ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECECER DA PALESTINA E OUTROS TEXTOS

CONTEUDO DESTE BLOG – ALL CONTENTS

0. PURA MISTURA

https://val51mabar.wordpress.com/2016/06/08/conspiracoes-alienigenas-tesouros-desaparecidos-e-dominacao/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/12/23/aliens-conspiracies-disappeared-treasures-and-dominance/

1. GENEALOGIA

https://val51mabar.wordpress.com/2016/03/25/os-rodrigues-coelho-e-andrade-do-carlos-drummond-em-minas-gerais/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/07/22/um-nosso-lado-cristao-novo-e-talvez-outro-paulistano/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/05/10/nos-os-nobres-e-a-avo-do-juscelino-tambem-pode-ter-sido-barbalho-coelho/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/03/07/algumas-notas-genealogicas-20132014/

https://val51mabar.wordpress.com/2014/04/14/genealidade-e-genealogia-de-ary-barroso/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/12/06/genealogias-de-familias-tradicionais-de-virginopolis/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/05/30/barbalho-coelho-pimenta-no-site-www-ancestry-com/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/09/11/barbalho-pimenta-e-talvez-coelho-descendentes-do-rei-d-dinis/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/02/24/historico-do-povoamento-mineiro-genealogia-coelho-cidade-por-cidade/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/23/a-historia-da-familia-coelho-do-centro-nordeste-de-minas-gerais/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/04/24/a-familia-coelho-no-livro-a-mata-do-pecanha/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/03/arvore-genealogica-da-familia-coelho-no-sitio-www-geneaminas-com-br/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/09/22/ascendencia-dos-ancestrais-jose-coelho-de-magalhaeseugenia-rodrigues-rocha-uma-saga-a-ser-desvendada/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/01/17/a-heranca-furtado-de-mendonca-no-brasil/

2. RELIGIAO

https://val51mabar.wordpress.com/2011/05/29/a-divina-parabola/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/01/28/o-livro-do-conhecimento-de-deus/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/01/22/carta-de-libertacao/

3. OPINIAO

https://val51mabar.wordpress.com/2014/06/08/a-iii-gm/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-outros-textos/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/05/12/neste-mundo-so-nao-eh-gay-quem-nao-quizer/

4. MANIFESTO FEMINISTA

https://val51mabar.wordpress.com/2010/07/21/13-estrelas-mulher/

5. POLITICA BRASILEIRA

https://val51mabar.wordpress.com/2010/10/16/o-direcionamento-religioso-errado-nas-questoes-eleitorais-brasileiras/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/10/19/resposta-de-um-neobobo-ao-excelentissimo-sr-ex-presidente-fernando-henrique-cardoso/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/08/01/miilor-melou-ou-melhor-fernandes/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/05/carta-ao-candidato-do-psol-plinio-de-arruda-sampaio/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/05/26/politica-futebol-musas-e-propaganda-eleitoral-antecipada-obama-grandes-corporacoes-e-imigracao/

6. MISTO

https://val51mabar.wordpress.com/2014/06/08/a-iii-gm/

https://val51mabar.wordpress.com/2013/11/06/trilogia-de-variedades/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/12/30/2012-in-review/

https://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/03-o-menino-que-gritava-lobo/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-i/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-ii/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/minhas-postagens-no-facebook-iii/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/01/25/meus-escritos-no-facebook-iv/

https://val51mabar.wordpress.com/2015/02/14/uma-volta-ao-mundo-em-4-ou-3-atos-politica-internacional-do-momento/

7. IN INGLISH

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/02/the-nonsense-law/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/21/13-stars-woman/

https://val51mabar.wordpress.com/2011/10/05/the-suicidal-americaa-america-suicida/

https://val51mabar.wordpress.com/2010/08/25/100-reasons-to-amnesty-the-undocumented-workers-in-united-states/

https://val51mabar.wordpress.com/2009/09/25/about-the-third-and-last-testament/

https://val51mabar.wordpress.com/2009/09/12/the-third-and-last-testament/

8. IMIGRACAO

https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/17/imigracao-sem-lenco-e-sem-documento-o-barril-transbordante-de-injusticas/

 

ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECER DA PALESTINA

INDICE

01. INTRODUCAO
02. UM POUCO DE HISTORIA GERAL
03. A RAIZ DO PROBLEMA
04. TENTANDO JUSTIFICAR A COLONIZACAO
05. ATUALIDADES LIGADAS AO CONFLITO
06. ALGUMAS SOLUCOES
07. ASPECTOS RELIGIOSOS
08. CONSIDERACOES FINAIS

01. INTRODUCAO

Estamos em novembro de 2012, logo apos ao acordo que determinou o mais recente cessar fogo entre Israel e o Hamas, partido palestino que controla a Faixa de Gaza. Esta acao ultra agressiva desencadeada por Israel e com resposta nao menos agressiva por parte do Hamas desencadeou-se no rastro do assassinato do chefe militar daquele partido por acao dos servicos de exterminio de Israel.

Alias, diga-se de passagem, devemos taxar as operacoes que nem mesmo sao secretas por parte de Israel como acao simples de um grupo de exterminio. Nos que nascemos no Brasil e sobrevivemos `a epoca da ditadura militar sabemos, ou temos uma boa ideia, o que significa grupo de exterminio. Ou seja, eh um bando de bandidos que devido `a sua proximidade com o sistema governante se autorga o direito de fazer execucoes extra-judiciais daqueles que sao considerados inimigos.

Para isso ha a distorcao da lei que passa ser interpretada segundo os interesses de um grupo no poder nao dando ao executado sequer o direito da duvida e, muito menos, o de defesa. Como nao sou advogado nao posso colocar aqui um entendimento legal perfeito. O que defendo eh que as forcas policiais deveriam defender o lado do bem, nao interessa o mal que estejao combatendo. E o que assistimos agora eh apenas a repeticao do caso das ditas forcas policiais se tornando criminosas sob a desculpa de combater o crime.

Alias, nao me agrado nem mesmo de retornar a este assunto porque ja o visitei em escritos anteriores e por mais que penso em por racionalidade na insensatez que ele eh mais as acoes criminosas de ambos os lados me parecem afastadas da racionalidade. Isso faz-me duvidar de que algum dia iremos construir uma civilizacao baseada em razao, voltada para a solucao dos problemas e nao para a criacao de novos.

A visao de que o ser humano nao tem conserto e que acabara provocando sua propria destruicao eh algo facil de acomodar-se a ela, tomando como base apenas os rumos que os poderosos estao determinando desde quando conhecemos a Historia como Historia ate ao presente momento. Infelizmente, os politicos no mundo dao primasia aos resultados do presente. Sao totalmente cegos em relacao `a visao de futuro. E as decisoes que tomam agora nao passam de armadilhas que, no futuro, porao nossos descendentes sem muitas alternativas de sobrevivencia mas com mais opcoes de destruir uns aos outros.

Ora, sendo essa a perspectiva de futuro, que incentivo tenho eu de escrever qualquer coisa com o pensamento de ajudar? Baseado em que a minha opiniao nao eh ouvida, que os poucos que a leem se cansam rapido do meu lenga-lenga, nao vejo justificativa para expo-la ao publico. Ainda, como a minha opiniao eh controversa, corro mais o risco de sofrer o destino dos profetas, ou seja, puzeram as proprias vidas em risco para expor o que pensaram ser verdadeiro e so foram reconhecidos depois que todo o mal que previram aconteceu.

Entao, se os politicos fazem ouvido mouco `as profecias e terminam sempre conduzindo o povo para o lado contrario, que valor tem a profecia? Sei que dando a minha opiniao estarei novamente cometendo o erro de avisar com antecedencia as consequencias das decisoes politicas que tem sido tomadas desde ha muito tempo ate agora. Talvez eu venha a me tornar mais “uma voz clamando no deserto”. Mas com a esperanca minima de que dessa vez os bons ventos soprem, e os ouvidos oucam, servindo ao que foram feitos e nao negando o fato de sua criacao, arrisco pela ultima vez a expor-me ao ridiculo de falar a verdade neste mundo de falsidades.

Nao me tomem por pretencioso. Nao me comparo aos chamados profetas. Uma coisa eh falar-se em profecia segundo as definicoes antigas. Desde o passado ate hoje a maioria das pessoas entende profecia como uma comunicacao provinda de Deus, com conteudo de advertencia, exultacao de esperanca, ameaca de castigos, antevisao de futuro e promessas de uma vida melhor. Mas quando analisamos as ditas profecias e comparamos com o que a Historia nos conta, observamos discrepancias tais que elas sao facilmente descartaveis no sentido de dar-se a elas origem Divina. Entao, nos resta apenas a boa vontade de atribui-las aos homens que, mesmo com boas intencoes, erraram em seu anuncio e, sobretudo, comprometeram a Idoneidade Divina atribuindo-as a Deus.

Para mim, profecia tem um sentido outro. Podemos compara-la ao que os meteorologistas fazem atualmente. Eles apenas reunem um imenso conjunto de dados e procuram prever por um tempo limitado o que podemos esperar dos acontecimentos meteorologicos. Com isso, preparam a populacao para previnir-se contra as adversidades que estao por vir. O objetivo eh salvar-se vidas e bens ja que as tempestades sao inevitaveis. Assim sendo eles se transformaram em profetas do tempo. Por outro lado, os politicos se transformaram no avesso da profecia.

Nao sei dizer como provar que os meus escritos tem o mesmo sentido. O que os meteorogistas fazem esta baseado em ciencias. Enquanto os meus sentimentos traduzidos em palavras nao passam de empirismo. Eu sei que se fundamentam na experiencia de vida que acumulei durante os meus mais de 50 anos. Nao se trata de coisa que possa ser aprendida em livros. Porem pode ser comparado a um quebra-cabecas ou a um jogo de xadrez. Se a gente comeca a montar as pecas pelas laterais logo se forma em nossa mente como se dara o desenho do centro da figura e vice-versa. Como nao eh por meio de ciencia, atribuo essa capacidade ao estimulo da memoria.

Ha tambem que se guardar o direito das pessoas de discordarem do que digo. Porem, ha que avisar-se tambem `aqueles que pensarao que estarei dando pitaco em assunto “que nao eh de minha conta”. Ora, eu tambem nao iria querer que os estrangeiros comecassem a mandar que eu me comportasse de uma forma ou de outra dentro daquilo que considero meu pais. O que defendo eh isso: oferecer uma opiniao a respeito de um assunto nao significa mandar que as pessoas facam o que penso mas apenas e tao somente oferecer subsidios para que as pessoas confrontem por elas mesmas as opinioes diferentes e decidam pelo caminho que julguem ser melhor.

Ja recebi manifestacao bastante contraria `a minha opiniao politica em assuntos internos do Brasil. E vejam que nasci e vivi no Brasil durante mais de 35 anos ininterruptos. Poucos anos depois que sai de la, e ainda com o direito de cidadania nele ate hoje, alguem insinuou que eu, por residir no exterior, teria perdido o direito de expressar os meus sentimentos em relacao ao que era o certo e o errado para o Brasil. Imagino pois que, se os palestinos sentirem que a minha opiniao for favoravel a eles, eles a aceitarao; e se os outros entenderem o mesmo, eles a aceitarao ou vice-versa. Em ambos os casos, agradando a um desagradarei ao outro.

O mais provavel eh que a opiniao agrade a parte da populacao palestina e parte da populacao israelense, e desagrade o restante de ambas as faccoes. Nao tenho ideia da proporcao em que isso se dara. O meu objetivo eh outro. O meu objetivo eh colocar o assunto em perspectiva racional. As pessoas que estao diretamente no conflito tem suas mentes ocupadas pelo que pretendem ganhar, tirando vantagens em termos de territorio, influencia politica e poder. O meu unico objetivo eh salvar vidas.

O que sinto eh que as duas populacoes querem, de uma forma ou de outra, viver a paz. E com esse objetivo elegeram seus representantes. Contudo, tais representantes se deixam corromper pelas glorias do mundo e nao tem a intencao de fazer a paz se o mundo nao lhes conceder tambem o titulo de vencedores. Ou seja, a ideia de vitoria em perspectiva de conceito do mundo os esta impedindo de fazer a paz. Entao, concluo que o problema nao esta na vontade do povo e sim na vontade dos politicos.

Eles sim eh que determinaram que eh preciso destruir a imagem do, considerado, inimigo para dar solucao ao problema. Mas esta nao eh a funcao para a qual foram eleitos. Eles foram eleitos para fazer a paz e estao se recusando a faze-la. Muito mais que isso, estao trabalhando contra ela e usando de suas posicoes privilegiadas para induzir o povo a pensar como eles. Com essa acao eles querem justificar o mandato e permanecer no poder. Eh por isso que a destruicao por meio da guerra virou uma opcao, que resignadamente o povo menos esclarecido, ou mal, sujeitou-se a ela.

O objetivo dos politicos tem sido a destruicao dos considerados inimigos. Assim, se tudo esta sendo feito com o senso da destruicao, entao, perdeu-se o sentido da construcao. Se a destruicao eh o fim do mundo nao ha logica alguma em trabalhar-se a favor dele. Nao sei em quanto por cento a minha opiniao ira ajudar ou atrapalhar. A unica coisa que sei eh isso: qualquer que seja a porcentagem favoravel, nada valera se no final uma populacao for destruida pela outra. Eu apenas gostaria que minha opiniao nao fosse transformada em total perda de tempo.

Aos mais radicais que se revoltarem contra a minha opiniao eu tenho um aviso. Nao pensem que o que esta acontecendo eh problema de voces e que os de fora nao tem direito a dar opiniao a respeito. Procurem ver o mundo como eu o vejo. Ele foi feito com uma redoma unica que abriga a todos nos ao mesmo tempo. As suas acoes interferem com o que a mim pertence, portanto, se o que voces estao colocando em jogo eh em quantidade maior do que estao lancando a sorte sobre o que me pertence e sem o meu consentimento, eu nao aceito perder nada do que eh meu em funcao do seu vicio de jogar.

Pensem duas vezes antes de arriscarem no jogo. Ambos os lados tem recebido assistencia financeira e tecnologica do mundo inteiro. Os paises so existem como tais porque existe o comercio internacional e se este for interrompido as consequencias para israelenses e palestinos sera muito maior do que para o resto do mundo. Hoje voces estao consumindo ajuda financeira e humanitaria. E se as coisas continuarem como andam, nos corremos o risco de termos nossos descendentes convocados para interferir em sua guerra.

Pesem bem as suas acoes, pois, pode chegar o momento em que o resto do mundo podera entender que a solucao do problema sera dar com a chibata em ambos os lados. Lembrem-se, a cura de um cancer nao se da pela eliminacao do corpo e manutencao da doenca. A cura se da pela eliminacao do cancer.

02. UM POUCO DE HISTORIA GERAL

A Historia do Oriente Medio eh complexa e remonta `a pre-Historia. Muito do que houve esta ainda sob estudos. Existem escritos sumerios, babilonicos, egipcios, persas, hititas e outros. Entre esses outros existem os livros biblicos. Em todos os casos os historiadores sao unanimes quanto a uma conclusao. Os escritos sao tendenciosos e cada povo tratou de puxar a “sardinha para suas latinhas”. Todos misturam Historia e imaginacao.

O que se tira disso eh que quando uma dessas fontes fala da existencia de algum ponto geografico como uma cidade, um pais ou um povo que atualmente nao sabemos identificar exatamente quem era ou onde se encontrava, o que se pensa eh que eles realmente existiram. Isso porque o historiador antigo procurava ser o mais exato que podia dentro de suas limitacoes. Estas limitacoes foram responsaveis pelas discrepancias. Para fazer o diferencial, o historiador moderno usa o instrumento da arqueologia para tentar aproximar o maximo possivel o texto do escritor antigo aos fatos que realmente aconteceram.

E o que muitas vezes tem encontrado eh algo bem acurado em termos de certas descricoes. Por exemplo, a descricao da Cidade de Troia foi por muitos seculos creditada como uma fantasia de Homero. O que se sabe hoje eh que o envolvimento dos deuses pagaos na Guerra de Troia eh fantasia, porem, a existencia da cidade eh um fato inegavel ja que foi localizada e desenterrada pelos arqueologistas. A descricao de Homero foi tao perfeita que a autor da descoberta, Heinrich Schliemann, precisou apenas de uma copia da Iliada em maos e seguir-lhe as instrucoes.

Outra tecnica que os profissionais de historia e arqueologia usam para determinar a veracidade ou nao de um escrito antigo eh usar-se os dois lados da moeda, ou seja, verificar os escritos de dois povos diferentes que trataram de um mesmo acontecimento. Isso, associado `a arqueologia, muitas vezes torna possivel obter-se uma informacao muito mais acurada dos fatos. Muitas vezes, os escritos afirmam que centenas de milhares lutaram em determinada batalha de um lado e uns poucos milhares do outro lado. E o conhecimento arqueologico das cidades envolvidas na guerra mostram qual relato esta correto ou nao.

Em termos gerais, o texto biblico descreve o surgimento de um pais antigo cujo nome fora Israel. Poucas coisas podem ser comprovadas a respeito disso atraves da arqueologia. Por exemplo, o texto afirma que houveram milhoes de pessoas perambulando pelo deserto antes da invasao de Canaan. Os dados arqueologicos indicam a existencia de rastros de pequenos grupos de pastores e nenhum sinal da multidao.

Quanto a existencia do Israel antigo ha o indicativo de que houve. Ha uma mencao nos arquivos egipcios falando na “casa de David”, uma referencia que provavelmente se trata da familia do rei David. A arqueologia nao encontrou os sinais que um reino tenha sido estabelecido nos mesmos termos biblicos. Algo que deve ser natural ja que as mencoes escritas surgem muito depois dos fatos, entendendo-se que permaneceram por tradicao oral antes de serem escritos. E nos sabemos o quanto as tradicoes embelezam os fatos de acordo com o passar das geracoes.

Segundo as tradicoes, Israel foi substituido por Judah. Este foi uma versao mais reduzida do que fora descrito como Israel. O proprio texto biblico afirma que Judah fora destruido pelos babilonios no VII seculo a. C. Desde entao passou a ser colonia sequencialmente: babilonica, persa, grega e romana. Antes houvera sido egipcia e hitita. Nos registros antigos de outras culturas nao ha como comprovar-se a existencia de um pais independente chamado Israel ou Judah. Porem, a existencia de uma cultura diferenciada local eh inegavel.

O que sabemos com certeza eh que houve uma revolta dos judeus contra o dominio romano em 66 d. C. Ai se deu um verdadeiro genocidio contra os judeus, algo que os romanos eram mestres em executar. Mesmo com toda matanca, os romanos tinham um segundo objetivo neste tipo de confronto que era o de angariar capital. Eles tomaram os bens de conversao financeira imediata como ouro e prata e outros metais e pedras preciosas. Outra fonte financeira era a de fazer escravos. A existencia de escravos judeus nessa epoca em Roma e suas provincias eh registrada.

Essa primeira revolta levou `a destruicao do Templo de Jerusalem que era considerado a maior referencia da cultura judaica. Tempos depois os judeus reconheceram que as escrituras que eles podiam transportar e memorizar eram uma referencia mais util `a sua religiao. Posteriormente o imperador romano resolveu reconstruir Jerusalem e substituir o templo por outro dedicado ao paganismo. Isso levou varias comunidades judias espalhadas pelos dominios romanos a se revoltarem. Houve grande matanca tanto do lado greco-romano quanto do lado judaico. Essa revolta se deu por volta do ano 115.

A terceira revolta, (segunda revolta quando considerado as ocorridas na Judeia) chamada de Revolta de Bar Kokhba (filho da estrela) se deu na decada de 130 para 140. Deu-se na Judeia e o lider messianico foi Simao, chamado de Bar Kokhba. A Judeia tornou-se independente por um periodo curto de tempo. Cerca de 2 anos. Cunhou-se moedas proprias. Porem, o resultado final foi pior que o das revoltas anteriores. Os judeus foram massacrados e proibidos de voltar a por os pes nas terras de sua tradicao.

Passou a ser proibido o ensino das leis mosaicas nos dominios romanos. E quem se confessasse judeu de fe e puzesse os pes no antigo territorio da Judeia estava sujeito `a pena de morte.

Duas medidas foram tomadas entao. A primeira foi a de extinguir a Provincia de Judah e substitui-la pela Provincia da Palestina. No fundo, essa atitude era apenas uma tentativa de eliminar a identidade cultural local ja que o territorio nao poderia ser transportado. Foi a forma encontrada por Roma para afirmar o seu poder e deixar absolutamente claro de quem era o senhor da terra. A segunda medida foi a de transportar parte da populacao para a Peninsula Iberica, possivelmente, a porcao sobrevivente melhor educada e politizada.

Os romanos queriam com isso passar uma imagem de juizes severos ao mesmo tempo que magnanimos porque eles se davam o direito legal de decidir os que morreriam e os que teriam penas atenuadas.

Quanto `a terra, os romanos sabiam que ela nao daria frutos se nao houvesse quem a cultivasse. Todos os povos dominadores antigos sabiam que a riqueza deles dependia da producao que recolhiam, na maioria das vezes sob a forma de impostos, aos povos dominados. Portanto, a populacao com menor envolvimento na rebeliao e que nao era convertida ao judaismo permaneceu.

O provavel eh que as pessoas do povo local convertida ao paganismo foi mantida ja que os palestinos que ate hoje habitam o local tem vinculos geneticos com a populacao que ali habitou desde periodos pre-historicos.

Resumindo rapidamente estes fatos temos que: nos anos 300 o imperador romano, Constantino, converteu-se ao cristianismo e impos a religiao ao povo. No seculo seguinte os povos germanicos invadem o Imperio Romano. O imperio romano do ocidente eh tomado pelos godos. No seculo seguinte o profeta Maome inicia a religiao muculmana, e pouco mais de um seculo depois o Imperio Muculmano ja tomou todo o Norte da Africa e a Peninsula Iberica.

A partir de 711, os judeus chamados de Sefardim, ou seja, os da Peninsula Iberica foram incorporados ao Imperio Muculmano. Ai permaneceram por aproximadamente mais 8 seculos. Durante este tempo os cristaos que haviam perdido a Peninsula Iberica se mantiveram na luta pela Reconquista. Assim, no perde e ganha de territorio os judeus ora serviam um ora serviam o outro lado. Houveram momentos em que as tres faccoes religiosas conviveram harmonicamente, principalmente sob o dominio muculmano quando seus califas eram a forca politica dominante.

Por cerca de dois seculos houveram as Cruzadas. Este foi um movimento catolico que visava tomar dos muculmanos o dominio de Jerusalem e as antigas possessoes de Judah. Elas se deram entre 1096 a 1272. O resultado positivo delas para os europeus foi eles terem tido contato com um povo tecnologicamente muito mais avancado na epoca. Atraves da assimilacao de tecnologias e conhecimentos das civilizacoes classicas, que haviam sido restaurados e evoluidos pelos muculmanos, deu-se a possibilidade de os europeus iniciarem o periodo que se chama de Renascimento.

Na sequencia, o Renascimento permitiu chegar-se aos Grandes Descobrimentos e deles surgiram oportunidades de enriquecimento que os europeus souberam melhor controlar a seu favor.

Em 1492 os reis catolicos da Espanha, Isabel e Fernando, concluem a Reconquista da Peninsula Iberica, seguindo a Portugal cuja conclusao se dera desde 1250. Os reis espanhois tambem levam `a frente a ideia de usar a Inquisicao (antes usada contra os considerados sacrilegos) contra os muculmanos e judeus. Instituem o decreto que obrigava a eles se converterem ou se retirarem de seus dominios. A recusa da conversao e a permanencia seria punida com a morte.

Houveram conversoes forcadas. Porem uma parte dos judeus seguiu o contingente muculmano que retornou ao Norte da Africa e outra parte migrou para Franca e os Paises Baixos, onde a tolerancia religiosa era maior. Neste periodo ainda nao ha retorno para o antigo territorio de Judah.

Ha enfim a multiplicacao da populacao judia na Europa e outros pontos do globo. Nos proximos seculos as nacoes europeias se tornam potencias e colonizam o restante do planeta. Poucas sao as localidades da Terra que nao sofreram a colonizacao europeia entao. Junto com o sucesso europeu tambem ha a multiplicacao dos conflitos. Os mais importantes sao as guerras chamadas Nopoleonicas e a primeira e segunda Grande Guerras.

Fatos importantes da Historia Universal foram tambem: a queda do Imperio Turco Otomano no inicio do seculo XX e a ocupacao da Palestina pelo Imperio Ingles; o surgimento do governo comunista na Russia e a criacao da Uniao Sovietica; a Independencia da India, liderada por Mahatma Gandhi; a propria criacao do Estado Judeu de Israel, atraves de uma resolucao inapropriada da ONU, em 1948; a Guerra Fria entre os governos comunistas e capitalistas; a Guerra dos Seis Dias, entre Israel e a comunidade arabe adjacente e outros fatos decorrentes destes principais.

03. A RAIZ DO PROBLEMA

Atualmente muito se fala a respeito do envolvimento das teorias teologicas no conflito palestino-israelense mas este eh um fato novo. O envolvimento teologico como motivo para o conflito eh secundario e se faz apenas como instrumento de manipulacao das massas para que o conflito permaneca; enquanto os lideres com interesses por tras dele nao alcancem os seus objetivos.

Em verdade, o conflito, em uma porcao bem minima comeca a partir da decada de 130 d.C., apos o inicio do Diaspora e a proibicao de os judeus porem os pes na Palestina. Desde entao deixou de existir a Judeia e o chamado povo judeu passou a ser a congregacao de pessoas convertida ao judaismo e nao mais um povo que pudesse ser vinculado a um pais. Ate mesmo a linguagem e o ensino da religiao haviam sido proibidos pelos romanos, passando o culto a ser praticado em segredo.

A “salvacao” do povo judeu e do judaismo se da com o surgimento do islamismo. Essa ate parece ser uma afirmacao contraditoria mas nao eh. Mohammed nasceu numa comunidade prospera, Cidade de Meca, onde a populacao judia, crista e paga viviam, de certa forma, em harmonia. Ele cresceu assistindo aos debates entre os tres pensamentos religiosos diferentes e inspirou-se neles para iniciar sua pregacao “messianica”. Messianica aqui nao tem o sentido estrito da palavra, que deveria ser um salvador saido das entranhas religiosas de raizes judaicas.

A pregacao de Maome, pelo nome que o melhor conhecemos, demorou um pouco para dar os resultados que ele gostaria e estes comecaram a surgir no Oasis de Medina, local para onde o profeta havia se exilado e bem recebido em funcao das inimizades que adquiriu em Meca. Convertidos os medinenses, Maome voltou-se contra Meca para conquista-la `a forca das armas. Coisa que o fez usando o ja entao conhecido Jihad. Ou seja, inteira dedicacao a um proposito.

Um dos aspectos da nova religiao fundada por Maome eh revelado ja neste inicio de surgimento. Era comum naquela epoca os vencedores exterminarem os inimigos, tomar suas posses e escravizar a descendencia deles. Num ato de grande benevolencia, o perdao eh lancado e a maioria da populacao de Meca se converte. Mohammed nao chegou a conhecer a gloria do seu imperio, pois, iniciou sua pregacao em 570 e faleceu em 632. Porem, ja havia conquistado quase toda a Arabia.

Os seguidores do profeta dividiram-se em dois grandes grupos: sunitas e xiitas, em funcao da disputa entre quem deveria ser o sucessor dele por direito. Apesar da divisao, a pregacao dele correu como fogo na polvora. Em 711 a Europa Ocidental foi tomada tornando-a a fronteira extrema do imperio no ocidente. Seu limite passou a ser a Peninsula Iberica. Ou seja, Portugal e Espanha tornaram-se dominados pelos muculmanos. Exceto pelas Asturias. No lado oriental o imperio se extendeu ate a India, incluindo-se Paquistao e Bangladesh que atualmente sao independentes.

Com o Imperio ja estabelecido os sucessores de Maome decidiram por bem tornar-se tolerantes em relacao ao cristianismo e ao judaismo. E ai eh onde o islamismo protegeu o judaismo da extincao. O primeiro objetivo era converter todos a uma unica religiao, porem, a resistencia a tal ideia levou a racionalizacao do assunto. O Islamismo nascera de principios pregados pelos profetas do Antigo Testamento, dos ensinamentos revelados por Jesus, que eh considerado um dos maiores profetas do islamismo, e de sabedorias caracteristicas dos arabes.

Por ter surgido depois, e por corrigir erros contidos nas duas outras tradicoes mais antigas, segundo o entendimento islamico, os muculmanos consideraram tolerar os pensamentos cristaos e judeus, porem, numa condicao inferior, ou seja, o judaismo e o cristianismo passaram a ser considerados fieis ainda em evolucao, nao preparados para aceitar a “verdade muculmana”. E seguindo esse raciocinio, judeus e cristaos passaram a ser aceitos como cidadaos do Imperio, numa condicao subalterna. O cristianismo romano, entao, estava reduzido `a velho e atrasada Europa.

Os muculmanos dedicaram-se ao cultivo do conhecimento, nao apenas `a dedicacao religiosa. Dedicaram-se a todas as ciencias entao conhecidas como: filosofia, matematica, poesia, literatura, engenharia etc. Buscaram em todos os cantos da Terra que puderam os conhecimentos esquecidos que os povos classicos como os gregos e os romanos haviam se debrucado sobre e feito suas melhores descobertas; e os traduziram para o arabe e os mantiveram em suas bibliotecas. O Imperio Muculmano tornou-se a maior potencia mundial do conhecimento humano em sua epoca, e assim permaneceu por varios seculos.

Na sombra do desenvolvimento muculmano, os judeus incorporados ao imperio tambem cresceram dentro dos conhecimentos de sua propria cultura. A tolerancia permitiu-lhes inclusive produzir alguns vultos do conhecimento durante esta etapa da Historia e a participar com cargos importantes na administracao geral. A propria Enciclopedia Judaica reconhece e fala a respeito deste assunto. Ressalvando apenas que houveram reacoes localizadas, provocadas por muculmanos fundamentalistas, onde judeus foram perseguidos e `as vezes massacrados.

Contudo, essa perseguicao vinha somente por parte de grupos fundamentalistas, nao da filosofia muculmana como um todo. O mesmo preconceito foi levantado contra os cristaos. A desculpa que o papa Urbano II deu para levantar a primeira Cruzada, em 1095, foi em razao disso. O que motivou as Cruzadas foi a desintegracao do Sacro Imperio Romano. Ele havia sido iniciado por Carlos Magno por volta de 800 d.C. Epois, com o desmembramento da Europa em multiplos reinos pequenos e cada um querendo conquistar uns aos outros, surgiu a militarizacao excessiva da sociedade.

Outra questao era a da falta de uma instrucao legal e funcional dos reinos. Em resumo, valia a lei do mais forte. Assim quando nao estavam em guerra os soldados eram reunidos em quadrilhas, sob o comando de algum senhor feudal, cuja primeira funcao era a de atacar as propriedades camponesas indefesas para pilhar, assassinar e praticar outros crimes hediondos. As Cruzadas surgiram com a intecao de descarregar essas energias negativas contra outros que nao os proprios europeus.

Como foi dito: “A propaganda eh a alma do negocio.” Um dos administradores muculmanos de Jerusalem, em um surto de fanatismo, havia queimado a Igreja do Santo Sepulcro ja ha uns tempos passados. Porem, o sucessor ja havia reconstruido. Espertamente o papa usou a primeira acao como desculpa para promover a primeira Cruzada. A ela seguiram-se outras oito (entre as mais conhecidas) nos proximos quase tres seculos. A violencia da primeira Cruzada foi tanta que o exercito europeu matou indiscriminadamente quase toda a populacao de Jerusalem, incluindo muculmanos, judeus e cristaos, que nao reconheceram como confrades por causa de parecerem diferentes.

Essa foi uma das razoes que levam os muculmanos a desconfiarem dos cristaos ocidentais ate hoje. Contudo a Historia nao para ai.

No final das Cruzadas prevaleceram os muculmanos. Apos os quase tres seculos de governo colonial os ultimos rasgos de terra ocupados pelos cristaos europeus foram reconquistados.

Contudo, a partir dos anos 1300 os europeus ja haviam adquirido o gosto pelas mercadorias que eram comercializadas desde o Japao e China ate ao Oriente Medio por rotas de comercio que os muculmanos mantinham. Associado a isso, os europeus tambem levaram das Cruzadas o contato que tiveram com uma civilizacao mais avancada. O gosto pelas artes e ciencias comecam a renascer na Europa. Como centros de comercio que comunicavam com o Oriente Medio e distribuiam para o restante do continente, as cidades italianas como Veneza, Florenca, Genova e outras desabrocham em riquezas. Isso leva ao Renascimento europeu.

Pouco se fala, porem, um dos expoentes do Renascimento foi o principe D. Henrique, o navegador, de Portugal. Uma das ciencias que os arabes dominavam era a navegacao e ele foi um pesquisador incansavel do assunto. As naus desenvolvidas pelos portugueses, a partir de conhecimentos adquiridos da Peninsula Iberica muculmana, permitiram aos portugueses iniciarem os Grandes Descobrimentos. A principio eles redescobriram os arquipelagos da Madeira e dos Acores. Antes, ja eram visitadas pelos romanos e constavam nos mapas deles. E tambem iniciaram conquistas na costa oeste da Africa.

Colombo associou os conhecimentos que trazia em sua bagagem de Genova aos dos portugueses e espanhois e chegou `as Americas; e morreu pensando que houvesse chegado `as Indias orientais. Quando Vasco da Gama contornou o Cabo das Tomentas, criou um grande problema para o Imperio Muculmano, entao, ja dominado pelos turcos otomanos. A partir disso o comercio pode ser feito diretamente com as Indias Orientais e nao mais com os intermediarios muculmanos.

Em parte, o que deve ter levado ao sucesso de portugueses e espanhois no inicio das grandes descobertas foi sua elite descender tanto de judeus quanto do proprio profeta Mohammed. Eh provavel que isso tenha facilitado o acesso aos conhecimentos primeiro gerados no ambiente do Imperio Muculmano. Outra grande descoberta que prejudicou mais ainda ao Imperio Muculmano foi a descoberta da passagem do Estreito de Magalhaes, no Sul das Americas. Assim, o rendoso comercio com o Extremo Oriente podia ser feito diretamente, nem mesmo precisando fazer o reabastecimento dos navios nas costas que contornam o Oceano Indico, entao dominadas pelos arabes.

A propria Enciclopedia Judaica menciona e nem mesmo cristaos ou muculmanos duvidam dessa verdade. Assim que os cristaos retomaram a Peninsula Iberica e passaram a usar a Inquisicao para perseguir os outros ramos religiosos, a perseguicao sofrida pelos judeus tornou-se a pior de todas, desde a que ja haviam sofrido durante o Imperio Romano. Outra vez, a perseguicao religiosa era secundaria. O objetivo era tomar de um segmento da sociedade, aparentemente fragilizado, suas posses para financiar as estravagancias da adinistracao monarquista dos reis catolicos espanhois.

Com as Grandes Descobertas sabemos que iniciou-se o longo e tenebroso Periodo Colonial, executado pelos europeus. E o tiro de misericordia contra o Imperio Muculmano se deu no fim da I Grande Guerra. O que ainda restava dele era representado pelo ja decadente Imperio Turco Otomano. Alem da Turquia fazia parte dele: Siria, Libano, Palestina, Jordania etc. Mas o Imperio Otomano aliou-se aos alemaes e foram derrotados juntos. Assim ele perdeu as suas ultimas possessoes para a Inglaterra.

Eh preciso salientar-se que, durante todos estes seculos os praticantes da fe judaica tiveram todas as oportunidades de retornar `as terras que consideram ter sido de seus ancestrais. Contudo nunca nem sequer pensaram seriamente no assunto. Somente a partir do finalzinho da decada de 80 do seculo XIX alguns judeus russos se mudam para la. E durante o periodo conturbado em que o nacionalismo europeu torna-se exacerbado e a perseguicao aos judeus volta `a moda eh que surge o movimento sionista. Surgido na decada de 90 naquele seculo, alguns iniciam-se planos de mudanca para a Palestina.

Sob o protetorado ingles, a partir de 1917, a invasao se intensifica. E isso, naturalmente, incomoda `a populacao local que nao ve com bons olhos sua terra de milenios ser invadida por um numero grande de estrangeiros, sem que isso cause beneficio para ela. Mas a populacao palestina esta enfraquecida pelo motivo de estar sob o dominio de uma superpotencia e por estar em movimento de tentativa de independencia, o que incluiam os varios futuros paises sob o dominio ingles. A Inglaterra havia negociado com os rebeldes dar independencia a um grande pais, porem, roeu a corda, dividiu as varias regioes em paises diferentes e de quebra impos a criacao de Israel.

Naturalmente, a segunda Grande Guerra foi o elemento desencadeador das condicoes favoraveis `a implantacao de Israel ao mesmo tempo que desfavorecia aos arabes. Enquanto colonias, os paises arabes estavam sujeitos a nao possuirem exercitos regulares proprios. Se verificarmos o Mapa Mundi logo depois da segunda Grande Guerra, e por mais umas duas decadas depois, pode-se observar que nao existia nem a Africa nem o Oriente Medio que existem hoje. Ali existiam o Congo Belga, o Saara Espanhol, a Libia (francesa), a Palestina (inglesa). Ate Portugal mantinha Mocambique e Angola como colonias. Tudo o mais existia, menos independencia.

O Imperio Ingles que em seu apogeu havia sido o Imperio em que o sol jamais se punha, ou seja, em qualquer hora das 24 horas do dia havia um local de dominio ingles onde o sol era nascente, estava caindo pelas beiradas. A Inglaterra inclusive foi obrigada a conceder a independencia `a India, por acao de um pacifista. Atraves do movimento da nao violencia Mahatma Gandhi conquistou a independencia para a India. A Inglaterra havia sido colocada de joelhos perante aos impiedosos ataques nazistas e estava em reconstrucao sendo obrigada a ceder a influencia que fora senhora ao entao surgindo como superpotencia Estados Unidos.

Contudo, nos extertores do colonialismo, as duas nacoes decidiram legar ao mundo um resquicio daquele sistema que tanto era odiado. A criacao de Israel, atraves de votacao na assembleia geral da ONU, orgao este que funcionava ha pouco tempo em substituicao `a sua infrutifera precursora, Liga das Nacoes, irritou a toda a comunidade arabe. Esta criacao se deu em 1948, quando tambem se deu a primeira Guerra Arabe-Israel, sendo os descontentes facilmente derrotados tao grande era a diferenca de equipamentos disponiveis.

Eh evidente que a criacao de Israel se deu aos moldes das antigas colonias nas Americas. As Americas foram colonizadas como se houvesse um direito divino dos europeus em explorar o que pertencia aos indigenas. Eles simplesmente aportaram e ocuparam a terra, ignorando totalmente a presenca dos antigos moradores. E atraves de coacao e forca foram tomando todos os territorios interioranos, `a medida que sentiram isso necessario para si, nao levando em conta direito algum dos primeiros chegados.

Nos apenas temos que diferenciar o processo de colonizacao nas Americas em relacao `a criacao de Israel pelo fato de que isso ocorreu com quase 5 seculos de diferenca um do outro. E a consciencia do que era o mais correto na primeira colonizacao era muito menor do que na segunda. Nao eh preciso dizer que os europeus nossos ancestrais usaram de terrorismo para conquistar as Americas porque o colonialismo ja eh o proprio terrorismo. E o que se diz de um tipo de colonialismo praticado no passado eh verdadeiro, com grau pior, para qualquer tipo de colonialismo praticado no presente.

Alem do colonialismo, muito erram os sionistas de quererem para si o nome de Estado Judeu de Israel. Primeiro por causa do principio democratico de separacao entre o laicismo e o religioso. Paises democraticos precisam saber respeitar as diferencas religiosas que existem entre seus cidadaos. Outro ponto que o nome incita o desprezo eh a mencao `a etnia. Uma nacao composta de diversas etnias jamais deve favorecer a uma ou outra, agindo o contrario implica em ser anti-democratico.

O envolvimento dos Estados Unidos na criacao de Israel foi um dos maiores paradoxos da Historia Mundial. Ora, o colonialismo houvera sido o pior inimigo das Americas durante varios seculos. Tal tipo de governo eh tao vergonhosamente arbitrario que os europeus o impuzeram aos povos nativos sob o preconceito de os nativos terem sido concebidos como pessoas de qualidade inferior. Menos de dois seculos depois do inicio da colonizacao inglesa no New England, os ingleses nascidos nas Americas estavam sendo submetidos a um regime de colonizacao semelhante ao que fora imposto aos nativos. E isso provocou a Revolucao de Independencia dos Estados Unidos. Ou seja, tanto Estados Unidos quanto Inglaterra tinham meios de imaginar os problemas que causariam com a implantacao de uma colonia nova no coracao das nacoes arabes.

Aqui nao temos como acusar ao povo judeu de ter culpa maior que as duas nacoes. A verdade eh bruta mas povo eh povo em todo e qualquer lugar do mundo. Bem fazem as referencias que comparam a vida dos povos como uma “vida de gado” ou de “rebanho”. Infelizmente, as condicoes de vida nao sao iguais para todos, as diferencas culturais sao muito grandes, mesmo entre o todo de pessoas que se consideram de um mesmo povo. Assim, a maioria tem se tornado instrumento de manipulacao de massas nas maos de uma minoria inexcrupulosa.

E o povo sempre eh levado por falsas promessas cujos resultados levam o povo ao sacrificio e ao peso do pagamento das contas como se ele fosse o autor das promessas. Foi muito facil enganar ao povo oferecendo-lhe um local para viver, longe dos sofrimentos que estava sujeito num dos momentos mais terriveis da Historia da Humanidade, sem que ele tivesse inteira consciencia de que a terra ofercida ja tinha dono. Colaborou para isso as antigas promessas, tambem falsas, de que tais terras haviam sido destinadas a ele num passado bem longinquo.

Os acontecimentos da epoca tambem conspiraram para o resultado. Se nao tivesse havido a II Grande Guerra, ou se os nazistas nao tivessem perseguido aos judeus como o fizeram, talvez nao tivesse surgido a boa-vontade entre muitos de conceder aos judeus uma possessao que nao era deles e nem dos outros que votaram a favor daquela criacao. O clima de pressa para uma solucao imediata apenas levou `a criacao de novo problema e nao `a solucao do que ja havia. E, pior, sabe-se hoje que alguns votos foram comprados, fazendo da criacao do estado um ato puro e explicito de corrupcao. Ou seja, se fosse boa coisa ninguem precisaria ter sido corrompido para votar a favor.

O povo judeu de um modo geral, nao tinha nem mesmo como raciocinar prolongadamente a respeito da injustica que estava cometendo ao tomar de outros uma terra para usar em seu proprio beneficio. Vejam, como nos proprios raciocinariamos se tivessemos acabado de passar por um processo de tentativa de exterminio, onde `as nossas costas estivessem as camaras de gas e o fuzilamento e `a nossa frente uma promessa fantasiosa de uma terra onde jorra o leite e o mel? Ora, tambem o rato nao sabe enxergar que a vida miseravel que ele leva na Terra nao depende nem um pouco da comida que esta posta na ratoeira! E essa comparacao espelha bem a realidade que tinhamos em 1948.

Faltou ao povo judeu raciocinar um pouco e lembrar-se que ele estava saindo de uma situacao de imenso sofrimento mas que tal sofrimento nao justificava nunca provocar semelhante sofrimento a outro povo que nada tinha haver com o pecado! A situacao de um modo geral se transformou em um balsamo para os ombros do povo judeu e um novo Holocausto para o povo palestino. Justo teria sido levar socorro aos que sofriam, porem, jamais `as custas do sofrimento de terceiros.

Tambem devemos analisar a situacao sob o prisma de nos pormos na situacao do povo palestino. Quem do resto do mundo aceitaria ser mandado embora das terras que haviam sido de seus ancestrais por milenios para ceder lugar a pessoas que fossem descendentes dos mesmos ancestrais mas que haviam saido daquelas terras ha mais de 15 seculos atras? Nos que vivemos nas Americas, descendentes de europeus que chegaram ha pouco mais de 5 seculos nelas, aceitariamos sermos forcados a sair de nossas casas para dar lugar `a descendencia pura indigena que vive atualmente? Portanto, se achamos que a situacao seria injusta conosco, nao devemos julgar com igual ponderacao a situacao pela qual passam os palestinos?

A questao religiosa eh outro problema apenas porque as pessoas tendem a julgar segundo os beneficios que a elas proprias sao dados. Os judeus com crenca religiosa creem que a Palestina lhes foi dada por Deus. Direito, claro, que seria inalienavel se isso houvera sido verdade algum dia. A questao eh que entre muitas coisas que estao escritas na Biblia, entre boas e malevolentes, nenhuma delas foi ditada por Deus e isso eh facil de ser comprovado.

Mas o grande problema nao eh a comprovacao. O maior problema eh a maioria das pessoas nao saberem ler nas entrelinhas tudo o que esta realmente escrito ali. Entre os escritos existem aqueles que nao passam de propaganda. Entre as quais, a de que o povo judeu era um povo escolhido entre todas as outras nacoes. E que havia um tratado entre Deus e o povo para que ele tomasse posse da terra, para sempre.

Ora, o motivo da propaganda nao eh falar uma verdade e sim convencer `as pessoas de que elas obterao um premio caso facam uso de certo produto. Observem o que se fez antigamente em relacao ao cigarro e continua-se se fazendo em relacao a comercializacao de carros e tudo o que eh comercializavel. Antigamente, os criadores das propagandas de cigarros associaram o uso do veneno ao prazer. Por pouco eles nao prometiam que o uso do cigarro levaria as pessoas ao “Paraiso”. Ocultaram todos os ja conhecidos maleficios e milhoes de pessoas faziam uso da droga, mesmo nao mais acreditando no falso paraiso, mas em funcao do vicio.

A propaganda de ter sido um povo escolhido por Deus tinha efeito semelhante. Porem, como saber que ela eh falsa? Muito simples! Na propria Biblia esta escrito que Deus nao faz acepcao de pessoas (Dt 16,19), ou seja, Ele nao faz separacoes entre escolhidos e condenados. Isso nao eh complicado de entender, porem, somente os humildes compreendem. Os que reconhecem que nao sao melhores que os outros perante a Deus e se sentem como merecedores da morte e da Compaixao Divina para se libertarem, estes sim compreendem, porque sabem que todos somos criaturas de um mesmo Creador. Seria hilario se o Ser Perfeito tivesse feito uns sem chance alguma de se recuperarem e outros ja prontos para a salvacao. A isso se da o nome de arbitrariedade, o que nao eh caracteristica da perfeicao, mas sim das ditaduras.

O fato de a criacao do Estado de Israel ter tido um aparente sucesso, esta mais baseado nas imperfeicoes humanas do que na Bondade de Deus. Se se tivesse praticando alguma justica aos palestinos, isso seria perfeito. Mas o que se passa eh justamente o contrario. Apos a criacao em 1948 e a primeira Guerra Arabe-israelense, as portas do estado foram abertas a todos os estrangeiros que praticavam o judaismo, particularmente os que tinham suas arvores genealogicas vinculada a ancestrais judeus. E a propaganda foi largamente usada nesse periodo para convencer o mundo de que estava se fazendo algo de bom.

Claro, os judeus haviam sido perseguidos na Europa pelos nazistas, porem, era mais facil levar os sobreviventes para um local separado, onde se estivesse cometendo uma atrocidade contra um terceiro povo, do que obrigar o povo que tinha culpa pelo que aconteceu reparar suas faltas, porque o povo culpado tambem estava sofrendo as consequencias dos proprios erros. Como fala o ditado, “a corda sempre arrebenta do lado mais fraco”. O mais fraco era o povo palestino, portanto, que o abuso ocorresse contra ele! Mas nao foi apenas o que aconteceu durante a Segunda Guerra que incentivou os judeus a se recolherem na Palestina. Em outros locais, como na Uniao Sovietica, os judeus tambem eram perseguidos. E os sovieticos se sentiram felizes em enviar uma parte de seus indesejados para la tambem.

Nao vejo grande culpa nas pessoas que faziam parte do povo judeu e que, sem culpa alguma, haviam sido perseguidas naqueles locais. As pessoas em grande sofrimento quando enxergam uma luz no final de um tunel qualquer logo se dirigem para a luz na esperanca de se resguardarem de mais sofrimentos. O problema eh sua descendenca ate hoje nao ter reconhecido que para fugir do sofrimento em que estava esta causando sofrimento a outras.

Mas a condicao dos palestinos se viu grandemente piorada a partir de 1967. Naquele ano algumas nacoes da regiao, incluindo Egito, Jordania e Siria resolveram unir-se contra o inimigo comum. Mas os servicos secretos de Israel sempre tiveram uma rede eficiente de espionagem e antecipou-se `as acoes pretendidas pelos paises arabes. Ai se deu a chamada Guerra dos Seis Dias, onde a forca aerea arabe foi destrocada sem sair do chao, e os pontos estrategicos para suas defesas foram bombardeados. Logo veio a rendicao porque nada mais havia que se fazer.

Paises como o Egito e a Jordania acabaram por conformar-se com a situacao. Tem tratados de paz assinados com Israel e sofrem as pressoes economicas da Europa e Estados Unidos para que nao mexam com a colonia deles na Palestina. Com isso o povo palestino foi abandonado `a sua propria sorte e ficou sob o risco da influencia de pequenos ditadores governantes de paises como Iraque, Siria, Libia e outros. O povo sente que o mundo lhe deu as costas. E os ditadores, como oportunistas que sao, usam a causa justa de defesa de um povo oprimido para ganhar popularidade junto `a populacao mais pobre.

Ora pois, a raiz do problema se resume nisso. De um lado existe a injustica contra um povo colonizado. De outro existe um povo cujo sofrimento e a ma propaganda o impede de enxergar a situacao tao claramente como deveria. Ha que salientar-se que, no calor da luta, as pessoas humanas perdem a capacidade de promoverem um julgamento justo. Dai os dois povos sao manipulados pelas circunstancias que os atingiram, nao enxergando mais onde comecam e onde terminam os seus direitos. O que se fala hoje-em-dia em relacao aos acontecimentos atuais nao esta vinculado `as raizes.

Porem, as pessoas que nasceram durante o conflito tem a tendencia a fazer o julgamento de acordo com os fatos que lhes acontece e nao se interessam pelo conjunto de fatos que levaram `as atuais consequencias. Os israelenses nao querem considerar que nao tem o direito de usar o sofrimento que seus ancestrais foram submetidos para provocar o sofrimento dos palestinos. E os palestinos querem que o sofrimento deles acabe logo, nao importa os meios que usem para que isso aconteca. Por isso a luta eh na base do vale-tudo.

04. TENTANDO JUSTIFICAR A COLONIZACAO

Nos podemos comecar este capitulo tracando um parametro da justificacao da colonizacao das Americas, particularmente da que aconteceu no Brasil. Os portugueses aportaram ali em 1500. Tomaram para si a posse da terra, ignorando totalmente que elas ja tinham dono. Contra os indigenas existia o fato de eles estarem ainda na Idade da Pedra, sem o devido conhecimento das praticas europeias e com uma grande diferenca de conhecimentos tecnologicos. Mesmo assim, a sociedade europeia que aportou no Brasil nao poderia ser chamada de “o fino da intelectualidade e tecnologia do mundo”.

O que os portugueses perceberam logo em seguida eh que os povos indigenas estavam divididos em grupos que lutavam entre si. Essa foi a deixa para conquista-los. No geral, o que nossos ancestrais fizeram foi aliarem-se aos grupos mais fracos. Numa batalha onde se colocasse de um lado o contingente europeu e do outro o indigena, observariamos que o europeu era em numero reduzidissimo e a tecnologia de batalha usada por ele nao era suficientemente superior para superar essa diferenca. Assim, a astucia foi associar-se ao mais fraco, o que sofria as injusticas dos mais fortes.

A associacao entre portugueses e os mais fracos formava um grupo com vantagens para ele porque o indigena conhecia o territorio e as taticas de guerra do adversario, alem de fazer numero. Somente ai a tecnologia de guerra mais avancada dos portugueses faria a grande diferenca. Com isso, a resistencia mais forte foi eliminada, os membros das tribos inimigas foram escravizados e os portugueses puderam dividir o territorio com seus aliados. E depois foi mais facil domina-los pelo fato de serem o lado fraco.

Mas esta foi apenas uma primeira etapa da conquista. Os portugueses continuaram a levar mais colonos europeus e escravos africanos para seu territorio; alem de usar a conversao dos povos indigenas e da ligacao genetica com eles, ou seja, formaram parcerias familiares com as filhas dos nobres indigenas. Essa mistura genetica foi o que facilitou a posterior penetracao do territorio brasileiro porque os filhos mesticos tinham o conhecimento das duas culturas e tornou-se mais facil fazer a comunicacao com as outras partes do pais. Alias, os mesticos se tornaram ferozes perseguidores de seus proprios parentes interioranos. Talvez se julgassem superiores a eles por causa de sua mesticagem euroindigena.

Passados os seculos, mais europeus se estabeleceram no Brasil e mais africanos foram forcados a fazer o mesmo. Eles penetraram o territorio de acordo com as descobertas de riquezas. Assim, os brasileiros nordestinos penetraram o territorio em busca de terras para o criatorio de gado. E o Rio Sao Francisco foi usado como o caminho natural de acesso desde o mar ate o sertao. Os brasileiros do Sudeste penetraram pelo caminho do ouro, que corresponde `a Serra do Espinhaco e depois atingiram os campos auriferos de Goias.

No inicio existiam apenas povoacoes europeias separadas dentro do imenso territorio indigena. Com a consolidacao da colonizacao e a exploracao da agricultura, o povoamento expandiu-se de forma radial em relacao `as colonizacoes mais antigas, isso fez com que os indigenas ainda sem contato com a civilizacao europeia fossem cercados em territorios cada vez menores. Por fim eles foram encurralados em territorios menores conhecidos a principio como reducoes e depois reservas indigenas. Assim, foram sendo vencidos pelo enfraquecimento, pelo abuso da forca usada pelos colonos brasileiros e pelas conversoes forcadas.

O que resta dos povos puro-indigenas brasileiros hoje-em-dia sao apenas umas poucas reservas e um numero de cerca de 300 mil pessoas. Isso, de uma populacao que antes fora calculada em 5 milhoes de almas. Contudo a justificacao para na atualidade existir uma incontestavel nacao brasileira eh o fato de a maioria da populacao brasileira ser descendente das populacoes indigenas. Isso pode ser facilmente verificado na populacao do Nordeste e do Norte do pais, cujos tracos fisionomicos denunciam a miscigenacao, atraves dos tracos caracteristicos dos povos nativos.

A populacao do Sudeste e do Centro do Brasil tem na maioria caracteristicas africanas e europeias em seu exterior. Porem, trata-se de regioes primeiro povoadas por mesticos europeus/indigenas. A partir de 1700, com a descoberta do ouro em Minas Gerais, houve um grande, afluxo de europeus para a regiao e que multiplicando-se casou-se com a descendencia dos primeiros chegados. A fluxo europeu e africano continuou para estas regioes e a mesticagem acabou fixando mais caracteres das duas populacoes.

A regiao Sul foi inicialmente povoada por paulistas, mineiros e um grande contingente de europeus das Ilhas dos Acores e da Madeira. Ja no inicio do seculo XIX comeca a receber contingentes migrantes de outros paises europeus como: Alemanha, Italia, Polonia, Russia e outros. A partir do seculo XX o Brasil recebeu contigentes de todas as partes do planeta, incluindo-se japoneses, chineses, mediorientais, particularmente do Libano, povos fugidos das grandes guerras, incluindo judeus, e muitos outros.

A partir da segunda metade do seculo XX tambem se deu o fenomeno das migracoes internas. Primeiramente a populacao de outros estados foram atraidas pelo grande crescimetno economico de Sao Paulo e Rio de Janeiro, entao a capital do pais. Em 1960 foi fundada Brasilia, no coracao do pais, para onde houve enorme deslocamento populacional tambem. Com a abertura do Centro-Oeste para o uso da agricultura intensiva tambem houve deslocamento populacional para la. Houve um surto de deslocamento para o Norte, durante a Ditadura Militar (1964-1986).

Atualmente, com a expansao economica do pais, o fluxo migratorio interno tambem se intensificou. As pessoas se locomovem de acordo com que aparecem as oportunidades de melhorar-se de vida e, com a elevacao do nivel educacional, os antigos sulistas tem caminhado para as regioes mais ao Norte e os das regioes mais ao Norte tem se deslocado para as mais ao Sul. O resultado disso tem sido uma miscigenacao jamais vista no pais, nem mesmo nos tempos coloniais.

As tentativas de arranjar uma justificacao semelhante por Israel nao eh nenhum segredo. Durante o inicio da colonizacao da Palestina usou-se dois expedientes nessa tentativa. Um foi o de afirmar-se que os judeus tinham a promessa divina de voltar para o local. Usou-se ai o golpe do “se cola, colou”! Porem, os povos do entorno e o proprio palestino nao engoliram tal falcatrua. A outra foi a de prestar socorro aos judeus de outras paragens do mundo que estavam sob ameacas tais como as perseguicoes. Eh logico que ninguem caiu nesse conto do vigario porque a ideia de implantacao de Israel na Palestina ja existia antes do comunismo assumir o poder na Russia e mais ainda de Hitler virar chanceler na Alemanha. Portanto, Israel nao veio a ser uma solucao para solver o problema de perseguicao sofrido por ninguem.

Mas com a confusao em que o mundo foi mergulhado logo depois da segunda Grande Guerra, em que os Estados Unidos tornou-se uma forca dominadora mas com um alto grau de credibilidade por ter emergido da guerra como super-potencia, enquanto os outros paises desenvolvidos estavam envolvidos com suas reconstrucoes, a criacao do Estado de Israel nao apenas tornou-se possivel como tambem ganhou algum tempo para preparar alguma desculpa melhor para sua existencia.

E sem o desejar os proprios palestinos ofereceram parte dessa argumentacao. A minha mencao anterior `a Independencia da India atraves do movimento da nao violencia teve dois objetivos. O primeiro foi a de oferecer ao leitor uma imagem do grau de decadencia em que o Imperio Ingles estava. O segundo eh o de esclarecer que me posiciono contrario aos atos violentos que ate hoje os palestinos usaram para tentar recuperar o seu territorio. O que quero dizer com isso eh que eles tiveram o exemplo da libertacao atraves da nao violencia mas, por qualquer que fosse o motivo, a militancia palestina escolheu reagir tentando combater a violencia com violencia.

Em minha opiniao particular, se a militancia palestina tivesse adotado a mesma metodologia proposta por Mahatma Gandhi, a causa da libertacao da Palestina ja estaria ganha. Ora, a invasao e a tomada do territorio foi um fato tao claramente arbitrario que somente uma minoria muito pequena de pessoas continuaria apoiando a causa de Israel nos dias de hoje. E se os palestinos estivessem engajados no movimento da nao violencia, nao seria a Faixa de Gaza e a Cisjordania que estariam sendo embargados por Israel e sim Israel que estaria sendo embargado pelo mundo.

E se a populacao do mundo se envolvesse, recusando-se a usar qualquer produto que tivesse procedencia ou que servisse de ganho financeira a favor de Israel, o Estado logo se renderia ao poder do mercado. Foi essa opcao que permitiu a Independencia da India.

Por outro lado, `a medida que a militancia palestina e os ditadores em paises arabes optaram pela violencia, criou-se a ideia de uma batalha entre David e Golias. Nos sabemos o quanto as pessoas humanas sao atraidas pelas fabulas em que os mais fracos vencem aos mais fortes. E essa ideia, natural ou incutida por nossas culturas, eh que deu folego `a existencia de Israel no principio, ou seja, em suas primeiras decadas. Ate 1967, quando da Guerra dos Seis Dias, o meu julgamento ainda infantil foi enganado por essa falsa impressao.

Somente atualmente, com o assentamento da poeira de decadas passadas, onde a influencia dos ditadores tem diminuido, e com uma visao mais clara do conflito palestino-israelense, eh que a maioria das pessoas no mundo esta percebendo que David eh o povo palestino lutando contra o gigante Israel. Este ultimo auxiliado pelas potencias colonialistas. Mas o que tem impedido a maioria da populacao humana a tomar alguma atitude no sentido de ajudar aos palestinos eh justamente o receio de estar-se ajudando aos militantes que optaram pela violencia. A maioria das pessoas do mundo sabe que violencia que combate violencia eh apenas violencia que faz prolongar mais os conflitos e nao solucao.

As pessoas enxergam a violencia sofrida pelo povo palestino, porem, esta receosa que uma vitoria palestina por forca das armas va levar a um quadro de violencia excepcional contra os israelenses. Mesmo que no fundo uma boa parte da maioria pense que seria um sofrimento merecido, em principio, a populacao mundial eh em sua maioria avessa a qualquer tipo de violencia.

Ora, nos que procedemos de paises colonizados nao temos amor algum ao colonialismo. Muito pelo contrario. Mas talvez racionalizamos as coisas levando em conta que, muito da violencia que ocorreu quando de nossas independencias poderia ter sido evitado, e que se as independencias tivessem ocorrido como um concenso entre colonias e metropoles nos teriamos sido muito melhor servidos que a custo de sacrificios de ambos os lados.

Passada essa etapa das primeiras decadas apos 1948, Israel tem buscado justificar-se de outras maneiras. Uma delas eh a do prolongamento do conflito. Ora, para uma administracao como a israelense que nao perde a oportunidade de mencionar a palavra paz em todo e qualquer discurso perante aos holofotes do mundo, deveriamos imaginar que a paz seria o primeiro interesse dela. Mas como explicar tal coisa se desde 1948 quando da criacao ate hoje, 64 anos depois, a Historia demonstra que a paz esta cada vez mais distante de acontecer?

Uma parte da resposta esta justamente na justificacao. Israel sempre usou todos os artificios que pode, legais e ilegais, para nao consolidar uma paz com os palestinos. O que se deseja com isso eh ganhar tempo. Em primeiro lugar para consolidar o dominio sobre os palestinos e, ate mesmo, assimilar o restante do territorio ocupado por eles. Para isso acontecer, os governantes israelenses racionalizam que: como esta tatica funcionou a favor da colonizacao europeia nas americas, o tempo tambem iria favorece-los na Palestina.

O que a administracao israelense nao esta levando em conta eh que oa mesma tatica nao se deu na Asia e nem mesmo no restante do Oriente Medio. Primeiro porque os habitantes de tais territorios ja possuiam um grau de civilizacao muito mais avancado do que os indigenas americanos possuiam. Segundo por causa da epoca em que a colonizacao da Palestina comecou. Como os indigenas americanos nao tinham sua Historia escrita, e o padecer deles iniciou-se ha mais de cinco seculos atras, eles nunca puderam criar um movimento de renascimento antes de sua quase extincao.

A tentativa de justificacao inclusive nao eh uma acao local no ambito da Palestina. Talvez ela seja ate mais forte fora de la. Os israelenses sabem que nao adianta tentar convencer ao povo arabe de que tem alguma legitimidade em impor-se no local. Para os arabes seria como se o ladrao estivesse tentando convencer ao roubado de que o furto eh algo justo. A coisa funciona muito mais, por exemplo, aqui nos Estados Unidos.

Ha poucos dias a CNN divulgou uma pesquisa afirmando que somente cerca de 14% da populacao americana tem uma opiniao favoravel aos palestinos. Mais de 60% favorecem a Israel. Claro, pesquisa de opiniao publica tem a unica funcao de captar um palpite de momento e nao o de educar a populacao em relacao ao assunto pesquisado. E por que a opiniao dos americanos eh tao favoravel a Israel?

Uma das razoes que noto eh a exposicao da opiniao favoravel aos pontos de vista israelenses na midia americana. A propria CNN dedica uma proporcao de 10 por 1 de pessoas entrevistadas em seus programas nobres com opinioes favoraveis ao Estado de Israel. E vejam que os 14% de opiniao favoravel aos palestinos torna-se uma vitoria deles tal eh o massacre que sofrem em termos da desproporcao favoravel a eles em termos de entrevistados. Um dos pontos que chamam a atencao eh o proprio embaixador de Israel nos Estados Unidos ser um americano naturalizado israelense. Outro eh que o assunto eh tratado como se fosse um fator de seguranca aos interesses americanos e nao o puro e notorio intervencionismo.

Outro detalhe eh que Israel possui uma populacao que conta com menos de 5 milhoes de judeus residentes. Nos Estados Unidos eles sao cerca de 6 milhoes, ou seja, cerca de 2% da populacao total no pais. Este eh um fator fundamental. Isso porque a populacao judia eh bastante atuante junto `a sociedade americana. Eh uma populacao que abraca os melhores valores da sociedade. Eh participante e atuante. Sem duvida alguma a comunidade judia eh rica em bens materiais mas torna-se responsavel ao dar retorno `a sociedade atraves de suas entidades assistenciais.

Fatores que tambem favorecem aos judeus aqui eh o de atuarem nas areas de comunicacao. Sabe-se que por tradicao dedicam-se a editoras, imprensa de um modo geral e muitos sao os escritores. Desde a fuga de muitos deles das perseguicoes que sofriam na Europa ajudaram a transformar o cinema numa das maiores industrias dos Estados Unidos. Em todas as areas do conhecimento temos geralmente pelo menos um eminente representante de ascendencia judia.

Contudo, ha outro componente que favorece ainda mais aos judeus. Eles estao aqui nos Estados Unidos desde quando foram expulsos do Brasil em 1654, porque estavam associados aos holandeses que invadiram o Nordeste brasileiro, e conhecem muito bem o funcionamento do meio politico no pais. Assim, sabem que uma forma de se proteger e ser ouvido eh preciso participar nao apenas de fora para dentro votando mas tambem de dentro para fora, sendo votado. Com isso tem muitos politicos proprios defendendo seus interesses, e fazem lobby ativo para convencer outros a votarem a favor de seus interesses. Isso da a impressao `a populacao nao judia de que ha muito mais judeus no pais do que realmente existem.

Essa situacao favorece a manutencao de uma opiniao favoravel aos judeus de um modo geral aqui nos Estados Unidos. E um fator importante eh a proximidade que a presenca de judeus proporciona junto `a opiniao publica. Ora, a opiniao publica eh facilmente influenciada pelo fato de conhecer alguem da comunidade. Eh obvio que, contando com 2% da populacao americana total, serao poucas as pessoas no pais que nao conhecerao ou que nao terao mesmo amizade com um judeu. E, infelizmente, a amizade acaba interferindo com a capacidade das pessoas em fazerem a distincao entre ter amizade com alguem e apoiar uma causa injusta defendida pelo amigo.

Assim, a opiniao favoravel a Israel aqui nos Estados Unidos nao eh fundamentada no conhecimento da Historia do conflito. Se fosse, seria uma contradicao das mais absurdas porque aqui muito se honra aos herois da revolucao que lutaram contra o colonialismo ingles. E seria sadismo aprovar o colonialismo israelense.

Analisando-se o tempo em que o conflito se prolonga, contudo, ha que se por na mesa dessa discussao a boa vontade da administracao israelense em fazer a paz. A boa vontade por parte de Israel foi algo que nunca existiu. Por que? Porque prolongar o conflito eh uma forma encontrada para tentar forcar a justificacao. A tatica aplicada pelos israelenses eh deixar o tempo passar na esperanca de que a maioria da populacao se esqueca das feridas antigas e se concentre somente nas mais novas. Portanto, a ocupacao de novos territorios tem a intencao sadica de provocar mais dores, que serao forcosamente lembradas no momento, se ele vier, da assinatura de qualquer tratado de paz que vier a acontecer.

A psicologia aplicada ai eh simples. Imagina-se que um tratado de paz incluindo todas as reinvindicacoes israelenses acabaria sendo aceito no momento em que a populacao palestina sentisse que tal tratado fosse resolver uma situacao imediata de grande sofrimento. Ou seja, a tatica seria enganar ao povo mais sofrido, que enxergasse no levantamento do embargo `a Faixa de Gaza e a devolucao dos territorios ocupados nela e na Cisjordania como uma vitoria tao fabulosa que se esquecesse que Israel em si eh uma ocupacao de territorios palestinos.

Talvez, tal tatica tivesse funcionado nos anos 1950, porem, o conflito ja se prolongou a tanto tempo que os dirigentes palestinos tambem estao insenciveis `a dor sofrida pelo povo. Eles proprios sentem a dor mas de uma forma a que o facam enxergar a expulsao dos invasores como unica forma de entrar para os livros de Historia como libertadores do povo palestino. E a dor virou um estimulo ao contrario de persuacao. Quanto mais o povo palestino sofrer mais facil ficara para eles venderem ao mundo a imagem que querem apresentar de Israel. E essa eh a forma de justificacao palestina.

E eh por essa via que esta se tentanto ganhar a guerra pelo lado palestino. O que talvez Israel e seus aliados americanos nao tenham persebido eh que da mesma forma que a presenca judia nos Estados Unidos ajuda a justificar Israel neste pais, tambem a presenca arabe e palestina em outros paises ajuda a justificar a causa palestina. Segundo os dados de distribuicao de judeus no mundo, 46% deles vivem nos Estados Unidos, 37% vivem em Israel, 12% vivem no ambito europeu e apenas 5% no restante do mundo. Isso num total de populacao de 13.3 milhoes de pessoas. Ou seja, sao menos de 700 mil pessoas espalhadas por mais de 150 paises.

Em oposicao a isso, desde o desmembramento do Imperio Turco Otomano em 1917, passando pela criacao do Estado de Israel em 1948, a populacao medioriental nao judia tem sofrido um processo semelhante ao Diaspora e se espalhado por todas as nacoes do mundo. Citando o Brasil como um exemplo, mesmo antes dos dois fatos acima mencionados ele vem recebendo migrantes da comunidade sirio-libanesa e palestina. A descendencia dessa populacao eh muito mais visivel no Brasil que as comunidades judias, presentes em numero apenas em cidades como o Rio de Janeiro e Sao Paulo.

E a populacao de origem arabe no Brasil tem outra caracteristica que a faz mais popular ainda. Eh uma caracteristica que associou-se `a tendencia dos proprios brasileiros que eh a hospitalidade. Assim, nunca houve por parte dos brasileiros a resistencia aos imigrantes estrangeiros como aconteceu e acontece aqui nos Estados Unidos. Ao contrario, o imigrante, pelo menos ate ha um passado muito recente, sempre foi bem recebido e rapidamente assimilado pela populacao brasileira. E essa hospitalidade se deu de forma reciproca, o que facilitou o casamento dos imigrantes com a populacao residente. Com isso, eh de certa forma ate dificil encontrar uma familia brasileira que nao tenha entre seus parentes alguem de ascendencia arabe.

Embora a maioria da populacao de ascendencia arabe imigrada no Brasil seja de fe crista, o simples fato de haver essa ligacao arabe-brasileira na familia facilita a simpatia pela causa palestina. A verdade eh essa, mesmo que a principio o que tenha motivado a imigracao de arabes para o Brasil tenham sido conflitos que envolviam cristaos contra muculmanos, essa motivacao ja se tornou tao antiga que a barreira religiosa nao se faz mais presente. O que importa eh que a populacao brasileira conhece pelo menos uma pessoa de origem arabe que lhe eh simpatica, e essa simpatia acaba sendo transferida a favor dos arabes que nao sao conhecidos.

Mas claro, no fundo no fundo, esse julgamento resulta da impressao de que a questao da justica esta a favor da causa palestina. Mesmo que nao se concorde com os metodos usados pela militancia palestina na tentativa de libertar sua terra do poder colonizador, no amago, a maioria dos brasileiros tem maior afeicao pelos palestinos. Em parte, a rejeicao aos israelenses e sua causa vem exatamente das atitudes tomadas pelas administracoes israelenses. Como a maioria dos brasileiros nao conhece os israelenses pessoalmente, a imagem que eles tem deles e aquela passada particularmente pelos seus primeiros-ministros. E os israelenses nao tem sido felizes em suas ultimas escolhas, apontando pessoas que se parecem arrogantes demais para o publico brasileiro. E deve ser essa a mesma impressao que o restante do mundo tem dos israelenses.

Um outro fator que favorece aos israelenses serem melhor vistos aqui nos Estados Unidos eh o fato da forca politica que aqui possuem os cristaos fundamentalistas. Uma parte da cristandade mundial acredita que o Novo Testamento foi revelado para substituir ao Torah e seus complementos (Antigo Testamento). Contudo, boa parte dos fundamentalistas creem que o mais velho continua valido e que os judeus continuam vinculados a uma suposta promessa de retorno ao territorio palestino. Este contingente de cristaos coloca suas proprias salvacoes na dependencia dessa clausula.

Com isso, esses cristaos se tornaram mais radicais em relacao `a posse da Palestina pelos judeus que os proprios judeus mais liberais. Claro, nisso temos que nao esquecer, como em toda decisao politica, os judeus estao divididos entre os que apoiam e os que nao apoiam a existencia de Israel. A maioria eh dos que apoiam, porem, existe aquela minoria que os brasileiros gostam de apelidar de: “os do-contra”. O problema eh que, muitas vezes sao “os do-contra” eh que conseguem comprovar verdadeiras suas teorias. Mas por enquanto, a presenca judia, aliada aos cristaos fundamentalistas, alem da parte da populacao que coloca os “interesses americanos” acima da razao, sao opinioes vencedoras em relacao `a permanencia de Israel.

Infelizmente as pessoas nao resolvem as questoes como perfeitos juizes que primeiro buscam o conhecimento da causa. Elas decidem por aquilo que em suas opinioes tem mais valia, independentemente se ha justica ou nao nesta decisao. E esta opiniao eh que eh transformada em estatisticas de opiniao publica que os politicos usam para se orientarem em suas decisoes. A cada eleicao os politicos se tornam vulneraveis `a opiniao publica. E como o que querem eh permanecer no poder e nao necessariamente buscar a justica, seus votos sao convertidos em injustica, desde que isso lhes garanta eleicao. E eh essa parte da opiniao publica americana que corrobora com o prolongamento da ocupacao colonial israelense. Um prolongamento que parece favorecer aos interesses israelenses no sentido de tentarem justificar a ocupacao, pelo tempo de permanencia da colonia.

Uma das gafes que o presidente Obama cometeu em relacao aos planos israelenses de desenvolver esta ocupacao foi a de propor a finalizacao das conversacoes de paz com os palestinos, a partir do tratado de 1967. Isso implicaria dizer que os territorios ocupados por Israel naquela epoca e que Israel considera posse adquirida como espolio de guerra entrariam nas negociacoes. Para a administracao israelense seria por em risco um direito adquirido. O que, na verdade, eh traduzido por direito roubado.

E o medo israelense eh que se faca uma revisao historica em busca da solucao do conflito. A administracao israelense sabe muito bem que quanto mais se voltar no tempo para buscar uma solucao mais razao ele perde. Por isso o primeiro-ministro israelense foi rapido em condenar as palavras do presidente americano nesse sentido. O que o primeiro-ministro desejava eh que se passasse uma borracha nos livros de Historia que contam a Historia contemporanea desde o final do seculo XIX ate, pelo menos, uns 25 anos atras. Ele sonha com um mundo em que as pessoas so venham a se lembrar do que tem acontecido durante o periodo de vida da ultima geracao.

Mas os proprios israelenses tem cometido gafes semelhantes ao do presidente americano. Em relacao `a alegacao dos palestinos de que o territorio estava ocupado por seus ancestrais em passado recente, eles contrargumentaram afirmando que o que importa eh quem tem a posse da terra agora. Ou seja, a questao de que o territorio foi tomado eh admitido pela propria administracao israelense.

E por essas razoes que quando o primeiro ministro israelense vai `as reunioes anuais da ONU para discursar, seus discursos se limitam ao ufanismo de um passado glorioso de Israel, aos feitos das personalidades judias, nao necessariamente israelenses, e a atualidades em que ele exacerba o perigo do terrorismo mundial. Claro, ele nao considera a atitude terrorista do colonialismo em si. Em suma, faz uso do discurso politico, nao necessariamente correto, de que esta comprometido com a causa da paz e da promessa de que a permanencia do Estado de Israel seria um causa imprescindivel para a estabilizacao da regiao.

Quando, em verdade, eh o contrario. Alias, inverter os valores da justica tem sido o objetivo numero um dos defensores da permanencia de Israel. A paz jamais sera alcancada pelos metodos terroristas que tem sido usados contra o povo palestino. E a devolucao de terras ocupadas jamais deveria ter peso em qualquer barganha, pois, o fruto de um roubo nao deveria favorecer ao ladrao.

Eh como a senhora Hanan Ashrawi bem descreveu numa das poucas oportunidades em que representantes palestinos tem tido de ser ouvidos pela CNN. A reporter desejou ouvir a opiniao dela a respeito de territorios que a administracao israelense alega ter em maos para negociar a paz com os palestinos. Ela, naquela calma inerente a sua pessoa e como profunda conhecedora do assunto apenas abriu um sorriso e falou claramente que Israel estava querendo passar a impressao de bom mocinho por aceitar trocar terras pela paz mas as terras ja sao dos palestinos, portanto, era inutil discutir naqueles termos. Mas esse eh assunto para o proximo capitulo, atualidades.

Creio que podemos, como ultimo pensamento, apontar como parametro da vontade de Israel em resolver o problema os 64 anos de ocupacao da Palestina. Nas primeiras decadas o dialogo era recusado sob a alegacao de que os palestinos nao se conformavam com a existencia de Israel. Depois porque a Organizacao Para Libertacao da Palestina (OLP) seria terroristas. Esta mudou o nome, depos as armas e aceitou a clausula da existencia de Israel. Mas, como era esperado, os grupos mais radicais se separaram e formaram grupos de resistencia bem mais violentos. Segundo a senhora Ashrawi sao 21 anos de conversacao sem solucao.

Por ai se nota a “boa vontade” de se resolver o problema. E todas as vezes que os palestinos cederem `as exigencias de Israel, novas serao acrescentadas e as reinvidicacoes palestinas serao cada vez mais consideradas fora de questao. O problema para Israel agora eh que os palestinos ja se tornaram insensiveis `a “boa vontade” israelense e estao preferindo ignorar o envolvimento de Israel na questao e ir diretamente `a ONU. Ao contrario do valor que Israel pensava ter na questao, ele podera ser atropelado pelo trator das decisoes da ma vontade que esta sendo construida contra ele no restante do mundo. E podera chegar ao momento em que havera uma proposta levada `a Assembleia Geral da ONU de revogar o Estado de Israel definitivamente. Se foi atraves de uma decisao corrompida dela que justificou a criacao havera nela o poder de desfazer o erro que cometeu.

Apenas acrescentando algo que veio `a memoria. O processo de justificacao de Israel sofre desgaste nao apenas pelas acoes diretas dos israelenses. Aqui mesmo nos Estados Unidos nos convivemos com uma situacao peculiar nesse sentido. Desde o primeiros tempos que imigramos para aqui, ha quase 20 anos atras, ouviamos uma expressao de outros imigrantes denunciando que nao se sentiam bem trabalhando para os judeus. Nao que eles sejam o unico ramo da sociedade onde se aplica a situacao.

O fato eh que, principalmente as imigrantes mais antigas, afirmavam que a coisa pior do mundo era limpar casa de judeus. Elas se referiam a uma disposicao de as senhoras judias serem muito mais exigentes quanto `a observacao de detalhes na limpeza. Ate ai nao se reclamava, porem, associa-se a isso a pechincha na hora de pagar os servicos. As mulheres judias fazem pressao para pagar um salario menor do que os outros ramos da sociedade americana. Assim, as duas condicoes combinadas faz levantar uma condicao de antipatia em relacao ao ramo judeu da socieade como um todo, extendendo-a aos judeus em Israel.

Ora, mesmo levando em consideracao ser essa atitude algo inerente `a cultura judia, as imigrantes preferiam manter o servico enquanto nao o substituiam com outra clientela. Geralmente repassavam os servicos nas casas judias para pessoas mais inexperientes.

Isso cria nao um sentimento de odio contra os judeus, porem, induz uma certa aversao `a comunidade como um todo. A sensacao eh esta: quando se precisa fazer as compras em um supermercado todos concordam com a justica de se fazer uma pesquisa antes e escolher-se aquele que oferece produtos mais baratos. Contudo, quando chega o momento de se ir ao caixa ninguem discute o preco. Paga-se e se vai embora.

A sensacao que passa em relacao a isso eh de que quando se trata de encarar um grande todos calam mas quando se tem oportunidade de ajudar a um pequeno, prefere-se expolia-lo. Embora esse nao seja um julgamento inteiramente justo, ele nasce de as pessoas que estao mais fragilizadas dentro da sociedade nao estarem preparadas para dar uma palavra final no assunto, do tipo: Este eh o meu preco e a escolha de aceita-lo ou nao eh sua. Na maioria das vezes a barreira da linguagem e, mais ainda, a condicao de indocumentacao intimida os imigrantes que, mesmo se sentido ofendidos, acabam trabalhando por precos menores, porque as consequencias de nao trabalhar de forma alguma sao mais duras. A situacao passa uma imagem de que contra os pequenos os judeus cantam de galo.

Mesmo com a influencia das igrejas cristas onde muitos dos padres e pastores se alinham `a concepcao do Antigo Testamento continuar valido em toda a sua extensao, com certeza, o indice se simpatia de 14% em relacao aos palestinos seria um pouco mais elevado aqui nos Estados Unidos se a populacao imigrante fosse incluida nas pesquisas. Com certeza essa populacao nao esta incluida porque as pessoas de baixa renda aqui nao tem tempo para parar e responder questionarios de pesquisas. Normalmente, a populacao imigrante trabalha mais de 12 horas por dia para manter em dia suas contas.

05. ATUALIDADES LIGADAS AO CONFLITO

Aqui refiro como atualidades os acontecimentos envolvendo o conflito desde 1967. Porem o assunto de um modo geral ja foi abordado em meu texto:https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/.Este texto anterior nasceu da analise que fiz de opinioes de outros autores a respeito do conflito arabe/israelense e de assuntos internos brasileiros. Em especial aborda a ultima invasao sofrida pelo povo palestino na Faixa de Gaza pelo exercito israelense onde ocorreu um verdadeiro massacre para sufocar a resistencia.

Tambem no texto:https://val51mabar.wordpress.com/2011/10/05/the-suicidal-americaa-america-suicida/, ha uma analise a respeito do conflito nos capitulos 18 e 19. A traducao para o portugues esta na segunda metade da pagina. Ai eu aponto como as acoes chamadas “antiterroristas” perpetradas tanto pelos Estados Unidos quanto Israel tem levado ao quadro de radicalizacao e nao ao abrandamento da situacao de odio criada dentro da sociedade humana. No capitulo 18, sob o titulo de “Quem esta vencendo a guerra dos terroristas” eu aponto as razoes para classificar acoes chamadas de antiterroristas como acoes proprias de terrorismo que promovem o terrorismo ao inves de combate-lo. O texto acima tambem esta postado apenas em portugues na pagina, endereco:https://val51mabar.wordpress.com/2012/07/02/familia-barbalho-coelho-no-livro-a-america-suicida/.

Basicamente, eu expressei ali o fato de o sionismo ter criado a situacao em que limitou-se as formas de os palestinos atingirem o objetivo de se tornarem independentes. As acoes sionistas sao baseadas numa logica sadica. Em primeiro lugar, conhece-se da analise psicologica do comportamento humano que, populacoes submetidas a situacoes extremas de stress reagem, a grosso modo, de tres formas. Entregando-se ao medo e fugindo do terror. Uma parte maior tende a entregar-se e aceitar as decisoes dos bullies. Porem, uma terceira parte ira responder de forma a contratacar, igualando-se ou superando as arbitrariedades sofridas.

Este eh um fato muito conhecido mesmo nos meios leigos. Estamos cansados de ver a associacao entre os predadores sexuais e seu passado de terem sido vitimas de abusos na infancia. Isso nao quer dizer que toda pessoa abusada sera uma predadora. Porem ha uma relacao direta indicando que uma proporcao maior de pessoas que sofreram abusos de se tornarem predadoras em se comparando com restante da populacao que nao sofreu abusos. Este eh um fato antigo, tanto que antigamente falava-se que a tendencia do oprimido era tornar-se opressor. Fatos historicos como a Revolucao Francesa e a Revolucao Bolchevista na Russia sao exemplos claros em que a opressao vira-se contra o opressor em proporcoes hediondas.

Os exemplos em contrario sao tao raros que tenho conhecimento de poucos fatos nesse sentido. Sabemos que Jesus atraves de seus seguidores anunciou uma teologia onde o perdao aos inimigos eh fundamental. Porem ele proprio nao foi um lider militar para demonstrar isso abertamente. Os outros exemplos historicos que temos sao o retorno de Mohammed a Meca; o perdao aos cristaos quando Saladino retomou Jerusalem e a Independencia da India conseguida por Mahatma Gandhi. Tambem Gandhi nao foi chefe militar mas ele estava na condicao de oprimido que determinou nao tornar-se opressor.

Lembro-me de um outro exemplo que pode ser parcialmente citado como parecido com tal situacao. A Independencia do Brasil foi considerada como um movimento quase pacifico. Ao contrario de independencias como a dos Estados Unidos que nasceu de uma guerra revolucionaria em 1776 e em 1812 resultou em uma segunda guerra de independencia, os portugueses no Brasil ensaiaram apenas uma pequena resistencia que, embora tenha provocado mortes, os fatos nao permitem classificar como guerra. E a verdade eh essa: nem Portugal tinha organizacao suficiente para tentar uma retomada de poder, nem o Brasil teria meios de entrar em um guerra caso nao fosse invadido. Portanto, a situacao e nao o merito das pessoas ocasionou a Independencia Brasileira sem maiores derramamentos de sangue.

Sabendo da raridade de encontrar-se pessoas humanas capazes de reagir com cavalheirismo `a agressao maior, os sionistas fazem uso desse conhecimento, provocando a reacao da minoria radical da populacao muculmana que se sente oprimida pela situacao de colonialismo. O objetivo dos sionistas eh o de justamente provocar as reacoes terroristas dos oprimidos, pois, com isso desejam justificar-se, fingindo que estao lutando contra terroristas natos. A principio, os proprios radicais palestinos nao perceberam que estavam sendo manipulados neste sentido. Agora eles aprenderam a fazer o mesmo jogo, ou seja, tambem provocam os israelenses a praticarem atos hediondos, o que eh transformado em justificacao de sua luta de libertacao da Palestina.

A partir de 1967 porem o quadro foi intensamente radicalizado. Israel nao apenas venceu a Guerra dos Seis Dias contra os paises arabes da vizinhanca. Ele incorporou terras dos vencidos como Egito, Jordania e Siria. Ai se inclui a Cidade de Jerusalem que era dominio claramente palestino. Essas ocupacoes levaram ao Diaspora de parte da populacao palestina, que foi provisoriamente encarcerada em “campos de concentracao” (acampamentos de refugiados) em paises como o Libano, Siria, Jordania e Egito.

Estes acampamentos junto com a criacao da Faixa de Gaza e da Cisjordania demonstram um paralelo claro entre a colonizacao das Americas e a situacao palestina. Eles mostram que o povo palestino foi reduzido em areas de reservas. Se por um lado essas reservas tolhem os direitos da populacao como um todo, por outro eh o combustivel que alimenta o fogo da revolta e da radicalizacao. Nos ultimos tempos temos assistido `a realizacao do equivalente `a segunda fase do quadro de colonialismo sofrido pelos indigenas nas Americas, ou seja, a invasao das Reservas de Gaza e Cisjordania pelo elemento colonizador e a implantacao de assentamentos residenciais para servirem ao invasor.

Os representantes de Israel frequentemente dao a desculpa de que precisam dos assentamentos para abrigar a crescente populacao e, principalmente, para manter a seguranca do Estado como um todo. Se nao fosse tragico, isso seria piada, pois, sao exatamente essas acoes que alimentam ainda mais o conflito e justificam a radicalizacao por parte da militancia palestina. Sao estes assentamentos injustos que Israel depois se dispoe a devolver, no tragico intuito de alegar que tem a boa-vontade de trocar territorio pela paz.

Eh claro que a questao palestina nao passa unicamente em torno do povo palestino. Temos que lembrar que toda a regiao em torno foi parte do fabuloso Imperio Muculmano que descontando-se o rapido dominio perpetrado pelas Cruzadas durou, a grosso modo, desde os anos 600 ate 1900. Sao 1300 anos de uma cultura contra as poucas decadas de colonizacao israelense. Embora a metropole inglesa tenha formatado a separacao de algumas das antigas provincias muculmanas em paises independentes, essa separacao foi arbitrariaria e implantada segundo os interesses da metropole e nao da populacao local.

A esperanca da diplomacia inglesa foi a de que as tensoes provocadas pelas diferencas culturais dentro de cada antiga provincia e o nacionalismo exacerbado com a criacao dos novos paises consolidassem a separacao dos recem criados paises. E, para auxiliar na realizacao desse objetivo, a metropole, entao associada aos Estados Unidos, nao teve pudor algum em favorecer `a implantacao de ditaduras e reinados absolutistas desde que tais se alinhassem `a politica do separatismo.

Claro, os favorecidos precisavam ser pessoas ambiciosas que, muitas vezes, seriam delinquentes como os mais recentemente destronados Saddam Hussein, Muammar Gaddafi e Hosni Mubarack. Enquanto estes e outros lideres locais, como os reis da Arabia Saudita, mantivessem suas ambicoes de governar um povo ao mesmo tempo que competissem entre si, favorecendo ao clima de rivalidade tambem entre as populacoes, isso favorece aos planos das metropoles de nao permitir o retorno de uma comunidade muculmana unida. Uma uniao nesse sentido poderia interferir profundamente com os interesses de dominio pelas metropoles, sobretudo em relacao ao caso particular de manter-se sua colonia Israel implantada no coracao do antigo imperio.

A derrubada do Xa, Mohammad Reza Pahlavi, do Iran e substituicao do seu regime pelo dos ayatollahs foi um exemplo do fracasso da politica colonialista ocidental. A razao pela qual as tensoes entre a diplomacia iraniana e do ocidente nao estao fundamentadas naquilo que a imprensa ocidental faz parecer, de que o regime dos ayatollahs seria favoravel `a multiplicacao do terrorismo no mundo, nao revela o amago da questao. A verdade eh que o movimento persa (iraniano) faz parte de uma ambicao maior, que eh a de destronar as liderancas apoiadas pelas metropoles e o promover retorno de uma civilizacao muculmana unida.

O grande problema para a concretizacao dos planos das metropoles foi o de que uma parte da populacao, sobretudo a mais oprimida, continua sonhando com o retorno do antigo Imperio Muculmano. Este sentimento eh algo inerente `a psicologia humana. Quando o presente se apresenta dificil `a vida das pessoas comuns, e elas nao vem num futuro proximo uma perspectiva de situacao melhor, voltam-se para o sonho de que houve um passado onde seus ancestrais viveram numa terra magica de paz e felicidade. O conto biblico e de diversas outras culturas em torno do Paraiso Perdido reflete exatamente essa ilusao.

As pessoas normais voltam-se para o passado porque o sentem concreto, por saberem que existiu, enquanto temem o futuro por este ser uma incognita para elas. Contudo, o passado nao deveria passar para nos de apenas um simples espelho, onde nos informariamos de como se deram os erros e os acertos de nossos ancestrais, aprendendo com eles o que foi feito de correto e corrigindo o que foi feito de errado.

Temos que estar alertas para sempre corrigir o curso de nossa jornada porque a vida ocorre numa unica direcao: a do futuro desconhecido. Temer o futuro e a experiencia de coisas novas nao melhorara nossas vidas. Podemos temer sim o desconhecido, porem, jamais nos acovardarmos. Como o futuro eh o nosso destino eh preciso antevermos um pouco do que sera para quando ele chegar estarmos preparados sem o risco de agirmos com o instinto de despresa-lo. Nos nao podemos determinar como sera o futuro mas podemos melhora-lo evitando as situacoes que o influenciarao negativamente.

E os ultimos acontecimentos na regiao de influencia muculmana em torno do Oriente Medio parecem indicar que o reino para essa parte da populacao esta proximo. As ditaduras estao sendo derrubadas de uma forma muito mais rapida do que esperavam as metropoles. E o tempo em que isso esta acontecendo eh sensitivo porque a colonia Israel nao foi consolidada em termos de aceitacao por seus vizinhos e um Imperio Muculmano restaurado significaria o monopolio da maior parte do fornecimento de petroleo que movimenta a economia mundial. Tal imperio, se fosse rapidamente consolidado, decidiria quem daria as cartas neste jogo de interesses por um breve periodo de tempo.

Apenas para melhor entender-se a profundidade das consequencias disso, ha aqui que se compreender a recente mudanca de filosofia dos paises ocidentais em buscar explorar-se fontes alternativas de energia, para assegurar que suas economias nao seriam afetadas em caso de consolidar-se a implantacao de governos menos favoraveis `as metropoles na regiao produtora de petroleo. O fato eh que nenhuma fonte alternativa tem conseguido substituir o petroleo, principalmente, nas qualidades de custo e eficiencia.

Nao fosse pela razao das implicacoes politicas mundiais e pelas recentes catastrofes naturais que vem atingindo a todas as areas do globo terrestre, principalmente na parte que toca aos paises industrializados, a luta pela conscientizacao das mudancas climaticas continuariam reduzidas ao ambito academico. Essa luta que chamou a atencao primeiro dos governos de paises em desenvolvimento, os primeiro atingidos pelas desgracas ocasionadas pelas mudancas climaticas, agora esta virando cult e sendo seriamente estudada pelos paises desenvolvidos.

A demonstracao disso eh termos um presidente nos Estados Unidos que nao se acanha em falar em tomar medidas para conter as mudancas climaticas, embora, a cupula da oposicao representada pelo Partido Republicano faca questao de negar o obvio. Por isso, a altenativa de projeto de governo desse partido foi a de aumentar a exploracao dos recursos naturais de energia (petroleo, gas natural e carvao) aqui mesmo na America do Norte e a continuidade do intervencionismo americano nos paises produtores em desenvolvimento.

O projeto do Partido Republicano eh o de investir mais na industria armamentista, de tal maneira que a superioridade belica intimidasse qualquer movimento contrario ao intevencionismo americano. Ou seja, o objetivo da porcao mais direitista do Partido Republicano eh o de implantar uma ditadura global em termos politicos e economicos, favorecendo aos paises industrializados, menosprezando os direitos de liberdade de autodeterminacao dos povos. O que, na pratica, funciona como um estimulo ao terrorismo, nao ao seu combate. A reeleicao do presidente Obama pode tornar-se inefetiva caso a extrema direita hoje derrotada conseguir vencer eleicoes futuras.

Vamos, entao, ao que temos na atualidade. Segundo a ONU, dados estatisticos fornecidos pelo organismo dela: UNRWA, ela organiza 58 “reservas” (sob o codenome de campos de refugiados) para os palestinos que foram deslocados de sua terra materna. Estes abrigam cerca de 5.1 milhoes de pessoas registradas. E incluem apenas os que estao no Libano, Jordania, Siria, Faixa de Gaza e Cisjordania. Mas o total de palestinos gira em torno de 11 milhoes de pessoas. Ou seja um numero semelhantes ao de judeus (seguidores da religiao) no mundo e bem maior que de habitantes do territorio considerado Israel (8 milhoes).

Bem mais da metade da populacao palestina esta reduzida ao desterro e faz parte do grupo que Israel nao aceita seu repatriamento. Isso contradiz todo e qualquer conceito de democracia que o sentido estrito da palavra nos da. Porque Israel abriu suas portas a toda e qualquer alma que pertencesse a fe judaica, proveniente de qualquer outro ponto do globo terrestre, porem, nao concorda em repatriar os legitimos donos da terra.

Qualquer pessoa sem nenhum preconceito contra uma parte ou outra ou simpatia maior por uma ou outra parte, fazendo uma avaliacao baseada apenas em justica, dira que, no minimo, ha algo de muito errado nessa situacao. O evidente que isso mostra eh a arbitrariedade de que Israel nao deseja o repatriamento porque o governo seria obrigado a ouvir a voz das eleicoes democraticas que houvessem depois, onde as demandas da sociedade como um todo teriam que ser atendidas e que, em se tornando maioria, a populacao palestina daria a palavra final. Ai mora o impasse.

Quanto aos acontecimentos mais recentes, consequencias diretas do que ja discursei ate o momento, temos os ultimos combates que se deram entre Israel e o Hezbollah, grupo radical radicado principalmente no Libano. Ha que se convir o particular de que o Libano em si foi uma das primeiras grandes vitimas da criacao do Estado de Israel. O Libano antes fora considerado a Suica implantada no Oriente Medio. No cruzar do fogo decaiu para o grau de instabilidade de seguranca em que hoje sua populacao vive.

A Segunda Intifada, acontecida entre 2000 ate 2005, ceifou as vidas de mais de 3.000 palestinos e cerca de 1.000 israelenses. O bloqueio perpetrado contra a Faixa de Gaza tem levado a consequencias lastimaveis como foi o ataque por forcas navais israelenses contra uma flotilha de barcos turcos que levava mercadorias assistenciais para a populacao sob o bloqueio. A intencao dos ativistas era a de chamar a atencao do mundo para o que esta acontecendo. Com a acao brutal dos israelenses levando `a morte pelo menos 19 ativistas o assunto chamou mais a atencao do que o planejado.

De repente, as pessoas no mundo comecaram a raciocinar mais a respeito do assunto e a por em duvida um bloqueio, segundo as alegacoes israelenses, serviria para conter as atitudes insanas do grupo Hamas. Contudo verifica-se que para sustentar tal alegacao nao se leva em conta o total de quase 2 milhoes de pessoas que vivem no minusculo territorio de Gaza. A militancia nao representa mais que uma fracao da populacao mas a populacao como um todo esta submetida a igual tratamento.

Uma analogia a tal situacao seria como se ao inves de colocar na cadeia os criminosos de Washington, DC, se fizesse o cerco o Distrito de Columbia e submeter toda a sua populacao ao regime de presidio, incluindo-se ai o presidente e os demais representantes da populacao americana. Caso isso fosse feito, a unica palavra que descreveria a acao seria: inaceitavel. Era o que deveria classificar tanto o bloqueio da Faixa de Gaza quanto o de Cuba, porem, aceita-se um e outro, mesmo que a razao diga que sejam irracionais, ineficientes e injustos.

Outra questao que Israel usa sob alegachao de promover a seguranca, e que eh comparavel a tentar apagar o fogo usando-se gasolina em vez de agua, e a exapansao atraves de novos assentamentos nas Faixa de Gaza e Cisjordania. Por mais pacifistas que sejamos, se algum pais vizinho ao nosso resolver expandir-se, instalando projetos residenciais em terras que consideramos nossas, nos nao ficariamos calados esperando pela boa vontade de ele reconhecer o erro e se retirasse. Iriamos `a luta, pacifica ou belicamente falando.

Um bom exemplo dessa atitude que herdamos de nossa porcao animal em relacao ao territorio que ocupamos eh o fato de muitos americanos pensarem que a fronteira com o Mexido deveria ser militarizada de forma a impedir a entrada de qualquer imigrante sem documentos. E observe-se que esse tipo de invasao eh apenas circunstancial. Nao ha nessa atitude do imigrante nenhuma intencao de tomar dos americanos algo que estejam de posse dele. Os imigrantes sao movidos pelo simples instinto de sobrevivencia, nao desejam retomar, querem trabalhar para dar a suas familias as oportunidades que em seus paises de origem foram negadas.

A ultima invasao de Gaza, final de 2008 e inicio de 2009, mais a troca de fogo ocorrida agora no final de 2012 tem demonstrado algumas realidades que definem bem o conflito. Em 2008-2009 a mortalidade do lado palestino se deu em torno de 1.300 pessoas, enquanto 13 faleceram do lado israelense. Agora em 2012, como a invasao nao se deu, o conflito causou cerca de 130 falecimentos palestinos contra cerca de 5 do lado israelense. A maior tragedia da questao eh a de que as mortes sao indiscriminadas, afetando mais a populacao civil que a militar.

Tambem ha que se levar em conta a discrepancia de capacidade belica entre os dois lados. Segundo anunciado pela CNN, Israel tem a posse de 3.000 tanques de guerra e mais de 700 aeronaves de combate. Quantos desses instrumentos os palestinos possuem? Ao que nos consta, nenhum.

A matematica a respeito dessa superioridade belica eh algo de estarrecer a qualquer pessoa que sonhe com um futuro promissor para sua descendencia e sabe que somente a paz entre os povos podera salvar o planeta das possiveis hecatombes que estao por vir. E quando uma nacao se arma a este nivel nao ha como nos enganarmos pondo nossas esperancas de paz nas maos de pessoas armadas. Segundo a mesma fonte de noticias acima mencionada, Israel ja se encontra na classificacao de superpotencia militar, o que nao eh boa noticia para ninguem.

Desdobrando-se os numeros acima citados temos que dividindo os 3.000 tanques pelos aproximadamente 8 milhoes de habitantes em Israel, incluindo-se ai 1,6 milhoes de pessoas de origem arabe, entre as quais mais de 1 milhao de palestinos descendentes, encontramos um resultado de 2.666 pessoas por tanque. E cada 11.000 pessoas possuem um aviao de guerra. As 11.000 pessoas, entao, possuem 1 aviao e pouco mais de 4 tanques.

Se a mesma proporcao fosse observada nos Estados Unidos, nos possuiriamos cerca de 28.200 avioes e cerca de 116.250 tanques. Imagine-se ai quantas pessoas teriam que estar envolvidas no processo de uso, manutencao e compra de tais equipamentos. E observe-se que nao estao incluidas as despesas que estariamos fazendo em relacao aos outros tipos de armamentos como: a infantaria, a marinha e o arsenal nuclear. Tres componentes importantes das forcas armadas americana que Israel tambem possui, proporcionalmente, em maior quantidade.

Um dos grandes riscos de depender-se de tamanha forca belica eh que os instrumentos de guerra nao duram para sempre. Eles terao que ser repostos no maximo de geracao em geracao; ou porque apresentam desgaste pelo uso e tempo, ou sao destruidos em caso de guerra ou porque se tornam obsoletos pelo surgimento de equipamentos similares mais avancados ou porque os equipamentos que os combatem se tornaram superiores. O que agrava ainda mais a situacao eh a ocorrencia de desastres economicos como eh a crise que estamos vivendo desde 2008 e corremos o risco de repetir agora em 2013.

Todo o sustento economico que permite a manutencao de tal forca belica pode evaporar-se na proxima crise que enfrentarmos e a dissolucao dela pode surgir em consequencia a isso. E os momentos economicos se movem como as mares. E se a proxima mare tornar o momento economico favoravel aos paises arabes? Como a colonia Israel tem se mantido pela forca, tambem podera ser removida por forca. Essa eh uma consequencia natural que ocorre `aqueles que vivem pela espada.

De onde saiu tamanha quantidade de armamentos? Certamente, a populacao residente em Israel nao eh a unica “culpada” de ela existir. Ha a parte da populacao judia no exterior que deve contribuir com parcela deste custo, porem, sabemos que Israel recebe bilhoes de dolares dos cofres publicos americanos, sob a alegacao de contribuicao para a sua “defesa”. Ou seja, 310 milhoes de habitantes dos Estados Unidos tem parte de “culpa” nesse pecado; mesmo aquelas pessoas que tem passado por necessidades aqui, sem receber a correspondente assistencia do “tio Sam”. Pode nao parecer mas ser pobre aqui eh uma miseria, uma miseria que contribui para as injusticas no mundo.

A superioridade belica das forcas armadas israelenses em relacao ao bando de gatos pingados que esta tentando libertar a Palestina eh ainda muito maior e ficou demonstrada na ultima troca de tiros entre os dois. O Hamas (com sua forca maxima calculada em 12.000 militantes, contra os mais de 180.000 reservistas de Israel) lancou um bom par de milhar de foguetes em direcao a Israel e cuja maioria foi repelida pelo sistema apelidado de “Aboboda de Ferro”.

Este eh um sistema anti-missil, desenvolvido a troco de centenas de bilhoes de dolares aqui nos Estados Unidos, e cedido aos israelenses para uso em sua defesa. O sistema detecta os misseis desde o momento do lancamento, revelando o local de onde partiram, rastreia e direciona outros misseis teleguiados para destruir os dos adversarios. O sistema foi desenvolvido para a defesa americana para o caso de haver uma guerra contra outra nacao que possua misseis intercontinentais.

Claro, todo esse armamento dos arsenais israelenses nao foram criados para lidar apenas com o povo palestino, porem, para tentar proteger Israel contra a animosidade da grande maioria da comunidade muculmana que nunca se conformou com uma colonia implantada no coracao de seu territorio. A ideia eh estar preparado para qualquer eventualidade, contudo, o colonialismo em si e a propria presenca dessa forca alienigena no local, ao contrario de intimidar, insita ao odio e, com toda certaza, a continuar do jeito que esta, ira provocar mais guerras, talvez, a de exterminio do Estado de Israel (menciono aqui a nacao mas certamente nao o povo).

O que eh muito dramatico neste conflito sao as declaracoes politicas que emanam das autoridades envolvidas nele. O primeiro ministro israelense em entrevistas aos canais americanos nao perdeu tempo em sublinhar as afirmacoes de que o grupo Hamas eh claramente terrorista e estava violando duas condicoes proibidas pelas convencoes de guerra. Uma seria a de colocar plataformas de lancamento de foguetes e estoques de armamentos em meio a ambiente urbano e outra seria a de as proprias forcas palestinas se esconderem em meio aos civis.

Alem disso os israelenses fazem questao de dizer que o objetivo do Hamas eh exclusivoamente o de atacar a populacao civil, o que configuraria abertamente como caso de terrorismo. Claro, com a superioridade belica ja descrita acima, o que o primeiro ministro israelense adoraria era que o Hamas, Hesbollah e outros grupos que tentam libertar a Palestina se colocassem em campo aberto para uma briguinha mano-a-mano. Seria algo tao “bonito” quanto o que os nazistas fizeram no Gueto de Varsovia.

Ele tambem torce para que o resto do mundo nunca se lembre de que o colonialismo eh a face oculta do terrorismo. O problema para o primeiro-ministro eh que: fingir inocencia nao ira salva-lo da porcao criminosa da qual o sionismo tem sido culpado nessa guerra colonialista!

Quando foi um pouco pressionado a falar a respeito das casualidades de guerra do lado palestino que haviam sido em sua maioria civis, entre estas: criancas, mulheres e idosos, as respostas vieram em contraditorio. A primeira foi a de que tudo estava sendo feito para evitar casualidades civis, porem, que tais seriam inevitaveis. A segunda eh a de que os ataques americanos contra as forcas do Eixo tambem causaram milhares de mortes civis, portanto, Israel estaria isento de toda a culpa.

O problema eh bem diferente e as situacoes sao incomparaveis, dai o contraditorio. Em primeiro lugar, a propaganda dos instrumentos usados por Israel na guerra, para que a populacao mundial engula o seu uso, foi a de ser de precisao cirurgica, ou seja, com capacidade de selecionar apenas o tumor maligno, evitando causar dano aos tecidos adjacentes. Se assim o fosse, entao, qual a razao de tantos erros? Pois, as mortes dos civis foram causadas nao por um ataque isolado, acidental, e sim pelas acoes repetidamente imprecisas.

Outra questao eh o uso de forcas armadas no combate a um grupo armado que nao pode ser classificado precisamente como militar. Eh logico que a situacao configura o uso excessivo de forca. Nao ha como comparar as forcas que estao lutando pela libertacao da palestina como um exercito. Estas seriam melhor combatidas se as causas de sua existencia fossem removidas.

Quanto a comparar as casualidades da II Guerra Mundial com as que estao sendo provocadas pelas forcas armadas de Israel, 67 anos depois, nem eh piada de mal gosto. Eh puro cinismo. Ora, nem mesmo eh preciso defender os erros que foram cometidos naquele passado horrendo. Digamos que eles se deram com a intencao de causar terror na populacao, pois, acreditava-se que o terror fosse fazer a populacao voltar-se contra seus lideres. Porem, desde entao ficou comprovado que terror eh apenas terror e nao ajuda nada em situacao de guerra.

Fazer a comparacao com as casualidades do passado e as de hoje-em-dia eh o mesmo que dizer que: nada se aprendeu com as licoes do passado e que o terrorismo continua em uso como arma de guerra, seja por grupos nao governantes seja por governos prepotentes.

Por outro lado, a desculpa israelense poderia encaixar-me melhor na defesa dos palestinos. Se os sionistas querem que desculpemos as casualidades civis causadas por eles, apesar de suas “armas de precisao cirurgica”, entao, muito maior razao tem os palestinos de alegar pontos a seu favor por usarem armas que nao possuem precisao alguma.

Sabe-se que os foguetes usados pelos palestinos, apesar do seu conteudo explosivo mortal, nao passam de busca-pes, onde o lancador o aponta para um lado mas, apos lancado, ele nao se mantem em direcao alguma. Sem ter contato com nenhum palestino posso garantir que o desejo dos militantes deste partido era o de possuir os mesmos equipamentos de guerra que Israel possui.

Certamente, eles gostariam de possuir drones com a capacidade de sobrevoar o espaco aereo de Israel e selecionar suas vitimas. E com essa vantagem eles selecionariam apenas a dirigencia sionista, alem de outros alvos claramente militares. Mas ja que nao o possuem, nao ha como condena-los por agirem segundo o que o desespero lhes permite. Desde que o crime de colonialismo contra eles eh maior e nao ha um equilibrio de forcas e de aliados entre os adversarios.

Outro argumento lancado pela cupula sionista para justificar seus atos colonialistas eh o de que o bloqueio imposto `a Faixa de Gaza eh uma atitude legal, permitida pelas convencoes internacionais presididas pela ONU. Na verdade, eu afirmo que isso somente pode ser considerado legal porque eh um instrumento de uso do forte contra o fraco. Ja que as nacoes por mais razao que possuam, sendo fracas, nao tem a capacidade de promover um bloqueio contra um agressor mais forte, assim eh facil compreender o porque de certas resolucoes terem sido aprovadas pela ONU. A ONU nao eh uma entidade 100% isenta, a comecar pelo poder de veto que as cinco nacoes mais militarizadas tem em seu Conselho de Seguranca.

A questao da legalidade eh algo mais amplo a ser discutido. Nem tudo o que eh legal eh bom e nem tudo o que eh bom eh legalizado. O bloqueio de uma nacao seria justo desde que para solucionar um problema em curto periodo ou, caso em contrario, os promotores do bloqueio fossem obrigados a manter o bem-estar da populacao civil dentro da nacao bloqueada.

Em contrario, temos o exemplo pratico do bloqueio a Cuba, promovido pelos Estados Unidos. Sao 50 anos ininterruptos de uma acao absolutamente ineficiente e claramente opressora da populacao cubana. Ao contrario de libertar a populacao comum das garras da alcateia, o bloqueio favorece ao controle da alcateia sobre o rebanho que, como tal, torna-se menos sensivel ao grito de liberdade e mais obediente aos desmandos dos chefes dos lobos.

Deveriamos ter em mente o que acontece ao Tibet na atualidade e nas Ilhas Malvinas que sao continuidade da plataforma continental argentina. Tibet e Argentina reinvindicam independencia e soberania respectivamente sobre seus territorios. Bom seria que as solucoes das questoes fossem tratadas sem paixoes, nem interesses excusos. Mesmo porque, o Tibet nao tem capacidade belica alguma de decretar nenhum embargo contra a China nem Argentina contra a Inglaterra. E a ONU, ao contrario de tornar-se um tribunal isento na questao, torna-se simplesmente inoperante no sentido de impor a justica.

Em ultima analise, a questao da legalidade, muitas vezes, esta apenas na percepcao erronea do que eh bom e do que nao eh dentro de uma sociedade. O Diaspora dos judeus foi decretado por um ato legal de quem tinha o poder dentro do Imperio Romano. A escravidao era uma instituicao com regulamentos estabelecidos tanto na propria Biblia quanto nos codigos de nosso passado recente. Ate hoje existem resquicios de colonialismo que continuam sendo considerados legais. No entanto, havemos que convir que nada disso eh bom.

E o que fez pelo menos a escravidao e o colonialismo tornarem-se ilegais em quase tudo nao foi a atitude do opressor em reconhecer por si mesmo o seu pecado. Todas as vezes foi o oprimido que primeiro se levantou contra a opressao. Somente depois de vencidos eh que os senhores se conformaram com a legalidade da emancipacao dos escravos. Talvez aqui a Historia ira se repetir em relacao a Israel e a Palestina.

Ha que se observar que o oprimido tende a tornar-se opressor e o regime sionista esta cada vez mais parecido com um regime neo-nazista. Seria inteligente da parte dos sionistas nao se acomodarem no ponto de vista do legalismo e dar passos corretos que transcendam o tempo em que vivem. Dar liberdade `a Palestina podera garantir que nao havera a revolta do oprimido contra o opressor. E este sim eh o verdadeiro caminho de encontrar-se a paz.

Para comprovarmos que a colonizacao da Palestina eh uma iniciativa derrotada, basta buscar nas proprias consciencias dos israelenses perguntando: E se a situacao fosse invertida, se os palestinos estivessem tentando coloniza-los em condicoes semelhantes, os israelenses nao reagiriam com furia semelhante? Estou certo de que numa situacao como essa os palestinos procurariam taxar os israelenses de terroristas e os israelenses se veriam como resistencia pela libertacao de sua patria. A solucao do problema poderia tornar-se menos dificil se cada lado se colocasse na pele do outro!

Outra atitude que facilitaria muito chegar-se a uma solucao para o problema seria o reconhecimento pela comunidade internacional, incluindo-se ai o proprio governo sionista, de que a criacao do Estado de Israel foi um erro grande de calculo e de justica.

E a dificuldade em concretizar-se este reconhecimento esta na resistencia das pessoas humanas em se deixarem parecer fracas. A maioria das pessoas humanas prefere morrer do que reconhecer um erro, pois, isso pareceria a elas ser a revelacao de uma fraqueza quando, em verdade, reconhecer que cometemos erros nos torna mais fortes, conscientes e preparados para enfrentarmos as adversidades futuras. Existem pessoas que jamais reconhecerao seus erros publicamente, mesmo que isso venha depois significar o fim do mundo para elas!

O problema maior nesse caso eh quando a falta de reconhecimento dos erros interfere com a vida de outras pessoas, como tem sido a situacao do conflito palestinos-Israel.

O governo sionista vem enganando a si mesmo, ou sendo desonesto com o resto do mundo, adotando a ideia de que somente atraves das conversacoes bilaterais diretas sera possivel criar-se o Estado da Palestina. Nas condicoes impostas pelos proprios sionistas nenhum tratado tirado de tais contatos garantira que a situacao que existe hoje ira mudar. Refiro-me ao fato declarado de que os sionistas nao conversarao com todos os ramos da sociedade palestina, ai incluidos os partidos do Hamas, Hezbollah e outros menos representativos.

Os representantes sionistas querem conversar apenas com palestinos que aceitam suas condicoes pre-estabelecidas, como o reconhecimento da existencia de Israel e as garantias de seguranca que todos os povos em paz deveriam conceder-se reciprocamente. O problema esta em que Israel considera os verdadeiros adversarios como terroristas e nao aceita qualquer forma de dialogo com eles.

Ha ai que se levantar a questao de que a recusa de se conversar com o inimigo pode ser uma tatica para nao solucionar o problema, ou prolongar a solucao para que os interesses de Israel sejam impostos sobre os palestinos. O levantamento dessa questao baseia-se na logica de que, por mais inimizade que houver entre dois lados, sera necessario que eles dialoguem, pois, dialogando da-se a oportunidade de encontrar-se solucao para o conflito. Sem o dialogo eh a garantia de que a solucao jamais sera encontrada.

Mas digamos, entao, que haja o dialogo entre os israelenses e a parte dos palestinos que eles aceitam conversar com ela. Nao importa qual for o acordo que for feito, pois, num dia se dara a assinatura e a celebracao de um acordo e no dia seguinte havera a declaracao de guerra. Isso sera inevitavel ja que o Hamas e o Hezbollah, com a aprovacao ou nao de Israel, sao legitimos representantes de parte da populacao palestina. E eles ou se unirao para derrubar os palestinos que assinarem o acordo, ou ignorarao o acordo completamente, continuando suas acoes de combate, talvez tornando-as mais cruentas ainda.

Outro problema que coloca qualquer acordo direto nesse sentido em direcao a novos conflitos eh a atual populacao palestina girar em torno de 11 milhoes de pessoas. Destes, apenas 3,760 milhoes ja residem na Cisjordania e Faixa de Gaza. 1 milhao eh residente em Israel. O que nos da uma cifra de 6 milhoes de pessoas que teria que acotovelar-se para instalar-se em espaco tao reduzido. Muitos nem mesmo quereriam voltar, porem, a sensacao ficara como a de que se quizessem estariam sendo impedidos pela presenca dos colonizadores israelenses.

Considere-se ai que o indice de desemprego nos territorios habitados pelos palestinos eh altissimo e a chegada de um novo contingente nao iria soluciona-lo tao cedo. A situacao ficaria como fala o ditado: “se correr o bicho pega, se ficar o bicho papa!” As recusas de Israel de fazer acordos no passado levou o problema `a situacao que se encontra agora e quanto mais esperar para tentar soluciona-lo somente levara ao agravamento dele.

Contudo, o maior de todos os problemas esta por vir. Devido `a grande superioridade belica israelense no momento, ninguem espera que venha acontecer tao cedo a queda do poder sionista na regiao, pelo contrario, espera-se um maior controle. Porem existem tres componentes que irao entrar na equacao dos proximos acontecimentos.

Um deles tornar-se-a evidente como consequencia da tatica sionista de eliminar os chamados cabecas da resistencia. Essa eh uma tatica que denomino de “opcao troglodita”. Embora seja uma tatica que sobreviveu ate `a Idade Media, existe nessa ideia um passado tao longinquo quanto o tempo em que nao tinhamos escrita. Ela se baseia no parecer de que: eliminando-se a cabeca, o corpo deixa de funcionar. Ou seja, matando-se o general, o exercito se desmancha.

Isso funcionava no passado. Inclusive, quando os reis iam combater eram protegidos pelas forcas especiais de forma a que ele seria a ultima peca do xadrez a ser alcancada pelo inimigo, em caso de derrota. E sempre era deixado uma saida de escape, quando possivel, para que, mesmo derrotado o exercito, o rei sobrevivesse para continuar a resistencia em outra parte de seu reino. A morte ou captura do rei provocava a dissolucao imediata do exercito dele, porque ninguem sabia a quem recorrer para dar continuidade `a luta.

Isso deixou de ser valido, desde quando surgiram os cursos regulares de escola. Diga-se de passagem, desde quando passamos a eleger os nossos representantes e a substitui-los periodicamente, a ideia de: um estado uma cabeca tornou-se obsoleta. E o conhecimento de como governar e dar continuidade ao estado tornou-se mais acessivel a pessoas comuns. Nem todo mundo o adquire, porem, nao existe mais o cerebro por tras de tudo o que acontece.

O mesmo tem se dado em relacao aos grupos denominados terroristas. Os seus chefes sabem que ocupam um cargo de extrema periculosidade para si mesmos, portanto, estao cientes que a morte mora em cada esquina. E, como a vida deles foi dedicada a uma causa, justa ou injusta, eles sabem que o melhor eh, antes de serem atingidos, ensinar tudo o que sabem a um determinado numero de auxiliares imediatos. Sendo assim, a morte de um deles, ao inves de fazer a causa desaparecer, eh buscada por varios guardiaes diferentes.

Imediatamente apos um chefe ser decaptado, os seus imediatos comecam a competir entre si, para saber qual deles sera o mais eficiente no combate aos inimigos. E, no caso particular do terrorismo, o, considerado, mais competente sera aquele capaz de causar mais danos. Contudo, a eleicao de um novo chefe nao elimina a concorrencia. Os outros continuam compondo a organizacao, numa posicao de chefes subalternos, com a competencia de passar aos seus imediatos o mesmo conhecimento que receberam do primeiro chefe executado.

Outra forma desse quadro tornar-se mais favoravel ao terrorismo eh que a geracao de novos chefes eh tambem mais nova. As pessoas mais novas, muitas vezes, levam consigo uma bagagem de conhecimentos tecnologicos mais avancados. E isso lhes permite tornarem-se mais criativas e inovadoras. Isso seria muito desejavel junto `as liderancas politicas de qualquer pais, desde que tal criatividade fosse acompanhada de responsabilidade e sabedoria.

E ao contrario do que esta acontecendo ultimamente em relacao `as organizacoes terroristas, que temos assistido eh o envelhecimento da maioria das liderancas politicas no mundo, particularmente, a de Israel. Portanto, nao eh de se estranhar que ela tenha por um lado, as maos num equipamento belico de ultima geracao e em outro atitudes trogloditas ao usa-lo. Digo isso porque, apesar de toda a vantagem que possui, cada vez que Israel entra em uma nova batalha, mais desperta o asco que o mundo sente por perceber a arbitrariedade por tras do seu uso. Enquanto a resistencia esta ganhando a simpatia do mesmo mundo.

Teria sido muitissimo mais eficiente que os sionistas tivessem abracado a populacao palestina ha mais tempo atras e procurado aceita-la com respeito e igualdade dentro de suas fronteiras. Quando se da o respeito, obtem-se, na maioria das vezes, o respeito e agradecimento em retorno. Atitudes mais simpaticas em relacao `a populacao palestina e o oferecimento das condicoes propicias para que os pobres se emancipassem de suas liderancas reacionarias tirariam dos terroristas o controle de suas “bases eleitorais”. A melhor maneira de combater-se o terrorismo nao eh usar o fogo contra o fogo e sim apagar o incendio das injusticas.

Contudo, ao que parece, tanto a dirigencia do Pentagono aqui nos Estados Unidos quanto os sionistas continuam imersos na mesma filosofia troglodita que criou o sionismo no final do seculo XIX. O unico antidoto para esse tipo de doenca chama-se renovacao, algo que a eles soa como injecao dolorosa.

Outro componente que teremos que passar por ele nas proximas decadas eh o fim do petroleo no Oriente Medio. Este sera um fator que, continuando-se a mesma politica de colonialismo, ira determinar o fim do Estado de Israel. Nao estou aqui colocando data exata do fim de Israel. Ele podera durar um pouco mais, enquanto a estrutura ja alcancada nao deteriorar o suficiente. Mas seria mais util que fosse muito antes disso.

Embora a Palestina historica nao seja produtora de petroleo, sabemos que o conflito tem um componente que atinge `a comunidade muculmana como um todo. E os maiores exportadores de petroleo sao exatamente os membros da comunidade arabe em torno da Palestina. O problema eh que enquanto esta se perdendo tempo em manter-se o conflito, nao esta se investindo em ideias que ajudassem a substituir a atividade de exploracao do petroleo por outra atividade igualmente rentavel.

Levando-se em conta que a populacao muculmana possui um indice de crescimento demografico mais elevado que as nacoes consideradas mais modernas, este quadro sera bastante agravado com o aumento populacional da regiao. Ai teremos uma combinacao explosiva, onde teremos uma populacao maior, com menos fontes de renda e que, provavelmente, tera que se tornar importadora de alguma fonte alternativa de energia.

Este quadro nao eh nenhuma boa noticia para os sionistas e israelenses de um modo geral. Primeiro porque havera a nostalgia por causa da falta que a ausencia do petroleo causara. Segundo porque o problema palestino ainda nao tera sido resolvido. E, por ultimo, a percepcao de que toda a desgraca comecou com a criacao do Estado de Israel.

Ora, mesmo que a politica troglodita de continuar-se com as execucoes sumarias dos radicais de certo por um momento, o radicalismo vira com forca dobrada em tal situacao. E de nada valera o arsenal israelense, nem mesmo contando com bombas atomicas. Provavelmente, em breve os paises arabes em torno tambem as terao porque este sera o ultimo recurso para por-se um equilibrio de forcas entre as partes. E este armamento devera ficar sob o controle dos novos radicais que surgirem e suas liderancas que se fortificarao com o surgimento da nova crise.

E se os arabes nao tiverem e Israel bombardear alvos inimigos com bombas atomicas, criara uma situacao de grande desconfianca entre a comunidade internacional. Sera considerado a hipotese de que Israel nao mede consequencia alguma para alcancar seus objetivos. E, talvez, por medo de tornar-se a proxima vitima, outros paises que tenham armamentos nucleares entrem no conflito. Entao, teremos a III Guerra Mundial. E dela sobrara muito pouca coisa para contar a Historia!

E, entao, o que tera valido a criacao do Estado de Israel se a consequencia for a destruicao dele proprio e das condicoes de vida humana no planeta? Constata-se ai apenas inabilidade intelectual para por fim a conflitos e nao criar-se outros.

Os israelenses e seus aliados fazem seus movimentos como se estivessem em um jogo de xadrez cujas regras permitem uma certa previsao para qual lado se dara a vitoria. Mas a vida nao eh um xadrez, pois, contem componentes que nao se encaixam nas regras e estes podem tornar-se os definidores finais do jogo. O mais sabio a fazer no jogo da vida eh buscar caminhos que garantam um final onde ela nao se perca. E este caminho eh a paz, mesmo que ela nos custe tudo o que possuimos de material.

O terceiro componente comecou a ser desenhado a partir da Assembleia Geral realizada na ONU, no dia 29 de novembro de 2012. Naquele dia a representacao palestina havia entrado com um pedido de aceitacao da criacao do Estado Palestino. A proposicao foi aceita em votacao de 138 votos a favor; 9 contra e 41 abstencoes. Nao tenho todos os nomes dos que foram contrarios mas sei que do lado da magestosa derrota estavam Israel e Estados Unidos.

As representacoes diplomaticas de ambos nao perderam tempo em correr para os holofotes noticiosos e declarar que a decisao fora um grande erro da comunidade internacional. A representacao israelense nao apenas nao engoliu a derrota como teve a audacia de menosprezar os votos favoraveis aos palestinos e que procediam de paises considerados (de III mundo) em desenvolvimento. O representante israelense observou que os votos da Franca e Alemanha seriam algo a preocupar mas que os outros nao tinham importancia porque procediam de paises “pobres” que sempre votaram contra Israel.

E assim se desnuda em frente aos nossos olhos o como trabalha a “estupidez humana”. Neste caso, aquele tipo de estupidez que procede de pessoas que pensam saber mais que as outras e que tem a solucao para tudo, porem, as solucoes delas nunca podem ser postas em pratica porque os outros nao concordam com elas. A este tipo de sentimento que ocupa o amago de certas pessoas nos, os menos orgulhosos, descrevemos com uma unica palavra: arrogancia.

Os votos dos paises menos ricos, considerados de menor importancia, nao se baseia no querer ser contrario ou ser oposicao aos ditos “iluminados”. Eles se baseiam em experiencia e solidariedade. Todos ja passaram por experiencias recentes de colonialismo e sabem que isso nao foi uma coisa boa para eles. Entao, como nao foi, a decisao de votar a favor da criacao da Palestina se baseia tao somente num ensinamento biblico de “nao querer para o proximo aquilo que nao se quer para si mesmo”.

Ora, como pessoas ditas tao inteligentes perdem uma oportunidade tao grande de ganhar pontos e dar uma solucao para o problema com uma unica penada?! Se Estados Unidos e Israel tivessem votado a favor, certamente nao teriamos os outros 7 votos contra, pois, estes votam de acordo com o que o “seo comandante” mandar. Dai, seria o momento de acelerar-se a criacao do Estado Palestino, com a ajuda de toda a comunidade internacional.

Tanto Estados Unidos quanto Israel poderiam desviar parte do dinheiro que usam com seus esforcos de guerra para ajudar a implantar o Estado Palestino, transformando-o numa verdadeira Suica encravada naquele territorio. Por menos que esta implantacao durasse, teriam se passado pelo menos 20 anos, desde o inicio ate o termino. Ou seja, uma geracao quase inteira recebendo todos os beneficios da prosperidade.

Esta foi a ultima oportunidade que Israel perdeu de ver os seus sonhos concretizados. Para conquistar a seguranca que pretende era preciso promover a justica, mesmo que roubada de certa forma, para com os seus vizinhos, pois, essa seria a melhor forma de dar uma rasteira nos radicais terroristas. Com a prosperidade, a populacao palestina pararia de dar atencao a eles. E a prosperidade poderia faze-los esquecer das dificuldades causadas pela criacao do Estado de Israel.

A proxima geracao, ja nasceria em um mundo novo e este mundo novo seria o unico que ela conheceria. Com isso, e por perceber que a paz teria sido a responsavel por aquele mundo novo, nao quereria abandonar a paz para ingressar num passado que seus pais viveram. A garantia de prosperidade aos palestinos era o unico meio racional de manter o Estado de Israel.

Quando se possui algo que se da grande importancia e ha possibilidade de nossos proprios atos provocarem a perda dessa posse, nos nos tornarmos mais racionais e cuidadosos em garantir que nao iremos perder isso que possuimos. Os palestinos atualmente nao tem muito o que perder. Pelo contrario, a sensacao que devem ter eh a de que nem mesmo a morte eh pior do que viver na situacao que vivem, dai se apegarem `a violencia, na ansia de tentar restaurar algo que tiveram no passado.

A situacao dos israelenses eh oposta. Eles tem muito mais o que perder mas nao creem que algo de pior ira lhes acontecer, porque sentem no poder das armas a seguranca que deveriam buscar nas amizades. E foi por causa dessa confianca que poem nas armas que o governo sionista, imediatamente depois da votacao na ONU, resolveu implantar mais um grande projeto de assentamento judeu dentro do territorio cisjordano. Este, sendo implantado, ira contornar a cidade de Jerusalem, de forma a que os palestinos da Cisjordania perderao a ligacao direta com sua capital, Jerusalem.

Com tal atitude Israel nao apenas perde a oportunidade impar de fazer a paz, tambem da motivos para que o odio nao se acabe e que o clima de guerra continue. Assim, em qualquer tempo do futuro em que os palestinos tiverem a oportunidade de revidar, eles o farao com todos os direitos de um povo oprimido.

Quando as dificuldades se apresentarem com o termino do petroleo sera isso que sera lembrado, enquanto que, para o bem de todos, teria sido melhor que pudessem lembrarem-se das maos estendidas de Israel e dos Estados Unidos, e nao o contrario.

Contudo, parece que os proprios israelenses, com a assistencia de seus colegas americanos, resolveram chutar a sorte. Vira, entao, o pagamento por suas diplomacias equivocadas!

06. ALGUMAS SOLUCOES

Poderiamos criar uma nova sabedoria popular que se comporia mais ou menos assim: “Depois que passa ate o burro sabia a resposta correta!” Isso define bem a situacao muito comum na vida real, onde estamos observando que o tecnico do nosso time fez uma mudanca errada nele ou uma decisao politica foi tomada e que faz o nosso anjo interno avisar que o melhor seria ter tomado uma decisao completamente diferente. Assim, quando os resultados se apresentam negativos, muitos posam de doutores afirmando que ja sabiam que os dirigentes estavam cometendo uma burrada.

O ditado acima mencionado geralmente eh citado pelos dirigentes incompetentes para criarem um clima de defesa a seu favor, levando a entender que: quando o jogo esta acontecendo ou a situacao estava se passando a solucao alegada pelos “sapos” nao teria sido apresentada. Porem, depois da vaca ter ido para o brejo, os “sapos” sabiam como evitar o problema.

O problema eh esse: os “sapos” conhecem o brejo e teria sido boa conduta ouvi-los antes de deixar a vaca perambular por suas imediacoes. Antes de a desculpa tornar-se util `a defesa dos dirigentes “burros”, ela apenas demonstra a arrogancia deles, pois, demonstra que alguem realmente sabia a resposta e foram eles que nao admitiram, antes da vaca entrar no brejo, que precisavam de ajuda para evitar a tragedia.

Por outro lado, os “sapos” nem sempre sao herois nos casos em que descobrem as respostas. Muitas vezes as solucoes surgem para eles no momento exato em que a vaca atola. Neste momento eles terao a certeza de que a opcao feita pelos dirigentes era errada. Dai sera uma opcao a menos a se fazer para dar resposta ao problema. Para os “sapos” a solucao fica mais facil de ser encontrada ja que uma resposta falsa foi eliminada.

Como eu nasci 10 anos apos a criacao do Estado de Israel, e passados tantos anos depois, pode parecer que para mim seria mais facil dar meu palpite de “sapo” no que deveria ter sido feito em 1948, ou antes, no sentido de promover a migracao dos judeus para a Palestina. Eu direi aqui do como ela deveria ter sido feita. Nao que isso dara uma solucao imediata ao problema, porem, nos fornecera bases para que encontremos solucoes para a atual situacao.

Em primeiro lugar, como ja mencionei anteriormente, o Estado de Israel jamais deveria ter sido criado. Ainda mais sobre bases estipuladas pelo criminoso sistema colonialista. Uma alternativa que teriamos naquela epoca, e que considero como unica opcao de ter-se criado um pais pacifico que abrigasse em parte as demandas criadas pela comunidade judia, seria a da criacao do Estado Palestino em primeiro lugar.

Teria que ter sido um pais sobre bases que `a epoca nao existiam. Contudo, foram bases ja conhecidas, e propostas, desde a elaboracao da Constituicao Americana ate a passagem de Mahatma Gandhi, de construcao de uma nacao plural e unida e sem discriminacoes. Ao inves de forcar a colonizacao de um povo que ja existia no local, dever-se-ia ter investido em bases que transformariam a Palestina em um pais ultra moderno, considerando-se aquela epoca, e que abrisse oportunidade para os imigrantes de todas as origens.

Neste caso, os judeus poderiam ter iniciado sua migracao sem o interesse de colonizar, porem, com o proposito de tornar-se ingrediente na construcao de um tecido social onde todos participam da construcao e do usufruto da propriedade. Ou seja, mesclando judeus, palestinos e minorias de forma a que as diferentes cores se mostrassem em uma combinacao perfeita, onde a diversidade fosse encarada como lucro e nao como causadora de dissidencia.

Ora, mesmo que um Estado com o nome de Israel nao surgisse dessa criacao, o objetivo maior seria alcancado, ou seja, a formacao de uma nacao, no local onde alguns ancestrais dos judeus foram imigrantes, em que os judeus teriam uma identidade propria. Neste caso, nao teria havido a separacao de territorios palestinos e judeu. A nacao seria unica e forte.

E outra vantagem que poderia ter nascido dessa iniciativa seria a de que as tensoes entre as comunidades muculmana e judia provavelmente nao teriam surgido. Com isso os judeus teriam tido livre acesso para estabelecer-se tambem nos outros paises arabes, de forma a que a cidadania deles nestes outros paises se tornasse algo comum e desejavel para a populacao local.

Isso talvez tivesse nos colocado num universo historico totalmente alternativo, facilitando o ressurgimento de uma comunidade arabe unida e pacifica, com possivel centro politico em Jerusalem. Poderia ter se tornado uma grande nacao, com impacto no mundo e peso semelhante ou superior ao que os Estados Unidos ainda tem.

E essa nacao poderia sim ter surgido, ate com certa facilidade, pois, nao teriam surgido os pontos de atrito configurados pela criacao de um “estado judeu” em territorio alheio, porque esta seria uma nacao compartilhada por todos.

Antes, porem, que dar prosseguimento ao assunto solucoes, nos primeiro devemos fazer algumas definicoes com respeito aos ingredientes no conflito. Um deles eh a religiao, que ja anunciei anteriormente ser a parte menor envolvida. De um ponto de vista mais profundo, sabemos que religiao nao toma parte em conflito algum.

Ontem, 17.12.12, dei continuidade a este texto e o tinha extendido bastante em relacao a este capitulo. Porem penso que fui raqueado e minhas notas se perderam nas entranhas de uma falsa net. Bom, tenho as bases do que escrevi em minha cabeca. Tentarei restaurar o que foi perdido. Segue entao:

Por outro lado, podemos estudar o envolvimento ou nao de religiao no conflito a partir da propria definicao da palavra. Religare eh a origem latina que deu forma `a palavra religiao. E o sentido da palavra pode ser definido como: “procedemos de Deus e nosso objetivo eh reencontrarmos com Ele.”

Sao muitas as interpretacoes das Escrituras antigas. Contudo, no geral, devido aos estudos independentes que fiz nelas pude percebi que tambem nao sao paginas isentas de interferencias dos interesses humanos. Poderiamos dizer que elas contem coisas Divinas somadas a interesses humanos, porem, estes ultimos atribuidos a Deus. Assim ficaram sujeitas a interpretacoes, na maioria das vezes erroneas, em funcao dos estabelecimento de dogmas. Um destes eh a instituicao pelos fundamentalista de que nao haja interferencia humana naquilo que esta escrito.

Mas exorcizando o que esta escrito para expulsar a interferencia humana, nota-se que religiao, segundo os proprios profetas e almas piedosas, deveria ser definida como a arte do ensino e da pratica da Justica de Deus. Ora, se queremos religarmos a Deus, necessario eh que pratiquemos a nossa justica tentando imitar a Justica Dele. E faz parte da Justica Divina as acoes de nao roubar e nao matar. E mais especificamente, nao matar para roubar.

E algo que nao faz parte da Justica Divina eh a necessidade imposta pelos interesses dos homens de tomar-se posse de algum territorio e construir ali um templo como se eles fossem essenciais `a pratica de alguma justica. As unicas pessoas que praticam justica sao Deus e os seres sabios. Territorio nem templo fazem justica, nem sao necessarios como instrumento dela.

E para comprovarmos essa afirmacao, nos podemos levantar uma questao dirigida a qualquer pessoa, e particularmente aos praticantes da fe judaica. A pergunta eh esta: “O que faz uma pessoa ser judia?” Na realidade, essa eh uma questao “pegadinha”, com o intuito de chamar o leitor `a razao.

Ora, se a resposta incluir o templo e o territorio, entao, pode-se concluir que o judaismo atual nao tem ligacoes com o que foi praticado no passado e que a pratica atual nao passa de uma moda, como essas que infectam uma parte da humanidade de tempos em tempos. Neste caso, como o templo nao existe, de fato tambem nao haveria judeu na Terra.

Por outro lado, se nao sao o templo e o territorio que fazem o judeu, entao, a ideia de colocar no Oriente Medio um enclave com desculpa de ser judeu nao passa de vaidade. O sentido da presenca de Israel no coracao do territorio de prevalencia muculmana nao passa mesmo de pura provocacao dos colonialistas e, como tal, precisa ser repudiado pelas pessoas de boa vontade. Aquelas que se interessam em procurar imitar a Justica Divina.

Voltando `as solucoes para o conflito, poderiamos idealizar a possibilidade de o judaismo tornar-se algo tao bom que a familia muculmana se convertesse a ele. Neste caso, os irmaos muculmanos seriam os primeiros a desejar a construcao da nacao de Israel e expandir suas fronteiras a todas as nacoes de maioria muculmana atualmente. Porem, o que tem feito Israel para provar que esteja procurando imitar a Justica Divina?

Outra solucao idealizada seria a de os judeus se converterem ao islamismo. Neste caso, territorio e templo ja estariam postos em seus lugares. So faltariam que as partes buscassem as solucoes menores, ou seja, resolverem os problemas que sabem nascer do puro interesse humano e nao da Justica Divina.

Os fundamentalistas conservadores de cada religiao poderao ver essas mencoes como algo parecido a um sacrilegio. Porem, eles sim cometem o sacrilegio de saberem que Deus eh Um so, contudo nao buscam a Justica Dele que tambem eh Unica.

As solucoes acima, embora desejaveis, nao me inspiram a fe de que algum dia irao ser adotadas por causa da pequenez humana de apegar-se mais `as coisas que separam as pessoas do que `aquelas que as unem. Diga-se de passagem, se os mais de um bilhao de muculmanos se convertessem ao judaismo, somando-se aos 14 milhoes de judeus, em seguida o conjunto se dara motivos para brigarem entre si. O mesmo se dara se a conversao for a inversa. Embora, eh possivel que as tensoes se tornem reduzidas por causa do senso tenue de se fazer parte de uma mesma familia.

Baseado no que ja expuz nestes capitulos, sei que mais cedo ou mais tarde este pais criado em 1948 deixara de existir. Sao muitas as razoes para que isso venha a acontecer. As mais visiveis sao: o fato de nao passar de uma colonia estrangeira e o de os palestinos estarem lutando por aquilo que eh legitimamente seu. Observem na Historia Universal a influencia do nativismo na determinacao dos destinos das nacoes. Para alguns se passaram milenios mas no fim prevaleceu o nativismo sobre o colonialismo.

Pois, disso se tira a melhor de todas as solucoes. Antes que ocorra a outra opcao, pois essa nao seria boa noticia para ninguem, principalmente dependendo da forma em que ocorreria, o melhor seria que, o mais cedo possivel, os israelenses se dirigissem `a ONU e solicitassem a revogacao do Ato de Criacao de Israel. A unica condicao seria a de solicitar tempo habil para que a parte da populacao que nao desejar submeter-se `a autoridade dos palestinos se retirasse em paz com seus bens.

A pretendida solucao em termos de: “dois povos, duas nacoes” que ha tanto tempo tem sido mencionada, negociada e nunca posta em pratica, nao passa de preambulo para eternizacao das condicoes de conflito e que, em ultima analise, levara Israel `a destruicao. A melhor chance de que houvesse um acordo seria o de implantar-se uma nacao unica que abrigasse os dois povos. E que muito se trabalhasse para que os dois povos se integrassem um com o outro formando um terceiro e unico povo. Somente quando as Historias dos dois povos se unissem eh que a paz poderia ser garantida.

Isso nao se baseia em hipotese e sim em experiencia. Todos os paises das Americas possuem uma Historia onde tres ou mais povos tiveram confrontos ao longo de seculos. Apos determinadas suas fronteiras, permitindo a integracao dos povos, as tensoes diminuiram e chegaram a quase desaparecer. O desaparecimento completo se dara `a medida que a justica for igual para todos. Cada pais americano tem em seu passado a distencao e a integracao. Em alguns os resultados observados sao melhores que em outros mas a tendencia eh a de que todos cheguem ao mesmo resultado.

Embora nao fosse absolutamente necessaria a saida dos israelenses, ela se tornaria um sinal de boa vontade dado por eles para aliviar as tensoes geradas nas ultimas decadas de colonialismo e favoreceria a uma transicao pacifica. Isso se tornaria como um grande investimento para o futuro. Com o tempo, a descendencia dos atuais israelenses poderia voltar. Isso se daria quando houvesse a confianca reciproca de que nao seriam mais cometidos atos de colonialismo. O retorno nao seria para todos porque a multiplicacao da populacao seria tal que nao caberiam na Palestina. Contudo, o direito de livre acesso aos locais onde viveram os ancestrais seria garantido.

As tensoes relaxadas favoreceriam `a permanencia daqueles que assim o desejarem. Eh provavel que a descendencia de judeus que residiam na Palestina desde os tempos do Imperio Otomano querera ficar e seria melhor aceita pelos palestinos. Tambem aqueles que ja possuam alguma ligacao familiar com os palestinos nao verao necessidade de mudar-se. Mesmo alguns que tenham tradicao menor de presenca familiar poderiam permanecer, com o intuito de integrar-se `a sociedade de maioria palestina e, por essa condicao, se tornasse democraticamente governante.

As opcoes para os israelenses poderiam ser classificadas em dois grupos: retorno aos paises de origem de seus ancestrais, ou seja, a maioria voltaria para a Europa. E um certo numero para cada um dos outros continentes. Neste caso, alguns de origem outras que nao o continente de retorno poderiam ser integrados ao contingente retornante, por causa de suas afinidades com o grupo. Tudo deve ser feito dentro do possivel para acomodar-se dentro do que for melhor para os individuos.

O segundo grupo poderia ser a opcao de migracao para um unico pais. Caso a decisao se de em torno da casa dos milhoes de retornados, poucos sao os paises que poderiam absorver toda a populacao israelense, incluindo-se os aproximadamente 2 milhoes de nao judeus. Devido suas exuberancias territoriais, as nacoes que poderiam recebe-los incluem Australia, Brasil, Canada e Estados Unidos.

Entre estes, Brasil e Estados Unidos teriam alguma vantagem em relacao a Australia e Canada. Estes ultimos tem populacoes ja pequenas, que poderao sentir a chegada de tal numero de imigrantes como uma ameaca ao seu status quo. O que tambem poderia acontecer, em proporcao menor, a parte dos americanos. Isso por causa de ja existir nos Estados Unidos uma comunidade judaica forte que eh vista com desconfianca pelos xenofobos de plantao.

Alias, nos que aqui somos imigrantes de outras origens conhecemos bem o veneno xenofobico que existe nessa nacao. Estamos ha anos sofrendo as consequencias de o pais nao ter uma lei justa de imigracao e integracao das pessoas recem-chegadas. Ao contrario, os beneficios que tinhamos tem nos sido tomados.

Tudo porque os xenofobos de plantao enxergam os imigrantes, com origem em paises pobres, como invasores e pensam que a chegada deles ira contaminar o pais, como se fossem um agente virulento de alguma doenca que levaria o pais ao atraso e `a equiparacao economica aos paises pobres. A verdade eh que o sentimento de castas eh muito forte entre os xenofobos, pois, imaginam que a simples presenca de pessoas de origem pobre fara toda a nacao ficar tambem pobre.

Os xenofobos se recusam a acreditar que os pobres sao pobres porque nao tiveram oportunidade de se tornarem ricos e em paises que lhes eh oferecida oportunidade eles tem a capacidade de se tornarem ricos. E quando observam que os pobres estao ficando mais ricos que eles, por causa das oportunidades, os xenofobos passam a odiar novos ricos por causa de sua inveja.

Os proprios xenofobos mostram seu xenofobismo quando afirmam que nada tem contra imigrantes; desde que sejam especialistas em alguma area qualquer do conhecimento ou preencham condicoes outras que os imigrantes que ja chegaram nao possuam. Eles nao se envergonham de tomar dos paises pobres as suas melhores cabecas, mas nao aceitam os parentes delas.

Claro, o Brasil tera suas vantagens e desvantagens tambem. Lembro-me de em minha adolescencia ouvir o comentario: “Judeu nao presta. Todo lugar que vai, da problema.” Creio que essa seja a concepcao que uma porcao dos brasileiros tenham dos judeus. Essa persepcao nasce do fato de os brasileiros nao conhecerem a comunidade. Portanto, a imagem mais acessivel a eles eh o esteriotipo. Quem nunca ouviu uma piadinha de judeu, onde a mesquinharia e a avareza eh o tema principal!?

Isso funciona de forma semelhante com os americanos. Apos os ataques de 11 de setembro de 2001, o que mais se perguntou aqui foi: “Por que o resto do mundo nos odeia?” Em escritos anteriores, ja manifestei minha opiniao no sentido de demonstrar que essa foi um tipo de pergunta que ao inves de ajudar somente aprofundou mais o problema. Primeiro porque, por falta de inspiracao, a midia americana deixou transparecer pensar que o “odiar nasce da inveja que as pessoas tem do sucesso americano.”

A resposta eh contextualizada pelo estrangeiro no sentido de que: “somente a arrogancia pode fazer os americanos pensarem que temos inveja do sucesso deles!” A resposta que encontrei foi a de que a pergunta levantada eh que foi infeliz. Desde aquele momento deveria ter sido perguntado: “O que nos, como americanos, temos feito para que o resto do mundo nos ame?”

O mundo ao qual me refiro, ou seja, os cidadaos comuns, na maioria das vezes nem sequer conhecem pessoalmente um cidadao americano tradicional. E a imagem que chega `a maioria ate hoje nao eh mesmo boa. A imagem geralmente eh a de seus presidentes que, como em casos mais recentes, projetam a imagem do “arrogantao que tem o dedo no gatilho para exterminar a vida humana na terra e que nao se interessa pelas consequencias dos tiros que da”.

Essa imagem extremamente negativa eh passada inclusive pelo maior instrumento americano de propaganda, que eh representado pela industria de cinema e seus personagens de moral dubia. A grande maioria dos filmes produzidos por Hollywood terminam na cena em que o suposto heroi mata o suposto bandido. Nao ha analise alguma dos fatos. O revolver, os explosivos e outros armamentos tornam-se solucao para tudo. Tudo se resolve na pancada e nao com a diplomacia.

Por outro lado, os bandidos sempre foram representados por pessoas mais ou menos nessa ordem: indios, mexicanos, alemaes, sovieticos e, mais recentemente, extremistas islamicos. A imagem que Hollywood cria leva ao cidadao comum nao se identificar nem com os pretendidos herois e muito menos com as imagens distorcidas das pessoas que compoem o seu nicho social. Depois de assistir aos muitos filmes americanos, que motivo tera a descendencia dos indios, latinamericanos, alemaes, russos, muculmanos e outros para amar aos americanos que sempre os representam em seus filmes numa concepcao esteriotipada deles?

Eh por causa desse tipo distorcido de imagem que a pessoa comum tem dos povos, com os quais nao tem intimidade, eh que seria importante que os israelenses encerrassem a colonizacao da Palestina, por iniciativa propria. A percepcao que as pessoas teriam do povo judeu se transformaria da agua para o vinho. A percepcao passaria de ser a de um povo ganancioso e avarento para a de um povo que preza a paz e por ela seria capaz de fazer um grande sacrificio. Seria algo que faria os queixos do mundo cairem e as maos aplaudirem.

Em caso de os judeus escolherem ir para o Brasil, eh possivel que mesmo a porcao da populacao brasileira que tem algum preconceito contra os judeus de-lhes as boas vindas por causa da suposta atitude descrita acima. O Brasil teria a capacidade de absorver todo o povo, e a integracao das duas comunidades seria facilitada com a imersao da cultura judaica na cultura brasileira. O Brasil eh um pais tao grande quanto os Estados Unidos e possui variabilidade de ambientes naturais, onde muitos lugares relembrariam a propria Palestina.

Outro detalhe importante eh que o pais esta em fase de grande expansao economica e poderia absorver as industrias que Israel possui. Acredito que essa absorcao seria mais dificil nos Estados Unidos por causa de ja haver industrias similares, o que aumentaria a concorrencia sem as garantias de beneficios.

Um grande fator seria o de fortalecimento ainda maior da economia sulamericana. Este fator pode tornar-se de grande importancia no futuro relativamente proximo. Eh que caso o mercado asiatico continue seu crescimento acelerado, enquanto os mercados tradicionais nao reagirem, poderemos ter uma nova era de polarizacao da economia mundial, assim como se deu em epocas passadas, onde a Europa era o grande mercado consumidor do mundo e depois isso foi transferido para os Estados Unidos.

Sabemos que essa situacao coloca o mundo em risco porque se o unico mercado consumidor sofrer, levara o mundo inteiro junto com ele para a crise. Ja ficou antigo o ditado em que se dizia: “Se a economia americana sofrer um resfriado, a America Latina pega pneumonia”. Essa eh uma licao da qual nao nos podemos esquecer jamais e procurar evitar que se repita.

Quanto maior a populacao do mundo se torna, piores serao as consequencias de crises que se apresentarem. E quanto piores as consequencias, mais elevado sera o risco dos aproveitadores agirem para aumentar mais ainda o processo de deteriorizacao de nossa civilizacao.

O crescimento incontrolado da populacao aumentara os riscos de surgirem os aproveitadores autodenominados “salvadores iluminados” que em meio `a crise poderao levar o mundo `a III Guerra Mundial. Guerra esta que nao deixaria pedra sobre pedra. E seria o fim da Historia assim como a conhecemos. Apos uma III Grande Guerra nao havera reconstrucao do mundo, porque nao sobrara gente suficiente, isso, se sobrar gente para dar continuidade `a especie humana!

Quanto uma possivel ida dos israelenses para o Brasil, talvez ajudasse lembrar que muitos dos primeiros colonizadores que chegaram a ele, provenientes da Europa, tinham origem judia e haviam sido conversos forcados ou a caminho de serem forcados a converter-se ao catolicismo. Da mesma forma, os brasileiros atuais em sua maioria descendem destes descendentes de judeus. Talvez essa lembranca sendo feita ao povo brasileiro faca desarmar qualquer atitude anti-judia e ajude a integrar os dois povos.

Detalhes do como essa integracao realizar-se-ia deverao ser planejados com antecedencia, antes de haver a migracao. Certamente que os paises mencionados acima, ou outros, nao quererao receber todo o povo e planta-lo numa area unica como se fosse um novo Estado. Essa populacao devera ser integrada de forma a integracao causar menos custos com implantacao de novas estruturas. Assim, cidades como Sao Paulo e Rio de Janeiro, no Brasil, podem absorver milhares de pessoas aproveitando-se estruturas ja existentes, mas o mesmo nao se daria em regioes isoladas. A integracao em cidades pequenas seria mais custosa, porem, apenas no inicio.

As proposicoes acima nao excluiriam totalmente a criacao de novas cidades espalhadas pelo territorio com a finalidade de receber populacoes de maioria judia. Mas tudo teria de ser feito com a permissao da populacao do pais hospedeiro. Isso incluiria um referendo se ela aceitaria ou nao receber essa nova populacao de imigrantes em seu pais.

Poderei ser acusado por todas as partes de estar falando coisas que nao sao da minha competencia. Quanto a isso, reconheco que nao posso falar senao em meu proprio nome. Nao estou oferecendo o Brasil ou os Estados Unidos aos judeus. Nem estou entregando os paises a eles. O meu objetivo eh o de demonstrar que solucoes existem. E, em segundo plano, avisar que o risco de nao se resolver o problema enquanto ainda ha tempo eh o de comprometer a nossa propria existencia como humanidade. Se as sugestoes aqui parecerem amargas a muitos, que estes entao pensem na alternativa de nao deixarem mundo para que suas descendencias permanecam depois de suas partidas.

Os israelenses que no momento se sentem seguros de que nada lhes acontecera se permanecerem em Israel deverao acusar-me de ter sentimentos anti-judeu. Alguns deles tem usado isso como tatica, ou seja, toda vez que alguem apresenta uma opiniao que lhes contrariam, mesmo sem analisar o fundamento da opiniao, eles antecipam a classificacao de anti-judia, para com essa atitude usar a imagem negativa que se criou de que toda ideia que contraria um aparente interesse de algum judeu eh, automaticamente, anti-judia. Com isso, os judeus tem se escudado contra ideias realmente anti-judias. Mas tambem tem se recusado a aceitar criticas construtivas que os poderia ajudar a resolver parte de seus problemas. Alem de, com isso, criarem uma imagem de antipatia a eles proprios, por nao tolerarem criticas.

Nao tenho que provar para ninguem que nao tenho sentimentos anti-judeus. E o que falo se baseia em minhas experiencias e inspiracoes. Vejam, antes de migrar do Brasil eu dizia que mudar para os Estados Unidos seria a ultima coisa que eu faria na vida. Mais que rejeicao aos erros que se cometeram em nome do pais, o meu amor pela terra onde nasci era tao grande que nao conseguia imaginar-me morando tao distante dela. Quando chegou a hora de experimentar a ideia contraria `a minha primeira impulsao, tive a sabedoria de nao ser cabeca-dura, mantendo uma palavra que procedia da minha inexperiencia com o desconhecido. Assim, pude constatar que era preconceito o que eu falava antes.

Se eu proprio nunca tivesse saido do pais onde nasci, talvez eu nunca aconselharia aos israelenses a abandonarem aquilo que tem conquistado. Nao posso afirmar que estou no Ceu e que o Brasil saiu de mim. Mas posso dizer que meus filhos, que nasceram nos Estados Unidos, tambem criaram uma ligacao com este pais que eh semelhante `aquela que eu tenho em relacao `a terra onde nasci. Eles tem a vantagem de desde ja gostarem do Brasil e nao fazerem reservas quanto ao povo brasileiro, porque tem intimidade com as pessoas que nasceram la.

Ora, as proprias estatisticas podem demonstrar que a populacao judia na Palestina no inicio do seculo XX era quase insignificante em relacao `a presenca palestina. O movimento sionista nao foi capaz de convencer aos judeus do resto do mundo a acelerarem a migracao durante as primeiras decadas. A aceleracao somente ocorre apos `a Segunda Grande Guerra e se intesifica a partir da criacao do Estado de Israel em 1948. Porem ai temos a interferencia dos fatos que ocorreram durante o Holocausto. Os fatores de expulsao da Europa tornaram-se muito mais fortes que a atracao pela Palestina.

Ja a presenca menor de palestinos dentro da propria Palestina se explica pelo fato de o colonialismo israelense ter banido e mantido o banimento de grande parte desse povo. Os numeros estatisticos encontram-se, portanto, viciados em relacao a isso.

O que tambem eh importante lembrar eh que desde as criancas mais jovens nascidas ainda em Israel e seus similares que comecarem a nascer no pais para onde os israelenses se transferirem nao sentirao saudades nem se arrependerao por seus pais terem decidido migrar da Palestina. Eles agradeceriam muito se tiverem a certeza da perspectiva que teriam, se a alternativa de permanecer fosse adotada. Se todos se mudarem havera duvida. Mas se nao mudarem, terao certeza e arrependimento.

Constatar uma verdade nao me torna uma pessoa anti-judia. Pelo contrario, a verdade esta ai para que seja lembrada, porque no fim de tudo sera ela que reinara. Tanto nao sou anti-judeu que proporia doar o unico pedaco de terra que foi determinado ser meu por antiga tradicao de familia, para o estabelecimento de judeus nela, caso se defina a transferencia deles para o Brasil, para que se faca a paz no mundo. Nao eh muita coisa. Bem trabalhada pode dar sustento a uma familia. Usada como assentamento serviria a incontavel numero de pessoas. Porem, eh tudo o que pode ser chamado de propriedade minha.

Nao me interpretem mal. Nao pretendo parecer ser extremo altruista. O meu interesse eh o de que minha descendencia tenha um futuro. E sem paz nao havera futuro. Se eu nao trabalhar para que minha ascendencia tenha oportunidade de permanecer, meus dias na Terra serao sem valor algum.

Que o leitor tenha em mente apenas uma coisa. As profecias nao foram feitas para fazer elogios aos malfeitos de ninguem. Muito pelo contrario, elas vem para admoestar ou dar “a volta do cipo de aroeira no lombo de quem mandou dar”. Tambem os pais responsaveis falam aos filhos de coisas ruins que lhes acontecerao, sem nenhum intuito de despreza-los, mas sim com o de oferecer-lhes escolhas mais sabias.

Os sionistas precisam medir suas responsabilidades frente ao mundo antes de continuarem instingando o radicalismo ja existente. Se as coisas continuarem a andar no passo que estao, chegara o momento em que o mundo percebera que isso estara pondo em risco toda a humanidade. E ha ai que se compreender que quando o risco parecer iminente para todos havera o inevitavel risco de surgirem respostas insanas e estas ganharem forca pela manipulacao das informacoes pelos radicais e pelos oportunistas de plantao. Recordem a Historia. Quantas vezes conflitos foram resolvidos de forma racional nela? Portanto, nao se deve esperar que o mundo entre em crise para o que venha `a tona seja racionalidade!

Neste caso, a solucao de menor consequencia para o mundo sera ele se reunir e revogar os atos de criacoes de Israel e Palestina. Toda a area devera ser considerada em disputa, enquanto as partes em conflito nao entrarem em acordo. Seria uma forma de trancar os dirigentes das partes em conflito numa arena de onde somente poderiam sair quando eles determinarem a solucao. O objetivo seria o de criar e implantar um plano em que a paz fosse alcancada e mantida.

As consequencias de nao se chegar a um acordo seriam extremamente drasticas. E este tem sido o combustivel que tem mantido o motor do conflito funcionando, pois, nao interessa o numero de acordos quebrados, as partes nao tem sentido imediatamente nenhuma consequencia. Neste caso, a suspensao do direito `a existencia como Estados independentes implicaria na suspensao de todos os acordos bilaterais de comercio com o mundo. A area ficaria isolada. Abrir-se-ia apenas as portas para a emigracao da populacao, que sofreria mais, quanto mais tempo se demorasse para fechar um acordo final.

Para que a pressao fosse ainda maior sobre os ombros dos representantes poderia tambem proibir-se a instalacao de campos de refugiados assistidos pela ONU nos paises proximos. As populacoes civis receberiam passe livre para instalar-se em paises distantes que as recebessem como imigrantes, e que impedissem o envio de ajudas que nao fossem absolutamente humanitarias.

Contudo, nao ha outra solucao com mais garantias de futuro que a revogacao voluntaria do Estado de Israel. Isso porque a presenca colonialista dos israelenses ja causou tamanhos danos `a confianca mutua que qualquer acordo de paz que for firmado correra o risco de ser quebrado no primeiro incidente que acontecer. E isso tornar-se-ia uma constante por todos os seculos que virao, porque incidentes acontecem inclusive entre povos com longa tradicao de amizade, porem, entre estes, mesmo quando ha um indidente de gravidade media, ha sempre a boa vontade de buscar explicacoes antes que conflitos. O mesmo nao se da entre povos que nao confiam um no outro. Entre estes, os menores incidentes se tornam causa de guerra.

Ora, se os acordos de paz forem feitos com bases apenas no adiar a proxima guerra, entao, estes sao acordos de guerra e nao de paz. Se os israelenses nao tiveram a sabedoria de entrar na terra de forma a nao inspirar a desconfianca dos vizinhos, o sabio entao agora eh reconher o erro, levantar o acampamento e distanciar-se deles. Com a chegada das novas geracoes as desconfiancas poderao ser quebradas, adotando-se novas formas de aproximacao em que primeiro se vise alcancar a confianca mutua e a justaposicao dos interesses de forma a que a paz seja uma consequencia e nao a primeira vitima de atitudes colonialistas.

07. ASPECTOS RELIGIOSOS

Nao nos podemos esquecer que existem certos “aspectos religiosos” envolvidos no conflito. Nao que tais aspectos venham de fatos, porem, estao inseridos em aspectos historicos que numa analise mais precisa ultrapassam os limites religiosos sem que a grande massa popular observe isso. E eh nessa brecha que entram os interesses humanos dos quais os aproveitadores usam para a manipulacao da populacao. O que resta sao apenas os interesses que se passam por “aspectos religiosos”.

Nos temos o dizer popular que nos ensina: “Quem tem teto de vidro nao joga pedra na janela do vizinho.” Ha uma tendencia, principalmente dos setores mais conservadores, de apontarem os erros cometidos pelos muculmanos radicais como inerente ao islamismo, ou seja, eles afirmam que, como se nao importasse que a Historia da Humanidade fosse diferente, os erros aconteceriam porque a religiao deles os provoca. Os conservadores nao se enxergam como parte do problema, embora nao facam a menor ideia de como soluciona-lo!

Sim. Eles nao sabem como dar solucoes aos problemas principalmente porque desconhecem o significado da palavra solucao. As “solucoes” que imaginam sao apenas fruto de suas proprias intolerancias, o que os torna a imagem especular dos radicais muculmanos. Para eles, basta usar a forca, espremer os outros radicais contra a parede, mata-los. Raciocinam que: se nao existirem mais muculmanos radicais, todos os problemas estarao resolvidos. Nao enxergam que esse tipo de atitude eh justamente o combustivel que faz radicalizar o adversario!

Nisso entram as crendices. Vou apontar erros de interpretacao biblica dos fundamentalistas mas abrindo o parenteses de que: eu reconheco a importancia da existencia da religiao na vida das pessoas, porem, ha que se corrigir o credito cego que parte das pessoas religiosas dao ao que acreditam. Parte do problema parece estar ligada `a longa tradicao de repetir aquilo que nossos ancestrais acreditavam. A coisa passa mais ou menos assim: se ha uma longa tradicao dizendo que pedra eh tijolo, entao, nao serei eu quem ira mudar a ideia!

Por ser tradicao de longa data, ela eh passada de geracao em geracao a um numero tao grande de pessoas que fica muito mais facil acreditar na mesma coisa que a maioria das outras pessoas acreditam do que mover o corpo um pouquinho de lado para enxergar o que ha por tras das traves que estao tapando suas vistas.

No caso do judaismo por exemplo ha aquela tradicao de que a Palestina, entao conhecida como Canaan (na verdade, um conjunto de terras ocupadas por grandes grupos familiares de um mesmo povo), fora separada por Deus como destino para o povo hebreu. E esta seria uma doacao eterna. Exceto quando o povo pecasse e Deus determinasse, como punicao, a expulsao do povo.

Contudo, as expulsoes sempre foram executadas segundo os interesses de povos colonialistas que, segundo pensamos, nunca estiveram interessados em praticar a Justica Inspirada em Deus. Os escritores biblicos neste caso, acusam a Deus de ter feito conchavos com a oposicao para punir ao povo pecador, mesmo que a punicao nao fizesse justica aos que pecaram e aos que nao pecaram. Os pais pecavam e seus filhos eram tornados escravos. Onde fica a Justica de Deus ai?

Outro detalhe das Escrituras mais antigas eh ter rogado uma praga: com a condenacao por exterminio a todos os povos que habitavam Canaan, em razao de terem pecado. Claro, faltou ao escritor a sabedoria de projetar no futuro a possibilidade de sua descendencia pecar de forma pior do que os povos que ele condenara ao exterminio e fornecer-nos uma saida juridica aceitavel, no Amor de Deus. Pois, por Deus ser Justo, para Ele permanecer coerente, teria que decretar o exterminio em razao de um pecado e igual ou punicao maior para aqueles que cometessem pecado maior.

“Manasses, porem, levou o povo de Juda e de Jerusalem a cometer erros maiores que os erros das nacoes que Jave tinha arrasado diante dos israelitas. Jave falou a Manasses e ao seu povo, mas eles nao o atenderam.” 2 Cr 33, 9-10 A sorte dos atuais judeus, por enquanto, eh que Deus nao se guia por aquilo que homens escreveram mas sim em funcao do Proprio Proposito Dele, que eh o de salvar o pecador e nao ter o prazer de condena-lo.

O escritor sim, sentiu prazer em lavrar a sentenca de condenacao dos primeiros pecadores; contudo nao sabia ele que ao mesmo tempo estava criando jurisprudencia para que toda a sua descendencia fosse igualmente condenada. Se para quem pecou antes a punicao foi o exterminio na Terra, para quem fez pior ha somente uma condenacao tambem pior. Exterminio na Terra e separacao de Deus.

Essa mesma disposicao legal eh repetida em palavras atribuidas a Jesus pelo evangelho atribuido a Mateus: “Por isso eu lhes afirmo: o Reino de Deus sera tirado de voces, e sera entregue a uma nacao que produzira seus frutos.” Mt 21, 43

Nao quero ser o juiz de nada. Contudo examino as evidencias e, infelizmente para os judeus, nao encontro defesa, senao que se coloquem `a disposicao da Justica de Deus, nao esperando que Ela va ate a eles, mas buscando proceder o mais proximo possivel do que Ela determina. Como ja foi dito, praticar a Justica de Deus nao eh conquistar terras ou erguer templos em nome Dele e sim por em pratica algo que seja aprovavel por Ele.

Nisso fica explicado o uso que fiz do ditado acima citado. O uso das Antigas Escrituras com o objetivo de procurar legitimar o atual colonialismo israelense eh de todos o maior erro, pois, como existem reinvindicacoes falsas na interpretacao delas, entao, as interpretacoes nao podem funcionar como se fossem Palavra de Deus, para nao usar-se o nome Dele em vao, ja que Deus nao pode ser vinculado a nada que seja errado.

Nao posso mentir dizendo que eu seja um cristao tradicional. Sou catolico por batismo e tradicao familiar. Mas quando se trata das Escrituras, atribuo a elas mais um carater historico que propriamente sagrado. O que ha de bom no conteudo delas eh o carater humano de seus escritores. Foram pessoas que faziam grande sacrificio e esforco para procurarem transmitir o que acreditavam, ou o que os seus interesses lhes faziam manifestar. O grande erro deles foi muitas vezes terem se colocado no Lugar de Deus. E, na verdade, disseram coisas que nao sao proprias Dele.

Claro, nas entrelinhas existem muitos ensinamentos que podem e devem ser classificados como parte da Justica Divina. Mas essa eh a porcao obvia como os dois pensamentos: “Nao faca aos outros aquilo que nao gostaria que fizessem a voce.” e “Faca pelos outros aquilo que gostarias que fizessem por voce.” Ora, esses dois pensamentos refletem exatamente o que foi dito antes: “Amar a Deus sobre todas as coisas e ao proximo como a si mesmo.” Se este fosse o norte da justica humana, todos estariamos servindo e sendo servidos, e nao haveria problema sem solucao ou obstaculo que nao superassemos.

Contudo, ha o apego dos conservadores no crer que tijolo continua sendo pedra. E a propria base do cristianismo atual se assenta sobre essa base. O cristianismo eh uma tradicao necessariamente messianica. Ou seja, nasce de um lider que na tradicao judaica era chamado de Messias. Na traducao para o grego a palavra virou Cristo. Dai surgiu o nome cristianismo.

Embora os escritores biblicos tenham explorado `a exaustao citacoes anteriores para justificarem a candidatura de Jesus ao titulo de Messias, eles nao souberam proteger suas proprias teologias contra a interferencia erronea humana. Criaram a ideia de que o Messias precisava morrer e ressuscitar para cumprir-se a palavra do passado. Mas o que fizeram foi simplesmente adaptar uma interpretacao aos fatos, nao necessariamente promovendo o casamento da teoria com a verdade.

Mesmo que as minhas palavras possam parecer, para muitos, que nascam de algum desrespeito `a memoria do passado, na verdade, a minha ousadia brota do esforco que faco para restaurar a verdade. As pessoas que se sentirem ofendidas o fazem por ofedenderem a si mesmas, nao buscando mover o corpo um minimo possivel para certificar-se de que pedra nao eh tijolo.

Quando os escritores biblicos disseram que Jesus dirigiu-se a Jerusalem sabendo que seria morto e mesmo assim nada fez para evitar tal tragedia; alem disso, acusaram a Deus de ter determinado tal evento, simplesmente nao sabiam o que propunham. O angulo de vista que imaginaram foi unidirecional. So viram o heroismo de alguem entregando a propria vida, na suposicao de que isso se tornaria a salvacao dos outros.

Mas ao mesmo tempo afirma-se que os que mataram Jesus cometeram pecado. Tanto eh que Jesus teria pedido ao Pai para: “Perdoa-os, pois, nao sabem o que fazem.” Os autores das Escrituras nunca explicaram em favor de quem o pedido estava sendo elevado. Se somente em favor dos executores ou do povo de um modo geral e se envolvia ou nao os conspiradores que o queriam matar de qualquer forma. Nao creio que o perdao estenderia a estes porque: eles sabiam exatamente o que queriam que acontecesse.

O certo eh que, sem esses ultimos nao teriamos os dramaticos acontecimentos que foram desencadeados. Acontecimentos estes que viraram peca de teatro, culminando toda uma saga que, apelando para a emocao das pessoas, acabou fazendo-as se apegarem `a explicacao simples e unilateral dos escritores e transformando o cristianismo no movimento popular mais conhecido e seguido na Historia Humana. O problema eh este: ha na interpretacao dos autores bases de pedra ou de tijolo?

Decida entao o leitor. Se somos salvos pelo sacrificio sofrido por Jesus, entao, somos salvos pelo pecado daqueles que conspiraram para mata-lo. Se somos salvos por Jesus que foi a Jerusalem sabendo que seria morto e mesmo tendo a escolha de evitar isso nao o fez, entao, somos salvos pelo suicidio de Jesus. Sem a morte nao haveria a ressurreicao. Mas nao creio que a morte provocada pelos pecados de ambicao e do suicidio sejam resposta para salvacao espiritual alguma.

Para completar o outro lado da moeda, os escritores biblicos insinuaram que toda a peca fez parte da Vontade de Deus. Acusaram a Deus de aliar-se aos piores pecadores, para que cometessem um crime hediondo, e isso foi escolhido como a pedra fundamental do cristianismo.

Claro, irao pois perguntar-me: se assim o eh, entao, por que continuo dizendo-me cristao? A resposta eh simples. Porque a Bondade de Deus permitiu-me enxergar a diferenca entre pedra e tijolo. O fundamento do cristianismo que acredito nao esta na fantasia que eh interessante como isca para atrair aos peixes. O fundamento esta naquilo de justica que se encontra nos ensinamentos contidos nas Escrituras que, mesmo tendo sido abandonados pelos administradores da safra, eh o que Deus esta interessado em que pratiquemos.

Tanto o judaismo quanto o cristianismo se tornaram religioes messianicas. Porem, o messianismo especifica acoes que o messias deveria realizar como tal. Ele deveria ser alguem que de alguma forma dominasse todos os inimigos, possibilitasse o retorno de todo o povo degredado, promoveria a paz e a prosperidade de tal forma que as armas seriam eliminadas e este reino, quase utopico, teria que permanecer para sempre. Esse desejo jamais se concretizou.

Jesus nao foi capaz de preencher as espectativas do judaismo, dai criou-se para ele um retorno. Um retorno que nunca aconteceu, nem acontecera. Isso digo porque os dois milenios quase completos que se passaram desde a partida dele nunca estiveram na mente dos primeiros cristaos. (“Ele esta proximo!”) E as profecias escritas no sentido de tal retorno nunca objetivaram tantos seculos. Como eu ja disse, profecia nao eh advinhacao de futuro distante e sim uma previsao do que deve ser feito para evitar-se mal destinos.

E existem dois tipos de pessoas envolvidas na interpretacao erronea de que o livro Revelacao (Apocalipse) nos revela o futuro. Os espertalhoes que desviam o rebanho do sentido real da profecia e o proprio rebanho credulo que nao percebe que se encontra dominado pelos lobos, acreditando que a morte eh a finalidade de tudo, portanto, com ela temos que nos conformar e ate mesmo nos confortarmos. A finalidade da vida eh vive-la objetivando-se praticar a justica inspirada pelo Reino de Deus. A morte nao passa do momento da passagem dos justos para o galardao. Desde que nao seja autoinflingida.

Tomemos, entao, este tempo que se passou como sendo o termo determinado pelo Revelacao, segundo uma interpretacao literal, para que o processo de purificacao do mundo se desse. Ora, todas as desgracas esperadas: pestes capazes de eliminar um terco ou mais de todos os habitantes da Terra; guerras terriveis que mataram milhoes e milhoes de pessoas; mudancas climaticas, terremotos, maremotos, apostasia e tudo o mais se deu e repetiu. Ora, ponha-se tudo dentro da perspectiva apocaliptica, nao seria agora a hora em que deveriamos convertermo-nos `a pratica da Justica Divina? Entao, nao ha mais o que esperar, pois, a Justica de Deus comeca pela paz e o restante vem como acrescimo.

Os judeus pensam que o messias ainda esta por vir. E essa impressao foi o que separou o cristianismo do judaismo, pois, segundo os cristaos nao se pode esperar que outro cristo venha se um ja veio. Apesar dessa discrepancia, ainda existem os cristaos conservadores, de alguma forma, que estao presos ao judaismo. Estes sao aqueles que dao apoio a 100% das acoes praticadas pelos sionistas. Eles fazem de tudo, nao pelos judeus mas, pela fe que tem de que Jesus retornara e que Jesus ira primeiro salvar aos judeus, particularmente os que estiverem habitando a Palestina, numa guerra hedionda contra todos os inimigos que os atacarem.

Porem, aqueles cristaos parecem ler sem compreender o que esta escrito. Observem que a figura descrita como besta eh apenas uma alegoria para a palavra colonialismo. Ora, o que Joao de Patmos deixou claro em seus escritos era que cristaos e judeus deveriam odiar o colonialismo, pois, ele havia sido responsavel pela destruicao do templo, pela usurpacao da terra, pelo desvio da populacao de seguir a verdadeira teologia para buscar o paganismo. Embora as imagens externas oferecidas por suas descricoes sejam de guerras e destruicoes, o que ele desejava transmitir era que tais lutas estavam dentro de cada um e que era necessario vencer as batalhas internas para atingir-se a consciencia e nao deixar-se dominar pelo colonialismo.

A interpretacao literal do Apocalipse seria uma ma noticia para os judeus na Palestina ao se encontrarem com Jesus. Isso porque ele poderia estar informado de tudo o que aconteceu e nao gostar. A outra parte eh ele nao estar informado e julgar apenas pela impressao. Num exame superficial ele vera um povo empobrecido sendo colonizado por um povo estrangeiro.

Se ele fizer a correlacao direta entre o que deixou no passado e o que vera, certamente concluira que os romanos continuam mandando no mundo e o povo a ser liberto sera o palestino. A ele Jesus chamara ao palestino de “meu povo, uma nacao que produzira seus frutos” e em favor dele chefiara os exercitos celestiais contra tudo e contra todos que se opuserem. Nao se esquecam que a opcao de Jesus sempre foi pelos pobres.

O contraste da manipulacao do povo dentro das religioes se encontra na disposicao de as Escrituras ensinarem o fundamento da libertacao, ou seja, as pessoas deveriam ser instruidas para que adquirissem intimidade com Deus. A partir disso, elas deveriam praticar a justica inspirada na Justica Divina. Ora, o praticante da justica deveria ser uma pessoa livre de qualquer jugo.

Mas este tipo de cidadao nunca esteve no interesse das classes dominantes porque, o proprio termo dominante ja implica nisso, pessoas orgulhosas de se sentirem de alguma forma superiores `as outras, e querem ser “mais iguais” na democracia. As elites dominantes nunca conseguiram libertar-se de si mesmas.

E era do interesse delas que ideias como a do templo de pedra, do sumo sacerdocio, da monarquia e outras surgissem. Essas ideias nunca tiveram o objetivo de por a justica humana a servico de Deus, pelo contrario, sao ideias com o objetivo de reunir impostos para servirem `as proprias elites dominantes. A ideia do messianismo tem sentido semelhante.

Assim, o bem das elites dominantes se fundamenta em que a teoria do messias permaneca e que Deus jamais envie nenhum messias. Isso porque, enquanto “seo” messias nao vem, as elites usam a teologia para manipular o povo. Manipulado, jamais descobrira que cada um de nos eh o messias de si mesmo. A libertacao esta ao nosso alcance, desde que nao nos permitamos ser manipulados.

Apesar do tanto dizerem sim, as pessoas nao creem em Deus. Ou melhor, nao acreditam que Deus seja absolutamente imparcial. O que mais elas creem eh na “lampada de Aladdin.” Nao eh dificil observarmos que as pessoas vao aos templos para, por meio dos cultos, “esfregar a lampada” e esperar que um genio invisivel lhes atenda a todos as demandas sem se importar com as consequencias.

Infelizmente essa eh a unica verdade e nisso se da o afastamento das pessoas em relacao `a Justica de Deus. Deus nao concede desejos que resultarao em consequencias nefastas, por razoes obvias, entre as quais, Ele Sabe o que se encontra no futuro. Alias, por este fato de conhecer, Deus tambem nao concede desejo algum, pois, os merecidos ja estavam concedidos desde o Principio. Portanto eh em vao que se va a algum templo pedir. Embora, isso nao seja proibido tambem.

Sinto contrariar `a maioria das pessoas que creem em Deus, porem, afirmo que ele nao interfere com os fatos da vida humana. O que Ele esta interessado eh que nos busquemos praticar nossa justica baseando-nos na Justica Dele. Ora, se o conseguirmos, ja estaremos no Ceu. Entre nos nao existem eleitos ou condenados. Existem os que ja estao preparados e os que estao a caminho disso. A estes basta evoluir.

Contudo, mesmo que pratiquemos tal justica, isso nao garante o nosso bem material e fisico. A pratica da justica precisa ser feita pelo coletivo, a partir da menor de todas comunidades que eh a familia mais intima ate o corpo mundial dos povos. Por isso, por mais justa que tenha sido a nossa pratica na vida, ainda assim estamos sujeitos a sermos atingidos pelas consequencias nefastas das injusticas praticadas por outros.

Isso eh o que tem se dado tanto com o povo palestino quanto ao povo comum israelense. Tentem imaginar a vida das pessoas do povo que foram atingidas pelas tragedias da guerra! Sera que foi por causa da Justica Divina que coisas ruins aconteceram? Nao. E o povo sempre foi atingido pelas tragedias, nao faz diferenca quem pecou ou nao pecou.

Assim se da porque os acontecimentos de coisas na materia nao depende mais de Deus. A interpretacao eh sutil. Mas Deus ja nos concedeu a oportunidade de possuirmos uma vida celestial aqui mesmo na Terra. Contudo, para que ela aconteca eh preciso que, por nossa propria vontade e iniciativa, pratiquemos uma justica coletiva semelhante `aquela que eh praticada no Reino Dele. Ora, se tanto nos preparamos para a guerra e tao pouco para a paz, nao sera Deus Quem sera o culpado se as consequencias de nossa falta de sabedoria tambem nos atingirem. Nao eh a Justica Divina que promove o mal contra pessoas boas e sim as proprias falhas na justica humana.

Muitos pensam que Deus deve ser uma pessoa muito fria e ate mesmo ma, para permitir que tanto sofrimento aconteca a tantos inocentes. O sofrimento nao agrada a Ele. Mas cabe a nos fazer a opcao por buscar as boas praticas para que as consequencias boas nos atinjam. Se nos ou outros nao procedemos direito, tambem nao devemos esperar que o mundo se transforme em uma maravilha, apenas pela Bondade de Deus.

Se Ele nao quizesse a nossa participacao, teria feito um mundo perfeito na materia. E todos nos seriamos perfeitos. Nao porque teriamos trabalhado para isso, e sim porque estariamos presos a uma imposicao Dele. Mas Deus quer que sejamos livres e facamos a escolha pela pratica da justica por nossa livre e espontanea vontade.

Deus quer que, nao importa o que aconteca, continuemos a praticar uma justica o mais proximo possivel da que Ele Oferece no Ceu. Assim, estaremos fazendo opcao por Ele, por nossa propria vontade. Se Ele interferir, entao, jamais nos tornaremos dignos de apresentarmo-nos na Presenca Dele. Eh importante que seja assim, pois, Ele Eh Bom, e nao podemos querer que seja Bom em nosso lugar.

Quanto a aceitar que o mal atinja aos considerados bons e inocentes, nao faz de Deus uma Pessoa fria e ma. A verdade eh essa: nao importa o tamanho do sofrimento que venha atingir aos bons e inocentes. Na Presenca de Deus tudo eh compensado de forma tal que sera como se nenhum mal aconteceu a estas pessoas. E o mal eh passageiro enquanto o Bem Concedido por Deus eh e sempre sera Eterno.

Quanto `a situacao atual dos judeus na Palestina, as Escrituras nao sao claras em relacao a isso. Mesmo porque, elas se tornaram silenciosas desde quando foram limitadas pelo Concilio de Nicea. Mas pode-se interpretar delas alguns pormenores uteis para a nossa situacao atual.

Do livro Eclesiastes, capitulo 3, pode-se extrair algo interessante: “Debaixo do ceu ha momento para tudo, e tempo certo para cada coisa: Tempo para nascer e tempo para morrer. Tempo para plantar e tempo para arrancar a planta. Tempo para matar e tempo para curar. Tempo para destruir e tempo para construir. Tempo…”

Os defensores do colonialismo sionista usam essa passagem como um dos argumentos para afirmarem que a migracao dos judeus se deu em um tempo certo. Mas devo avisa-los que nao ha nenhuma relacao de consequencia obrigatoria entre o que esta escrito e o que acontece. Pois que se assim o eh, quem devera dizer que o tempo eh este? Porque fui inspirado a provar que os que o disseram sao falsos.

Nos anos em torno de 66 tambem foi dito que o tempo era para revolta. Os romanos foram e destruiram o templo. Os judeus das provincias revoltaram-se em torno dos anos 115. Causaram grande mortandade entre os pagaos gregos e romanos. Sofreram em represalia o proporcao de 5 para 1. Na decada de 130 houve a revolta com maior sucesso ate entao. A Judeia renascida durou menos de 2 anos. A consequencia foi o exterminio de quase um milhao de judeus, escravizacao de outros tantos, expulsao permanente da terra, proibicao ate mesmo de ler-se as Escrituras, e execucao do Diaspora.

Em tempos mais modernos, os judeus foram perseguidos pela Inquisicao Espanhola mas preferiram fugir dos dominios espanhois mas permanecer na Europa. Quando as Guerras Napoleonicas assolaram o continente a partir dos anos 1790, eles nao se tocaram que ja passara da hora de partir. Veio a I Grande Guerra e a maioria absoluta nao enxergou nela um aviso de que coisas piores estavam por vir. Quando a II Grande Guerra chegou com as consequencias drasticas do Holocausto, deu-se a debandada geral, contudo, fugir e migrar para a Palestina nao foi saber a hora, ja que o metodo migratorio foi justamente o mesmo utilizado para a criacao do Diaspora.

Portanto, se ha um tempo para imigrar para a Palestina, nao ha porque se esquecer que tabem haveria de ter um metodo apropriado para faze-lo. Foge a toda e qualquer profecia um metodo que predispoe o povo a sofrer com guerras por mais de 60 anos e sem que haja nenhuma previsao de paz. Perante essa retrospectiva de escolha de horas para tomar decisoes importantes, aconselharia aos judeus a consultarem antes outros profetas e nao a si mesmos!

Marcos, a partir do capitulo 13 em seu Evangelho menciona que um discipulo admirado com a opulencia do templo mencionou a maravilha que as pedras lhe lembravam. Apesar de toda a aparencia e contrariando toda a seguranca que as pedras inspiravam, Jesus nao titubeou em afirmar que nao ficaria “pedra sobre pedra; tudo sera destruido.” Mateus copiou esta passagem e a colocou no capitulo 24 do livro dele.

Ora, ha o que se imaginar no que passou pela cabeca do discipulo e de outros que souberam das palavras de Jesus antes de a profecia se concretizar. A Judeia era uma das provincias romanas mais rentaveis. O comercio era exuberante. Possuia o maior porto do mundo. Quase todo o comercio entre o Oriente e o Ocidente, alem da Africa, passava por ele.

O templo era uma maravilha. Uma verdadeira arte da engenharia, construido por Erodes, o Grande. Em sua base foram usadas pedras com dezenas de toneladas. Era inconcebivel para qualquer outra pessoa humana enxergar tamanha exuberancia sendo destruida e transformada em escombros! Isso deve ser o mesmo que, neste momento, estarao pensando as pessoas em relacao a Israel. Jamais sera destruido de novo!…

Como ultima lembranca desse capitulo devo lembrar que a migracao da populacao judia para a Palestina estava condicionada `a intervencao do messias. Mas os interpretes de plantao ja estao dando como encerrado o preenchimento da profecia, afirmando que 1948 foi o tempo da migracao profetisada. Peco que, entao, tenham mais cuidado pois: qual a figura que individualmente na Historia da Humanidade foi responsavel por esta migracao ter se dado em 1948?

Nao digo que ele tenha assumido o papel de messias em favor do judeus. Nao agiu como o messias esperado, porem, foi em consequencia das acoes deliberadas por Adolfo Hitler que tivemos o processo de criacao e a massiva migracao que se deu a seguir. Ora se ha que haver um messias envolvido, entao, nao houve pessoa mais errada para deixarem se levar por ela. Hitler nao fez coisas aos judeus esperando que lhes viessem boas consequencias. Portanto, te-lo como messias nao tera sido a melhor das escolhas.

Como ja deixei claro. E assim como Jesus previu, segundo o que esta nos evangelhos, tambem nao posso revelar a hora. Eu tinha preferencia por antevisoes de coisas mais amenas mas nao tenho como enganar a mim mesmo. O que esta escrito eh verdadeiro, segundo aquilo a que fui inspirado. Nao tiro nem acrescento nada, porque nao esta em mim o poder de mudar as coisas segundo a minha vontade.

08. CONSIDERACOES FINAIS

Nao tomando para mim o titulo de profeta, observo o quao ingrata eh tal profissao. Embora existam mencoes a que todos os profetas tenham sido mortos por seus contemporaneos, as Escrituras nao mostram isso. Muito pelo contrario. Alguns deles chegaram ate a gozar da inteira confianca da populacao e das elites. Contudo o que parece ter acontecido com a maioria foi o que podemos descrever como a morte em vida.

Esta expressao descreve um dos piores estados de espirito que uma pessoa possa ser submetida. Ha que imaginar-se, uma pessoa que percebe coisas que estao a caminho de acontecer, coisas essas que nao sao boas, porem, as evidencias sao tao tenues que a maioria das outras pessoas, principalmente aquelas que tem o poder de corrigir os rumos da Historia, nao apenas duvidam da palavra do cidadao como tambem fazem de tudo para que ele nao seja ouvido por ninguem.

E esta eh a caracteristica mais marcante da profecia. Ela nunca eh a revelacao de um futuro inevitavel. Muito pelo contrario. Eh a revelacao da perspectiva de um ou mais dos possiveis futuros que estao por acontecer. A profecia nao eh mais que a previsao de um tempo ao qual se anteve pela simples projecao das consequencias dos atos das pessoas em tempos atuais.

Ha que se observar tambem os comportamentos normal e excepcional com os quais as pessoas reagem contra ou a favor dos fatos. Por exemplo, a criacao do Estado de Israel em 1948, na forma em que se deu, automaticamente deflagrou condicoes para que houvessem as guerras entre arabes e judeus. A violacao dos direitos palestino atraves da implantacao sistematica de assentamentos judeus em suas terras nos permite suspeitar que o fim das hostilidades somente acontecera quando algo de muito ruim acontecer a um ou aos dois povos. A vida eh como o fluir das aguas em terras aquecidas, a tendencia eh acomodar-se no fundo dos vales e nao no cume das montanhas.

Como sao muitos os fatores que influem, porque a vida nunca eh simples, tambem as opcoes de futuro sao variadas. Qual delas acontecera vai depender de como as pessoas trabalharem para que um determinado futuro aconteca. Se a boa vontade for o guia preponderante, entao, nada ha que se temer do futuro. Mas quando a boa vontade esta ausente, nao ha porque esperar-se que coisas boas virao a acontecer.

E se alguem deseja forcar um futuro, pensando apenas nas consequencias favoraveis a ele proprio, entao, pode esperar por resultados passageiros e a completa distorcao dos objetivos dele. Essa pessoa ira trabalhar a favor do que quer mas tera muitos a trabalharem por outro destino.

Os profetas indicaram os caminhos que pensavam ser o melhor para evitarem as consequencias dos atos de seus contemporaneos. E quando nao foram atendidos nao tiveram prazer algum em confirmar que eles estavam certos em suas previsoes e os outros estavam errados. Isso, quando eles proprios sobreviveram `as suas profecias! Nao creio que Jesus sentiria jubilo algum se estivesse presente no momento em que o templo em Jerusalem foi destrocado. Que prazer haveria em dizer: “Eu nao disse?!”

Contudo, nao ha tristeza maior para o profeta do que constatar que o povo e povos envolvidos em suas profecias irao pagar um preco maior do que valem os erros que foram induzidos a cometer. Ora, a criacao do Estado de Israel ja foi um erro enorme. A manutencao do erro e a inducao do povo a optar pelo colonialismo eh a multiplicacao do erro, com o agravante de sujeitar o povo palestino aos sofrimentos que lhe foram imposto.

Por que entao haveriamos de esperar um final eternamente feliz de coisas que nao desejavamos para nos mesmos?! Neste ponto da Historia ja eramos para estar trabalhando incansavelmente para solucionar uma das questoes que afetarao a vida de todas as pessoas da Terra nas proximas decadas. Ela eh: com o fim do petroleo no Oriente Medio, qual sera a atividade que as populacoes da regiao irao ter para substituir a perda da renda que o petroleo fornece? Talvez o tempo nem seja mais o de levantar a questao mas o de ja estar pondo em pratica uma solucao, para evitar-se o futuro que premedito.

Os israelenses deverao pensar que as minhas palavras sao ruins para com eles. Mas os que pensarem assim estarao enganados. Eh certo que nenhum deles gostara nem mesmo da insinuacao de que deveriam deixar para tras a ambicao de possuir um dominio que possam chamar: deles proprios. Alguns dirao ate que seja algo que eu nao gostaria que acontecesse a mim mesmo, no entanto, estaria prescrevendo para outros.

Mas essa impressao eh falsa porque eu preferia “perder os aneis e reter os dedos”. Muitas vezes a sabedoria popular se encaixa exatamente naquilo que deveria ser feito. “Vao-se os aneis, conservam-se os dedos.” Quantas pessoas no mundo, como Louis XVI e Maria Antoniette, devem ter desejado ter tido a chance de mudar a Historia! Talvez, se eles nao tivessem se apegado tanto aos aneis e sido mais caridosos em relacao ao povo, teriam conservado os pescocos e os dedos.

Imaginem a vida de um epidemiologista. Que melhor escolha tem ele senao a de revelar que uma epidemia esta na eminencia de atacar toda a populacao? Ele nao criou a doenca. Ele sabe que a epidemia causaria uma grande desgraca. Ele gostaria que as pessoas tivessem o mesmo conhecimento que ele para que evitassem se contaminarem. No entanto, ninguem o acusa de ser culpado por revelar o fato. Ao contrario, todos buscam seguir-lhe as orientacoes porque confiam que mora nessa atitude a esperanca de sobrevivencia. A profecia e o profeta nao sao diferentes. Eles sempre vem para o bem. Cabe `as pessoas seguirem ou nao os bons conselhos e receberem para o bem ou para o mal as consequencias de seus proprios atos.

Outra caracteristica da profecia eh a de nao garantir boa popularidade ao profeta enquanto ele vive. Ora, se o que ele faz eh revelar que ha uma sentenca desagradavel por acontecer, poucas sao as pessoas que compreendem que a sentenca nao eh determinada por ele mas se faz, muito a contragosto, apenas seu revelador. Os que desejarem oucam e compreendam.

Publicarei este texto apenas na lingua portuguesa do Brasil. Nao consigo ver sentido em transcreve-lo para o ingles que seria uma lingua mais acessivel para a maioria. A transcricao daria oportunidade a mais pessoas terem noticia dela, contudo, nao mudaria o fato de que nao irao crer.

O fato maior eh este, se houvesse realmente uma grande vontade para dar solucao ao problema, a linguagem da escrita nao faria diferenca porque publicado na internet o texto atrairia a atencao de alguns que logo o transmitiriam a outros. Fatalmente ele chegaria a maos que fariam a traducao e o passariam para frente. Em pouco tempo estaria em todas as linguas e todos teriam a noticia em maos.

Mas existe uma sindrome no comportamento humano que o guia a fazer apenas o que lhe parece dar prazer imediato. As pessoas que hoje desfrutam das consequencias dos erros do passado ficam insensiveis a qualquer tipo de mudanca que, de alguma forma, as fazem reter os aneis, sob o risco de perderem tambem os dedos. Talvez possa ser descrito como o vicio pela substancia adrenalina.

A noticia que trago eh essa: que os israelenses espontaneamente abandonem o sonho sionista chamado Israel e se espalhe pelo mundo ou se junte em outro lugar. Essa noticia, porem, implica em virar as costas aos aneis tao incantadores que as pessoas nem sequer cogitam em faze-lo. Caso o fizessem, nao importa que a vida se encaixaria em uma normalidade nova, mesmo que numa normalidade perfeitamente pacifica. Ora, onde esta a adrenalina no fazer a paz?

Manter os aneis, porem, tem toda a excitacao da adrenalina. Hoje os aneis estao em nossos dedos e o brilho deles nos induz a fazer tudo para mante-los. Ora, outros quererao levar os aneis para si. Mas somos fortes, tao fortes que, como os adolescentes, nao tomamos conhecimento de nossa vulnerabilidade.

Essa sindrome nao eh nada nova. Isaias revoltou-se e deixou um lembrete contra ela: “Ele me disse: “Va, e diga a esse povo: Escutem com os ouvidos, mas nao entendam; olhem com os olhos mas nao compreendam! Torne insensivel o coracao desse povo, ensurdeca os seus ouvidos, cegue seus olhos, para que ele nao veja com os olhos nem ouca com os ouvidos, nem compreenda com o seu coracao, nem se converta, de modo que eu nao o perdoe.” Is 6, 9-10

Claro, tais palavras atribuidas a Deus nao tem nada de divinas. Se analisarmos com mais cuidado as Escrituras relativas aos profetas, perceberemos um grande teor de stress naquilo que revelam. Isso eh natural ja que desejavam um comportamento das pessoas que elas nao ofereciam. Em nenhum momento Deus deseja que as pessoas endurecam suas cabecas. Pelo contrario, o que Ele deseja eh que as pessoas sempre facam opcao por uma justica que seja o mais proximo possivel da Dele. Para que Ele nem sequer tenha o trabalho de perdoa-las.

O profeta sim eh quem esta sujeito ao stress e, diante de sua propria incapacidade de convencer aos outros, resolve atribuir a Deus outra atitude. Ha pois que se fazer a escolha. Conservar-se os aneis para apreciar-se o sabor da adrenalina e todas as consequencias dela, ou deixar irem-se os aneis e trabalhar-se pela manutencao de uma paz duradoura, embora, sem o mesmo conteudo de adrenalina. A escolha pertence a voces.

Ninguem senao os proprios envolvidos podem fazer a paz por si mesmos. Mas que os outros povos estejam preparados para socorrer os que conseguirem escapar da ecatombe.

CARTA DE MIRUNA, FILHA DE JOSE GENOINO: RESPOSTA IMPROPRIA DO EXTREMA DIREIRA MANOEL SANTOS E O JUIZO NO FINAL.‏

Vale a pena ler.
Uma lição de honestidade e caráter a resposta deste brasileiro Manoel Santos. (Nao em relacao ao que o Valquirio Barbalho pensa!)

Primeiro, leia a “cartinha”, depois a resposta de um brasileiro, Manoel Santos, da homepage gentedecente.

[emdireitabrasil] Msg 0249 –
Resposta à carta da filha do José Genoíno

Carta aberta aos brasileiros da filha de José Genoino:

A coragem é o que dá sentido à liberdade
Com essa frase, meu pai, José Genoino Neto, cearense, brasileiro, casado, pai de três filhos, avô de dois netos, explicou-me como estava se sentindo em relação à condenação que hoje, dia 9 de outubro, foi confirmada. Uma frase saída do livro que está lendo atualmente e que me levou por um caminho enorme de recordações e de perguntas que realmente não têm resposta.

Lembro-me que quando comecei a ser consciente daquilo que meus pais tinham feito e especialmente sofrido, ao enfrentar a ditadura militar, vinha-me uma pergunta à minha mente: será que se eu vivesse algo assim teria essa mesma coragem de colocar a luta política acima do conforto e do bem estar individual? Teria coragem de enfrentar dor e injustiça em nome da democracia?

Eu não tenho essa resposta, mas relembrar essas perguntas me fez pensar em muitas outras que talvez, em meio a toda essa balbúrdia, merecem ser consideradas…
Você seria perseverante o suficiente para andar todos os dias 14 km pelo sertão do Ceará para poder frequentar uma escola? Teria a coragem suficiente de escrever aos seus pais uma carta de despedida e partir para a selva amazônica buscando construir uma forma de resistência a um regime militar? Conseguiria aguentar torturas frequentes e constantes, como pau de arara, queimaduras, choques e afogamentos sem perder a cabeça e partir para a delação? Encontraria forças para presenciar sua futura companheira de vida e de amor ser torturada na sua frente? E seria perseverante o suficiente ao esperar 5 anos dentro de uma prisão até que o regime político de seu país lhe desse a liberdade?

E sigo…

Você seria corajoso o suficiente para enfrentar eleições nacionais sem nenhuma condição financeira? E não se envergonharia de sacrificar as escassas economias familiares para poder adquirir um terno e assim ser possível exercer seu mandato de deputado federal? E teria coragem de ao longo de 20 anos na câmara dos deputados defender os homossexuais, o aborto e os menos favorecidos? E quando todos estivessem desejando estar ao seu lado, e sua posição fosse de destaque, teria a decência e a honra de nunca aceitar nada que não fosse o respeito e o diálogo aberto?

Meu pai teve coragem de fazer tudo isso e muito mais. São mais de 40 anos dedicados à luta política. Nunca, jamais para benefício pessoal. Hoje e sempre, empenhado em defender aquilo que acredita e que eu ouvi de sua boca pela primeira vez aos 8 anos de idade quando reclamava de sua ausência: a única coisa que quero, Mimi, é melhorar a vida das pessoas…

Este seu desejo, que tanto me fez e me faz sentir um enorme orgulho de ser filha de quem sou, não foi o suficiente para que meu pai pudesse ter sua trajetória defendida. Não foi o suficiente para que ganhasse o respeito dos meios de comunicação de nosso Brasil, meios esses que deveriam ser olhados através de outras tantas perguntas…

Você teria coragem de assumir como profissão a manipulação de informações e a especulação? Se sentiria feliz, praticamente em êxtase, em poder noticiar a tragédia de um político honrado? Acharia uma excelente ideia congregar 200 pessoas na porta de uma casa familiar em nome de causar um pânico na televisão? Teria coragem de mandar um fotógrafo às portas de um hospital no dia de um político realizar um procedimento cardíaco? Dedicaria suas energias a colocar-se em dia de eleição a falar, com a boca colada na orelha de uma pessoa, sobre o medo a uma prisão que essa mesma pessoa já vivenciou nos piores anos do Brasil?

Pois os meios de comunicação desse nosso país sim tiveram coragem de fazer isso tudo e muito mais.

Hoje, nesse dia tão triste, pode parecer que ganharam, que seus objetivos foram alcançados. Mas ao encontrar-me com meu pai e sua disposição para lutar e se defender, vejo que apenas deram forças para que esse genuíno homem possa continuar sua história de garra, HONESTIDADE e defesa daquilo que sempre acreditou.
Nossa família entra agora em um período de incertezas. Não sabemos o que virá e para que seja possível aguentar o que vem pela frente pedimos encarecidamente o seu apoio. Seja divulgando esse e/ou outros textos que existem em apoio ao meu pai, seja ajudando no cuidado a duas crianças de 4 e 5 anos que idolatram o avô e que talvez tenham que ficar sem sua presença, seja simplesmente mandando uma palavra de carinho. Nesse momento qualquer atitude, qualquer pequeno gesto nos ajuda, nos fortalece e nos alimenta para ajudar meu pai.

Ele lutará até o fim pela defesa de sua inocência. Não ficará de braços cruzados aceitando aquilo que a mídia e alguns setores da política brasileira querem que todos acreditem e, marca de sua trajetória, está muito bem e muito firme neste propósito, o de defesa de sua INOCÊNCIA e de sua HONESTIDADE. Vocês que aqui nos leem sabem de nossa vida, de nossos princípios e de nossos valores. E sabem que, agora, em um dos momentos mais difíceis de nossa vida, reconhecemos aqui humildemente a ajuda que precisamos de todos, para que possamos seguir em frente.
Com toda minha gratidão, amor e carinho,
Miruna Genoino

Resposta por Manoel Santos, em 10 Out 2012 a cartinha aberta da filha do Genoíno

Bom, como a carta aberta da filha de Genoíno é endereçada À TODOS OS BRASILEIROS, e eu, como carioca da gema, filho agradecido de nordestino cabra da pesta e de uma mineirinha de 1.57cm, enfezada feito uma capeta mestruada, tenho, por óbvio, o direito de responder.

Querida Miruna, me solidarizo, sinceramente, com sua dor. Um filho ou filha, agradecidos ao pai que lhes trouxe ao mundo, funciona como um advogado, quando da defesa de um réu.

Lamentávelmente o fato de ser avô, ter dois filhos e 3 netos, por si só, não garante que um cidadão que se enquadre nesta condição seja elevado à condição acima de quaisquer suspeitas.

Fernandinho Beira Mar é pai. Tem 4 filhos (reconhecidos) e também é avô de dois netos e isso, convenhamos, não serve de passaporte para a impunidade.
Infelizmente Você teve a CONSCIÊNCIA do que seu pai fez durante o REGIME MILITAR. Eu, ao contrário de você, vivi todos os piores momentos daquela época.
Não estranhe o fato: MAS MUITOS BRASILEIROS COLOCARAM SUAS VIDAS EM RISCO, ACIMA DO CONFORTO E DO BEM ESTAR INDIVIDUAL, para resgatar nossa democracia. Eu estava nesse meio, como outros milhares de brasileiros. E comecei a fazer isso, com apenas 16 anos de idade.

Seu pai, ao contrário do que afirmas, causou mais dor do que tenha sentido. Basta que você leia sobre a guerrilha do Araguaia, motivo de orgulho de seu pai, para saber o que realmente ali se passou. Os justiçamentos, os sequestros, os assaltos, tudo registrado nos arquivos com ambas as visões: a fantasiosa e a verdadeira. A de bandidos que queriam se transformar em heróis e heróis que foram transformados em bandidos pelos fisólofos à soldo do petralhismo, por jornalistas engajados e historiadores que fraudaram a história.

Você, com acerto, diz não ter as respostas para as perguntas que se faz, ao contrário dos que vivenciaram cada frame negro daquele filme. Hoje, quem viveu aquele momento, sabe as respostas de todas as perguntas e sabem que faltam perguntas para tantas respostas.
Por exemplo:

Que “forma de resistência” é essa que falas? Os justiçamentos ocorridos no Araguaia pela SIMPLES DESCONFIANÇA DE QUE UM COMPANHEIRO ESTAVA TRAINDO O GRUPO? O assassinato a marteladas de um jovem tenente que acreditou nas promessas dos guerrilheiros e resolveu se entregar? Uma bomba deixada no aeroporto de Guararapes que deixou 17 vítimas e dois inocentes mortos? Ou a que matou um jovem soldado de apenas 19 anos de idade?

São mais de 40 anos de vida política, diz você. Excetuando-se todas as falsas glorificações dos heróis bandidos, o que sobra de vida de seu pai, se é que ele cometeu algo de louvável, restou findo no dia de hoje e de forma DEMOCRÁTICA, LEGAL, SEGUNDO O ORDENAMENTO JURÍDICO DE NOSSA NAÇÃO e ONDE LHE FOI DADO TODO O DIREITO À AMPLA DEFESA que, diga-se, centrou-se na mais cínica mentira que seu próprio texto, nas entrelinhas, conclui.

E aí, Miruna, chegou a hora de você apresentar respostas para as perguntas sobre as respostas que temos:

1) Sendo seu pai tudo o que você descreve com esse belo amor de filha, como pode eLLe não saber de nada do que era feito bem debaixo de seu nariz?

2) Sendo esse HOMEM PRESUMIDAMENTE, POR VOCÊ, CORAJOSO COMO SEMPRE FOI, segundo diz você, POR QUE ELLE NÃO DISSE NÃO AO QUE OUTROS FAZIAM E AINDA COLOCANDO SUA ASSINATURA PESSOAL EM EMPRÉSTIMOS FRAUDULENTOS?

3) SENDO ESSE HOMEM TÃO COMBATIVO QUE SEU AMOR FRATERNO DESCREVE, POR QUE ELLE NÃO IMPEDIU QUE SE COMETESSE UM CRIME NOJENTO, BEM DEBAIXO DO SEU NARIZ, QUE PODERIA CHEGAR AO QUE CHEGAMOS HOJE?

4) SE ELLE LHE DISSE, AOS 8 ANOS: “MIMI, QUERO MELHORAR A VIDA DAS PESSOAS”, então por que permitiu que uma quadrilha roubasse a grana de milhões de brasileiros que trabalham diuturnamente para pagar impostos escorchantes que foram roubados em nome de uma causa?

5) Suponhamos, Mimi, que seu pai não soubesse de tudo o que aconteceu nesse episódio tenebroso que atentou contra a nossa democracia, pergunto: Então, por que não saiu do partido quando soube? Por que comemorou várias vezes com muitos integrantes do bando as “vitórias” do governo, compradas com dinheiro sujo?

6) E a pergunta final Mimi: POR QUE, TENDO TODAS AS CHANCES DE SE DEFENDER, NÃO O FEZ DE FORMA CABAL, ONDE NÃO RESTASSEM DÚVIDAS SOBRE SUA ATUAÇÃO? POR QUE MENTIU TANTO? POR QUE, CORAJOSO, NÃO OPTOU PELA VERDADE DESDE O PRIMEIRO DEPOIMENTO?

Ah, Mimi, não recrimine “os meios de comunicação” desta nossa nação. Muitos jornalistas se esmeram em produzir e divulgar as farsas aprontadas por LuLLa e sua quadrilha. Mas ela, Mimi, ainda é livre. Na Argentina, cujo governo da doida seu pai defende, a imprensa está sendo cassada. Em Cuba ela só existe para falar bem do governo assassino que seu pai defende. Na Venezuela, as versões que prevalecem, são as oficiais. As poucas que falam a verdade, ou foram “estatizadas” ou “foram eliminadas”. Todos estes exemplos de democracia, são defendidos pelo seu querido pai.

Seu pai terá, como preza nossa democracia, o pleno direito de espernear o quanto quiser. Faz parte.

Da mesma forma, temos o direito de torcer para que a pena que lhe seja imposta seja suficientemente grande, para que não retorne como falso herói novamente.
Seu pai Miruna, com toda a razão e compreensão que nos cabe ter neste momento difícil que vives, pode ser o HERÓI que sua visão enxerga. É o seu papel de filha e lhe admiro por isso.

Mas para nós brasileiros, que cansamos de impunidade, que cansamos das mentiras contadas por LuLLa e amplamente defendidas por seu pai, que cansamos do cinismo com que fomos tratados, que quase desistimos de lutar por esta nação, ao constatarmos todos os dias que os bandidos de sempre impunham à milhões de brasileiros uma pauta sobre a qual não nos cabia o direito de defesa, seu pai não passa de um bandido covarde que ajudou a roubar o dinheiro que poderia construir escolas, creches, hospitais, comprar medicamentos para quem não tem como pagar, dar casas para quem não tem onde morar e realmente, como eLLe lhe disse aos 8 anos: “que a única coisa que queria, era melhorar a vida das pessoas”.

Sinto muito Miruna pela sua dor e pelo momento difícil que estás passando.
Mas não nos tire o direito de sentir uma alegria esfuziante por ver resgatada a justiça que parecia nos ter abandonado. Não nos tire a alegria de poder constatar que um Brasil mais justo e mais honesto, mais verdadeiro e menos cheio de farsantes e mentirosos esteja, finalmente, renascendo.

Lamento te dizer Miruna, mas a sua dor é do tamanho exato da alegria das pessoas decentes. Do simples carteiro que encontra uma mala de dinheiro e devolve, ao invés de escondê-la nas cuecas, como fez seu tio, das pessoas que trabalham incansavelmente para dar um futuro melhor para seus filhos, sem praticar qualquer tipo de crime. Do policial que prende quem tenta lhe subornar. Do juiz que julga de forma imparcial um réu, seja ele quem for. Do político que honra os votos que recebeu.
A sua tristeza, Miruna, é a compreensível tristeza de filha.

A minha alegria, ao ver seu pai preso, pagando pelos crimes que cometeu, é a de um brasileiro que quer deixar para os netos, um país LIMPO – JUSTO – HONESTO e COM PLENO EXERCÍCIO DA MAIS LIVRE E RESPONSÁVEL DEMOCRACIA.

Por fim Miruna, não “É A CORAGEM QUE DÁ SENTIDO À LIBERDADE”, como você disse nas primeiras linhas de sua cartinha, mas o medo de perdê-la. A CORAGEM, querida e competente filha, só é necessária para se defender a verdade como norte, quando todos defendem a mentira como método.

AFINAL, O JUIZO.

Sempre que vejo os disparates da direita extressada no Brasil, sinto uma mistura de piedade e tristeza. Tristeza porque ela caminha em direcao ao mal e procura levar consigo quem o bem lhe deseja. Piedade porque troca o mal pelo bem e nao tem consciencia do que faz.

O sr. Manoel Santos, nao sei se eh realmente nome ou codinome, abre-se em acusacoes e defende o direito para parecer que eh santo realmente mas, sem conhece-lo adequadamente, nao posso dizer se eh uma pessoa ma ou se eh total desinformada.

Alias, no texto dele, adota a artimanha da direita derrotada. Salienta o que parece ser verdade mas esconde o que eh contraponto. As analises que deviamos fazer da nossa Historia proximo passada jamais deveriam comecar a partir das consequencias de fatos anteriores e sim dos proprios fatos.

Vejam, ele aponta erros cometidos durante a Guerrilha do Araguaia e outros eventos durante a famigerada ditadura militar brasileira a partir de 1964. Muito conveniente esquecer-se que o Brasil tinha um governo, bom ou mal, eleito democraticamente. E um grupelho de espertalhoes decidiu que os brasileiros nao eram responsaveis o suficiente para elegerem seus governantes, decidindo tutora-los, como se fosse necessario!

E a resposta nao veio imediato. O brasileiro, como sempre, cordato, achou melhor conviver com a arbitrariedade por ter sido convencido de que a ditadura era um mal menor. Os anos foram se passando e as liberdades basicas como as de reuniao, organizacao e eleicoes, basicas em qualquer regime de governo chamado democratico, nao foram devolvidas ao povo. E neste contexto, pessoas que pediam apenas voz e vez eram cacadas e amordacadas, alem de banidas de sua patria amada.

Com a situacao caindo para critica, foram abertos os “poroes da ditadura”; todos eramos vigiados; aquele era um pais que ia pra frente e quem falasse o contraria era preso e torturado.

Uns poucos comecaram a ficar mais agitados. Geralmente, estudantes por volta de seus 18 a 24 anos. E os da direita brasileira adoram lembrar-se que alguns deles fizeram cursos em Cuba e na ex-Uniao Sovietica. Eles esquecem que os tenentes da ditadura, senhores de idade e que deveriam ter se dado ao respeito democratico, eram treinados na “Escola da Americas”, patrocinada pela CIA, onde haviam cursos de tortura e taticas outras que sao proibidas pelas convencoes dos direitos humanos.

Nao defendo as acoes militares praticadas pela esquerda. Eu sou pacifista e penso que o periodo ditatorial teria sido menor se as acoes agressivas de contra-agressao nao tivessem sido tomadas.

Essa afirmacao se mostra verdadeira a partir do ponto que os defensores da democracia resolveram abdicar da revolta armada e concentrar todos os esforcos na organizacao politica e combate por dissuasao.

Ou seja, convencer `a populacao que a ditadura era um mal absolutamente desnecessario foi a atitude mais inteligente que tentar combate-la com a mesma forca que ela usava. Neste ponto temos que bater palmas sim para a esquerda brasileira que continuava sendo presa e torturada mas preferiu crescer pedindo votos ao eleitor e nao respondendo bala por bala.

Talvez Manoel Santos, esteja ai o grande heroismo de Jose Genoino e outros. Entre transformar o Brasil numa Siria ou Palestina dos dias de hoje, nos preferimos seguir o nosso caminho, independentes das mas influencias do eixo do mal (Estados Unidos e Uniao Sovietica).

Porem devemos lembrar que ate nos ultimos extertores a extrema direita fez de tudo para dissuadir-nos do contrario. Ela sim continuou praticando atentados a bomba a reunioes populares que pediam por eleicoes diretas e a sequestrar bispos que apoiassem a democracia. E isso nao sao insinuacoes, esta tudo em jornais daqueles dias; que todos podiam ler, apesar da censura, e continuam podendo, bastando visitar os arquivos.

O que de mais famigerado a ditadura promoveu no Brasil foi uma lei de anistia. Nao. Nao falo da anistia que depois foi assinada. Mas a lei que a ditadura queria impor era a de que todas as torturas, abusos de poder e ocultacao de cadaveres fossem anistiados; nao se incluindo os excessos cometidos pelo lado adversario.

Fomos nos o brasileiros eh que saimos `as ruas, porque sabiamos que a lei seria aprovada em um congresso que incluiam indicados pela ditadura, para exigir “Anistia Geral e Irrestrita”. Os ditadores tiveram que engolir a anistia para todos porque eles a queriam impor somente para eles.

Nao posso defender os crimes cometidos, ou nao, por Lula e seus loco-tenentes no episodio chamado de Mensalao. Nao posso dizer que houve ou que nao houve. Eu nao estou no Brasil desde 1993. Portanto, tudo o que sei eh de ouvir falar, nao sou testemunha de nada.

Posso, porem, confirmar que desde aquele tempo ja existia uma pequena parte do PT que aceitava a filosofia do vale tudo, nao para se eleger mas como instrumento de atingir-se os fins nao importando os meios. Pessoas estas que, apos eu ter saido do Brasil, continuaram na luta e que nao tinham escrupulos em dizer que: Se o FHC usou o dinheiro publico para comprar a reeleicao dele e praticar outras falcatruas, entao, nos podemos usar o dinheiro publico para comprar os mercenarios e tambem fazer as coisas acontecerem para os brasileiros pobres.

Lembro que o povo brasileiro sabe muito bem a qualidade de representantes que esta no congresso. Sabe que boa parte eh de oportunistas e que nao tem conviccao alguma alem da financeira. Sao os que um dia foram chamados de “picaretas” por um certo lider sindical e que muitos acharam “absurda” tal afirmacao. Chegaram a propor cacar-lhe as prerrogativas de cidadao. E quando o Manoel Santos defende todas as atitudes da imprensa, ele provavelmente se esquece de muitos detalhes como este.

Penso que a democracia deva ser colocada acima de tudo, na Constituicao e na pratica diaria de todos os setores. Sim, a honestidade tinha que vir junto mas ela tem que vir de parte-a-parte e nao exigida apenas de um lado, segundo as conveniencias!

O Brasil precisa ter um projeto maior que a criacao de um Estado paternalista ou um capitalismo que funcione somente para os ricos. As ideias do passado foram todas comprovadas ineficientes neste sentido.

A minha sugestao para a conciliacao do pais hoje seria a de fazer uma consulta geral ao povo a respeito do tipo de pais que ele deseja para ele e sua descendencia. Eh preciso escrever os objetivos e escolher os meios de atingi-los. Deixar de lado o partidarismo excessivo e as filosofias extremas.

O mundo esta marchando para uma fase muito dificil para todos em que, em nao se previnindo, um ou outro extremo ira assumir o poder em detrimento de qualquer que seja a maioria que restar. Portanto, a maioria precisa saber dos rumos que quer tomar, sabedora das consequencias no futuro, para se guiar por um caminho seguro.

Quanto `a mesquinharia do mensalao, se eu fosse a presidenta Dilma, ja logo proporia uma Anistia Geral e Irrestrita. Mesmo isso significando a isencao dos anoes do congresso, os compradores de reeleicao presidencial, os pagadores de mensaloes e outros. Este pais nao chegara `a frente se os rancos do passado continuarem a ser ouvidos pelas geracoes mais novas.

Claro, absolutamente, eh preciso, simultaneamente, escrever-se um codigo de honra pelo qual todos se comprometam a comportar-se. E com punicoes exemplares e imediatas para os que nao honra-lo. Eh preciso construir um pais daqui para frente, evitando-se os erros do passado e nao permanecer no erro de julgar-se uns aos outros como se um ou outro lado fosse santo. Todos somos pecadores. Saibamos perdoar para merecermos o perdao.

Valquirio de Magalhaes Barbalho
https://val51mabar.wordpress.com

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,

69 Responses to “ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECECER DA PALESTINA E OUTROS TEXTOS”

  1. Vitor Barbalho Says:

    Meu Tio, começei a ler o seu trabalho e fiquei muito curioso… aos poucos vou lendo um pouco de cada vez… É muitaaaaa coisaa… heheheh…. Mas eu chego lá. O interesse em Deus e nossa genealogia não podem ser deixadas…

  2. Vitor Barbalho Says:

    Tio, e o fato dos Judeus terem comprado suas terras de volta por preços exorbitantes dos árabes nos Aliás que ocorreram desde 1882?? E os palestinos vendo o povo de Israel voltando e ocupando terras áridas e as fazendo ferteis, e a inveja pela inteligencia inegável dos judeus, não poderiam ficar só olhando e então começaram a atacar, como se fossem os indíos, mas as familias árabes que ali moravam receberam muito dinheiro, o que falar de muitos ricos que vivem hoje nos paises do norte da africa que tem decendencia palestina? Depois, falaram que estavam sendo invadidos? Eu acho q Israel foi justo em devolver tudo que ocupou por violencia na guerra dos 6 dias. Mas era isto ou ser exterminado, né?!

  3. val51mabar Says:

    Vitor, meu jovem, voce esta caindo de paraquedas no assunto e ouviu a Historia apenas pela metade. Imagine se uma populacao qualquer de estrangeiros resolver comprar terras no Brasil, mesmo pondo o preco a kilo de ouro por metro quadrado, isso da direito a ele depois de criar um pais a partir de tais terras, sem consentimento dos brasileiros?;

    Alem do mais, tomar terras de paises vizinhos, sem devolver como voce pensa que devolveram (tome as Colinas do Golan como exemplo); Os judeus nunca compraram terras que eram deles. Os palestinos descendem de pessoas que ja viviam na area ha mais de 8.000 anos atras, muito antes do tempo em que os escritores biblicos alegaram que invadiram. Alias, leia o que esta escrito na Biblia e se pergunte: E se fosse hoje-em-dia, o povo invasor nao seria levado aos tribunais por tentativa de genocidio?

    O exemplo do Brasil nao eh muito bom por causa da extensao territorial. Isso porque se os judeus compraram terras nas maos de alguns poucos eles expulsaram muitos mais. Sao milhoes de palestinos que estao impedidos de voltar ao territorio dos ancestrais deles, e se isso tivesse acontecido no Brasil, os brasileiros expulsos possivelmente estariam vivendo no proprio Brasil, nao precisando de viver de esmolas em outros paises;

    Se existem alguns descendentes dos palestinos vivendo em outros paises em boa vida sera porque eles ja pertenciam `aquela elite corrupta que existe em todos os paises. Eh preciso pensar-se na populacao como um todo. Principalmente na pobre e vulneravel. Eh no lado dela que a corda arrebenta.

    Essa questao de dizer-se que eh inveja do sucesso que faz as pessoas odiarem os ricos eh uma tentativa de inverter-se o assunto. Eh esperteza apenas mas nao uma verdade. Quando os seus bisavos e avo tomaram conta das terras que possuiam em vgp eram totalmente improdutivos. Acaso voce pensa que faltava inteligencia a eles?

    A questao eh apenas de tradicao. Eles acreditavam que tinham que fazer o mesmo que os pais, avos, bisavos etc fizeram. Depois que a Embrapa e outras empresas de pesquisa desenvolveram tecnologias novas e as repassaram para os fazendeiros atuais, eles tambem deixaram de ser tao improdutivos. Isso apenas uma questao de epoca em que viveram. Se os atuais tivessem nascido no passado, teriam a mesma cabeca que os antigos, nao por falta de inteligencia mas sim por falta de oportunidade.

    Os judeus tinham mais conhecimentos porque eles procediam da Europa onde o processo de industrializacao javia comecado desde os anos 1700s. Dizer que os judeus sao mais inteligentes que os palestinos eh o mesmo que dizer que as pessoas dos paises industrializados sao mais inteligentes que os brasileiros. Isso nao faz sentido algum e nao passa de preconceito.

    Para afirmar-se qualquer coisa nesse sentido eh preciso primeiro estudar os contextos historicos que envolvem os dois povos em comparacao. O fato de alguem ter mais capital que outras pessoas nao o torna mais inteligente. Inteligencia eh uma coisa separada da oportunidade de se tornar rico. Grande parte da riqueza dos europeus, por exemplo, foi tomada dos paises que eles colonizaram. Isso nao eh a inteligencia vencendo a ignorancia, mas em muitos casos foi a falta de carater que permitiu a eles tomar os bens que pertenciam aos mais fracos.

    Ou voce se esqueceu das milhares de toneladas de pedras e metais preciosos que os europeus roubaram dos indigenas americanos, principalmente do Mexico e do Peru? E os piratas que roubaram os ladroes dos indigenas nao eram mais honestos que aqueles.

    Vitor, nao tome partido antes de conhecer a Historia completa.

    • Vitor Barbalho Says:

      Bom tio Valquirio, este não é um assunto que eu cai de paraquedas, é um assunto que estudo a algum tempo, eu cai de parequedas foi no seu blog, pois até então eu recebia os seus emails em um email do yahoo que nao uso a um bom tempo.

      Eu acredito que não podemos fazer a comparação deste jeito que voce fez no comentario, contextos historicos com contextos atuais com relação a conceitos, pois certamente somos mais evoluidos em muitos aspectos do que nossos antepassados, não?

      Antigamente, se conquistava as coisas na luta, na guerra mesmo… É certo? Mas como poderia ser diferente? Demorou muito pra surgir um cara como Gandhi, o cara era o cara, uai!

      Quando você determina as “regras da casa” você não esta criando leis além do país que vive? Então certamente, vc esta criando um país e certas regras da casa vão até contra leis do país em que voce vive!

      Mas vamos as linhas de fato! Pra mim Israel foi muito tolo, desobedeceu tanto a Deus que quase foi exterminado da face do planeta, eles tinham tudo para conquistar muito mais do que portugal, espanha e ingleses conquistaram juntos. Existe um povo que de fato é muito diferente do resto do mundo, os judeus, então nada mais justo do que ter um país para abrir a cultura deles, aonde?? Bom, se eles compram ou conquistaram as terras, fizeram da maneira que todo mundo estava fazendo. Certo ou errado? Quem somos nós? Se um indio viesse e pagasse por 90% da amazonia, nada mais justo do que levar de brinde 10%. Certo? heheh

      Não é preconceito dizer que quem se forma com louvor na high school é mais inteligente do que um brasileiro de louvor no ensino medio. É um conceito formado. A gama de estudos e conhecimento dados a um americano é bem mais completo mesmo. Mas é logico que, hoje em dia, os dois tem as mesmas oportunidades de terem conhecimento. Vai do interesse e vontade de cada um. E ai esta a diferença! Vontade, interesse. Criar uma oportunidade. Quem é a embrapa neste contexto? Se meu avô ignorasse o conhecimento da embrapa e continuasse na mesma, pq “ta dando pra sobreviver” seria ignorancia em relação a uma pessoa que aceita e ajuda evoluir mais ainda essa tecnologia. Então assim eu preconceituo mesmoooo as pessoas. Entre pessoas que não tentam nem criar uma oportunidade e pessoas que aproveitam e criam as oportunidades que surgem. E acredito que, apesar das falcatruas e persevidades dos Judeus, eles se interessavam e corriam atrás pela fama e relatos históricos que inegavelmente eles tem no mundo.

      Os judeus são de fato um povo inteligente por herança, sempre foram um povo que estavam acima da média no contexto biblico e no contexto historico. Olhe para os grandes fisicos, musicos, tecnologias que temos hoje. A tecnologia do Domo de Ferro, citada por voce, produzida pelos EUA e que Israel pagou, é de propriedade intelectual 70% de judeus. Você pode perceber como os judeus sempre se destacaram e eu nao quero defende-los tanto assim… pq pelos meus conhecimentos, eles devem ter feitos coisas terriveis. Como acredito em Deus e de acordo com a biblia, foram pelos tropeços deles mesmo que Deus virava as costas pra eles, e foram tantas vezes q eles sofreram q então coisas terriveis eles fizeram. E apesar de todas as coisas se eles sobreviveram é pq de vez enquando alguem se arrempedia diante de Deus, se Deus os perdoou, quem somos nós pra discordar?

      O grande enigma é: O que temos hoje que não foi conquistado com guerra? esta pergunta tem varias respostas e as respostas estão cada vez mais desaparecendo. Quando desaparecerem todas as respostas o mundo provavelmente deve acabar!

      Vou além, acredito que Israel seja um país bem perigoso para o mundo. Mas quem esta certo? o Mundo ou Israel?

      Eu queria deixar claro que eu concordo com voce mesmo tio, faltou muito carater dos povos antigamente. Roubar dos mais pobres e crescer da ignorancia é algo que não vale a pena. E não há coisa pior. E certas questões, acredito eu, q não conseguimos impedir, nem hoje, pq o mundo é maligno, a maioria das coisas que acontecem no mundo mata, rouba, polui ou influencia negativamente alguma coisa ou ser vivo. Mas mesmo assim é nosso dever tentar…. é nosso dever lutar sem precisar levantar a mão e evoluir cada vez mais e influenciar pelo menos alguns milhões de decendentes que iremos deixar daqui a alguns anos a fazer o certo, pelo menos na nossa humilde evolução… heheheh

      * Certos ou errados, temos nossas opiniões, mas a opinião que realmente vai fazer a diferença será a de Deus. Abrasss

  4. val51mabar Says:

    Vitor,

    Como eh bela a juventude! Porem eh tambem enganosa. Voce esta numa fase que chamo de “primeiro estagio”. Esta se da quando a pessoa ainda imatura esta aprendendo muita coisa ao mesmo tempo e fica encantada com o que esta aprendendo. Porem, devido `a inexperiencia, nao percebe que esta vendo as coisas apenas por um foco, ou seja, aquele determinado por seus mentores. E o grande problema nesse tipo de aprendizagem sao os mentores direcionarem o ensino num sentido viseira: “as coisas sao exatamente como eles ensinam e nao se admite opinioes contrarias”.

    Neste caso, os jovens pupilos nao se tornam apenas encantados com o que estao aprendendo e atroicoados pela propria inexperiencia, tornam-se verdadeiras vitimas de um sistema que lhes conduz. Muitos jamais consiguirao libertar-se dessa escravidao. As experiencias de vida eh que poderao mostrar os erros a alguns e estes terao um melhor controle dos seus destinos. Poucos, porem, sao aqueles que cedo abrem suas mentes e buscam informar-se a respeito de outros angulos de visoes, sem os preconceitos de seus mentores e, assim, com o conhecimento de multiplas visoes, poder tomar as decisoes corretas na vida e serem aclamados como sabios.

    O seu parecer mostra claramente que voce esta encantado com o ponto de vista de pessoas com opinioes formadas por certa linha de pensamento cristao moderno. Aquela linha que parte do principio de aceitacao de que tudo o que esta escrito na Biblia eh verdadeiro e determinado por Deus. E, claro, nao se leia cada linha do que esta escrito na Biblia mas apenas aqueles versos e passagens que parecem comprovar a teoria por eles defendida.

    Porem meu sobrinho, a primeira licao que devemos atentar para ela eh essa: “papel aceita tudo o que queremos escrever nele”. O papel nao tem vontade, porem, transmite aquilo que eh a vontade de alguns escritores. E o escrito se torna lei, segundo a vontade de outros. A outra licao que voce precisa atentar para ela eh esta: “e o escrito no papel, obedece aos interesses de quem?”

    A alegacao que voce levantou de que eu nao poderia comparar os atos das pessoas do passado com os das pessoas de hoje porque “somos mais evouidos que nossos ancestrais” eh falsa se adotarmos o contexto biblico. Isso porque, segundo os proprios escritores biblicos e cegamente defendido pelos orientadores religiosos, o que foi escrito foi ditado por Deus. Entao, o que foi valido no passado teria que ser valido hoje, porque Deus nao age segundo as conveniencias humanas. Ora, o deus que mandou executar o genocidio dos povos palestinos nao pode ser Deus, porque hoje Deus eh contra qualquer tipo de genocidio. Ou, pelo menos eu creio que Deus nunca foi, nao eh e nao sera genocida.

    Outro detalhe, se voce ainda nao notou, a Biblia foi escrita segundo pontos de vistas diferentes, por causa de ter contribuicoes de varios escritores diferentes, porem, tirando algumas passagens do Novo Testamento, o objetivo principal foi o de “levantar o moral do povo hebreu”: afirmando que ele era escolhido dentre todos os outros e que era especial perante Deus. O problema eh que este tipo de visao foi tomado unilateralmente. Ou seja, “seria uma minha opiniao com respeito a mim mesmo e sem o componente crucial do como os outros enxergam o que sou”. Em resumo, os hebreus fizeram elogios a si mesmos e muitos dos atuais cristaos nao se sentem `a vontade de terem uma opiniao independente porque se sentem presos ao dogma: “o que esta escrito eh a Palavra de Deus”.

    Quando voce lembrou-se de Gandhi como exemplo de pessoa pacifista, esqueceu-se que no ano creditado como primeiro da nossa era nasceu outro que foi chamado de Jesus de Nazareth. Por causa dos ensinamentos que ele transmitiu eh que podemos afirmar: todos os que vieram depois dele e conheceram os seus ensinamentos mas nao os praticaram, estao em divida com Deus. Os judeus, cristaos e muculmanos que o tem como profeta e nao sao pacifistas como ele, nao merecem o reino por ele prometido.

    Outro detalhe em relacao aos judeus atuais. Eles foram expulsos da Palestina por volta do ano 140 (Diaspora). Houveram clas que se espalharam por varias localidades diferentes do mundo. Mas o grosso da populacao que sobrou foi deportado para a Peninsula Iberica. Ali eles permaneceram por cerca de 13 seculos ininterruptos. Eles se multiplicaram nao apenas de forma endogena, ou seja, via casamento de judia com judeu de origem. Eles converteram parte da populacao iberica e dai nao havia problema em relacao ao casamento dos judeus tradicionais com os convertidos.

    No inicio dos anos 300 Constantino I, imperador romano, converteu-se ao cristianismo. E decretou que o Imperio seria obrigatoriamente catolico. Decisao esta que ele proprio nao implementou em 100%, dai uma parte dos judeus manteve a fe, sem grandes problemas. O interessante eh que os judeus convertidos ao catolicismo tornaram-se ancestrais da populacao da Peninsula Iberica.

    Posteriormente a Peninsula foi conquistada pelos Godos. Estes se converteram ao catolicismo e mantiveram ligacoes familiares com os judeus. Em 711 chegaram os mouros, chefiados pelos arabes e transformaram a Peninsula Iberica numa provincia muculmana. Outra vez, houve a miscigenacao das populacoes das tres religioes, embora, houve tambem a conservacao dos contingentes religiosos separados.

    Nesse periodo, os grandes promotores do conhecimento artistico e cientifico foram os muculmano. Varios seculos antes do Renascimento no restante da Europa, o Imperio Muculmano ja estava passando pelo periodo renascentista. E foi gracas aos muculmanos que as culturas grega e romana chegaram ate a nos, melhoradas. Tudo em funcao dos pesquisadores e patronos muculmanos.

    Neste periodo alguns judeus ja comecam a se destacar tambem e a populacao judia, acredita-se, era cerca de 10% do total da Peninsula Iberica.

    Mas o que ha de claro aqui eh que toda a populacao da Peninsula Iberica, ao longo dos seculos, deve ter se tornado descendente de judeus. E todos os judeus tradicionais da Peninsula Iberica devem ter ascendencia na populacao iberica. Principalmente pelo lado materno. Isso porque os homens naquela epoca casavam segundo os seus interesses, arranjando casamentos com os pais das noivas. Contudo, os filhos do casal passavam a pertencer `a casa paterna. Era como se os filhos so eram filhos dos pais. E somente os homens passavam esse direito paterno porque as maes eram objetos de seus pais e maridos. E os filhos dos homens catolicos eram criados no catolicismo; os dos judeus no judaismo e dos muculmanos na religiao de Mohammed. Nos descendemos dos tres.

    Em 1494, como sabemos, os reis catolicos da Espanha, Fernando e Isabel, conquistaram o ultimo reduto muculmano na Peninsula Iberica. E tambem reativaram a Inquisicao, para usa-la contra judeus e muculmanos. A maioria dos muculmanos recuou para a Africa levando com eles alguns judeus. Uma boa parte dos judeus mudou-se para Portugal e outra se converteu forcadamente ao catolicismo.

    Com a colonizacao do Brasil, muitos judeus fugiram de Portugal e foram para esta e outras colonias porque os reis espanhois, sogros do D. Manoel, o Venturoso, exigiram a implantacao da Inquisicao tambem em Portugal, como “dote de casamento”. Foi ai que parte dos judeus fugiram para os Paises Baixos, onde havia mais tolerancia religiosa. Ali ajudaram a fundar a Cia. da Indias Ocidentais, que com seu capital ajudou a fazer a Independencia dos Paises Baixos (que haviam sido dados ao Felipe II, o poderoso rei da Espanha). Foi a Cia. das Indias Ocidentais que promoveu as chamadas “Invasoes Holandesas” no Brasil.

    Expulsos do Brasil, retornaram para a Europa, ou foram para o Caribe e tambem fundaram uma pequena colonia aqui nos Estados Unidos, em Nova Iorque que, entao, se chamava “Nova Amsterda” e era colonia holandesa. Desse tempo em diante, uma parte dos judeus migrou para Polonia, Tchecoslovaquia (antiga) e Russia.

    No fim, com a ecatombe acontecida, provocada pelos nazistas, os sionistas consolidaram o projeto de criacao do Estado de Israel, em 1948.

    Agora eu te indagaria, os judeus da Historia mais recente, ultimos 5 seculos, sao inteligentes porque receberam contribuicoes geneticas dos ibericos e de outros povos? E os outros povos sao menos inteligentes, inclusive os brasileiros, porque receberam contribuicoes geneticas dos judeus?

    Meu sobrinho, tenha a santa paciencia! Observe o que aconteceu a partir da decada de 70 nos lados de Minas Gerais. Nos comecamos a migrar em massa para o exterior. E para trabalhar aqui, literalmente, nos cabos da enxada e da vassoura. As pessoas que chegaram ate na mesma epoca que eu cheguei, compraram terras, construiram predios e muitas voltaram ricas para o Brasil. Sera que foi porque ai no Brasil as pessoas perdem a inteligencia e so a recuperam se virem para o exterior? Ou a resposta eh bem mais simples, aqui se pagava um salario que no Brasil eh salario de rico, mesmo para profissoes subalternas?

    Para que voce tenha uma ideia, quando cheguei aqui e andava por volta do governo Fernando Henrique no Brasil, trabalhando como jardineiro e lixeiro, eu conseguia ganhar o equivalente ao que se pagava de salario minimo brasileiro por dia. Enquanto no Brasil precisava-se trabalhar o mes inteiro. Eu nao pude juntar dinheiro porque sujeitei-me a salarios menores porque queria a seguranca de legalizar-me. A partir de quando legalizei-me as oportunidades evaporaram.

    A questao dos premios Nobels levantados por pessoas de ascendencia judia se deve a elas serem mais inteligentes ou por viverem nos centros mais avancados do planeta? Voce pensa que se a Harvard, a Princeton, o Mit, a Sorbonne e outras estivessem no Brasil, e a maioria de frequentadores fossem brasileiros, nao sairia nenhum nobelzinho para la nao?

    Voce sabe quantos bilhoes de dolares os EEUU manda todos os anos para Israel? A tecnologia do Domo de Ferro foi desenvolvida aqui, nao foi paga pelos judeus, mas eles tem o merito, pela oportunidade, de te-lo posto em pratica porque eles estao em guerra e sujeitos aos ataques quase iguais para o que o projeto foi desenhado. O projeto foi desenhado para defender de foguetes intercontinentais, que eh a principal preocupacao americana. E os buscapes que eles estao enfrentando sao locais.

    Voce tambem precisa levar em conta o contexto historico para chegar `a conclusao de que os povos sob dominio colonial foram induzidos ao subdesenvolvimento, nao por escolha propria mas por interferencia voluntaria de suas metropoles. Observe que nos anos 1700s era proibido construir estradas ligando as capitanias no Brasil porque Portugal tinha medo que o contato facilitado entre elas levasse a formacao de complos contra o colonialismo. Ficou proibido a existencia de cursos superiores no Brasil, ate `a chegada da familia real portuguesa no Rio de Janeiro em 1808. Pela mesma razao.

    O mal do colonialismo nao se resume a sugar o sangue dos povos colonizados. O colonialismo sempre desenvolve mecanismos para impedir o crescimento dos colonizados. E os paises arabes, alem da decadencia que sofreram com a queda do comercio a partir de que Portugal descobriu o caminho maritimo para as Indias, passaram a ser colonizados e continuam a sofrer as consequencias nefastas desse periodo. Ora, se o Brasil que eh o Brasil, independente desde 1822 e com todos os recursos naturais que possui nao pode se gabar de seu desenvolvimento ate hoje, nao podemos esperar desenvolvimento nos paises arabes cujas indepencias (disfarcadas) se deram muito depois!

    Eu te pergunto se o que esta escrito na Biblia indica inteligencia ou falta dela nos judeus?! Ora, se fosse verdade que eles tiveram tanta intimidade com Deus naquele passado e mesmo assim: “pecaram mais que os povos que Jehovah (Jave) tinha expulso diante deles”, entao, penso que a inteligencia deles foi nula.

    Eu nao julgo o Perdao de Deus. Afinal, Ele nao tem prazer em condenar. O prazer Dele esta em que o pecador se arrependa e seja salvo. Sao estes pequenos rasgos de sabedoria que salvam a Biblia de nao passar de mais um mito do passado. Mas ela precisa ser peneirada para apurar-se o joio do trigo no que esta escrito.

    Israel nao eh necessariamente perigoso para o mundo. Porem, algumas pessoas que o conduzem tem se mostrado assim. E este eh o grande problema do mundo. O mundo nao eh maligno, porque senao nao seria Obra de Deus. Porem existem pessoas nele que nao sao sabias e arriscam, pela pratica do mal, a levar a todos para o mal caminho. Sao pessoas que poem seus proprios interesses acima da seguranca do povo. Quando Israel cair, nao vou chorar por elas, mas sofrerei com a consequente injustica que o povo sofrera, sem merecer. Nao ha como o mundo ou Israel estar errado. Israel tambem eh parte do mundo e ambos estao errados.

    Ao contrario. Concordo que somente agindo, fazendo a nossa parte, o ciclo vicioso sera quebrado. Porem, nao devemos esperar que a Vontade de Deus prevaleca. A partir do momento que Ele determinou, a Vontade dele prevalecera. E nenhum de nos nao tem como interferir, nem para o bem nem para o mal. O que podemos e devemos fazer eh adaptar a nossa vontade ao que Ele quer. Somente praticando a Vontade Dele iremos nos reencontrarmos com Ele.

    • Vitor Barbalho Says:

      heheheh.. Excelentes argumentos e conhecimento historico incrível, não esperaria diferente de um parente meu. Eu ainda não sou dotado de todo conhecimento histórico demosntrado pelo senhor tio, mas já estudei o conteudo de forma aprofundada, de acordo com meus recursos, de pelo menos 60% das informações historicas de suas replicas e do enorme texto escrito, dos pontos históricos. (to na média, vai?)

      Acredite, aqui em Montes Claros, pratico uma coisa que q é raro um brasileiro fazer. Que o poder de questionar. Aquela belissima frase “o mundo não se move pelas respostas e sim pelas perguntas” é sem dúvida um guarda chuva pra mim não me molhar com os preconceitos torpes erroneos formado pela sociedade viciada em religiao que é a sociedade em que vivo.

      A bilbia pra mim, contem a verdade. Porem como vc disse e como eu ja sei, desde pequeno, por sempre a questionar e ver que Deus não tem nada haver em milhares de pontos da bilbia. Eu não me deixo enganar nem por uma coisa que tiro como lição dela. Como sabemos questionar podemos eliminar varios pontos da biblia que claramente foram colocados por pessoas que tinham intenções proprias. Como vc disse, e são raros, mas há coisas muito boas na biblia, “são esses pequenos rasgos de sabedoria que salvam a Biblia de nao passar de mais um mito do passado.”. Tenho dó do quanto o cristianismo é manipulado por constantino até hoje.

      Meu conhecimento não é nada. Quem sou eu pra saber alguma coisa, fiz 23 anos e estou prestes a fazer 24. Não tenho nada de concreto na cabeça e espero que Deus me abençoe pra não concretizar nada como essa sociedade em que vivemos tem inumeros dogmas (que são verdades inquestionaveis ou seja mentiras). Estou em constante aprendizado, encaro o dia, como se literalmente não soubesse de nada e tento trabalhar o conhecimento adiquirido durante o dia, a noite. Tento praticar muito os acontecimentos do passado nos meu tempo de folga e tento conhecer diversos pontos de vista. Uma coisa boa é a nossa conversa. Retiro alguns diamantes preciosos de nossa conversa, além de umas boas pepitas de ouro, principalmente quando eu uso a sua opinião para debater com outras pessoas. heheheh é muito bom!

      Não tenho como questionar se Deus é genocida ou não, pq oq ele faz ele pode desfazer, ele é Deus e ponto. Ele faz o q ele quiser. Sendo mau ou bom pra alguns ou outros. Também acredito que há muito oq aprender nesse aspecto. Eu elevei o ponto que não se deve fazer tal comparação, pq a cultura antigamente era menos evoluida mesmo. Se conquistavam as coisas na base da porrada bem antes de Yeshua e hoje já se conquista muitas coisas de forma pacífica…. Yeshua, pelos meus conhecimentos adquiridos ate aqui, não ensinou tanta paz quando a biblia mostra não. Ele diz em certo ponto que ele veio trazer o fogo e como ele quer q arda. Bom, isto é um outro longo assunto. Deixe-o para outra oportunidade.

      Eu digo que os Judeus são inteligentes pelos fatos historicos que eu já estudei, por muita fama, etc. E, realmente, sei pouco dos palestinos.

      A questão de inteligencia é pura oportunidade e acredito que os povos palestinos tiveram as mesmas oportunidades que os Judeus desde sempre.

      Em resposta a sua indagação é ao contrario! Os povos que vieram dos Judeus ou vieram dos mulçumanos que tambem vieram dos judeus e arabes mais antigos mostram uma inteligencia maior. Eu acho que os brasileiros são muito inteligentes, assim como indianos e chineses. Só que o povo não sabe disso e o governo brasileiro desde a independencia acaba fudendo com isso tudo tbm… Os governos dos paises em desenvolvimento graças as influencias deixadas desde a colonização são um povo muito corrupto e se não fosse isto e o investimento em educação fosse consideravel aqui no Brasil, teriamos uma outra cultura, com certeza!!

      Quando digo o mundo, me refiro aos seres existentes neles. O mundo é obra de Deus e viu Deus que era bom. Mas as escolhas das pessoas tem se tornado o mundo um lugar ruim. E a bíblia mostra isto bem claramente. Como as escolhas de nossos lideres, dos lideres israelense ou palaestinos. Que não tomam decisões sabias pois estão subemetidos a ignorancia deixada pelos seus antepassados e os mesmos tendenciam em fazer a propria vontade politica, pois não querem ter conhecimento e o povo menos ajuda!!!.

      A vontade de Deus é exatamente como vc disse. Deus determinou e pronto, pode esperar. Mas enquanto espera, milhares de coisas podem acontecer, sempre temos apenas duas escolhas. Tentar seguia a vontade de Deus, fazendo as coisas certas que tendenciam sempre para o que Ele quer ou deixar pra lá e fazer a nossa propria vontade sem pensar nos outros. E é este tempo entre o que Deus determinou pra voce e que voce fez que realmente é importante. É oq voce faz com os dons, se vc enterra, dobra, triplica, usa, dá… É o que nós, meros humanos, fazemos durante nossa curta vida que importa… O que representa viver 100 anos se nós não fizemos nada durante míseros 100 anos diantes dos milhares de anos que o planeta forneceu e fornece de amparo fisico-quimico para que vivamos nele?

      Uma coisa eu sei q estou certo. É adquirindo conhecimento e quebrando os preconceitos que vou conseguir fazer com que eu me aproxime um pouco mais da vontade Deus e que minha vida realmente faça alguma diferença na vida de alguns.

  5. val51mabar Says:

    Pois eh Vitor,

    nao vou comentar tudo porque voce esta indo no caminho certo. Eh preciso apenas lapidar, polir um pouquinho mais. Mas nao tenha pressa. Somente com o tempo e as experiencias nos nos sentimos seguros no que devemos crer e praticar.

    A questao do grau de inteligencia dos povos eh essa: todos tem um grau comparavel de inteligencia. Nao hao os mais, ou menos, porem, a manipulacao das informacoes fazem alguns parecerem ser mais. Dai voce tira a conclusao de quem manipula e empurra um diagnostico garganta abaixo do mundo para atender a seus proprios interesses.

    O que me preocupou foi apenas o seu dizer: “Não tenho como questionar se Deus é genocida ou não, pq oq ele faz ele pode desfazer, ele é Deus e ponto.” Isso eh fruto do pensamento do mundo conservador que te cerca. E nasce do dogma de que: “o que esta escrito na Biblia eh a Palavra de Deus.”

    Ora, as pessoas estabeleceram o dogma e dai para frente se veem obrigadas a encaixar suas proprias interpretacoes a ele. Os relatos biblicos mais antigos nos dao noticia de que “Deus” era um terrorista, ditador, inconsequente, imprevidente e tudo mais. Dai, os conservadores ficam numa “sinuca de bico” porque: como explicar a contradicao de que sendo Justo, Omnisciente, Sabio etc ser tambem o oposto? Como eles nao conhecem a resposta, escolheram “sair pela tangente” com essa estoria de: “Deus pode tudo.” Isso eh tao falso quanto uma moeda de $4.

    A consequencia disso sao os conservadores se tornarem escravos de suas proprias ignorancias e imporem a ignorancia como carga sobre os ombros do povo.

    A verdade eh que Deus tem todo poder. Ou seja, tem poder para praticar qualquer acao. De forma limitada Ele concedeu esse poder aos seres humanos. Mas o proprio Paulo nos fez essa revelacao: “o homem tudo pode, porem, nao deve praticar aquilo que nao convem”.

    Isso eh revelador porque: que tipo de Pessoa seria Deus se Ele colocasse nos ombros de suas criaturas um peso que Ele Proprio nao suportasse? Segundo Joao, Jesus teria dito para imitar o nosso Pai que esta no Ceu. Se Deus fosse assim, praticasse o mal porque tem o Poder de desfaze-lo, os homens poderiam imita-Lo sem temer nenhuma consequencia!

    O que os conservadores muitas vezes nao percebem eh que os escritores antigos foram influenciados pelas crendices do tempo em que viviam. Se uma cidade era destruida por uma chuva de pedras incandescentes, era punicao de Deus. Se as colheitas eram boas, eram Bencaos de Deus. Sera que foi Deus que mandou o maremoto que devastou parte da Indonesia em 2004? Ou eh o unico responsavel pelas boas colheitas nos terrenos irrigados?

    No caso de terem acusado a Deus de ter sido o autor da devastacao que teria acontecido em Sodoma, Gomorra e outras ha uma prova da ignorancia humana interpretando um fato acontecido. A propria Biblia afirma que: “os pais nao morrerao em consequencia dos pecados dos filhos, nem os filhos morrerao em consequencia dos pecados dos pais”. Naquelas cidades existiam criancas, a respeito das quais Jesus afirmou: “delas eh o Reino dos Ceus.” Ou seja, eram inocentes, entao, baseado em que elas sofreriam a punicao que os pais teriam merecido?

    Outros dizeres biblicos afirmam: “Nao faca aos outros aquilo que nao gostariam que fizessem a voce” e “Facam aos outros aquilo que gostaria que fizessem a voce”. Um complementa o outro. Embora o segundo tenha sido atribuido a Jesus, ambos ja existiam no Antigo Testamento. Mas Jesus deu enfase ao segundo, porque a pratica das pessoas do tempo dele davam enfase somente `a primeira parte, ou seja, procuravam nao maltratar os pobres mas tambem nao faziam nada em favor deles.

    Por ai, Vitor, voce pode assumir a certeza de que Deus nao eh genocida, mesmo tendo o Poder para reverter o primeiro ato. Se voce raciocinar o assunto em termos da fisica a explicacao fica assim. Ora, se a gente sai de um ponto e da muitas voltas para acabar voltando ao mesmo ponto de partida, entao, o resultado do nosso trabalho eh zero. Ou seja, mexeu, mexeu e nao trabalhou. Entao, se Deus fizesse, para Ele Proprio desfazer, promoveria um ato nulo. Em termos de eficiencia, Ele Se faria totalmente ineficiente, porque gastaria energia para obter nenhum resultado.

    Por outro lado, ai se pode explicar porque Deus e o mundo estao em oposicao. Quando o mundo se move numa direcao cujos resultados se mostram improdutivos, Deus Responde no sentido contrario, curando e transformando atos improdutivos em algo util.

    Certa vez, a direcao da Igreja resolveu combater o que ela considerava uma heresia, praticada por um povo chamado Catar, que vivia no Sul da Franca. A ordem era de exterminio porque os “hereges” tinham conceitos tais como: “os direitos da mulher sao iguais ao do homem”, isso, em plena Idade Media. Um subalterno procurou o capitao porque estava em duvida e perguntou: “Como vou distinguir quem eh culpado dos inocentes”. Ai o capitao respondeu: “Nao deixa ninguem escapar, que Deus descida quem eh Dele”.

    Este eh o grande problema de pensar-se que Deus nao impoe limites nas proprias atitudes Dele. Isso pode levar alguns a pensar que nao ha problema algum guiar-se por seus proprios interesses porque, no final, Deus revertera todo o mal que nos praticarmos.

    O que precisamos entender eh isso: essa verdade nao nos garante o direito de cortar-caminho em busca da salvacao. O unico caminho que temos disponivel eh praticar a nossa justica baseados na Justica de Deus. Se nos desviarmos nao estaremos seguindo exemplo vindo de Deus mas sim seguindo os nossos proprios interesses, portanto, nos colocando sujeitos `as consequencias de nossas proprias atitudes.

    • Vitor Barbalho Says:

      Hum… O que eu queria dizer, era que Deus é justo. Apenas isto. Além de ter muitos outros atributos.

      Eu acredito que é o proprio ser humano que escolhe suas bençaos ou maldições. De vez enquando ele nem se toca do que esta escolhendo, mas isto é pela propria ignorancia do conhecimento oferecido.

      Concordo com tudo q disse sobre Deus tio, realmente Deus tem todo poder e as coisas que ele faz é praticamente impossivel perceber pq ele faz sempre obdecendo todas as leis naturais.

      inclusive eu penso que se tem alguma maneira melhor de explicar a origem de tudo baseada em Deus e na fisica eu desconheço. Do que pensar que tudo que Deus fez, ele fez no láaa no big bang e de acordo com todas as leis fisicas, quimicas, etc. Ele criou todas as leis e como elas iriam se comportar nas infinitas maneiras que seriam submetidas… E ele deu a chance do homem conhecer todas essas leis… Aos poucos estamos conhecendo, como a lei da gravidade e outras, heheh. Ele ja sabia tudo que iria acontecer… Daí surgens milhares de questões… Como, pra q q ele criou os seres humanos e tudo mais?! hehehe

      Discordo quando diz q se Deus criasse a terra e destruisse tudo, fisicamente era um trabalho nulo. Pois infinitamente acontece as mesmas coisas em varias situações diferentes. Como numa plantação, vc planta, colhe o que lhe é util e queima o resto não é? Eu não sei se Deus faz a mesma coisa. Mas é bem questionável. Tambem entendi o que vc quis dizer e concordo. São os homem que destroem a terra e não Deus. Como é claro e evidente aos nossos olhos!

      Interessante essas palavras!!! “que tipo de Pessoa seria Deus se Ele colocasse nos ombros de suas criaturas um peso que Ele Proprio nao suportasse?”

      Aqui agente fala assim: “Deus faria uma pedra que ele mesmo não pode carregar?”

      De onde é essa frase? Alguem ja disse isso antes e nós só copiamos? Pq eu não me lembro de onde eu retirei.

      Eu uso essa pergunta como um argumento pra mostrar q Yeshua não é Deus e nem nunca foi… hehehe…

      E com certeza Deus realmente tem limites em suas proprias atitudes e ações. Afinal de contas as coisas como nós mesmos podemos ver acontecem com muita naturalidade, como a vida!

      Aqui voce disse TUDO. Concordo mesmo.

      O que precisamos entender eh isso: essa verdade nao nos garante o direito de cortar-caminho em busca da salvacao. O unico caminho que temos disponivel eh praticar a nossa justica baseados na Justica de Deus. Se nos desviarmos nao estaremos seguindo exemplo vindo de Deus mas sim seguindo os nossos proprios interesses, portanto, nos colocando sujeitos `as consequencias de nossas proprias atitudes.

  6. val51mabar Says:

    Nao necessariamente Vitor,

    A nossa escolha eh limitada. Os conservadores eh que tem esse conceito errado de que temos “livre arbitrio”. Desde Schopenhauer que esse conceito ja caiu. Pense nas criancas. Principalmente aquelas que sofrem. Acaso escolheram o sofrimento? A verdade eh que a decisao de como a nossa vida se processara depende das decisoes coletivas. Nao sao apenas nossas. O meu “livre-arbitrio” termina onde comeca o “livre-arbitrio” dos outros.

    Entao, o meu arbitrio nao eh livre, eh limitado. O segredo de tudo esta em sabermos combinar o limite dos nossos direitos com os limites dos direitos dos outros. E trabalharmos as areas onde o nosso direito se torna congruente com os direitos dos outros. Isso eh algo que deveriamos combinar uns com os outros de forma a ninguem invadir o direito dos outros e usar a alternacao no uso das coisas que temos em comum, para que ninguem usufrua mais nem menos, a menos que isso seja consentido.

    E aqui vai um aviso dado por Jesus: “Ai de vos que tendes o poder, porque daqueles que muito possuem, muito sera cobrado”. Os mentores religiosos, os membros do governo (executivo, legislativo e judiciario) e os donos do poder economico deveriam se jogar numa piscina de cinzas, rasgar suas vestes e arrepender-se do que tem feito a essa nossa Terra mae, pois, nenhum deles escapara das penas duras que a eles estao reservadas. Para o proprio bem deles, precisavam corrigir-se, em tempo, ja que Deus tera prazer em perdoa-los, se o arrependimento for sincero e eles se dispuzerem a remover as consequencias dos atos maus que tem praticado.

    A resposta do porque Deus Creou o ser humano eh simples. O Jesse ja me perguntou um dia: “Olha o tamanho do Universo. O ser humano nao passa de poeira invisivel nessa imensidao. Por que Deus, se existisse, iria tomar conhecimento de nos?” A verdade eh essa, tudo ao nosso redor eh grande, tornando-nos insignificantes quando comparamos materia por materia. Contudo, o Universo com toda a sua grandeza nao pode retribuir o Amor de Deus, amando-O como Ele merece ser amado. Em nossa insignificancia, nos podemos.

    E a razao para que Deus decidisse Crear a materia e o ser humano eh justamente essa. Ninguem pode fazer nada errado na Presenca Dele. Nao eh uma questao de ser proibido. Eh uma questao de funcionalidade. Os Poderes de Deus sao tao grandes, e a decisao Dele de Praticar somente o Bem eh tao forte que estes Poderes interferem com as vontades de todos os que estiverem na Presenca Dele, impedindo-os de praticar o mal. Assim se da em consequencia de Deus Ser Omnisciente. Ou seja, Ele Sabe que toda acao negativa leva a consequencias ruins, portanto, os Poderes Dele impedem a pratica do mal na Presenca Dele porque Ele Deseja que todos sejam protegidos contra as consequencias malignas.

    Disso resulta que toda criatura que estiver na Presenca de Deus agiria como um robot. Nao pecaria porque estaria “programado” para nao pecar. So praticaria o bem porque isso eh a Vontade de Deus e nao uma vontade propria.

    A solucao que Deus Deu foi essa: Crear uma dimensao separada, onde as creaturas pudessem ter vontade propria, dentro dos limites estabelecidos para elas. O que Deus Quer eh que, com isso, aprendamos a controlar a nossa propria vontade e decidir por nos mesmos retribuir o Amor que Ele Dedicou a nos. Deus nao deseja robots. Ele Deseja que facamos bom uso da nossa propria vontade. Nisso se encontra a explicacao para a nossa “recreacao” na materia.

    Eu nao disse que o Trabalho de Deus foi nulo. O fim da Terra ja esta programado. O periodo de “validade” de todo sistema solar vem junto com seu surgimento. Mesmo que isso vira a acontecer daqui a alguns bilhoes de anos, o tempo dado para cumprirmos nossa missao nao precisa ser tao longo. A Creacao somente se tornaria inutil se neste intervalo nos nao aprendermos a praticar a justica.

    Eu fiz a comparacao com a lei da fisica porque ela afirma que se voce correr num circuito circular, nao importa a distancia que voce tenha corrido, voltando ao ponto de partida no final, nao realizou trabalho algum. A teoria fisica nao leva em conta que durante as voltas que estiver dando voce esta estimulando sua musculatura, fazendo-a desenvolver e melhorando seu quadro de saude. Assim, quando este Universo vencer o prazo de validade, o trabalho da Creacao da Materia podera ser nulo em termos da fisica, porem, ai nao se anula a nossa evolucao.

    Se nos comportarmos, poderemos voltar `a Presenca de Deus com o conhecimento necessario para ama-Lo por nossas proprias vontades e nao como robots. Nao fui eu quem inventou esses pensamentos. O mensageiro nao eh maior que o Autor da mensagem.

  7. val51mabar Says:

    Vitor,

    De tudo o que ja falamos ha que se aparar algumas arestas. Essa impressao que voce tem de que nos atualmente somos evoluidos e os nossos ancestrais mais antigos nao eram, nao corresponde totalmente `a verdade. O que quero dizer eh que nossos ancestrais eram tao inteligentes quanto nos. Contudo tinham informacoes limitadas disponiveis para eles.

    Os egipcios, gregos e romanos, por exemplo, possuiam conhecimentos que os pesquisadores atuais nao sabem explicar nem sao capazes de reproduzir. Um feito dos egipcios, a construcao das piramides ate hoje nao foi explicado. Isso porque se fossemos reproduzir a construcao delas, com as tecnologias modernas, teriamos grande dificuldade. Enquanto que a construcao delas usando-se as ferramentas rudimentares que sabemos que estavam `a disposicao deles seria quase impossivel.

    O que se especula eh que eles tinham tecnologias alternativas que foram esquecidas. Isso aconteceu com todas as civilizacoes antigas porque certos conhecimentos eram guardados como “segredos de estado” ou de familia. Elas eram passadas oralmente mesmo apos a invencao da escrita. E como nao eram ensinadas em escolas, acontecia vez ou outra de os unicos que tinham o conhecimento serem eliminados, por seus inimigos, por epidemias que assolavam as populacoes ou outras causas quaisquer.

    Existem construcoes na Bolivia e Peru que somente podem ser reproduzidas com o uso das atuais altas tecnologias, como o uso de laser e brocas de diamantes, claro, e uso de energia eletrica. Os indios americanos sabiam que a Constelacao de Pleiades eh composta de 7 estrelas. Somente com telescopios modernos pode se constatar que era verdade porque somente 6 sao visiveis a olho nu.

    Pelo menos ha uns dois mil anos antes de Colombo os europeus ja visitavam as Americas em viagens regulares. Segundo um pesquisador atual, a Idade do Bronze nao poderia ter ocorrido na Europa porque nao havia cobre suficiente para faze-la acontecer. Com as investigacoes ele encontrou que o cobre usado na Europa era originario de minas existentes na regiao dos Grandes Lagos, entre o Canada e os Estados Unidos. A prova esta em que eh possivel examinar os minerais e, por meio de comparacao, descobrir a origem.

    No meu tempo de crianca dizia-se que havia sido encontrada uma pedra com escritas runicas no Maranhao e que na Pedra da Gavea no Rio de Janeiro existem inscricoes fenicias. Aqui nos EEUU tambem existem inscricoes runicas, porem atribuidas aos Cavaleiros Templares, por volta dos anos 1300.

    Os gregos ja sabiam que a Terra era redonda e ja haviam calculado sua circunferencia com margem pequena de erro. Em mapas romanos ja existiam ilhas no Atlantico, que parecem ser as dos Acores. Alias, ao passar pelos Acores, Cristovao Colombo consultou-se com os marinheiros de la e foi informado de que existiam ilhas na direcao oeste. E foram justamente as ilhas que ele encontrou.

    Segundo os vestigios encontrados no sitio do Parque da Pedra Furada, no Piaui, o ser humano ja habita as Americas ha pelo menos 36.000 anos. Porem, os historiadores que dominam as instituicoes oficiais, tem dificuldades em aceitar isso por enquanto. Eles sao americanos e nao se sentem bem em admitir a possibilidade de os primeiros aportados nas Americas terem chegado ao Brasil e, “pior”, poderem ser africanos.

    A Historia que nos foi ensinada ja esta quase com a validade vencida. Em breve tera que ser reescrita, descartando-se coisas velhas e acrescentando-se coisas novas.

    Outros dois fatos que voce precisa atentar para eles sao os de que: desde milenios atras os seres humanos ja eram tao imaginativos quanto as pessoas atuais. Quanto a isso, basta analisar as pinturas de 30.000 anos atras encontradas em cavernas europeias. Nelas ja se pode verificar transcendencia e a intencao de passar informacoes para o futuro.

    O segundo fato eh o de que os espertalhoes tambem ja existiam desde priscas eras. Tome como exemplo a atualidade. Quantos sao os aproveitadores que se fazem passar por falsos profetas? E existem sempre uma turba imensa que se deixa enganar por eles! Eu proprio, se nao tivesse escrupulos, ja poderia ter usado os meus conhecimentos para tornar-me dono de empresas da midia no Brasil, nao eh mesmo?!

    A gente enxerga essas coisas e fica admirado, mas isso se torna possivel devido as diferencas de inteligencias que existem. Nao no sentido de uns serem mais inteligentes que os outros como comumente se eh levado a acreditar.

    Por exemplo, uma pessoa que tem uma grande inteligencia matematica nao sera necessariamente inteligente o suficiente para compreender os fundamentos biologicos. E as pessoas tambem confundem presenca de inteligencia tendo consequencia de aquisicao monetaria. Ou seja, pensam que os ricos sao necessariamente mais inteligentes.

    Isso se pode comprovar nao ser verdade. Tomemos o exemplo do Einstein que eh considerado uma das maiores inteligencias que existiu. Quando crianca foi chamado de burro pelo professor dele. E, talvez, o professor tenha feito disparar nele uma reacao contraria de provar que nao era burro. So que ele teve a vantagem de residir num pais onde a educacao ja era considerada prioritaria. Dai, ele pode estudar e exercitar a inteligencia que tinha e trabalhar com disciplinas que eram valorizadas no meio em que vivia.

    Agora, imagina se ele tivesse nascido brasileiro na mesma epoca. Se o professor o tivesse chamado de burro ele ficaria marcado pela pecha. Nao teria tido apoio e se tornaria mais uma inteligencia esperdicada. Eh possivel que ele pudesse chegar a ter algum sucesso na vida. Mas seria muito dificil que viesse a se tornar conhecido mundialmente como pessoa inteligente.

    Veja que isso pode ser comprovado de outra maneira. O Machado de Assis foi o autor do livro: “O Alienista”. Isso, bem antes de Freud lancar as teorias psicanaliticas dele. Agora veja a situacao do Machado. Era pobre, mulato, epileptico, brasileiro e foi batendo a cabeca que conseguiu vencer na vida. Imagina se ele tivesse nascido na Austria? Eh possivel que o pai da psicanalise seria outro.

    Veja o exemplo do Betoven. Se tivesse nascido brasileiro, teria o apelido de surdo e suas composicoes so ficariam conhecidas na atualidade. Ja se o Aleijadinho fosse americano, seria considerado um deus aqui na Terra.

    Quanto aos premios Nobels, nao os tome como indicativo de inteligencia, sem nenhuma restricao. Voce deveria se perguntar por que ha o dominio tao grande dos europeus e americanos? Sera que eles sao mais inteligentes ou puxam a sardinha para a latinha deles?

    Nao compreenda mal. Nao estou dizendo que somente eles sao parciais. Todo ser humano eh parcial. O problema eh que existem culturas que reconhecem que a parcialidade eh algo errado, porem, outras nao se envergonham tanto de manifestar sua parcialidade.

    Veja que asiaticos e outros do sul do planeta sao normalmente preteridos em relacao `a aquisicao de tal premio. Alem do mais, existe o lobby feito em favor daqueles em detrimento destes. O Japao foi o pais lider de tecnologias entre os anos 50 e 80. Mas os premios levados pelos japoneses nao correspondem.

    Veja o que se da na escolha para os premios de literatura. Tem muito autor que nem sequer foi indicado. Mas analise a literatura brasileira e compare com a que levou os premios. Com certeza nos temos autores de nivel igual. O problema maior eh o de nao escrevermos em ingles. O nosso publico eh limitadissimo e o proprio governo brasileiro parece considerar a atividade literaria como uma atividade subversiva. Houveram ocasioes em que era considerada mesmo.

    O unico autor brasileiro que tem repercussao internacional eh o Paulo Coelho. Estou citando apenas pela curiosidade de nunca ter lido livro algum dele. Antes de ele escrever os livros eu tive a experiencia de ler o genero que ele adotou umas duas vezes. Considerei “trash” (lixo) o que li e nunca mais me arrisquei a perder tempo, mesmo depois do sucesso dele.

    O proprio sistema do premio Nobel eh tendencioso. Eu tomo como exemplo as musicas do Chico Buarque, Milton Nascimento, Alceu Valenca e outros. Se for feito um concurso para votar-se qual deles eh o melhor eu me recusaria a votar. Seria como votar em tres ou mais alunos nota 10. Se eu votasse nao seria porque um deles seria realmente melhor que o outro e sim porque eu teria arbitrariamente resolvido votar em um deles.

    Assim deveriam ser as escolhas. Deveria haver uma graduacao de pontos. Os que atingissem determinada pontuacao seriam premiados e pronto. As disputas seriam entre os autores e eles proprios. A partir de certo nivel seriam considerados vencedores por aclamacao.

    A indicacao para o Premio Nobel da Paz eh o que eh o mais tendencioso de todos. Veja o Nobel que o presidente Obama ganhou. Baseado em que? Que me desculpem os outros que gostam dele, eu tambem respeito o presidente, porem, ele levou o premio por causa do discurso que fez nas primeiras eleicoes que venceu. Depois que entrou para a presidencia demonstrou que sua orientacao em relacao `a promocao da paz nao era tao diferente assim da do presidente Bush. Muita gente aqui agora ja esta reconhecendo isso. O premio foi precipitado, deveriam ter esperado o que ele faria para ver se daria pe.

    E parece que eh em razao dessa parcialidade que o povao esta perdendo o interesse pelas novas edicoes do Premio Nobel. Acho que todo mundo ta percebendo que ele pode nao ter sido criado para manipular a opiniao publica mas tem sido usado ha muito tempo justamente com essa finalidade.

  8. BARBALHO, COELHO E PIMENTA NO SITE WWW.ANCESTRY.COM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  9. NESTE MUNDO, SO NAO EH GAY QUEM NAO QUIZER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  10. HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  11. A HERANCA FURTADO DE MENDONCA NO BRASIL | Val51mabar's Blog Says:

    […] another WordPress.com weblog « ISRAEL, AS DIVERSAS VERDADES E O PADECECER DA PALESTINA E OUTROS TEXTOS NESTE MUNDO, SO NAO EH GAY QUEM NAO QUIZER […]

  12. BARBALHO, PIMENTA E, TALVEZ, COELHO, DESCENDENTES DO REI D. DINIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/ […]

  13. TRILOGIA DE VARIEDADES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  14. GENEALOGIAS DE FAMILIAS TRADICIONAIS DE VIRGINOPOLIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  15. GENEALIDADE E GENEALOGIA DE ARY BARROSO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  16. A III GM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e-… […]

  17. UMA VOLTA AO MUNDO EM 4 OU 3 ATOS (POLITICA INTERNACIONAL DO MOMENTO) | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  18. 03. O MENINO QUE GRITAVA LOBO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  19. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK I | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  20. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK II | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  21. MINHAS POSTAGENS NO FACEBOOK III | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  22. MEUS ESCRITOS NO FACEBOOK IV | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  23. A III GM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  24. GENEALIDADE E GENEALOGIA DE ARY BARROSO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  25. GENEALOGIAS DE FAMILIAS TRADICIONAIS DE VIRGINOPOLIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  26. TRILOGIA DE VARIEDADES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  27. BARBALHO, COELHO E PIMENTA NO SITE WWW.ANCESTRY.COM | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  28. NESTE MUNDO, SO NAO EH GAY QUEM NAO QUIZER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  29. BARBALHO, PIMENTA E, TALVEZ, COELHO, DESCENDENTES DO REI D. DINIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  30. FAMILIA: BARBALHO, COELHO … NO LIVRO A AMERICA SUICIDA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  31. MILLOR, MELOU OU MELHOR FERNANDES!? | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  32. A FAMILIA COELHO NO LIVRO A MATA DO PECANHA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  33. HISTORICO DO POVOAMENTO MINEIRO, GENEALOGIA COELHO, CIDADE POR CIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  34. ASCENDENCIA DOS ANCESTRAIS: JOSE COELHO DE MAGALHAES/EUGENIA RODRIGUES ROCHA, UMA SAGA A SER DESVENDADA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  35. A HISTORIA DA FAMILIA COELHO DO CENTRO-NORDESTE DE MINAS GERAIS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  36. A DIVINA PARABOLA | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  37. O LIVRO DO CONHECIMENTO DE DEUS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  38. RESPOSTA DE UM NEOBOBO AO EXCELENTISSIMO SR. EX-PRESIDENTE, FERNANDO HENRIQUE CARDOSO. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  39. O DIRECIONAMENTO RELIGIOSO ERRADO NAS QUESTOES ELEITORAIS BRASILEIRAS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  40. 100 REASONS TO AMNESTY THE UNDOCUMENTED WORKERS IN UNITED STATES | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  41. 13 STARS = WOMAN. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  42. CARTA AO CANDIDATO DO PSOL: PLINIO DE ARRUDA SAMPAIO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  43. 13 ESTRELAS = MULHER | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  44. FAIXA DE GAZA, O TRAVESSAO NOS OLHOS DA HUMANIDADE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  45. IMIGRACAO: SEM LENCO E SEM DOCUMENTO, O BARRIL TRANSBORDANTE DE INJUSTICAS. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  46. THE NONSENSE LAW. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  47. POLITICA, FUTEBOL, MUSAS E PROPAGANDA ELEITORAL ANTECIPADA; OBAMA, GRANDES CORPORACOES E IMIGRACAO. | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  48. CARTA DE LIBERTACAO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  49. About The Third and Last Testament | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  50. The Third and Last Testament | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  51. ALGUMAS NOTAS GENEALOGICAS, 2014/2015 | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  52. MOVIMENTO: “FORA DILMA, FORA PT”; QUE OSSO CAMARADA?!!! | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  53. NOS, OS NOBRES, E A AVO DO JUSCELINO TAMBEM PODE TER SIDO BARBALHO COELHO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  54. ARVORE GENEALOGICA DA FAMILIA COELHO NO SITIO: www.geneaminas.com.br | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  55. UM NOSSO LADO CRISTAO-NOVO E, TALVEZ, OUTRO PAULISTANO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  56. MEUS GUARDADOS 2015 | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  57. ALIENS, CONSPIRACIES, DISAPPEARED TREASURES AND DOMINANCE | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  58. OS RODRIGUES COELHO; E ANDRADE DO CARLOS DRUMMOND EM MINAS GERAIS | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  59. CONSPIRACOES, ALIENIGENAS, TESOUROS DESAPARECIDOS E DOMINACAO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… https://val51mabar.wordpress.com/2010/06/26/faixa-de-gaza-o-travessao-nos-olhos-da-humanidade/ […]

  60. MINHAS POSTAGENS MAIS RECENTES NO FACEBOOK | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  61. RIDICULOSAMENTE FALANDO | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  62. Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  63. Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  64. TRUMPANDO O ELEITOR | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

  65. 500 ANOS DE HISTORIA E GENEALOGIA DA PRESENCA BARBALHO NO BRASIL | Val51mabar's Blog Says:

    […] https://val51mabar.wordpress.com/2013/01/03/israel-as-diversas-verdades-e-o-padececer-da-palestina-e… […]

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: