

O maximo que o ouro podia valer, era o seu lugar em uma ou outra atividade industrial. Nem para os dentes servia mais porque nao existiam mais caries em Translucida.

CAPITULO 048 – O SEXO EM TRANSLUCIDA

Pais de todos nos, existem assuntos que tem dominado nossas vidas aqui na Terra e que nem sequer foram tocados por voces nesta Obra que transcorre no momento. Os senhores nao pensam que tambem o exemplo da pratica do sexo em Translucida possa ajudar-nos a encontrarmos os nossos caminhos?

Eh possivel que sim, filhos queridos, mas existe algum problema especifico que voces gostariam de abordar? Sexo eh um assunto complexo e nos nao pretendemos tornarmo-nos a palavra final sobre isso.

Poderiamos comecar, por exemplo, falando a respeito da frequencia com que os casais o praticam em Translucida.

Filhos, como dissemos, nem tudo nos foi mostrado em Translucida, provavelmente, por causa do modo de agir daquele povo. Ele age tao naturalmente a respeito de certas coisas que a impressao que temos eh a de que certos assuntos nem passam pela cabeca dele. Nos tambem nao estavamos preocupados com a pratica sexual quando estivemos la.

Nao arguimos a esse respeito em detalhes menores neste tempo. A frequencia com que praticam sexo, por exemplo, foi um detalhe que nos fugiu. Talvez tambem eles nao estejam preocupados com isso. A maior dedicacao deles eh instruir a juventude para a vida. Naturalmente, isso inclui o sexo ja que eh da pratica dele que todos nascem. Mas cremos que eles o pratiquem com maior frequencia que as pessoas na Terra porque nao chegamos a notar nenhuma estafa, nenhuma fadiga ou excesso de obrigacoes a cumprir.

Nao notamos ansiedade. Ninguem tem pressa para possuir as coisas materiais, pois, todos ja possuem o que necessitam. Pessoas menos estressadas tem melhor apetite sexual, aliado a que a pratica do sexo em Translucida eh aceita como um dos fatores primordiais da vida, como respirar, beber agua ou se alimentar, eh presumivel supor que o pratiquem mais frequente.

E as familias, sao numerosas?

A unidade familiar por la eh basicamente representada pelo casal e dois filhos. Mas isso nao eh obrigatorio. Como eles tem uma longevidade elevada, eh comum acontecer de oito geracoes de uma mesma familia serem contemporaneas. Neste caso, a grande familia eh enorme porque os lacos colaterais familiares se estendem tanto que chegam a abracar o planeta.

Aliado a isso, eles tem por habito nao se casarem entre parentes muito proximos, o que amplia muito o leque de lacos familiares. Outro fator que amplifica a familia eh a facilidade de contatos entre os povos. As familias sao compostas de muitas racas e paises, simultaneamente. Vamos dizer assim, familia em Translucida eh uma verdadeira festa de todas as cores.

Eles aceitam algum tipo de abortamento para controlar a natalidade?

Seria ate um sacrilegio se a palavra natalidade fosse conjugada com abortamento. O respeito aa vida esta acima de tudo, como parte do amor prestado a Deus. Desde a concepcao, o ovo humano eh considerado uma pessoa. Se nos sabemos evitar a formacao do ovo, muito mais eles que tem tecnologias mais avancadas.

Como eles conseguiram ter todo esse controle por eles proprios?

Talvez pela diferenca com que encaram a sexualidade em relacao aa Terra. Na Terra, o que atrai o homem na mulher ou a mulher no homem se limita aa beleza, juventude e, muitas vezes, interesses economicos. Porem, para beleza e juventude o tempo passa e, como ele, elas se vao. Alcancados os interesses, estes se esvaem como fumaca. Assim, o casamento sobre estas bases caem no vazio.

La em Translucida, o fator economico nunca eh criterio de selecao entre casais porque ninguem possui nem mais nem menos que os outros. Ninguem tambem tem a necessidade de aparecer, porque todos sao respeitados exatamente como sao em suas proprias naturezas.

A presenca de dons tambem nao eh fator de escolha porque todos revelam dons ja que a educacao esta voltada para que eles se revelem. Enfim, as unioes acontecem por perfeita empatia. Procura-se as pessoas que melhor se completam e as pessoas com as quais realmente se tem a intencao de viver toda uma vida em comum.

Mas isso nao eh apenas uma figuracao? Um sonho que todos gostariam de realizar?

Nao. Em Translucida nao se age como atualmente na Terra. La se procura construir em si e no parceiro o bom senso. Este, nao ira passar com o tempo porque eh construido e eh uma construcao que cresce com o tempo.

E eles praticam o sexo antes do casamento?

Sim. Como regra nao obrigatoria. Numa sociedade bem orientada como eh la, ninguem tem necessidade de autoafirmacao porque praticar ou deixar de praticar sexo nao distingue ninguem. Ninguem se obriga a praticar sexo antes do casamento mas, geralmente, acontece com pessoas que decidiram que irao se unir definitivamente.

Na realidade, o casamento que vale para eles eh aquele que o casal realiza diante do Pai. Quando duas pessoas se unem sinceramente no amor, casadas estao. A cerimonia matrimonial eh apenas uma formalidade que todos gostam de realizar para reunir a todos que os amam em torno do seu amor.

Eh importante observar-se que, la, o sexo nao eh nenhum tabu, nao conta pontos e ninguem pratica para contar como vantagem. Esnobar performance sexual eh encarado com qualquer doenca de exibicionistas. O tratamento eh simples. Isso somente acontece em mentes reprimidas. O que nao ocorre em Translucida.

Pais, gostariamos de perguntar-lhes algo mais estamos envergonhados de faze-lo.

Filhos, o sexo somente se torna exageradamente importante na relacao homem/mulher quando eh mal praticado ou quando eh distorcido. Se voces tem duvidas e nao se sentem aa vontade para conversar a respeito disso com seus proprios pais, eh porque a vida sexual de voces esta mal conduzida.

Em Translucida, no inicio, quando os proprios pais eram mal orientados em relacao aa pratica do sexo, as igrejas escalaram pessoas de maior conhecimento sobre o assunto para o servico de orientacao aas criancas e aos adolescentes. Assim, desde antes da iniciacao da pratica, as duvidas eram esclarecidas de acordo com a persepcao individual de cada um.

Pela acao por antecedencia, os bloqueios sexuais nao se desenvolviam, assim como a verdadeira informacao impedia as deturpacoes. Por fim, o “problema” sexo foi dimensionado em seu tamanho exato. Portanto, para que isso aconteca tambem na Terra, eh preciso que a mentalidade de repressao seja revogada para que todos se sintam seguros a desfazer as proprias duvidas. Esclarecido isso, faca sua pergunta que buscaremos esclarecer, caso os nossos conhecimentos nos permitam.

Eh que eu tenho tido varias experiencias sexuais com varias mulheres mas, todas as vezes que consigo praticar sexo com alguma, perco o interesse por ela.

Como dissemos, nao somos especialistas no assunto e, portanto, nao tomem nossa opiniao como um diagnostico e solucao para o problema. Cremos que o mais importante eh voces proprios terem tido a coragem de levantar a questao como problema. Reconhecer o problema eh o primeiro passo para encontrar a solucao.

O que possivelmente pode ter acontecido em suas vidas eh ter havido um tempo em que voces quizeram chamar a atencao de suas maes para si mesmos. Isto, em suas mais tenras idades. Porem, elas, por algum motivo qualquer, seja porque estavam cozinhando para as familias, seja porque precisavam sair para trabalharem, nao puderam dar-lhes a atencao que voces esperavam.

Isso pode ter criado um vazio em vossas mentes. Somando a isto, quando voces cresceram, comecaram a receber as inducoes falsas dos comerciais. Observem que, no presente momento, alguem deseja vender carros, coloca uma modelo muito bonita procurando induzi-los a pensar que, comprando aqueles carros irao tambem obter os melhores favores sexuais do mundo.

Neste caso, voces sao induzidos a pensar que mulheres muito bonitas e com medidas de modelo, sao a realizacao de todos os seus anseios sexuais. Mas voces tambem tem aquele vazio de infancia de que, para chamar a atencao de uma mulher praticamente inatingivel, voces precisam de algum dom espetacularmente superior. Neste caso, voces passam a esperar das mulheres algo muito superior do que elas podem lhes oferecer.

Estao lembrados de que ja lhes falamos que um gesto banal para um adulto pode representar um verdadeiro acontecimento para a personalidade em formacao de uma crianca? Quando encontram alguma mulher que pratica o sexo com voces, voces nao conseguem separar aquilo que idealizaram daquilo que eh realidade.

E a realidade eh essa. O sexo sao apenas alguns momentos de muito prazer. O restante, que corresponde aa maior parte de suas vidas, eh a rotina comum de todos os seres humanos. Porem, voces criaram a ilusao de que poderiam preenche-la com momentos interminaveis de prazer sexual. Assim, nao atingindo o que idealizaram, se frustram, tornam-se infelizes e fazem outras pessoas sofrerem tambem.

A pratica do sexo eh fundamental na relacao macho/femea de todas as especies mas ela precisa ser redimencionada nos atuais conceitos humanos na Terra. Nao podemos superestima-la nem subestimar.

Mesmo que as mulheres nao tenham levantado a questao na presente reuniao, sabemos que muitas delas tem problema semelhante. Eh o que ja dissemos. No inicio, voce cria um vazio por causa de uma necessidade nao atendida. Depois voce procura preenche-lo com coisas falsas, que somente aumentam o vazio, a ponto de virar problema. O que eh preciso fazer eh preencher-se o vazio inicial.

Eh necessario buscar as origens do problema. De preferencia antes que ele cresca, para preencher o vazio inicial com coisas verdadeiras e bem dimensionadas. O ser humano nao deve deixar que sua vida gire apenas em torno de uma de suas atividades importantes que eh a pratica do sexo. O ser humano eh muito maior que este acontecimento que inicia a vida de todos.

Para que nao sejamos acusados de charlatanismo, recomendamos a todos voces que tenham o problema descrito aqui, ou outros de fundo sexual, ou nao, a procurarem pessoa especializada no assunto, tal como um psicologo que saiba fazer a regressao. Importante eh: reconhecer que se tem um problema, ter a coragem de assumi-lo e procurar ajuda especializada. No fundo, certos problemas estao mais na imaginacao ou falta de imaginacao das pessoas que exageram ou menosprezam pequenos acontecimentos.

Pais de todos nos, sendo entao como nos falam, que em Translucida nao existem mais problemas, ha ja um tempo consideravel, eh possivel entao que os exemplos deles nao nos sirvam de ajuda porque, se eles nao tem problemas, como poderao dar-nos solucoes para os nossos?

Em parte voces tem razao. Mas os problemas nao existem la porque eles atuam na prevencao contra eles. Porem, existem as historias que estao registradas nos livros ou nas memorias das pessoas. A propria Lucida falou-nos, com grande conhecimento de causa, a respeito de muitas coisas que aconteciam antes dos problemas terem sido erradicados.

Oucam parte das licoes que ela nos ensinou: “Estudei para ser mestra de classe, fui professorinha, estudei e lecionei Historia Contemporanea. E eh como as criancas hoje falam de mim. “A vovo nao eh mais a professora de Historia, ela eh a propria Historia Viva.” – rimos – Mas teve uma epoca em que nao tinhamos profissionais de ajuda suficientes para tanto trabalho.

Como as pessoas valiam pelo quanto ganhavam, tinhamos ate excesso de medicos e profissionais de informatica mas havia um grande vazio em outros setores, porque todos queriam ganhar dinheiro e nao servir ao proximo. Assim, fui escalada para ajudar nestas tarefas tambem.

Um certo dia uma pessoa procurou-nos para dizer que a vida sexual dela nao estava indo bem por causa do marido dela. Ela contou-me que o marido nao estava ganhando o suficiente, que os planos que eles haviam feito para a familia estavam atrasados e, mesmo assim, o marido nao queria aumentar as horas trabalhadas para ganhar mais dinheiro. Assim, chegava o momento de praticarem o sexo ou mesmo em outros momentos, eram frequentes os desentendimentos entre eles.

Lucida contou que, meio chateada por estar executando uma funcao que nao se julgava preparada para executa-la, dirigiu-se aa casa que o casal alugara para encontrar-se com o tal marido. Encontrou-o no gramado prestando assistencia aos filhos que brincavam. Ela foi logo explicando ao que fora e desculpando-se por estar interferindo na vida particular deles, ao que o homem respondeu.

“Liga nao dona Lucia. Sei de onde vem o recado. Casei-me com a fonte.”

Lucida disse ter ficado desconsertada com aquela espontaneidade do homem mas mesmo assim explicou-lhe ate que ponto sabiam da situacao e que precisaria mais informacoes, porque ouvira as queixas de apenas uma parte. Foi quando ela tocou no assunto salario que o homem resolveu falar.

Nao trabalho pouco nao. Trabalho igual a todo mundo. Mais ate que talvez deveria ja que existem pessoas que estao desempregadas. O meu salario eh que eh pequeno. Quem poderia resolver este problema eh o meu patrao. Ele eh que esta ficando rico com o meu salario pequeno.

Mas nao tenho para onde correr. Eu tambem sou pequeno. Se eu largar este emprego, somente vou conseguir outro que ira pagar-me o mesmo tanto ou menos. Nao sou eu que tenho de mudar mas sim a mentalidade da sociedade.

Alem disso, se eu largo o meu emprego porque estou ganhando pouco, tem sempre alguem querendo o meu lugar porque tem empregos que dao salarios menores ainda. A injustica esta em nao se criar empregos para todos e os filhos de Deus nao reconhecerem o seu proprio valor e o dos outros. Isso me faz pensar que somente terei salario justo no outro lado da vida.

Lucida ainda procurou argumentar com o homem: “Mas voce nao esta pensando apenas em si mesmo e nao no futuro dos filhos?”

“Nao. – respondeu o homem – Estou pensando nos dois sentidos. No momento, eu sinto que eles precisam mais da minha presenca que possuir coisas que eu poderia dar se tivesse mais dinheiro.”

Entao, o homem mostrou um ninho de sabia e falou: “Ate ontem tinha filhote. Hoje so vi a mae sabia. Nao trabalho demais mas quando os filhos tambem se forem para o mundo, guardarei deles as melhores lembrancas e eles farao o mesmo de mim. Nem sempre os filhos deixam a casa dos pais por nao gostarem deles mas porque isso se faz necessario.

Os pais que se dedicam demais a trabalhar, imaginando que darao um futuro melhor a seus filhos, na maioria das vezes, tornam-se seus verdadeiros inimigos porque os filhos necessitam dos pais em torno deles para formarem suas personalidades e nao de guardiaes que se irritam facilmente com a algazarra deles, devido ao cansaco em que se encontram por causa do trabalho excessivo.

Eu ainda tenho os meus pais vivos. Eles estao muito distantes de nos, no lugar onde nasci. Nao os vejo faz muito tempo. Nao eh por causa de ser mal agradecido que nao vou ve-los mas por causa das injusticas do mundo que nos separa.

Como tambem eu fui, meus filhos sao como os sabias filhotes, precisam apenas um ninho, comida e carinho. Quando estiverem precisando de mais coisas, espero que o meu salario nao seja mais tao ruim, caso for, ai sim vou me preocupar em trabalhar alem do que ja trabalho.

Com eu, eles saberao reconhecer. Meus pais nao me deram tudo que o mundo oferecia em minha epoca mas tenho certeza que se nao tivesse tido a presenca deles perto de mim, hoje, estaria sentindo algum vazio na vida. Quando as criancas precisarem de mais coisas e se o meu salario nao for o suficiente, pretendo trabalhar mais, mas isso sera por causa da injustica do mundo, praticada contra nos que somos pobres.”

Lucida comentou que nao estava preparada mesmo para aquele trabalho, pois, ao inves de convencer ao homem a mudar, se viu convencida de que ele realmente tivesse razao. Assim, continuaram a conversar sobre outros assuntos relativos ao casamento e aa relacao entre o casal.

“Sinto ate que minha esposa acabara me dando razao um dia. – comentou o homem melancolicamente – Mas sera tarde porque os filhos terao que ir viver a vida deles e nos teremos perdido todo este tempo de nossas vidas em brigas sem fundamento e ja estaremos velhos demais para recuperar o tempo perdido. Nem sei se existira casamento para nos ate la.”

“Nao seja tao pessimista. – comentou Lucida – Quando os filhos de voces tomarem os rumos deles voces nao estarao tao jovens para comecar tudo de novo, mas ainda vao estar com as glandulas funcionando.”

O homem riu-se da forma indireta usada por Lucida, para dizer que eles ainda poderiam fazer sexo. E prosseguiu:

“Eu nao estava pensando por este lado. Eu estava pensando no respeito que as pessoas adquirem umas pelas outras quando a convivencia eh amistosa, mesmo quando tem divergencias. Ora, ja convivi com muita gente neste mundo de nosso Deus. Muitas vezes, tive divergencias com as pessoas. Eu tinha uma opiniao sobre um assunto e as pessoas outra. A gente discutia. Ninguem convencia ninguem. Vez por outra, a gente notava que as pessoas mudavam seus modos de pensar e passavam a concordar conosco ou a gente passava a concordar com elas. Porem, dentro do meu casamento, so existe a divergencia, nunca a concordancia.

Pior, existe muita falta de respeito aa opiniao alheia. Eu nao posso entrar em casa que so recebo criticas. Nunca ha um meio termo neste sentido: hoje eu encontrei suas coisas fora do lugar de costume, o que aconteceu? Esquecer algo fora de lugar sempre acontece quando ha imprevistos que nos atrasam. Mas, infelizmente, em minha casa a repreensao vem em primeiro lugar.

Tambem, seria bom que todos usassemos as palavras magicas: com licenca e por favor. Sem ironia, bem entendido. Nao existe nada mais irritante num casal, que deveria ter o direito de igualdade respeitado, que o uso do imperativo: Faz isto. Faz Aquilo. Eu estou te mandando.

E eh nisso, dona Lucia, que eu estava pensando. Observo que sera muito dificil chegar da meia-idade em diante sem guardar nenhum rancor. Rancor este que acaba afastando os casais em definitivo.”

Lucida entao percebeu, no semblante daquele homem, que ainda nao havia amargura e a melancolia se desfizera. Ela notou que ele estava procurando estudar o proprio casamento. Estudava os defeitos e procurava dar solucoes. Mas sabia tambem que a esposa nao lhe daria ouvidos, exatamente por julgar que os dois, sendo iguais perante ao direito, um nao poderia ter melhor conhecimento que o outro e apontar as solucoes.

Resolveu, entao, voltar a aquela casa num horario em que o marido estivesse trabalhando e a esposa se encontrasse em casa. Chamou a mulher a olhar pela janela. Mostrou o ninho vazio, a sabia solitaria e comecou: “Ha poucos dias ali tinha um ninho com filhotinhos…”

E do que aprendemos em Translucida, notamos que os casamentos se dao atualmente atraves do conhecimento e convivencia que as pessoas primeiro buscam. Eles podem morar em uma mesma residencia quando assim decidem. Eles se observam por um bom tempo para identificarem as afinidades que possuem. O casal precisa sentir prazer em estar junto. A pratica do sexo vem em consequencia disso. Eh apenas um complemento natural e nao a prioridade numero um para que o casamento se realize.

CAPITULO 049 – ANUNCIACAO DE UM NOVO DIA

Passamos entao mais alguns dias na Universidade. E la apredemos coisas que, sabemos, nos valerao para o resto de nossas vidas. E todos os teofilos que ouvirem e cultivarem as nossas revelacoes tambem tirarao o mesmo proveito. Sabemos que as coisas que transmitirmos nao passarao com o tempo, porque o tempo nao eh o senhor do que nos foi ensinado.

O que aprendemos esta alem do nosso tempo, tanto no sentido pre quanto pos. Sabemos tambem que a pessoa humana de nossa idade tera grande dificuldade em crer em nos mas nao cremos que isso se de por maldade dela. Isso se da porque a nossa atual cultura nao nos prepara para mudarmos nossas ideias preestabelecidas, mesmo ate diante de uma opcao melhor.

Sera muito dificil a pessoa humana desapegar-se de seus deuses: dinheiro, ambicao, poder, justica punitiva, fronteiras, certos valores culturais, regime de castas, racismos, mais valia, egoismo, exclusivismo religioso e exclusionismo dos pobres.

Mas, apesar de tudo isso, eh preciso abrir o caminho para os proximos que virao. Eh preciso abrir as porteiras e colocar placas de indicacao nesta estrada para aqueles que vierem, mesmo que seja muito tempo depois, nao se percam do rumo correto.

E, naqueles dias na Universidade, ouviu-se um murmurio. Primeiro, contido; depois, como o explodir de felicidade. Nos, que eramos de certa forma estranhos naquele meio, ficamos intrigados com o que estava levando aquele povo a um contido alvoroco. O muito que conseguiamos entender era que eles diziam: “Esta cada vez mais proximo o dia.”

Procuramos entao Lucida para que nos esclarecesse aquele misterio. Ela, entao, tomou-nos pelas maos, levou-nos aa uma sacada de um predio onde pudemo nos ascentar e contou-nos.

“Nao se preocupe. Este alvoroco eh coisa da juventude. Cremos que esta chegando o dia do nosso Reencontro com o Pai. Todo o planeta sera arrebatado para uma dimensao superior.”

Falamos entao de nossa estranheza, pois, criamos que isso poderia acontecer somente depois que a quarta geracao, totalmente purificada, estivesse dominando o planeta.

“Tambem nos assim pensavamos. – explicou-nos Lucida – Eu, que vivi no meio de tantas geracoes e algumas delas bastante pecadoras, jamais pensei que pudesse obter essa Graca. Sempre fiz forca para deixar de heranca aas geracoes que viessem apos mim, um mundo de amor, um mundo de paz, um mundo de perfeita conciliacao com o Pai. Nao pleiteava essa Graca para mim mesma.

Fiz e procurei ensinar a fazer as coisas que pensavamos que ficariam para sempre, dentro de nossos limites humanos. No entanto, parece que o Pai Concedeu-nos a Salvacao, porque vivi muito alem da minha geracao. Foi o convivio com estas ultimas geracoes que me purificou. Nao foi por mim mesma que o Pai Concedeu esta Graca. Fizemos a nossa parte.

Se estas geracoes nao tivessem aceitado o amor como unico caminho, a minha contaminacao nao teria sido lavada. Agora, ate mesmo voces podem retirar as vestimentas que receberam quando chegaram aqui. As contaminacoes nao nos atingem mais.”

Na Terra, – contamos – muitas seitas pensaram que data semelhante tivesse chegado para elas e cometeram absurdos, como o suicidio coletivo, imaginando que este seria o caminho de reencontrar-se com o Pai. Outras marcaram datas que, mesmo sem o suicidio, nunca aconteceram. Voces nao correm o risco de tambem estarem enganados?

“Voces nao estao sentindo nada diferente nos ultimos dias?”

Estamos. Sentimos uma irradiacao de algo que nos parece ser de imensa paz, mas pensavamos que estavamos contagiados pela alegria que a populacao estava irradiando. Pensamos que esta paz brotasse daqui mesmo, deste planeta e nao de outra dimensao.

“Pois, as nossas “antenas” veem sentindo esta vibracao nova ha mais tempo que o restante da populacao. “Antenas” sao as pessoas com dons especiais que os antigos chamavam de profecia. Na realidade, sao pessoas que tem apenas um pouco mais desse dom que as outras pessoas, por isso elas o receberam primeiro.

Mas, nao se preocupem, continuemos a viver a vida como se nada disso estivesse acontecendo. Nao vamos para-la porque nao nos cabe decidir o dia nem a hora que vamos Reencontrarmo-nos com o Pai. A qualquer hora que Ele Vier, para nos o resultado sera o mesmo. Importante eh estarmos sujeitos a Ele, sempre. Porque no momento em que Ele Vier, temos que estar sempre prontos para recebe-Lo. Agora vamos porque a hora de voces chegou. A Universidade deseja ouvi-los.”

CAPITULO 050 – NOSSAS PALAVRAS

Fomos entao conduzidos a um salao de convencoes da Universidade. E, para ele, haviam sido conduzidos todos os representantes sulamericanos. Estavamos conectados com todas as outras unidade universitarias das diversas partes do mundo, onde se encontravam os representantes das outras nacoes do nosso planeta.

Fomos estimulados a falar a respeito dos problemas que impediam nossas nacoes de tambem serem arrebatadas. Concentramos e pedimos intervencao da Ajuda Divina para que a nossa memoria nao falhasse. Claro, nao falariamos de todos os problemas em cada nacao isolada porque os problemas sao comuns a todas as nacoes, na maioria dos casos. Existem os problemas que tambem ja haviam sido mencionados em nossos outros encontros e os que ja sao do conhecimento comum de todos.

A linguagem usada aqui foi semelhante aa apocaliptica, porem, nao se trata de previsao de futuro como alguns creem. Nao cremos em futuros preestabelecidos porque, se existissem futuros preestabelecidos, nada poderiamos fazer senao cumpri-los.

Baseados na Historia de nosso passado, podemos fazer previsoes de possibilidades de futuro, mas nao podemos garantir que elas irao acontecer, por causa do nosso arbitrio ser limitado. Tambem podemos sentir aquilo que comumente denominamos premonicao. Muitas vezes elas nos veem, sem conhecermos seus precedentes.

Isso eh um tipo de oniconsciencia que algumas pessoas experimentam. Isto nao quer dizer que exista um destino a ser cumprido, ja que, agindo-se com rapidez, pode-se mudar algum acontecimento negativo que viria, se a gente nao pudesse interferir com o nosso “destino”.

O futuro sao muitas possibilidades simultaneas. Algumas pessoas conseguem escolher e conduzir-se pelas melhores opcoes para si mesmas. Outras somente o fazem com a ajuda de quem sabe faze-lo. Porem, eh da Vontade do Pai que, aqueles que sao capazes, ajudem aos outros a conduzir-se somente pelo bom caminho, para que todos marchemos juntos ao Reecontro com Ele.

As pessoas que aqui falaram, o fizeram referindo-se aas suas proprias nacoes de origem, embora as denominassem de paisinhos, aas vezes, de maezinhas e outras denominacoes mais intimas. Talvez porque o comportamento das nacoes se pareca com o comportamento de uma familia. Outros usaram a palavra patria mesmo. Enfim, este foi um recado para sacudir estruturas e acordarmos para o Conhecimento Novo. Segue entao:

Paisinho, por que os seus valores sao tao elevados? Por que seus herois vao tanto aa guerra e se prestam tao pouco aa paz? Paisinho, nao sou tao bom nas cestas, nao faco tantos pontos no tenis, nao faco sucesso no futebol nem rock-in-roll e, muito menos, descobri algo cientificamente importante. Talvez eu va me tornar apenas um operario do mundo. Por favor paizinho, eu preciso apenas de um abraco emocionado seu a cada dia de minha infancia e nao a noticia de que estamos retornando para casa em caixoes. Voce faria isso por mim?

Ah paisinho, voce saiu novamente para bombardear seus inimigos e na sua ausencia a gente se matou uns aos outros. Eh estranho paisinho porque voce diz saber solucionar os grandes problemas do universo e eh incapaz de enxergar o que ocorre em sua propria casa!

Paisinho, voce jogou bombas em seus inimigos e atirou contra eles. Agora fala que nao conversa com eles porque eles sao seus inimigos. Estranho. Pelo que nos ensinou um dia, eh com o inimigo que mais precisavamos conversar porque assim resolveriamos nossas diferencas. Se nao conversarmos com eles, jamais deixaremos de ser inimigos.

Ah voce maezinha, que pensou que o universo nao tinha leis. Invadiu e espoliou a Terra. Espalhou filhos bastardos por todo o mundo e agora nao quer reconhecer a maternidade. Sente-se invadida com o retorno dos descendentes de seus filhos. Experimente entao o mesmo veneno que espalhou. Reconheca que o unico antidoto para este veneno eh o amor. Nao sao os descendentes que sao bastardos. Eles sao verdadeiros desde a concepcao. Os pais sim sao bastardos. Lembrem-se disso oh potencia do superficialismo. Deixe de falar como se sabia fosse e reconheca seus erros.

Ah! Voce maezinha. Revestiu-se de tanto orgulho quando incentivou que todas as nacoes aprendessem a sua linguagem. Esqueceu-se de que tambem assim estavas gerando filhos e agora nao aceita a presenca deles em sua casa. Oh mae desnaturada, o que te incentiva a ter tanto odio contra as pessoas de sua familia?

Ando nas ruas de minha patria. Vejo criancas debrucadas nas calcadas, de maos estendidas e pedindo esmolas. Olho a mente das pessoas. Todas pensam que ali nao eh lugar para uma crianca crescer mas estao preocupadas demais com os proprios destinos. Por isso nao se preocupam a fundo com aquela injustica. O tempo passa e as criancas crescem. E as mesmas pessoas que nao as ajudaram a sair das ruas as chamam de ladroes. Mas nos nao vemos assim. Quem primeiro roubou-lhes a infancia? A minha patria acredita na geracao espontanea da nobreza, educacao, honestidade, saude, mansidao e outros valores nobres, porque abandona os filhos nas calcadas e depois espera que eles se tornem cidadaos exemplares, sem que ela nada tenha feito a favor deles.

Oh paizinho, observe quantos paises tem o mundo. Em todos se mata mas em nenhum outro acontecem os massacres como aqui. Voce nao sabe o que esta acontecendo paizinho? Precisamos de ajuda. Estamos doentes. Espalhamos odio aos outros povos. Agora o odio voltou-se contra nos. E ate os bons espiritos dos povos que atacamos sentem-se receosos em nos ajudar. Eh que, usualmente, procuramos resolver nossos problemas por meio da violencia. Nos nos recusamos ao amor universal, eis o nosso problema.

Nossos ancestrais eram o rejeito do mundo quando vieram para estas terras e provaram ao mundo o seu erro em rejeita-los. Hoje nos estamos querendo igualar-nos ao mundo que rejeitou nossos ancestrais, rejeitando o resto do mundo. Quem nos dera tomassemos consciencia e nos tornassemos melhores que o mundo que rejeitou nossos ancestrais, indo abraca-lo no amor do reencontro dos irmaos separados.

Paizinho, paremos de louvar a Deus apenas com os labios. Tiremos o deus dinheiro de nossas mentes e coracoes. Vamos consagrar nossas mentes, coracoes e labios unicamente ao Pai.

Acorda maezinha! Voce ficou tempo demais adormecida para as coisas de Deus. Enquanto nos queriamos ser a cabeca do mundo so estavamos andando para tras. Agora o mundo deseja que nao sejamos a cauda dele. O mundo ja sabe que, sem voce, ele nao sera aceito por Deus mas, em primeiro lugar, o mundo te espera porque tambem te ama.

Por que voce se satisfaz em ser apenas um adereco da cabeca onde pode se tornar parte do cerebro maezinha?! Engole o teu orgulho e vaidade. Entre no cranio e nas visceras desse mundo novo. Voce nao precisa ser mais do que ninguem, voce ja eh insubstituivel para a salvacao do mundo. Nao se separe. Seja um entre todos e todos serao um em voce. O Ceu somente te Abrira as Portas se caminharmos juntos.

Meu pai e minha mae me dizem: Veja o bando de estrangeiros que esta invandindo as nossas terras. Que povo feio e sem educacao. Temos que mandar todos de volta para seus paises atrasados. Porem, eu os vejo diferente. Quando os vejo, penso: ali esta meu trisavo, la passa a minha bisavo. Todos os povos ja foram imigrantes um dia. Quem emigra nao eh pior nem melhor que nos. Apenas ainda nao encontrou o seu lugar na sociedade humana. O motivo pelo qual nossos ancestrais vieram para nossas terras eh o mesmo que dos imigrantes de agora, ou seja, buscar amor que nao tiveram em suas patrias anteriores. Por nos recusarmos a recebe-los, ate mesmo os espiritos de nossos ancestrais clamarao contra nos Perante ao Pai.

Toda mae, todo pai, todo irmao e irma, todo filho e filha, todo esposo e esposa, nao precisa esperar o caixao chegar aa sua casa para chorar o seu parente soldado de nossa nacao guerreira. Chorem desde o momento em que ele assumir este oficio, pois, quem vive no pressuposto de matar, morto esta para Deus.

Ah paizinho! Se voce subestima tanto a vida, como nossas criancas irao aprender o valor dela?

Oh maezinha que tantos filhos produziu. Por falta de amor de sua parte estes filhos se divorciaram de voce. Acumulastes as riquezas de todos eles e agora mendigas filhos para nao morrer velha e abandonada. Por que resistes tanto? Por que se recusa a amar seu filho despresado? Pois eles estao voltando para buscar os tesouros que tomastes. Nao fazem isso pelo gosto de fazer-lhe mal mas para reascender a justica em ti. Nao se recuse mais a dar-se ao amor e seus filhos crescerao fortes e protegerao voce na velhice. Nenhum deles te recusara isso se voce manifestar verdadeiro amor por eles. Nao mais temas os filhos que abandonastes nas sarjetas.

A nossa maezinha engordou demais e cre que manter a pena de morte eh manter uma tradicao. Ah maezinha, deixastes a gordura invadir a propria cabeca porque se eh por tradicao que mantem a pena-de-morte, por que nao aceita a restauracao do regime imperial que eh tradicao tao mais antiga? Esta maezinha cre apenas nas tradicoes que os homens no poder impoem porque a maior tradicao que falta aa minha maezinha eh crer em Deus e praticar as boas obras Recomendadas por Ele.

A minha patria nao tem amizade com as outras patrias, tem negocios. Talvez seja por isso que nenhuma nacao nos ame, apenas nos tolera.

Oh paizinho, por que exigimos tanto um do outro? Nao sera dando-me um pais mais potente que os outros que irei ama-lo mais. Dedique menos tempo ao seu hobby favorito, esqueca os seus herois de guerra na tv. Nao queira mais que seja igual ao seu jogador favorito. Dedique menos tempo a ganhar dinheiro para o meu futuro e se preocupe um pouco mais com o seu menino presente. Eu so desejo tudo o que vejo porque voce mesmo ensinou-me a ser assim, querendo tudo para si tambem. Nao quero nada mais neste mundo. Te quero como um menino brincando comigo. Preciso que voce seja o meu melhor amiguinho.

O seculo XXI sera o seculo mais importante para a humanidade. Sera o momento em que o ser humano fara sua opcao pelos bom ou mal caminhos. O mal caminho eh aquele no qual o teista terrestre ainda acredita que havera uma grande destruicao e os remanescentes se entregarao ao Pai, pois, nao havera nenhuma outra opcao.

O Conhecimento com Respeito a Deus, porem, nos ensina que nenhum mal acontecido provem de Deus e sim como consequencia dos nossos proprios pecados. Se parte da populacao passa fome, nao eh porque ela seja mais pecadora que a outra parte ou que nao haja alimento para ela mas sim porque o egoismo daqueles que detem os alimentos nao os partilham com os irmaos necessitados, e nao partilham a tecnologia da producao.

Se um terremoto mata muita gente num pais eh porque os paises que detem a tecnologia de evitar as consequencias do desastre nao se dignam a partilhar esta tecnologia irmanamente. Se as aguas de uma tempestade tropical mata milhares em um pais, isso nao significa um sinal do final dos tempos. O sinal do final dos tempos eh a falta de amor que faz com que os ricos nao partilhem os conhecimentos que evitem tais tragedias.

Enfim, para toda consequencia grave de qualquer tragedia, na ponta da culpa existe a acao egoista dos proprios seres humanos e nao uma Intervencao Divina com a finalidade de puni-los. Se assim agisse o Pai, punitivamente, somente sobrariam as criancas e os metalmente incapacitados porque somente esses nao tem culpa alguma.

Eh comum ouvir-se as indagacoes: “Por que Deus permite tragedias como o terremoto na Indonesia? Ou o recente acontecido no Japao? E todas as desgracas que estao por vir?” Enxergo isso em uma outra perspectiva. Como o proprio ser humano se tortura atoa! Os terremotos e todas as forcas naturais ja existiam antes do ser humano existir e Deus nos Concedeu inteligencia para conviver pacificamente com elas. O que nos falta eh partilharmos as solucoes.

O caminho para evitar todas as tragedias consequentes dos terremotos ja nos foi mostrado pelos Sinais de Deus. Nos eh que precisamos percorrer esse caminho por nos mesmos. Resta-nos optar pelo bom caminho em que Translucida eh nosso exemplo. Eu gostaria que minha patria nao se negasse a andar por este caminho.

A forma que hoje ha de migracao no mundo eh um sintoma de que a ordem natural das coisas ja esta agindo pelo caminho arduo. Em pouco tempo os paises nao serao os mesmos que conhecemos hoje. As populacoes nao serao como eram, as linguagens serao diferentes e os costumes serao mudados. Os velhos procurarao as proprias imagens em seus descendentes e nao as encontrarao. Os jovens nao reconhecerao ascendencia em seus antepassados.

Atraves do bom caminho todas essas mudancas iriam mesmo acontecer, porem, ascendentes e descendentes se reconheceriam mutuamente. A forma de migracao no mundo de hoje sera lembrada, em menos de cincoenta anos, como atualmente nos lembramos do tempo da escravidao, ou seja, como uma grande falta de amor da conducao das pessoas humanas na Terra. Oh patria minha, por que nao nos unimos para evitar a via ardua?

A minha mae foi martir por um tempo. Foi o bode que expiou os pecados da pior geracao que ja passou pela Terra. Foi a unica que experimentou o equivalente ao fogo de um inferno, em vida. Mas ela voltou-se par si mesma, pensando que poderia resolver seus problemas sem a assistencia das outras nacoes. Desde entao nao partilha o que acumula.

Tornou-se a maior de todas as potencias tecnologicas. Evoluiu tanto que nao tem para onde seguir adiante. O que produz nao serve para as nacoes que nao se desenvolveram tanto. Seria como querer vender caravelas aos indios na epoca dos Grandes descobrimentos. Porem, ao contrario dos indigenas, que nao precisavam de nos, nos precisavamos deles para produzir o alimento da nossa tecnologia, atraves de sua tecnologia rudimentar.

Temos a estranha sensacao de que estamos voltando ao passado, pois, naquele tempo, os nativos das Americas nao precisavam do elemento colonizador mas o elemento colonizador precisava desesperadamente do nativo. Contudo, nao podemos hoje invadir o mundo e tomar dele aa forca o que necessitamos, como fez o elemento colonizador.

Temos a sensacao de nao termos mais para onde ir e de nao sermos mais capazes de voltar. Oh maezinha, nao eh o momento adequado para reconhecermos que nao somos superiores aos outros filhos de Deus? Por que nao nos juntamos todos ja que os problemas de um sao os problemas de todos e as solucoes para todos sao solucoes para um?

Maezinha, voltemo-nos para Deus. Esquecamos o nosso egoismo e a nossa falsa superioridade racial. Todos somos filhos do Mesmo Pai e somente juntos voltaremos a Ele.

Em meu pais, condenamos aa morte aos que cometem erros graves. Meu pais nao sabe que todas as pessoas sao boas mas quando nao tem suas necessidades atendidas tendem a cometer erros. Uns cometem erros com consequencias maiores e outros com consequencias menores, mas todos, juntos, cometem erros.

O maior erro de todos eh a omissao da sociedade e nao resolver os problemas que empurram as pessoas para os erros individuais. Eh preciso que a sociedade abra canais para solucionar os problemas de cada pessoa mesmo que, aparentemente, a pessoa tenha problemas sem motivos visiveis.

A solucao dos problemas que as pessoas tem, preserva a sociedade. Somente porque pensamos que estamos entre as pessoas que cometem erros de consequencias menores, nao nos julguemos melhores que aquelas que cometam erros de consequencias maiores. Erros sao erros e o Perdao de Deus foi feito para todos.

Por isso devemos procurar jamais praticar acoes cujas consequencias sejam irreversiveis por nos mesmos. Matarmos um semelhante impede o nosso Reencontro com Deus, pois, Ele diz: “Primeiro traga consigo o seu irmao.”

A minha patria so age em funcao do beneficio proprio e quando fazemos isso, irradiamos falsa luz. Podemos ter uma aparente prosperidade e induzir outros a copiar-nos. Ela nao quer acreditar que eh quando pratica um bem em favor do Templo de Deus, ou seja, toda a humanidade, ela se torna a verdadeira luz.

Nao basta fazermos coisas que pensamos serem boas para a humanidade. Primeiro eh preciso consultar aa humanidade se o que pretendemos fazer sera aceito como um bem para ela. O que estamos falando aqui eh uma forma de consulta-la sobre a forma que deseja dirigir-se ao Ceu, a forma direta e suave ou o tortuoso caminho do aprendizado apos as catastrofes.

A minha patria cresce desmesuradamente. E todo o povo se orgulha dela. Mas ela nao percebe que cresce apenas porque explora as outras nacoes. Ela eh como um cancer maligno. Tambem o cancer deve encher-se de orgulho quando esta crescendo muito mais rapido do que o corpo que o alimenta mas, no fim de tudo, o cancer mata o corpo e tambem morre.

Nos, em nome das pequenas nacoes, cujo problema nao eh o de interferir na vida das outras, nao nos perturbamos por nossos problemas estarem sendo estudados superficialmente aqui neste e em outros pontos do mundo. Nos sabemos que os nossos nomes estao incluidos no Grande Livro da Vida e, aqui, esta apenas um resumo Dele.

Nao ha tecnologia em todas as grandes potencias juntas que faca abrir uma fresta sequer nas Portas do Ceu se os pequenos forem deixados para tras.

Pequeninos, nao deixem de lutar em favor do seu bem e incluam em suas oracoes os grandes que os abandonaram. Voces nao estao esquecidos pelo Ceu. Pelo contrario, o Ceu poe em voces esta Esperanca. Lembrem-se, os grandes parecem estar melhor representados pelas palavras de todos nos. Mas isso se da porque os pecados deles tambem sao grandes como eles.

Os Ceus estao ocupados com o Limpar o mundo deles e voces nao sao responsaveis por tantos pecados. Nao se orgulhem disso. Voces sao pequenos e nao inventaram os grandes pecados, portanto, nao caiam no erro de querer imitar seus irmaos maiores. Facam o oposto, indireitem os vossos caminhos e sirvam de exemplo para eles.

Nao esperem que eles os enxerguem para que eles lhes estendam as maos. O orgulho deles nao os deixam enxerga-los. Porem, servindo aa Gloria de Deus, voces crescerao aos olhos deles e eles se envergonharao do mal exemplo que foram.

O tempo passou. Vem voce que deseja saber o futuro. Tambem voce que cre que nao pode sabe-lo. Nos nao vamos mostra-lo. Vamos falar apenas na possibilidade dele. Concentre-se profundamente. Eis que voce eh genitor de dois filhos. Estes filhos lhe deram quatro netos. Os netos lhe deram bisnetos. Os bisnetos, trinetos. Agora ja eh a trigesima terceira geracao depois de voce.

Voce tem preconceitos raciais? Pois, delicie-se. A sua descendencia eh composta de todas as racas. Voce odeia aqueles que estao nas cadeias? Pois, todos os que estarao nas cadeias serao descendentes seus. Voce cre que a prostituicao eh a maior vergonha do mundo? Ria de si mesmo, porque nao existira sequer um prostituto nesse mundo que nao sera seu descendente.

Voce ve um homossexual com desamor? Levante a cabeca. Nao se de por rogado. Todos os homossexuais do mundo te deverao o pedido para abencoa-los. Eles serao frutos de suas entranhas.

Voce eh intolerante com outro culto que nao seja o que voce frequenta? Pois, ate os adoradores do diabo, os devotos de todo e qualquer culto que havera na Terra serao descendentes seus. Isso acontecera a todos, irremediavelmente, se todos nao se revestirem como verdadeiros filhos de Deus.

Eh preciso que cada um de nos ajude a remover as consequencias de todos os pecados que ja foram cometidos e de todos que ainda o serao. Eh preciso limpar o mundo do preconceito, da justica vingativa, da injustica da ma distribuicao de riquezas. E eh imprescindivel escancarar a Porta da Verdade para que, daqui a mil anos, todos possamos dizer:

A populacao que habita a Terra eh diferente daquilo que eu fui no passado mas todos sao meus descendentes e orgulho-me dela porque eh uma populacao purificada e santificada, obedeceu aa Vontade do Pai Nosso que Esta no Ceu.

CAPITULO 051 – DESPEDIDAS DE TRANSLUCIDA

Houve um feriado que ocupou todos naquela Terra diferente da nossa. Era um feriado novo onde se comemorava todos os nascimentos de pessoas que contribuiram para a purificacao do planeta. E ele foi festejado em todos os lugares, do maior ao menor, do obvio ao mais isolado.

Em cada lugar havia um palco. Neste, por meio de hologramas dos conjuntos musicais que se apresentavam a cada momento, segundo o horario das seis horas da manha do lugar do palco onde a imagem foi gerada, todos podiam assistir aos shows. O show foi denominado de a Aurora da Santificacao.

Um globo holografico indicava o local em que casa imagem estava sendo gerada. Foram vinte e quatro horas de louvor em serenata. Todos os estilos, todos os ritmos foram apresentados.

Queridos pais, nos perdoem. Claro que os senhores estao mencionando todos os ritmos de musica sacra. Seria possivel louvar-se no ritmo de rock’n roll? Eh obvio que nao, pois, este ritmo pertence ao diabo!

Oh querida filha. Nao sabemos se rimos ou se choramos ao ouvir tamanho preconceito! Nao existe ritmo musical que nao Pertenca ao Pai.

Acredito que os senhores estejam enganados. Todos sabemos que este estilo musical eh usado para estimular o abuso sexual, as orgias, o uso de drogas e muita coisa ruim.

Filha querida, tambem a musica que voce denomina de sacra pode servir a aquilo que voce chama de demonio. Pegue as letras de todas as musicas sacras que voce conhece e examine segundo a Luz que nosso Conhecimento Novo esta decifrando. Com certeza, voce ira encontrar em tais letras coisas que nao sao verdadeiras.

Ora, se voce tem uma musica que eh chamada de sacra, contendo algo que nao eh verdadeiro, ela eh pior que outra considerada temporal, mesmo que a temporal contivesse somente irreverencias, porem, que contenham apenas verdades. O ritmo, filha, nao tem culpa do mal uso dele. A musica nao faz a pessoa. As pessoas fazem as musicas.

Em Translucida, usa-se os ritmos para compor musicas que tenham algo de filosofico, algo de util para o aprendizado do bem de todos. Alias, uma boa parte da educacao das criancas eh feita por meio das musicas, para que elas aprendam brincando.

Existem pessoas que aprendem melhor em um ritmo. Outras em outros. Nos, por exemplo, nao temos preferencias por ritmos. Gostamos de ritmos acompanhados por boas letras e com conteudos uteis.

Esperamos que os senhores tenham razao porque ainda nos pairam duvidas.

Quando voce tiver tempo para pensar melhor a respeito do assunto, voce nao tera mais nenhuma duvida.

Assim, depois daquela ultima convencao e daquele concerto maravilhoso, o qual pudemos assistir da sacada da casa de Lucida, comecamos a nossa preparacao para a nossa viagem de retorno. O tempo urgia. Nao podiamos permanecer mais.

Ora, queridos pais, por que nao?! Afinal, se o planeta seria arrebatado para uma Dimensao Superior, voces poderiam seguir juntos para, assim, trazer-nos mais Conhecimentos Novos que nos ajudariam na nossa caminhada.

Caros filhos, os translucidianos estavam sendo arrebatados nao para que aprendessem mais. Eles estavam sendo arrebatados porque atingiram o ponto maximo alcancavel dentro dos limites humanos. Translucida ja estava no estagio de ser uma Extensao da Casa do Pai. O Reencontro eh apenas uma consequencia disso. Caso nao passemos por estagio comparavel ao que eles chegaram, nao poderemos ir para onde eles foram. Precisamos nos preparar para esta viagem ou perderemos a vida nela.

Mesmo assim, nao convinha esperar mais um pouco, fazer uma visitinha para ter certeza e entao voltar?

Nao poderiamos ir por varios motivos. Primeiro porque quem for ficara impedido de voltar. Ja comparamos tudo isso como um jogo onde a regra eh essa: eh preciso crer sem ver porque se voce cre porque ve nao tem merito algum. Importante eh que voce se convenca ser necessario praticar apenas o bem, todos os momentos de sua vida.

Outro motivo sao os nossos pecados cujas consequencias ainda nao foram removidas. Nos nao tivemos ainda a felicidade de Lucida de convivermos com geracoes que nao pecaram e, portanto, assim nos purificassem. Alem disso, se fossemos, quem vos traria as Boas Novas?

Mas nao estao os senhores se colocando, talvez, doentiamente culpados ao dizer que nao merecam o Ceu ainda?

Obrigado pelo doentiamente.

Nao desejavamos ofende-los.

Nao o fizeram. Estamos apenas pondo um pouco de humor nestas palavras. Nao temos problemas em reconhecer as nossas culpas mas tambem nao temos a ilusao de que basta arrependermos e pedirmos perdao para que todos os nossos pecados sejam eliminados. Assumimos que pecamos sim, nao desejamos voltar a pecar e esperamos que a Misericordia Divina nos de tempo e sabedoria para removermos as consequencias dos nossos pecados.

Alem disso, eh preciso que emprestemos os Conhecimentos que o Pai nos Entregou a aqueles que necessitam deles para tambem se salvarem. Nao eh correndo na frente que iremos para o Ceu. A ida ao Ceu nao eh uma competicao. Para os que queiram realmente ir, eh necessario abracar e irmanar com todos os povos.

Entao, queridos pais, voces sairam de Translucida sem ver o arrebatamento, como podem entao afirmar que ele aconteceu?

Ora, quando saimos de Translucida, sentimos aquela Presenca de Paz e Calma. Despedimo-nos de todos. Por ultimo despedimo-nos de Lucida em um abraco emocionado, porem, perfeitamente contido. Nao foi como uma despedida que nos apertasse o coracao mas com a certeza de que nos reencontrariamos de novo. E, da mesma forma que chegamos, partimos.

Ainda estavamos na dimensao de Translucida mas distantes ja do planeta. As luzes que antes nos pareceram aumentar de intensidade aa medida que aproximavamos do planeta, agora faziam o sentido invertido. Mas, em dado momento, uma intensidade maior de Luz Invadiu todo o espaco proximo.

O planeta e a Fonte da Luz estavam aas nossas costas. Esta Luz Eh diferente. Parecia ao mesmo tempo Solida e Suave. Eh uma Luz que pode ser tocada. Nao olhamos para tras nem precisavamos disso. A nossa certeza em que o planeta estava sendo arrebatado eh absoluta. Viajar sob a Orientacao dAquela Luz nos pareceu comparavel a um bebe que adormece tranquilamente no colo de algum de seus pais.

E, ao sermos Tocados por esta Luz, vieram em nossas mentes estas Palavras, e elas explicam a razao de termos dito antes que o que aprenderamos na Universidade era insubstituivel: “Voces ja sabem tudo o que precisam saber para levarem uma Boa Nova a seus irmaos na Terra mas nem tudo o que precisam foi Revelado ainda.”

Nao nos assustamos. Parece que no fundo ja sabiamos disso e o que pensamos foi: O que sera que ainda falta?

A Luz entao penetrou em nossas mentes tomando conta delas. Seguimos viagem como se estivessemos guiados por piloto automatico. Enquanto viajavamos, os Conhecimentos nos eram Ministrados em doses homeopaticas.

Aquela Voz Luminosa prosseguiu: “Voces ja sabem que os terrestres creem em muitas coisas que nao sao verdadeiras. Acreditar nao eh pecado. Mas tambem sabem que nao posso Receber pessoas que creem em coisas que nao sao verdadeiras em Minha Morada. Muitas dessas coisas adveem de fundamentos erroneos que os povos da Terra tem acumulado ao longo de suas existencias.

Um destes fundamentos eh o de que somente a fe eh suficiente aa justificacao das pessoas. Pois, Eu vos Afirmo: isto nao eh tudo. Voces ja tiveram a oportunidade de falar a respeito mas as pessoas tem fingido que nao compreenderam. Entao, Eu vou vos Dar as Chaves deste entendimento, de forma a que nem mesmo as mais simples das pessoas com inteligencia se recusarao a enxergar. Contar-vos-ei duas historias. Deixem que os outros as leiam e cheguem aas proprias conclusoes deles.

Havia uma pessoa que morou na Terra durante a vida dela. A esta pessoa cultivou partes de muitos dons. Inclusive fe. Esta pessoa desde a infancia se julgava protegida por Mim, pois, se ela tinha alguma dificuldade na escola, orava a Mim e os problemas se resolviam. Aa medida que crescia e outras dificuldades surgiam, ela fazia o mesmo e sempre conseguia o que desejava.

Assim, aquela pessoa se desenvolveu, teve emprego pelo qual foi regiamente paga, montou seu proprio negocio, prosperou, casou, teve filhos dos quais gostava e era correspondida, foi lider politica, fez fortuna, na igreja aa qual frequentava era muito querida, pois, era dada como exemplo de prosperidade junto a Mim.

Contribuia com os dizimos e ate fazia muitas doacoes para socorrer os mais necessitados, principalmente, quando ocorriam tragedias como: inundacoes, outros desastres naturais e automobilisticos e muitas coisas mais.

O unico defeito desta pessoa era o de que Eu Mandava a ela um constante Chamado para que deixasse de lado a sua propria prosperidade e contribuisse efetivamente para a prosperidade dos menores. Esta pessoa sempre respondia que faria isso quando chegasse o tempo certo. Porem, o tempo dela na Terra passou e o sopro de vida se apagou.

Nao pude ir ao encontro dessa pessoa mas enviei-lhe um daqueles que estao em Minha Presenca porque o que estes veem Eu Vejo; o que escutam, Eu Ouco; e o que Penso, eles falam. Ao ver o meu Representante, a pessoa se inclinou como para adora-lo. O meu Representante segurou-a firme e disse para nao fazer aquilo, pois, nao era Deus.

Assombrada, aquela pessoa sorriu muito feliz, porque, se um Representante lhe dera aquela sensacao de grande paz e alegria, imaginava o que seria em Minha Presenca!

O meu Representante, porem, avisou-a de que ela nao poderia ir aa Minha Presenca. A pessoa estranhou porque, antes de trocar de lado da vida, ela houvera se arrependido sinceramente de todos os pecados dela, repartido todos os bens que possuira antes e, com uma fe inabalavel, pensava que encontrar-se-ia Comigo logo apos ao ultimo suspiro.

Foi entao que o meu Representante explicou a aquela pessoa: Esta certo, a sua fe te salvou. Voce nao esta condenada. Porem, voce ha de se lembrar de que recebeu o chamado para compartilhar seus dons com todos. Era para que voce, ao inves de doar dinheiro aos pobres, ensina-los a colher o fruto do proprio trabalho.

Como ainda nao havia empregos para todos, a ti foi dado o dom de criar situacoes que levassem aa criacao de novos empregos mas voce preferiu assistir aas pessoas apenas nos momentos em que as dificuldades eram gritantes. Enfim, voce repartiu seus bens na hora da morte, mas nao ensinou a aqueles que os receberam a fazer o bom uso deles. Alguns ja o perderam. Outros os estao usando para explorar os irmaos.

Entao, o que farei para reverter esta situacao? – prontificou-se logo aquela pessoa.

Nada. O que voce deveria ter feito, o deveria ter feito em vida. Agora, por causa de sua fe, os teus pecados estao perdoados. Mas como voce passou toda a sua vida adiando o momento de entregar-se a Deus, fazendo isso somente na ultima hora, voce ira para os mundos paralelos, onde vivera numa especie de Limbo todas as consequencias de seus pecados.

Como voce nao ajudou ao Pai a remover as consequencias dos pecados do mundo e ainda acrescentou mais pecados aa vida na Terra, ore muito. Ore muito para que os seus descendentes nao repitam o seu exemplo e facam por voce o que voce deixou de fazer. Quando eles o fizerem, voce estara totalmente redimido e o Pai Vira Buscar voce.

Como voce sempre deixou para que o Pai Fizesse por voce aquilo que Ele o Havia Designado para fazer, Ele agora esta Mandando o Conhecimento com Respeito a Ele para que isso aconteca.

Em outra vida, aconteceu diferente. Outra pessoa nasceu entre aqueles que criam em Mim. Tambem esta creu por algum tempo mas viu que as pessoas que o fizeram acreditar quando jovem, falavam a Meu Respeito como um Ser Maravilhoso, porem, elas proprias nao praticavam tudo aquilo que diziam ter sido Mandado por Mim. Diante disso, essa segunda pessoa perdeu a fe.

Esta segunda pessoa tinha tambem herdado muitos de Meus Dons. Tantos Dons que era tida como uma das pessoas mais inteligentes que se conhecera. Ela, porem, agia em oposicao aa primeira. Nao frequentava igrejas, estava sempre envolvida com os movimentos sociais, sempre buscando a distribuicao dos dons. Pregava a justica.

Queria que todos fossem tratados com dignidade. Criou um instituto onde ensinava aas pessoas a trabalharem seus dons, desenvolvendo-os para depois pratica-los de modo a poderem viver suas vidas independentes. Pedia a todos que se formavam em seu instituto que a ajudassem nessa tarefa.

Mas nao foi feliz em tudo. Nem todos a ajudavam. Inclusive, muitos ate a apunhalavam pelas costas, pois, ela sempre dizia: “Se Deus Existe, eu nao sei e nem quero saber. Para mim nao Existe. Acredite quem quiser acreditar.”

Uma vez, um amigo desta segunda pessoa, que possuia uma grande fe em Mim, foi ate ela para procurar converte-la, falando: “Como voce pode falar que Deus nao Existe mas voce faz exatamente o que Ele Diz que era para nos fazermos? Voce esta sempre ajudando os desvalidos, incluindo os excluidos, sacrificando sua familia por causa de seus bons ideais. Por que voce faz isso?”

“A resposta eh simples meu amigo. – respondeu a pessoa – Eu sei que se nao ajudarmos as pessoas que a sociedade joga nas sarjetas elas acabarao cainda na criminalidade e eh possivel acontecer de alguma delas matar-me ou matar um membro da minha familia. E ai, do que adiantaria eu deixar de fazer aquilo que creio ser capaz de fazer por mim mesmo se uma morte destas recair sobre mim?!”

“Mas voce esta nadando contra a correnteza. – retarguiu o interlocutor – Com a inteligencia que voce tem, voce poderia usar o tempo que voce gasta com as outras pessoas para ficar rico. Com o dinheiro voce teria um instituto maior e atenderia mais pessoas.”

“Sai de mim satanas! – aquela segunda pessoa falou forte com o amigo porque a amizade deles lhe permitia isso. – O tempo nao espera. – era sabido que o amigo acreditava naquela figura mitologica e o chamado era um misto de provocacao e gozacao. – Se eu parar de fazer o que estou fazendo, quando voltar, estas pessoas aas quais estou ajudando agora ja nao mais precisarao de minha ajuda mas sim dos exorcismos que voces praticam.

Voces tiram o diabo das pessoas, eu evito que elas sejam possuidas. – as palavras eram ditas entre sorrisos porque ela nao acreditava nas crencas do amigo – Depois, se eu comecar a trabalhar para angariar riquezas, como saberei se serei capaz de parar com este objetivo? A carne eh fraca. Como saberei se depois de rico, vou ter a coragem de repartir o que ajuntar?

Olha, pelo que a gente ve na pratica, com certeza eu nao serei capaz, pois, quantos sao os ricos no mundo? E quantos deles partilham o que possuem? Nao sei qual eh o atrativo que o dinheiro tem que domina tanto as pessoas. So pode ser mesmo coisa do diabo, como voces mesmos dizem!”

O amigo ficou desolado por nao ter conseguido converter aquela segunda pessoa aa fe na qual acreditava.

Quando a segunda pessoa veio para o outro lado da vida, Eu Pude Apresentar-Me a ela em Pessoa. Ao ver-Me, aquela pessoa nao apenas adorou-Me. Tambem chorou porque nunca havia tido fe alguma em Minha Existencia.

Antes que qualquer explicacao fosse pedida, fui logo Respondendo: Bendita seja a tua atitude em favor da vida meu filho, porque voce nadou toda a sua vida contra a correnteza mas permanceceu todo o tempo junto aas Aguas Puras da Fonte. Voce permaneceu puro e eh por isso que pode Reencontrar-se Comigo.

Os outros que nadaram a favor da correnteza se contaminaram e nao tiveram disposicao para voltar e beber da Agua Purificada direto da Fonte. Voce nao creu porque foi levado pela impressao do mundo. Voce acreditou que eu fosse o deus das religioes que conhecestes. Eh que muitos daqueles aos quais Entreguei os Conhecimentos com Respeito a Mim falharam em mostrar o quanto Eu Sou Maior e Melhor que qualquer coisa que o ser humano ja imaginou.

Somente os puros e santificados alcancam a Bencao deste Reencontro como voce esta alcancando agora. Voce permaneceu como crianca. Que fe tem uma crianca sem consciencia alguma das Coisas a Meu Respeito? No entanto, ja vos foi dito que: “delas eh o Reino dos Ceus.”

Lembre-se do tempo em que todos Moramos Juntos. Da imagem que vos Ofereci a respeito do bom pastor. (vide vol. III). Como vos Disse, o bom pastor abre a porteira para que seu rebanho entre no curral e, somente depois de constatar que nenhuma ovelha ficou perdida eh que tambem entra e fecha o portao atras de si. No entanto, os pastores na Terra tem julgado que Eu Preparei um lugar primeiro para eles, sem atinarem que nao estao cumprindo com as proprias obrigacoes.

Pois, muitos na Terra estao admirados ainda por suas boas obras. Muitos querem imita-lo mas nao sabem como faze-lo. Pois, volte e permaneca por la para orienta-los. Voce agora eh um exemplo. E um exemplo que deve ser seguido. E, como Falei esta acontecendo.

Eis que Eu vos Digo: Nao eh apenas pela fe que a pessoa humana vem ate a Mim. Fosse pela fe, nem criancas sem consciencia ou os mentalmente desabilitados poderiam vir aa Minha Presenca, pois, quem nada compreende, fe tambem nao pode ter. A fe nao eh necessaria em todo e qualquer caso de salvacao porque nao eh exigido de ninguem aquilo que ele nao possa doar. E o Ceu nao cobra nada daqueles que nada devem.

O caminho da fe pode ser mais dificil de percorrer porque aqueles que a tem nao ficam desobrigados de tambem oferecer-Me obras. Somente sao isentos aqueles que estejam impossibilitados de pratica-las.”

CAPITULO 052 – A LUZ PERMANECE EM NOSSA VIAGEM

“Deveis ter bastante claro isto: a Parte que Cabe a Mim na Salvacao Eh a Minha Graca. Esta, todos ja A tem Diponivel porque nunca Deixei para depois o que ja deveria ter sido feito.

Cabe-vos a parte menor que eh a busca do Conhecimento, a pratica das boas obras e, o menos significante, a sua fe. Tudo tem de ser aplicado em prol do amor que voces devem a Mim, cuja consequencia primeira eh o amor que devem a seus irmaos, principalmente aos menores.

E para que isso se realize na Terra, eh preciso limpa-la das consequencias dos muitos pecados praticados e da repeticao continuada deles. Somente assim voces construirao um mundo novo, repleto de purificacao e santificacao para que todos possam Reencontrar-se Comigo.

Filhos meus, todas as Coisas do Ceu tem seus Porques. Falem isso para seus irmaos. Eles estao distraidos desta Verdade. Busquem e os encontrarao. Aquilo que nao tiver porque na Santificacao de voces eh porque nao vem de Mim nem do Ceu.

Nao Me busquem nos numeros porque numero algum representar-Me-a. Por mais elevado que seja Porque nada eh mais Elevado que Eu.

Nao busquem representar-Me por suas profissoes. Nao adianta voces dizerem: “Ele eh o arquiteto do universo” ou “eh o maior de todos os educadores”, pois, nao sou apenas isso.

Quando quizerem relacionar-Me a uma profissao, podem dizer, por exemplo: Ele Eh o Juiz dos juizes, tendo sempre em mente que isso eh apenas uma parte do que Sou, porque tambem Sou O Biologo da Vida, Sou o Dinamismo na Fisica e tudo de melhor que puderem relacionar a cada area. Eu Sou O Maximo em Tudo o que Ha de Bom e, simultaneamente, pois, Eu Sou Deus.

Eh tambem, filhos, precioso que se transmita a seus irmaos a Minha Reprovacao perante muitas atitudes deles. Deixe claro. Voce nao falara nem em nome da religiao aa qual frequenta nem somente para ela. Isto vale para todos, embora, a religiao aa qual frequenta tambem se sentira atingida. Quero Extrair da Terra uma nacao de sacerdotes e quando Penso na palavra nacao nao estou Pensando em meios termos.

Uma nacao completa eh composta de feminino e masculino, e casados e solteiros. Como poderei obter uma nacao de sacerdotes se metade dos meus filhos nao puderem ser ordenados porque vestiram as carnes do sexo feminino? Como poderei obter de voces uma nacao de sacerdotes se a maior parte de voces nao puder ser ordenada porque esta casada?

Filhos, voces se casam para dar-Me o melhor que podem ofertar-Me que eh a vida de seus filhos. Nao para o sacrificio de morte mas para o exercicio da continuidade da Minha mais importante Obra. Ora, se um filho meu perde o direito de ser ordenado porque se casou para ofertar-Me filhos, fica a impressao de que o casamento e a relacao entre o homem com a mulher sejam pecados, pois, somente o pecado nos afasta.

Aqueles que, espontaneamente, desejarem ser ordenados e tambem ofertar-Me a castidade sexual serao bem vindos mas isso nao os fara melhores que os outros. Filhos Queridos, voces precisam libertar-se de todas as formas de preconceitos quando quizerem tomar a Estrada de Retorno aa Nossa Morada!

Muito dirao: “em epoca tal, o grande criador de nossa religiao nao permitiu a ordenacao sacerdotal das mulheres.” Filhos, o tempo eh muito mais forte do que voces possam imaginar. Verifiquem suas Escrituras antigas. O que voces podem comprovar por elas? Muitos dos escritores dos seus livros ditos sagrados nao combatem a escravidao, nem a exploracao do ser humano por seu irmao.

Voces tem alguma duvida quanto a estas coisas serem abominaveis Perante Mim? Pois, nao tenham mais. Elas sao tao abominaveis quanto torturar e matar. Os escritores antigos nao falaram isso antes porque eles estavam tao sujeitos ao tempo deles que nem sequer se questionaram se aquilo era ou nao algo suportavel por Mim.

Assim aconteceu tambem no caso de ordenacao feminina. Muitos se omitiram, nao por uma conveniencia, e sim porque o tempo nao os permitiu enxergar com grandiosa antecedencia em relacao aa Historia de voces. Da mesma forma que certas Escrituras regulamentam e, em consequencia regularizam a escravidao, tambem colocaram o meu filho que habita a pele feminina da pessoa humana em condicao de inferioridade aos outros. E qualquer distincao de pessoa em Meu Nome nao foi feita com a Minha Autorizacao.

Deem-Me a nacao de sacerdote que vos Pedi. (Vide Apocalipse).

Voces estao se desenvolvendo, tecnologicamente falando. Ja podem “brincar” com os numeros e prever acontecimentos que somente virao a acontecer ao findar de varios anos. Pois, Desejo que voces pensem nos acontecimetnos que possam prever para cem anos depois de hoje ou mil anos depois de amanha.

Facam tudo o que fizerem de bom com a intencao de durar infinitamente mas nao afirmem que isso acontecera, pois, quando voces pensam a longos prazos, costumam esquecer-se de pequenos mas importantes detalhes. Podera ocorrer de voces estarem pensando em algo para daqui a mil anos mas um asteroide podera se chocar com a Terra em apenas vinte e oito anos, matando praticamente toda a humanidade.

Pois, eis o que vos Aconselho. Nao deixem passar detalhe algum. Assim que souberem que um asteroide esta em rota de colisao com o planeta, anunciem a todos que isso podera acontecer. Nao pensem que o anuncio de tal coisa ira provocar panico e que seja melhor manter segredo para os que morrerem morram sem desespero.

Fui Eu Quem vos Dei inteligencia. Eh preciso que todos tenham o conhecimento das informacoes corretas, pois, eh da inteligencia que vos Dei que surgirao as solucoes. Eh preciso que todos participem porque quando Distribui inteligencia o Fiz dispersamente para que nenhum povo se orgulhe de te-la e outros nao. Quando o problema afetar a todos Quero que todos usem seus dons para resolve-lo. Voces ficarao assombrados porque as solucoes poderao surgir de onde voces menos esperavam.

Podera surgir um David para tirar um Golias das vidas de voces, tornando-se isso um fato real e nao uma parabola. Aqueles que se julgarem sem inteligencia para resolverem o problema de tal monta, Quero que nao se desesperem. Elevem a Mim suas oracoes. Confiem e se reconciliem Comigo. Eu ja Provi inteligencia suficiente a aqueles que irao solucionar os problemas. Mas voces nao sabem quem eles serao.

Mas, duas ressalvas Faco: nao ocultem nada a ninguem porque nao desejo cobrar de quem ocultar as responsabilidades de os problemas nao terem sido resolvidos a contento e, a quem ajudar a soluciona-los, nao peca nenhuma gloria para si mesmo. Porque Sou Aquele que esta no inicio e nas consequencias do bom uso de suas inteligencias.

Tambem, o ser humano comecou a falar em colonizacao de outros planetas de forma condenavel. Fala em criar atmosferas favoraveis em outros planetas para explorarem seus recursos. Muito bem. Tem a minha Permissao e Bencao para que facam isso. A unica coisa que vos peco eh que estudem com afinco a vossa propria Historia.

Nao foi exatamente assim que tudo comecou no periodo das Grandes Colonizacoes na Terra? Voces mandaram pessoas para explorar o Novo Mundo sem resolver os problemas que ja os envolviam. Os que nasceram no Novo Mundo criaram a consciencia de que estavam sendo explorados. Disso brotou o nacionalismo que os levaram a mais guerras, destruicao e desrespeito aa Minha Pessoa.

Por isso Quero que resolvam os seus problemas antes que invadam outros planetas, para que nao o facam com o intuito de explorarem uns aos outros mas sim para melhorar a existencia de todos.

E, agora filhos Queridos, Falar-vos-ei em particular mas contem tudo para todos. Nao tenho segredos a respeito de Nossa Convivencia. Nunca se coloquem como melhores do que ninguem porque voces foram capazes de escrever algo que nenhuma outra pessoa antes imaginou. Voces escreveram mas nem tudo lhes foi Revelado.

Exemplo disso eh o das historias representadas pelo “Jesus de Leonardo” contadas por Lucida. Observem que ele expoe uma situacao em que o ramo religioso, que ele frequentava, queria permitir o abortamento em pessoas desnutridas. Pior, autorizava o abortamento em uma situacao onde os alimentos sobravam para uns e faltavam para outros.

Alem de nao partilharem, pelo menos o excesso que possuiam, queriam usar o crime do abortamento contra os excluidos, ou seja, atitude comparavel ao racismo nazista que voces tao bem conhecem de sua Historia. Na outra situacao, a congregacao queria perdoar uma pessoa que ja havia cometido o pecado do abortamento.

Eis, entao, vos Revelo como as duas historias se fundem. Se voce perdoa alguem porque este cometeu um abortamento, voce esta automaticamente admitindo que o abortamento eh pecado porque o perdao foi feito para os que pecam. Por outro lado, a mesma congregacao autorizava o abortamento, ou seja, autorizava o cometimento de um pecado.

Estes mesmos ramos de igreja que dizem louvar-Me e glorificar-Me e, ainda se autojulgam merecedores de liderarem o caminho para a salvacao do mundo, sao os que autorizam tal pecado e o multiplicam por nao orientarem para a remocao das consequencias. Como podem notar, quem nao honra a Mim nao pode ser chamado de Minha Igreja.

Avise a seus irmaos que nao basta saber ler Minhas Mensagens. Eh preciso tambem saber interpreta-Las. Que todos os ramos religiosos ajudem-se mutuamente nesta busca pela verdadeira interpretacao de Minhas Palavras. Nao para a gloria de seus proprios nomes mas para a Gloria da Minha Santidade.

Recomendo que voces exponham ao maximo suas vidas particulares ao publico que ira le-los em primeira mao. Pois eh preciso que ele perceba o contraste. As suas existencias sao consideradas tao insignificantes perante os valores do mundo mas, no entanto, estao sendo capacitados a escrever um conjunto tao grande de coisas sabias. Assim, todos reconhecerao que os seus escritos sao realmente inspirados em Mim, por isso, servem a todos.

Entao agora Vao, filhos Queridos. Exponham-se ao risco de serem ridicularizados como se fossem os bobos das cortes. Anunciem que a dimensao da Terra esta sendo convidada a ser a proxima a conseguir esta maravilhosa transformacao.”

EPILOGO

Nao pensem voces, queridos filhos, que era necessario retornarmos ao convivio de todos para que estas coisas fossem reveladas mais rapidamente.

Acreditamos que sim, queridos pais, pois, se nao fossem reveladas por voces, sabemos que o Pai nao nos abandonaria mas teria que usar outros instrumentos para Revelar a Vontade Dele. E, talvez por isso, levasse mais tempo.

Mas, lembrem-se queridos filhos, quando estiverem praticando este Conhecimento Novo e alguem surgir com outros novos, ou reavivando anteriores, ouca-o com atencao. Nunca exclua ninguem como aconteceu a vossos pais. Ponham-nos em discussao em suas comunidades. Comparem-nos com os que voces julgam eternos, portanto, Nascidos do Pai. Se eles gerarem somente o bem para as comunidades eh porque tambem sao Provenientes do Pai e vieram para somar.

Nao temam aqueles que os desafiam porque tambem os criticos tem a funcao de ajudar-nos a evoluir para um Conhecimetno Melhor.

Queridos pais, nos vos amamos tanto, mas apos tomarmos conhecimento de todas as coisas que tem ensinado, tememos pela vossa salvacao, pois, apesar de seus bons principios e bons conselhos, nao os vemos totalmente entregues ao senhor Jesus.

Queridas e amadas filhas, esta visao de entregarmo-nos ao senhor Jesus esta um pouco deturpada. Nao cremos que seja necessario entregarmo-nos aa pessoa dele, como voces alegam. Nos ja nos entregamos ao Pai. O proprio Jesus, em primeiro lugar, nao entregou-se a si mesmo. Entregou-se ao Pai. Nos apenas estamos seguindo-lhe o exemplo.

Mas voces, paisinhos, tem misturado Jesus com outros precursores de outras religioes. Voces tem comparado o senhor Jesus com Buda, Mohammed e outros. Nos sabemos que esta escrito que Jesus eh o unico caminho de ir ao Pai.

Mas tambem eh certo, queridas filhas, que o que Jesus realmente nos ensinou, por si so, ja nos eh divinamente maravilhoso. Nao podemos deixar que interpretacoes de citacoes isoladas se tornem maiores que a interpretacao da Biblia por inteira. Tambem esta escrito que o Pai tem muitas moradas e que o nosso corpo eh um templo de Deus.

Quando afirmamos que somente a nossa visao do que esta escrito na Biblia eh verdadeira, nos estamos impondo limites em Deus, ou seja, estamos afirmando que o Pai estaria proibido de Falar atraves de qualquer outra religiao. Isto eh exclusao. Coisa de pessoas humanas e nao do Pai.

Por outro lado, voces estao se esquecendo que tambem afirmamos que todas as religioes possuem interferencias humanas e que eh preciso saber separar O Que Eh de Deus do que pertence ao homem, em cada religiao e em todas. Isso precisa ser feito para que todo o Conhecimento trazido por todos que trouxeram Mensagens do Pai seja reunido. Para que todo o bem se reuna em torno do Santo Nome Dele. E o mal seja definitivamente abandonado por todos.

Voces estao enganadas quanto a compararmos o senhor Jesus com os senhores Mohammed, Sidharta e outros. A coisa nao passa por ai. Nao ha como compara-los. Isso nao eh nenhuma competicao, disputa ou gincana. O que aconselhamos eh a leitura e a meditacao responsaveis de todas as Escrituras com Respeito a Deus que os seres humanos ja escreveram ate hoje e escreverao depois de hoje.

Do que estiver escrito, recomendamos extrair o que houver de bom para o conjunto da humanidade. Ai afirmaremos, entao, que o resultado dessa pesquisa sera o encontro do que nos levara ao Pai.

Nunca se trataria de dizer que tal precursor religioso eh melhor ou que o outro seja pior. Pelo contrario. Nos sabemos que todos procuraram servir a Deus da melhor maneira que os proprios dons lhes permitiram mas, por razoes alheias aas vontades deles, muita coisa errada, como ja demonstramos em nossos escritos, tem passado por verdadeiras, por causa das cabecas duras das outras pessoas humanas que nao admitem os proprios erros.

Queridos pais, nos pedimos desculpas mas voltamos a insistir, por temermos pelas vossas salvacoes. Voces teriam que repetir os mesmos milagres que o senhor Jesus fez para que todos cressemos em suas palavras.

Verdade eh, filhas queridas, que a grande maioria da humanidade ainda nao cre nos milagres feitos por Jesus, pois que senao os saberia repetir. Nos fizemos opcao por nao fazermos milagres porque ate os falsos profetas tem tido a capacidade de realiza-los. Nos preferimos o caminho da argumentacao, pois, sabemos que este caminho eh mais acessivel tambem a aqueles que nao possuem fe suficiente para realizar milagres.

Argumentar eh algo que muito mais pessoas sao capazes de fazer do que aquelas que sao capazes de realizar ou receber milagres. E eh na argumentacao que nos concentramos. No intenso vasculhar das razoes. Na exaustao da busca para nao repetir os caminhos errados. Na meditacao humilde, sincera e fundamentada no amor que o proprio senhor Jesus ajudou a implantar no seio da humanidade.

Se voces apontarem somente os erros das outras religioes para fundamentarem suas acusacoes contra elas, nos buscamos as coisas corretas nelas para comprovar que o amor tem sido o caminho de todos aqueles que desejam Reencontrar-se com o Pai. Nos buscamos as coisas corretas que cada um disse. E nao acreditamos que algo seja certo porque Jesus falou e sera errada porque outro qualquer falou.

O Pai Fala pela boca de quem Ele Quiser e nao seremos nos que iremos limitar este Poder Dele. Se confiamos no Pai mas desconfiamos das pessoas que falam a Respeito Dele, simplesmente porque sabemos que estas pessoas que falaram sao humanas, devemos entao duvidar do nosso proprio julgamento porque tambem somos humanos.

Nos preferimos engolir qualquer orgulho que tenhamos e meditar a respeito do que todas as pessoas falaram porque, concluindo que o que elas falaram representa um bem para a salvacao de todos nos, nao sera por elas proprias que elas falaram e sim o Pai Quem Falou atraves de suas bocas.

Voces imaginam que nos estejamos afastados do senhor Jesus por o colocarmos na mesma posicao dos outros precursores religiosos mas devemos lembra-las que assim tambem os judeus antigos agiram em relacao a Jesus. Eles desacreditaram nele porque ele nao pronunciava o nome Jave ou Jehovah como se fosse o nome do Pai, porque nao eh.

Nos Evangelhos dedicados a Jesus, aqueles nomes nao estao escritos mas voces nem se deram conta disso ate hoje e julgam que nos, que ja percebemos essas distincoes antes de voces, nao podemos ter nenhum Conhecimento a mais que voces.

Pais queridos, nos estamos um pouco confusas com estas revelacoes todas agora. Precisamos refletir mais a respeito do que nos tem ensinado.

Eh o melhor que todos temos a fazer, queridas filhas. Meditar, meditar muito a respeito de todas as coisas que temos falado e escrito porque temos que reconhecer que somos humanos e estamos sujeitos a erros. Muitos dizem que a Biblia eh completa, que nada precisa ser acrescentado porque tudo o que precisamos eh encontrado nela.

Outros dizem que nem sequer precisam ser feitas interpretacoes porque o entendimento dela eh literal. Ora, se assim o eh, por que todos, sem excecao, escrevem tanto a respeito dela? Eh preciso verificar se coisa semelhante ocorre entre os seguidores das outras religioes.

Milagres e tragedias acontecem entre os muculmanos. Tambem acontecem entre budistas, indus, confuncionistas e outros. O mesmo se verifica entre cristaos e judeus. Mas os milagres que acontecem entre os muculmanos nao sao pedidos a Jesus. Os milagres acontecidos entre os budistas nao sao pedidos a Alah. Jesus ou Maria nao fazem aparicoes entre os povos nao cristaos.

Ora, mas se eles nao creem!

Se voces creem que eles nao creem, melhor razao ha para que eles fossem abencoados por uma visao de Jesus porque eles precisariam crer em Jesus para nao se perderem, segundo o entendimento de voces. Como Jesus eh o medico que veio para os que estariam doentes, ele deveria se mostrar para eles e, no entanto, aparentemente nao se mostra. Por que? Acaso Jesus nao eh o bom pastor? Nao era ele quem deveria buscar as ovelhas desgarradas?

Nao filhas nossas, Jesus nao faz aparicoes entre os outros de outras religioes porque ele sabe que os outros povos tem a aqueles que tambem serviram de Morada de Deus e que os ensinaram Coisas do Pai. Mas agora eh o tempo em que o Pai Deseja que construamos uma so Morada para Ele e a Morada Santa que Ele Deseja eh a soma de todas as Moradas.

Pais queridos, assim tememos por voces quando o senhor Jesus voltar.

Nao temam por nos, queridas filhas, nem continuem olhando para o ceu esperando a volta de um messias, pois, voces nao sabem quando ele vira e, vindo ele ou nao no tempo de voces, acaso nao eh dado a voces praticarem sempre o bem? Nao esperem mais. Tornem-se instrumento do bem. Assim, quando o messias chegar isso lhes seja lucro.

Em verdade, nos vos afirmamos, segundo as palavras atribuidas a Jesus, ele esta conosco o tempo todo e nos, muitas vezes, nao o reconhecemos. Pratiquem as boas obras que vos pedimos que pratiquem e todos reconhecerao a verdade em nossas palavras. Olhem, quantos proximos precisando de nossas maos. Caminhemos juntos, todas religioes e povos.

Nao temam por nos, queridas filhas. Nos que vimos do Ceu sabemos o que estamos fazendo e Jesus nosso irmao, pai e amigo compreende os erros que acaso tivermos na vida. Aquele que pregou o Amor nunca vira sobre nos com furia de exterminador porque sabe que somos de paz.

OBSERVACOES

Nestes livros estao revelados os segredos de como fazer a paz ou a guerra. Eh preciso consulta-los com conhecimento e sabedoria. Se voce busca a paz, perca tempo com todo detalhe, porque ela eh muito preciosa aos Olhos de Deus. Se voce deseja a guerra, basta fazer a paz pela metade. A escolha e as consequencias ficam por conta dos leitores.

DITO

O melhor uso do explosivos de guerra eh explodi-lo, rapidamente e em lugares que nao causem danos a ninguem.

AGRADECIMENTOS

Nossos sinceros agradecimentos aos autores da boa musica popular brasileira, cujo conteudo profetico nos tem ajudado a manter a esperanca na vinda do mundo do bem vira.

CONTINUIDADE?

Quando escrevemos o III volume do livro do CONHECIMENTO COM RESPEITO A DEUS, previramos que faltava muito ainda para terminar a colecao mas jamais pensamos que continuariamos a faze-lo nos mesmos, porque nossa mente havia se esvaziado totalmente de conhecimentos novos. O tempo passou e fomos sacudidos por esta nova inspiracao que eh o IV volume.

Observe-se que o I e o II ja sao ideias planejadas desde o inicio mas ainda nao foram devidamente escritos. Desta vez temos a visao de um V volume mas que nao sabemos se participaremos ou nao da confeccao dele. Neste constaria a pratica do Conhecimento com Respeito a Deus, aplicada aa realidade do mundo atual. Infelizmente, isso nao depende apenas de nos mas da decisao de todos em colocar o amor aa frente de tudo.

Alias, ha uma Recomendacao do Proprio Pai para que nao facamos sozinhos todo o trabalho porque Ele Deseja que todos participemos.

Eh provavel que a este livro se de diferentes sentidos ao longo do tempo. Quando o estavamos escrevendo, percebemos que nem mesmo nos conhecemos toda o significado dele. Portanto, eh preciso estuda-lo cuidadosamente sob o ponto de vista do atual momento em que a Historia Humana se encontra.

Um exemplo disso eh o de que quando estavamos escrevendo a parabola sobre a escravidao, notamos nela uma certa semelhanca entre a nossa imigracao para os EUA e o costume dos norte-americanos de internar seus idosos em asilos. Lendo-se a parabola com este sentido, ela permanece verdadeira.

Outros significados poderao nao ser verdadeiros.

Muitos poderao dizer que este livro seja apenas mais um conto para entretenimento da populacao. Afirmamos que nao. Muitos poderao falar que se trata de uma estoria como a da cidade perdida de Atlantida. Voltamos a afirmar que nao eh e lembramos a estes, no principio ja anunciamos que ele se trata de uma parabola e ate mesmo Atlantida pode nao ser exatamente uma lenda.

FRAMINGHAM, 23 de MAIO DE 1999.

II. Esta Obra esta terminando de ser datilografada em 09 de janeiro de 2000. O datilografado acrescentou algo mais aa versao original no sentido de tornar a Obra mais clara sem alteracao do conteudo.

III. Ja estamos em 27 de maio de 2011. Neste dia estamos terminando de copiar o livro escrito ha 12 anos atras. O objetivo de copia-lo no computador eh o de torna-lo publico via internet. Lembramos que era nossa preocupacao as pessoas confundirem esta Obra como sendo mais um conto desses considerados de auto-ajuda. Mas nao estamos aqui para dar nenhuma falsa seguranca.

Acreditamos que este foi um livro realmente inspirado. Qualquer um que creia na Existencia de Deus e, consequentemente, na Existencia do Ceu podera duvidar que o Ceu seja pelo menos parecido com o que descrevemos. Nos proprios pensamos que o Ceu eh muito melhor do que o que esta neste livro.

Mas nao ha como negar que a Divina Parabola aponta para o Ceu. Se alguem duvida que nos precisamos primeiro buscar os ideais que se encontram descritos nela para depois alcancarmos o Ceu, que se explique como fara para subir ao ultimo andar de um edificio sem usar escadas ou elevadores e sem usar a parte externa dele. As parabolas nao sao escritas para que facamos exatamente o que esta escrito nelas mas sim para que busquemos o mesmo resultado contido na licao de moral emitida por elas.

Esperamos que tenham feito uma otima leitura e que recomendem essa DIVINA PARABOLA a todos. Obrigado.

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

68 Responses to “A DIVINA PARABOLA”

  1. A FAMILIA COELHO NO LIVRO A MATA DO PECANHA « Val51mabar's Blog Says:

    […] weblog « HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE A DIVINA PARABOLA […]

  2. reconquistar ex Says:

    reconquistar ex…

    […]A DIVINA PARABOLA « Val51mabar's Blog[…]…

  3. ideas de negocios Says:

    ideas de negocios…

    […]A DIVINA PARABOLA « Val51mabar's Blog[…]…

  4. Bruna Says:

    Bruna…

    […]A DIVINA PARABOLA « Val51mabar's Blog[…]…

  5. Ronald Says:

    Ronald…

    […]A DIVINA PARABOLA « Val51mabar's Blog[…]…

  6. Somos fabricantes de equipamentos de pintura, temos o melhor preço do brasil em Cadeira de pintura, epi e muito mais, 11-3228-6015 Says:

    Somos fabricantes de equipamentos de pintura, temos o melhor preço do brasil em Cadeira de pintura, epi e muito mais, 11-3228-6015…

    […]A DIVINA PARABOLA « Val51mabar's Blog[…]…

  7. MILLOR, MELOU OU MELHOR FERNANDES!? « Val51mabar's Blog Says:

    […] Blog Just another WordPress.com weblog « A DIVINA PARABOLA THE SUICIDAL AMERICA/A AMERICA SUICIDA […]

  8. ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECECER DA PALESTINA E OUTROS TEXTOS « Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  9. A HERANCA FURTADO DE MENDONCA NO BRASIL « Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  10. Rubens Says:

    josé olimpio

  11. BARBALHO, COELHO E PIMENTA NO SITE WWW.ANCESTRY.COM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  12. NESTE MUNDO, SO NAO EH GAY QUEM NAO QUIZER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  13. HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  14. BARBALHO, PIMENTA E, TALVEZ, COELHO, DESCENDENTES DO REI D. DINIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  15. TRILOGIA DE VARIEDADES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  16. GENEALOGIAS DE FAMILIAS TRADICIONAIS DE VIRGINOPOLIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  17. GENEALIDADE E GENEALOGIA DE ARY BARROSO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  18. A III GM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  19. UMA VOLTA AO MUNDO EM 4 OU 3 ATOS (POLITICA INTERNACIONAL DO MOMENTO) | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  20. 03. O MENINO QUE GRITAVA LOBO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  21. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK I | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  22. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK II | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  23. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK III | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  24. MEUS ESCRITOS NO FACEBOOK IV | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  25. A III GM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  26. GENEALIDADE E GENEALOGIA DE ARY BARROSO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  27. GENEALOGIAS DE FAMILIAS TRADICIONAIS DE VIRGINOPOLIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  28. TRILOGIA DE VARIEDADES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  29. BARBALHO, COELHO E PIMENTA NO SITE WWW.ANCESTRY.COM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  30. NESTE MUNDO, SO NAO EH GAY QUEM NAO QUIZER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  31. A HERANCA FURTADO DE MENDONCA NO BRASIL | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  32. ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECECER DA PALESTINA E OUTROS TEXTOS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  33. BARBALHO, PIMENTA E, TALVEZ, COELHO, DESCENDENTES DO REI D. DINIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  34. FAMILIA: BARBALHO, COELHO … NO LIVRO A AMERICA SUICIDA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  35. MILLOR, MELOU OU MELHOR FERNANDES!? | Val51mabar's Blog Says:

    […] another WordPress.com weblog « A DIVINA PARABOLA THE SUICIDAL AMERICA/A AMERICA SUICIDA […]

  36. A FAMILIA COELHO NO LIVRO A MATA DO PECANHA | Val51mabar's Blog Says:

    […] weblog « HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE A DIVINA PARABOLA […]

  37. HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  38. ASCENDENCIA DOS ANCESTRAIS: JOSE COELHO DE MAGALHAES/EUGENIA RODRIGUES ROCHA, UMA SAGA A SER DESVENDADA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  39. A HISTORIA DA FAMILIA COELHO DO CENTRO-NORDESTE DE MINAS GERAIS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  40. O LIVRO DO CONHECIMENTO DE DEUS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  41. RESPOSTA DE UM NEOBOBO AO EXCELENTISSIMO SR. EX-PRESIDENTE, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  42. O DIRECIONAMENTO RELIGIOSO ERRADO NAS QUESTOES ELEITORAIS BRASILEIRAS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  43. 100 REASONS TO AMNESTY THE UNDOCUMENTED WORKERS IN UNITED STATES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  44. 13 STARS = WOMAN. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  45. CARTA AO CANDIDATO DO PSOL: PLINIO DE ARRUDA SAMPAIO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  46. 13 ESTRELAS = MULHER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  47. FAIXA DE GAZA, O TRAVESSAO NOS OLHOS DA HUMANIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  48. IMIGRACAO: SEM LENCO E SEM DOCUMENTO, O BARRIL TRANSBORDANTE DE INJUSTICAS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  49. THE NONSENSE LAW. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  50. POLITICA, FUTEBOL, MUSAS E PROPAGANDA ELEITORAL ANTECIPADA; OBAMA, GRANDES CORPORACOES E IMIGRACAO. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  51. CARTA DE LIBERTACAO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  52. About The Third and Last Testament | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  53. The Third and Last Testament | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  54. ALGUMAS NOTAS GENEALOGICAS, 2014/2015 | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  55. MOVIMENTO: “FORA DILMA, FORA PT”; QUE OSSO CAMARADA?!!! | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  56. NOS, OS NOBRES, E A AVO DO JUSCELINO TAMBEM PODE TER SIDO BARBALHO COELHO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  57. ARVORE GENEALOGICA DA FAMILIA COELHO NO SITIO: www.geneaminas.com.br | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  58. How Good Is Skincare Cosmetics Retinol Says:

    How Good Is Skincare Cosmetics Retinol

    A DIVINA PARABOLA | Val51mabar’s Blog

  59. UM NOSSO LADO CRISTAO-NOVO E, TALVEZ, OUTRO PAULISTANO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  60. MEUS GUARDADOS 2015 | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  61. ALIENS, CONSPIRACIES, DISAPPEARED TREASURES AND DOMINANCE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  62. OS RODRIGUES COELHO; E ANDRADE DO CARLOS DRUMMOND EM MINAS GERAIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  63. CONSPIRACOES, ALIENIGENAS, TESOUROS DESAPARECIDOS E DOMINACAO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ https://val51mabar.wordpress.com/2011/01/28/o-livro-do-conhecimento-de-deus/ https://val51mabar.wordpress.com/2010/01/22/carta-de-libertacao/ […]

  64. MINHAS POSTAGENS MAIS RECENTES NO FACEBOOK | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  65. RIDICULOSAMENTE FALANDO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  66. Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  67. TRUMPANDO O ELEITOR | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

  68. 500 ANOS DE HISTORIA E GENEALOGIA DA PRESENCA BARBALHO NO BRASIL | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/ […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: